Cólera

Cólera é uma doença infectocontagiosa aguda do intestino delgado, causada por uma enterotoxina produzida pela bactéria vibrio colérico (Vibrio cholerae). A transmissão é fecal-oral e se dá através da água e de alimentos contaminados pelas fezes ou pela manipulação de alimentos por pessoas infectadas, sejam elas sintomáticas ou não. Já foram registrados casos em que peixes, frutos do mar, como ostras e mexilhões, crus ou mal cozidos, e gelo fabricado com água não tratada foram veículos de transmissão da doença. A enfermidade é de notificação compulsória às autoridades de saúde. Epidemias de cólera são comuns em regiões de acampamentos e aglomeração humana, onde as condições de higiene e saneamento básico são precárias ou inexistentes.

Giardíase
A giardíase, também conhecida por lambliose, é uma infecção intestinal causada pelo protozoário flagelado Giardia lamblia . Ele pode se apresentar em forma de cisto ou trofozoíto, sendo que a primeira é a responsável por causar diarreia crônica com cheiro forte, fraqueza e cólicas abdominais no hospedeiro (cão, gato, gado, roedores, ser humano, dentre outros), graças às toxinas que libera. Essas manifestações podem gerar um quadro de deficiência vitamínica e mineral e, em crianças, pode causar a morte, caso não sejam tratadas. Ocorre em todo o mundo, mas é mais frequente em regiões onde as condições sanitárias e de higiene são precárias. Os protozoários são transmitidos pela ingestão dos cistos oriundos das fezes de indivíduo contaminado, podendo estar presentes na água, alimento, nas mãos, e até mesmo de sexo oral-anal. Moscas e baratas também podem transportá-los. No estômago, dão origem aos trofozoítos. Esses colonizam o intestino delgado, se reproduzem e seus descendentes, após sofrerem processo de encistamento, são liberados para o exterior do hospedeiro, quando este defecar. O período de incubação é entre uma e quatro semanas e a infecção pode ser assintomática. O diagnóstico é feito via exame de fezes ou, em casos raros, biópsia de material duodenal. A prevenção é feita adotando-se hábitos de higiene, como lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas, brincar com animais e antes de comer ou preparar alimentos; ingerir unicamente água tratada; higienizar os alimentos antes do consumo e cura dos doentes. Vale lembrar que o cloro não mata os cistos e que, portanto, alimentos ou água tratados unicamente com cloro não impedem a infecção por este protozoário. O tratamento pode ser feito com uso de fármacos receitados pelo médico. Adultos que têm contato mais próximo com crianças e pessoas que trabalham no setor alimentício devem se afastar de suas funções até a cura total.

Amebíase
Diagnóstico da amebíase O médico pedirá exame de fezes para diagnóstico. Uma vez que E. histolytica nem sempre é encontrada em cada amostra de fezes, o médico pode pedir várias amostras de vários dias. O diagnóstico da amebíase pode ser difícil. Um problema é que outros parasitas e células podem parecer com a E. histolytica quando vistos sob o microscópio. A Entamoeba histolytica e outra ameba Entamoeba dispar, a qual é 10 vezes mais comum, parecem iguais sob o microscópio. Porém, infecção pela E. dispar não deixa a pessoa doente e desta forma não precisa de tratamento. Infelizmente, a maioria dos laboratórios ainda não possui testes para distinguir entre infecção por E. histolytica ou E. díspar. Teste de sangue também está disponível, mas somente é recomendado quando o médico achar que a infecção se espalhou para além do intestino a outro órgão do corpo, como o fígado. Porém, o teste de sangue também pode não ser conclusivo no diagnóstico, uma vez que ele dá positivo se a pessoa teve amebíase no passado, mas não está infectada atualmente.

Em algumas pessoas infectadas. todos os alimentos. O tratamento precisa ser prescrevido por um médico. Isso inclui lavar cuidadosamente as mãos depois de usar o toalete. . O cozimento de qualquer destes alimentos contaminados mata a Salmonella. crianças e aqueles com as defesas diminuídas (diminuição da resposta imune) são os grupos mais prováveis de ter a forma mais severa da doença. O paciente provavelmente será tratado com dois antibióticos (primeiro um depois outro) se a infecção o deixou doente. galinha. É muito freqüente a contaminação de alimentos crus de origem animal. que pertencem à família Enterobacteriaceae. depois de trocar fraldas. Estas manifestações iniciam de 12 a 72 horas após a infecção. A Salmonella é transmitida ao homem pela ingestão de alimentos contaminados com fezes animais. o mais comum. Répteis são hospedeiros em potencial para a Salmonella e as pessoas devem lavar as suas mãos imediatamente após manusear estes animais. histolytica não o deixou doente. dor abdominal (dor de barriga) e febre. o que pode causar a morte caso a pessoa não seja rapidamente tratada. Uma das complicações mais graves é a difusão da infecção para o sangue e daí para outros tecidos. Sintomas A maior parte das pessoas infectadas com Salmonella apresenta diarréia. podem tornar-se contaminados. Sim. A manipulação de alimentos por pessoas contaminadas que não lavam as mãos com sabonete. Salmonelose Salmonelose é uma doença infecciosa provocada por um grupo de bactérias do gênero Salmonella. Os idosos. mesmo que o réptil seja saudável. e antes de manusear alimentos.Tratamento da amebíase Existem vários antibióticos disponíveis para o tratamento de amebíase. inclusive vegetais. Os alimentos contaminados apresentam aparência e cheiro normais e a maioria deles é de origem animal. sendo endêmica em países subdesenvolvidos. especialmente os que apresentam diarréia. ovos e leite. pode-se passar a amebíase para outras pessoas. e as pessoas em contato com estes animais podem ser contaminadas e contaminar a outras se não adotarem medidas rígidas de higiene (lavar as mãos com sabonete). Fezes de animais de estimação. Entretanto. esse risco é pequeno se a pessoa for tratada com antibióticos e praticar boa higiene. podem conter Salmonella. Trata-se de uma forma de Salmonelose restrita aos seres humanos e caracterizada por sintomas sistêmicos proeminentes. O paciente é tratado com somente um antibiótico se a infecção por E. A doença dura de 4 a 7 dias e a maioria das pessoas se recupera sem tratamento. através de um beijo por exemplo. Seja qual for a origem a única porta para a sua entrada é a via digestiva. que descreveu a doença associada à bactéria pela primeira vez. existindo muitos tipos diferentes desses germes. Febre tifóide A febre tifóide (AO 1990: tifóide) é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Salmonella typhi. A Salmonella é conhecida há mais de 100 anos e o termo é uma referência ao cientista americano chamado Salmon. a diarréia pode ser severa a ponto de ser necessária a hospitalização devido à desidratação. Porém. como carne de gado. pode causar sua contaminação. Transmissão É transmitida através da ingestão de alimentos ou água contaminada. ou então pelo contato direto com os portadores. A febre tifóide é uma doença distinta e não relacionada com o Tifo.

medidas terapêuticas devem ser tomadas. Caso o paciente se torne severamente desidratado ou a infecção se difunda do intestino para outras regiões do organismo. sendo necessário uma instrução específica ao laboratório para a procura do germe nas fezes. Pessoas com diarréia severa devem ser reidratadas com a administração endovenosa de soro. . a pessoa fica recuperada. Após este período. Os casos graves. devem ser tratados com antibióticos. podendo permanecer ainda por algum tempo um hábito intestinal irregular. incluindo a hospitalização. associado à história alimentar recente. sendo o diagnóstico. Uma vez identificado pode ser realizada a cultura das fezes para a determinação do tipo específico e qual antibiótico deve ser utilizado para o tratamento. na maior parte das vezes. sendo suficiente as medidas de suporte e conforto ao paciente. em que a administração de antibiótico se faz necessária.Diagnóstico Muitas doenças podem causar as mesmas manifestações que a Salmonelose. Tratamento A infecção por Salmonella usualmente dura de 5 a 7 dias e freqüentemente não é necessário tratamento. em que a infecção se difunde. A comprovação de que as manifestações clinicas são causadas pela Salmonella só pode ser feita pela identificação do germe nas fezes da pessoa infectada e é útil somente nos casos mais graves. Este teste usualmente não é realizado em um exame comum de fezes.