AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D.

DINIS
ODIVELAS, 6 de Junho de 2011 Directora: Ana Manuela Gralheiro

PLATAFORMAS WEB – do slide 57 ao 74

PLATAFORMAS WEB 1

1

Contexto e caracterização do Agrupamento
Constituído no ano lectivo 2004/2005 a 1 de Janeiro, localizado na cidade de Odivelas Possui uma população de baixo/médio poder económico Grande percentagem de imigrantes - 26 nacionalidades PALOP América Latina (Brasil) Ásia Leste europeu.

Número de alunos/turmas 2010/11
Pré Escolar 1º ciclo 2º ciclo 3º ciclo Total 45 604 287 327+CEF(34) 1296 2 27 12 14+2CEF 57

PLATAFORMAS WEB 1

2

 Contexto

e caracterização do Agrupamento
Número de alunos LPNM
1º ciclo 2º ciclo 3º ciclo Total --9 21 30 --3,3% 6,5% 2,5%

Número de alunos com 1º ciclo sócio 78 13,5% apoio 2º ciclo 60 21,9% educativo/APA
3º ciclo Total 152 290 46,8% 24,9%

Número de alunos com ASE Escalão A B
Pré Escolar 1º ciclo 2º ciclo 3º ciclo Total
PLATAFORMAS WEB 1

10 171 96 96 373

25% 29,8% 35% 29,5% 30,7%

3 112 69 77 261
3

0,75% 19,5% 25,1% 23,7% 21,3%

 Contexto

e caracterização do Agrupamento
3 35 36 46 3 123 2º/3º ciclos 2º/3º ciclos (CEI) Total 16 3 35

Número de Pré Escolar professores
1º ciclo+ REB 2º ciclo 3º ciclo N.E.E (já incluídos) Total

Número de Pré Escolar assistentes 1º ciclo operacionais
1º ciclo (CEI)

2 10 4

Outro pessoal não docente
Assistentes técnicos Coordenadora Técnica Técnicos superiores Total 6 1 1 8

PLATAFORMAS WEB 1

4

 Jardim

de Infância Maria Lamas

Situa-se no mesmo espaço da EB1 Maria Lamas Funciona em horário normal (9:00h-12:00h e das 13:00h -15:00h) Acolhe duas salas de actividades, com 20 e 25 alunos cada e 2 com NEE Praticamente todas crianças almoçam no refeitório da Escola Tem 2 educadoras e 2 assistentes operacionais Disponibiliza a Componente de Apoio à Família das 8 às 9 horas no período da manhã e das 15 às 19 horas no período da tarde
PLATAFORMAS WEB 1

5

 EB1

Maria Lamas

Inserida numa das zonas mais antigas de Odivelas Tem como alvo a população das ruas contíguas, bem como alguns alunos do Vale do Forno e Serra da Luz Funciona em regime normal (9:00h-12:00h e 13:30h-15:30h) Actividades de enriquecimento curricular
Expressão Musical Inglês Actividade Físico-motora Apoio ao Estudo

Actividades de tempos livres 2/3 das crianças almoçam no refeitório da Escola. Possui 14 turmas, num total de 310 alunos Possui 16 professores, 6 assistentes operacionais, 2 CEI Possui Associação de Pais e Encarregados de Educação

PLATAFORMAS WEB 1

6

 EB1

Rainha Santa

Serve a população do bairro das Patameiras, urbanização Colinas do Cruzeiro assim como os filhos dos funcionários do Odivelas Parque Funciona em regime duplo devido ao elevado número de alunos vs capacidade da escola (8h-13h e 13:15h às 18:15h) Metade das crianças almoça no refeitório da Escola Possui 13 turmas num total de 294 alunos As actividades de enriquecimento curricular funcionam em contra-horário
Expressão Musical Inglês Actividade Físico-motora Apoio ao Estudo

Possui 16 professores e 6 Assistentes Operacionais Possui Associação de Pais e Encarregados de Educação
PLATAFORMAS WEB 1

7

 EB2,3

Pombais

A Escola recebe maioritariamente a população das duas escolas do 1º ciclo do Agrupamento Funciona em turno duplo, devido ao elevado número de alunos Possui 23 turmas de ensino regular, 3 de ensino articulado e 2 de Cursos de Educação e Formação, num total de 648 alunos 1/3 dos alunos almoça na Escola Estruturas de apoio aos alunos e famílias: APA LPNM Clubes Tutorias Gabinete de Mediação de Conflitos Cantinho do Estudo BE/CRE Núcleo de Educação Especial Serviços de Psicologia e Orientação Projecto SEI!
PLATAFORMAS WEB 1

8

 EB2,3

Pombais
Número de Professores 17 12 24 29

Departamentos Línguas Ciências Humanas e Sociais Matemática e Ciências Experimentais Expressões

Possui Associação de Pais

PLATAFORMAS WEB 1

9

 Pessoal

Docente

Vínculo do Pessoal Docente

Na sua maioria os professores do Agrupamento têm mais de 10 anos de serviço. Apenas no grupo dos docentes contratados esta média não é atingida.
PLATAFORMAS WEB 1

10

 Pessoal

Não Docente

Distribuição do Pessoal Não Docente

Estes dados referem-se aos profissionais do Quadro. No entanto, existem ainda 6 funcionários do Centro de Emprego (Contrato Emprego e Inserção) e 1 voluntária 1º Ciclo – Lic. em Educação Física.
PLATAFORMAS WEB 1

11

 Projecto

Educativo do Agrupamento

“Cidadania e Cultura” Aquisição de Competências e Saberes num Mundo em Mudança

Missão
“ COMPETÊNCIA , CONHECIMENTO, INOVAÇÃO e ENDURANCE num mundo em mudança”
(Formar cidadãos num Mundo em Mudança)

Visão
“Uma Escola para todos”

Valores
“Responsabilidade - Justiça - Solidariedade – Resiliência – Assertividade Igualdade de Oportunidades – Inovação – Cidadania Democrática e Ecológica“
Valorizar o conhecimento, a competência, a criatividade, a liberdade, a justiça, a tolerância, os valores da cidadania responsável, ecológica e democrática, a aprendizagem ao longo da vida. Em suma, a qualidade do serviço educativo.
PLATAFORMAS WEB 1

12

 Articulação

dos Documentos Orientadores

PLATAFORMAS WEB 1

13

 Projecto

Educativo do Agrupamento

“Cidadania e Cultura” Aquisição de Competências e Saberes num Mundo em Mudança Prioridades Educativas: Competência-ConhecimentoInovação-CooperaçãoResponsabilidade Cultura de Escola para os valores de cidadania democrática e ecológica. Principais Metas: Promoção do Sucesso Educativo Promoção de uma Liderança Democrática Responsabilização das lideranças intermédias Promoção da Articulação Escola Família Optimização da comunicação interna (plataformas Web) Promoção da Articulação Inra e Inter-Institucional Promoção da Avaliação Interna do Agrupamento Promoção da Avaliação Docente e Não Docente do Agrupamento Reconhecimento (premiando) do mérito dos alunos, PD e PND
PLATAFORMAS WEB 1

14

 Projecto

Curricular do Agrupamento

Pretende concretizar o direito à Educação e igualdade de oportunidades no sucesso escolar, atendendo ao contexto socioeducativo e em articulação com o Projecto Educativo, Plano Anual de Actividades e Regulamento Interno.

Critérios de distribuição de Serviço Docente Componente Lectiva: Continuidade Pedagógica Perfil e experiência pedagógica do professor/turma atribuída(1º CEB)/direcção de turma (2º e 3º CEB) Titularidade (de acordo com a legislação) Componente Não Lectiva Utilização das horas em Aulas de Apoio e Reforço Gabinete de Mediação de Conflitos Cantinho do Estudo Tutorias Clubes/Projectos Substituição das actividades lectivas (em caso de falta do professor titular) com prioridade para as permutas e compensação de aulas Coordenação Departamento; Direcção de Turma; PTE; BE/CRE; Saúde Escolar

PLATAFORMAS WEB 1

15

 Projecto

Curricular do Agrupamento

Constituição de Turmas A transição das turmas é preferencialmente realizada em bloco, de forma a: Assegurar a continuidade da equipa pedagógica, melhorando assim o acompanhamento dos alunos com NEE, assim como dos alunos retidos e outros com dificuldades de integração Salvaguardar, sempre que possível, as indicações dos Conselhos de Turma, de forma a desagregar focos de indisciplina e de insucesso Horários A elaboração dos horários dos alunos far-se-á de acordo com a legislação e de forma a libertar o maior número de turmas possível no turno da tarde. O turno da manhã é prioritariamente ocupada pelos CEFs, 9ºs anos (anos de exame) e 2º CEB; Os horários das turmas deverão ter uma distribuição lectiva equilibrada, de modo a que nos dias mais sobrecarregados funcionem as disciplinas de carácter mais prático Devem constar as actividades educativas a desenvolver no âmbito dos Planos de Acompanhamento/Recuperação, nomeadamente os Apoios Educativos/Apoios Pedagógicos Acrescidos Ofertas Educativas Educação Artística: Educação Tecnológica e Música, nos 7.º, 8.º e 9.º anos Educação Visual no 9.º ano Formação Educativa: turmas de ensino articulado de Música Cursos de Educação e Formação: turmas de tipo II e tipo III
PLATAFORMAS WEB 1

16

 Plano

Anual de Actividades

Coloca em prática os objectivos definidos na Lei de Bases do Sistema Educativo Operacionaliza o Projecto Educativo e os seus objectivos, através de actividades devidamente orçamentadas Dá forma à organização e gestão do currículo Visa a formação integral do aluno nas suas diversas dimensões, valorizando não só o domínio dos conhecimentos , mas também o domínio das atitudes, valores, competências e inovação..

A filosofia subjacente às actividades preconiza a troca de experiências, culturas e saberes entre alunos, professores e todos os membros da nossa Comunidade Educativa, tendo como base os princípios orientadores explícitos no Projecto Educativo do Agrupamento.

PLATAFORMAS WEB 1

17

 Organização

do Agrupamento

PLATAFORMAS WEB 1

18

 Organização

do Agrupamento - Pessoas

PLATAFORMAS WEB 1

19

 Organização

do Agrupamento - Pessoas

CONSELHO GERAL PRINCIPAIS COMPETêNCIAS
Organização Pedagógica Aprovar o Projecto Educativo do Agrupamento Acompanhar e avaliar a execução do PEA Aprovar o Regulamento Interno do Agrupamento Aprovar o Plano Anual de Actividades Pronunciar-se sobre os critérios de organização de horários Definir os critérios para a participação do Agrupamento em actividades pedagógicas, científicas, culturais e desportivas Apreciar os resultados do processo de auto-avaliação Outras competências Definir as linhas orientadoras para elaboração do orçamento Definir as linhas orientadoras do planeamento e execução das actividades no domínio da Acção Social Escolar Aprovar o relatório de contas de gerência Promover o relacionamento com a Comunidade Educativa Acompanhar a acção dos demais órgãos da administração escolar
PLATAFORMAS WEB 1

20

 Organização

do Agrupamento - Pessoas

PLATAFORMAS WEB 1

21

 Organização

do Agrupamento - Pessoas

Conselho Pedagógico

PLATAFORMAS WEB 1

22

 Gestão

Pedagógica do Agrupamento

PLATAFORMAS WEB 1

23

 Recursos
ANO 2005 2006 2007 2008

Financeiros
TOTAL 137 460,87€ 153 342,04€ 158 701,12€ 182 557,57€

Receitas do Estado Receitas Próprias 85 689,25€ 90 070,78€ 88 820,00€ 109 544,00€* 51 771,62€ 63 271,26€ 69 881,12€ 73 013,57€

* Obras da portaria contempladas no OGE – 18 000, 00€

OGE (Orçamento Geral de Estado) e OCR (Orçamento Compensação e R Manutenção de Instalações Aquisição de Equipamentos

Outros financiamentos: Candidatura a projectos Aluguer de instalações

Apoios/ financiamentos: Autarquia Empresas locais

PLATAFORMAS WEB 1

24

 Cultura

Organizacional

Expressões da Cultura
Logotipo ;Bandeira do Agrupamento e Hino; T “shirts” com o logotipo, coro misto, orquestra percussão, desporto escolar; Premiar a Excelência e o Mérito Jornal “O Trovador”; Site: http://addinis.ccems.pt e Facebook

Relações entre membros
Responsabilidade; trabalho em equipa, partilha de boas práticas, assertividade; convívio salutar.

Liderança

Liderança forte – Responsabilização das lideranças intermédias Equipa Cooperante Democracia Responsável

Processos de tomada de decisão
Responsabilização das Lideranças (Directora e Coordenações Departamento e Estabelecimento), implicando o envolvimento/responsabilização de todos através da partilha e reflexão (Reuniões, (CP, Departamentos…), email, plataformas web, foruns, chat-room…), proximidade e valorização das opiniões dos outros.

Modalidades de Comunicação
 

Formal: Burocrática (reuniões, O.S.; Circ.) Informal: “breefings”,PLATAFORMAS WEB, Comunicação por email, site e promoção de espaços de discussão
PLATAFORMAS WEB 1

25

 Cultura

Organizacional
Características da Liderança
Gestão que implica a responsabilização pelos resultados (de acordo com a metas a atingir), através da eficiência das estruturas hierárquicas (Directora; Coordenadores; DTs, …) Definição objectiva das metas a atingir: visão e pensamento estratégico Capacidade de relacionamento e de envolvimento (objectivo: motivar para atingir as metas); Competência técnica e deontológica; Auto-confiança e forte motivação; Pragmatismo e carisma Inovação e abertura à mudança

Gestão de Pessoas

Recrutamento e Selecção
Concurso Nacional de Professores Bolsa de Professores Oferta de Escola Contratação de Funcionários:  C.M.Odivelas  Contrato de Emprego e Inserção  Voluntários  Ministério da Justiça

Motivação
Visão da optimização dos resultados na distribuição de serviço, organização de horários e Designação de Cargos e de funções

Conflitos de regras, metas e expectativas Definição clara
 

PLATAFORMAS WEB 1

Treino da Assertividade, Resiliência e resistência ao stress Considerar: percepções diversas, necessidades específicas Mediação assertiva nas relações de poder e na competição 26

 Núcleo

Ensino Especial

No âmbito da promoção “Uma Escola para todos”, a educação inclusiva visa a equidade educativa, sendo que por esta se entende a garantia de igualdade, quer no acesso quer nos resultados. Preparar para a vida activa Atenuar as desvantagens destes alunos Elaborar Programa Educativo Individual

Alunos com NEE
Pré Escolar 1º ciclo 2º ciclo 3º ciclo Total 2 36 17 23 78

O Agrupamento conta com 3 docentes especializados em Educação Especial que actuam de acordo com a legislação em vigor e o Regulamento Interno para a população escolar com NEE.
PLATAFORMAS WEB 1

27

 Serviço

Psicologia e Orientação

Promover actividades específicas de informação escolar e profissional Desenvolver acções de aconselhamento psicossocial e vocacional dos alunos Intervir no acesso e na identificação dos alunos candidatos aos cursos de educação e formação Contribuir na identificação dos interesses e aptidões dos alunos Colaborar em experiências pedagógicas e em acções de formação de professores Colaboração com o Núcleo de Ensino Especial na detecção de alunos com Necessidades Educativas Especiais, na sua avaliação e no estudo das intervenções adequadas Colaborar na identificação e prevenção de situações problemáticas Colaboração na elaboração dos planos de acompanhamento Contribuir para o desenvolvimento integral das crianças e dos alunos Apoiar os alunos no seu processo de aprendizagem e de integração Prestar apoio de natureza psicológica e psicopedagógica
PLATAFORMAS WEB 1

28

 Biblioteca

Escolar/Centro Recursos Educativos

BIBLIOTECA JOSé FANHA
Rede Nacional de Bibliotecas Escolares desde 2008 Inauguração a 21 de Outubro de 2009 Possui: Mais de 5000 exemplares de livros 8 Computadores Software didáctico diverso Material audiovisual diverso Dinamiza a articulação entre as escolas do Agrupamento Articula actividades no âmbito do Plano Nacional da Leitura e com a Biblioteca D. Dinis
PLATAFORMAS WEB 1

29

 Oferta

Educativa

Pré-Escolar Componente de Apoio à Família 1º Ciclo do Ensino Básico Actividades de Enriquecimento Curricular Actividades de Tempos Livres 2º Ciclo do Ensino Básico Ensino Articulado (curso de Música, com paralelismo pedagógico – parceria com o Conservatório) 3º Ciclo do Ensino Básico Disciplinas de Opção Artística: Educação Visual Educação Tecnológica Música Cursos de Educação e Formação Acompanhante de Acção Educativa (tipo II, nível 2) Empregado Comercial (tipo III, nível2)
PLATAFORMAS WEB 1

30

 Clubes

e Projectos
  

Clubes Objectivos Animação do espaço de alunos Rádio Preparação de textos e experiências de locução Desenvolver a imaginação, sentido estético e e novas tecnologias Expressão Plástica Contacto e manuseamento de material técnicocriatividade Aquisição/desenvolvimento de competências específicas da disciplina de Geografia Espaço Geo+ Reforço de aprendizagens, de recuperação e enriquecimento Aquisição/melhoria de disciplinade estudo, trabalho e organização Fomentar o gosto pela métodos Matemática Desenvolver o raciocínio lógico/abstracto Fomentar o rigor epela nossa cultura/artesanato Estimular gosto a objectividade Arraiolos Desenvolver capacidades psico-motoras Promover a aprendizagem e o desempenho nas TIC, com aplicação no jornalismo Jornalismo virtual Desenvolver actividade pesquisa, e da sociabilização entre os alunos do Promoção da Informática Desporto Escolar Agrupamentotécnicas de desportivaleitura, selecção de informação e síntese escrita Promover a multi/transdisciplinaridade Divulgar eventos e actividades do Agrupamento enquanto meio de expressão e Sensibilizar os alunos para o estudo da fotografia, Fotografia comunicação
          

PLATAFORMAS WEB 1

31

 Clubes

e Projectos

Projectos Objectivos Promover a reflexão em grupo sobre temas de desenvolvimento ligados à Eu e os Outros adolescência Criar dinâmicas de grupo geradoras de crescimento pessoal e social Consciencializar os alunos para a existência e cumprimento de deveres, regras e Cantinho do Promover civismo processos de tomada de decisão, confrontação e exploração de informação Incentivar osutilização adquirirem hábitos e métodos de estudooral e escrito a alunos a correcta da Língua Portuguesa, a nível Estudo Bom Português Estimular o gosto pela aprendizagem Melhorar competência dos alunos estrangeiros na Língua Portuguesa Língua Portuguesa Apoiar os aalunos na concretização dos trabalhos de casa e na criação de autonomia Não Materna
      

PLATAFORMAS WEB 1

32

 Plano

Nacional de Leitura

O PNL tem como objectivo central elevar os níveis de literacia dos portugueses e colocar o país a par dos nossos parceiros europeus. Destina-se a criar condições para que os portugueses possam alcançar níveis de leitura em que se sintam plenamente aptos a lidar com a palavra escrita, em qualquer circunstância da vida, possam interpretar a informação disponibilizada pela comunicação social, aceder aos conhecimentos da Ciência e desfrutar as grandes obras da Literatura. Semana da leitura Leitura orientada Actividades de escrita relacionada com livros (ilustrações/expressão plástica) Actividades na BE/CRE

PLATAFORMAS WEB 1

33

 Plano

da Matemática II

Tem como objectivo motivar os alunos para a aprendizagem da Matemática, melhorar o sucesso da disciplina e proporcionar um apoio mais individualizado aos alunos.
Abrange todos os alunos do ensino regular do Agrupamento 1º ciclo: Apoio ao Estudo destinado à Matemática Novo Programa da Matemática nos 1º e 3º anos 2º e 3º ciclos: 1 hora de APA para todas as turmas 5º ao 8º: Estudo Acompanhado em par pedagógico, sendo um dos professores de Matemática, na maioria das turmas 9º ano: Estudo Acompanhado com 1 professor de Matemática 1 turma de 6º, 7º, 8º e 9º com par pedagógico de 2 professores na disciplina (alunos seleccionados de acordo com as dificuldades) Clube da Matemática
34

PLATAFORMAS WEB 1

 Relação

Escola/Comunidade

O contacto da escola com diferentes parceiros será sempre uma oportunidade de melhoria. As escolas oferecem um conjunto de informação, conhecimento, experiência e inovação, que não podem, nem devem ser objecto de indiferença e de desconhecimento. As escolas abrem-se para o futuro e procuram ir ao encontro da mudança. Por outro lado, os parceiros que colaboram com a escola não são vistos, apenas, como uma hipótese de financiamento para a concretização de projectos/actividades, mas principalmente como uma mais valia no enriquecimento da Cultura de Escola.

PLATAFORMAS WEB 1

35

 Relação

Escola/Comunidade
J.F e CMO Segurança Social Centro de Saúde VITAMINA Vertente Sul Clube Atlético das Patameiras AMOP Valor Sul FAPOdivel Municipália Teatro da Malaposta Centro Infantil de Odivelas Bombeiros Voluntários PSP Banco Alimentar CPCJ Odivelas Biblioteca D. Dinis Instituto do Sangue ISCE Loja do Cidadão CONFAP ISPA INA Pingo Doce

Parcerias
EPIS Protecção Civil CAT (Póvoa Sto Adrião) Conservatório D. Dinis Obra do Padre Abel ProjectoSEI Cenfores InOutGreen Universidade Lusófona Escola Agrícola da Paiã Escola Superior João de Deus Agrupamento de Escolas da Pontinha

PLATAFORMAS WEB 1

36

 Resultados

Escolares
Taxas de Transição Escolar
1º Ciclo

PLATAFORMAS WEB 1

37

 Resultados

Escolares
Taxas de Transição Escolar
2º Ciclo

PLATAFORMAS WEB 1

38

 Resultados

Escolares
Taxas de Transição Escolar
3º Ciclo

PLATAFORMAS WEB 1

39

 Resultados

Escolares
Taxas de Retenção Escolar

Dados totais do Agrupamento e comparação com as médias nacionais*

Agrupamento *Fonte: “Portal Ministério Educação” Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

40

 Resultados

Escolares

Taxas da Qualidade do Sucesso Escolar
(alunos que transitaram para o ano escolar seguinte sem qualquer negativa)

PLATAFORMAS WEB 1

41

 Resultados

Escolares

Taxas da Qualidade do Sucesso Escolar
(alunos que transitaram para o ano escolar seguinte sem qualquer negativa)

PLATAFORMAS WEB 1

42

 Resultados

Escolares

Provas Aferição Língua Portuguesa – 4º Ano

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

43

 Resultados

Escolares

Provas Aferição Matemática 4º Ano

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

44

 Resultados

Escolares

Provas Aferição Língua Portuguesa 6º Ano

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

45

 Resultados

Escolares

Provas Aferição Matemática 6º Ano

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

46

 Resultados

Escolares
(alunos internos)

Exames Nacionais – Língua Portuguesa

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

47

 Resultados

Escolares
Exames Nacionais
(alunos internos)

Agrupamento Médias Nacionais
PLATAFORMAS WEB 1

48

Análise dos Resultados das Provas de Aferição

        

Da análise dos resultados obtidos nas Provas de Aferição conclui-se que: 1º Ciclo Na disciplina de Língua Portuguesa, 86,4% dos alunos obtiveram classificações positivas (A-4%; B- 30,4%; C-52%) . Na disciplina de Matemática, 86,3% dos alunos obtiveram classificações positivas (A-8,9%; B- 21%; C-56,5%). 2º Ciclo Na disciplina de Língua Portuguesa, 84,3% dos alunos obtiveram classificações positivas (A-2,2%; B- 14,9%; C-67,2%). Na disciplina de Matemática, 62,3% do alunos obtiveram classificações positivas (A-0,8%; B- 9,2%; C-52,3%).    

PLATAFORMAS WEB 1

49

 

Da análise comparativa das avaliações interna e externa verifica-se que: Na disciplina de Língua Portuguesa os resultados da avaliação externa (84,3% de classificações positivas) foram mais satisfatórios do que os da avaliação interna (79,9% de níveis superiores a 2). Relativamente às classificações negativas, a taxa obtida na avaliação externa é inferior (15,7%) à da avaliação interna (20,1%). Na disciplina de Matemática, verifica-se que os resultados da avaliação externa (62,3% de classificações positivas) foram inferiores do que os da avaliação interna (71,3% de níveis superiores a 2). Relativamente às classificações negativas, a taxa obtida na avaliação externa é superior (37,7%) à da avaliação interna (28,7%). Conclui-se, assim, que os resultados obtidos nas Provas de Aferição no Agrupamento foram bastante positivos, atingindo as metas estabelecidas no PEA, com excepção da disciplina de Matemática no 2º ciclo.
PLATAFORMAS WEB 1


50

BOAS PRÁTICAS – MELHORAR AS APRENDIZAGENS DOS ALUNOS
O êxito escolar não passa apenas pelo esforço dedicado dos professores e pelo espírito de missão da Direcção da Escolas. É necessário apostar em referenciais de excelência, reconhecidos nacional e internacionalmente, que já tenham dado provas de estarem adaptados para a construção de uma Gestão Escolar de Excelência, através de processos de melhoria contínua e de acordo com o ritmo possível de cada escola. OBSERVATÓRIO DE QUALIDADE Um processo de auto-avaliação tem que envolver toda a comunidade em que ele é aplicado, sendo este um dos maiores benefícios deste processo. É importante referir que a aplicação da CAF está em consonância com os objectivos da Avaliação Externa das Escolas levada a cabo pela IGE.

PLATAFORMAS WEB 1

51

O Plano de Acção para implementação do exercício de Auto-Avaliação teve inicio no ano lectivo de 2006/2007, com o Observatório da Qualidade. A análise (SWOT) e discussão dos resultados da avaliação interna e externa (testes intermédios, provas de aferição e exames nacionais), em particular pelo Observatório da Qualidade/Directora/Conselho Pedagógico. Técnicas e instrumentos de Avaliação Foram adoptados os indicadores e as metas nacionais para os Planos de Melhoria, relativamente às competências básicas a nível da Língua Portuguesa e Matemática, recorrendo também à metodologia “EPIS Escolas do Futuro”. Para uma melhor compreensão do Projecto, foram envolvidos todos os agentes educativos tendo sido criados mecanismos de monitorização e avaliação nos vários níveis de execução (comparação a nível concelhio e nacional).

PLATAFORMAS WEB 1

52

O processo de avaliação das aprendizagens, depois de sujeito a tratamento estatístico, é debatido nas diferentes estruturas educativas, incluindo ao nível turma/aluno. Os alunos e respectivos Encarregados de Educação são assim chamados a participar activamente no processo ensino-aprendizagem, quer nos aspectos que dizem respeito à auto-avaliação mas também ao processo cooperativo da auto-correcção.  

PRIORIDADES:

ØFormulação de metas anuais e plurianuais (mais e melhor sucesso, novos bons alunos redução do abandono); ØAnálise SWOT ØMonitorização de resultados internos e externos, através do Observatório de Qualidade; ØPlanos de Melhoria; ØPlanificação – Objectivos Mínimos e Objectivos de Desenvolvimento; Testes de Objectivos Mínimos e de Desenvolvimento;

ØReforço do envolvimento /responsabilização dos docentes, alunos,famílias e da restante Comunidade Educativa, nomeadamente a Autarquia, Associações de Pais, Segurança Social, CPCJ, Empresas, Estabelecimentos do Ensino Superior, ONGs, entre outras.
PLATAFORMAS WEB 1

53

BOAS PRÁTICAS – MELHORAR AS APRENDIZAGENS DOS ALUNOS

Horário dos alunos: CEFs e anos de exame nos turnos da manhã; Inclusão nos horários dos tempos de Apoio e Reforço, assim como das actividades de Enriquecimento Curricular; Planificação das unidades programáticas: objectivos mínimos e de desenvolvimento; Testes de objectivos mínimos e de desenvolvimento; Apoio /reforço/diversificação de estratégias para os grupos de alunos com níveis negativos nos objectivos mínimos – comunicação aos alunos e famílias, através de informação no próprio teste e na caderneta dos ítens a consolidar a fim do aluno atingir os objectivos mínimos; Envolvimento/responsabilização dos docentes, alunos e famílias na ultrapassagem das dificuldades – Ex: reforço do empenho e cooperação na elaboração das fichas de melhoria; (a proposta para nova avaliação dos objectivos mínimos pode partir dos alunos e/ou das famílias – via caderneta). TUTORIAS; AULAS DE APOIO E REFORÇO;

 

PLATAFORMAS WEB 1

54


Quadros de Honra (alunos com nível 5 a todas as disciplinas e Satisfaz Bem nas ACND); Mérito (alunos que revelaram maior empenho e concretização na ultrapassagem das dificuldades; com bom comportamento; que se salientaram pela sua assertividade, mediação de conflitos, cooperação nas actividades de enriquecimento curricular, projectos, clubes e actividades diversas)

 

Prémio para o melhor aluno por ano de escolaridade e por Escola; Prémio da melhor Turma (2º e 3º Ciclos): média dos níveis mais elevados atingidos pelas turmas a L.P., Matemática, Inglês e Ciências;

Louvor em Conselho Pedagógico: docentes que evidenciam boas práticas lectivas, assim como em clubes/projectos/actividades que potenciam a identificação/pertença e projecção da Escola;

Divulgação dos critérios de classificação, regras do R.I (direitos e deveres dos alunos),meta do Projecto Educativo, horário do aluno, horário de atendimento do D.T., contactos do Agrupamento e do D.T., site, blog, facebook, na recepção dos alunos e Encarregados de Educação.

PLATAFORMAS WEB 1

55

Articulação entre Ciclos e Inter-Departamental (Ex: elaboração das turmas dos 5ºs anos coadjuvadas pelos docentes que leccionaram os 4ºs anos; reuniões entre os docentes dos 4º anos e dos 5ºs anos no início do ano lectivo e sempre que seja pertinente; articulação curricular interdisciplinar, definida durante o mês de Setembro e a levar a efeito nas aulas de Formação Cívica, Área Projecto e Estudo Acompanhado) As aulas de Estudo acompanhado são leccionadas preferencialmente por docentes de L.P., Matemática e Inglês No final de cada período, início do seguinte, sempre que a uma disciplina o sucesso seja inferior ao definido no PEA, o Conselho de Turma reunea fim de analisar e sugerir propostas para planos de melhoria Cooperação sistemática entre a Escola e as Família: presencialmente, ou por telefone, ou email

 

  
PLATAFORMAS WEB 1

56

Comunicação – falar a mesma linguagem
 http://www.youtube.com/watch?v=QsteBocZs18

PLATAFORMAS WEB 1

57

 Optimização

da comunicação Interna via Plataformas Web - Gestão e controle de tarefas e qualidade


 Vantagens:

As tecnologias de informação constituem de facto uma vantagem na organização e gestão e controle de tarefas e qualidade. Os programas de gestão são uma mais valia nas organizações. No entanto as aplicações on-line para Internet agrupam um maior leque de vantagens. Como por exemplo: Centralização de dados com a garantia que a informação chega a todos: Toda a informação do Agrupamento está acessível a partir de qualquer computador com acesso à Internet: http://www.youtube.com/watch?v=CI65uTSinyc&feature=related Comunicação: Através das áreas reservadas, a comunidade pode comunicar entre si de forma eficiente;



 
PLATAFORMAS WEB 1

58

Acessibilidade: Os vários actores da complexa comunidade educativa podem acessar a informações diversas, fazer consultas de documentos, inscrições em actividades através do seu computador; Actualização: Ao invés de se actualizar múltiplos sistemas, a actualização do sistema central funciona para todos os membros em simultâneo; Melhoramento constante : A aplicação pode ser maximizada através da melhoria dos seus módulos ou através da inclusão de outros com novas funções. A aplicação pode ser melhorada constantemente, adequando-se às necessidades crescentes dos seus utilizadores; Redução de custos: Uma única aplicação serve múltiplos utilizadores; redução de custos em papel; a utilização do Windows Live (Skydrive) não exige quaisquer custos de alojamento.
PLATAFORMAS WEB 1




59

1 – DEPOIS DE CRIAR UMA CONTA ENTRADA NO WINDIOWS LIVE – SKYDRIVE: LOGIN

PLATAFORMAS WEB 1

60

2 – INTRODUÇÃO DA PASSWORD

PLATAFORMAS WEB 1

61

3 –PANORAMICA DOS GRUPOS PLATAFORMAS: OBSERVATÓRIO DA QUALIDADE E CONSELHO PEDAGÓGICO

PLATAFORMAS WEB 1

62

4 - ENTRADA NO OBSERVATORI O DA QUALIDADE

Observatório de Qualidade

PLATAFORMAS WEB 1

63

5 - PLANOS DE MELHORIA: PASTAS

PLATAFORMAS WEB 1

64

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. DINIS: OS NOSSOS PLANOS DE MELHORIA

 http://addinis.ccems.pt/images/stories/documentos/pla

PLATAFORMAS WEB 1

65

6 - JÁ NAS ACÇOES DE MELHORIA: üABRINDO UMA PASTA (ACÇÕES DE MELHORIA); üPOSSIBILIDADE DE VER FICHEIROS POR PASTA, DATAS, AUTOR.

PLATAFORMAS WEB 1

66

7 – ABRINDO UM FICHEIRO: PAINEL DE BORDO DAS ACÇOES DE MELHORIA MELHORAR A COMUNICAÇÃO INTERNA

PLATAFORMAS WEB 1

67

8 –ABRIR E CONSULTAR UM FICHEIRO:AVALIAÇÃO DAS ACÇÕES DE MELHORIA

PLATAFORMAS WEB 1

68

9 – PANORAMICA DOS GRUPOS: PLATAFORMAS WEB (Ex: Conselho Pedagògico)

PLATAFORMAS WEB 1

69

10 – POSSIBILIDADE DE EDITAR – DE ACORDO COM A PERMISSÃO DO ADMINISTRADOR

PLATAFORMAS WEB 1

70

11 –SER NOTIFICADO SEMPRE QUE HAJA NOVOS FICHEIROS,OU ALTERAÇÕES: através de e-mail especificado.

PLATAFORMAS WEB 1

71

12 - Possibilidade de ver cr onologicamente as NOVIDADES /ALTERAÇÕES E O AUTOR DAS MESMAS

PLATAFORMAS WEB 1

72

13 – AGENDAMENTO: possibilidade de todos partilharem num só documento as reuniões, actividades diversas,etc

PLATAFORMAS WEB 1

73

14 – PLANIFICAÇÃO DE REUNIÕES E ACTIVIDADES COM A POSSIBILIDADE DE “ARRUMAR” OS FICHEIROS RELACIONADOS EM PASTAS

PLATAFORMAS WEB 1

74

15 - POSSIBILIDADE DE CONVIDAR PESSOAS (podendo ou não EDITAR); Colcar ima gens; LINK, TÍTULO E SUB-TÍTULO, etc

PLATAFORMAS WEB 1

75

16 - POSSIBILIDADE DE CHAT E VÍDEO-CONFERÊNCIA

PLATAFORMAS WEB 1

76

para melhorar a comunicação… o que parece complicado é tão simples: a criatividade está nas nossas mão!
 http://www.youtube.com/watch?v=bm-Il3KGRIs

PLATAFORMAS WEB 1

77

PRIORIDADES:

PLATAFORMAS WEB 1

78

PRIORIDADES:

PLATAFORMAS WEB 1

79

PRIORIDADES:

PLATAFORMAS WEB 1

80

PLANIFICAÇÃO DAS UNIDADES PROGRAMÁTICAS: OM e OD

PLATAFORMAS WEB 1

81

PLANOS DE MELHORIA do agrupamento
http://jornaltrovador.blogspot.com/  JORNAL ESCOLAR - O TROVADOR

http://www.slideshare.net/amg20034  My Presentations
  

PLATAFORMAS WEB 1

82

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

83

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

84

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

85

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

86

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

87

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

88

 Auto-Avaliação

Interna

PLATAFORMAS WEB 1

89

Algumas pessoas vêem as coisas como são e perguntam porquê. Eu sonho coisas que nunca foram e pergunto porque não? George Bernard Shaw

PLATAFORMAS WEB 1

90

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful