PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DISCIPLINA: Práticas em Laboratório de Sociologia I PROFESSORA

: Maria Beatriz Balena Duarte

ECONOMIA SOLIDÁRIA COOPERATIVA CHAPÉU DO SOL COMPRAS COLETIVAS

Alunos: Décio Soares Vicente Fabiano Pedroso dos Santos Milton Pantaleão Sandro Rafael Santos Waltraud Franzelin

Esse movimento. Entre as graves conseqüências. Burocracia e Autogestão: A proposta de Prouhdon. que está eliminando os postos de trabalho formal. Revista Proposta.1. Em um cenário de crise econômica e social que o Brasil atravessa a longo tempo. na medida em que homens e mulheres. Karl e ENGELS. São Paulo: Ed. quando os trabalhadores enfrentaram situações de depressão econômica. Marco teórico e conceitual. Em momentos como esse na história. empreendimentos organizados pelos trabalhadores. como marco teórico. que estão dispostos a trabalhar. sem a figura do patrão capitalista. tornando-os inacessíveis para a ampla maioria dos desempregados. nº 72. o trabalho autogestionário se transformou em um movimento social de natureza econômica e política. Fernando Prestes. com uma configuração essencialmente antiburocrática e democrática3. Hoje . ou seja. Martin Claret. Friedrich. está o desemprego estrutural. não têm alternativa MARX. 1981. e estão na dependência do capital1. no Brasil. Essa situação gera um impasse social importante . SINGER. Manifesto do Partido Comunista. temos situações agravadas com a fase de globalização que vivemos. aprofundado pela super exploração do trabalho realizada no Brasil2. 2 1 . a referência de uma sociedade de classes que vive sob o sistema capitalista. O trabalho tem. houve resistências baseadas em trabalhos autogestionários. São Paulo: Ed. possui uma dimensão material importante. situação na qual os trabalhadores vendem sua força de trabalho. Paul. Brasiliense. que oferecida pelo capital. 3 MOTTA. denominado Economia Solidária. 2002. traduzido na resistência de parcelas significativas dos trabalhadores frente ao desemprego. março/maio de 1997.

A Economia Solidária não se constitui apenas em um somatório de empreendimentos solidários – cooperativas e associações autogestionárias. Produzir Para Viver: Os caminhos da produção capitalista. Rio de Janeiro: Ed. Petrópolis: Ed. 5 MANCE. 4 . como das relações éticas e políticas5. para estimular a organização comunitária para a economia popular. Conhecimentos Empíricos e Tecnológicos Relevantes. Civilização Brasileira. 2002. 2000. A Revolução das Redes: A colaboração solidária como uma alternativa póscapitalista à globalização atual. com o trabalho desenvolvido por Organizações não governamentais que atuam nessa área. de caráter solidário e autogestionário. significando uma novidade importante no cenário de alternativas à crise econômica e social enfrentada pela maioria da população brasileira. Entre as alternativas existentes de intervenção. tanto das práticas econômicas e sociais. Boaventura de Souza.expande-se para o nível da consciência de organização comunitária e política. Em Porto Alegre. Vozes. além de permitir construir um processo avançado e democrático de trocas internas. construindo uma visão de mundo mais ética e solidária4. A experiência brasileira tem acumulado situações de articulação em cadeia produtiva dos empreendimentos solidários. A constituição de Redes de Cooperação Solidárias têm sido o instrumento mais eficaz de atuação conjunta no mercado capitalista. SANTOS. 2. A escolha do Grupo de Intervenção Sócio-Educativa em Espaços Não Formais – GI foi baseada na importância que está tomando a Economia Solidária como forma de resistência dos trabalhadores à situação estrutural de desemprego que atinge o país. Euclides André. na última década. a experiência que estava sendo articulada na Zona Sul de Porto Alegre tinha os elementos mais ricos de envolvimento da comunidade empobrecida local. A vivência nas redes eleva o nível de organização e consciência. cresceu muito a atuação de ong’s junto à desempregados.

A partir desse acordo. em parceria com a prefeitura de Porto Alegre. sugerimos assumir a responsabilidade de contribuir no debate sobre o consumo doméstico. em Belém Novo. Um acordo estratégico foi firmado entre Ananda Marga e Guayí para a geração de empreendimentos solidários na sede da primeira. em que caberia à Guayí o acompanhamento na formação de autogestão e monitoramento gerencial do empreendimento. dentro da concepção de incubadora de cooperativas. Para tanto. como seu projeto de intervenção Sócio-Educativa. Após discussão no GI. O governo do Estado do Rio Grande do Sul desenvolve o Projeto de apoio à Economia Popular Solidária. O GI realizou uma visita dirigida à sede da Ananda Marga para conhecer o trabalho e. conveniou com ong’s para que estas qualificassem os empreendimentos solidários existentes ou potenciais na formação para a autogestão. propôs fazer parte do esforço de implantação do empreendimento. que trabalha com fitoterápicos e fitocosméticos. Nessa mesma sede também se desenvolve. . A ong Guayí ficou responsável pelos empreendimentos solidários situados em Porto Alegre. as duas ong’s constituíram uma equipe de trabalho para a realização do diagnóstico e planejamento estratégico da ação. As duas ong’s concordaram e propuseram que o GI da Pucrs se responsabilizasse por uma das tarefas de implantação do projeto. após uma avaliação. desenvolve-se um trabalho social. sua implantação em rede e a implantação de grupos do Compras Coletivas no empreendimento solidário e na comunidade do Chapéu do Sol. utilizando o conhecimento específico e a tecnologia dos fitocosméticos. com cinqüenta famílias carentes da vila Chapéu do Sol. entre outros projetos. o Projeto Ecologia Humana.Na sede da ong Ananda Marga. O Compras Coletivas é o empreendimento solidário que realiza em Porto Alegre a rede de consumo doméstico.

constituindo o núcleo inicial do empreendimento. Objetivos gerais 3.A proposta foi aceita pela equipe técnica. e que articulasse o apoio das demais faculdades para as demandas da comunidade. 3.3. com o compromisso de que o GIPUC acompanhasse toda a implantação do conjunto do projeto. Os próximos passos são os treinamentos de qualificação com os fitocosméticos e a aplicação do questionário coletivo de diagnóstico sócio-econômico potencial do empreendimento. 3. cooperativa de fitocosméticos em conjunto com.1. Pucrs e a comunidade Chapéu do Sol. envolvendo em torno de onze pessoas. . qualificando os hábitos alimentares e higiênicos. para reduzir os custos familiares com o consumo de primeira necessidade e. Guayí. assim. O projeto entrou na fase de sensibilização das lideranças junto às ações sociais da Ananda Marga na vila Chapéu do Sol. Ananda Marga. Despertar a consciência cidadã em cada trabalhador e trabalhadora da comunidade. A partir do acordo estabelecido. Foram realizadas as primeiras reuniões com as lideranças. ampliar a renda familiar.2. Juca Batista e Ponta Grossa como instrumento de reinserção produtiva de trabalhadores desempregados. Colaborar na construção de um empreendimento solidário industrial - 3. realizado o cadastramento. através das oficinas de sensibilização e da implantação da cooperativa e do projeto compras coletivas. estimulando-os a ser um agente transformador da sociedade. Implantar o Projeto Compras Coletivas na comunidade do Chapéu do Sol. o GI-PUC passou a integrar a equipe de trabalho.

Diagnostico geral O DEMHAB (Departamento Municipal de Habitação) reassentou. Estimular o consumo solidário como caminho para a auto-organização da comunidade Chapéu do Sol para o processo de compras dos produtos de consumo domestico. vilas que estavam em área de risco. Realizar oficinas de demonstração do funcionamento da cadeia de distribuição de mercadorias no mercado e a redução de custos possíveis com a eliminação de intermediários. à noite. 5. Realizar pesquisa em interação com a comunidade junto aos fornecedores. falta de luz. uma escola de ensino fundamental. 4. 4.5.4. limpeza e alimentação da comunidade. com precárias condições habitação. 4.4. funcionam os projetos de .1.2. onde. 4. com o objetivo de constituição de lista de preços e de educação para o conhecimento das estruturas de intermediação e de distribuição de mercadorias no mercado. Estimular à formação de grupos de compras coletivas na comunidade de Chapéu do Sol para a aquisição de produtos essenciais de primeira necessidade junto à cooperativa Compras Coletivas. Foram construídas casas para 900 famílias. assim como da oferta disponível de varejo em interação com a comunidade. Realizar um levantamento dos hábitos de consumo de produtos de higiene.Objetivos específicos 4.3. em 1999. água e rede de esgoto.

carroceiros. Existe na vila uma Rede de Apoio Familiar dirigido pela FASC (Fundação de Assistência Social e Cidadania). todos são casados ou possuem companheiros. Em conseqüência da baixa escolaridade. que realiza o acompanhamento junto a essas pessoas.alfabetização MOVA e SEJA. . 6. sem local definido e sem qualificação. O número de crianças de 0 a 14 anos fora da sala de aula é pequeno. com pelo menos 01 filho. verificamos que na população em idade ativa há um grande número de trabalhadores sem vínculo ou desenvolvendo trabalhos eventuais. Provavelmente. Segundo a avaliação da assistente social. Essa população é basicamente formada por. sendo 10 mulheres e 01 homem. pedreiros. Diagnóstico específico O grupo inicial da comunidade para a formação do empreendimento solidário do Chapéu do Sol é formado por onze pessoas. A média salarial é baixa. A renda média fica em torno de um salário mínimo. sendo a maioria desempregada ou vivendo de trabalho eventual. em conseqüência da realização destes trabalhos eventuais. jardineiros e biscateiros. Ao considerarmos a informalidade nas relações de trabalho. sendo que a idade varia entre 21 e 45 anos. A maioria da população situa-se na faixa de escolaridade até 5º serie do primeiro grau e o índice de analfabetismo fica em torno de 8%. recaindo na faixa de um a três salários mínimos. no máximo. sua característica principal é o espírito de liderança. faxineiras. existe um contingente significativo de mão-de-obra pouco qualificada. constatou-se um percentual de. O trabalho informal é uma característica recorrente em todos os núcleos de pouca escolaridade. 13% de funcionários formais.

Valorizar o esforço do resultado do trabalho.08. Oficina com a e cooperativa levantamento de de Primeira semana sensibilização hábitos de consumo. através do esforço das pessoas pobres e desfavorecidas pela sociedade. através da cooperação entre as pessoas com dificuldades econômicas. como os cadernos de armazém e as taxas de juros cobrados por esses serviços. através de meios injustos. eliminando os custos existentes com os intermediários do comércio. A ação vai organizar o grupo do empreendimento solidário para a implantação do Projeto Compras Coletivas junto às suas famílias. Conscientizar sobre as influências da propaganda.Essas pessoas foram sensibilizadas nos programas sociais da Prefeitura Municipal de Porto Alegre: PETI = Programa de Erradicação do Trabalho Infantil. Cronograma Atividade Reunião com a coordenação projeto Agosto da 28. . NASF = Núcleo de Apoio Sócio Familiar. Não deixar que o comércio local se beneficie com as formas injustas de acumulação. e eliminar os desperdícios a partir de uma educação alimentar e higiênica.02 e 11. 7.09. fazendo com que as pessoas de baixa renda não sejam dominadas pela sedução dos produtos.02 Setembro Outubro Novembro cooperativa Compras Coletivas para a apresentação do planejamento da ação. Oficina de qualificação dos estudantes para serem multiplicadores das Compras Coletivas. de higiene e limpeza. conscientizando-as das vantagens em adquirir produtos alimentícios.

Redação de Relatório.Pesquisa de oferta e demanda – Compras Coletivas/estudantes Pucrs/cooperativa .na zona sul. Quarta semana Quarta semana mês mês . Quarta semana Primeira semana Terceira semana Oficina de avaliação do processo e confraternização. Entrega da primeira compra coletiva. Segunda e terceira semana Pesquisa com fornecedores: Compras Coletivas/estudantes Pucrs/cooperativa. Apresentação. Divulgação junto à comunidade para formação de novos grupos de compras coletivas. Montagem final da lista dos produtos e realização da primeira compra coletiva.

filme.00 210.00 .00 80. revelação Salgados.00 R$ R$ VALOR 88. Orçamento MATERIAL Transporte Material de apresentação Método Zopp visualização (3 oficinas) Xerox Material didático.00 R$ R$ R$ R$ 30.00 110.8. doces e refrigerantes para a confraternização Locação de Data-show e laptop para apresentação na semana acadêmica e material didático Total R$ 588.00 70.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful