You are on page 1of 42
Bacharelado em Engenharia Ambiental Ecologia Aquática Peixes Prof. Emanuel Teixeira da Silva

Bacharelado em Engenharia Ambiental Ecologia Aquática

Bacharelado em Engenharia Ambiental Ecologia Aquática Peixes Prof. Emanuel Teixeira da Silva

Peixes

Prof. Emanuel Teixeira da Silva

Peixes

Peixe: nome genérico dado a uma grande variedade de animais

vertebrados aquáticos; duas divisões principais:

1. Peixes ósseos (Osteichthyes): esqueleto ósseo; maior parte dos peixes de água doce;

duas divisões principais: 1. Peixes ósseos ( Osteichthyes ): esqueleto ósseo; maior parte dos peixes de
duas divisões principais: 1. Peixes ósseos ( Osteichthyes ): esqueleto ósseo; maior parte dos peixes de

Peixes

Peixe: nome genérico dado a uma grande variedade de animais

vertebrados aquáticos; duas divisões principais:

1. Peixes ósseos (Osteichthyes): esqueleto ósseo; maior parte dos peixes de água doce;

2. Peixes cartilaginosos (Chondrichthyes): esqueleto cartilaginoso

ósseo; maior parte dos peixes de água doce; 2. Peixes cartilaginosos ( Chondrichthyes): esqueleto cartilaginoso
ósseo; maior parte dos peixes de água doce; 2. Peixes cartilaginosos ( Chondrichthyes): esqueleto cartilaginoso

Peixes - características comuns

Respiração branquial Brânquias: conjuntos de lâminas de pele finas (lamelas), que permitem a troca de gases com o sangue.

branquial – Brânquias : conjuntos de lâminas de pele finas ( lamelas ), que permitem a
branquial – Brânquias : conjuntos de lâminas de pele finas ( lamelas ), que permitem a

Peixes - características comuns

Respiração branquial Brânquias: conjuntos de lâminas de pele finas (lamelas), que permitem a troca de gases com o sangue.

branquial – Brânquias : conjuntos de lâminas de pele finas ( lamelas ), que permitem a
branquial – Brânquias : conjuntos de lâminas de pele finas ( lamelas ), que permitem a

Peixes - características comuns

Linha lateral: agrupamentos de estruturas mecanorreceptoras

associadas a nervos (neuromastos), localizados na cabeça de

laterais do corpo, que detectam as diferenças de pressão na água.

a nervos ( neuromastos ), localizados na cabeça de laterais do corpo, que detectam as diferenças
a nervos ( neuromastos ), localizados na cabeça de laterais do corpo, que detectam as diferenças

Peixes - características comuns

Linha lateral: agrupamentos de estruturas mecanorreceptoras

associadas a nervos (neuromastos), localizados na cabeça de

laterais do corpo, que detectam as diferenças de pressão na água.

a nervos ( neuromastos ), localizados na cabeça de laterais do corpo, que detectam as diferenças

Peixes ósseos (Osteíctes)

Grupo de vertebrados mais numeroso e diversificado cerca

de 25.000 espécies viventes;

Apresentam grande variedade de adaptações anatômicas, fisiológicas, comportamentais e ecológicas.

viventes; • Apresentam grande variedade de adaptações anatômicas, fisiológicas, comportamentais e ecológicas.
viventes; • Apresentam grande variedade de adaptações anatômicas, fisiológicas, comportamentais e ecológicas.

Peixes ósseos características gerais

Pele em geral coberta por escamas ósseas, em formato de

lâminas, não substituídas quando perdidas;

gerais • Pele em geral coberta por escamas ósseas , em formato de lâminas, não substituídas

Peixes ósseos características gerais

Algumas espécies possuem placas ósseas, ou pele nua (couro).

Peixes ósseos – características gerais • Algumas espécies possuem placas ósseas, ou pele nua (couro).
Peixes ósseos – características gerais • Algumas espécies possuem placas ósseas, ou pele nua (couro).

Peixes ósseos características gerais

Nadadeiras (pares e ímpares) com raios ósseos

Peixes ósseos – características gerais • Nadadeiras (pares e ímpares) com raios ósseos

Peixes ósseos características gerais

Dentes variados na forma e função, não repostos; hábitos

alimentares variados.

Dentes cônicos, filiformes, placas dentígeras etc.

forma e função, não repostos; hábitos alimentares variados. – Dentes cônicos, filiformes, placas dentígeras etc.

Peixes ósseos características gerais

Muitas espécies possuem hábito gregário (formação de

cardumes defesa, obtenção de alimento e reprodução).

Muitas espécies possuem hábito gregário (formação de cardumes – defesa, obtenção de alimento e reprodução).
Muitas espécies possuem hábito gregário (formação de cardumes – defesa, obtenção de alimento e reprodução).

Peixes ósseos características gerais

Flutuação: vesícula de gás ou Bexiga natatória órgão especializado para acumular gás.

gerais • Flutuação: vesícula de gás ou Bexiga natatória – órgão especializado para acumular gás.

Peixes ósseos características gerais

Flutuação: vesícula de gás ou Bexiga natatória órgão especializado para acumular gás.

Peixes Fisóstomos: bexiga tem ligação com o tubo digestivo ducto pneumático; bexiga pode ser utilizada na respiração;

ducto pneumático ; bexiga pode ser utilizada na respiração; – Peixes Fisóclistos : bexiga sem ducto

Peixes Fisóclistos: bexiga sem ducto pneumático.

Peixes ósseos características gerais

Respiração branquial - Brânquias numa câmara recoberta pelo opérculo;

ósseos – características gerais • Respiração branquial - Brânquias numa câmara recoberta pelo opérculo ;

Peixes ósseos características gerais

Respiração aérea acessória peixes que vivem em águas com baixas taxas de oxigênio (ex. águas tropicais) -> possuem estruturas

respiratórias acessórias:

Lábios aumentados;

Porções do estômago e intestinos;

-> possuem estruturas respiratórias acessórias: – Lábios aumentados; – Porções do estômago e intestinos;
-> possuem estruturas respiratórias acessórias: – Lábios aumentados; – Porções do estômago e intestinos;
-> possuem estruturas respiratórias acessórias: – Lábios aumentados; – Porções do estômago e intestinos;

Peixes ósseos características gerais

Respiração aérea acessória peixes que vivem em águas com

baixas taxas de oxigênio (ex. águas tropicais) -> possuem estruturas

respiratórias acessórias:

Bexiga natatória vascularizada: Peixes fisóstomos (ducto pneumático)

estruturas respiratórias acessórias: • Bexiga natatória vascularizada: Peixes fisóstomos (ducto pneumático)

Peixes ósseos características gerais

Respiração aérea obrigatória brânquias sozinhas não podem

suprir as necessidades respiratórias dos peixes, mesmo quando a

água está saturada de oxigênio:

respiratórias dos peixes, mesmo quando a água está saturada de oxigênio: • Poraquês e muçuns: cavidade
respiratórias dos peixes, mesmo quando a água está saturada de oxigênio: • Poraquês e muçuns: cavidade

Poraquês e muçuns: cavidade bucal;

respiratórias dos peixes, mesmo quando a água está saturada de oxigênio: • Poraquês e muçuns: cavidade

Peixes ósseos características gerais

Respiração aérea obrigatória brânquias sozinhas não podem

suprir as necessidades respiratórias dos peixes, mesmo quando a

água está saturada de oxigênio:

Órgão Labirinto: câmaras vascularizadas na porção caudal da cabeça (Anabantídeos betas e beijadores)

• Órgão Labirinto : câmaras vascularizadas na porção caudal da cabeça (Anabantídeos – betas e beijadores)
• Órgão Labirinto : câmaras vascularizadas na porção caudal da cabeça (Anabantídeos – betas e beijadores)
• Órgão Labirinto : câmaras vascularizadas na porção caudal da cabeça (Anabantídeos – betas e beijadores)

Peixes ósseos características gerais

Respiração aérea obrigatória brânquias sozinhas não podem

suprir as necessidades respiratórias dos peixes, mesmo quando a

água está saturada de oxigênio:

Pulmões: presentes nos “peixes pulmonados” (Pirambóia).

mesmo quando a água está saturada de oxigênio: • Pulmões : presentes nos “peixes pulmonados” (Pirambóia).
mesmo quando a água está saturada de oxigênio: • Pulmões : presentes nos “peixes pulmonados” (Pirambóia).

Peixes ósseos reprodução

Maior diversidade de modos reprodutivos entre os vertebrados;

Dimorfismo sexual comum, e também reversão sexual;

Comportamentos de côrte elaborados;

entre os vertebrados; • Dimorfismo sexual comum, e também reversão sexual; • Comportamentos de côrte elaborados;
entre os vertebrados; • Dimorfismo sexual comum, e também reversão sexual; • Comportamentos de côrte elaborados;
entre os vertebrados; • Dimorfismo sexual comum, e também reversão sexual; • Comportamentos de côrte elaborados;

Peixes ósseos reprodução

Maior parte das espécies é ovípara com fecundação externa,

colocando ovos adesivos sobre rochas ou plantas, cascalho ou

areia.

espécies é ovípara com fecundação externa , colocando ovos adesivos sobre rochas ou plantas, cascalho ou
espécies é ovípara com fecundação externa , colocando ovos adesivos sobre rochas ou plantas, cascalho ou

Peixes ósseos reprodução

Os ovos podem ser colocados em ninhos, ou então, próximos,

sobre ou mesmo no interior de outros organismos, que protegem

os ovos.

ser colocados em ninhos, ou então, próximos, sobre ou mesmo no interior de outros organismos, que
ser colocados em ninhos, ou então, próximos, sobre ou mesmo no interior de outros organismos, que

Peixes ósseos reprodução

Os pais também podem carregar os ovos - sobre suas nas

nadadeiras; sob seus lábios; sobre áreas da pele e bolsas;

eventualmente no interior de suas bocas ou cavidades branquiais cuidado parental.

sobre áreas da pele e bolsas; eventualmente no interior de suas bocas ou cavidades branquiais –
sobre áreas da pele e bolsas; eventualmente no interior de suas bocas ou cavidades branquiais –

Peixes ósseos reprodução

Cuidado parental - frequentemente um ou ambos os pais cuidam

dos ovos e algumas vezes dos jovens por períodos variáveis após o

seu nascimento.

um ou ambos os pais cuidam dos ovos e algumas vezes dos jovens por períodos variáveis
um ou ambos os pais cuidam dos ovos e algumas vezes dos jovens por períodos variáveis

Peixes importância ecológica

Participação nas cadeias alimentares aquáticas -> fluxo de matéria e

energia; controle populacional de presas.

Participação nas cadeias alimentares aquáticas -> fluxo de matéria e energia; controle populacional de presas.

Peixes importância ecológica

Em ambientes de água doce: controle de macrófitas aquáticas.

Exemplos: carpa capim (Ctenopharyngodon idella) e tilápias (Tilapia spp.); podem apresentar seletividade no consumo das plantas.

spp.); podem apresentar seletividade no consumo das plantas. • Algumas espécies podem também revolver os sedimentos
spp.); podem apresentar seletividade no consumo das plantas. • Algumas espécies podem também revolver os sedimentos

Algumas espécies podem também revolver os sedimentos do fundo, liberando nutrientes, mas também aumentando a turbidez

da água.

Peixes e a espécie humana

O homem participa das cadeias alimentares aquáticas através da

pesca.

Pesca tradicional: uso dos peixes como fonte de alimento remonta à milhares de anos.

aquáticas através da pesca . – Pesca tradicional: uso dos peixes como fonte de alimento remonta
aquáticas através da pesca . – Pesca tradicional: uso dos peixes como fonte de alimento remonta

Peixes e a espécie humana

Pesca industrial -> superexploração -> diminuição dos estoques

naturais (declínio e extinção) -> impactos ecológicos/econômicos.

e extinção) -> impactos ecológicos/econômicos. • Redução em mais de 80% das populações de atum,
e extinção) -> impactos ecológicos/econômicos. • Redução em mais de 80% das populações de atum,

Redução em mais de 80% das populações de atum, tubarões e

peixe-espada -> busca por novas espécies para exploração.

Peixes e a espécie humana

A pesca também pode ser atividade de recreação, tanto em

ambientes naturais como em cativeiro (“pesque-pagues”).

tanto em ambientes naturais como em cativeiro (“pesque - pagues”). • Necessidade de regulamentação legal.
tanto em ambientes naturais como em cativeiro (“pesque - pagues”). • Necessidade de regulamentação legal.
tanto em ambientes naturais como em cativeiro (“pesque - pagues”). • Necessidade de regulamentação legal.

Necessidade de regulamentação legal.

Peixes e a espécie humana

Piscicultura: alternativa à pesca (preservação dos estoques naturais)

e para a crescente demanda de proteína animal; Finalidades:

Alimentação e comércio;

estoques naturais) • e para a crescente demanda de proteína animal; Finalidades: – Alimentação e comércio;

Peixes e a espécie humana

Piscicultura: alternativa à pesca (preservação dos estoques naturais)

e para a crescente demanda de proteína animal; Finalidades:

Alimentação e comércio;

Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais);

de proteína animal; Finalidades: – Alimentação e comércio; – Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais);
de proteína animal; Finalidades: – Alimentação e comércio; – Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais);

Peixes e a espécie humana

Piscicultura: alternativa à pesca (preservação dos estoques naturais)

e para a crescente demanda de proteína animal; Finalidades:

Alimentação e comércio;

Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais);

Lazer (pesque-pagues)

Finalidades: – Alimentação e comércio; – Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais); – Lazer (pesque-pagues)
Finalidades: – Alimentação e comércio; – Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais); – Lazer (pesque-pagues)

Peixes e a espécie humana

Piscicultura: alternativa à pesca (preservação dos estoques naturais)

e para a crescente demanda de proteína animal;

Finalidades:

Alimentação e comércio;

Ornamentação (aquarismo/lagos artificiais);

Lazer (pesque-pagues)

Fins científicos e didáticos.

Lazer (pesque-pagues) – Fins científicos e didáticos. • Necessidade de regulamentação, conhecimento técnico

Necessidade de regulamentação, conhecimento técnico e utilização racional da água.

Peixes e a espécie humana

Piscicultura no Brasil

Grande crescimento a partir dos anos 1990:

aquícola.
aquícola.

Piscicultura de água doce: 65,8% da produção

Peixes e a espécie humana

Piscicultura no Brasil - Espécies mais exploradas:

humana Piscicultura no Brasil - Espécies mais exploradas: carpas t i l á p i a

carpas

Piscicultura no Brasil - Espécies mais exploradas: carpas t i l á p i a s

tilápias

- Espécies mais exploradas: carpas t i l á p i a s tambacu Truta arco-íris

tambacu

mais exploradas: carpas t i l á p i a s tambacu Truta arco-íris tambaqui pacu

Truta arco-íris

carpas t i l á p i a s tambacu Truta arco-íris tambaqui pacu Roubach et

tambaqui

carpas t i l á p i a s tambacu Truta arco-íris tambaqui pacu Roubach et

pacu

Roubach et al. (2003); Boscardin (2008)

Peixes e a espécie humana

Piscicultura no Brasil

Grande número de espécies nativas com potencial para exploração comercial;

Limitação: falta de conhecimento técnico.

para exploração comercial; • Limitação: falta de conhecimento técnico. Teixeira Filho (1991); Boscardin (2008)

Teixeira Filho (1991); Boscardin (2008)

Peixes e a espécie humana

Introduções de espécies exóticas de peixes impactos ambientais

Papel importante no desenvolvimento da aquicultura (técnicas de produção já conhecidas);

Problemática: características zootecnicamente favoráveis X

potencial invasor.

zootecnicamente favoráveis X potencial invasor. • Carpas, tilápias e trutas: amplamente difundidas
zootecnicamente favoráveis X potencial invasor. • Carpas, tilápias e trutas: amplamente difundidas
zootecnicamente favoráveis X potencial invasor. • Carpas, tilápias e trutas: amplamente difundidas

Carpas, tilápias e trutas: amplamente difundidas -> entre as 100 piores espécies invasoras no mundo.

Peixes e a espécie humana

Introduções de espécies exóticas de peixes impactos ambientais

Grande ameaça à biodiversidade - podem ser impossíveis de remoção;

Sempre deixam impactos negativos sobre as comunidades locais:

Cruzamento com espécies nativas, ameaçando os recursos genéticos naturais;

Distúrbios nos habitats (impactos sobre a vegetação e turbidez);

Predação de espécies nativas;

Competição com espécies nativas;

Introdução de patógenos

Peixes e a espécie humana

Introduções de espécies exóticas de peixes impactos ambientais

Impactos diretos e indiretos sobre a população humana ex. arraias de água doce introduzidas em rios de são Paulo.

diretos e indiretos sobre a população humana – ex. arraias de água doce introduzidas em rios
diretos e indiretos sobre a população humana – ex. arraias de água doce introduzidas em rios

Peixes e a espécie humana

Introduções de espécies exóticas de peixes impactos ambientais

Impactos diretos e indiretos sobre a população humana ex. arraias de água doce introduzidas em rios de são Paulo.

Possuem espinhos venenosos na cauda, que podem causar feridas

e inchaços afugentamento de turistas em praias de água doce.

espinhos venenosos na cauda, que podem causar feridas e inchaços – afugentamento de turistas em praias