JANEIRO, 1968

música

MENINA DOS OLHOS TRISTES
Zeca Afonso
Avançar com um clique

Ninguém provoca ninguém, mas também ninguém foge a provocações!

Nota de Voz do Seven – A composição deste PowerPoint é da nossa responsabilidade, mas tem por base os textos enviados pelo amigo João, também ele um “interveniente” da BATALHA DE BISSAU e autor da crónica UM DIA DE PESCA DOLOROSAMENTE RECONFORTANTE onde nos relata a cruel partida pregada pelo destino que em dia que deveria ser de alegre e descontraída pescaria o leva de encontro aos pais de um camarada morto naquele estúpido confronto entre irmãos de mentes preparadas para a guerra, preparadas para matar ou morrer. Intrigados com o nome GADAMAEL dado em título ao livro publicado pelo também pára-quedista Carmo Vicente, buscámos e encontrámos mapa que nos diz que é, ou era, nome de localidade perto da fronteira com a Guiné-Conacri e zona de graves conflitos entre as tropas portuguesas e do PAIGC, movimento que lutava pela independência do território da ex-colónia portuguesa da Guiné-Bissau.

O chamado CORREDOR DA MORTE Guileje / Gadamael

Menina dos Olhos Tristes (José Afonso/Reinaldo Ferreira) Menina dos olhos tristes O que tanto a faz chorar o soldadinho não volta do outro lado do mar Vamos senhor pensativo olhe o cachimbo a apagar o soldadinho não volta do outro lado do mar Anda bem triste um amigo uma carta o fez chorar o soldadinho não volta do outro lado do mar A lua que é viajante é que nos pode informar o soldadinho já volta está mesmo quase a chegar Vem numa caixa de pinho do outro lado do mar desta vez o soldadinho nunca mais se faz ao mar

Senhora de olhos cansados porque a fatiga o tear o soldadinho não volta

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful