MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS BIBLIOTECA CENTRAL

MANUAL DE ORIENTAÇÃO EM REFERENCIAÇÃO BIBLIOGRÁFICA (NBR6023-ABNT)

REVISÃO E ATUALIZAÇÃO

LAVRAS - MG 2001

Reitor Fabiano Ribeiro do Vale Vice-Reitor Antônio Nazareno Guimarães Mendes Diretora da Biblioteca Central Maria Helena de Castro Comissão Técnica Responsável Maria Helena de Castro (Presidente) Antônio Máximo de Carvalho Luiz Carlos de Miranda Colaboração Márcia Bento Rosa da Silva Narro Botelho dos Santos Revisão do texto Maria Aparecida de Carvalho (Bacharel em Biblioteconomia e Letras) Sugestões e aprovação Comissão de Normalização de Teses da UFLA Ficha Catalográfica Preparada Pela Divisão de Processos Técnicos da Biblioteca Central da UFLA Universidade Federal de Lavras. Biblioteca Central. Manual de orientação em referenciação bibliográfica (NBR6023ABNT): revisão e atualização. [Comissão Responsável, Maria Helena de Castro (Presidente), Antônio Máximo de Carvalho, Luiz Carlos de Miranda]. - Lavras: UFLA-BC, 2001. 50 p. Bibliografia. 1. Referência bibliográfica - Norma - UFLA-BC. 2. Publicação técnica. 3. Redação técnica. I. Castro, Maria Helena de. II. Carvalho, Antônio Máximo. III. Miranda, Luiz Carlos de. IV. Título. CDD - 808.0666

APRESENTAÇÃO

Este trabalho destina-se: dotar a comunidade acadêmica da Universidade Federal de Lavras de orientações para aplicação da NBR 6023/2000 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), sobre referenciação bibliográfica. Inicialmente elaborado em 1998, este trabalho passou por ampla revisão e atualização, a exemplo do que foi feito pela ABNT com a NBR6023 no ano de 2000. A partir de um minucioso estudo da norma padrão atualizada, visando sua adequada aplicação neste manual, propôs-se rever as normas anteriormente apresentadas e acrescentar exemplos específicos para outros tipos de documentos pouco ou não apresentados no manual anterior, como documentos cartográficos, legislativos, sonoros, imagens em movimento e principalmente documentos eletrônicos que, atualmente geram ampla demanda por referenciação. Para elaboração deste manual também foram consultados outros documentos sobre aplicação da NBR6023 de instituições de ensino e pesquisa brasileiras. É importante mencionar que este manual não é exaustivo. Normas para tipos de documentos pouco usados pela comunidade acadêmica local, não incluídas neste documento, podem ser pesquisadas na ABNT ou recorrer a um bibliotecário. Alguns tipos de publicações não acessíveis fisicamente ou por acesso remoto (online) , compilaram-se os exemplos diretamente da ABNT. Como toda norma, este manual está sujeito a revisão. Poderá também ter inclusão de normas específicas para tipos de publicações nele não contempladas, se houverem demandas da comunidade usuária.

iii

SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO ............................................................................................ iii 1 INTRODUÇÃO ................................................................................................1 1.1 Objetivo .........................................................................................................1 2 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ....................................................1 2.1 Pontuação........................................................................................................2 2.2 Aspecto tipográfico ........................................................................................4 3 APRESENTAÇÃO E DESCRIÇÃO DOS ELEMENTOS ..............................4 3.1 AUTOR ..........................................................................................................4 3.1.1 Autor pessoal ..............................................................................................5 3.1.1.1 Até três autores........................................................................................ 5 3.1.1.2 Mais de três autores................................................................................ 5 3.1.1.3 Nomes brasileiros e portugueses..............................................................6 3.1.1.4 Nomes estrangeiros..................................................................................7 3.1.1.5 Pseudônimos ............................................................................................7 3.1.1.6 Nomes de autores com títulos..................................................................7 3.1.1.7 Responsabilidade por obras coletivas ......................................................7 3.1.1.8 Outros tipos de responsabilidades............................................................7 3.1.2 Autor entidade..............................................................................................8 3.1.3 Autor desconhecido .....................................................................................9 3.2 TÍTULO .........................................................................................................9 3.3 EDIÇÃO.......................................................................................................11 3.4 LOCAL (cidade) ...........................................................................................11 3.5 EDITORA ....................................................................................................12 3.6 DATA...........................................................................................................13 3.7 DESCRIÇÃO FÍSICA .................................................................................14 3.7.1 Número de páginas e volumes ...................................................................14 3.7.2 Ilustração e dimensão.................................................................................15 3.8 NOTAS........................................................................................................16 4 APRESENTAÇÃO DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.....................17 4.1 REFERENCIAÇÃO DE DOCUMENTOS CONSIDERADOS NO TODO ..........................................................................................................17 4.1.1 Livro ..........................................................................................................17 4.1.2 Folheto .......................................................................................................17 4.1.3 Tese............................................................................................................18

iv

4.1.4 Apostila.......................................................................................................18 4.1.5 Bula de Remédio.........................................................................................18 4.1.6 Documento no prelo...................................................................................18 4.1.7 Documentos cartográficos..........................................................................18 4.1.7.1 Atlas ........................................................................................................18 4.1.7.2 Mapa........................................................................................................19 4.1.7.3 Fotografia aérea.......................................................................................19 4.1.7.4 Imagem de satélite...................................................................................19 4.1.7.5 Imagem de satélite, digital.......................................................................19 4.1.8 Enciclopédia...............................................................................................19 4.1.9 Documento traduzido.................................................................................20 4.1.10 Congressos, conferências, encontros e outros eventos.............................20 4.1.11 Patentes ....................................................................................................20 4.1.12 Documento jurídico..... ............................................................................21 4.1.12.1 Legislação (lei, decreto, resolução, etc.)................................................21 4.1.12.2 Jurisprudência (súmula, enunciado, acórdão, sentença , etc.)...............22 4.1.12.3 Doutrina.................................................................................................22 4.1.13 Portaria, resolução, deliberação................................................................23 4.1.14 Convênio.................................................................................................. 23 4.1.15 Imagem em movimento...........................................................................24 4.1.15.1 Filme, fita de vídeo, DVD e outros........................................................24 4.1.16 Documento sonoro....................................................................................24 4.1.16.1 Fita cassete, entrevista gravada, CD, long play e outros.......................24 4.1.17 Periódicos e seriados considerados no todo.............................................25 4.2 DOCUMENTOS CONSIDERADOS EM PARTE......................................26 4.2.1 Parte de livro..............................................................................................26 4.2.2 Trabalhos apresentados em eventos (congresso, simpósio, reunião, etc.) .26 4.2.3 Separata......................................................................................................27 4.2.4 Fascículo, suplemento e número especial periódico.................................28 4.2.5 Artigo de periódico.. ..................................................................................28 4.2.6 Entrevista publicada...................................................................................28 4.2.7 Artigo de jornal..........................................................................................28 4.2.8 Parte de enciclopédia e dicionário (verbete)..............................................29 4.3 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS............................................................ .29 4.3.1 Documento em Cd-rom e disquete........................................................... .29 4.3.2 Documentos disponíveis online................................................................ .30 4.3.2.1 Monografia online..........…...............................................................… .31 4.3.2.2 Congresso, seminário e outros eventos online........................................31 4.3.2.3 Base de dados online...............................................................................31 4.3.2.4 Documento jurídico online......................................................................32

v

......2.......................2................INDICAÇÃO DA FONTE .................................35 ANEXO 02 .................32 4.....................33 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.............3............ENTRADA PARA AUTORES ENTIDADE ........................................................................47 vi ...............7 Email......................................46 ANEXO 04 ..5 Parte de periódico disponível online.............................3..............................2..............3..................ENTRADA PARA AUTORES PESSOAIS ..........ABREVIATURA DE MESES...................................4...........34 ANEXO 01 .....................................................33 4..6 Homepage............................41 ANEXO 03 .............

1 Objetivo Este trabalho tem como objetivo fixar as condições exigidas na referenciação de publicações mencionadas em trabalhos técnicos. Os elementos complementares. 1. deve ser ordenada pelo . A apresentação desses dados é normatizada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). desenvolvidos na Universidade Federal de Lavras. Os elementos que compõem a Referência Bibliográfica são considerados essenciais ou complementares. alguns elementos complementares podem tornar-se essenciais. incluindo-se todas as fontes efetivamente utilizadas para a elaboração do trabalho. 2 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO Relacionam-se as referências bibliográficas em lista própria no fim do texto ou capítulo. segundo a NBR 6023/2000. didáticos e outros. conforme o suporte físico. Deve-se deixar espaçamento simples de entrelinhas e duplo entre as referências. que acrescentados aos essenciais. científicos.1 INTRODUÇÃO Referência Bibliográfica é um conjunto padronizado de elementos descritivos. A lista bibliográfica apresentada em dissertações/teses e trabalhos técnico-científicos desenvolvidos na Universidade Federal de Lavras. retirados de um documento. que permite sua identificação individual. Os elementos essenciais são indispensáveis à identificação do documento e estão estritamente vinculados ao suporte documental e variam conforme o tipo. Em determinados tipos de publicações. denominada "REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS". permitem melhor caracterizar as publicações.

1 Pontuação A pontuação segue padrões internacionais e deve ser uniforme para todas as referências.. S.): usa-se a vírgula. ANDRADE. S. n. maio 1994. c) Vírgula (. Os dados que não constarem do documento original podem ser obtidos em outras fontes de informação e são indicados entre colchetes.. número de edição (3. A. para separar o nome do editor da data de publicação. como a seguir: a) Ponto (. LOPES.): usa-se o ponto-e-vírgula. A.1. As referências são alinhadas somente à margem esquerda e de forma a identificar individualmente cada publicação. seguida de espaço. J. A. 103. 54-59. OLVEIRA. para separar autores entre si (SOARES. na referência de artigo de periódico para separar o título do periódico do local de publicação.). Os elementos essencias e complementares são retirados do próprio documento e são apresentados em seqüência padronizada. p. M. número de fascículo e data (v.) e para separar partes de um artigo de periódico publicado em mais de um volume (ver 4. Manual de irrigação. de.2. A. ed.). A. Rio de Janeiro. J. No rastro da soja. conforme exemplos a seguir: Ex.): usa-se o ponto. de. Viçosa: UFV. imprenta (local.1). n.sistema alfabético (letra por letra) pela entrada. 596 p. 1989. 9. editora e data). volume. (autor e/ou título). v.). 2 . GUIMARÃES. 3. para separar sobrenome e nome do autor (SOARES. b) Ponto-e-vírgula (. Globo Rural. J. O. 2.: BERNARDO. seguido de espaço. número de páginas e/ou volumes (ver 4. 5. seguido de espaço. ed. M. Na alfabetação de títulos os artigos definidos e indefinidos iniciais devem ser excluídos. após a indicação dos seguintes elementos: nome(s) do(s) autor(es).5). após as abreviaturas de prenomes de autores (SOARES.. em qualquer idioma.

n. etc. seguidos de espaço. 3. simpósio e outros eventos sem título específico.1. [1993?] data provável de publicação. Ex: [s. h) Colchetes ([ ]): indicam-se entre colchetes os elementos não extraídos da obra referenciada. cap. (ver 4.] sine nomine = sem nome. 1998). indica-se o título apenas pela expressão Anais .10). d) Dois pontos (:): dois pontos. mês e ano (v. também na separação de volume e página (v. jan. 1.] sine loco = sem local... quando este é um autor entidade.4. Também é usado para indicação de data de publicação encerrada e em curso de publicação (ver 4. Na referenciação.b) e na indicação de editor. e) Hífen (-): usa-se o hífen para ligar página inicial e final de parte referenciada (p.. 28-56). 364 p. número do fascículo. 3. abr.) ou volume. por exemplo. Documentos..1. capítulo e página (v.17a.. seguida do respectivo órgão subordinado (Sete Lagoas: EMBRAPA-CNPGL). i) Reticências (. é usado também para indicar ausência dos elementos. g) Barra (/): ligam-se por barra transversal os elementos do período coberto pelo fascículo referenciado. p.n. quando este constitui uma só unidade. sendo volume. é usado para separar o título do subtítulo (Brasília: a cidade e o homem) e entre o local de publicação e editora (São Paulo: Atlas). [s. 1/4. 1978/1979) e para indicar MEC/ESAL/FAEPE). e na indicação de instituição principal e subordinada em nota de série (EMBRAPA-CNPGL.l. 01).): empregada quando se faz supressão de parte pouco importante do título. 9/10. de anais de congresso. j) Travessão (____): o travessão de seis espaços é indicado pela NBR6023 para substituir o autor e/ou título repetido sucessivamente na lista editores co-responsáveis por uma obra (Lavras: 3 . Resumos .10-38).../dez..

o negrito nos títulos em destaque na referência bibliográfica. mas deve haver coerência no tipo de destaque usado para a lista bibliográfica de um mesmo documento. 3 APRESENTAÇÃO E DESCRIÇÃO DOS ELEMENTOS 3. depois da primeira ocorrência. na mesma referência. também usado quando o autor da parte referenciada é o próprio autor do documento.1b). Adotar-se-á itálico negritado para títulos em negrito e itálico sem negrito para os títulos sem destaque tipográfico. Nomes científicos de animais e plantas devem ser grafados na referência bibliográfica em itálico.2. Adotar-se-á o travessão apenas na referência de partes ou capítulos cujo autor da parte referenciada é o próprio autor da obra (ver 4. preferencialmente. 4 . Os autores são identificados como: Autor pessoal: pessoa(s) física(s) responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de uma publicação.1 AUTOR O autor constitui a entrada principal da referência bibliográfica.bibliográfica. O itálico e o grifo também podem ser utilizados. Para os trabalhos desenvolvidos e/ou editados na UFLA não será usado o travessão para indicar autores ou títulos referenciados sucessivamente na lista bibliográfica.2 Aspecto tipográfico Deve-se utilizar o mesmo tipo e tamanho de letra do texto. Adotar-seá. 2. evitando-se repetir o(s) nome(s) do(s) autor(es) para a parte e para o documento no todo.

geralmente.Autor entidade: instituição(ões). M.” (ABNT. em caixa alta (letras maiúsculas).1.. empresa(s). 2000. P.1 Até três autores Indicam-se os autores na mesma ordem apresentada no documento. (para Olavo Braz Martins dos Guimarães Bilac). SOARES.1 Autor pessoal Indicam-se os autores pessoais. indicação de produção científica em relatórios para órgãos de financiamento. SOUSA.: BILAC.12). 3. A.: SOUSA. organização(ões). P. 5 . P.. Ex. nos quais a menção dos nomes for indispensável para certificar a autoria.2 Mais de três autores Segundo a NBR6023. A. J. p. M. M. O. separado do(s) prenome(s) abreviado(s) por vírgula e espaço. NBR6023. adotar-se-á os nomes de todos os autores na referência bibliográfica. Ex.1. SOARES." (e outros). N. N. (para Olavo Bilac) ou. A ordem apresentada no documento original deve ser seguida criteriosamente na referência bibliográfica.1. NOTA: “Em casos específicos (projetos de pesquisa científica. dos G. B. tal como está apresentado no documento. A. BILAC. é facultado indicar todos os nomes. LOPES. com a entrada pelo último sobrenome... A. Para as dissertações/teses e outros trabalhos científicos desenvolvidos ou editados na UFLA. N. de. M.). O nome do autor é transcrito na referência.: ARAÚJO. Os autores são separados entre si por ponto e vírgula. MELO. de. J. etc. MELO.1. M. MELO. 3. com prenomes abreviados.. O. A. P. Ex. comitê(s). é indicado apenas o primeiro autor seguido da expressão "et al. comissão(ões) responsável(eis) por uma publicação na qual não se identifica a autoria pessoal. 3.1. seguido de espaço. de. de.

faz-se a entrada pelo último sobrenome seguido. GARCIA JÚNIOR. Santo. dos. J. Entrada correta Ex. Neto e Sobrinho são incorporados ao último sobrenome. Júnior.: ANJOS. J. Entrada correta Ex. G. Nome João Castelo Branco Geraldo do Espírito Santo Fernando Costa Santa Cecília Antônio São Paulo Nome Pedro Castro Neto Afrânio Garcia Júnior Júlio Brandão Sobrinho Álvaro Melo Filho 6 . F. bem como os sobrenomes compostos ligados por hífen. J. J. e Nome João dos Anjos José Antônio Soares da Silva José Antônio de Souza Júlio César de Melo e Souza b) Sobrenome com designativo de parentesco Os conectivos Filho. A. Entrada correta Ex.3 Nomes brasileiros e portugueses Como regra geral. dos prenomes abreviados. do SANTA CECÍLIA. do. C. P. etc. das. C.: CASTELO BRANCO. A. A. d'. A. e.) estas são apresentadas na ordem em que aparecem no nome por extenso. J. da SOUZA. J. S.1. de SOUZA. MELO FILHO.3. ESPIRITO SANTO. dos SOARES.1. da. Santa. ou precedido de atributos. c) Sobrenomes compostos São formados por duas palavras que compõem uma expressão individual (sobrenome adjetivado). após vírgula.: CASTRO NETO. tais como São. A. SÃO PAULO. a) Nomes com conectivos Na apresentação bibliográfica de nomes e/ou sobrenomes com partículas (de. BRANDÃO SOBRINHO. de M.

. seguida da abreviação do tipo de responsabilidade.1.8 Outros tipos de responsabilidades Quando necessário outros tipos de responsabilidades como tradução. A.1. Ex. F.1. etc. profissionais. O.. 3. 3. 3. P. ALMEIDA.).4 Nomes estrangeiros Osório Duque-Estrada A entrada de nomes estrangeiros obedece a determinados critérios específicos da língua ou nacionalidade. pode ser acrescentado após a referência. etc.5 Pseudônimos Quando um autor adota pseudônimo em sua obra.). Se o verdadeiro nome for conhecido. O título original.6 Nome de autores com títulos Os títulos universitários. A.1.1.7 Responsabilidade por obras coletivas Quando houver indicação explícita de responsabilidade pelo conjunto da obra. G. quando indicado na obra referenciada. a entrada deve ser feita pelo(s) nome(s) do(s) responsável(eis). nobiliárquicos. 3.: CUNHA.1.1. no singular e com inicial em letra maiúscula.1. Entrada correta LOBO.).DUQUE-ESTRADA.1. atualização.. ALMEIDA. não são indicados na referência bibliográfica. 3. da (Coord. são acrescentados após o título.1.. notas. Está apresentada no Anexo 01. (Org. conforme aparecem no documento. após o pseudônimo. [Marcelo Tupinambá]. M. este é indicado entre colchetes. J. (Ed. ilustração. M. A. Pseudônimo Fernando Lobo 7 . SOARES. este deve ser adotado na referência. em coletânea de vários autores. FERRI. M.

indica-se a língua do texto traduzido e. Em caso de duplicidade de nomes. etc. 1976. FLORES. Tradução de Alfredo Alves de Faria. São Paulo: EPU/EDUSP. ed. a) Entidade com denominação genérica: seu nome é precedido pelo nome do orgão superior. CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA. J. 2 v. O. Tradução de Aristeu Mendes Peixoto. O jardim das rosas. 1944. Versão Francesa de: Franz Toussaint. a seguir. associações.. Ministério da Educação. ed. Cálculo e geometria analítica. Título original: An introduction to animal breeding.1. Ex. 3. 5). V. 1995. São Paulo: Makron Books do Brasil. Introdução ao melhoramento genético animal.. a do texto original. (Ver também Anexo 02). (Temas de biologia. O direito de família.: SAADI. Q.: BRASIL. W. 11. Revisão técnica Antônio Pertence Júnior. Original árabe.. Rio de Janeiro: Forense. b) Entidade com denominação específica: quando a entidade vinculada a um órgão maior tem denominação específica que a identifica.. a entrada é feita diretamente por seu nome. UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. 1994. congressos. Ex. Atualização e notas de Humberto Theodoro Júnior. Ex. Secretaria da Fazenda. Tradução de Aurélio Buarque de Holanda.: BOWMAN. E.) têm entrada pelo próprio nome da entidade. SÃO PAULO (Estado). M. 86 p. 124 p.2 Autor entidade As obras de responsabilidade de autor entidade (orgãos governamentais. ou pelo nome da jurisdição geográfica a qual pertence. 652 p. MORENO.: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. R. C. empresas. SWOKOWSKI.Ex. Rio de Janeiro: J. GOMES. No caso de tradução feita com base em outra tradução. (Coleção Rubaiyat). 2. por extenso e em caixa alta. deve-se 8 . Olympio.

3 Autor desconhecido Em caso de autoria desconhecida. c) Unidades: unidades subordinadas administrativamente ao órgão superior.: BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). Faz-se a supressão com o uso de reticências. sem negrito. Suprime-se o subtítulo quando este fornecer informação irrelevante à compreensão do título. separado por dois pontos. em caixa alta. Ex. seguido. sem incidir sobre as primeiras palavras para não ocorrer alteração do sentido. Os termos que implicam em subordinação administrativa estão apresentados no Anexo 02. A supressão de parte do título só deve ocorrer para títulos demasiadamente longos. item 1. a) Título principal de livros. entre parênteses. Biblioteca Central. 3. da unidade e identificação geográfica. faz-se a entrada pelo órgão superior. entra-se pelo título com a primeira palavra transcrita em caixa alta.2. BIBLIOTECA NACIONAL (Portugal). 9 . teses. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. com a letra inicial e nomes próprios transcritos em letras maiúsculas. Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Leite. quando necessário. após ponto.1.acrescentar a unidade geográfica que identifica a jurisdição a que pertence. folhetos e similares: transcreve-se o título em negrito e acrescenta-se o subtítulo (sem negritar).: ESTUDOS filosóficos: homenagem a Serafim da Silva Neto. 3. Ex.: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. Ex.2 TÍTULO O título é transcrito como figura no documento referenciado.

: PESQUISA AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Ex.: A PREVIDÊNCIA social no Brasil. registra-se o segundo ou o que estiver em destaque.4) como de coleção completa (ver 4. o título é sempre o primeiro elemento da referência.2. separando-o do primeiro pelo sinal de igualdade.b). entre colchetes.: Boletim Mensal [da] Bolsa de Valores de São Paulo. Ex. No caso de periódico referenciado como um todo.5). Ex.: Pesquisa Agropecuária Brasileira.: CANADIAN JOURNAL OF AGRICULTURAL ECONOMICS= REVUE D’AGROÉCONOMIE. b) Título de periódico: recomenda-se transcrever o título de periódico ou seriado por extenso. d) Acréscimo ao título: para a títulos de periódicos em língua de difícil acesso (não latinas) pode-se acrescentar o título traduzido. podem ser indicados após o título.1. é transcrito com a primeira palavra em caixa alta. Ex.Ex. em negrito. O termo anônimo não deve ser usado em substituição ao nome do autor desconhecido. Opcionalmente. tanto para a referência de número especial (ver 4. registra-se o primeiro.2. ligados por uma preposição entre colchetes. BOLETIM MENSAL [da] BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO c) Periódico com título genérico: incorpora-se ao título o nome da entidade autora ou editora. Quando o título aparecer em mais de uma língua. quando se tratar de autoria desconhecida. 10 . sendo transcrito por extenso e em caixa alta.: Agroecologia: bases científicas para a agricultura alternativa. O título de livro em início de referência. Outros acréscimos apresentados no documento referenciado.17a. após o título em língua original. quando considerados essenciais. quando se tratar de referência de artigo (ver 4. Ex.

.C. etc. Belo Horizonte (e não BH). Edição crítica por Darcy Damasceno com a colaboração de Maria Filgueiras. etc. rev. e) Títulos de congressos e outros eventos: quando não há um título específico e são tratados genericamente como anais do congresso. London (e não Londres). rev.. (segunda edição revista e aumentada) 2. e aum.. a partir da segunda. indica-se o título.. (Inglês) 2.Ex.: PENA.. quando mencionada no documento referenciado. Comédias de Martins Pena. atualizada.. Anfl. ed. ed. f) Publicações traduzidas: acrescenta-se o nome do tradutor. (segunda edição revista e atualizada) 3.. ed. Este deve ser transcrito na língua da publicação. Resumos..1. apenas por Anais. (alemão) Os acréscimos à edição como revista. rev. ampliada. resumos do congresso.. L.10).: 2. Indica-se o número seguido de ponto e da palavra edição abreviada no idioma da publicação.. ed. Ex. 11 . devem ser indicados de forma abreviada.3 EDIÇÃO Indica-se a edição. e atual.1. acrescenta-se o nome do estado ou país. Ex. (português) 5. precedido da expressão “Tradução de” e em nota especial acrescenta-se o título original. ed.4 LOCAL (cidade) O local apresentado na referência é a cidade onde a publicação foi editada. aumentada.M.. em negrito.. No caso de homônimos.: 2. de forma completa e por extenso como Rio de Janeiro (e não Rio).. (Ver 4. (segunda edição revista) 2..9) 3. após o título. seguido de reticências (ver 4.

(separa-se o órgão subordinado do principal por hífen). "Typographia". OS GRANDES clássicos da poesia lírica. indica-se entre colchetes. transcreve-se o primeiro ou o que estiver em destaque. "Papelaria". RJ San Juan. precedido de dois pontos seguido de espaço. indica-se apenas a primeira ou a que estiver com maior destaque na página de rosto. desde que sejam dispensáveis a sua identificação. 108 p. tais como: "Company".. Cria e recria. Mass. Ex. 3. [São Paulo]: SDF Editores. "Livraria".l. Ex. entre colchetes. No caso de editores com nomes pessoais. Wiley (não John Wiley & Sons) A. 1994. Havendo mais de um local de publicação.l]: Ex Libris.] (sine loco) = sem local. Sendo impossível determinar o local.5 EDITORA O nome da editora é transcrito após o local. As demais também podem ser registradas com os respectivos locais.: MEC/UFLA/FAEPE. 12 . suprimindo-se os elementos que designam a natureza jurídica ou comercial. Pegoraro (não Prof. 1981. [S. MA/EMBRAPA-SPI. UK Cambridge. adota-se a abreviatura [S. Chile San Juan. Quando mais de uma. etc. Adhemar Pegoraro) Quando há mais de uma editora. "Lithografia".Ex. "Ltda". Se o nome da editora estiver com igual destaque. indicam-se os prenomes por iniciais maiúsculas seguido de ponto e sobrenome por extenso. indica-se a primeira. S. AL Viçosa. Quando o local não aparece no documento mas pode ser identificado.: LAZZARINI NETO. estas são separadas entre si por barra (/).: J. Ex. "Sons". 60 f. MG Viçosa.: Viçosa. Edição de uma ou mais entidades em colaboração deve ser indicada pela(s) sigla(s) da(s) entidade(s). Puerto Rico Cambridge.

: [1981 ou 1982] um ano ou outro [1983?] para data provável [1983] data certa. Quando a editora é a mesma instituição responsável pela autoria e já tiver sido mencionada. [19--]. ver 4.17a. 64 p. 13 .6 DATA Transcreve-se o ano de publicação em algarismos arábicos. entre colchetes. entre colchetes.17b e na referência de uma série de volumes de periódico. 3.] (sine nomine) = sem editora. distribuição.n. indica-se uma data aproximada. 1960] para data aproximada. Não sendo possível determinar a data de publicação.]. Ex.l.n.n.: v. a data de publicação deve sempre ser indicada.1. entre colchetes: Ex. impressão ou copyright. precedido por vírgula e espaço. O fim do mundo: romance. Lavras. [S. indica-se [s.: s. Ex. não é indicada.1. 15-20.: EUPAPIUS. 229 p.: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. Quando estiverem ausentes o local e o editor indica-se [S. 1993-1998. Por se tratar de elemento essencial. indica-se a data inicial seguida de hífen (1978-). Também são ligadas por hífen as datas extremas do periódico encerrado (1959-1985) ver 4.: s. (ca = cerca de) [198-] para década certa [198-?] década provável [18--] para século certo [18--?] para século provável Para periódicos em curso de publicação.Na ausência de editor. E. 2000.]. Ex.l. não indicada no item [Entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos [ca. Processo seletivo 1999 /2000.

NBR6023. semestre. Ex." (ex. 1998..: 260 p.. 2000. em lugar dos meses. neste caso. Campinas: Instituto Campineiro de Ensino Agrícola. L.). é apresentado numa lista bibliográfica. Quando se tratar de referência de documento no todo.: MURAYAMA. S. 1980b. 40 f. S. seguido da abreviatura “p” ou “f”. S. a publicação apresentar as estações ou divisões do ano em trimestre. A. 428 p. 2. se o documento tem mais 14 . ed. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal e Pastagens) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. conforme lista de abreviaturas apresentada no Anexo 03.: Summer 1998..” (ABNT. p. Nota:“A folha é composta de duas páginas: anverso e verso. 1992. A. 1973. VERDADE. Fruticultura. Universidade de São Paulo. deve-se indicar o número total de páginas ou folhas. são impressos apenas no anverso e. Piracicaba.15). em cativeiro. Ex. SOUSA. 3. 2. M. como teses e dissertações.: SOUSA. Ocorrência. Meses com quatro ou menos letras são transcritos por extenso. Quando mais de um trabalho do mesmo autor. indica-se f. um volume. identifica-se por letras minúsculas após o ano.1 Número de páginas e volumes Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física. etc.Faz-se a indicação de mês de forma abreviada no idioma original do documento. Alguns trabalhos. Produção. publicado no mesmo ano.7. Manejo reprodutivo do jacaré-do-papo-amarelo Caiman latirostris.7 DESCRIÇÃO FÍSICA 3. indica-se o total de páginas seguido da abreviatura "p. sem espaço. ou seja.. Ex.. Quando. transcrevem-se os primeiros tais como figuram no documento e abreviam-se os últimos. 1980a. trim.

Quando indicado o volume de uma obra referenciada no todo. p. Se o número de volumes bibliográficos diferir do número de volumes físicos. Em referência de capítulos ou partes de monografias e artigos de periódicos indica-se o numero da página inicial e final da parte. Para ilustrações coloridas. a indicação de número de páginas é opcional.: 3 v. Ex.).7. precedido da abreviatura "p. indica-se o número destes seguido de abreviatura "v. P. n. p. 15 . 3. ed.: p. 5 v."(ex. pela abreviatura il. com exceção de documentos tridimensionais cujas medidas devem ser dadas com exatidão. Em ambos os casos. a) Ilustração: quando necessário indica-se ilustração de qualquer natureza."(ex. seguido do número de volumes físicos. inclusive tabelas e figuras. para artigo de periódico. 1995. deve-se aproximar as frações ao centímetro seguinte. b) Dimensão: indica-se para formatos excepcionais.: SILVA. em 3.: 8. usar “il. Quando o documento não for paginado indica-se “Não paginado”.”. na referência de um dos volumes da coleção." (ex. cap. color. Quando há volume. 3. estes precedem à indicação da página (ex. 3. capítulo. Rio de Janeiro: Forense.2 Ilustração e dimensão São elementos complementares e indicados excepcionalmente se julgados necessários.5 x 5 cm). para parte de monografia). 2..: v. sem qualquer destaque tipográfico. contendo a altura da publicação em centímetros. Vocabulário jurídico. 2.: v. v. Quando a paginação for irregular indica-se “Paginação irregular”. 2). 34-40). após a indicação das páginas. fascículo. D. 38-46. indica-se o número do volume precedido da abreviatura "v. deve-se indicar primeiro o número de volumes bibliográficos. 4. 69-75. Pode-se acrescentar também a largura (ex.de um volume.

(Texto para discussão. sem uso de parênteses. a vinculação acadêmica e local. dissertações e outros trabalhos acadêmicos: devem conter. apostila.: (FAO. fac-símile. Coleção plantar. são apresentadas no final da descrição do documento. resumo. Ex.: (EMBRAPA-SPI. Relatórios metodológicos. Os títulos de série ou coleções editadas por entidades devem ser precedidos das siglas das respectivas entidades. (Princípios. no prelo. 243). Quando se tratar de duas ou mais notas de série. (Visão do futuro. o grau. bula de remédio. 2). folder. etc. indicados em nota. tese. 31). b) Teses. CD-ROM etc. inclui índice. (monografia. separá-las por ponto e vírgula. 85. bibliografia. o tipo de documento. inclusive aquelas que esclarecem sobre a forma do documento tais como mimeografado. recensão. 464). Ex. (IBGE.. Série brasileira). 1). resenha. coleções e sua respectiva numeração (quando houver) são indicados tal como figuram no documento. 19). Informes técnicos. não publicado. n. v. (Biblioteca luso-brasileira. 16 .). Ex. Estúdios agropecuários.8 NOTAS a) Série e coleções: títulos de séries. OMS.: (História em aberto). dissertação. c) Outras notas: notas especiais. entre parênteses.3.

H. 1998. L. Belo Horizonte: UFMG. c) Sem autor (anônimo) POSTHARVEST food losses in developing countries. Título: subtítulo. 4.2 Folheto PRATES. Belo Horizonte. S. H. Manual para normalização de publicações técnico-científicas.1. S. rev. Local de publicação: Editora.1 REFERENCIAÇÃO DE DOCUMENTOS CONSIDERADOS NO TODO AUTOR(ES). 4. Número de páginas e/ou volumes. VASCONCELLOS. A. Outras notas 4. MAGALHÃES. (Série). data. ed. e aum. BORGES. 1989.4 APRESENTAÇÃO DE REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Nesta apresentação. 64 p. 1978. 213 p. 176 p. de. exemplifica-se o formato das referências bibliográficas relativo a cada tipo de documento. considerado no todo e em parte . EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS. Leguminosa nativa do Estado de Minas Gerais: coletas e avaliações preliminares de alguns gêneros. PELEGRINETTI.1 Livro a) Autor pessoal (mencionar todos os autores) FRANÇA. 4. (Coleção aprender). 1978. Edição.. J.. Recomendações para o uso de corretivo e fertilizantes em Minas Gerais: 4ª aproximação. Controle sanitário e cultural: 17 . Lavras. M.1.. Washington: National Academy of Sciences. b) Autor entidade COMISSÃO DE FERTILIDADE DO SOLO DO ESTADO DE MINAS GERAIS. R. de A. C. 206 p. M. J.

São José dos Campos: Johnson & Johnson. Responsável técnico: Delosmar R. 4. 4. mapa. Lavras. Dissertação (Mestrado em Ciências dos Alimentos) . meridianos etc. C. 1966. P. Campinas: Fundação Cargill. Elaboração de trabalho acadêmico. v. SANTINI. Atlas florestal do Brasil. acrescidos das informações técnicas sobre escalas. 18 .legislação e relação de defensivos para citros. Uso da temperatura da madeira como alternativa de controle do processo de secagem. Apostila. 1990. No prelo. 4. 3 p.) sempre que necessário para sua identificação. 1997. 82 p.1.1. 6. Revista Cerne. 40 p. 4.Universidade Federal de Lavras. 2000.5 Bula de remédio RESPRIN: comprimidos.1. 2001. globo. 1995.1. E. Bula de remédio. 1. Rio de Janeiro: Ministério da Agricultura. P.1. formatos e outras representações utilizadas (latitudes. Lavras. E.1 Atlas VELOSO.4 Apostila SILVA.7.7 Documentos cartográficos Inclui atlas. 4. Lavras: ESAL. As referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos. H. J. Influência do leite proveniente de vacas mastíticas no rendimento de queijo frescal. 55 p.1. n. Bastos. longitudes. fotografia aérea entre outros.6 Documento no prelo São considerados no prelo os documentos já aceitos para publicação pelo Conselho Editorial ou Editora. G. 4.3 Tese MATIOLI.

2 Mapa BRASIL e parte da América do Sul: mapa político. São Paulo: Michalany.5 Imagem de satélite. Escala 1:600. 4 e 5. rodoviário. digital ESTADOS UNIDOS.3 Fotografia aérea INSTITUTO GEOGRÁFICO E CARTOGRÁFICO (São Paulo. 4. escolar. 15.4 Imagem de satélite LANDSAT TM5.7. 79 cm x 95 cm. GOES-08:SE. 4 e composição colorida 3. Itajaí: UNIVALI.7.1. Fx 28.1. SP).. 1 mapa. n. 13 jul. 4. GIF: 557 Kb. Imagem de satélite.1999 Data da captação 17:45Z Horário Zulu IR04 Banda Itajaí Local UNIVALI Instituição geradora 1999071318. Escala 1:35. turístico e regional. Projeto Lins Tupã: foto aérea.000.8 Enciclopédia NOVA Enciclopédia Barsa. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica do Brasil.1. 20 v.000. Imagem de satélite: 1999071318. color.7. Escala 1:100. IR04. 1987-1988.000.4. Canais 3. São Paulo. National Oceanic and Atmosferic Administration.1. 19 . 4. 1998. NOTA .1999. 17:45Z. São José dos Campos: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.7. 1981.GIF Título do arquivo 557 Kb Tamanho do arquivo 4.1. 1986.Informações do arquivo digital: GOES Denominação do satélite 08 Número do satélite na série SE Localização geográfica 13 jul.

1. C. BOWMAN. 573 p. Título original: Problems in small animal neurology. 4. Introdução ao melhoramento genético animal. CONGRESSO FLORESTAL PANAMERICANO. Curitiba. 96 p. CONGRESSO INTERNACIONAL DE HENGEL. Lisboa. Tradução de André Luís Montagnini et al. Título original: An introduction to animal breeding.. 1223 p. 1996. inventor. Anais. Indicação da fonte onde foi citada a patente. conferências. 1976. 1993. Autor. Lisboa: Livros Horizonte. São Paulo: Roca. Curitiba. da publicação do pedido de privilégio. 20 . Classificação internacional de patente (quando houver). CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA.. Local de publicação: Editora. 432 p. L..10 Congressos. 1996. 86 p.9 Documento traduzido CHRISMAN. 11. Tradução de Aristeu Mendes Peixoto. Neurologia dos pequenos animais. São Paulo: EPU/EDUSP.: subtítulo. Data do depósito. Londrina: Sociedade Brasileira de Fruticultura.. data. (Depositante. 1976.. 7. (Temas de Biologia. quando houver. 1.. local de realização. 4.1.11 Patentes ENTIDADE RESPONSÁVEL. 1985. J. CONGRESSO FLORESTAL BRASILEIRO. Idéia e matéria: comunicações ao congresso de Hengel.º. encontros e outros eventos NOME DO CONGRESSO. 1993. Fruticultura sem fronteira: livro de resumos.4.. n. Páginas ou volumes. Curitiba: SBS/SBEF. ano. 1976. 14. Título.. C. 5). Sigla do País seguida do número da patente. titular) Título da patente na língua original.1. da expedição da carta patente.

Rio de Janeiro. v. 126.12 Documento jurídico Inclui legislação.) JURISDIÇÃO. de 1991. artigo 1. resolução. a) Lei BRASIL. 4. Brasília. p. 1991. 1988.º. 971. etc. jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos (legais). Autoriza o desbloqueio de letras financeiras do Tesouro do Estado do Rio Grande do Sul. mês e ano). 1970. maio/jun. 48 p. v.º 72. Resolução n. P. v. 9.1.CASTRO. 8 abr. 4. Decreto-lei n. Brasília. número e data (dia. p. n. 1988. BR n. b) Decreto BRASIL. C.º 17. 5. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. 183. Congresso. A. Belo Horizonte: Conselho Regional de Medicina Veterinária. Dados da publicação que transcreveu a legislação. Revista de Propriedade Industrial. 66. 2423. CI A 47 J 34/08.1 Legislação (lei.517. decreto. DF. Título. Lei n. Dispõe sobre o exercício da profissão de Médico-veterinário e cria os Conselhos Federal e Regional de Medicina Veterinária. 19. c) Resolução BRASIL.12. de 1990. Senado. 1987. PI 8706107. 12 nov. Seção 1. p. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil. Panela com tampa peneira. n. 21 . 23 out.º da Resolução n.1. Estabelece critérios para pagamento de gratificação e vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos na administração federal direta e autárquicas e dá outras providências. Ementa. de 7 de abril de 1988. 1156-1157.1968. através da revogação do parágrafo 2. 6009.

16. 1994. sentença. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. número. Salário mínimo.º 14. I. In: _______. Relator: José Osório. enunciado. 1997. paper. B.1. em forma convencional ou em meio eletrônico. Reprodução de fotografias sem a autorização do titular. Pode estar apresentado em vários tipos de suporte físico. 1993. São Paulo. Para referenciação de doutrina. p.2 Jurisprudência (súmula. Belo Horizonte. de. 20. seleção e notas de Theotonio Negrão com a colaboração de José Roberto Ferreira Gouvêa. MARANHÃO.12. 1068 p. 2 de fevereiro de 1989. etc. b) Acórdão SÃO PAULO (Estado). 643. Supremo Tribunal Federal. local e data. CARVALHO. p. p. 1989. 17. e atual.3 Doutrina Inclui toda e qualquer discussão técnica sobre questões legais.12. In: ______./dez. Acórdão 101. Revista do Legislativo. D. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil. partes envolvidas (se houver). n.872-1.d) Código BRASIL. Dados da publicação. LIMA JÚNIOR. Súmulas. 22 . A legislação eleitoral e a competição política. Direito do trabalho. acórdão. São Paulo: Saraiva. 67. JURISDIÇÃO. Código civil e legislação civil em vigor. B. em razão de idade.). L. ed. Súmula n. Não é admissível por ato administrativo restringir. Revista dos Tribunais.. relator. Título (natureza da decisão ou ementa). seja monografia. 4. O. ed. 16. etc. Órgão judiciário competente. artigo de jornal. 4. aplica-se a regra específica para o tipo de documento ou suporte físico em que estiver apresentada. out. atual. Oraganização. 614 p. a) Súmula BRASIL. rev. n. trabalho apresentado em evento. 1997. 9-13. Rio de Janeiro: FGV. inscrição em concurso para cargo público.1. artigo de periódico.

Relator ou consultor: nome (quando houver).12/79. 245.FAEPE. jan. 1980. mês e ano). Deliberação n. deliberação JURISDIÇÃO ou Instituição responsável. 23 .ª INSTITUIÇÃO. Fixa o período de recesso para o futebol profissional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. a) Portaria UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. p. Ementa (quando houver). 1872.14 Convênio NOME DA 1. EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DE MINAS GERAIS. Lavras. ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA DE LAVRAS. 27 dez. 8340-8341.FAEPE. 1982. 24 set. 1994. Lavras. com a interveniência da Fundação de Apoio ao Ensino Pesquisa e Extensão . Dados da publicação que transcreveu o documento. 01 dez. 1993. de 16 setembro de 1982. Brasília. data (dia. de outro a Universidade Federal de Lavras . n.1. p. Brasília. 230. 26 de dezembro de 1994. Título. Documenta. 183.UFLA. resolução. Brasília. 120. Local. c) Deliberação CONSELHO NACIONAL DE DESPORTOS. Termo de convênio de mútua cooperação que entre si.13 Portaria. Termo aditivo ao convênio de cooperação que entre si celebram a Escola Superior de Agricultura de Lavras e a Fundação de Apoio ao Ensino Pesquisa e Extensão . fazem. 2135. Título.1. b) Resolução BANCO CENTRAL DO BRASIL. n. 4. de um lado a EMATER. v. 132. e. Seção 2. p. n. v. Seção 1. 0624. 1997.4. Portaria n. Resolução n. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Dispõe sobre renegociação de dívidas relativas a crédito rural concedido a produtores de cacau. 06 dez. número e data. 294.

35 mm. 1998. característica de som (legendada ou dublagem). c) filme de longa metragem CENTRAL do Brasil. fita de vídeo. son. etc.1 Filme. cor. 1996. entrevista gravada. [1997?]. Othon Bastos.]: Le Studio Canal.16. Intérpretes: Fernanda Montenegro. São Paulo: Encyclopaedia Britannica Educacional Corporation. Título: subtítulo. dimensões (em mm).). realizador.. TÍTULO: subtítulo. Curitiba: Agrodata Vídeo. produtor.). F.4. 1 filme (78 min. Marília Pera.1 Fita cassete.1. Outras indicações de responsabilidade (entrevistador. color.15. Elenco relevante. Matheus Nachtergaele e outros. Tipo de suporte e unidades físicas. Local: Produtora/Distribuidora. Direção de Flávio Zenette.. color. Créditos (diretor. b) filme COMO fazer o seu pomar. son. DVD e outros. Número de unidades físicas. tempo em minuto. a) videocassete VOCÊ sabe escutar? Direção de Jesus S. 1 filme (106 min.. CD. data. son. Direção: Walter Salles Júnuir. [S. Sônia Lira. roteirista e outros). Sistema de gravação (VHS. MACT Productions.). (dubl. Amaral.l. Betamax.). Vínicius de Oliveira. Local: gravadora ou equivalente. 4.). João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. etc.15 Imagem em movimento 4.16 Documento sonoro 4. diretor artístico. (dubl. VHS.1.1. data. 1 fita de vídeo (15 min). 24 . Produção: Martire de Clement-Tonnerre e Arthur Cohn. produtor. color. duração e outros dados importantes. long play e outros COMPOSITOR (ES) OU INTERPRETE (S). Roteiro: Marcos Bernstein..). VHS. Riofilme.1.

Revelação. Face a face. 3 ¾ pps. Luiz Inácio Lula da Silva: depoimento [abr. Mensal. [S. Local de publicação (cidade): Editor. Outros dados como periodicidade.). Entrevistadores: V. L. Movieplay. Rio de Janeiro: Globo.l. 1985-. 1988.1. 1991. Direção artística: Miguel Propschi.. 25 . 2 fitas cassete (120 min. estereo. 1 CD (50 min. indicação de índices e ISSN. Garcia. Tremel e M. Semestral. a) Em curso de publicação GLOBO RURAL. ano do 1º volume seguido de hífen e data de encerramento da publicação(se houve). 1 CD (ca.1991].). 1 disco sonoro (45 min.]: Emi-Odeon Brasil. estereo.). mudança ou incorporação de outros títulos. 4. 12 pol. (Globo collection.).a) fita cassete FAGNER. 3 ¾ pps. d) CD (um intérprete e vários compositores) SIMONE. 1971-1975.17 Periódicos e seriados considerados no todo TÍTULO DO PERIÓDICO. 1988. b) Publicação encerrada AGROS.). e) CD (vários intérpretes e compositores) MPB especial. 40 min. Entrevista concedida ao Projeto Memória do SENAI-SP. Lavras: ESAL. 1995. São Paulo: RCA Victor. 2). estereo. Remasterizado em digital. [Rio de Janeiro]: Globo. R. I. 1 fita cassete (60 min. Rio de Janeiro: CBS. L. São Paulo: SENAI-SP. b) entrevista gravada SILVA. Ouro e cobre. 33 1/3 rpm. c) Long play (um intérprete e vários compositores) ALCIONE. 1977. da.

1986. local de realização. cap. SILVA. b) Parte sem autoria específica EUCLIDES FILHO. Título da publicação. In: NOME DO CONGRESSO. In: ______. M.º do capítulo. 4. AUTOR DA PARTE REFERENCIADA. Brasília: EMBRAPA-SPI. Confinamento de bovino de corte. M.º do volume. ed. Página inicial-final . (Série). simpósio. In: AUTOR DA OBRA. verbete de enciclopédia e dicionário. N. Análise a nível de empresa dos impactos da automação sobre a organização da produção de trabalho..1 Parte de livro a) parte com autoria específica (parte de coletânea) FLEURY. trecho. Edição. Título do trabalho: subtítulo. A.2 Trabalhos apresentados em eventos (congresso. ano. Coleção criar.2 DOCUMENTOS CONSIDERADOS EM PARTE Inclui capítulo. n. 1). Gestão da empresa. In: ______. 4. Título da parte.º. L. 2. S. 21-31.4. 149-159. p. N. M. Possibilidades de produção sustentada de madeira em floresta densa de terra firme da Amazônia brasileira. página inicial e final da parte referenciada. Sistema de cruzamento. J. 1980. p. Local: Editora. São Paulo: Nobel. 29-89. (Usar travessão de seis espaços se o autor da obra for o próprio autor da parte) . Data. data. In: SOARES. C. artigo de periódico.2. reunião. MARTIM. p. etc. prefácio.) AUTOR DO TRABALHO. Título da obra. Brasília: IPEA/IPLAN. K. 3. fragmento. Cruzamento em gado de corte. R. etc. Local de publicação: Editora. 1996. : subtítulo. Nutrição de bovino de corte em confinamento. n. artigo de jornal. J. (EMPRAPA-SPI. T. In: CONGRESSO 26 .2..

). Recife: SBF. (Ed. Construtivismo del movimiento educacional: soluciones. 1990. Anais.3 Separata As separatas. Anais... 1990. 6. R. reimpressões etc. Recife. M. W. J. Separata de: AUTOR (da publicação principal). J. RAMOS. H. data. Página inicial-final da separata. A. B. 1962. d) Separata de periódico Nas separatas de periódicos. A.n. data da separata). 27 . p. Título: subtítulo.. devem ser referenciadas como documentos considerados em parte. 1166-1171. Lisboa: Escolar. b) Separata de livro publicada por outra Editora em data posterior à publicação original: MAKAU. A. [s.. 6. 1981. Separata de: DIAS. 1981. FELICIANO. Química e sociedade: a presença da química na atividade humana. A. Lisboa: J. Moléculas da vida. 1990.. Campos do Jordão. do C. a) Separata de livro publicada pela mesma Editora na mesma data da publicação original: LOBO. Separatas de partes AUTOR. a expressão "Separata de:" deve preceder o título do periódico. Campos do Jordão: SBS/SBEF. Esperanza de la educación hoy.. 1960. v.). Piaget. p. 309-340. M. 49-62. Local de publicação: Editora.2.FLORESTAL BRASILEIRO. p. Córdoba. (Separata publicada por outra editora em data posterior a publicação original deve conter o Local : Editora. Título. Separata de : MOORE..]..M. 4. 39-45. p. 4.. uma nova cultivar para conserva. Separata de: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA. J. M. BR-2. B. substituindo-se a expressão "In" por "Separata de". c) Separata de publicação em congresso: NAKASU. BASSOLS. (Ed. Pêssego.

2. v. p. Nematóides: o inimigo oculto da agricultura. INFORME AGROPECUÁRIO. 38. Local de publicação (cidade): Editor. 84-93. v. seção ou suplemento. n.º ou título do caderno. 11. Número especial. Revista Roche. Total de páginas. Local de publicação. out. Rio de Janeiro. v. v. 8. Brasil. 18. N. 135 p. n.7 Artigo de jornal AUTOR. Local.2. A. 1984. P.4 Fascículo. Título do Artigo. Separata de: Boletim da Sociedade Brasileira de Geologia. Belo Horizonte: EPAMIG. v. 1992. n. página inicial-final. 298-301. p. p. de. 84 p. 1959. A. set. ano. ago. 4. É fácil enriquecer. São Paulo. mês e ano. 130. 1998. n. 28 . 1. 9. Título do periódico. MATOS. v. Entrevista. 34. 4. 1985. 172. 4. Rio de Janeiro: FGV. L. CONJUNTURA ECONÔMICA. jan. Título do Jornal. Informe Agropecuário. Epidemiologia da fusariose do abacaxi. p. Problema de saúde pública: hidatidose humana. Nota especial. 17-30. B. maio 1959. n.WEBBER. N. suplemento e número especial de periódico TÍTULO DO PERIÓDICO. n. n. 46-49. Título do fascículo. n. Bauxitização no distrito de Poços de Caldas. Edição especial. 16. n.º de ordem da(s) coluna(s).2. 4. Veja. Rio de Janeiro. REY. As 500 maiores empresas do Brasil. mês. 26-32. 31.5 Artigo de periódico AUTOR. 120-127. Belo Horizonte.2. n.º do fascículo.º do volume.6 Entrevista publicada RIVLIN. Entrevistador: Eurípedes Alcântara.º do fascículo. Título do artigo.º do volume e/ou ano. página inicial-final. v. 11-13. 1958. 58-64. dia. 19. p. mês e ano.

p. Usar anabolizante no gado é crime hediondo. B. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS.” (ABNT. In: FONT QUER. 2000. N. 10. A. São Paulo: Dynaware Sistemas de Informática. Straud 2000: manual de serviços aos usuários. L.2.. CD-ROM.1998. a paginação do artigo ou matéria precede a data. O Estado de São Paulo. 1 CD-ROM. 9. LEAL. 1977. 15. c. 1999. R.3. Jornal do Brasil. 25 abr. C. 249-253. quando necessário. SOARES. Florianopólis: UFSC.8 Parte de enciclopédia e dicionário (verbete) NAPOLEÃO Bonaparte.. b) Congresso no todo (Cd-rom) SOUZA. P. Suplemento Agrícola.11). Quando não houver seção. Anais. caderno ou parte. 1-5. p. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica do Brasil. após a referência. 1998. 4. 4. C.1 Documento em Cd-rom e disquete a) Cd-rom no todo FUJITA. Rio de Janeiro.M. p. São Paulo. Florianópolis. S. v. 2000. 4. 14 out. 2000. NBR6023. 1 CD. L.GARCIA. DVD trarão indicação da quantidade de unidades físicas seguida da especificação do tipo de suporte e outros dados. acrescentar a respectiva extensão atribuída ao arquivo. Convergência: um fator de qualidade nas redes acadêmicas. 2000.. Barcelona: Labor. 3.. In: NOVA Enciclopédia Barsa. S. p. ACRÓFILO.3 DOCUMENTOS ELETRÔNICOS As obras disponíveis em disquete. M. Dicionário de botânica. 11. MP fiscaliza com autonomia total. 29 . p. Nota: “No caso de arquivos eletrônicos.

precedido da expressão “Disponível em:” e da data de acesso ao documento. no fim da linha. artigo de jornal. Normas. Word for Windows 7. arquivos em disco rígido.4) 30 . Nota: “Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. NBR6023.1: project planning software. UNIBIBLI CD-ROM: catálogo coletivo de livros.). segundo padrões internacionais.c) Base de dados (Cd-rom) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. site. deve ocorrer sempre após barra (/). A divisão de endereço eletrônico. programs. 5 disquetes.0. disquetes. Biblioteca Central. trabalho apresentado em evento. 4. mensagens eletrônicas entre outras). etc. p.l. version 4. As informações sobre endereço eletrônico e data de acesso também são acrescidas aos documentos de acesso exclusivo em meio eletrônico (bases de dados. Normas para apresentação de trabalhos. UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA “JÚLIO DE MESQUITA FILHO”. São Paulo. 2000. listas de discussão.” (ABNT. 1 CD-ROM. artigo de periódico. Conjunto de programas. 1995. 4. 1998. [S.3.doc. d) Programa (Cd-rom) MICROSOFT Project for Windows 95. Curitiba. 1 CD-ROM. teses e publicações seriadas. ed. 3 ½ pol. acrescidas de informações sobre o endereço eletrônico apresentado entre braquetes (< >). 1997. e) Arquivo em disquete UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. precedida da expressão “Acesso em:”.]: Microsoft Corporation.2 Documentos disponíveis online As obras consultadas online são referenciadas conforme normas específicas para cada tipo de documento (monografia no todo e em parte. documento juridíco.

b) Parte de livro TAKAHASHI. Disponível em: <http://www. 2000. Acesso em: 28 nov.2. Acesso em: 01 dez.Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.3. Fortaleza.2. Sociedade da informação no Brasil: livro verde. p. 144 p. Acesso em: 28 nov.). E. c) Tese SILVA.br>.4.). seminário etc.fapesp.br/virtualbooks/ freebook/port/did/teses.3 Base de dados online INSTITUTE FOR SCIENTIFIC INFORMATION. Disponível em: <http//www.. T. H. b) Parte de congresso. Acesso em: 01 dez. 2000.org.br/>. GIESBRECHT. Fortaleza: Nutec.br>. The Web of Science: citation databases. Acesso em: 22 ago.2 Congresso. cap. Brasília: Socinfo/MCT. In: ______. O. seminário. 2000. 4. Mercado. 2000.3. 2000.htm>. 2000.org. 2000. (Coord. 2000. 2000. São Paulo. Disponível em: <http://webofscience. no todo CONGRESSO ABIPTI. 31 . trabalho e oportunidades. São Paulo.socinfo. 13-24.1 Monografia online a) Livro no todo TAKAHASHI. (Coord. 2000. In: CONGRESSO ABIPTI. 2. 2000. T. 2000.3.br>. Disponível em: <http://www.socinfo.terra. Fortaleza: Nutec. 4. Arbitrariedade do signo: a língua brasileira de sinais (LIBRAS).abipti. Brasília: Socinfo/MCT. Disponível em: <http://www.abipti. 2000.br>.2. Dissertação (Mestrado em Lingüista Aplicada e Estudo de Língua) .org. 1997. Gestão de institutos de pesquisa tecnológica. Disponível em: <http://www. 90 p. Fortaleza. M. Avaliação de desempenho de institutos de pesquisa tecnológica: a experiência de projeto excelência na pesquisa tecnológica. Acesso em: 22 ago.com. etc. seminário e outros eventos online a) Congresso. Gestão de institutos de pesquisa tecnológica.gov.

com. 2000. Ciência da Informação. Disponível em: <http://www. Seção 1.gov. Acesso em: 20 nov. 2000. Súmula n. Brasília. 2000. DF.STF.br/cionline>.º 1. Não é admissível por ato administrativo restringir. Institui a gratificação de incentivo à docência e outras providências. Disponível em:<http://www. Acesso em: 01 dez. Medida provisória n.br/>. Supremo Tribunal Federal.trunetm.5 Parte de periódico disponível online a) Artigo de periódico BAGGIO. 32 .4. Disponível em: <http://www. 2000.º 2051-7. 28 set.3. 4ª Região. 4.º 59.br/mp_leis/mptexto. 29.º 14.trf4. A UFIR . p. de 03 abr.propesq. inscrição em concurso para cargo público. de 27 de setembro de 2000. Acesso em: 28 nov.ufpe. R.asp?mp=2051-7>.2.4 Documento jurídico online a) Súmula em periódico eletrônico BRASIL.ibict. 2000. Supremo Tribunal Federal.3.html>.gov. c) Resolução CONSELHO COORDENADOR DE ENSINO. Disponível em: <http://www. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. em razão de idade. Boletim de Jurisprudência. Brasília.br/jurisnet/sumus. Estabelece normas para a organização e funcionamento de cursos de especialização (pós-gradução lato sensu) na Universidade. DJ (Seção 2) de 18/11/98. Súmula n. PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Resolução n. como índice de correção monetária de débitos e créditos tributários. n. Acesso em: 15 dez.htm>. passou a viger a partir de janeiro de 1992. 2000 b) Súmula em Homepage BRASIL.br/editne/012000CEPE. Disponível em: <http://www. 2000. Acesso em: 01 dez. 519.2. A sociedade da informação e a infoexclusão. fev. d) Medida Provisória BRASIL.in. 2000. Poder Executivo.

Lavras News.ufpb. 2000. Hipertexto: tramas e trilhas de um conceito contemporâneo.informacaoesociedade.br>. Apresenta informações sobre a Universidade Federal de Lavras.6 Homepage UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. 10. Biblioteca virtual [mensagem pessoal]. 2000. Recife. Pesquisador holandês visitou a Universidade Federal. Disponível em: <http://www. Desenvolvido por Eliana Maria da Silva. Informação e Sociedade.br/index. 1. Acesso em: 30 nov.3.RESENDE. A.7 Email SILVA. 4. Lavras. 30 nov. Disponível em: <http://www. 2000. Disponível em: <http://www. E.htm>. 33 .2. M.br/>. v. 2000.lavras. 2000. Centro de Informática. n.br> em 20 abr.ufla.com. Acesso em: 30 nov. 2000. F. Seção Educação. 4. Mensagem recebida por <fcisco@maibr. Acesso em: 29 nov. 1996-1999. G.com. J.3. b) Artigo de jornal CICARELLI.2.

M. pt. D. 43 p. 2000. 1). G. (Coleção aprender). 1999. Belo Horizonte: UFMG. I. Biblioteca Central.. 6. L. 1995.n. Campinas: Autores Associados/Unicamp. A. 34 . A.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 1999. MARTINS. 4. de C. Textos didáticos. dos. São Paulo: Atlas. MARCANTONIO. Manual de organização de referências e citações bibliográficas para documentos impressos e eletrônicos. M. T. cap. N. 1999. Referenciação bibliográfica: aplicação da NBR 6023/89. 1997. 2000. Campinas: PUCCAMP-FABI. SANTOS. Normas de referenciação e descrição bibliográfica para o Sistema EMBRAPA de Informação: versão preliminar. M. Formatação e normalização de trabalhos monográficos. Belém: UNAMA. p. 5 p. C.. SOUZA. da. ed. L.]. AACR2 Anglo-American Cataloguing Rules: descrição e pontos de acesso. In: _______. J. 92p. 56 p. FRANÇA. A. ed. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. Campinas: [s. 92 p. F. S. 22 p. 1992. 92 p. Normas para apresentação de trabalhos: referências bibliográficas. Curitiba: 1995. rev. SANTOS. M. Entrada para nomes de língua portuguesa em registros bibliográficos: NBR10523. Brasília: CEDIT. 2. P. 22 p. LEME. Referências bibliográficas e referências de documentos eletrônicos. M. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. (PUCCAMP-FABI. LEHFELD. de T. 121-149. RIBEIRO. Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. Elaboração e divulgação do trabalho científico. 1996. A. ZANAGA. 15. de S. 5. M. Referência bibliográfica: NBR 6023. ed. M. e aum. HORA. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ.. 577 p. M.

Mc. Jones Jr. Leggett C. A. É por ele que deve-se entrar. John J. Rummel J. A. por extenso. L. D. Fitz. Saint. San. J. O designativo Júnior deve ser incorporado. Nome dos Autores A. W. JOHN. F. Entrada Correta LEGGETT.Ó. Szent. JONES JÚNIOR.2 Nomes ingleses Entrar pelo último sobrenome. WEAVER. seguido. após vírgula. Entrada Correta FITZ HERBERT. St. A.. J. R. M’Gulloch D. San Julian 1. F. M’GULLOCH. M’. RUMMEL. O’. Nome dos Autores D. após o sobrenome. Mac Donald W. St. F. M. J. ST. Ap. Fitz Herbert J. C. dos outros elementos do nome. 35 . O’CONNER.ANEXO 01 ENTRADA PARA AUTORES PESSOAIS 1 Nomes estrangeiros 1. D. R. O’Conner L.1 Sobrenomes com prefixo atributivos de qualquer nacionalidade Entrar pelos seguintes prefixos A’.3 Nomes espanhóis a) O sobrenome paterno antecede o materno: não devendo ser abreviado. Ben. 1. MAC DONALD. SAN JULIAN. Weaver M. F.

B. A. exceto nos casos em que o prefixo consiste apenas de um artigo (la. de Oviedo y Baños A. DALLA VOLTA. PACHECO Y DE LEYVA. de las COSA. PEREZ FONTANA. de. Nome dos Autores B. de li. de RIO. OVIEDO Y BAÑOS.Pacheco y de Leyva J. lo. del Rio M. las). b) Entrar pela parte do nome que segue o prefixo no caso de: de’. La Gioia A. de ARCO Y MOLINERO. li. I. la. 36 . del LAS HERAS. de Figueiroa A. las Heras 1. M. L. LA GIOIA. GUTIÉRREZ-VAZQUEZ. entrar pelo prefixo. A. LO CONTE. F. G. Gutiérrez-Vazquez V. a Prato U. de Garneri G. Nome dos Autores I. de la Cosa F. E. de las Casas J. de la FIGUEIROA.Nome dos Autores S. V. S. del b) Sobrenomes com prefixo de. degli e dei. A. U. G.4 Nomes italianos a) Entrar pelos seguintes prefixos: a. entrar pelo artigo. de la. A. J. V. del Negro L. del. A. A. Entrada Correta CASAS. neste caso. della. J. M. dalla Volta G. DEL NEGRO. de las e del: entrar pela parte do nome que se segue ao prefixo. A. Perez Fontana J. LO SURDO. Ramón y Castal E. M. J. del Arco y Molinero Entrada Correta RAMÓN Y CASTAL. d’. dalla. A PRATO. di. da. Lo Surdo Entrada Correta DE GARNERI. Lo Conte V.

d’ MUSSET. de VRIES. J. Entrar pelo primeiro nome. T. l’. Le Beau E. de 37 . degli a) Entrar pelo prefixo nos casos em que esse é um artigo ou contração do artigo com uma preposição. Nome dos Autores T. degli Alberti 1. F. L.5 Nomes franceses Entrada Correta ALBERTI. DES CILLEULS. A. A. d’ GAULLE. le. Des Cilleuls Entrada Correta LE BEAU. E. O. de Vries 1. como: la. caso ele esteja na ordem chinesa de apresentação de nome Entrada Correta AUBIGNÉ. A. du e des. A. S.6 Nomes chineses O nome de família antecede os prenomes que são em geral ligados por hífen. de Musset O.Nome dos Autores A. J. DU BOIS. C. de ORBIGNY. Du Bois J. d’Aubigné A. A. F. Nome dos Autores J. b) Quando já constituído somente pela preposição de ou d’: faz-se a entrada pelo sobrenome. S. de Gaulle L. d’Orbigny C. A.

C. T. Nome dos Autores Farkas Károly Szent-Gyorgyi Albert 1. o nome de família é o que vem em primeiro lugar. abdoul. K. C. S.Y. SZENT-GYORGYI.). abu. Entrada Correta FARKAS. H.: nas revistas inglesas e norte-americanas. com sobrenome em último lugar. F. A. abou-el. A. abd-el. SUN. ABOU-EL-EZZ. Nome dos Autores Aly Abdal Aziz Youssef abou-el-Ezz Hedieh Khalil el Agouz 1. Yang Chang Hsi Fan Fu 1.9 Nomes alemães/holandeses/flamengos Entrada Correta ABDAL AZIZ. Obs.7 Nomes húngaros Nos nomes húngaros. EL AGOUZ. H. devem preceder a esses. CHIANG. Entrada Correta CHANG. etc. quando precedem os sobrenomes.Nome dos Autores Chen Tai-Chien Chiang Kai-Shek Sun Yat-Sem Entrada Correta CHEN. ‘abd al. 38 . K.8 Nomes árabes Os prefixos e suas variantes (al. abou. abdal. Y. FU. el. ibn. devendo-se citá-los como um nome ocidental Nome dos Autores C. tais nomes já aparecem inglesados. S. K. Y.

van der: entrar pela parte do nome que segue estes prefixos: Nome dos Autores C. ver Boven W. F. VER BOVEN. van’t. M. ZUM BUSH. P. zur Linde S. vom. P. am Thym D. 39 . H. P. von. van’t Hoff H. Sen Gupta K. ten HELM. van. C. ZUR LINDE.P. J.M. ten Bruggencate C. O. zum. Entrada Correta AM THYM. C. vom Ende J. ten. van’s MUHLL. W. von der Branden P. von HOEVE. J. S.10 Nomes indianos Quando Sen ou Das precede um sobrenome indiano. A. von der Muhll J. van den. von Goethe F. ver. von der HOFF. von BRANDEN. C.P. P. von Holt J. Nome dos Autores P.C. de b) Sobrenomes com os prefixos am.a) Sobrenomes com de. Nome dos Autores A. J. van’t BOOR. ter GRAVENWEIRT. de Helm M. van der GOETHE. M. ter Braak J.O. W. van der Hoeve J. a entrada é feita por eles. de BRAAK. P. J. von der BRUGGENCATE. von der. Das Gupta Entrada Correta SEN GUPTA. DAS GUPTA. VOM ENDE. van’s. J. D. zur: entrar pelo prefixo. zum Bush 1. de Boor Entrada Correta HOLT. K. van’s Gravenweirt P. W.

af GEER. Nome dos Autores H. de Geer Entrada Correta PLATEN. G.1. von Platen C.11 Nomes dinamarqueses/noruegueses/suecos Entrar pela parte do nome que segue os prefixos af. von UGGLAS. H. R. G. de. R. C. J. G. de 40 . J. von. af Ugglas G.

2 Termos que implicam em subordinação administrativa: Assessoria Bureau Coordenadoria Consultoria Delegação Delegacia Diretoria Diretório Equipe Escritório Gabinete Inspetoria Núcleo Procuradoria Representação Secretaria Unidade 41 . Câmara dos Deputados. Centro de Pesquisa. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA.ANEXO 02 ENTRADA PARA AUTORES ENTIDADES 1 Termos que constituem entrada principal: Agência Câmara Centro Comissão Comitê Conselho Coordenação Grupo Executivo Programa Projeto Serviço Superintendência Exceções: BRASIL.

Supremo Tribunal Federal. CENTRO INTERNACIONAL DE MEJORAMIENTO DE MAIZ Y TRIGO. CATI CENAGRI CEPAL CEPLAC CIMMYT COORDENADORIA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA INTEGRAL . 42 . BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. BANCO DO NORDESTE DO BRASIL. COMISIÓN ECONOMICA PARA AMERICA LATINA Y EL CARIBE. STF CAB BRASIL. BRASIL. COORDENAÇÃO DE INFORMAÇÃO DOCUMENTAL AGRÍCOLA. Presidente (1956-1961. BIBLIOTECA NACIONAL (Portugal). Kubitschek).3 Exemplos de entradas para autor entidade: Sigla ABNT Entrada correta ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. BID BNB BNDES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO. BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). COMMONWEALTH AGRICULTURAL BUREAU CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO. COMISSÃO EXECUTIVA DO PLANO DA LAVOURA CACAUEIRA.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE OBRAS CONTRA AS SECAS. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE MATO GROSSO DO SUL. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DO RIO GRANDE DO NORTE. EMPRESA GOIANA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA CODEVASF CSIRO DNOCS EMPRAPA-CNPH EMCAPA EMEPA EMGOPA EMPAER-MS EMPAER-MT EMPARN EPACE EPAGRI EPAMIG ESALQ 43 . EMPRESA CAPIXABA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MINAS GERAIS. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DO CEARÁ. EMPRESA CATARINENSE DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. COMMONWEALTH SCIENTIFIC AND INDUSTRIAL RESEARCH ORGANIZATION.CNPq CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE MATO GROSSO. COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO DO VALE DO SÃO FRANCISCO. EMPRESA ESTADUAL DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DA PARAÍBA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Argentina). FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE MINAS GERAIS . INSTITUTO DE ECONOMIA AGRÍCOLA. FAPEMIG FAPESP FINEP IAC IAPAR IBGE ICA IEA IICA INCRA INTA INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA. FAO ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A AGRICULTURA E ALIMENTAÇÃO. INSTITUT DI RECHERCHES AGRONOMIQUES TROPICALES E DES CULTURES VIVIERIS. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. INSTITUTO COLOMBIANO AGROPECUÁRIO. IPEA IPT IRAT ITAL 44 .LUIZ DE QUEIROZ. INSTITUTO NACIONAL DE TECNOLOGIA AGROPECUÁRIA (Buenos Aires. INSTITUTO AGRONÔMICO DO PARANÁ . FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS INSTITUTO AGRONÔMICO DE CAMPINAS. INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. INSTITUTO DE TECNOLOGIA DE ALIMENTOS. FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Coordenadoria de Ação Social. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. 45 .JOÃO PAULO II. OEA OMS ONU PETROBRÁS ORGANIZAÇÃO DOS ESTADOS AMERICANOS. PETRÓLEO BRASILEIRO S/A. SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO NORDESTE. Papa. SÃO PAULO (SP). ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. SBCS SBPC SUDENE UFLA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO. UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS. SÃO PAULO (Estado). SÃO JOÃO DEL REI. Secretaria de Planejamento. SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CIÊNCIA. OBSERVATÓRIO NACIONAL (Brasil). Juscelino. KUBITSCHEK. Secretaria de Planejamento. Secretaria de Educação.

April .mag.Dez. marzo . Dezember .Sept. Maio .feb.Dec.jul. Novembre . agosto . Francês Janvier .dez.Sept.apr. Italiano gennaio .août Septembre . Noviembre .mar. October .July August . December . Mars . Abril .ago.Nov.mai juin .Apr May .Feb. Dezembro .ene.Okt.dic. February . Julho . Março .Mar. Oktober .dec.nov.jan.oct.out.ott.juin Juillet . mai .Marz April .jun. ottobre .giug.jun. Alemão Januar . 46 . aprile .June July . Diciembre . November .sept. Fevereiro . Septiembre . dicembre .set. Julio .dic.Feb.Aug. Agosto . Espanhol Enero .nov. maggio .Nov.Oct.Jan. novembre .abr. Marzo .Mai Juni . March .abr. Octubre . settembre .Apr. Inglês January .ago. Outubro . September .Juni Juli .set.sept. Février . Decembre .Aug.jan.May June .dec.oct.ago.juil.nov.mars Avril . Febrero . Mayo – mayo Junio .fév. giuglio . November .Juli August . Marz .mar. febbraio .feb.gen. Agosto . Octobre .mar. Novembro . Abril . août . Setembro .giul.fev.jul. Mai .ANEXO 03 ABREVIATURA DE MESES Português Janeiro .nov. decembre . Februar . giugno .avr.maio Junho .Jan. September .

Sendo o autor parte integrante da citação. indicação de informação pessoal e apresentação de tradução de transcrição. indica-se também a página. O sobrenome do autor deve ser apresentado com apenas a letra inicial maiúscula. quando necessário. unidade geográfica para órgãos da administração direta do país. sigla ou nome da Instituição para o autor entidade. facilitando e reduzindo economicamente o processo de composição e reprodução do texto. Sistema alfabético: remete as citações diretamente para a seção de Referências Bibliográficas. apenas a data de publicação 47 . Estes dados são apresentados entre parênteses quando o autor não constitui parte integrante da citação. Neste sistema a indicação da fonte de onde foram retiradas as informações ou citações é feita empregando-se a entrada da referência bibliográfica (sobrenome do autor para pessoa física. Um único sistema deve ser adotado no transcorrer do texto. complementares.ANEXO 04 INDICAÇÃO DA FONTE A fonte de onde foi retirada a citação ou informação é indicada pelo sistema de chamada alfabético ou numérico. quando se tratar de citação literal . seguido da data e separados por vírgula. As notas de rodapé e fim de capítulo se limitam àquelas de natureza explicativa. Para as dissertações e teses desenvolvidas na Universidade Federal de Lavras. recomenda-se o uso do sistema de chamada alfabético. estado ou município e a primeira palavra do título para publicações com autoria anônima) seguido da data de publicação e.

Exemplos: ⇒ Estudos de Liu & Baker (1980) demonstraram .indica-se autor e data entre parênteses. portanto. que significa e outros). segundo) ligando o texto e autor. Ambas são simultaneamente usadas.registra-se . c) Dois autores . assim define sistema econômico: conjunto organizado cujas partes ou elementos são interdependentes e funcionam obedecendo a determinados princípios de ordem econômica. d) Três ou mais autores . b) Autor incluído na citação . 1982).” (forma abreviada de et alii. social e jurídica. São mais usados em fim de frase ou parágrafos e não contem um conectivo (por.é apresentada entre parênteses. Exemplo: ⇒ Sistema econômico é definido como um conjunto organizado cujas partes ou elementos são interdependentes e funcionam obedecendo a princípios de ordem econômica. Exemplos: ⇒ Confirmaram-se. a expressão latina “et al..indica-se apenas a data entre parêntese. (1983)..indica-se ambos separados pelo conectivo “&”... Exemplo: ⇒ Lapa (1982). conforme. os resultados obtidos por Oliveira et al. conforme exigência da citação e estilo de apresentação do texto. 48 . após a entrada do primeiro autor. A indicação da fonte no sistema alfabético deve observar as seguintes regras gerais: a) Autor excluído da citação . ⇒ Em seus estudos Liu & Baker (1980) demonstraram . evitando-se o uso do conectivo “e” conforme o idioma do texto. social e jurídica (Lapa.

1956) ou Barbosa. Exemplos: ⇒ (Soares. a chamada pela sigla da instituição. 1981). na chamada no texto. sem espaço. (1956) h) Publicações do mesmo autor publicadas no mesmo ano . 1992a) ⇒ (Soares. C. (1956) Barbosa.indica-se. Exemplos: ⇒ Segundo dados da FAO (1998) a produção mundial de milho ultrapassou . C. após a data.faz-se distinção das publicações citadas.b) ou Soares (1992a) Soares (1992b) Soares (1992a. R.. ⇒ Conforme indicado pela Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais (1984). R. Exemplo: ⇒ A Universidade coloca a produção do conhecimento entre um público mais amplo. em geral. seguida do ano de publicação.. Exemplos: ⇒ (Barbosa. não limitado apenas à sua clientela habitual formada pelo próprio corpo discente (Brasil. 1992a.e) Autor entidade (pessoa jurídica) . f) Órgãos da administração pública direta . sendo a sigla oficial ou de uso corrente. g) Autores com mesmo sobrenome e data .quando citados numa mesma lista bibliográfica.b) 49 . faz-se a chamada no texto com o acréscimo ao sobrenome do autor da letra inicial do seu primeiro nome... 1992b) ⇒ (Soares.indica-se a entrada pela unidade geográfica. 1956) ⇒ (Barbosa. pelo acréscimo de letras minúsculas em ordem crescente.

presentes em várias de suas obras. separam-se por ponto e vírgula os identificadores de cada fonte..307 toneladas em 1996 (Anuário . Moura.. j) Várias publicações de diferentes autores . 50 . separamse por vírgula e o último autor pelo conectivo “e”. 1993. ⇒ Minas Gerais. k) Publicações sem identificação de autor . conforme o idioma do texto que se está escrevendo.indicam-se as fontes pela ordem cronológica de data de sua publicação..a citação de afirmativas de um mesmo autor. 1997. Se os autores forem apresentados fora de parênteses..... com 1...252. 1980).. maior estado produtor de café no Brasil .. “and”.i) Publicações do mesmo autor editadas em anos diferentes . 1999).. Quando a chamada figurar dentro de parênteses. 1997) exportou.indica-se a chamada pela palavra inicial do título.. precedida de artigo inicial.. (Conservacionistas . Exemplos: ⇒ Conforme análises. seguido da data. etc.. quando houver. é indicada pelo sobrenome do autor seguido das datas das publicações em ordem crescente. 1996) comprovam .. (Rodrigues. Bastos. Exemplos: ⇒ Segundo Doria (1981). ⇒ Afirmações recentes comprovam . Exemplo: ⇒ Afirmações de Carvalho (1993. Alves (1990) e Carvalho (1992) . os ecologistas nacionais estão empenhados no tombamento da montanha . Schimidt (1981)..

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful