You are on page 1of 4

Transformação Estrela-Triângulo

1. Introdução
Existem muitos casos práticos em que a resistência equivalente necessita ser determinada e
onde somente as regras de associação série e de associação em paralelo não permitem a
determinação da resistência equivalente. Um caso típico é o circuito em ponte mostrado na
Figura 2. Nestes casos pode-se simplificar o problema utilizando as regras de conversão
estrela-triângulo, as quais são vistas aqui de forma resumida, maiores detalhes encontram-se
na bibliografia. A conexão de resistores em estrela é mostrado na Figura 1a, ao passo que a
conexão em triângulo é mostrada na Figura 1b. A conexão em estrela também é denominada
de conexão Y ou ainda conexão T. Por outro lado, a conexão em triângulo também é
denominada de conexão em delta ou ainda conexão π . Sob todos os aspectos elétricos
(corrente, tensão e potência), existe uma equivalência entre estas duas conexões, a qual é
assegurada pelas relações entre as resistências em ambas.

R1 R2 Rc
1 3 1 3

R3 Rb Ra

2 4 2 4

(a) (b)

Figura 1 - Equivalência entre a conexão (a) estrela e (b) triângulo

2. Conversão de Triângulo para Estrela


Quando o circuito original está na conexão triângulo, pode-se converter o circuito para estrela
utilizando-se as seguintes relações:

Rb ⋅ Rc
R1 = (1)
Ra + Rb + R c

R c ⋅ Ra
R2 = (2)
R a + Rb + R c

Ra ⋅ Rb
R3 = (3)
Ra + Rb + R c

A regra para a conversão triângulo-estrela é, portanto: cada resistor do circuito em estrela é o


produto dos resistores dos dois ramos adjacentes do triângulo dividido pela soma dos três
resistores do triângulo.

3. Conversão de Estrela para Triângulo


Quando o circuito original está na conexão estrela, pode-se converter o circuito para triângulo
utilizando-se as seguintes relações:
PUCRS- FENG - DEE - Disciplina de Circuitos Elétricos I - Prof. Luís Alberto Pereira - versão de 13/4/2005 página 2/4

R1 ⋅ R2 + R2 ⋅ R3 + R3 ⋅ R1
Ra = (4)
R1

R1 ⋅ R2 + R2 ⋅ R3 + R3 ⋅ R1
Rb = (5)
R2

R1 ⋅ R2 + R2 ⋅ R3 + R3 ⋅ R1
Rc = (6)
R3

A regra para a conversão estrela-triângulo é, portanto: cada resistor do circuito em triângulo é


o produto dos resistores da estrela dois a dois dividido pelo resistor oposto da estrela.

4. Exemplo de Aplicação
A seguir é apresentado um exemplo que ilustra a aplicação do que foi exposto.

4.1 Circuito em Ponte


Deseja-se determinar a resistência equivalente do circuito em ponte mostrado na Figura 2 a
partir dos terminais x-y. Uma análise inicial do circuito revela que não é possível aplicar as
regras de associação série-paralela, pois não é possível identificar este tipo de associação no
circuito. Pode-se, no entanto, reconhecer que existe a possibilidade de aplicar as
transformações estrela-triângulo. Conforme pode ser constatado pela Figura 2, existem várias
possibilidade de associar os elementos do circuito tanto com a conexão estrela como
triângulo. Para fins de resolução e transformação, será escolhido o triângulo formado pelos
resistores de 15, 5 e 20 ohms (em azul na Figura 3b). Desta forma, pelas fórmulas (1), (2) e
(3) de conversão triângulo-estrela, obtém-se:

Ra = 15 Ω
Rb = 20 Ω
Rc = 8 Ω

20 ⋅ 8
R1 = = 3,721 Ω
15 + 20 + 8

8 ⋅ 15
R2 = = 2,791 Ω
15 + 20 + 8

15 ⋅ 20
R3 = = 6,977 Ω
15 + 20 + 8

Após esta conversão o circuito assume a forma mostrada na Figura 2c, onde a resistência
R1 = 3,721 ohms está em série com a resistência de 5 ohms e a resistência R2 = 2,791 ohms
está em série com a resistência de 10 ohms. Fazendo-se a associação em série destas
resistências, obtém-se o circuito mostrado na Figura 2d. As resistências de 8,721 ohms e de
12,791 ohms estão agora em paralelo, resultando numa resistência de 5,184 ohms, conforme
mostrado na Figura 2e. Finalmente associando em série as resistências de 5,184 e 6,977
ohms, obtêm-se a resistência equivalente entre os terminais x-y (Figura 2f):

R xy = 5,184 + 6,977 = 12,162 Ω


PUCRS- FENG - DEE - Disciplina de Circuitos Elétricos I - Prof. Luís Alberto Pereira - versão de 13/4/2005 página 3/4

x x

5 10 5 10

(a) 8 (b) 8
1 3
Rc
20 15 20 Rb Ra 15

y y
2 4

x x

5 10

R1 R2 8,721 12,791
(c) 1 3 (d)
3,721 3,791

6,977 R3 6,977

y y
2 4

x x

5,184

(e) 12,162
(f)
6,977

y y

Figura 2 - Determinação da resistência equivalente usando conversão triângulo-estrela

5. Exercício Proposto
a) Determine a resistência equivalente a partir dos terminais s-t do circuito mostrado
na Figura 3 utilizando as fórmulas de conversão estrela-triângulo. (resposta: 14,01
ohms)
b) Determine a resistência equivalente a partir dos terminais s-t do circuito mostrado
na Figura 3 aplicando uma tensão conhecida nos terminais s-t e determinando a
corrente.
c) Implemente um arquivo de simulação no Orcad (ou Matlab/Simulink) e comprove os
resultados obtidos nos itens a) e b).
PUCRS- FENG - DEE - Disciplina de Circuitos Elétricos I - Prof. Luís Alberto Pereira - versão de 13/4/2005 página 4/4

10 Ω
s

5Ω 7Ω 1Ω

15 Ω 21 Ω

5Ω 3Ω 33 Ω

t
Figura 3 - Determinação da resistência equivalente a partir dos terminais s-t

6. Exercícios Recomendados
A seguir é apresentada uma lista de exercícios selecionados da bibliografia aconselhada para a
disciplina. Para uma melhor assimilação recomenda-se que todos os exercícios sejam
resolvidos.
Charles K. Alexander e Matthew N. O. Sadiku (2003). Fundamentos de circuitos elétricos.
Bookman (Central 20, Edição 2000) - Capítulo 2. Problemas: 2.43, 2.44, 2.45, 2.46, 2.47,
2.48, 2.50, 2.51.