Livro de Instrumentos Musicais Tradicionais Portugueses

B3 - Operadores de Informática Tema de Vida: Música Tradicional Portuguesa

................................................................................................................................ 3 Cavaquinho........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ 2 Gaita de foles...................................................................................................................................................... 6 Reco-Reco .....................................................................................................Índice Índice .......................................................................................................................................................................................................................................... 7 .............................................................................................................................. 4 Acordeão..................................................................................................................................................... 5 Pandeireta........................................................................................... 7 Flauta ............................................................................................................................................................................................................... 4 Harmónica.......................................................................... 4 Tambor. 5 Viola Amarantina........................................................................................................................................................................ 3 Guitarra Portuguesa......................................................................................................... 5 Adufe.............................................. 3 Ferrinhos.............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. 6 Concertina.................................................................................................................................................

Algarve. em Coimbra e no Sul. Ferrinhos Origem Surgiu por volta do séc. não excedendo os 52 cm de comprimento total num exemplar comum. que explica a sobrevivência de modos arcaicos e helénicos na música minhota à luz de possíveis influências gregas exercidas sobre os primitivos calaicos daquela Província.basta pensar que os foles são feitos geralmente com peles de animais de pastoreio. munido de um fole (reservatório flexível de ar).rusgas minhotas. Cabo Verde e Brasil. sendo de opinião que ele.Coimbra. ao mesmo tempo que as cordas graves fazem o acompanhamento em acordes. preso na pata esquerda. existe em Espanha um instrumento semelhante ao cavaquinho. XV. da família das guitarras . por um sistema que também se usa na viola. as suas quatro cordas de tripa ou metálicas (em aço) são tradicionalmente presas a cravelhas de madeira dorsais e ao cavalete colado a meio do bojo inferior do tampo.de quatro cordas. de secção redonda ou mais raramente quadrada. a par da viola. No entanto. um bom instrumentista executa a parte cantante destacada do rasgado com os dedos menores da mão esquerda sobre as cordas agudas. chuladas. que apareceu por todo o país na maioria dos conjuntos que descrevemos . Todas as Gaita-de-foles têm uma característica comum: possuem um fole. Região que utiliza Cavaquinho Origem A origem do cavaquinho é duvidosa.o requinto . preso na pata direita. ou apenas com o polegar e o indicador como instrumento harmónico. suspenso por uma fita e tocado por um pequeno bastão também de ferro. aerofone não soprado directamente pela boca. “Gaita-de-foles é o termo popular que designa um instrumento musical. assim como um ronco de grandes dimensões. serve para marcar o ritmo. que afina do grave para o agudo (ré-lá-dó sustenido-mi). que se insufla de ar (alimentado pela respiração ou por um fole mecânico) e que tem ligado a si vários tubos: um tubo insuflador ("soprete") e um ou mais tubos sonoros: um tubo melódico ("ponteiro" ou "ponteira") e um ou mais bordões ("ronco"ou "roncão"). com pandeiros em Vinhais. o cavaquinho parece constituir uma espécie fixada entre nós primordialmente no Minho. Como se toca Em Portugal. acentua a relação existente entre o cavaquinho e os tetracórdios e sistemas helénicos. Materiais A Gaita-de-foles de Trás-os-Montes (também chamada de "Transmontana" ou "Mirandesa") é tradicionalmente de construção artesanal e partilha semelhanças morfológicas com a gaita sanabresa ou alistana (de Sanabria e Aliste. com digitação aberta. Açores. braço raso com o tampo e dez trastos. visto tratar-se de um instrumento profundamente associado ao contexto socio-económico pastoril . de onde irradiou para outras regiões . terá eventualmente vindo para Braga por intermédio dos biscaínhos. Gonçalo Sampaio. preso no pescoço de um fole de cabrito. mas possui características muito próprias: possui um ponteiro de furação larga. Região que utiliza Características especiais As dimensões do instrumento diferem pouco de caso para caso. De facto. Materiais É um triângulo de ferro aberto num dos ângulos. que também serviam para fazer recipientes para líquidos ou grão (odres). Lisboa. Região que utiliza . Materiais Relativamente à sua expansão geo-cultural. comarcas espanholas fronteiriças).Gaita de foles Origem A Gaita-de-foles parece encontrar o seu espaço de difusão primordial a partir da expansão dos povos pastoris do Mediterrâneo ou da Ásia. Como se toca O cavaquinho geralmente toca-se rasgado com os quatro dedos menores da mão direita. Possuindo uma caixa de duplo bojo e pequeno enfranque. Madeira. De uso geral europeu. e um assoprete.

culminando na guitarra portuguesa. ou pinho da Flandres. no entanto. Cada gaita possui duas placas de palhetas que são montadas sobre um corpo em forma de pente ou grelha. O tampo é executado em spruce. a altura ou a intensidade do som produzido. o som produzido era mais poderoso. como o acordeão e a melódica. Materiais Minho. Como se toca A gaita possui em sua embocadura um conjunto de furos por onde o instrumentista sopra ou suga o ar. Destino. Materiais Para a construção de qualquer guitarra portuguesa. O gaitista usa as mãos em concha para amplificar o som do instrumento e também para produzir efeitos. Ribatejo e Algarve. A gaita é um instrumento de palheta livre. Pela simplicidade de construção e execução. quando o homem aprendeu a caçar e as peles de animais passaram a ser utilizadas na fabricação roupas e outros objectos. ácer ou mogno. passando pela cítara. que exercem ainda o papel de abafadores para alterar o timbre. feitas exactamente com a mesma madeira está na mão do construtor" (citação de Pedro Caldeira Cabral. onde quer que esteja. que foi inventado há mais de 5000 anos e que funciona pelo princípio de palhetas livres. a gaita não possui caixa de ressonância. Posteriormente. como variações de afinação e intensidade. As palhetas são finas lâminas rectangulares de metal que são montadas sobre uma placa de suporte. . o sheng. percebeu-se que ao esticar uma pele sobre o tronco. Para cada palheta. A de Coimbra é maior. Região que utiliza Harmónica Origem A gaita teve sua origem em um antigo instrumento chinês. já que os fundos e ilhargas da guitarra têm de ser fabricados em pau-santo. Esta técnica de produção sonora gerou uma grande família de instrumentos accionados por foles ou bombas de ar. por ter certa semelhança com o alaúde. De origem bastante remota. é conotado com o” modo de ser “ português. Como se toca Os tambores podem ser percutidos com baquetas ou directamente com as mãos. mas sim o sopro do executante. Diferentemente destes instrumentos. É um instrumento musical carregado de simbolismo e. Devido ao seu pequeno tamanho. As origens da guitarra portuguesa remontam à Idade Média. actualmente uma das maiores autoridades em guitarra portuguesa e música antiga).Guitarra Portuguesa Origem A guitarra portuguesa é um instrumento muito difundido em Portugal sendo o que mais se aproxima do sentimento Lusitano do povo português. Uma das principais diferenças reside na cabeça da guitarra: a de Coimbra possui uma lágrima incrustada. tamanhos e elementos decorativos depende dos materiais encontrados em cada região e dizem muito sobre a cultura que os produziu. feito de plástico ou madeira. à mercê da sua longa aliança com o Fado. Mas. existe na placa uma fresta com o tamanho exacto para que a palheta possa se movimentar livremente dentro dela sem que haja folgas. não é um fole que força o ar através das palhetas. A variedade de formatos. com diferentes tradições de fabrico. Estremadura. a do Porto e a de Coimbra. A de Lisboa é a mais pequena das três. as características dos dois instrumentos algo distintas. usam-se madeiras importadas desde a Idade Média. foi outrora designada por guitarra mourisca. Região que utiliza Tambor Origem Os tambores são utilizados desde as mais remotas eras da humanidade. a um instrumento chamado cítula. "a grande diferença entre uma boa guitarra e uma má. Existem três tipos de guitarra portuguesa: a de Lisboa. tipos diferentes de tambores existem em praticamente todas as civilizações conhecidas. A do Porto é semelhante à de Lisboa. que os árabes introduziram na Península Ibérica sendo. qualquer português a reconhece aos primeiros acordes. enquanto que a de Lisboa apresenta um caracol. A guitarra portuguesa tem um timbre de tal modo inconfundível que. como o acordeão. com o corpo assumindo uma forma mais aguçada. com caixa baixa arredondada e é a que possui o som mais "brilhante". Esta evoluiu ao longo dos tempos. Coimbra. Acredita-se que os primeiros tambores fossem troncos ocos de árvores tocados com as mãos ou galhos. órgão de palhetas. fado e saudade são palavras que naturalmente se associam ao trinado da guitarra portuguesa.

também é importante pela informação que dá sobre o material com que se elaboravam as ferrenhas (açofar= latão). o primeiro antepassado do acordeão. Como se toca É tradicionalmente tocado por mulheres. cuidadosamente fabricada com material apropriado para beleza do som. Coimbra. etc. O teclado está disposto na sua caixa de ressonância. Região que utiliza Adufe Origem De acordo com testemunhos o Adufe foi conhecido na civilização da Mesopotâmia. Materiais É usado em Portugal desde Trás-os-Montes até ao Alentejo. Materiais Minho. Denominado CHENG. nos modernos acordeões as pretas são substituídas às vezes por teclas de outras cores: azul. do Egipto. favos porta linguetas. palhetas. Caixa Harmónica do lado cantável. podem ser executados pela percussão simultânea de ambas as peles.Materiais Os tambores podem ter pele em apenas uma ou em ambas as extremidades. Dado que o aro tem ferrenhas que ao tocar produzem som. teclado cantável. Pequeno tambor manual. teclado dos baixos e fole. A sua forma era baseada no Fénix (ave que os chineses consideravam o imperador das aves) e constitui o percursor do Harmónio e do Acordeão.XVI na forma pâdereta. e. O teclado é constituído por teclas brancas e pretas. vermelho. Região que utiliza É usado em Portugal desde Trás-os-Montes até ao Algarve. era uma espécie de órgão portátil tocado pelo sopro da boca. Ribatejo e Algarve. linguetas. Estremadura. além de ser o primeiro testemunho. . Região que utiliza Pandeireta Origem Um dos primeiros vestígios para fazer uma breve história destes dois instrumentos atopamo-la nos estudos etimológicos: António Geraldo da Cunha diz que o termo provém do castelhano panderete e que aparece no sec. Um dos lados do arco é revestido com uma membrana de pele esticada. Na Península Ibérica. formado por um arco de madeira com vários encaixes dispostos regularmente e providos de guizos ou soalhas. O teclado completo tem 3 oitavas e é tocado com a mão direita. na China. revestidas de galatite ou matéria plástica de diversas cores. No castelhano documenta-se pela primeira vez em 1330 no Libro del Buen Amor com o sufixo moçárabe –ete: “Dulce caño entero. originando-se daí o nome de "Acordeão à Piano". Os que possuem duas peles. caixa harmónica do lado dos baixos. a sua introdução terá ocorrido através dos árabes. Como se toca Parte onde estão colocadas as teclas. Como se toca A pandeireta define-se como um instrumento unimembranofone de percussão direita. sal com el panderete com sonajas de açofar façem dulçe sonete” Este dado. As teclas são fabricadas de madeira ou de alumínio. Acordeão Origem Surgiu acerca de 2700 anos antes de Cristo. nos séculos VIII ou IX. pois foi o primeiro a ser idealizado e construído na família dos instrumentos de palheta. idênticas às de um piano. de Roma e no mundo pré-islâmico.

O teclado da mão direita produz as notas. Dada a forma uniforme como é utilizada pelos grupos de música tradicional e ranchos folclóricos. Região que utiliza Viola Amarantina Origem Origem de Amarante. difere desta sobretudo pela forma da boca. são aplicadas na armação de madeira e seguidamente cosidas a toda a volta numa moldura quadrada de tábuas de pinho ou mogno previamente cortadas nas diferentes medidas. Escala em pau preto. as peles. A viola amarantina com características em tudo semelhante à viola braguesa. Região que utiliza Características especiais Afinação (5 cordas duplas): Lá-Mi-Si-Lá-Ré Concertina Origem É um instrumento largamente difundido na música de raiz tradicional portuguesa (o mais irreverente instrumento da música popular portuguesa) e Popular Europeia. produz as várias notas (numa escala diatónica. Como se toca Trata-se de um aerofone de palhetas livres que são accionadas por meio de um fole que une os dois teclados. Antes da aplicação são colocadas de molho na água durante vinte e quatro horas. Têm o nome de maravalhas os laços de ornamentação que são vulgarmente de sarja ou flanela. ainda molhadas. A maioria dos construtores fabricam os seus modelos nas várias afinações e também é possível encontrá-las com três fileiras de teclas (mão direita) e um conjunto mais rico de baixos (mão esquerda). Região que utiliza . Na fase seguinte. nomeadamente a rabeca. ficam mais dois dias em água misturada com sulfureto de cobre e cal branca. variam entre os 35 e os 50 cm. O teclado princ ipal. do mesmo modo que a braguesa e é de timbre mais agudo. Materiais Norte de Portugal. só com os tons principais) enquanto o teclado da mão esquerda produz os acordes de acompanhamento. São cortados de acordo com a dimensão do adufe e colocados nos quatro cantos. Não são medidas rigorosas. Este instrumento tem a particularidade de emitir notas distintas quando se prime uma tecla e se acciona o fole em cada sentido.Materiais As peles dos adufes são de ovelha ou de cabra. Braço em mogno e interiores em casquinha ou choupo. o que o distingue do acordeão (que emite sempre o mesmo som. Depois de verificada a sua condição levam uma matéria química para eliminação do pelo. Nogueira e pinho flandres. de acordo com as exigências da “chula” e do seu instrumental. enquanto o teclado da mão esquerda produz os acordes e baixos de acompanhamento. para que a raiz dos pelos saia facilmente e o cheiro seja eliminado. Materiais É usado em Portugal desde Trás-os-Montes até ao Alentejo. Seguidamente. Os adufes usados para os grupos folclóricos têm 40 cm de lado. embora tenha surgido apenas no princípio deste século. é contudo um instrumento onde muitos virtuosos mostram o seu verdadeiro potencial. É usado em Portugal desde Trás-os-Montes até ao Alentejo em zonas pastoris. que a forma de dois corações. independentemente do sentido com que se acciona o fole). ou seja. Como se toca Toca-se “rasgado”. tocado com a mão direita.

Em italiano a palavra RICORDO também significa lembrança. segundo a fantasia do seu construtor. afinação e pelo material do qual são feitos. com cerca de 70 cm de comprimento. ouro ou mesmo cristal.Reco-Reco Origem O Reco-reco. ou cana rachada. e um tubo cónico ou cilíndrico contendo diversos furos. Região que utiliza Flauta Origem A história da flauta doce está ligada à origem do seu nome em inglês: RECORDER. as mais comuns. sobre o que se fricciona. e são caprichosamente pintados. e daí. Como se toca A flauta doce é um instrumento de sopro directo. cada um desses tipos. As flautas são encontradas em vários tipos e formatos. memento. sendo. Minho. instrumento popular minhoto de uma grande simplicidade. Estremadura. onde o som é produzido por um bocal contendo um apito. geralmente burlescas. Ribatejo e Algarve. Como se toca Consiste num pau (ou cana) denteado. recordar. também. que se distinguem pelo tamanho. outro pau. Materiais É usada em Portugal desde Trás-os-Montes até ao Algarve. aquelas que são produzidas em prata. em madeira ou metal. que vem do latim RECORDARI que significa lembrar. A flauta doce é usualmente produzida em madeira ou matéria plástica. existindo. representam figuras humanas ou de animais. já a transversa. trazer à memória. no ritmo desejado. uma grande variedade de modelos. Características especiais Por vezes. talvez a primeira referência à flauta doce num livro de contas do Rei Henrique IV em 1388 por pagar uma "fístula nomine ricordo" (uma flauta chamada ricordo). a doce e a transversa. Região que utiliza . possuindo.

Formandos Glória Ferreira Ezequiel Macedo José Manuel Fonseca Maria do Céu Paula Martins Olívia Ferreira António Filipe Eduarda Vale Berta Santos Pedro Pinto Miguel Santos Formador Miguel Oliveira GOVERNO DA REPÚBLICA PORTUGUESA UNIÃO EUROPEIA – FSE .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful