Que possam as aves voarem todo este mundo em mim Percorrer o céu de meu ser até os limites do infindável

onde minha consciência não se atreveu olhar Esse mundo é tão imenso e cabe todo em mim Olhos de ver que não visualizam o universo no espelho Basta acreditar que além das ilusões os sonhos são as verdadeiras margens dos nossos sentidos Todos vividos apenas na imaginação

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful