P. 1
Vitamin As

Vitamin As

|Views: 73|Likes:
Published by Ana Carla

More info:

Published by: Ana Carla on Aug 14, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/09/2013

pdf

text

original

Vitaminas

Tecnologia de Alimentos

Vitaminas 
As vitaminas são substâncias orgânicas necessárias em pequenas quantidades como coenzimas ou enzimas, em processos metabólicos distintos que são fundamentais para o funcionamento normal do organismo.  Em condições normais, o seu aporte ao organismo faz-se, basicamente, através da ingestão de alimentos.  Porém, existem situações em que os requisitos vitamínicos não são supridos e, logo, justificam a sua utilização terapêutica.

Avitaminose
‡ A avitaminose é um processo que se desenvolve progressivamente, até ao esgotamento das reservas vitamínicas, acompanhado por alterações bioquímicas, funcionais e, por último, lesões anatómicas

Importância das Vitaminas
Benefício da administração de doses terapêuticas de vitaminas no tratamento de:
‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ inflamações e dor, determinados tipos de anemia, algumas alopecias, hemorragias, consolidação de fraturas, algumas perturbações oculares e auditivas, como antioxidantes para a prevenção de perturbações crônicas degenerativas.

.

. axeroftol ‡ Vitamina Lipossolúvel ‡ Ocorre sob duas formas principais: a) Retinol (fontes animais) b) Carotenóides (fontes vegetais) ² conferem aos frutos e vegetais a sua cor amarela ou laranja.Vitamina A ‡ Sinónimos: Retinol.

‡ O retinol = pode ser encontrada no fígado. gema de ovo. espinafres e bróculos). alperces e melões.Vitamina A Principais fontes na natureza : ‡ O beta-caroteno = cenoura.ex. . os vegetais de folhas verde escuro e amarelas (p. abóboras.

 Perda de atividade pelo calor. ‡ O beta-caroteno é uma das vitaminas mais estáveis em vegetais. ± Têm sido documentadas perdas pelo cozimento de 25%. . mas apenas após fervura por um período longo.  Oxidação pela luz.Vitamina A Estabilidade ‡ A vitamina A é sensível:  Oxidação pelo ar.

incluindo os seguintes:  Doenças e infecções.  Baixas quantidades de gordura na dieta interferem com a absorção tanto de vitamina A como de carotenóides. deste modo um estado adequado de vitamina E protege o estado da vitamina A.  A ingestão crônica e em excesso de álcool pode comprometer o armazenamento da vitamina A no fígado. resultando. em anemia. um estado de pobreza em vitamina A diminui a resistência às doenças.Vitamina A ‡ Principais Interações O nível de vitamina A pode ser influenciado por vários fatores.  As alterações no metabolismo do ferro ocorrem associadas à deficiência em vitamina A. especialmente o sarampo. reciprocamente. . por vezes.  A vitamina E protege a vitamina A da oxidação. comprometem o estado da vitamina A e.

.  crescimento adequado.  diferenciação dos tecidos.Vitamina A ‡ Funções A vitamina A é essencial para:  visão.

Vitamina A ‡ Visão ± Os bastonetes. o qual é um complexo da proteína opsina e da vitamina A. Estes estímulos são depois traduzidos numa imagem composta a qual nós ´vemosµ. ± Estas células contém um pigmento sensível à luz chamado púrpura visual (rodopsina). é formada nova rodopsina nas células visuais a partir da opsina e da vitamina A. . ± Quando um bastonete é exposto à luz. as células visuais receptoras de luz na retina do olho permitem-nos distinguir entre a luz e a escuridão. libertando cargas elétricas para o cérebro. a púrpura visual desintegra-se. ± Ao mesmo tempo.

acompanhado por um retardamento do crescimento.Vitamina A ‡ Crescimento A vitamina A tem um papel importante no crescimento normal e no desenvolvimento. ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) Homens: 5. Um dos primeiros sinais de deficiência de vitamina A nos animais é a perda de apetite.000 IU Mulheres: 4.000 IU .

É a principal causa de cegueira na infância e.  O surgimento de lesões na pele (hiperqueratose folicular) tem também sido utilizado como um indicador inicial de um estado inadequado de vitamina A.  As doenças podem induzir a deficiência de vitamina A. as quais interferem com a absorção e utilização da vitamina A. ou uma capacidade diminuída para ver na penumbra.  A deficiência em vitamina A é a mais generalizada e a mais grave nas crianças. especialmente nos países pobres. .Vitamina A ‡ Deficiência  Um dos sintomas iniciais de deficiência em vitamina A é a cegueira nocturna. combinada com outros factores. uma doença chamada xeroftalmia. é associada a elevadas taxas de mortalidade infantil. tais como uma mal nutrição proteico-calórica e a crescente ocorrência de infecções. mais especificamente as doenças hepáticas e gastro-intestinais.  A deficiência grave produz cegueira parcial ou total.

Vitamina A ‡ Segurança ± A vitamina A (enquanto retinol) é armazenada no fígado. a qual é reversível após a cessação da ingestão do betacaroteno. . ± Ingestões elevadas (superiores a 30mg/dia) de beta-caroteno. passar para o sangue e provocar efeitos adversos. O beta-caroteno apresenta um absorção pobre a partir do tracto gastro-intestinal e a sua conversão em retinol torna-se progressivamente menos eficiente à medida que o estado da vitamina A melhora. dado que é convertida pelo corpo apenas à medida que é necessária. podem no entanto resultar numa coloração amarelo-alaranjada da pele (hipercarotenemia). quantidades elevada stomadas durante um longo período de tempo podem eventualmente exceder a capacidade de armazenamento do fígado. ± Geralmente doses de até 10 vezes a DDR são consideradas seguras. ± O beta-caroteno é considerada uma forma segura de vitamina A.

.

aneurina. cereais de grão inteiro. ‡ Principais Fontes na Natureza ± A tiamina ocorre de modo generalizado nos alimentos. o farelo rico em tiamina é removido durante a moagem do trigo para produzir a farinha branca e durante o polimento do arroz integral para produzir arroz branco. ‡ Homem ± O homem e outros primatas dependem da sua ingestão de alimentos para cobrir as suas necessidades em vitamina B1. leguminosas. legumes secos e alimentos animais. ± Outras boas fontes incluem a carne (porco. nozes. ± Nos grãos de cereais. factor anti-beribéri. aves. ± A melhor fonte de tiamina é a levedura de cerveja seca. cordeiro. factor antineurítico. vaca). mas na maioria dos casos em quantidades pequenas.Vitamina B1 ‡ Sinónimos: Tiamina. .

 A hidrossolubilidade é também um factor de perda de tiamina a partir dos alimentos. oxigénio e radiação. .Vitamina B1 ‡ Estabilidade  A vitamina B1 é instável ao calor. os alimentos devem ser cozinhados num recipiente coberto durante curto espaço de tempo e não devem ser mergulhados em água. meios alcalinos.  Podem ser perdidas quantidades consideráveis na água de descongelação dos alimentos congelados ou na água utilizada para cozinhar carnes e vegetais.  Para preservar a tiamina.  Os sucos e a água utilizada para a cozimento devem ser reutilizados em guisados e molhos. Cerca de 25% da tiamina nos alimentos é perdida durante o processo de cozimento normal.

Estes metais agem bloqueando um passo metabólico crucial envolvendo a tiamina na sua forma de coenzima. peixe cru e nozes podem atuar como antagonistas. aumento da função intestinal ou da excreção urinária. . ‡ O envenenamento por arsênico ou outros metais pesados produz os sintomas neurológicos da deficiência de tiamina.Vitamina B1 Principais antagonistas ‡ Alimentos como café. diminuem a disponibilidade da tiamina. chá. ‡ Os medicamentos que causam náusea e perda de apetite.

ácido pantotênico.  A coenzima da tiamina ² pirofosfato de tiamina PFT . A PFT atua como coenzima na descarboxilação oxidativa e nas reacções de transcetolização. B6.é a chave para várias reações na decomposição da glucose em energia.  A tiamina também desempenha um papel na condução dos impulsos nervosos e no metabolismo aeróbico. B1.Vitamina B1 ‡ Principais sinergistas ‡ Funções ± Vitamina B12. . niacina.  A tiamina é essencial para o metabolismo dos hidratos de carbono através da suas funções co-enzimáticas.

irritabilidade e falta de concentração.Vitamina B1 Deficiência marginal ‡ A deficiência marginal de tiamina pode manifestar-se em sintomas tão vagos como fadiga. diarréia. náuseas/vômitos. . infecções e hiper tireoidismo). cancro. doenças hepáticas. ‡ Situações freqüentemente acompanhadas por deficiência marginal de tiamina e que necessitam de suplementação são: ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ gravidez e amamentação grandes esforços físicos elevado consumo de álcool elevada ingestão de hidratos de carbono doenças (disenteria.

não possoµ. c) beribéri infantil . anorexia. distensão abdominal e anorexia aparecem de repente e podem ser seguidos por morte por falha cardíaca.no qual os sintomas de vômitos. que traduzido significa ´não posso. especialmente no sudoeste asiático. fraqueza muscular.Vitamina B1 Deficiência franca ‡ As duas principais doenças relativas à deficiência em tiamina são : ± Beribéri e o síndrome de Korsakoff. b) beribéri húmido . Existem três tipos de beribéri: a) beribéri seco .com edema. confusão mental e finalmente falha cardíaca. ‡ O beribéri foi em tempos endêmico em países onde o arroz polido constituía uma grande parte da dieta. mostra-se primariamente em desordens dos sistemas nervoso e cardiovascular.uma polineuropatia com grave perda de massa muscular. . convulsões. ‡ O beribéri.

‡ Embora esteja associado ao álcool. ‡ Os sintomas vão de confusão e depressão leves a psicose e coma. o síndrome encontra-se também ocasionalmente em pessoas que fazem jejum ou sofrem de vômitos crônicos. ± absorção diminuída ± aumento das necessidades.Vitamina B1 Síndrome de Korsakoff ‡ A deficiência é causada por uma combinação de factores: ± ingestão inadequada (como na situações em que o álcool substitui os alimentos). a memória pode ser permanentemente afetada. . Se o tratamento for adiado.

7-1.4 a 0. . ‡ As necessidades das crianças são inferiores: 0.4 mg/dia (bebés) e 0.5 mg/dia ± Mulheres = 1. a Dose Diária Recomendada é de 0.5 mg por 1000 kcal.Vitamina B1 Dose Diária Recomendada (DDR) ‡ Para adultos. ± Homens = 1.1 mg/dia ‡ Podem ser recomendados 0.0-1.2-1.0 mg/dia (crianças).3-0.5 mg adicionais por dia durante a gravidez e amamentação. dependendo da idade e ingestão calórica da criança.

‡ Na grande maioria dos casos estas reações de hipersensibilidade ocorreram após injeções com tiamina em pacientes com uma história de reações alérgicas. a maioria das quais ocorreram nas quantidades mais elevadas. ‡ A única reação encontrada nos seres humanos é do tipo alérgico. Na administração por via parenteral a dose que produziu estas reações variou de 5 a 100 mg. . mesmo com doses orais muito elevadas.Vitamina B1 ‡ Segurança ‡ A tiamina é bem tolerada em pessoas saudáveis.

Vitamina B2
‡ Sinônimos
± O nome oficialmente reconhecido para a vitamina B2 é riboflavina. ± Os nomes anteriores eram vitamina G, lactoflavina, ovoflavina, hepatoflavina, verdoflavina e uroflavina. ± A maioria destes termos indica a fonte a partir do qual a vitamina foi inicialmente isolada, i.e. leite, ovos, fígado, plantas e urina.

Vitamina B2
‡ Principais fontes na natureza 
Riboflavina é uma das vitaminas com mais ampla distribuição.  A levedura e o fígado têm as concentrações mais elevadas, mas as fontes de dieta mais comuns são o leite e os seus derivados, a carne, os ovos e os vegetais de folhas verdes.  Os grãos dos cereais, embora fontes pobres em riboflavina, são importantes para aqueles que dependem dos cereais como componente principal da dieta alimentar.

Vitamina B2
‡ Estabilidade 
A riboflavina é estável ao calor e por isso não é facilmente destruída no processo normal de cozimento.  Podem também ocorrer perdas através da lixiviação na água de cozimento.  Devido à sua sensibilidade à luz, a riboflavina desaparece rapidamente do leite guardado em garrafas de vidro expostas ao sol ou a luz natural directa (85% em duas horas).  A esterilização de alimentos por irradiação ou o tratamento com óxido de etileno pode também causar a destruição da riboflavina.

± Nas crianças isto pode levar num crescimento inferior ao normal. e sim normalmente em combinação com deficiências nas outras vitaminas hidrossolúveis. ‡ Deficiência marginal ± Os sintomas clínicos da deficiência em riboflavina são vistos raramente nos países desenvolvidos.Vitamina B2 ‡ Funções ± A riboflavina atua como um intermediário na transferência de eletrons em numerosas reações essenciais de redução de oxidação. A deficiência de riboflavina raramente ocorre de forma isolada. .

Vitamina B2 ‡ Deficiência Franca ± A deficiência experimental de riboflavina em voluntários humanos produz a glossite (lingua vermelha. . lingua geográfica). comichão e uma sensação de areia nos olhos. escamação da pele e dermatite seborreica (inflamação da pele). estando então associada com fotofobia. revelaram alterações que não são vistas normalmente numa deficiência normal de dieta. Estas incluem a anemia normocítica e normocrómica e a neuropatia periférica das extremidades (latejar. No entanto não foi estabelecida uma ligação direct entre estes sintomas e a deficiência. ± Estudos utilizando o antagonista galactoflavina. prurido (comichão). visão diminuída. sensação de frio e dor). estomatite angular (fissuras nos cantos da boca). ± Pode acontecer a vascularização da córnea em pacientes com deficiência em riboflavina.

± A má absorção pode acontecer como resultado de doenças gastrointestinais. ± As consequências de uma baixa ingestão de riboflavina pode ser agravada por alcoolismo crônico e stress crônico.Vitamina B2 ‡ Grupos em risco de deficiência ± A deficiência de riboflavina pode ocorrer como resultado de um trauma. diarréia. atresia biliar e síndrome do colón irritável. hipertireoidismo e cirrose hepática. crianças com doenças cardíacas crônicas. ressecção do intestino grosso. enterite. . obstrução intestinal. ± Outros grupos de risco são os idosos. as crianças e os adolescentes de meios sócioeconômicos pobres. incluindo queimaduras e cirurgia e tem sido observada em pacientes com doenças crônicas debilitantes (p. tuberculose. endocardite bacteriana subaguda). as mulheres que tomam contraceptivos orais. tais como. diabetes.ex. pessoas que não consomem lacticínios e bebês em tratamento de fototerapia prolongada para a hiperbilirrubinemia. febre reumática. a doença celíaca.

.2 mg por dia.Vitamina B2 ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ± As recomendações dietárias para a riboflavina existem em 38 países. onde os valores médios para os adultos do sexo masculino variam entre 1.2 e 2.

.

coração e cérebro). mas os ovos. vitamina antidermatose. ‡ Principais fontes na natureza ‡ É abundante na levedura e nas carnes de órgãos (fígado.Ácido Pantotênico ‡ Sinônimos ‡ Os nomes anteriores foram vitamina B5. ‡ O ácido pantotênico é sintetizado pelos microrganismos intestinais. rins. vegetais. . fator de anti-dermatite dos frangos e fator antipelagra dos frangos. mas a quantidade produzida e o seu papel na nutrição humana são desconhecidas. leite. legumes e cereais de grão inteiro são provavelmente as fontes mais comuns. A forma que ocorre naturalmente é o ácido D-pantotênico.

Ácido Pantotênico ‡ Estabilidade ‡ O ácido pantoténico é estável em condições neutrais. congelação. . moagem. A pasteurização do leite causa apenas pequenas perdas. Podem ser perdido até 50% durante a cozedura (devido a lixiviação) e até 80% como resultado do processamento e refinamento dos alimentos (enlatamento. etc. mas é facilmente destruído pelo calor em soluções alcalinas ou ácidas.).

Neurotransmissores (p. como um constituinte da coenzima A.Ácido Pantotênico ‡ Funções ‡ O ácido pantotênico.ex. stress e sexuais). crescimento. Síntese de hormônios (p. o pigmento transportador de oxigênio dos glóbulos vermelhos) ‡ Anticorpos ‡ Metabolismo dos medicamentos (p. sulfonamidas).ex. síntese dos esteróis (p. . Fosfolipídios (componentes das membranas celulares). Porfirina (componente da hemoglobina.ex. acetilcolina). colesterol). ‡ Está envolvido nas reações que: ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ fornecem energia. tem um papel chave no metabolismo dos carboidratos. proteínas e gorduras e é por isso importante na manutenção e reparação de todas as células e tecidos.ex.

Os sintomas de deficiência têm sido produzidos experimentalmente pela administração do antagonista (ácido pantotênico ômega-metilo). dores de cabeça. ‡ Quando homens jovens saudáveis foram alimentados com uma dieta virtualmente livre de ácido pantoténico durante 9 meses. histamina e ACTH (hormônio adreno corticotrófico). perturbações de sono. . náusea. vômitos e flatulência. Ocorreram também instabilidade cardiovascular e respostas dificultadas à insulina. câimbras musculares e coordenação diminuída. dores abdominais.Ácido Pantotênico ‡ Deficiência ‡ ‡ A deficiência desta vitamina é extremamente rara. Os pacientes queixam-se de sensações de latejar nos braços e pernas. os únicos sintomas observados foram apatia e fadiga. ‡ ‡ ‡ Estes incluem fadiga.

‡ As recomendações do Comitê de Alimentação e Nutrição de 1989 do Conselho Nacional de Investigação Americano sugerem uma ingestão dos 4 a 7 mg diários.Ácido Pantotênico ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ‡ É geralmente acordado que existe informação disponível insuficiente na qual basear uma DDR para o ácido pantotênico. . baseada na ingestão média estimada dos habitantes bem alimentados dos EUA.

.Ácido Pantotênico ‡ Segurança ‡ O ácido pantotênico é geralmente considerado como sendo não-tóxico e nunca foram relatados quaisquer casos de hipervitaminose. ‡ Quantidades tão elevadas como 10 g em seres humanos apenas produziram pequenas perturbações gastrointestinais.

.

e cereais de grão integral. enquanto que o piridoxal e a piridoxamina são principalmente encontradas nos tecidos animais. as bananas e as passas. piridoxal (aldeído) e piridoxamina (amina). arenque e salmão). O piridoxol encontra-se especialmente nas plantas. truta. nozes (amendoins. Geralmente os vegetais e as frutas são fontes pobres de vitamina B6. Principais fontes na natureza A vitamina B6 liga-se principalmente às proteínas nos alimentos. ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ . embora existam produtos nestas classes alimentares que contêm quantidades consideráveis de piridoxina. As galinhas e o fígado de vaca. avelãs).Vitamina B6 ‡ ‡ Sinónimos O termo vitamina B6 ou piridoxina é utilizado para cobrir um grupo de compostos que são metabolicamente intermutáveis: piridoxol (álcool). tais como os feijões e a couve-flor. As boas fontes incluem o presunto e o peixe (atum. porco e vitela são excelentes fontes de piridoxina.

‡ O congelamento de vegetais causa uma redução de até 25%.Vitamina B6 ‡ Conservação ‡ A vitamina B6 é relativamente estável ao calor mas decompõe-se por oxidação e luz ultra-violeta e por ambientes alcalinos. a moagem de cereais. . gera um desperdício tão elevado quanto 90%.

‡ Suas principais funções são: ‡ produção de epinefrina. ‡ decomposição do glicogênio.Vitamina B6 ‡ Funções ‡ A principal função metabólica da vitamina B6 é como coenzima. ‡ formação do ácido nicotínico. ‡ metabolismo dos aminoácidos. serotonina e outros neurotransmissores. .

Vitamina B6 ‡ Deficiência ‡ Uma dieta com baixo teor de piridoxina pode levar a anemia e perda de capacidade de converter o triptofano em ácido nicotínico. vômito Pedras no rim Anormalidades electroencefalográficas Degeneração dos nervos periféricos . dermatite seborréica Problemas abdominais. ‡ A deficiência induzida por antagonistas ou certos erros genéticos do metabolismo dos aminoácidos pode. se não for convenientemente tratada. p.ex. resultar em: ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ Fraco crescimento Convulsões Formação de anticorpos diminuída Lesões na pele.

enquanto que a ingestão de quantidades em excesso de 1g por dia podem levar a uma neuropatia sensorial em poucos meses. ‡ Doses diárias de 500 mg ou mais podem causar neuropatia sensorial após vários anos de ingestão.6 mg /dia. ‡ A vitamina B6 em todas as suas formas é bem tolerada.Vitamina B6 ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ± Homens = 2. ‡ Têm sido administradas sem efeitos adversos doses orais diárias de piridoxina de até 50 vezes a DDR (cerca de 100 mg) por períodos de até 3-4 anos. ‡ Segurança .0 mg /dia ± Mulheres = 1.

.

Vitamina B9 (Ácido Fólico) ‡ Sinónimos ‡ Folacina. o germen de trigo e a levedura. ‡ Outras fontes são a gema de ovo. o sumo de laranja e o pão de trigo integral. vitamina B9 e factor do Lactobacillus casei. ‡ Principais fontes na natureza ‡ As fontes mais ricas são o fígado. . os feijões. os vegetais de folha verde escura. o linho. vitamina BC.

. ‡ Perdas consideráveis ocorrem também por extração para a água de cozimento (até 95%) e pelo aquecimento. ‡ Os vegetais frescos de folhas. armazenados à temperatura ambiente podem perder até 70% da sua atividade de folato em três dias.Ácido Fólico ‡ Estabilidade ‡ A maioria das formas de folatos nos alimentos são instáveis.

‡ O ácido fólico é essencial para o crescimento correto e para o funcionamento do sistema nervoso e da medula óssea. ‡ Tem um papel importante no metabolismo dos aminoácidos e dos ácidos nucléicos.Ácido Fólico ‡ Funções ‡ O ácido tetrahidrofólico. o qual é a forma ativa dos folatos no organismo. .

‡ Os sintomas comuns de uma deficiência crônica de folato são o cansaço e a perda de energia e vontade. a uma anemia megaloblástica.Ácido Fólico ‡ Deficiência ‡ A deficiência grave de folatos leva. ‡ A deficiência durante a gravidez pode resultar em parto prematuro e/ou malformação do feto. . ± Se deixada sem tratamento. ‡ A deficiência de folatos tem também sido associada com problemas neurológicos. tais como demência e depressão. num curto espaço de tempo. uma doença na qual a medula óssea produz glóbulos vermelhos gigantes e imaturos. a anemia megaloblástica pode ser fatal.

Ácido Fólico ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ± Bebês = 20-35 mg/dia ± Crianças = 50-150 mg/dia ± Mulheres = 180 mg/dia ± Homens = 200 mg/dia .

. ± Não deve por isso ser utilizada indiscriminadamente em pacientes com anemia.Ácido Fólico ‡ Segurança ‡ O ácido fólico oral não é tóxico para o homem. não têm existido relatos de toxicidade. dado o risco de danos no sistema nervoso devidos a deficiência em vitamina B12. ‡ Mesmo com doses diárias de 15mg (40 vezes a DDR). ‡ Uma dose elevada de ácido fólico pode mascarar uma deficiência em vitamina B12.

.

fator extrínseco de Castle e fator de proteína animal.. ‡ A cianocobalamina. ‡ As cobalaminas principais nos seres humanos e animais são: ± hidroxocobalaminas.Vitamina B12 ‡ Sinónimos ‡ Factor anti anemia perniciosa. ± metilcobalaminas. uma forma sintética de vitamina B12 . ± adenosilcobalaminas .

em particular a carne de órgãos (fígado. coração. ‡ As bactérias no intestino sintetizam a vitamina B12. . rins. ‡ Outras boas fontes são o peixe. ‡ Os alimentos de origem vegetal são essencialmente desprovidos de vitamina B12. cérebro).Vitamina B12 ‡ Fontes principais na natureza ‡ Fornecida principalmente por produtos animais. os ovos e os lacticínios.

oxigênio e ambientes ácidos ou alcalinos.Vitamina B12 ‡ Estabilidade ‡ A vitamina B12 perde lentamente a sua atividade quando exposta à luz. . ‡ Estável ao calor. mais do que na destruição. ‡ A perda de atividade no cozimento (aproximadamente 70%) acontece com maior probabilidade a partir dos sucos da carne ou em lixiviação para a água.

. ‡ Existem evidências de que a vitamina B12 é necessária na síntese dos poliglutamatos dos folatos (coenzimas activas necessárias na formação do tecido nervoso) e na regeneração do ácido fólico durante a formação dos glóbulos vermelhos. do revestimento das fibras nervosas e de proteínas.Vitamina B12 ‡ Funções ‡ A vitamina B12 é necessária para a formação do sangue.

A falta de vitamina B12 leva à anemia megaloblástica (caracterizada por glóbulos vermelhos grandes e imaturos) e a neuropatia.Vitamina B12 ‡ Deficiência ‡ ‡ A deficiência clínica de cobalamina devida a insuficiência na dieta é rara. perturbações psiquiátricas (tais como irritabilidade. Podem ocorrer danos irreversíveis no sistema nervoso com desmielinização específica da medula espinal. A deficiência de vitamina B12 leva à síntese deficiente do DNA nas células. perda de memória. Inclue fraqueza. ‡ ‡ ‡ . o sistema hematopoiético.ex. falta de ar de esforço (dispneia). impotência. depressão leve. p. alucinações) e anemia grave (a qual pode levar a sinais de disfunção cardíaca). os tecidos mais afectados são aqueles com maior taxa de renovação de células. sensação de latejar e dormência (parestesia). língua dorida (glossite). perda de apetite e de peso. perda do paladar e do olfato. cansaço.

. divertículos) o sobre crescimento das bactérias pode levar à competição pela vitamina disponível. estenose. ‡ Existem relatos de deficiência de vitamina B12 em bebês amamentados por mães vegetarianas. constrições. uma elevada ingestão de fibras tem sido mostrada como agravadora de um equilíbrio precário da vitamina. ‡ Em pacientes com lesões no intestino grosso (asa cegas. ‡ O risco de deficiência nutricional é aumentado em pessoas com uma dieta exclusivamente vegetariana.Vitamina B12 ‡ Grupos em risco de deficiência ‡ A causa principal da deficiência de cobalamina é a falta da secreção do fator intrínseco.

3 mg ± Bebês de 06 meses a 01 ano = 0.0 mg ± Bebês até seis meses = 0.5 mg/dia.Vitamina B12 ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ± Adultos = 2. .

‡ Não têm existido relatos de propriedade carcinogênicas ou mutagênicas e não houveram relatos de teratogenicidade. . ‡ No homem não foram relatados efeitos adversos a partir de doses orais únicas tão elevadas como 100 mg nem da administração crônica de 1 mg (500 vezes a DDR) semanalmente durante 5 anos.Vitamina B12 ‡ Segurança ‡ A cianocobalamina não causou toxicidade nos animais em doses milhares de vezes superiores às suas necessidades nutricionais.

.

couve de bruxela. manga. batatas doces. ‡ Principais fontes na natureza ‡ Cítricos. pimentão doce.Vitamina C ‡ Sinónimos ‡ Ácido ascórbico. morango. vitamina anti-escorbútica. goiaba. brócolis. groselhas pretas. batatas. couve-flor. . salsa.

luz e oxigênio. quando armazenadas à temperatura ambiente perdem cerca de 15% do seu conteúdo em vitamina C todos os meses e o cozimento de batatas descascadas destrói outros 30-50% da sua vitamina C. . por exemplo. ‡ Nos alimentos pode ser parcial ou completamente destruída por um armazenamento longo ou pelo cozimento.Vitamina C ‡ Conservação ‡ A vitamina C é sensível ao calor. ‡ As batatas.

‡ Contribui para a saúde dos dentes e gengivas e auxilia na absorção do ferro a partir da dieta. tecidos vasculares. . ossos e cartilagens).Vitamina C ‡ Funções ‡ A vitamina C é necessária para a produção de colágeno (envolvido com a estrutura aos músculos. ‡ Função imunitária ‡ Função redox/anti-oxidante. ‡ É necessária para a síntese dos ácidos biliares.

o sentimento de exaustão. a perda de apetite. irritabilidade. baixa resistência às infecções e petéquia (pequeno sangramento capilar). . a sonolência e insônia. a lassidão. ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) ‡ Provas recentes estabelecem a estimativa para as necessidades de manutenção de uma saúde ótima na região dos 100 mg diários.Vitamina C ‡ Deficiência ‡ Os primeiros sintomas da deficiência inicial de vitamina C são a fadiga.

‡ A suplementação prolongada com doses elevadas pode ter um certo efeito laxativo.Vitamina C ‡ Segurança ‡ Não existem evidências de efeitos colaterais. .

.

‡ ‡ As formas principais são conhecidas: ± Vitamina D2 (ergocalciferol: de origem vegetal) ± Vitamina D3 (colecalciferol: de origem animal). um derivado do colesterol que está distribuído de forma generalizada na gordura animal.Vitamina D ‡ Sinônimo ‡ Vitamina D é o nome geral dado a um grupo de compostos lipossolúveis que são essenciais para manter o equilíbrio mineral no corpo. . ‡ Dado que o colecalciferol é sintetizado na pele através da ação da luz ultra-violeta no 7-dehidrocolesterol. ‡ É também conhecida como calciferol e vitamina antiraquítica.

‡ As plantas são fontes fracas e a fruta e os frutos secos não têm qualquer vitamina D. tais como as sardinhas.Vitamina D ‡ Principais fontes na natureza ‡ As fontes naturais mais ricas em vitamina D são os óleos de fígado de peixe e os peixes de água salgada. a carne. . ‡ A quantidade de vitamina D no leite humano é insuficiente para cobrir as necessidades infantis. ‡ Os ovos. o arenque e o salmão. o leite e a manteiga também contêm pequenas quantidades.

embora no leite fortificado. possa ser perdida até cerca de 40% da vitamina D adicionada. o processamento e o cozimento têm pouco efeito na sua atividade. a armazenagem. como resultado da exposição à luz.Vitamina D ‡ Estabilidade ‡ A vitamina D é relativamente estável nos alimentos. .

‡ Através destas três funções. . a vitamina D tem um papel importante em assegurar o funcionamento correto dos músculos.Vitamina D ‡ Funções ‡ Sabe-se que ela é necessária para a absorção do cálcio e do fósforo no intestino grosso. coagulação do sangue. para a sua mobilização a partir dos ossos e a para a sua reabsorção nos rins. nervos. crescimento celular e utilização de energia.

tais como inquietação.Vitamina D ‡ Deficiência marginal ‡ Entre os primeiros sintomas de deficiência de vitamina D estão os níveis séricos reduzidos de cálcio e fósforo e um aumento da atividade da fosfatase alcalina. . ‡ As crianças podem mostrar sintomas não específicos. sudação excessiva e diminuição do apetite. ‡ Isto pode ser acompanhada por fraqueza muscular e tetânia. ‡ A hipovitaminose D marginal pode contribuir para os ossos quebradiços nos idosos. bem como por riscos acrescidos de infecção. irritabilidade.

Pessoas saudáveis.Vitamina D ‡ ‡ Dose Diária Recomendada (DDR) É difícil estabelecer uma DDR para a vitamina D. ‡ ‡ . O Comitê de Alimentação e Nutrição do Conselho Nacional de Investigação Americano. com exposição regular ao sol e sob condições apropriadas não têm necessidades de vitamina D na dieta.5 mg (200 ² 300 IU) é recomendado para bebês alimentados com leite materno que não tenham exposição ao sol.5 mg (300 IU) para bebés com menos de 6 meses e 10 mg (400 IU) para crianças com mais de 6 meses. dada influência da exposição ao sol. Um suplemento diário de 5 ² 7. recomendam uma ingestão diária de 5 mg (200 IU) para adultos. é necessário um suplemento alimentar. Dado que isto é raramente o caso nas zonas temperadas. 7. grávidas e mães a amamentar.

‡ Os sintomas leves de intoxicação são náuseas. ‡ Em geral uma dose tóxica para um adulto é de cerca de 100.000 IU diariamente durante 1 ² 2 meses. fraqueza. calcificação de tecidos moles e morte. ‡ A hipervitaminose não está associada a uma sobreexposição ao sol.Vitamina D ‡ Segurança ‡ A hipervitaminose D é um problema potencialmente sério dado que pode causar danos permanentes nos rins. prisão de ventre e irritabilidade. . retardo de crescimento.

.

palma. cártamo. H-. ‡ O alfa-tocoferol é o mais comum e o mais activo biologicamente destas formas de ocorrência natural de vitamina E. ‡ Fontes secundárias são as nozes. sendo identificados pelos prefixos E-. . a sementes. etc. milho. F-. grãos inteiros. ‡ Quatro deles são chamados tocoferóis e quatro são tocotrienóis. girassol. e os vegetais de folhas verdes. K-.Vitamina E ‡ Sinónimos ‡ O termo vitamina E cobre oito compostos encontrados na natureza.) e o gérmen de trigo são as fontes mais importante de vitamina E. ‡ Principais fontes na natureza ‡ O óleos vegetais (amendoim. soja.

diminuem o conteúdo de vitamina E dos alimentos. o oxigênio e o calor. . fatores prejudiciais ocorrentes em longos períodos de armazenagem e processamento de alimentos. em grande parte a vitamina E nos óleos de fritar.Vitamina E ‡ Estabilidade ‡ A luz. ‡ Em alguns alimentos tal pode decrescer em até 50% apenas após 2 semanas de armazenamento à temperatura ambiente. ‡ A fritura destrói.

‡ A vitamina E tem sido utilizada com sucesso na terapia de: ± ± ± ± . a qual pode provocar a cegueira. ‡ Especificamente. fibroplasia retrolenticular. anemia hemolítica. ± ajuda a prolongar a vida dos eritrócitos (glóbulos vermelhos) ± ajuda o organismo a utilizar a vitamina A.Vitamina E ‡ Funções ‡ O papel principal da vitamina E é a proteção dos tecidos do corpo de reações oxidativas. a vitamina E: ± protege as membranas biológicas. músculos e sistema cardiovascular. doenças neuromusculares progressivas . hemorragia intraventricular . tais como as encontradas nos nervos.

.

‡ vitamina K3 (menadiona)= é um composto sintético que pode ser convertido em K2 no trato intestinal. ‡ vitamina K1 (filoquinona. ‡ vitamina K2 (menaquinona) = é sintetizada por bactérias no trato intestinal dos seres humanos e de vários animais. fitonadiona)= encontra-se principalmente nos vegetais.Vitamina K ‡ Sinónimos ‡ A vitamina K surge sob várias formas. .

manteiga e queijo. ‡ Como uma fonte importante de vitamina K2. espargos. são as sementes de soja. couve e alface. tais como folhas de nabo. tomates. leite. na maioria dos frutos e em muitos outros vegetais. trigo integral. presunto. batatas. ‡ Outras fontes ricas.Vitamina K ‡ Principais fontes na natureza ‡ As melhores fontes de vitamina K na dieta são os vegetais de folhas verdes. espinafres. de porco. brócolis. cenouras. temos a flora bacteriana intestinal. ‡ Boas fontes incluem a gema de ovo. fígado de vaca e chá verde. . aveia. milho. ‡ São encontrados níveis menores na carne de vaca.

uma proteína que converte o fibrinogênio solúvel na circulação sanguínea numa proteína bastante insolúvel chamada fibrina. . meios alcalinos. ‡ A vitamina K é essencial para a síntese da protrombina. luz e agentes oxidantes.Vitamina K ‡ Estabilidade ‡ Os compostos de vitamina K são moderadamente estáveis ao calor e agentes redutores. mas são sensíveis aos ácidos. ‡ Função principal ‡ A vitamina K é necessária principalmente para o mecanismo da coagulação sanguínea.

Vitamina K ‡ Deficiência ‡ As deficiência de vitamina K por meio da dieta alimentar são raras e desenvolvem-se mais frequentemente após tratamento prolongado com antibióticos complementado com um ingestão comprometida da dieta alimentar. . ‡ Doses Diárias Recomendadas (DDR) ‡ A DDR para os adultos do sexo masculino é de 80 mg por dia e para o sexo feminino é de 65 mg por dia.

icterícia e ´kernicterusµ (uma forma grave de icterícia no recém-nascido). não foram observadas manifestações tóxicas. ‡ No entanto. a menadiona administrada (K3) pode causar anemia hemolítica. .Vitamina K ‡ Segurança ‡ Mesmo com elevadas quantidades de vitamina K1 e K2 ingeridas durante um grande período.

FIM .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->