12

ATIVIDADE DO PSICANALISTA NÃO É EXCLUSIVA DE MÉDICO

Parecer CFM
EMENTA

Psicanálise. A atividade exclusiva de psicanálise não caracteriza exercício da medicina. A titulação médicopsicanalista não tem amparo legal, não sendo, portanto permitido a sua utilização. O consulente solicita resposta oficiais desta Egrégio Conselho Federal de Medicina acerca da atividade de psicanalista, pontuando questões das quais adianta saber as respostas, mas as deseja receber de forma oficial. O interessado anexa informações objetivas e clara a respeito de assunto, fazendo-nos entender que domina ampla e profundamente a matéria para a qual, no entanto, solicita a nossa posição. A parte o interessa não revelado do consulente pelo pronunciamento deste Conselho, passamos a manifestar o nosso entendimento sobre a atividade psicanalítica.

CONSULTA - A atividade de psicanalista é exclusiva de médico ou psicólogos? Não ou sim e por quê? Resposta:
Não. A atividade psicanalítica é independente de cursos regulares acadêmicos, sendo os seus profissionais formados pelas sociedades psicanalíticas e analistas didatas. Apesar de manter interfaces com várias profissões pela utilização de conhecimento científico e filosófico comuns a diversas áreas do conhecimento, não se limita a especialidades de nenhum delas, constituindo-se em uma atividade autônoma e independente.

12

- Existem Conselhos (Federais ou Regionais de psicanálise) não ou sim e por quê? Resposta:
Não. Os Conselhos são autarquias federais criadas por lei, com as atribuições de supervisionar eticamente, disciplinar e julgar os atos inerentes e exclusivos das profissões liberais de formação acadêmica reconhecida oficialmente no país; estando a atividade psicanalítica à parte desta conceituação. Não se lhe aplica a vinculação a Conselhos.

- Um médico ou um psicólogo que também seja psicanalista está exercendo a medicina ou a psicologia ao atuar exclusivamente como psicanalista? Não ou sim e por quê? Resposta: Não. Não sendo a psicanálise reconhecida como especialidade médica e não utilizando a sua prática atos médicos é cabível a sua caracterização como exercício da medicina e, tampouco, pode o médico intitular-se médico-psicanalista. Este é o parecer, S.M.J Brasília, 16 de novembro de 1997 Rubens dos Santos Silva Cons. Relator. Parecer aprovado: Sessão Plenária 11/02/97 Palavras-chaves: Psicanalista, médico psicanalista, especialista.

12

Senhor Presidente. Atendendo a solicitação de V.Sa., recebemos a Consulta número 13.518/90, formulada pelo Dr. Cecílio Jorge Netto, Diretor do ERSA 21-Avaré, onde deseja um parecer do CREMESP sobre os pré-requisitos necessários para que alguém possa atuar profissionalmente como psicanalista cobrando honorários dos pacientes e da necessidade ou não de estar inscrito neste Conselho. O Conselho Regional de Medicina tem como atribuição a observância do Código de Ética Médica pelo médico no exercício da profissão, porém, a título de esclarecimento informamos ao consulente que a “psicanálise” é uma modalidade de tratamento psicológico usada por médico ou profissional de outra área, com formação psicanalítica, portanto, não sendo atribuição específica do médico. Este é o parecer, s.m.j. Cons. Biagio S. Gabriel Squitino APROVADO NA QUARTA REUNIÃO DA II CÃMARA, REALIZADA EM 12.11.90. HOMOLOGADO NA 1418ª REUNIÃO PLENÁRIA, REALIZADA EM 03.12.90.

12

Conselho Regional de Psicologia SP
Carta C.º 39/00 Conselho Federal de Psicologia Conselho Regional de Psicologia do Estado de São Paulo 6ª Região São Paulo, 30 de Junho de 2000. Rua Arruda Alvim, 89, Jardim América Cep 054100-020, São Paulo, SP Tel: (11) 3061-9494, fax (11) 3061-0306 e-mail info@crpsp.org.br website www.crpsp.org.br

Prezado Senhor,
Em resposta a sua solicitação, informamos que: A Psicanálise é uma modalidade de atendimento terapêutico, que é exercida por profissionais psicólogos, psiquiatras e outros que recebem formação específica das Sociedades de Psicanálise ou cursos de especialização neste sentido. Como atividade autônoma não é profissão regulamentada. O Conselho Regional de Psicologia tem competência para fiscalizar o exercício profissional do psicólogo, incluindo-se no caso a prática da psicanálise. Se o profissional que se diz psicanalista não é psicólogo registrado no CRP-SP não temos competência para exercer a fiscalização. Caberia no caso, investigar junto ao CRM ou mesmo junto à Sociedade de Psicanálise, qual o vínculo ou a formação do profissional referido. Sendo o que havia para o momento, subscrevemo-nos. Atenciosamente, Comissão de Orientação.

12

Amparo Legal:

De acordo com o CBO(CLASSIFICAÇÃO BRASILEIRA DE OCUPAÇÕES) número: 2515-50 do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO o profissional de PSICANÁLISE pode :

Avaliar comportamentos individual, grupal e instrumental.

TRIAR casos, entrevistar pessoas, levantar dados pertinentes, observar pessoas e situações e problemas, escolher o instrumento de avaliação, aplicar instrumento de avaliação , sistematizar informações, elaborar diagnósticos , elaborar pareceres, laudos e perícias, responder a quesitos técnicos judiciais, devolver resultados (devolutiva).

Analisar, tratar indivíduos, grupos e instituições.

Propiciar espaço para acolhimento de vivências emocionais, oferecer suporte emocional, tornar consciente e inconsciente, propiciar a criação de vínculos paciente-terapeuta, interpretar conflitos e questões, promover o desenvolvimento das relações interpessoais , promover desenvolvimento da percepção interna, mediar grupos, família e instituições para solução de conflitos, dar aula.

Orientar indivíduos, grupos e instituições.

Propor alternativas para solução de problemas, informar sobre o desenvolvimento do psiquismo humano, aconselhar pessoas, grupos e famílias, orientar grupos profissionais, orientar grupos específicos (pais, adolescentes, etc., assessorar instituições.)

Acompanhar indivíduos, grupos e instituições.

Acompanhar impactos em intervenções, acompanhar o desenvolvimento e a evolução do caso, acompanhar o desenvolvimento de profissionais sem formação e especialização acompanhar resultados de projetos, particular de audiências.

12

Educar indivíduos, grupos e instituições.

Estudar caso em grupo, apresentarem estudos de caso, ministrar aulas, supervisionar profissionais da área e de áreas afins, realizar trabalhar para desenvolvimento de competência e habilidades profissionais, formar psicanalistas, desenvolver cursos para grupos específicos, confeccionar manual educativo, desenvolvimento de aspectos cognitivos, acompanhar resultados de curas, treinamento.

Desenvolver pesquisas experimentais, teóricos e clínicas.

Investigar o psiquismo humano, investigar o comportamento individual e grupal e institucional, definir o problema e objetivos, pesquisar bibliografias, definir metodologia de ação, estabelecer parâmetros de pesquisas, construir instrumentos de pesquisas, coletar dados, organizar dados, copiar dados, fazer leitura de dados, integrar produtos de estudos de caso.

Coordenar equipes de atividade de áreas afins.

Planejar as atividades da equipe, programar atividades gerais, programar atividades da equipe, distribuir tarefas a equipe, trabalhar a dinâmica da equipe, monitorar atividades das equipes, preparar reuniões, coordenar reuniões, coordenar grupos de estudos, organizar eventos, avaliar propostas e projetos, avaliar e executar as ações.

Participar de atividades para consenso e divulgação profissional.

Participar de palestras, debates, entrevistas, seminários, simpósio, participar de reuniões científicas (Congressos, etc.), publicar artigos, ensaios de livros científicos, participar de comissões técnicas, participar de conselhos municipais, estaduais e federais, participar de entidades de classe, participar de evento junto aos meios de comunicação, divulgar práticas do psicólogo e do

12

psicanalista, fornecer subsídios ás estratégicas organizacionais, fornecer subsídios á formação de políticas organizacionais, buscar parceiras, ética e organizacional.

Realizar tarefas administrativas

Redigir pareceres, redigir relatório, agenciar atendimentos, receber pessoas, organizar prontuários, criar cadastros, redigir ofícios, memorandos e despachos, compor reuniões administrativas técnicas, fazer levantamento estático, comprar material técnico, prestar contas.

Demonstrar competências pessoais

Manter sigilo, cultivar a ética, demonstrar ciência sobre o código de ética profissional, demonstrar ciência sobre a legislação pertinente, demonstrar bom senso, respeitar os limites de atuação, demonstrar continência (acolhedor), demonstrar interesse pela pessoa, ser humano, ouvir ativamente ( saber ouvir), manter atualizado contornar situações adversas, respeitar valores e crenças dos clientes, demonstrar capacidade de observação, demonstrar habilidade de questionar, amar a verdade, demonstrar autonomia de pensamento, demonstrar espírito crítico, respeitar os limites do cliente e tomar decisões em situação de pressão.

Descrição Sumária
Estudam, pesquisam e avaliam o desenvolvimento emocional e os processos mentais e sociais de indivíduos, grupos e instituições, com a finalidade de análise, tratamento, orientação e educação; diagnosticam e avaliam os distúrbios emocionais e mentais e de adaptação social elucidando conflitos e questões e acompanhamento o paciente durante o processo de tratamento ou cura; investigam os fatores inconscientes; desenvolvem pesquisas experimentais, teóricas e clínicas que coordenam equipes e atividades de áreas afins.

Condições Gerais de Exercício (...) A ocupação psicanalista não é uma especialização, é uma formação que segue princípios, processos e procedimentos definidos pelas instituições reconhecidas internacionalmente, podendo o

12

psicanalista ter diferentes formações, como: psicólogos, psiquiatras, médicos, pedagogos, filósofos etc.
DEPOIMENTOS DE PSICOLOGOS, PSIQUIATRAS E AFINS, COM FORMAÇAO PSICANALITICA A RESPEITO DO POSICIONAMENTO DO CRP EM RELAÇAO AOS RUMOSDA PSICANALISE
Fico on 28/07/2011 às 17:34 said:

A criação do conselho daria nome aos bois, já que tem muitos psicólogos que dizem que são psicanalistas, não são! Chega de psicólogos! Com o tanto de faculdades e de psicólogos despreparados que são jogados no mercado anualmente no Brasil, aos milhares, superam de longe, o que o número de pacientes. Mal sabem os psicólogos corporativistas que a psicologia é uma derivação, uma corrutela da psicanálise. fazem No mais, os como psicólogos uma geralmente forma de psiciologia

autoconhecimento, enquanto que os psicanalistas o são, por vocação.

Dimas Alves de Souza on 10/08/2011 às 19:53 said:

O Brasil precisa Crescer, amadurecer estabelecer Forma Segura de administração Judiciária, nas Instâncias Superiores do Poder Judiciário é que está a maior responsabilidade, o acontecido no impedimento da Organização de um Conselho de Classe Profissional, só pode ser desinformação, porque falta de cultura não é! Se o Psicólogo fosse Psicanalista, nós jamais nos organizaríamos

12

Conselho Profissional… mas seguimos a orientação contida na MP 1549/35 Art. 58 – ( leiam e interpretem, só não entende que é analfabeto, quando esse artigo foi impedido nós já estávamos regularizados ) e na CBO/Mtb 0.79.90 e 2515-50, mais clareza na redação é impossível para diferenciar as duas profissões – então tá errrado do Min. Trabalho???? Psicólogo não é Psicanalista, ficamos sem compreender como a justiça acata Ação de uma Instituição que não tem Poder sobre a profissão Psicanalista e ainda lhes dá ganho de causa? Imaginem se nós tivéssemos invadido a área dos Psicólogos? A profissão psicanalista não é a mesma Psicólogo, se na Lei da Criação da Profissão e Lei criação do Conselho de Psicologia contiver uma linha que indique que são responsáveis pela Profissão Psicanalista, ! então nós estávamos errados. Mas, tudo já passou, desejo sucesso aos Psicanalistas, mas Psicanalistas e não psicólogos ou será ” piscólogos ” ?

Reverendo Dr. Dimas Alves de Souza, Ph.D. Psicanalista – Filósofo – Teólogo – Comendador Grã Cruz Ordem e Progresso Grão Mestre da Ordem Maçonaria Osânica Mundial – Rito de Jerusalém. Capelão Cristão do Capítulo Eterna Vigilância.

12

Beto Cesar on 13/08/2011 às 22:27 said:

Mais uma vez, assistimos o “desespero” de uma categoria profissional em decadência!!! ( os chamados “Psicólogos”..).Será tão difícil compreender que métodos e técnicas terapêuticas tão distintas quanto as da Psicanálise X Psicologia basta para torna-las independentes em sua práxis???? Interessante que apontar outras áreas de atuação de invadir o espaço que julgam ser de direito somente da psicologia, talvez instituído por alguma “ divindade”, tem sido a maior preocupação desses profissionais. Aconteceu recentemente com a Psicopedagogia – prevaleceu o bom senso e não tiveram êxito.E lamentável ver profissionais diretamente ligados a saúde mental, que fazem seu juramento, perderem tempo tentando coibir o desabrochar dos profissionais com formação psicanalítica que tanto podem contribuir para amenizar as mazeles e a dor “da alma” de milhares de brasileiros que buscam os serviços de saúde mental, diariamente, sem sucesso! SEM TERAPEUTAS, SEM MEDICOS DA AREA E ÀS VEZES ATE MESMO SEM MEDICAMENTOS (QUANDO ESSES SE FAZEM NECESSARIOS). Acorda povo, quem fica parado perde o bonde e não alcança mais!!!!!! J.R. Cesar Psicanalista Clinico
Ricardo Santana on 06/09/2011 às 0:43 said:

Tenho formação superior em Psicologia, já fui psicólogo, e formação em Psicanálise, sou

12

psicanalista. Além de formação em Direito, sou advogado. Realmente, a necessidade de uma Lei Federal é exigência legal prévia à criação do Conselho Federal de Psicanálise. Isto será inevitável. Apenas questão de tempo. Pois a Psicanálise é uma ciência autônoma, independente de qualquer uma outra. Coisa que não acontece, por exemplo, com a Psicologia. A Psicanálise está perfeita sem a Psicologia; já a Psicologia, sem a Psicanálise, fica em uma situação complicada… Espero que rapidamente seja sanada esta dificuldade… O que vem sendo feito com a Psicanálise, atualmente no Brasil, não é justo. Estão equiparando a Psicanálise ao Reiki, Florais de Bach, etc.

JRCésaron 06/09/2011 às 9:21 said:

Concordo plenamente com suas colocações caro Colega. Sabemos da necessidade da Lei para que se possam organizar os Conselhos, o que ocorre é que uma parcela de profissionais sérios da área da psicanálise, se preocupam com o que já vem ocorrendo, justamente por isso temos as Associações, e até “Conselhos”, digamos informais, que acompanham a atividade profissional dos profissionais que realizam sua formação e se filiam a essas, justamente para evitar desordens. Agora quanto ao fato de defender interesses de uma única classe interessada em manter-se sustentada pelas

12

bases do Dr. Sigmund Freud, juntamente, buscando apoio das ditas “ASSOCIAÇÕES” COMPOSTA DE PROFISSIONAIS QUE JUSTIFICAM SEUS INTERESSES NA NÃO REGULAMENTAÇÃO DA PSICANÁLISE APOIADOS EM COISAS DO TIPO “NÃO HÁ NECESSIDADE DE SE REGULAMENTAR O QUE JÁ É REGULAMENTADO”, FICA MUITO DIFÍCIL DE DIGERIR. Enquanto isso nossa “SAÚDE MENTAL” vai de mal a pior, e o sofrimento desses que necessitam desse atendimento e de suas famílias, deixados a própria sorte. Afinal são apenas “Loucos”!!!!! Você vê relação com a história da saúde mental????

Ricardo Santana on 06/09/2011 às 10:49 said:

Tenho dito que a Psicologia e a Psiquiatria (leia-se: Medicina), Psicanálise. recebeu são Este ciências problema um prêmio, independentes da ciência eu com da a de

Psicanálsie, vem deste Freud. Não por nada, Freud apenas que saiba, literatura, pelo magnifífico “A Interpretação dos Sonhos”. Então, se é para que a profissão de Psicanalista seja regulamentada, que venha a Lei Federal que determinará a criação do Conselho Federal de Psicanálise do Brasil e seus Conselhos Regionais. Que venham as regulamentações. O Código de Ética. Tenho formação em Psicologia, já atuei durante muitos anos como psicólogo e como psicanalista; e posso dizer, sem receio, a Psicanálise é uma ciência autônoma, independente, de qualquer uma outra ciência. E a Psicologia e ou a Psiquiatria

12

não são competentes para encampar a ciência da Psicanálise. Com todo o respeito, “cada macaco no seu galho”. Na realidade, temos muitos parasitas vivendo do trabalho de seus inscritos, nos Conselhos espalhados por este Brasil a fora… Com todo o respeito dois, como é de se observar, “enquanto os cães ladram, a caravana passa”. Assim, volto a insistir, se é por exigência legal, e exigência legal em um país como o nosso pode ser até motivo de piadas (mas não vou entrar neste mérito), que venha a Lei Federal e que os Psicanalistas possam trabalhar serenamente, dentro da legalidade, como sempre trabalharam. Que a Psicanálise não continue sendo usurpada pela Psicologia e pela Psiquiatria.

FONTE: SITE

Kanzler Melo Psicologia

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful