REVESTIMENTO DE GESSO LISO Texto original de Eliane Quinalia, publicado na Téchne 99 - junho de 2005

Desempenado ou sarrafeado, a execução desse acabamento em paredes e tetos traz agilidade e economia ao empreendimento

Rápido e de fácil aplicação em paredes e tetos, o gesso liso pode proporcionar ao construtor algumas vantagens, desde que bem planejado e executado. Segundo Yorki Estefan, diretor de construção da Tecnum Construtora, a racionalização de recursos e a busca pela otimização de custos impulsionam a escolha dessa opção nos empreendimentos. "Além do custo reduzido, o material oferece rapidez de execução e um bom acabamento." Entretanto, para que tenha desempenho adequado e durabilidade prolongada alguns cuidados no processo de escolha e na execução devem ser observados. A massa de gesso possui resistência que varia conforme a temperatura e tempo de calcinação a que a gipsita foi exposta, finura, quantidade de água de amassamento e presença de impurezas ou aditivos na composição. Os de pega mais rápida apresentam elevada finura e alta resistência, em razão do aumento da superfície específica, disponível para a hidratação. A falta ou o excesso de água de amassamento também pode alterar a pega conforme os valores adicionados - a taxa recomendada de água na hidratação é de aproximadamente 18,6%. Por ser altamente solúvel, o gesso deve ser aplicado em áreas internas livres de umidade. Para iniciar o processo de execução recomenda-se que o substrato - bloco de concreto ou revestimento à base de cimento - esteja concluído há no mínimo um mês. Após esse período deve-se verificar o prumo das paredes, corrigindo com argamassa eventuais falhas e vazios que possam interferir no processo de aplicação. Tanto em paredes quanto em tetos, com exceção das lajes cujas superfícies internas precisam de uma ponte de aderência - chapisco rolado - para garantir a fixação do aglomerado, a aplicação é semelhante. Deve ser iniciada pelo teto, estendendo-se pelas paredes até completar a metade superior com o auxílio de um andaime. Em seguida, os andaimes devem ser removidos e a parte inferior da parede finalizada. Esse processo possibilita duas opções de revestimento: o desempenado (veja passo-a-passo) e o sarrafeado.

as faixas mestras e as taliscas permitem a execução de uma superfície mais rigorosa e plana. Portanto.Determinação da água livre e de cristalização e teores de óxido de cálcio e anidrino sulfúrico NBR 13207 Gesso para construção civil . preparo. essas rachaduras podem ocorrer devido à junção das lajes com a alvenaria. ainda. 60% de gesso calcinado na composição • Verificar a resistência à tração do gesso (entre 7 e 35 kgf/cm2) e à compressão (entre 50 e 150 kgf/cm2) • Vedar as caixas elétricas e demais tubulações hidráulicas durante a aplicação do gesso liso • Manter o local da obra livre de sujeiras.Determinação das propriedades físicas da pasta NBR 12129 Gesso para construção . entre as mestras. Normas NBR 12127 Gesso para construção . pois tolera uma menor variação de esquadro. além de padronizar o empreendimento". explica Estefan. Por fim. Recomenda-se o uso de 36 a 40 l de água para cada saco de 40 kg de gesso .Determinação das propriedades mecânicas NBR 12130 Gesso para construção . "O processo de sarrafeamento oferece uma garantia melhor de alinhamento. por fissuras decorrentes de movimentações nas estruturas que geram deformações na alvenaria.7 e 1 que tenham. De qualquer forma. na qual a pasta de gesso é aplicada posteriormente. aço) e incrustações para evitar possíveis falhas pré e pós-aplicação do revestimento • Verificar o alinhamento vertical. independente do método escolhido.Determinação das propriedades físicas do pó NBR 12128 Gesso para construção . arames. aplicação e acabamento Dicas • Evitar o uso de blocos com superfície muito lisa e que tenham absorção de água muito baixa (blocos cerâmicos requeimados) • Utilizar gessos de finura elevada. horizontal e a existência de ondulações ou defeitos que possam ser corrigidos • Verificar com atenção o fator água/gesso. de prumo. ou. é importante que a espessura do revestimento não ultrapasse 5 mm: o aumento dessa medida pode ocasionar trincas no gesso. o gesso é sarrafeado com réguas de alumínio que cortam o excesso de pasta. Já nos tetos. densidade aparente entre 0.Materiais.Especificações NBR 13867 Revestimento interno de paredes e tetos com pastas de gesso . corpos estranhos (pregos. A falta ou excesso pode prejudicar a pega e o endurecimento da pasta.Sarrafeado No caso do sarrafeamento. as patologias mais comuns podem ser originadas por trincas referentes ao excesso de espessura. no mínimo. também sujeitas às tensões estruturais.

Começar o trabalho pelo teto. dentro da argamasseira.ripa de madeira. no sentido horizontal. o deslizamento deve ser realizado de baixo para cima. arames e pedaços de aço até que o substrato fique uniformizado Foto 3 . até que o pó esteja totalmente submerso.Regularizar a espessura da camada. A seguir. pequenas taliscas ou batentes .Foto 1 .Aplicar com rolo de textura média uma demão de chapisco rolado na superfície inferior das lajes para garantir a aderência da pasta de gesso Foto 2 . aplicando a pasta com a desempenadeira.deve ser escolhido para medir a espessura da camada de revestimento Foto 6 .Após 72 horas iniciar a preparação polvilhando o gesso na água. misturar até obter uma pasta homogênea e sem grumos Foto 4 .Remover sujeiras.Nas paredes (metade superior). incrustações e materiais estranhos como pregos. Algum tipo de referência . agora. aplicando a pasta com o auxílio de desempenadeira de PVC em movimentos de vai-e-vem Foto 5 . Cada faixa deve ser sobreposta à anterior e a espessura da camada deve ter de 1 a 3 mm .

2004.Limpar a superfície com o canto da desempenadeira de aço para eliminar ondulações e falhas e. aplicar nova camada de pasta para cobrir os vazios e imperfeições da superfície. Revestimento de gesso desempenado sobre parede. 2004. Revista Construção Mercado nº 12. depois. Milber Fernandes Guedes. Texto original de Eliane Quinalia Téchne 99 . São Paulo.junho de 2005 . A aplicação de pintura deve respeitar o período de cura e ser executada após o lixamento da superfície Leia Mais A Técnica de Edificar. Caderno de Encargos. São Paulo. assegurando a espessura final do revestimento Foto 9 .Foto 7 . 6ª Edição. Editora PINI. Em seguida conferir a espessura do revestimento junto à referência escolhida Foto 8 . 4ª Edição.Desempenar cuidadosamente os excessos e rebarbas exercendo uma certa pressão para obter a superfície final. Walid Yazigi.Retirar os excessos limpando o teto e a parede com régua de alumínio. Editora PINI.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful