Eis algumas questões do concurso do TRE/RJ para exercitarmos assuntos, tais como: pronomes, acentuação gráfica, concordância, interpretação

de textos. Sorte a todos! O REINADO DO TERROR Sérgio Charlab Tenho pena do Unabomber. Falo do norte-americano – que já matou três pessoas e feriu outras 26 com cartas-bomba em 17 anos de terror – e não desta tosca versão brasileira. No dia 21 de setembro, os jornais The New York Times e Washington Post publicaram 35 mil palavras de um enorme manifesto do Unabomber (disponível na Internet a partir de http:// www.paranoia.com/ coe/resources/fc/fc.html), chamado “Industrial Society and Its Future”. A publicação foi exigência dele, que assim se comprometeu a pôr fim às suas bombas. O Unabomber condena a sociedade tecnológica. Para entender sua filosofia, é preciso voltar à Inglaterra do Século 19, entre 1811 e 1816, quando artesãos, especialmente em Nottingham, se reuniram e destruíram máquinas têxteis, num movimento que ficou conhecido como Luddite. Assim, combatiam a então nascente Revolução Industrial. Os Luddites temiam que as máquinas fossem substituir seus empregos. Como você e eu sabemos, eles estavam certos. (. . .) Os argumentos do Unabomber são os principais existentes hoje contra a Revolução da Informação que estamos vivendo. É o medo de que a tecnologia apagará algo de fundamental da humanidade. Nossa sociedade está se dividindo em duas classes: a dos que têm habilidade com a tecnologia e a dos que não têm. Os primeiros poderiam transformar-se na classe dominante, mas representam apenas 1%. A maioria, portanto, poderá acabar com este 1% antes que seja dominada. E os Luddites de hoje poderão ter mais sucesso do que os do passado. Eu estaria muito assustado com estas reflexões se não acreditasse que é possível sair desse impasse educando os Luddites. Temos feito muito pouco para ensinar as novidades tecnológicas. Usamos jargão, escrevemos sobre Informática em cadernos separados dentro dos jornais e publicamos revistas que são colocadas nas bancas lado a lado com outras da mesma área. Segregamos a informação tecnológica. É hora de ensinar. Do contrário, corremos o risco de ver cada vez mais bombas explodirem por aí. (Jornal do Brasil – 10/10/95.) 1.Os jornais “The New York Times” e “Washington Post” aceitaram publicar o manifesto de Unabomber, porque queriam: a) satisfazer a curiosidade de seus leitores. b) contribuir para a cessação dos ataques dos terroristas.

6. e) Já recuperei o material a que você aludiu. d) ao medo de bombas e ao receio de que a tecnologia apague fundamentos da humanidade. Veja o romance de que sempre gosto de ler. e) quererem evitar a divulgação dos recentes progressos tecnológicos nos órgãos da mídia. Veja o romance que sempre gosto de ler. 2. d) combate aos terroristas mais agressivos. 3. e) os que têm habilidade com a tecnologia são maioria. pode-se concluir que os Luddites de hoje caracteriza-se por: a) serem opositores à Revolução Industrial. / Os operários solicitaram-no aumento. c) Eles perderam nossos cartões de inscrição. Veja o romance de que sempre gosto de ler. d) Os operários solicitaram aumento ao diretor . das novidades tecnológicas. os termos sublinhados foram substituídos por um pronome pessoal.c) assumir o risco de serem os destinatários de cartas-bomba. o autor do artigo crê que a solução é: a) segregação das informações tecnológicas. para todos. é: a) Já recuperei o material de que você aludiu. na sociedade atual. 5. a que apresenta os pronomes empregados corretamente. como o Unabomber. nessa nova luta reacionária. c) as máquinas substituíram os empregos dos Luddites do passado. Nas frases abaixo. c) Já recuperei o material cujo você aludiu. Veja o romance a que sempre gosto de ler. b) uso de um jargão próprio para a nova ciência. d) Já recuperei o material que você aludiu. e) ao receio sentido por aqueles que não têm habilidade com a tecnologia diante dos que a têm. c) desistirem de lutar contra a Revolução da Informação. b) à sociedade do século 19 e às máquinas modernas. de outras classes em oposição aos Luddites. na sociedade. b) terem fracassado. e) aparecimento. Veja o romance de que sempre gosto de ler. Pela leitura do texto conclui-se que: a) o Unabomber ficou conhecido como Luddite. c) ensino. c) à certeza de que outros Luddites não surgirão na sociedade. / Vou buscá-lo. d) temerem a perda de características humanas por causa da tecnologia recente. b) Já recuperei o material a que você aludiu. 4. d) continuar a ser os dois jornais mais importantes dos Estados Unidos. d) os jornais publicaram um manifesto combatendo tendo a Revolução Industrial. / Esqueci-o. 7. b) os artesãos ingleses queriam preservar suas empresas. O “reinado do terror” faz referência: a) ao medo da violência da sociedade atual. Eles os perderam. Pelo texto. b) Esqueci o dia do seu aniversário. Para o problema dos Luddites de hoje. e) atender às pressões do governo americano na sua tentativa de isolar o terrorista. A substituição está incorreta na seguinte alternativa: a) Vou buscar o livro. de acordo com a regência verbal. . Das frases abaixo.

os verbos sublinhados. mas não partilha de sua ideologia. No último parágrafo do texto a forma verbal explodirem (L. c) cidadão – cidadãos. 12. d) imperativo afirmativo. d) charlatão – charlatães. 28) está no: a) infinitivo flexionado. é uma atividade complexa. c) há – possam. é: a) há – possa. alegremente. / As autoridades vão mantê-lo no cargo. em: a) Os primeiros obstáculos. sabe utilizar-se bem dos progressos tecnológicos. Das orações abaixo. d) Alugam-se apartamentos por temporada. 8. existem alguns que não se intimidam diante das dificuldades que devam existir em nossa vida. b) A publicação foi exigência dele. c) Eles se queixaram ao diretor da escola. 11.e) As autoridades vão manter aquele advogado no cargo. corretamente. b) troféu – troféis.O pronome sublinhado se indica reprocidade de ação na seguinte frase: a) Necessita-se de pedreiros. terrorista perigoso. e) presente do indicativo. c) futuro do subjuntivo. d) hão – possam. e) transistor – transistores. b) hão – possa. b) Ele pertence à classe dominante. embora ela já estivesse vitoriosa. A alternativa que pode substituir. 9. 10. segundo os padrões da língua culta. d) Unabomber. foram superados. No nosso meio. apesar de tudo. na frase acima. A alternativa que apresenta erro quanto à flexão de número é: a) mal – males. . aquela em que o verbo pode assumir a forma da voz passiva é: a) Falo do norte-americano. e) Os operários combatiam a Revolução Industrial. e) As duas senhoras se abraçaram. e) haverem – podem. b) futuro do indicativo. c) Eu estaria muito assustado com estas reflexões. Há erro no uso das vírgulas. c) Escrever programas para computadores. b) O menino se feriu na mão esquerda. d) O Unabomber condena a sociedade tecnológica. 13.

pode-se afirmar que se deve usá-los do seguinte modo na frase acima: a) batam – gritam – façam. c) Eles podiam contar-me o segredo. expoente. De acordo com a norma culta. extremidade . há erro de colocação do pronome oblíquo sublinhado em: a) Não lhe devo nada. explícito d) mixto. b) século – assembléia – café. explêndido. “Se você gostar do espetáculo. Em relação ao emprego correto dos verbos no imperativo afirmativo. c) Ela mesmo não sabia se as cópias deveriam ir anexo ou não ao processo. xícara b) expiar. c) bate – grite – faça. bate palmas. A alternativa que apresenta erro quanto ao emprego da letra “X”. exílio. grita e faz de conta que ninguém o viu”. d) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir anexas ou não ao processo. d) destruíram – baía – heroísmo. A concordância nominal das palavras sublinhadas está correta no seguinte período: a) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir anexa ou não ao processo.e) Os argumentos do Unabomber são os principais existentes hoje contra a Revolução da Informação. b) Ela mesmo não sabia se as cópias deveriam ir anexas ou não ao processo. 15. e) bata – grita – faz. b) Existem pessoas a cujos defeitos todos obedecem. têxtil c) sexteto. máximo. b) Ele não queria que o vissem. e) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir anexos ou não ao processo. c) A casa onde moras fica num bairro distante d) Todos já conhecem a pessoa a quem amas. auxiliar. d) Fizeram-no sair da sala. c) apagará – têxtil – exigência. 19. e) moléculas – máquinas – órfãos. Há erro uso do pronome relativo sublinhado (preposicionado ou não) na seguinte frase: a) Eis os computadores de cujos programas dependem de técnicos especializados. imediatamente. e) A carta. excasso e) explorar. 16. d) bata – grite – faze. ele tinha dado-a ao irmão ontem. b) bata – grite – faça. é: a) exato. em todas as palavras. 18. 14. Seguem a mesma regra de acentuação gráfica todos os vocábulos da seguinte alternativa: a) é – aí – até. e) Quem não quer ajudar não precisa vir. 17.

é: a) Nossos amigos franceses foram a Bahia. A alternativa em que o a (sublinhado) não leva acento grave. E 18. indicador de crase.20. GABARITO 1. A 16. C 13. A 9. c) Próximo a janela. D 8. D 4. D 14. b) O roubo das jóias atribuiu-se a empregada. E 10. C 6. e) Quando fomos a São Paulo os nossos ônibus andaram. D 19. C 5. D 15. B 11. Maria aguardava o carteiro. B 17. d) Escreveu a irmã desejando-lhe um Feliz Natal. D 20. E . rapidamente. E 7. B 2. D 3. C 12.

 ¯°j f© f°j½ n¾f   # ny–¾f  ¾½ hn  f ½f¯f¾ –f €f n°f °°–x¯#  ¯ fsjf ¯½ –n  ¾  ¾°¯½ ff€¯f ½ ¾ f€¯f ¾   ¾h ¾ ¾ –° ¯ °f€f¾ fn¯f  f% ff¯ –f¯ €fsf¯  % ff –  €fsf  n% f  –  €fsf  % ff –  €f  % ff –f €f    fn n¯f°¯fnf h  nnfsj ½°¯  ¾ °f  ¯  f%-j  °f f  % °j f ¾¾ ¯  n% ¾½ f¯n°f ¯ ¾ –   % f¯ °¾f f¾ff ¯ ff¯ °  %nff   °f f  ff¯j° ¯    – ¯f¯ ¾¯f –f fn °fsj–h€nf ¾¾nh ¾ f¾ –° f °ff  f%x f fx  %¾xn f¾¾ ¯ xf nf€x  n%f½f–fh y  –y°nf  % ¾f¯  ff  ¾¯  %¯xnf¾ ¯h°f¾ €j¾   f °ff f½ ¾ °f f°f ¯½ – f f#O#  ¯ f¾f¾½fff¾ x  f% f   nff % ½f  ½ ° y n%¾   ff  ½n %¯  ½y°    nf¾¾ % ½f ¯h¯   ¯ f  . %¾f–¯ °¾ D°f ¯ ¾j¾½°n½f¾ ¾ ° ¾© n°ff sj f °€¯fsj   n°n i°nf°¯°f f¾½fff¾¾ °f f¾ ¾hn f°¾ –° ½    f%f¯ ¾¯f°j¾f f¾ f¾n½f¾  f¯f° f°jf½n ¾¾  %f¯ ¾¯°j¾f f¾ f¾n½f¾  f¯f° f¾°jf½n ¾¾  n%f¯ ¾¯°j¾f f¾ f¾n½f¾  f¯f° °jf½n ¾¾  %f¯ ¾¯f°j¾f f¾ f¾n½f¾  f¯f° f¾°jf½n ¾¾  %f¯ ¾¯f°j¾f f¾ f¾n½f¾  f¯f° ¾°jf½n ¾¾   h ¾ ½°¯  f¾ °f %½ ½¾n°f °j%°f¾ –° €f¾  f%¾¾n¯½f  ¾ n©¾½–f¯f¾ ½ ° ¯ xn°n¾ ¾½ nff ¾  %¾ ¯½ ¾¾f¾fn©¾ € ¾ ¾ n ¯  n%nf¾f° ¯f¾€nf°¯ f ¾f°  %@ ¾©hn° n ¯f½ ¾¾ff ¯f¯f¾  %.

 f °ff ¯ f%¾ °f %°j ffn °–f ° nf  nf¾ x  f%-¾¾¾f¯–¾€f°n ¾ ¾€f¯f ff  %  f¾©f¾f  ¾ f ¯½ –f f  n%9¯f©f° f .fff–f ffnf   %¾n  f¯j ¾ ©f°   ¯ -ff  %.f° €¯¾fj9f¾°¾¾¾´° ¾f° ff¯ f½ f¯ °   @         .

  .

             .

  .

                   .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful