You are on page 1of 12

TECIDO CARTILAGINOSO Profª.

Valéria Rocha O tecido cartilaginoso é duro, mas tem uma certa flexibilidade, que pode ser maior ou menor dependendo do cartilaginoso que a gente vai ter, pois existem três tipos de cartilaginoso. No tecido ósseo, essa consistência é realmente dura sem flexibilidade nenhuma, mas no cartilaginoso ele é rígido com uma certa flexibilidade. Se a gente pegar, por exemplo, na cartilagem da orelha a gente vai poder sentir isso, que ela tem uma certa flexibilidade. Então ele é considerado duro em relação ao conjuntivo normal, mas não tão duro quanto o ósseo que é colocado numa outra aula separada, por realmente esse não ter flexibilidade nenhuma. Quem são os três tipos de cartilaginoso que vocês vão ver hoje? Cartilagem hialina, elástica e a cartilagem fibrosa ou fibrocartilagem. Se a gente pegar esses três tipos, vamos ver que o cartilaginoso é duro, mas tem uma certa flexibilidade. Se eu perguntasse pra vocês qual deles tem maior flexibilidade, provavelmente todos iriam acertar, porque o nome já diz: elástica, cartilagem elástica. Então nessa cartilagem elástica vocês vão encontrar aquelas fibras que vocês já aprenderam na aula de conjuntivo, chamadas de fibras elásticas, dando uma maior elasticidade pra ela. Então dos três tipos: hialina, elástica e fibrosa, a elástica é a que tem maior flexibilidade, por conta das fibras elásticas. Tem fibras elásticas nas outras duas? Não tem. Daí vocês já estão vendo uma diferença entre as três, só tem fibras elásticas na cartilagem elástica, como o nome já está dizendo e das três, a mais freqüente é a hialina. Esse último tipo aqui, a cartilagem fibrosa ou fibrocartilagem, a gente poderia dizer que é um intermediário, pois ela tem características muito próximas do conjuntivo e características do cartilaginoso, então essa fibrocartilagem é considerada uma mistura entre o conjuntivo propriamente dito e o cartilaginoso. Como assim? Eu vou falar em algumas características nessa aula da fibrocartilagem que parecem com o conjuntivo, mas outras características parecem com o tecido cartilaginoso, então ele ficou no meio do caminho, ele é uma transição entre o conjuntivo e o cartilaginoso com características dos dois. Considerado uma mistura entre os dois tecidos: o conjuntivo propriamente dito e o cartilaginoso. Depois vocês vão ver as características que fazem com que ele seja essa mistura entre os dois, tá? Então são esses três tipos. Em que locais nós vamos encontrar o tecido cartilaginoso? Eu vou aproveitar esse slide aí gente pra além de falar em localização, falar em função, em cada localzinho que tiver aí a gente pára pra ver que função o tecido cartilaginoso está exercendo. Se a gente pegar aquela tabela de conjuntivo, vários tipos de conjuntivo que termina no cartilaginoso e no ósseo, eles vão dizer assim pra vocês: esses dois são colocados separados porque são conjuntivos de suporte, sustentação. Por eles terem essa consistência mais dura, eles têm essa função de suporte ou sustentação. Então a função primária do tecido cartilaginoso é essa: suporte ou sustentação, por ele ser mais duro, assim como o ósseo. O ósseo dá uma sustentação muito grande, muito forte, pela sua consistência dura, então essa seria a função básica: suporte ou sustentação, mas dependendo do local, vamos um por um pra ver que nem sempre é essa função aí (essa é a principal) nem sempre é ela.

acho que vocês já devem ter visto lâmina de traquéia. não pode crescer. ele vai ser formado por cartilagem hialina. Disco epifisário O ossozinho. já estamos vendo mais duas funções. A cartilagem hialina. uma região chamada de disco epifisário. gradativamente. vai sendo substituído por tecido ósseo. Então a função que a cartilagem hialina exerce no esqueleto fetal é servir apenas de modelo. um moldezinho de cartilagem hialina que gradativamente vai sendo substituído por osso. o epitélio pseudo-estratificado está lá revestindo a traquéia e aqui está a luz por onde passa o ar. Agora. o que é que o organismo pega e coloca? Um pedaço de cartilaginoso pra sustentar a . o que ia acontecer? A traquéia ou o brônquio (porque tem no brônquio também) podia fechar a passagem de ar. então para que não haja esse fechamento. conjuntivo é mole. aqui em baixo é conjuntivo. em vez dele ser formando por osso. enquanto tiver disco epifisário ela pode crescer. se não tiver. Então a função que ela exerce é servir de molde para a formação posterior do tecido ósseo. Então o primeiro esqueletozinho que vai ser formar vai ser formado por cartilagem hialina e depois. lá na beiradinha. Costelas Quando falar nas costelas. têm glândulas. muscular é mole. tem um outro osso aqui. se fosse só tecido mole aí. aí ela pára de crescer. que tem epífise e diáfise. quando está presente nas costelas a função é suporte ou sustentação. aí a função é de suporte ou sustentação. também com cartilagem hialina na superfície. vai deixar de existir. quando ela está nessa beiradinha nas superfícies articulares. aí isso aqui se transforma em osso. Logo que ele nasce é formado por cartilagem hialina que gradativamente vai sendo substituída por osso. primeira função. Então o osso não surge assim de repente. depois que não tiver mais disco epifisário. Vias respiratórias Vias respiratórias. o osso só surge se antes tiver tecido cartilaginoso. tem um pouco de muscular. Então tem uma quarta função: absorção de choques. Então para saber se a pessoa pode crescer ou não você vai ver se ainda tem disco epifisário nos ossos. segunda função. ele vai ter entre a epífise e a diáfise. Superfícies articulares nas articulações Quando ela está nas superfícies articulares nas articulações. a função dela é absorção de choques para proteger os ossos. A última região a se transformar em osso é chamada de disco epifisário. isso aqui podia se fechar e não passava ar de jeito nenhum. daí ele vai crescendo desta maneira. quando ela está presente no disco epifisário a função dela é isso: permitir o crescimento do osso em comprimento ou extensão. no que elas vão se multiplicando elas empurram o osso permitindo o crescimento em extensão ou comprimento. ele serve de molde ou modelo para a formação posterior do tecido ósseo. terceira função. Então não é só suporte. Então a função da cartilagem hialina no disco epifisário é permitir o crescimento ósseo em extensão. Então quando ele está presente no esqueleto fetal. se a pessoa atingir mais ou menos 18 anos. ela não cresce mais. porque enquanto esse disco epifisário for formado por cartilagem hialina as células aqui continuam se multiplicando. é muito interessante pelo seguinte. minha gente. O epitélio é mole.Cartilagem hialina: Esqueleto fetal (primeiro lugar que vem aí) Se eu pegar o primeiro esqueletozinho que se forma no corpo da gente.

cartilagem elástica uma única função. gente. caída. entre a epífise e a diáfise permitindo o crescimento desse osso e um outro exemplo que eu coloquei foi de cartilagem elástica. Inserção de tendão ou ligamento nos ossos: sustentação. Resumindo eu tenho quatro funções.parede da traquéia ou do brônquio sempre aberta e não ter esse fechamento. risca a quatro. isso aqui está sustentando a epiglote desse jeito. eu vou desenhar ela porque é a que vocês vão ver. então quando você encontra nas vias respiratórias a função é a mesma da terceira que eu falo: suporte ou sustentação. Cartilagem fibrosa: Discos intervertebrais Fica entre as vértebras. isso aqui é a epiglote e duas // de cartilagem elástica no meio da epiglote. Sínfise pubiana Na verdade está mais na extremidade e é também absorção de choques. isso aqui é um brônquio. tecido cartilaginoso. Cartilagem elástica: Na cartilagem elástica. mostrando aqui a região do disco epifisário. se não tivesse essa cartilagem ela ficava molezinha. as células eu vou falar daqui a pouco. porque se a gente pegar a elástica eu só vou dizer uma função. Inserção dos tendões ou ligamentos nos ossos Tem lá um osso e o ligamento vai se inserir nele (ligamento é o quê? Tecido conjuntivo denso modelado) quando ele chega aqui bem pertinho do osso ele se transforma pra cartilagem fibrosa. então sustentando a parede do brônquio abertinha. Pavilhão auditivo (orelha) Conduto auditivo externo Tuba auditiva Epiglote da laringe Cartilagem cuneiforme da laringe Tudo aí só tem uma única função e não tem nada a ver com as outras. Então no caso da cartilagem fibrosa. eu vou desenhar a da traquéia. a um e a dois porque só tem uma função: suporte. mas não. Tem ele maior aqui. o tecido cartilaginoso tem uma única função: suporte. Se eu olhar esse tecido . ela tem mais ou menos esse formato aqui. É um suporte ou sustentação. A cartilagem da traquéia. só pra mostrar o tecido cartilaginoso maior. duas funções: absorção de choques e sustentação. Aqui tem alguns exemplos. Então isso aqui é um pedaço de tecido cartilaginoso sustentando a parede da traquéia. Olha a transição. o epitélio conjuntivo (parece bem semelhante com o que vocês viram na traquéia) e cartilagem aqui. Um outro exemplo que eu coloquei foi um osso. Então quando ele está presente aí a função dele é de sustentação. Como a cartilagem que vocês vão ver na aula prática é a da traquéia. aqui bem pertinho é a cartilagem fibrosa. de conjuntivo para cartilagem fibrosa. hialina as quatro lá que eu coloquei. gente. Vamos ver os constituintes. nos discos intervertebrais é absorção de choques. mas só tinha quatro na cartilagem hialina. A função da cartilagem fibrosa entre as vértebras. isso aqui é o epitélio pseudo-estratificado e aqui é a cartilagem. vocês vão ver que no resto eu vou repetir.

ele se dividir por mitose e encontrar dois condrócitos dentro de uma mesma lacuna. só se for cartilagem elástica três constituintes. que dá origem a matriz extra-celular ou matriz cartilaginosa. uma na periferia e achatadinha (está nela toda não está só neste pedaço) e uma mais interna. três constituintes. elástica e fibrosa. eu vou dar o nome disso aqui de grupo isógeno. umas moléculas enormes chamadas de macromoléculas de proteoglicanas e elastina(?). ou proteoglicanas direto. aí eu encontrei três condrócitos dentro da mesma lacuna que se dividiram. Então eu vou colocar o núcleo pra vocês entenderem que é uma célula. por exemplo. Então os constituintes da matriz são: colágeno. que na microscopia eletrônica vai aparecer assim.. Porque se eu perguntar os componentes da matriz na cartilagem hialina vocês vão responder: colágeno + substância fundamental amorfa. Aí eu coloquei assim.. Então condroblasto dá origem ao condrócito. chamado de matriz extra-celular ou matriz cartilaginosa. em vez de dois são três: colágeno + substância fundamental amorfa + elastina. os constituintes produzidos pelos condrócitos. significa que ela vai dar origem a outra. só que no nosso microscópio não. Alguém: No caso. condrócito e o condrócito por sua vez também tem uma função. Eu posso encontrar até oito condrócitos dentro da mesma lacuna e quando eu encontrar mais de um condrócito dentro da mesma lacuna. é a mãe de uma outra célula. escrevi assim pra vocês: a matriz cartilaginosa é formada por colágeno. na faculdade se você pegar o Junqueira & Carneiro ou qualquer outro não dá essa denominação. Começou assim: condroblasto dá origem ao condrócito. Valéria: Livro de faculdade não chama mais de condroplasto. não? Na faculdade não tem nenhum livro que chame essa denominação plasto. no conjuntivo vocês viram o fibroblasto dando origem ao fibrócito. Aí vamos dizer que o de cima se dividiu. vestibular. substância fundamental amorfa e se for cartilagem elástica.. Mayara: A lacuna não tem o nome de condroplasto? Valéria: Vocês já viram isso onde? Mayara: Colégio. Ele vai dar origem ao que está aqui por fora. terminação blasto significa que é célula-mãe ou que vai dar origem a outra célula. substância fundamental amorfa. todos os três produzidos pelo condrócito.? Valéria: Também.cartilaginoso eu vou ver dois tipos de células. de vez em quando eu escuto isso. como eu já falei: cartilagem hialina. que é formada por proteoglicanas. às vezes chamam mais de osteoplasto em ossos. se eu perguntar na cartilagem elástica. eu posso pegar esse condrócito. agora condroblasto vai dá origem ao condrócito. Essa achatadinha na periferia vai receber o nome de condroblasto e todas as vezes que vocês observarem uma célula terminando em blasto.. é a quantidade de colágeno ou substância fundamental amorfa que vai interferir se a cartilagem vai ser hialina ou. só que nem sempre vem um condrócito só. que dá origem a matriz. mas é uma coisa dada em segundo grau. Se eu perguntar na cartilagem fibrosa vocês vão responder: colágeno + substância fundamental amorfa.. Condroblasto na periferia. . Então o condrócito vai estar sempre dentro de um buraquinho que recebe o nome de lacuna. essas saliências e reentrâncias só vão aparecer na microscopia eletrônica. Agora. Só que existem três tipos de cartilagem. Então uma mais achatadinha na periferia e uma mais interna.. o condrócito fica dentro de uma cavidadezinha pequena que recebe o nome de lacuna.

não organizados formando o pericôndrio. a tendência dele é o quê? Produzir mais matriz. porque fica parecendo o nome de uma célula e não é. Cada condrócito que se formar vai produzindo mais matriz e vai crescendo a cartilagem. E ainda tem um tal de pericôndrio. matriz: colágeno. elas estão bem coladinhas. nenhum tipo de cartilagem fibrosa tem pericôndrio e no caso da cartilagem hialina que fica nas superfícies articulares não tem também. Então nessa área aqui de transição eu vou ter os condroblastos. Porque o nome das células é assim. proteção e dá origem ao condroblasto.Têm em atlas bem antigos. não organizados formando o pericôndrio. porque aqui é uma membrana altamente organizada revestindo. Quando não vai ter? Não vai ter em hipótese nenhuma na cartilagem fibrosa. é um pedaço de transição. então eu acho que por isso que eles terminaram com esse nome. Então mais uma função: dá origem ao condroblasto. então eu não uso. por exemplo. mas sem está dentro da célula é a mesma coisa da matriz cartilaginosa? Professora: Não. mas não formando o pericôndrio. Então mais de um condrócito dentro da mesma lacuna vai dar o nome de grupo isógeno. o fígado. se eu peguei aqui. Ai tem alguns condroblastos soltos. nesta posição. ele vai fazer o quê? Ele vai fazer revestimento e proteção. Então por exemplo. uma membrana envolvente. substância fundamental amorfa formada por proteoglicanas e elastina. Lembrar que a fibrosa é uma transição entre o conjuntivo e o cartilaginoso. aí você dá um nome de um buraco fica parecendo o nome de uma célula. Então o pericôndrio só é caracterizado como pericôndrio quando ele se organiza para formar uma cápsula. na maioria das vezes a gente vai encontrar uma membrana formada de tecido conjuntivo denso modelado. Esse outro não acontece. então ele está revestindo e protegendo o tecido cartilaginoso. mas atualmente não se fala mais nisso. é uma organização envolvente. não tem espaço pra matriz não. ligamento: tecido conjuntivo denso modelado – tecido cartilaginoso (figura). mas por enquanto revestimento. ele vai estar envolvido por uma cápsula formada por tecido conjuntivo denso modelado. Aí eu já vou introduzir pra vocês algumas funções do pericôndrio. Que mais? Vocês viram que o pericôndrio eu coloquei do lado das células achatadinhas de propósito. Então quando encontrar mais de um condrócito dentro da mesma lacuna recebe o nome de grupo isógeno. aqui não existe organização que . que recebe o nome de pericôndrio e que é ausente na cartilagem fibrosa e no caso da cartilagem hialina nas superfícies articulares. Marina: O que está dentro da lacuna. Então envolvendo o tecido cartilaginoso a gente encontra uma membrana formada de tecido conjuntivo denso modelado. Não tem matriz. Se eu pegar. Envolvendo o tecido cartilaginoso. dentro da lacuna mais de um: grupo isógeno. A matriz está aqui fora. que eu vou dar daqui a pouco. Então células: condroblasto e condrócito. Então funções do pericôndrio. uma mistura dos dois. que recebe o nome de pericôndrio. mais tarde eu vou falar mais. Só que não forma um pericôndrio. é o nome de um buraco. agora lembrar o seguinte: que cada novo condrócito que se formou novinho. porque uma das funções do pericôndrio dá origem ao condroblasto. o pericôndrio dessa maneira que ele está aí. a mesma coisa daqui: conjuntivo se transformando em cartilaginoso. não está revestindo. Ela tem uma área que ela está se transformando do conjuntivo pro cartilaginoso. envolvendo o tecido cartilaginoso.

um se transformando no outro. Aqui é o tecido cartilaginoso (fibrocartilagem). tem que ter dos dois lados. Então vocês acham que predomina substancia fundamental amorfa ou colágeno? Substância fundamental amorfa. elas perdem seus prolongamentos e dão origem aos condroblastos que vão dar origem aos condrócitos que vai dar origem ao grupo isógeno que vai produzir também matriz.envolve. O mesoderma vai dar origem ao mesênquima que é cheio de células mesenquimais ou mesenquimatosas. aqui condrócito na lacuna. fibroblasto. Eu só caracterizo como pericôndrio quando está envolvendo. Então a basofilia da matriz mostra que predomina substância fundamental amorfa. Igualzinho ao conjuntivo. aqui é um pedaço que se transforma desse pra esse. do outro lado também. aqui é condroblasto. Pergunta relacionada à origem do pericôndrio Ai é origem embriológica. porque isso é crescimento. mas praticamente só vê o núcleo. Vocês aprenderam que o colágeno fica rosinha. A parte mais superficial vai dar origem ao pericôndrio se for o caso. ai não precisa de pericôndrio. Veja gente que na verdade é praticamente só o núcleo. então tem origem embriológica dos três folhetos mesodema. além de ele não predominar. Olha aqui uma figura que mostra tudo aquilo que falei: pericôndrio. o tecido cartilaginoso vem de origem mesodérmica. depois vocês vão ver por que isso acontece. a lacunazinha e a matriz. Então ele . aqui outro pericôndrio. ele tem afinidade pela eosina. Mostrando a figura: as células mesenquimatosas cheias de prolongamentos. Pericôndrio dando origem ao condroblasto. Então é a mesma ordem que eu já falei pra vocês: é so acrescentar na frente o mesoderma dando origem ao mesênquima que tem as células mesenquimais ou mesenquimatosas. Primeiro fibroblasto se diferenciando em condroblasto que se diferencia em condrócito. por isso essa basofilia aqui da matriz. Aqui ele já está chamando de condrócito porque aqui já tem matriz e ali não tem. mas no fim aquela organização. na verdade envolvendo tudo. É um conjuntivo. só que só pegou um pedaço. essas células aqui achatadinhas são os condroblastos. Essa matriz está rosa? Não né!? Ela está roxa. mas a gente não consegue ver. aqui o tecido conjuntivo e aqui uma mistura dos dois. um pouquinho de citoplasma clarinho. Agora a partir do momento que ele já existe. mas a gente vai ver direitinho. ai eu disse pra vocês que na matriz da cartilagem hialina tem colágeno e substância fundamental amorfa formada por proteoglicana. Pergunta: E o colágeno está aonde? Resposta: Ele está bem pequenininho na forma de fibrilas. que são células cheias de prolongamentos. Eu tenho predomínio de substância fundamental amorfa. Condrogênese Formação embriológica do tecido cartilaginoso. Isso era origem embriológica e ainda vou falar em crescimento. Ele está. primeira origem do tecido cartilaginoso. O colágeno é rosinha. dando origem a condrócito. aqui ela já dando origem aos condroblastos. está numa forma muito pequenininha. Ai se eu puxar um pouco agora de vocês. ai se eu precisar de condrócitos ele vem a partir do pericôndrio. Essas células cheias de prolongamentos dão origem aos condroblastos.

Então aqui eu tenho grupo isógeno com dois. agora ele está formado já com todos os constituintes. ele deixa de ocorrer. E o pericôndrio que é conjuntivo tem vasos. um com três. o intersticial no momento em que a matriz vai ficando dura. Essa região mais escura envolvendo a lacuna recebe o nome de cápsula que depois a gente vai falar mais nela. O pericôndrio quando ele dá origem ao condroblasto que dá origem ao condrócito e que este dá origem a matriz.chama esse daqui de condroblasto e esse daqui de condrócito. o pericôndrio surgiu agora e depois ela vai crescer. Então se eu quiser crescer eu vou empurrar o conjuntivo. essa ligação aqui torna a matriz rígida. É como se eu pegasse o que falei e dividisse ao meio. substância fundamental amorfa e elastina ou não. Então existem duas maneiras do tecido cartilaginoso crescer: um é chamado crescimento intersticial e o outro aposicional. Então ele dividiu ao meio para mostrar pra vocês que o aposicional é mais importante porque ele tem como ocorrer em qualquer fase. com cinco e pertinho da lacuna aparece mais escurinho. porque o intersticial só ocorre na vida embrionária e na fase ainda de criança. . Então o crescimento intersticial é menos importante por isso. Tudo isso aqui é origem embrionária. O pericôndrio é responsável pela nutrição do tecido cartilaginoso. Ai eu queria que vocês observassem que pertinho da lacuna ficou uma cor bem escurinha de propósito. Com que objetivo ele fez isso? Pra explicar pra vocês que o condrócito está aqui dando origem a matriz. A ligação do colágeno com a substância fundamental amorfa. olha só: quando eu pegar o pericôndrio dando origem ao condroblasto que dá origem ao condrócito. o crescimento que vem a partir do pericôndrio (pericôndrio -> condroblasto -> condrócito) eu vou chamar de crescimento aposicional. então ele fez isso pra mostrar pra vocês que o crescimento aposicional é muito mais importante. ela vem a partir de pericôndrio. Mas se o crescimento cartilaginoso for necessário na vida adulta a matriz já está dura não permite mais. porque aqui ele explica que já tem matriz. Então. com quatro. ele precisa do conjuntivo pra nutri-lo. Então mais uma função do pericôndrio: nutrição. não precisa ela agora. esse crescimento é chamado de intersticial. E nas superfícies articulares eu tenho o liquido sinovial. dura. mas ela já está aparecendo ali. Então a nutrição no tecido cartilaginoso. que é colágeno. Se a matriz fica dura ela vai impedir que o crescimento intersticial continue. o intersticial não. E quando eu pegar o condrócito que já existe e ele começar a se dividir por mitose pra dar origem ao grupo isógeno e produzir mais matriz ainda ai esse crescimento é chamado de intersticial. E se a matriz ficar dura ela não vai permitir o crescimento intersticial. Não tem vasos sanguíneos no cartilaginoso. mesma coisa do epitelial. não tem pericôndrio. Então os pesquisadores dividiram ao meio isso que eu expliquei pra vocês chamara de aposicional quando o pericôndrio que dá origem ao condroblasto que dá origem ao condrócito que dá origem a matriz e quando esse condrócito pré-existente se dividir por mitoses pra dar origem a grupos isógenos e produzir mais matriz. quando existe pericôndrio. vou deixar a elastina de lado. que o colágeno se liga com a proteoglicana. E aqui já está formando os grupos isógenos. Então o aposicional consegue porque aqui fora eu tenho conjuntivo que é mole. Então a cápsula é a região que envolve a lacuna. mas tem o liquido sinovial. até aqui eu vou chamar de crescimento aposicional.

Fica só a lacuna branquinha com o núcleo perdido e às vezes nem núcleo tem. Funções do pericôndrio: proteção. não dá pra ver citoplasma. Mas nessa área de transição vai ter vasos sanguíneos. uma área de cartilagem fibrosa e uma área de transição.Pergunta: E na cartilagem fibrosa? Resposta: A cartilagem fibrosa é uma transição entre conjuntivo e cartilaginoso. Funções: produzir matriz. fonte de condroblastos e eliminação daquilo que não presta mais. Mostrando figura: Lacuna e aquela historia que eu falei que ele morre muito fácil. Esses três primeiros hormônios. fonte de nutrientes e oxigênio. não pode ser chamado de pericôndrio. Funciona. A coisa mais comum que tem é de vocês chegarem lá na aula prática e encontrarem lacunas sem nada. ou com o núcleo em vez de estar no meio está lá na periferia ou às vezes se encontra o núcleo e não encontra o citoplasma da célula. . Mas não tem nada de diferente. essas eu já falei. são os mesmos constituintes. que organiza e envolve. que funciona como pericôndrio. Ai juntinho da lacuna aparece uma área que eu já mostrei pra vocês. Vamos ver um pouquinho mais sobre o condrócito. Então isso serve para aumentar a área de absorção. O mesmo objetivo visto na aula de epitelial das microvilosidades. porque ele morreu. tiroxina e testosterona são responsáveis pelo crescimento do tecido cartilaginoso. Mostrando figura: Isso é um desenho esquemático de um pericôndrio com fibroblastos. Então é uma célula que morre muito fácil na hora de se fazer a lâmina. revestimento. E os hormônios: cortisona. Antigamente. uma área bem basofílica. responsável pela adesão do condrócito a sua lacuna. Então você tem uma área de conjuntivo. logo a primeira vez que viram a cápsula pensaram ser uma parede mesmo. Então a nutrição do tecido cartilaginoso quando o pericôndrio existe é a partir do pericôndrio. E vendo ele na microscopia eletrônica eu vou observar que ele é cheio de saliências e reentrâncias que servem para facilitar sua nutrição. Então a cápsula é formada por um aglomerado de proteoglicanas. “do crescimento”. porque pericôndrio é só quando envolve. a mesma coisa. no processo histológico. Entre aspas o primeiro porque ele é o principal. envolvendo. A célula que morre mais fácil naqueles métodos de preparação de lâminas é o condrócito. Então eu tenho aqui uma coloração roxa e quando chega junto da lacuna fica mais roxo ainda. nas superfícies articulares é a partir do liquido sinovial. porque cápsula se dá quando é um tecido diferente. hidrocortisona e estradiol inibem o crescimento do tecido cartilaginoso. Alguns núcleos na periferia (tinha que está no meio). A superfície do condrócito é cheia de saliências e reentrâncias que servem pra aumentar a área de absorção. E observem que na matriz as fibras colágenos são bem fininhas. só tem uma predominância maior de proteoglicanas ai fica com essa coloração mais roxa. ai aqui já começa a ser os condroblastos e aqui o condrócito. aumentam a área de absorção. dar origem aos grupos isógenos. Já vimos que a basofilia da matriz significa que predomina substância fundamental amorfa. algumas coisas já faladas e outras que eu vou falar agora. Mas eu não falei de uma função que o condrócito tem de produzir uma glicoproteína chamada condronectina. tipo uma cápsula.

Aqui eu tenho uma microscopia eletrônica das fibrilas de colágeno. dente. Então o colágeno que tem na hialina e na elástica é o tipo II. mas onde é que eu quero chegar. não da pra ver no óptico. delicadas fibrilas do tipo II. se ele tiver nessa forma de fibrilas vocês não vão conseguir ver no microscópio da gente. bem fininhas só da pra ver no microscópio eletrônico. e como o colágeno no cartilaginoso na maioria das vezes está na forma de fibrilas. só que na elástica eu tenho as fibras elásticas que dá pra ver na microscopia óptica. Agora o colágeno vocês devem visualizar umas duas vezes. E agora agente vai entrar em uma parte da aula que eu vou falar de cada cartilagem. Lembrar que o colágeno tipo I está nos locais mais resistentes do nosso corpo. Então o colágeno tipo II agente encontra na hialina e na elástica. todos tipo I). sem ser lá na aula prática de histologia com HE. Pra mostrar que o colágeno. tendão. ou na forma de feixes de fibras. várias fibrilas formam a fibra e várias fibras podem formar um feixe de fibras. Então a cartilagem do disco epifisário é chamada de seriada porque os grupos isógenos estão em série. então o colágeno é diferente também. na forma de fibras vocês já viram lá na nossa aula prática. azulada e translúcida. aqui pra mostrar um condrócito cheio de saliências e reentrâncias. cartilagem fibrosa. microscópio óptico. Aqui é por microscopia eletrônica pra mostrar que são fibroblastos. uma fibra colágena é formada por fibrilas de colágeno. lá na anatomia quando você ver a cartilagem hialina é branco. só no eletrônico. que é a mais freqüente de todas (hialina). e na forma de feixe de fibras melhor ainda. só que o que predomina na elástica são as fibras elásticas. E a cartilagem fibrosa. Então no conjuntivo vocês viram assim: várias fibrilas bem pequenininhas podem formar uma fibra e várias fibras podem formar um feixe de fibras. então a microscopia eletrônica pra mostrar a membrana cheia de saliências e reentrâncias. e que tipo de colágeno é? Tipo II. o colágeno na cartilagem hialina ta na forma de delicadas fibrilas. Forma o primeiro esqueleto do embrião. aí as fibras eu consigo ver. membrana toda pregueadazinha para aumentar a área de absorção. . na forma de fibras eu consigo ver. eu já falei pra vocês que é bem diferente dos outros tipos de cartilagem. mostrando realmente que são bem fininhas.Fibroblasto é quando está achatadinha e quando começa a ter dobrinhas já é condroblasto. a coloração na anatomia. não são fibrilas são fibras. pra elástica quase não tem diferença. Se eu pegar o colágeno na forma de fibrilas vocês só vão ver no microscópio eletrônico. Então os locais que agente tem maior resistência a pressão. na verdade eu vou falar da hialina e depois agente vai ver as diferenças pra elástica e pra fibrosa. e no disco epifisário pode ser chamada de cartilagem seriada. Vocês devem ter visto isso igualzinho na aula de conjuntivo. o colágeno da fibrosa é o tipo I. uma das diferenças é que não tem pericôndrio e eu disse que uma transição entre o conjuntivo propriamente dito e o cartilaginoso. um atrás do outro. bem fininhas. na forma de fibras ou feixes de fibras. todos dois na forma de fibrilas. que é o caso do cartilaginoso. porque em vez dos grupos isógenos estarem assim. o colágeno vai ser do tipo I. (osso. vocês não conseguem ver. Na elástica a mesma coisa. o colágeno da fibrosa é do tipo I. Algumas coisas já foram faladas. Então. vários condrócitos dentro da mesma lacuna formando uma estrutura mais ou menos esférica. PERGUNTA: (foi algo referente ao corante que se usa na anatomia) RESPOSTA: a resposta foi que o corante ideal é o HE. os grupos isógenos vão estar em série.

Nessa matriz aqui . porque se não vai passar a vida toda com esqueleto formado por cartilagem e ninguém quer isso. a outra tem as fibras elásticas. mas com uma certa flexibilidade que se por acaso tiver um impacto no tecido cartilaginoso. o impacto vai fazer com que essas moléculas de glicosaminoglicanas expulsem a água e os íons positivos. mas tem outras. que ele ta chamando de cerne protéico mais várias moléculas de glicosaminoglicanas. morre e é substituído por osso. Aí cessou o impacto volta tudo novamente. mas com uma certa flexibilidade por causa desse aglomerado de água. comparam como se fosse uma mola. então esse processo é fisiologicamente normal. aumentando a flexibilidade. Então tem uma hora que as células do cartilaginoso precisam morrer pra serem substituídas por osso. E por que essa flexibilidade na cartilagem hialina e na fibrocartilagem? Pelo seguinte. dura. puxando íons positivos. Então a proteoglicana é formada por uma proteína central. moléculas enormes de proteoglicanas. E se eu pegar uma proteoglicana ela é representada como se fosse um pente. na maioria das vezes. cessou o impacto volta tudo novamente. Então a proteína central mais várias moléculas de glicosaminoglicanas. Degeneração do tecido cartilaginoso. as células do cartilaginoso não morrerem pra formar tecido ósseo. então essas moléculas vão se ligar ao colágeno que aqui é do tipo II porque é cartilagem hialina. Sempre que se fala em degeneração é patologia. porque se ele morreu eu não quero que o meu tecido morra. num vai parar de crescer nunca. porque você quer que o cartilaginoso morra e seja substituído por osso. ou seja. Então essa degeneração nesses dois locais é desejável. Então essa estrutura aqui é responsável pela rigidez do tecido cartilaginoso. aí já não é patologia porque todo mundo tem uma fase onde o esqueleto fetal se transforma em tecido ósseo. essas macromoléculas de proteoglicana vão se ligar ao colágeno. Então aqui (slide) esse azul e preto ta representando o colágeno. porque o osso é que da maior sustentação ao corpo. a pessoa vai crescer a vida inteira. com os dentes pra um lado e pro outro. chamam até isso de mola. o que vai acontecer. porque degeneração é morte e se o tecido morre eu vou considerar patologia. essas moléculas de glicosaminoglicanas puxam a água. altamente hidrofílicas. Mas se eu tiver me referindo a cartilagem hialina do esqueleto fetal e do disco epifisário. mais cada dente desse que são várias moléculas de glicosaminoglicanas. Mas eu falei pra vocês que vai ter uma certa flexibilidade. afinidade pela água. Então a proteoglicana é formada por uma proteína central mais várias moléculas de glicosaminoglicanas. isso aqui é um exemplo de uma das mais freqüentes condroitina sulfatada.íons positivos com as moléculas de glicosaminoglicanas. se é hidrofílica vai puxar também a água e se ligam também a colágeno. onde teve o impacto no cartilaginoso sai tudo. E se você não pegar o seu disco epifisário. mas essas não tem (hialina e fibrocartilagem). Então. È por isso que vai acontecer o seguinte. estas moléculas de glicosaminoglicanas são cadeias polissacarídicas não ramificadas com as seguintes propriedades: carga negativa alta. essa ligação do colágeno com a proteoglicana vai tornar a matriz rígida. Aqui mostrando (slide) uma proteína central. maior na cartilagem elástica por causa das fibras elásticas.A substancia fundamental amorfa é formada por macromoléculas. a água fica presa formando aquela camada de solvatação que tem no conjuntivo que puxa os íons e essa ligação glicosaminoglicana mais colágeno torna ela dura. Como que essa degeneração vai ocorrer? Eu tenho aqui um monte de condrócitos e a matriz.

matriz roxinha. onde eles têm que morrer obrigatoriamente pra que haja a formação do osso. tem a mais fibras elásticas. aquilo é uma cicatriz. então lá na aula prática é só pra ver as fibras elásticas. Então a degeneração da cartilagem hialina ocorre com freqüência. a coloração na anatomias é amarelada. Quando eu tenho conjuntivo no meio de outro tecido que antes era outro. Só nesses dois locais. Se for pequena e perto do pericôndrio perfeito. Se você pegar uma lâmina de cartilagem elástica e botar HE. tem pericôndrio também. Agora se for grande. agora se você colocar o corante ideal que é orceína. Cartilaginoso morreu e o conjuntivo invadiu e tapou aquele buraco. Tem lá um pericôndrio. pericôndrio rosinha. cápsulas com condrócitos. Então muito semelhante a hialina. é fisiologicamente normal. Weigert que cora em negro. que agente vai ver na aula prática e a única diferença é que tem a mais as fibras elásticas. eles vão interromper a nutrição desse condrócito e o condrócito morre. Se for pequena e perto do pericôndrio.vai acontecer uma deposição de fosfato de cálcio na forma de cristais de hidroxiapatita. Se for uma lesão numa criança. Então se for uma lesão numa criança tem regeneração na boa. porque deixa de receber nutrientes. Já é difícil de ver o condrócito na hialina. não é patologia. vai se formar uma cicatriz. ou esse outro. Aí se os cristais tão aqui formando uma parede. Agora se for longe ou grande vai formar uma cicatriz de tecido conjuntivo denso modelado. . Agora no adulto se morrer células do músculo cardíaco já era. perfeitamente. porque os outros constituintes ficam meio apagados. fiz questão de botar isso porque a outra( fibrosa) não tem e menos sujeita a processos degenerativos. assim como o músculo cardíaco. aí lesou o tecido cartilaginoso. mas o objetivo é mostrar a única diferença. O corante ideal para corar as fibras elásticas é a orceína ou Weigert. o pericôndrio muitas vezes salva. oxigênio e morre. se for uma lesão no adulto aí depende. E lá na anatomia. Então quando a regeneração é numa criança fica perfeito. beleza. Agora o inconveniente é que quando você coloca esse corante só vai da pra mostrar as fibras. onde cartilaginoso ainda ta se formando.A coloração amarelada na anatomia é significativo de predominância de fibras elásticas. Músculo cardíaco morreu conjuntivo invadiu e tampou aquele buraco. A única diferença da cartilagem elástica é que a mais na matriz eu tenho fibras elásticas. Degeneração aí é patologia. Aqui (slide). botaram o corante só pra corar as fibras. Aí você consegue ver as fibras. que cora as fibras elásticas de marrom. que é o nosso. Quando agente fala em regeneração ela depende para ocorrer. vai ver aquela mesma figura (semelhante a hialina) que eu mostrei pra vocês. Comparando com a elástica quase num tem diferença nenhuma. Esses cristais de cálcio vão se depositar aqui e vão interromper a nutrição do condrócito porque o condrócito recebe nutrientes através aqui da matriz. não vai conseguir que haja a produção de novo cartilaginoso. é desejável no esqueleto fetal e no disco epifisário. é cicatriz. E aqui no cartilaginoso depende. tudo que predomina fibra elástica vai ter coloração amarelada. Então quando eu vejo uma coisa amarelada lá na anatomia eu desconfio que tem muitas fibras elásticas. Então numa criança se lesou células do músculo cardíaco regenera. agora se for no adulto depende do tamanho da lesão. porque aí é indesejável. A degeneração ocorre por deposição de cristais de hidroxiapatita que vão interromper a nutrição dos condrócitos que morrem e deixam esse espaço pra ocorrer a formação do tecido ósseo. Então a regeneração depende da idade e da extensão da lesão.

onde eu encontro um pouquinho a mais de substância fundamental amorfa é junto das lacunas formando as cápsulas. segunda coisa o colágeno é o tipo I. Mas o objetivo não é o condrócito. aqui tem núcleos de condrócitos e aqui num tem mais. os condrócitos morreram e vão deixar espaço para a formação do tecido ósseo. E o que tem de diferente na cartilagem fibrosa. essa grande quantidade de fibras elásticas. só uma introdução para o tecido ósseo. E aqui. Aquela história que é um intermediário entre o tecido conjuntivo propriamente dito e o cartilaginoso. Na cartilagem hialina e elástica quando eu coloco HE. então não se preocupem em procurar o condrócito. tem que se preocupar em ver essas fibras pretinhas aqui. porque essa matriz sofreu calcificação. Primeira coisa. Aqui não é adequado. . ta na forma de fibrilas? NÃO. Tendo pequena quantidade de substância fundamental amorfa. (No slide) os condrócitos aqui vivinhos e aqui mortos. vejo a matriz roxinha. Então o que ta mostrando aqui. mostrando porque o cartilaginoso no disco epifisário e no esqueleto fetal morre pra formar osso. não são como os outros tipos de cartilagem.quanto mais na elástica. aí quando eu coloco na fibrocartilagem eu vejo rosinha. então na matriz. eles estão em fileiras. só vão chamar de cartilagem seriada no disco epifisário. não tem pericôndrio. é rosinha mostrando que o que predomina é o colágeno e olha os condrócitos em fileirinha. essa matriz sofreu calcificação e os condrócitos morreram. Não são daquele jeito formando grupos exógenos assim. então o que é que predomina na matriz se eu vejo rosa? Colágeno. são mais resistentes as pressões e os condrócitos estão em fileiras. por causa do corante. os condrócitos estão na lacuna. Eu consigo ver o colágeno porque ele ta na forma de fibras ou feixe de fibras. (No slide) Olha a cartilagem fibrosa nada haver com roxo. só que vocês na vão chamar de cartilagem seriada. os grupos isógenos são as fileiras.