junho/julho 2003

16 Ajustagem do conjunto pinhão e coroa

TÉCNICAS DE OFICINA

Transmissão VW 013 (final)
Num sistema de transmissão longitudinal, o ajuste do pinhão e da coroa é da maior importância para a vida útil do conjunto e o reduzido nível de ruídos. Isso é garantido pela precisão de usinagem do conjunto e ajuste de posicionamento dos componentes no melhor ponto de engrenamento, determinado durante a montagem do pinhão e da coroa e pela folga entre dentes do par de engrenagens

S1 S2 S3 R r -

Calço de ajustagem lado da coroa Calço de ajustagem lado oposto ao da coroa Calço de ajustagem do pinhão Medida teórica da posição do pinhão (R = 50,70 mm) Desvio em relação a medida teórica “R” (o desvio “r” é sempre indicado na lateral da coroa através de dois dígitos. Uma gravação 48 significa que o desvio r = 0,48 mm) O desvio de r em relação a posição teórica R é medido durante a fabricação e gravado na lateral externa da coroa. O pinhão e a coroa somente devem ser substituídos em conjunto

N

a edição 202, vimos que o conjunto coroa e pinhão de um sistema de transmissão longitudinal de tração dianteira, além de última relação de transmissão antes do torque ser conduzido até as rodas, faz a conversão do fluxo de força, de longitudinal para transversal. A transformação é feita pelo sistema de engrenamento cônico deste mecanismo de transmissão de forças. Este sistema se caracteriza por ser uma transmissão angular, cujos centros dos eixos do pinhão e da coroa não se cruzam, formando dois planos de engrenamento, daí o termo hipoidal de engrenamento. Vimos, ainda, que, em razão desta construção, o par cônico hipóide possui maior área de contato entre os dentes e maior número de dentes engrenados para um mesmo ponto tangencial entre os dois componentes. Para atender a esses requisitos, a Volkswagen adotou um sistema de ajuste de posicionamento do pinhão e da coroa, usando calços de espessuras variáveis que trabalham atrás dos rolamentos de posicionamento de cada componente e garantem as medidas de trabalho desejadas, a manutenção da folga ideal de ajuste da coroa e do pinhão e a respectiva carga de trabalho. Essas arruelas, de espessuras variáveis, são conhecidas como calço S1 (calço de ajuste posicionado no rolamento que trabalha do lado da coroa), calço S2 (calço de ajuste posicionado no rolamento do lado oposto a coroa) e

calço S3 (que define a posição de trabalho do pinhão).

O diferencial

Sabemos que quando um veículo descreve uma curva, as rodas do lado de dentro percorrem uma trajetória menor do que as do lado de fora. Se as rodas motrizes estivessem solidárias ao eixo da coroa, teriam de girar na mesma velocidade, o que, certamente, levaria a roda interna da curva a patinar sobre o piso para compensar a diferença de trajeto. É aí que entra o diferencial.
A coroa com os planetários e satélites gira mais lentamente que o pinhão

segura do veículo. Quando uma roda passa por uma depressão, por exemplo, deve girar mais rápido do que a que trafega na pista plana. Situações como esta e de curvas, exigem comportamentos diferentes do sistema de transmissão. Isso é proporcionado pelo diferencial.

das engrenagens planetárias, que são solidárias às semi-árvores.
Coroa Semi-árvore Carcaça do diferencial

Engrenagens planetárias

Deslocamento do veículo em linha reta

Deslocamento do veículo em linha reta

A engrenagem planetária está solidária às semi-árvores As engrenagens satélites giram solidárias à coroa As semi-árvores transmitem o torque às rodas. O diferencial permite que as duas semi-árvores girem em velocidades diferentes

Quando o veículo segue em linha reta, numa pista plana, as duas rodas devem girar na mesma velocidade, percorrendo a mesma distância.

Ao trafegar por uma curva, quando a engrenagem planetária interna à curva gira mais lento que a coroa, proporcionalmente, a engrenagem planetária tenderá a girar mais rapidamente.
Satélite girando rapidamente

Semi-árvore do lado interno da curva gira mais lentamente

Semi-árvore do lado externo à curva roda mais rapidamente

O pinhão transmite a energia mecânica processada pela caixa de mudanças para a coroa

Deslocamento do veículo em curva Deslocamento do veículo em curva

Normalmente pensamos nas rodas de tração sendo solicitadas pelo sistema de transmissão. Contudo, há situações em que as condições de tráfego exigem velocidades diferentes nas rodas do mesmo eixo para a manutenção da trajetória estável e

Quando o veículo uma curva, a roda interna deve percorrer um trajeto menor do que a roda externa à curva. O diferencial proporciona a diferença de rotação entre as rodas pela desigualdade de atrito. Efeitos como esses são possíveis porque, quando as semi-árvores giram em conjunto, as engrenagens satélites (solidárias à coroa), giram em torno

Portanto, quando as semi-árvores rodam em conjunto, as engrenagens satélites giram em volta das engrenagens planetárias e não em torno do seu próprio eixo. Quando uma das semi-árvores apresenta atrito maior, a outra pode continuar girando porque, a medida que o faz, a sua engrenagem planetária força as engrenagens satélites a girarem em torno do seu próprio eixo.

9 . dando especial atenção às condições dos rolamentos quanto a sinais de superaquecimento e riscos de trabalho. a folga entre dentes proveniente do ajuste de ambos. solte o para fuso de fixação e remova o flange. para a determinação dos calços S1 e S2 deve-se remover a caixa de mudanças e reinstalá-la somente no momento da medição da folga entre os dentes do pinhão e da coroa.Fixe a caixa do diferencial na morsa com o apoio de mordentes de alumínio. 3 . Atenção: utilize dois pinos-guias na rosca da coroa para centralizar a montagem.Aqueça a coroa a 120°C – em banho de óleo ou com soprador térmico – e instale-a na carcaça do diferencial.Remova os retentores laterais da transmissão. através dos flanges de propulsão.Instale os flanges de propulsão do diferencial.Bloqueie o flange de p ro p u l s ã o . localizado na tampa.Flange de propulsão 3 . é importante destacar que essas operações só devem ser executadas com a transmissão removida e devidamente fixada num suporte adequado. 10 . com todos os componentes do diferencial desmontados. juntamente com o calço S1. deve-se determinar os novos calços S1 e S2. Portanto. proceda da seguinte maneira: 1 .Coroa 12 .Eixo das engrenagens satélites 14 . planetárias e a capa de poliamida.Remova o anel-trava e retire o eixo das engrenagens satélites. 2 .Pistas dos rolamentos 7 . 5 . 6 .Rolamento externo do diferencial 8 . Atenção: para determinar a posição da coroa na carcaça do diferencial. pois. ainda. juntamente com o calço S2. 4 .Imã Reparos no diferencial Para desmontar as engrenagens satélites e planetárias do diferencial e ajustar a coroa. é fundamental que a posição do pinhão já tenha sido calculada e corrigida. Tanto a remoção dos parafusos como a extração da coroa com um toca-pino. em seguida. Verifique. 8 . 6 . Atenção: os parafusos de fixação da coroa são autotravantes e sempre que forem removidos.junho/julho 2003 17 7 . faça um exame detalhado do estado geral de cada um. alternadamente.Capa de poliamida 18 .Remova a pista externa do rolamento do diferencial da carcaça.Remova o sensor do velocímetro. remova a coroa. fazendo com que as engrenagens entrem na caixa do diferencial.Porca do parafuso de fixação do flange de propulsão 17 . devem ser feitas em cruz 8 . 7 . usando um extrator do tipo Kuko.Pino de retenção do imã 20 . 5 . Os rol a m e n to s laterais da coroa podem ser substituídos nesta condição.Engrenagem satélite 15 .Vedador 4 .Instale o anel-trava no eixo das engrenagens satélites. 9 . será o fator de aferição.Com o auxílio de um toca-pino.Remova o rolamento do diferencial do lado da coroa.Anel-trava 13 .Engrenagem motora do velocímetro 10 . 11 . como não haverá a troca do conjunto pinhão e coroa. 2 . Desmembramento do diferencial 1 .Posicione as engrenagens satélites e.Fixe as engrenagens planetárias na caixa do diferencial. juntamente com a bucha de arrasto e a engrenagem motora do pinhão do velocímetro.Re m o v a manualmente as engrenagens satélites. as medidas devem ser tomadas antes da desmontagem do conjunto para a manutenção destas . remova o rolamento do diferencial do lado oposto à coroa.Instale os novos parafusos autotravantes e aperte-os. com 70 Nm.Parafuso de fixação do flange de propulsão 2 .Bucha de arrasto do pinhão do velocímetro 9 .Parafusos da coroa 11 . Vamos à desmontagem: 1 .Remova o diferencial da carcaça. Atenção: caso a desmontagem seja para substituir a carcaça da transmissão ou do diferencial. 3 .Remova a pista externa do rolamento do diferencial. o estado geral do assentamento da coroa na carcaça do diferencial e se a capa de poliamida apresenta alguma danificação. gire o flange. Lembre-se que. 4 . para remover os parafusos de fixação da coroa.Instale o eixo das engrenagens satélites. a tampa ou a caixa do diferencial. Agora. devem ser obrigatoriamente substituídos. Para a montagem dos componentes.Re m o v a o flange de propulsão oposto.Engrenagem planetária 16 .Remova a tampa do diferencial. nestes casos.Caixa do diferencial 19 . Para isto.Tampa do diferencial 5 .Calços de ajustagem da coroa (S1 e S2) 6 .

.. é necessário que o pinhão já esteja ajustado com seu calço S3...15.Instale um calço que corresponda à soma do resultado da medição e da pressão de montagem (0. não gire o diferencial para evitar o assentamento dos rolamentos. deve-se adicionar a carga de 0.60 mm Atenção: a diferença entre o maior e o menor valor encontrado não ultrapassou 0..40 mm ..05 mm entre as medições...Folga média = 0.Os calços são fornecidos com as seguintes espessuras: 0.. 4 ... 15 . 0..40 mm... 1. 0... 23 .. 0..... O resultado será o calço S2 de 0.Instale a ferramenta de verificação da folga entre dentes no lado oposto à coroa.. deve-se considerar o valor do S total (2.Remova o anel externo do rolamento da tampa.20 mm.. portanto a medição está em ordem.Calço padrão: ..Folga encontrada entre os rolamentos: .05 mm. 20 . 7 .20 mm...42 mm ..Valor encontrado = 0.10 e 0..Para calcular a espessura do calço S2 (lado oposto ao da coroa) definitivo. 5 .Pressão de montagem: .90 mm Este valor. 0.50 mm .. Atenção: a medida que está sendo tomada deve permitir identificar o espaço existente entre os rolamentos sem considerar a carga de trabalho.. conforme já descrito... Note que.Valor total (folga + pressão): .. Note que a pista externa do rolamento deve ser montada até o batente. 12 ... Portanto... conforme já comentamos anteriormente. vamos medir a folga entre dentes com os calços S1 e S2 provisórios (ainda não é a medição 24 .... teremos uma folga média de 0.Medida A = 71 mm a folga seja .. Na determinação dos calços para a ajustagem da coroa.60.Instale um suporte de relógio centesimal e uma base magnética no lado S1.Remova as ferramentas e a tampa do diferencial. portanto. 0.. 0. 2.40 mm (valor fixo de carga entre os rolamentos) .Esta medição torna possível obter o espaço disponível para alojar a caixa do diferencial entre os rolamentos.20 mm.95 mm .Folga encontrada (exemplo): . com os calços definitivos)..Total = 1. 0.80.Instale os calços de ajustagem S1 de 1....30. resultará na necessidade total de calços a ser preenchido (S total): .. 22 . Os rolamentos laterais foram projetados para trabalhar com uma carga de 0. . 0... somado à espessura do calço padrão montado do lado S2.15 mm.40 = 0. Se os calços S1 e S2 estiverem corretos... 8 .. 0. TÉCNICAS DE OFICINA medidas como referência.junho/julho 2003 18 . considerando o calço S2 de 1... 17 .. monte o dispositivo de medição da folga entre os flancos dos dentes de maneira que .90 mm) atrás da pista externa na tampa do diferencial. Aperte novamente o parafuso e volte a fazer a medição.. 19 . Vejamos: . 0.Medição 2 = 0.40.40) + levantamento (valor constante de 0...... Atenção: se os valores obtidos apresentarem uma diferença maior que 0.20 mm de espessura..50.20) .Instale a pista externa do rolamento do diferencial na carcaça com um calço padrão de 1...95 mm). 9 . Bloqueie novamente o pinhão..S1 defintivo: 1. 0..80 mm Some o valor encontrado com o levantamento constante de 0..39 mm ..39 mm .50 + 0..Instale a tampa do diferencial.Medição 3 = 0.10 mm Note que a pista externa do rolamento deve ser montada até o batente 3 .95 mm. 13 .. 10 .Gire a coroa até o batente e acerte o ponteiro do relógio em zero..15 mm na tampa e o S2 na carcaça.15 mm 21 . 14 . Dividindo-se o valor total por 4.Determine a folga média encontrada: . .10 mm) e subtrair do S2 obtido (0. basta fazer a seguinte operação: medida do calço padrão (1... tome as seguintes providências: 1 . pois isto altera a medição....S2 defintivo: 0.. Instale e regule a pressão do relógio centesimal com 1 mm de carga.S total: 2.50 mm (exemplo) . Remova as pistas dos rolamentos e os calços provisórios para colocação dos calços definitivos.Instale a pista externa do rolamento da tampa do diferencial sem o calço de ajuste (lado S1).00. à folga encontrada.. Neste exemplo. 0.15 mm). 1. 16 ..40 mm . Para calcular o S1 (lado da coroa) definitivo.... Gire a coroa no sentido contrário e leia a folga entre os flancos dos dentes.. Atenção: a diferença entre uma e outra medida não pode ultrapassar 0..10 mm .Faça a montagem da coroa e refaça a medição da folga entre dentes.Solte o parafuso da ferramenta de medição e retorne-a cerca de 90° até que esta toque a ponta do relógio centesimal.Bloqueie a árvore do pinhão... Anote o valor.40 mm.Para esta medição....95 mm.20 mm .. Para isto..20..Medição 1 = 0. S1 = 1.90....Pressão de montagem: ..15 e S2 = 0. 18 .Coloque o diferencial sem a engrenagem do pinhão do velocímetro..folga média (0.20 mm . 0....Ângulo α = 90° representada pela variação no relógio centesimal. 1. provavelmente houve algum erro de montagem na coroa ou o próprio conjunto não está em ordem..70......Medição 4 = 0.Desbloqueie a árvore do pinhão e gire a coroa cerca de 90º utilizando a ferramenta de medição da folga entre flancos.. 0.05 mm.Repita a operação quatro vezes e anote os valores obtidos...Instale a tampa do diferencial e aperte os parafusos com 25 Nm.. a folga encontrada deve estar entre 0. agora..40 mm.25....Empurre o diferencial para cima e meça a folga encontrada.... na carcaça do diferencial.S2 (calço padrão) = 1.10 e 1. Tome cuidado para não danificar o alojamento do sensor do velocímetro 2 .Verifique a folga em quatro posições diferentes.S total: .40 mm . 6 ... 11 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful