4

EMPREGOS&NEGÓCIOS
Tron Infomática /Divulgação

SALVADOR DOMINGO 17/7/2011

Gestor de projetos possui uma extensa área de atuação
AMANDA PALMA

CARREIRA Profissional precisa ter habilidades específicas e ganha, em média, R$ 5 mil

ONDE TEM ESPECIALIZAÇÃO EM GERENCIAMENTO
UNIFACS – A universidade oferece o curso de MBA em gerenciamento de projetos. Mais informações: 3271-8781 UCSAL – A universidade oferece o curso de MBA em gerenciamento de projetos. Mais informações: (71) 3203-8998 UNIJORGE – A faculdade oferece especialização em gerenciamento de projetos. Mais informações: (71) 3534.8000

brasileiro para este profissional teve muitos ganhos nos últimos anos. “O cenário econômico do País favorece os investimentos em grandes eventos como as Olimpíadas, a Copa do Mundo, e tudo isso precisa de um profissional que consiga estabelecer metas que sejam cumpridas em determinado prazo”, diz. Cristina Serravale acrescenta que isso motivou a abertura de novos cursos. “Há dez anos só haviam um ou dois cursos que ofereciam alguma formação para gestor, hoje o número é mais que o dobro”, diz a gerente. Em Salvador, três faculdades oferecem especializações na área: as universidades Salvador (Unifacs) e Católica (Ucsal), e o Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge). Segundo Cristina, estes profissionais são mais absorvidos pelas grandes empresas, mas também têm espaço nas pequenas empresas, e por conta disso, existe uma variação grande na remuneração destes profissionais. Ela pode ser determinada, por exemplo, pelo tema que envolve o projeto. Na Bahia, o sa-

lário para a área de tecnologia da informação, por exemplo, varia de R$ 5 mil a R$ 10 mil, contra a variação de R$ 6 mil a R$ 8 mil para a área de engenharia. A função do gestor é analisar a viabilidade do projeto idealizado pela empresa, a partir da identificação do que é necessário para realizá-lo, dos recursos humanos aos financeiros. Para a gerente de projetos internacionais da IBM, Edna Campos, o desafio é ainda maior: ela trabalha com profissionais espalhados em diversos países (Estados Unidos, Argentina, Índia) e exerce todas essas funções virtualmente (telefone e e-mail). Parece impossível, mas ela mostra que não é. “Comparo o meu trabalho à situação de um cego, pois não tenho como comprovar o que os meus colegas estão realizando, de fato. Mas com o tempo aprendi a desenvolver outros sentidos da comunicação, como as reações pelo tom de voz. O grande elemento para que dê certo é a confiança”, explica gerente de projetos da IBM.

Desafios

Novos cursos

Melo diz que profissional pode atuar em qualquer organização

Já pensou organizar um projeto idealizado por outra pessoa e ganhar bem por isso? A proposta é tentadora e define a realidade do gestor ou gerente de projetos de empresa, que ganha, em média, R$ 5 mil. No entanto, ser um profissional que consegue agregar valores e habilidades para concretizar uma

ideia não é uma tarefa tão simples, explica o gerente de projetos Marsal Melo. “O profissional pode atuar em qualquer organização, sem ter um conhecimento sobre o tema do projeto, mas deve entender como administrá-lo de maneira que o projeto possa ser viável”, diz. E foi isso que o motivou a ingressar na carreira. Com formação técnica em análise de sis-

temas, Melo começou a se interessar pela parte administrativa dos softwares que desenvolvia. “Gostei de montar o projeto e atender às necessidades dos clientes, aí resolvi fazer o MBA em gerenciamento de projetos”, conta. A presidente do Project Management Institute (PMI) na Bahia, Cristina Serravale, no Estado, afirma que apesar do car-

go não exigir uma formação, todo profissional que pretende seguir na carreira deve ter, no mínimo, uma pós-graduação na área. “As empresas preferem os profissionais qualificados pois diminuem os riscos de seus projetos darem errado. Nenhuma organização quer jogar dinheiro fora”, ressalta Cristina. Atuando na área há quase 20 anos, ela avalia que o mercado
Gildo Lima / Ag. A TARDE

Profissionais são avaliados para obter certificação internacional
Assim como os advogados comprovam os seus conhecimentos no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), os profissionais de gestão de projetos são avaliados na prova de certificação do Project Management Professional (PMP). O exame é realizado pelo Project Management Institute (PMI) em todo o mundo. Para Nilton Toledo, que fundou a primeira filial do PMI no Brasil em 1998, após a certificação dos profissionais, houve uma mudança significativa no mercado. “Antes o gestor de projetos fazia o seu trabalho baseando-se na intuição, e a partir daí, teve que buscar se especializar no assunto”, afirma. Foi o que aconteceu com a gerente de projetos internacionais da IBM, Edna Campos, que atua na área há 28 anos, mas só em 2000 foi certificada. Ela conta que começou a atuar como gestora sem saber que era, até conhecer o PMI. “Comecei a buscar uma metodologia para usar no trabalho, aí descobri a formação e me certifiquei depois”, diz. Edna afirma que o certificado é uma forma de garantir uma vaga no mercado de trabalho, além de ser uma forma de reconhecimento. A presidente do Project Management Institute (PMI) na Bahia, Cristina Serravale, explica que a especialização em gerenciamento não é um pré-requisito para o profissional obter a certificação internacional. “Qualquer pessoa pode fazer, independentemente de sua formação”, diz. A próxima certificação acontece em setembro. A prova tem 200 questões e duração de quatro horas.
INFORMAÇÕES: (71) 3481-1747

“Qualquer pessoa pode fazer (a prova para a certificação), independentemente de sua formação”
CRISTINA SERRAVALE, do PMI/Bahia

Cristina Serravale, presidente do PMI na Bahia, explica que a especialização não é um pré-requisito para a certificação internacional

A prorrogação legal da jornada depende de ACT, CCT ou acordo individual escrito
ela quer que eu assine uma advertência. O que posso fazer? ANÔNIMO Resposta: Para que a ampliação da jornada de trabalho seja considerada regular, é necessário que haja previsão em convenção ou acordo coletivo de trabalho, ou ainda em acordo individual escrito (Art. 59 da CLT). Somente se ocorrer necessidade imperiosa e para a qual o patrão não interferiu é que será possível a dispensa de tais requisitos. Ainda assim, o empregado terá direito a receber adicional por horas extras, de, pelo menos, 50% a mais do que percebe na jornada normal de trabalho. Já o trabalho aos domingos depende da atividade da empresa. De fato, se esta funcionar nos fins de semana, como é o caso de supermercados, casas de diversão etc., será possível exigir o labor em tal dia. Entretanto, o patrão estará obrigado a conceder o repouso semanal em outro dia da semana, pois se trata de direito indisponível. Nessa linha, a falta ao serviço pode autorizar o exercício do poder disciplinar, com a aplicação de advertência escrita pelo patrão. Ocupo cargo no Reda de nível médio, para a Prefeitura de Salvador. Deverá terminar em 4 meses. Descobri que estou com uma doença grave. Como fica a minha situação? O contrato poderá ser prorrogado? Se algum dia passar num concurso poderei ser aceita? Quais os direitos que tenho com o Reda? ANÔNIMA Resposta: O seu vínculo com a administração pública municipal não é regido pela CLT, já que o Reda (regime especial de direito administrativo) é um contrato por prazo determinado criado por norma pública específica. Dispensa realização de prévio concurso público para ingresso do servidor, pois busca atender necessidade temporária de excepcional interesse público. Mesmo se o servidor vier a contrair doença que o afaste de suas atividades após o início do contrato, este não poderá ser prorrogado. Os dois contratantes já sabiam, desde o início, quando seria a extinção do contrato, prazo esse que não se amplia em razão da enfermidade do servidor. Por outro lado, de antemão não existiria óbice para sua contratação caso seja aprovado em concurso público no futuro, salvo se houver qualquer restrição no respectivo edital. Por último, os direitos a que faz jus estão fixados na norma municipal que instituiu o Reda, sendo sabido, repita-se, que a ele não se aplica o conjunto normativo dirigido aos empregados de forma geral.

Direito do trabalho Jairo Sento-Sé
Procurador regional do Trabalho da 5ª Região e professor de Direito do Trabalho da Ufba e da Ucsal
direitodotrabalho@grupoatarde.com.br

Todos os dias tenho que fazer horas extras. Quando saio já não tem condução disponível, o lugar é perigoso e não dá para esperar ônibus. Além disso, a empresa exige que eu trabalhe aos domingos. Faltei um dia e

Mesmo que o servidor contratado pelo Reda vier a contrair doença, o contrato não poderá ser prorrogado

Fixação de novo teto previdenciário tem aplicação retroativa
Resposta: Não, nem todos os aposentados têm direito a essas diferenças, mas, apenas, aqueles que se aposentaram pelo teto previdenciário antes das publicações da Lei 8.213/91 e das emendas constitucionais 20/1998 e 41/2003 e que deveriam ter seus benefícios reajustados automaticamente. É importante dizer que a questão foi decidida pelo STF, nos autos do Recurso Extraordinário 564.354 SE, no Plenário de 08-09-2010. Para a maioria dos ministros do STF, não ofende o ato jurídico perfeito a aplicação retroativa das normas que majoram os benefícios previdenciários limitados pelo teto do regime geral da Previdência Social. E isso aconteceu porque a norma instituidora do teto previdenciário, não proibiu a sua aplicação retroativa. Assim, como disse o ministro Ayres Britto, “os já aposentados, segundo um texto vigente à época da aposentadoria, são catapultados para o novo teto automaticamente”. Por conta de tais argumentos o STF garantiu àqueles que se aposentaram pelo teto previdenciário que antecedeu a Lei 8.213/91 e as ECs 20/1998 e 41/2003 o direito de receber as diferenças que ejetaram os seus benefícios para o valor correspondente ao teto criado pelas normas posteriores. Imagine-se um empregado contratado por experiência por 90 dias que, durante o transcurso desse período, sofre acidente de trabalho. Que acontecerá se o período de afastamento para a fruição de auxílio-doença extrapolar os limites temporais do contrato por tempo determinado? MARIA DA CONCEIÇÃO Resposta: A rigor, se as partes acertaram que o período do afastamento não haveria de ser computado na contagem do prazo para a terminação do ajuste, o trabalhador teria de cumprir o tempo que faltava para findar o contrato de experiência. Diferentemente, se as partes nada ajustaram sobre o assunto – o que, aliás, costuma acontecer – o contrato estará extinto na data aprazada, uma vez que o período de afastamento será computado na contagem do prazo para a terminação. É importante observar, contudo, que há posicionamento jurisprudencial, que a cada dia se firma mais, no sentido de que, diante de acidentes de trabalho, o período de afastamento há de ser entendido como tempo de serviço efetivo, nos termos do Art. 4º da CLT. Diante disso, se o tempo de afastamento superar o limite final do contrato de experiência, será ele considerado, a partir da extrapolação, como um contrato por tempo indeterminado. Nesse caso, vigando o entendimento jurisprudencial ora mencionado, o trabalhador, além de passar a ter direito ao aviso prévio para fins de desligamento, fruirá também da estabilidade prevista no Art. 118 da Lei 8.213/91.

Direito previdenciário Luciano Martinez
Juiz do Trabalho, professor de Direito do Trabalho e Previdenciário da UFBA
direitoprevidenciario@grupoatarde.com.br

Há notícias sobre diferenças devidas a aposentados e pensionistas resultantes da revisão do teto previdenciário. Isso beneficia todos os aposentados? PEDRO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful