Sobre três coisas deve-se tomar nota: a parte mais baixa do amor é o sexo - que é meramente físico ± e o refinamento

do amor é a compaixão. O sexo está abaixo do amor; o amor está abaixo da compaixão; o ele está exatamente no meio. Poucas pessoas sabem o que é o amor. Noventa e nove porcento das pessoas pensam, infelizmente, que a sexualidade é amor ± isso não é verdade. A sexualidade é muito animal; ela tem, certamente, o potencial de crescer e se tornar amor, mas não é amor de verdade, apenas um potencial. Se você se torna presente e alerta, meditativo, então o sexo pode ser transformado em amor. E se sua meditatividade se torna total, absoluta, então o amor pode ser transformado em compaixão. O sexo é a semente, o amor é a flor, a compaixão é a fragrância. Buddha definiu a compaixão como amor mais meditação. Quando seu amor não é apenas um desejo pelo outro, quando não é apenas uma necessidade, quando seu amor é um compartilhar, quando não é o amor de um mendigo, mas de um imperador, quando seu amor não pede nada em retorno e está sempre pronto para dar ± dar pelo simples prazer de dar - então adicione a isso meditação e a pura fragrância será liberada. Isso é compaixão; a compaixão é o fenômeno mais alto. O que nós chamamos amor é, na verdade, o amplo espectro do relacionamento, atingindo da terra ao céu. No nível mais terreno, o amor é atração sexual. Muitos de nós fica preso ai, pois nossos condicionamentos encheram nossa sexualidade com todos os tipos de expectativas e repreensões. Na verdade, o maior ³problema´ com o amor sexual é que ele não dura para sempre. Apenas se aceitamos esse fato poderemos celebrá-lo pelo que ele é ± de boas-vindas aos seus acontecimentos e diga adeus com gratidão quando é chegada sua hora. Então, ao passo que amadurecemos, começamos a experimentar o amor que existe além da sexualidade e que honra a individualidade única do outro. Começamos a entender que o parceiro geralmente funciona como um espelho, refletindo os aspectos não vistos de nosso eu interior e nos auxiliando a se tornar plenos.

Esse amor é baseado em liberdade, n ão em expectativas ou necessidades. Suas assas nos levam mais alto e mais alto, em direção ao amor que experiencia tudo como uno.