sistema GUT e Diagrama de Ishikawa devemos montar um plano de ação para corrigir os problemas e/ou possibilidades de melhoria levantadas.CONCEITO Uma vez que a situação foi analisada utilizando-se as ferramentas brainstorming. .

When (quando). transformando o método em 5W 2H. 3Q1POC .CONCEITO Significado dos 5 W’s 1H What (o que). Where (onde). How (como). Who (quem). Atualmente. procura-se incluir um novo H (How Much / Quanto custa). Why (por quê).

Estudo do PROBLEMA .

é o resultado indesejável de um trabalho ou processo..DEFINIÇÃO DO PROBLEMA Problema . ..

podemos definir problema como sendo as necessidades do cliente não atendidas. .Como o resultado de um processo (produto ou serviço) é realizado para atender necessidades do cliente.

são “pequenos problemas” que muitas vezes passam despercebidos. . CRÔNICOS .são problemas enraizados na cultura da organização e muitas vezes não são vistos como problemas pois fazem parte do cotidiano e são encarados como normais .Existem dois tipos de Problema ANOMALIAS . São normalmente conhecidos por falhas.

Aqui estão as causas Aqui estão os PROBLEMAS PROCESSO PRODUTO .

Estudo das Causas .

..DEFINIÇÃO DA CAUSA Causas . são todos os motivos que nos levam a ter um problema. .

.DEFINIÇÃO DA CAUSA Causa Fundamental. . é a origem do problema..

Estudo da Solução .

..SOLUÇÃO Solução . são as ações tomadas sobre a(s) causa(s) fundamental(is) do problema..

MÉTODO DE CORREÇÃO DE ANOMALIAS .

ANOMALIA QUALQUER DESVIO DAS CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO É UMA ANOMALIA E EXIGE UMA AÇÃO CORRETIVA. .

UMA RECLAMAÇÃO DE UM CLIENTE.ANOMALIA “ANOMALIA É TODO ACONTECIMENTO DIFERENTE DO USUAL. ETC. UM RUÍDO ESTRANHO EM UMA MÁQUINA.” DE UMA MANEIRA GERAL: ANOMALIA É QUALQUER OCORRÊNCIA NÃO ESPERADA. . UM ERRO EM UM RELATÓRIO. PODE SER UM DEFEITO EM UM PRODUTO.

ANOMALIAS Quem relata as ANOMALIAS? .

SUJEIRA. . ETC. AUSÊNCIA DE RUÍDO CARACTERÍSTICO.COMO IDENTIFICAR UMA ANOMALIA PALADAR VISÃO OLFATO AUDIÇÃO TATO COMIDA ESTRAGADA. PRESENÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS. ATENDIMENTO INADEQUADO. RUGOSIDADE ANORMAL. VAZAMENTOS. ETC. RUÍDOS ESTRANHOS EM EQUIPAMENTOS. VIBRAÇÃO. DESORDEM. CHEIRO DE QUEIMADO. ETC. ETC. FUMAÇA. SITUAÇÕES PERIGOSAS. RECLAMAÇÃO DE CLIENTE. ÁGUA RUIM. EQUIPAMENTO OU MÓVEIS SUJOS. CALOR OU FRIO EXCESSIVO. ETC. ILUMINAÇÃO INADEQUADA.

No estabelecimento do Plano de Ação para o bloqueio das Causas. como utilizar a criatividade e dar oportunidade de participação aos membros da equipe? Utilizando um técnica de criatividade conhecida como BRAINSTORMING .

PLANO DE AÇÃO – 5W 1H .

COMO CONSTRUIR O QUE? COMO? MEIO OBJETIVO BÁSICO MEIO MEIO OBJETIVO MEIO TREINAR PESSOAS AUMENTAR QUALIDADE DA SOLDA CALIBRAR MÁQUINAS DISPONIBILIZAR VERBA .

HUMANOS AUMENTAR QUALIDADE DA SOLDA CALIBRAR MÁQUINAS DISPONIBILIZAR VERBA PROGRAMAR PESSOAL AVALIAR TREINAMENTO O QUÊ? COMO? O QUÊ? POR QUÊ? POR QUÊ? COMO? .COMO CONSTRUIR SOLICITAR CURSOS TREINAR R.

PLANO DE AÇÃO 5W 1H 5W 1H AUMENTAR A QUALIDADE DA SOLDA AUMENTAR A QUALIDADE DA SOLDA O QUE QUEM ONDE PORQUE COMO QUANDO QUANTO CUSTA Solicitar treinamento Pedro CTO Qualificar pessoal. Programar pessoal Pedro Avaliar o treinamento João CTO Formando Garantir a turmas de participação acordo com de todos. Preenchendo solicitação de treinamento e enviando ao CTO. seu horário de trabalho. Aplicação de Verificar a provas e teste eficácia do prático no treinamento. 30/11/2006 25/11/2006 Casulo 18/11/2006 . local de trabalho.

Desmontar laminador.PLANO DE AÇÃO REDUÇÃO CUSTOS DA MANUTENÇÃO REDUÇÃO CUSTOS DA MANUTENÇÃO 5W 1H 5W 1H O QUE QUEM ONDE PORQUE COMO QUANDO QUANTO CUSTA Nivelar base equipamento Pedro Evitar quebra do mancal. retira-lo com ponte rolante e elevar a base X em 2 cm. Laminação Treinar o pessoal João CTO Capacitá-los Utilizar o POP dos novos 10/06 e IT 05/06 proced. da Fabricação 25/11/2006 18/11/2006 .

analise a eficácia e custo de cada uma. Custos. OBSERVAÇÕES Certifique-se de que as ações serão tomadas sobre as causas fundamentais e não sobre seus efeitos. Teste as hipóteses através de experiências. Defina QUANDO será feito (“WHEN”). Cronograma. Se ocorrerem. Defina QUEM fará (“WHO”). . Certifique-se de que as ações propostas não produzam efeitos colaterais. Defina POR QUÊ será feito (“WHY”). etc.) Determine os itens de controle e verificação dos diversos níveis envolvidos. defeitos. Quem? Como? Onde? Por que? Quando? O que? Tarefa medir limpar trocar mudar será feito (“HOW”). toneladas. escolha a melhor. Defina O QUÊ será feito (“WHAT”).RESUMINDO PLANO DE AÇÃO FLUXO TAREFAS FERRAMENTAS EMPREGADAS Discussão com o grupo envolvido. “5W1H”. Proponha diferentes soluções. Quem O que Detalhe ou delegue o detalhamento de COMO Eli Rui Edu Nei pino piso eixo norma 1 ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE AÇÃO 2 ELABORAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO PARA O BLOQUEIO E REVISÃO DO CRONOGRAMA E ORÇAMENTO FINAL Discussão com o grupo envolvido. adote ações contra eles. Defina ONDE será feito (“WHERE”). Determine a meta a ser atingida e quantifique ($.

Reuniões participativas. Certifique-se de que todos entendem e concordam com as medidas propostas.RESUMINDO AÇÃO FLUXO TAREFAS FERRAMENTAS EMPREGADAS OBSERVAÇÕES TREINAMENTO Divulgação do plano a todos. Durante a execução verifique fisicamente e no local em que as ações estão sendo efetuadas. 2 . Técnicas de treinamento. Todas as ações e os resultados bons ou ruins devem ser registrados com a data em que foram tomados. EXECUÇÃO DA AÇÃO Plano e cronograma. Apresente claramente as tarefas e a razão delas. Dê especial atenção a estas ações. 1 Certifique-se de quais ações necessitam da ativa cooperação de todos.

Porto Alegre. Editora Gente. CAMPOS. São Paulo . 40-48 . William. Vicente Falconi. Controle da Qualidade Total (no estilo japonês). Perennial Library. Bhoch Editores S.SP.RJ. GRAHAM. 4a edição. Bhoch Editores S. David. 1992. GLASSER. 1990. TQM – Quatro Revoluções na Gestão da Qualidade.. 1994. Métodos Estatísticos para Melhoria da Qualidade. Alan. p.A. New York. Rio de Janeiro . WALDEN. Bookman. Shiba.RJ. Rio de Janeiro . 1993. 1997.Bibliografia CAMPOS. Vicente Falconi. The Quality Scholl . Gerenciamento da Rotina do Trabalho do dia-a-dia. Hitoshi. KUME..A.managing students without coercion. SHOJI.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful