O mau estado das coisas pode ser combatido pela verdade…

O mundo em que vivemos é um teatro, uma luta entre teorias económicas, sociais e políticas diversas. Nada mais natural num mundo dividido entre o moderno e o primitivo por sua vez em pontos antagónicos. Não será isto inevitável numa era tão rica em transformações… Nestas condições temos a difícil tarefa de descobrir a verdade, uma verdade independente dos desejos, das paixões, das ideias e dos juízos prévios, uma verdade independente pelo seu conteúdo, do homem e da humanidade. Estaremos à altura dessa tarefa? Temos de estudar a sociedade, as relações sociais, o homem, a vontade humana; enfim; um papel decisivo, que analise a uma nova luz diversas ideias, opiniões, estados de espírito, teorias sociais e concepções do mundo. Será justo fecharmo-nos numa torre de marfim para procurar a verdade, poderemos nos libertar do ascendente desta ou daquela mudança, proceder a trabalhos teóricos, formular pensamentos em perfeita objectividade e aspirar a ser verdadeiros? O sábio deve verificar constantemente os seus conhecimentos em relação à sociedade, através da soma dos factos pela prática social, desde que não queira tomar como dados preestabelecidos aqueles que disso têm aparência. A era em que vivemos exige cada vez com maior veemência às ciências sociais que ajudem o homem, e principalmente o cidadão a aprender a orientar-se por entre uma realidade social que o rodeia, a arma-lo com uma teoria e uma metodologia cientificamente fundadas.

A

actualidade

e

gravidade

desta

tarefa

tornam-se

particularmente evidente se considerarmos a gigantesca aceleração do dinamismo social, as profundas modificações históricas de que somos testemunhas e participantes, a profusão dos fenómenos sociais com que hoje depara cada membro da sociedade e a multiplicidade das relações e elos que, de uma ou outra forma esse dinamismo estabelece. Ajuntemos a isto o desenvolvimento acelerado da divisão do trabalho e do processo de diferenciação da prática social, ao mesmo tempo que aumentam a correlação e interdependência de todas as funções e formas de actividade…

PRF 17/06/2011

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful