You are on page 1of 98

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

- O QUE É UM VEÍCULO COMERCIAL? - CLASSIFICAÇÃO DE UM VEÍCULO COMERCIAL. - PRINCIPAIS MONTADORAS DE VEÍCULOS COMERCIAIS. - DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO COMERCIAL. - DESIGNAÇÃO CONFORME TRAÇÃO.

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

O QUE É UM VEÍCULO COMERCIAL?
- É AQUELE VEÍCULO UTILIZADO PARA TRANSPORTE DE MERCADORIAS, TRANSPORTE MISTO E EXCLUSIVAMENTE PARA PASSAGEIROS.

a mb

NUEVOS SPRINTER

Sprinter

Curso Técnico Automobilística

Servi i

DaimlerChrysler Argentina S.A.
Una compañía de DaimlerChrysler

PVE 10/10/04

¡ 

Prof. Geraldo Arantes Filho

CLASSIFICAÇÃO DO VEÍCULO COMERCIAL É DADA PELO SEU PESO BRUTO TOTAL ( PBT).

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

QUAIS AS PRINCIPAIS MONTADORAS NO BRASIL?

MERCEDES ± BENZ - FORD SCANIA - VOLVO ± VOLKSWAGEM ± IVECO
Curso Técnico Automobilística

-

Prof. Geraldo Arantes Filho

CAMINHÃO
O caminhão é composto de:

Cabina Carroçaria

Chassi
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

CAMINHÃO
Chassi: Concentra toda a parte mecânica.

Cabina:

Habitáculo do motorista e acompanhantes. acompanhantes.

Carroçaria:

Define a aplicação do caminhão, fornecendo fixação e acomodação segura da carga.
Prof. Geraldo Arantes Filho

Curso Técnico Automobilística

TREM DE FORÇA

É todo o conjunto mecânico responsável pelo movimento do veículo.

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

CABINAS
Semi- avançada

Avançada

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS

915 C

LK 1620

L 1622

2423 B

LS 1938

1720

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

GRUPO ALFABÉTICO (TIPO)
L
... Lastwagen Diesel
Chassi com cabina semi-avançada.

D

Dotado de motor diesel, quando existir o mesmo modelo com motor a gasolina.

G Gelaendegaengig K S
Kipper

Execução especial (tração total - 6x6).

Dotado de tomada de força para acionamento de báscula, guincho e outros equipamentos.

Sattelschlepper

Cavalo-mecânico para tracionar semi-reboque.

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

GRUPO ALFABÉTICO (TIPO)
B A
Betonmischer
Dotado de tomada de força na polia anti-vibradora do motor, para acionamento de betoneira.

Allradantrieb

Veículo com tração total (4x4). Quando o µA´ estiver localizado depois do grupo numérico (quer de chassi, quer de motores) significa motor turbo-alimentado.

C City M
Multi

Veículo destinado para utilização urbana ( Cidade )

Veículo para varias aplicações

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
915 C / 37
Distância entre eixos ( 3.700 mm) City (cidade) Potência: 156 cv Peso Bruto Total 9 toneladas
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO MERCEDES - BENZ

19 38

Potência: 380 cv Peso Bruto Total 19 toneladas
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO SCANIA

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO FORD

15

17

Potência: 170 cv

Peso Bruto Total 15 Toneladas
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO VOLKSWAGEN

43 330

Potência: 330 cv

Peso Bruto Total 43 Toneladas
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO IVECO

450 37

Peso Bruto Total 37 Toneladas

Potência: 450 cv
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS
DESIGNAÇÃO DO VEÍCULO VOLVO

380

Potência: 380 cv
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

CLASSIFICAÇÃO DE CAMINHÕES
Categoria
Leves Médios Semipesados Pesados Extrapesados

Capacidade ( PBT )
< 10 t > 10 t até 20 t > 20 t até 30 t > 30 t até 40 t > 40 t

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VEÍCULO COMERCIAL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL Os primeiros motores

Os pioneiros não pensavam em adotar mais de um cilindro para seus motores a gasolina

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES EM LINHA
Linha 4 cilindros Linha 6 cilindros

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TIPOS DE MOTORES
Cilindros horizontais opostos ou contrapostos

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES EM ³ V ³
‡ ‡

Montado em duas linhas, com um ângulo de inclinação de 90º Conjunto mais curto, com árvore de manivelas mais curta e rígida - mais suavidade em elevado regime de rotação
‡

Bloco com alta rigidez Menor altura

‡

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES EM ³ W´
Um maior número de cilindros com o mesmo comprimento de um motor em V
± Aumenta a suavidade e transforma o conjunto motor em um bloco altamente compacto

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTOR - COMPONENTES

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TIPOS DE COMANDO OHV (overhead valve) Comando de válvulas no bloco

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TIPOS DE COMANDO OHC (overhead camshaft) Comando simples de válvulas no cabeçote
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

TIPOS DE COMANDO
DOHC (double overhead camshaft) Comando duplo de válvulas no cabeçote
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL
RUDOLF DIESEL CONSEGUIU PATENTEAR SUA IDÉIA EM 22 DE FEVEREIRO DE 1893. O MOTOR FOI OFICIALMENTE APRESENTADO AO MERCADO EM 1898 COM 10 CV DE POTÊNCIA.

RUDOLF DIESEL
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL
É UM CONJUNTO DE PEÇAS MÓVEIS QUE TRANSFORMA QUALQUER TIPO DE ENERGIA EM TRABALHO MECÂNICO.

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

COMBUSTÍVEL
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES 2 TEMPOS

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL
ADMISSÃO COMPRESSÃO TRABALHO ESCAPE

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMAS DO MOTOR
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO ALIMENTAÇÃO DE AR ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO SISTEMA DE ARREFECIMENTO SISTEMA DE ESCAPAMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

ALIMENTAÇÃO DE AR
Ciclonizador Marcador de restrição

Guarda - pó
Curso Técnico Automobilística

Filtro de ar
Prof. Geraldo Arantes Filho

ASPIRADO / TURBINADO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TURBINA

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TURBO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TURBO com WASTEGATE
Turbo compressor com Wastegate

‡ Maior torque a baixas rotações ‡ Menor temperatura de trabalho ‡ Menor índice de emissão de poluentes
Válvula de alívio ³ Wastegate ³
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTOR INTERCOOLER

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

Combustível filtrado sem bolhas de ar. Combustível sem filtrar. Retorno Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE FILTRAGEM

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

BOMBA INJETORA TIPO A

REGULADOR DE ROTAÇÃO BOMBA DE TRANSFERÊNCIA BOMBA INJETORA

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

BOMBA INJETORA TIPO P
REGULADOR DE ROTAÇÃO

BOMBA INJETORA

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

REGULADOR DE ROTAÇÃO
REGULADOR MECÂNICO VARIÁVEL SENSÍVEL RQ ± Regula mínima e máxima rotação ( pino); RS ± Regula mínima e máxima rotação ( mola ); RQV ± Regula mínima média e máxima rotação ( pino 50rpm); RSV ± Regula mínima média e máxima rotação ( mola 1rpm); RQVK ± Uso exclusivo para ônibus urbano
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

BOMBA INJETORA TIPO VE

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

DÉBITO DE COMBUSTÍVEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

DÉBITO DE COMBUSTÍVEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

DÉBITO DE COMBUSTÍVEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

BICO INJETOR

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

Baixo rendimento (35%)

‡Baixo ruído de combustão; ‡Baixa pressão de combustão; ‡Compacto.
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTORES DIESEL

‡Alto rendimento (45%) ‡Baixa emissão ‡Construção robusta ‡Forte ruído de combustão ‡Picos de alta pressão na combustão
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

PRÉ - INJEÇÃO
‡Alto rendimento (47%) ‡Baixa emissão ‡Baixo ruído de combustão ‡Construção compacta
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

PROCESSO DE COMBUSTÃO

INÍCIO
Curso Técnico Automobilística

MEIO

FINAL
Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO
SAE ± VISCOSIDADE
S ± SPARK ( GASOLINA ) SA SB SC SD SE SF Multiviscoso SG Multiviscoso SG Multiviscoso SJ Multiviscoso SL Multiviscoso
Curso Técnico Automobilística

API ± CLASSIFICAÇÃO
C ± COMPRESION ( DIESEL ) CA CB CC CD CE CF-4 Multiviscoso CG-4 Multiviscoso

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

+
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

TAMPA DO RADIADOR

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

VÁLVULA TERMOSTÁTICA

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA DE ARREFECIMENTO

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

FREIO MOTOR

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

FREIO MOTOR
Top brake > Maior potência nas frenagens > Maior velocidade média > Maior vida útil dos pneus, tambores/lonas de freio e disco/pastilha
Válvula Top-Brake Top-

Admissão Escape
Curso Técnico Automobilística Prof. Geraldo Arantes Filho

SISTEMA TOP BRAKE
Top brake e freio motor
Tempo de compressão Tempo de escapamento

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

MOTOR - CILINDRADA
Cilindrada é o volume ou espaço deslocado pelo embolo do PMS para o PMI, ou seja, é a quantidade aspirada pelo embolo.

V = 3,14 x r² x h x n
r²= raio do cilindro ao quadrado n= nº de cilindros h= curso do êmbolo (PMS-PMI)

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

RAZÃO DE COMPRESSÃO
Relação de compressão é a relação volumétrica entre o volume total (V) e o volume da câmara de combustão (v) com o Pistão em PMS

T=V+v v
T = Razão de compressão V = Volume do cilindro v = Volume da câmara de combustão motores Diesel: motores Otto: de 14 a 24:1 de 7 a 12:1 Prof. Geraldo Arantes Filho

Curso Técnico Automobilística

TRABALHO

1
Newton

Força é toda causa capaz de produzir ou alterar o movimento de um corpo. É utilizado o Newton (N) para se medir. Trabalho é o movimento de um corpo através de uma distancia definida. O trabalho é o produto de uma força pelo espaço percorrido. Se for aplicada uma força de 100N para movimentar uma caixa a uma distancia de 10m, realizou-se um trabalho de 1000Nm (100mKgf), não importando o peso deste objeto. Trabalho (Nm) = força (N) X distancia (m)

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

TORQUE
Torque é o momento de uma força em relação a um ponto

T= f x d
T = Torque f = Força d = Distancia

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

POTÊNCIA
5 segundo 1
Newton Potência é todo trabalho realizado por um corpo, em um determinado período de tempo. Para que uma caixa fosse deslocada a uma distancia de 10m, aplicando-se uma força de 100N, foi gasto um tempo de 5s. Portanto foi aplicado um potência de 200Watts (W) Potência = força X distancia = 100N X 10m = 200 Watts tempo 5 seg.... Por ser o Watt (W) uma medida de dimensão pequena para a utilização em mecânica automotriz, é utilizado o Quilowatt (KW). 1Kw = 1,36cv

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

CIRCULO GEOMÉTRICO
Circunferência é uma curva plana e fechada, cujos pontos possuem a mesma distancia de um ponto interno, chamado centro.

1 circunferência = 360° (graus) 1 grau = 60 µ (minutos) 1 minuto = 60 ³ (segundos)

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

CIRCULO GEOMÉTRICO
Somando 1. Colocar as parcelas uma sob a outra de modo que as unidades da mesma ordem fiquem na mesma coluna. 2. Somar as unidades da mesma ordem a partir da direita. 3. Reduzir as unidades, somando o excesso na unidade imediatamente superior Exemplo: 5 ° 40¶ 10 ³ 10 ° 32¶ 52 ´ + 15 ° 72¶ 62 ³ Simplificação 15 ° 72¶ 62´ -60´ p 60´ = 1¶ 02 72¶ + 1¶ 73¶ p 73¶ - 60¶ p 60¶ = 1° 13¶ 15 ° +1 ° 16 °
Curso Técnico Automobilística

p

Resultado Final p 16 ° 13¶ 02´
Prof. Geraldo Arantes Filho

DIAGRAMA DE VÁLVULAS

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho

DIAGRAMA DE VÁLVULAS

Curso Técnico Automobilística

Prof. Geraldo Arantes Filho