Unidade I

Unidade I
Matemática Financeira
Matemática Financeira

Introdução:
Introdução:
O valor do dinheiro no tempo
O valor do dinheiro no tempo
• O dinheiro possui valores distintos no tempo.
• Exemplo: O que você prefere: R$ 100,00 hoje ou
R$ 100,00 daqui a 4 meses.
• Qualquer pessoa poderia aplicar o capital (R$
100,00) durante os 4 meses e obter maior valor
ao final do período.
100,00
160,00
N=4
meses
i=0,15

1. Juros simples
1. Juros simples
• Aplicação muito limitada. Tem algum sentido em
contextos não-inflacionários e no curtíssimo
prazo.
• Conceitos básicos: juros, remuneração do
capital e taxa de juros
• Juros pode ser definido como a remuneração do
capital empregado.
• Quando se aplica o capital durante um
determinado período de tempo, ao final o capital
se transformará em um valor (montante) que é
igual ao capital aplicado, acrescido da
remuneração obtida durante o período da
aplicação (juros).

• À diferença entre montante (S) e a aplicação (P)
denomina-se juros ganhos ou rendimentos.
• Juros ganhos (J) = montante (S) – aplicação ou
principal (P).
(1)
• Os juros são o produto da taxa de juros vezes o
principal.
(2)
i P J
aplicação P
ganhos juros J
i .
) (
) (
· ⇒ ·
P S J − ·

• Substituindo (2) em (1), tem-se:
• Mercado financeiro – Taxa de juros
percentual. Ex. 20% a.m.
• Realização dos cálculos – Taxa de juros
fracionária. Ex. 0,20 a.m.
• Prazo da operação considerando anos
constituídos por meses com 30 dias, os
juros são chamados comerciais (360 dias).
• Número de dias correspondente ao ano civil
(365 dias), os juros são chamados exatos.
) 1 ( . i P S i P P S + · ⇒ · −

• Exemplos:
• 1) Suponha que você realizou uma aplicação de
R$ 3.000,00 por um ano à taxa de juros simples
de 25% a.a. Qual o valor dos juros ?
• 2) Qual o montante a ser obtido por uma
aplicação de R$ 1.600,00 por um ano à taxa
simples de 50% a.a.?
• 3) Qual é a taxa simples que transforma R$
4.500 em um montante de R$ 8.100 em um ano.

Regime de juros simples
Regime de juros simples
• Nesse regime, os juros de cada período são
calculados sempre sobre o mesmo principal.
Não há capitalização de juros nesse regime,
pois os juros de um determinado período não
são incorporados ao principal para que essa
soma sirva de base de cálculo do período
seguinte. Assim, o capital cresce à taxa linear e
a taxa de juros terá um comportamento linear
ao longo do tempo.

Cálculo do rendimento a juros simples
Cálculo do rendimento a juros simples
• Juros de uma aplicação pelo prazo de um único
período de tempo a que se refere a taxa de
juros:
• J = P . i
• Devido ao comportamento linear dos cálculos de
juros simples, se aplicarmos o capital durante n
períodos de tempo a que se refere a taxa de
juros, tem-se:
• J = P . i . n

Exemplo
Exemplo
• Se for aplicado um capital de R$ 100,00 à taxa
simples de 15% a.a. durante três anos, tem-se
os seguintes juros ganhos em cada ano:

J
1
= P . i = R$ 100,00 . 0,15 = R$ 15,00

J
1
= P . i = R$ 100,00 . 0,15 = R$ 15,00

J
1
= P . i = R$ 100,00 . 0,15 = R$ 15,00
Total = R$ 45,00
Calculo direto:
• J = P . i . n =R$ 100,00.0,15.3 = R$ 45,00

• Expressão para o cálculo dos juros
em função do montante:
n i
n i S
J
n i
J
S J
P S J
n i
J
P n i P J
. 1
. .
.
.
. .
+
· ⇒ − ·
− ·
· ⇒ ·

Períodos não-inteiros
Períodos não-inteiros
• Muitas vezes o período de investimento é
somente uma fração do período expresso na
taxa de juros. Como as unidades de tempo da
taxa de juros e do período de investimento são
diferentes, é necessário homogeneizá-las por
meio de um ajuste na taxa.
• A) Se a taxa de juros for mensal e o prazo de
aplicação referir-se a dias
(juro comercial)
n
i
P J .
30
.

,
`

.
|
·

• B) Se a taxa de juros for anual e o prazo de aplicação
referir-se a meses
(juro comercial)
• C) Se a taxa de juros for anual e o prazo de aplicação
referir-se a dias
(juro comercial)
(juro exato)
n
i
P J .
360
.

,
`

.
|
·
n
i
P J .
365
.

,
`

.
|
·
n
i
P J .
12
.

,
`

.
|
·

• Exemplos:
• 1º) Qual o rendimento de R$ 10.00
aplicados por um mês à taxa
simples de 36% ao ano (a.a)?
• Dados: P=R$ 10.000, n=1 mês,
i=36% a.a., J= ?

• Resolução:
• J=P.i.n = R$ 10.000.(0,36/12).1=R$
300

• 2º) Determinar a taxa simples para
22 dias de aplicação, equivalente à
taxa de 3,05% a.m..

• Resolução:
• Dados: n = 22 dias, i = 3,05% a.m.,
i
22dias
=?

i
22dias
= (0,0305/30).22=0,0224=2,24%
em 22 dias.

Capitalização e desconto a juros simples:
Capitalização e desconto a juros simples:
cálculo do montante e do principal
cálculo do montante e do principal
• Montante (S) ou valor do resgate de uma aplicação é o
capital inicialmente investido (principal – P) acrescido de
sua remuneração no período (juros ganhos):
• Montante = principal + juros
) . 1 (
. .
n i P S
n i P P S
+ ·
+ ·
Montante Principal Juros

• O cáluculo do principal a partir do montante
é:
) . 1 ( n i
S
P
+
·

Diagrama do fluxo de caixa
Diagrama do fluxo de caixa
• Serve para mostrar graficamente as transações
financeiras em um período de tempo.
• As entradas são representadas por setas verticais
apontadas para cima, e as saídas ou pagamentos são
representados por setas verticais apontadas para
baixo.
) . 1 ( n i P S + ·
0............................................................n Tempo
) . 1 ( n i
S
P
+
·

• Desconto: consiste em calcular o
valor presente do capital.
• Capitalização: consiste em calcular
o valor futuro.

Exemplo
Exemplo
• 1º) Qual o valor de resgate de R$
500 aplicados por 16 meses à taxa
simples de 12% a.t.?
• 2º) Em dois meses R$ 5.050
transformaram-se em R$ 5.600. Qual
a taxa de juros simples ganha?

• Resolução do 1º exemplo :
• P = R$ 500, n = 16 meses, i = 12% a.t.,
S=?
• S=P(1+i.n) = R$ 500.(1+0,12/3 . 16) = $
820
• Resolução do 2º exemplo:
• S= R$ 5.600, n = 2 meses, P = R$ 5.050, i
= ? a.a.
• S=P(1+i.n)
• R$ 5.600= R$ 5.050 (1+i/12 . 2)
• i=(R$5.600/R$ 5.050 – 1).12/2 =
65,35%a.a.

Equivalência de capitais a juros simples
Equivalência de capitais a juros simples
• Dois capitais são equivalentes quando têm o
mesmo valor em uma determinada data de
avaliação (data focal).
• Exemplo: Equivalência (na data focal 2) a juros
simples de 10% de dois capitais – 1º de R$
3.636,35 que ocorre na data 1 e outro de R$
5.600,00 na data 6.
0 1 2 3 4 5 6 Tempo
R$ 5.600
R$ 3.636,35
R$ 4.000=RS 3.636,35 (1+0,1 x 1)
R$ 5.600(1+0,1 x 4)
-1
=R$4.000

• Exemplo: Uma pessoa deve pagar R$ 200 daqui
a dois meses e R$ 400 daqui a cinco meses. A
juros simples de 5% a.a., determinar o valor de
um pagamento único a ser efetuado daqui a três
meses que liquide a dívida.
• Dados: i = 5% a.m., S2 = R$ 200, S5 = R$ 400, X
=?.
0 1 2 3 4 5 6 Tempo
R$ 400
R$ 200
X = ?

• Como o pagamento único será efetuado
no terceiro, definimos esse mês como
data focal. Por equivalência de capitais,
os dois planos devem ser
financeiramente equivalentes naquela
data. Logo, temos:
• Valor no 3º mês do plano com pagamento
único (X) = Valor no 3º mês do plano com
dois pagamentos (R$ 200.(1+0,05.1)+R$
400/(1+0,05.2) => X = R$ 573,64.

2. Juros compostos
2. Juros compostos
• Regime de capitalização composta ou
exponencial.
• Regime comumente utilizado no dia-a-dia.
• Os juros gerados a cada período são
incorporados ao principal para o cálculo dos
juros do período seguinte.
• Os juros são capitalizados. Capitalização pode
ser definido como o momento em que os juros
são incorporados ao principal.
• No regime de juros simples não há
capitalização.

Comparação juros simples e
Comparação juros simples e
compostos
compostos
• Aplicação de R$ 1.000,00 durante 3 meses à taxa de
20%a.m.
1.200 1.000x0,2=200 1.200 1.000x0,2=200 1
1.440 1.200x0,2=200 1.400 1.000x0,2=200 2
1.728 1.440x0,2=200 1.600 1.000x0,2=200 3
Montante Rendimento Montante Rendimento Mê
s
Juros compostos Juros simples

Capitalização e desconto a juros compostos:
Capitalização e desconto a juros compostos:
cálculo do montante e do principal
cálculo do montante e do principal
• Montante de um capital aplicado a juros compostos em
3 meses:
• Término do mês 1: S = P . (1+i)
• Término do mês 2: S = P . (1+i) (1+i)
• Término do mês 2: S = P . (1+i) (1+i) (1+i)
• Generalizando para n períodos, pode-se calcular
montante (S) da aplicação do principal (P) durante n
períodos a uma taxa de juros composta i:
n
i P S ) 1 ( + ·

• Utilizando os dados da tabela anterior: S= R$
1000,00, i = 0,2a.m., n=3 meses, S=?
• O cálculo do valor presente de um montante
ou pagamento único é:
00 , 728 . 1 $ ) 20 , 0 1 ( 00 , 000 . 1 $
3
R R S · + ·
n
i S P

+ · ) 1 (

n
i) 1 ( +
S
P
0 1 2... n
n
i

+ ) 1 (

Exemplos
Exemplos
• 1º) A juros compostos de 20% a.m., qual o
montante de R$ 3500 em 8 meses?
• Dados: n=8 meses, i= 20%a.m., P = R$ 3.500, S =
?
• Diagrama de fluxo:
0 1 2... 8
S = ?
P = R$ 3 500 (1+0,20)
8

S=P(1+i)
n
= R$ 3500(1+0,20)
8
= R$ 15 049,37.
2º) A que taxa de juros um capital de R$ 13 200,00
pode transforma-se em R$ 35 112,26,
considerando um período de aplicação de sete
meses?
Dados: P = 13 200, S = 35 112,26, n = 7, i = ?
Resolução:
S=P(1+i)
n

R$ 35 112,26 = 13 200(1+i)
7

i = (R$ 35 112,26/ R$ 13 200)
1/7
- 1=0,15=15%

3. Séries Periódicas Uniformes
3. Séries Periódicas Uniformes
• As séries periódicas uniformes podem ser
divididas em séries postecipadas, séries
antecipadas e séries diferidas.
• Séries uniformes postecipadas:
• Na série postecipada, os pagamentos ocorrem
no final de cada período:
0 1 2 3 4 ........................ n Tempo
R

• Séries uniformes antecipadas:
• Na série antecipada, os pagamentos ocorrem no
início de cada período:
0 1 2 3 4 ........................ n-1 Tempo
R

• Séries uniformes diferidas:
• Série diferida antecipada
0 c c+1 c+2 c+3 ........................ c+n Tempo
carência
R

• Série diferida postecipada
0 c c+1 c+2 c+3 ........................ c+n+1 Tempo
carência
R

• Valor presente de séries periódicas uniformes:
• O valor presente representa a soma das parcelas
atualizadas para a data inicial do fluxo (data 0),
considerando a mesma taxa de juros.
• Para uma série uniforme e postecipada (termos
vencidos), o valor presente corresponde à soma dos
valores atuais dos termos da série:
[ ]
n
n
i i i i R P
i
R
i
R
i
R
i
R
P
− − − −
+ + + + + + + + ·
+
+ +
+
+
+
+
+
·
) 1 ( ... ) 1 ( ) 1 ( ) 1 (
) 1 (
...
) 1 ( ) 1 ( ) 1 (
3 2 1
3 2

P
1
2
3
4
) 1 (
) 1 (
) 1 (
) 1 (
) 1 (





+
+
+
+
+
i R
i R
i R
i R
i R
n
R R R R R
0 1 2 3 4 ........................ n

• O somatório entre colchetes representa a soma dos
termos de uma progressão geométrica finita. Usando a
fórmula conhecida da soma das progressões
geométricas, pode-se desenvolver a seguinte expressão
para o valor presente de uma série uniforme com n
termos postecipados capitalizados à taxa efetiva i:
. i) (1 i) (1 a , i) (1 a
1

1 - n -
n
1 -
1
1
+ · + · + ·
]
]
]



·
q e que em
q
q x a a
R P
n

%
n
n
%
n
n
1 -
-1 -n -1
. i) (1
1 i) (1

. i) (1
1 i) (1
.
i) (1 1
i) (1 . i) (1 i) (1
i n
i n
a
P
i
P
R
a x R
i
R P
R P
¬
·
]
]
]

+
− +
·
¬ ·
]
]
]

+
− +
·
]
]
]

+ −
+ + − +
·

• As duas fórmulas anteriores permitem calcular o
valor presente (P) de séries uniformes
postecipadas e o valor unitário da série (R). A
expressão entre colchetes recebe o nome de
fator de valor presente de séries uniformes.

Montante de uma série periódica
Montante de uma série periódica
uniforme
uniforme
• O montante de uma série de pagamentos ou
recebimentos uniformes postecipados será igual à
soma dos montantes de cada prestação em uma
determinada data futura, calculados pela mesma
taxa de juros.
]
]
]

+
− +
·
i x
P
R
i) (1
1 i) (1
n -
n -
1 2 3............... N tempo
S P
R

%
n
%
n
n -
n
n

1 i) (1


1 i) (1
i) (1 .
. i) (1
1 i) (1
) 1 (
i n
i n
n
s
S
i
S
R
s x R
i
R S
i
R S
i P S
¬
·
]
]
]

− +
·
¬ ·
]
]
]

− +
·
+
]
]
]

+
− +
·
+ ·

Valor do montante nos diversos anos para pagamentos Valor do montante nos diversos anos para pagamentos
uniformes postecipados uniformes postecipados
R$ 360,00 360(1,1)
0
0 360 5
R$ 2.197,84 Total
R$ 435,60 360(1,1)
2
2 360 3
R$ 396,00 360(1,1)
1
1 360 4
R$ 479,16 360(1,1)
3
3 360 2
R$ 527,08 360(1,1)
4
4 360 1
Montante no
5º mês
Cálculo Per. de
Capitalização
Depósito Mês
84 , 197 . 2 $ 1051 , 3606
10 , 0
1 ) 10 , 1 (
360
5
R S · ·
]
]
]


·

Cálculo da taxa de juros em séries
Cálculo da taxa de juros em séries
periódicas uniformes
periódicas uniformes
• A taxa de juros (taxa interna de retorno) de um fluxo
uniforme de n pagamentos ou recebimentos é a taxa
que capitaliza os termos da série. O cálculo dessa
taxa requer resolver para i* a seguinte equação:
0
*) 1 (
...
*) 1 ( *) 1 ( *) 1 (
3 2 1
·
+
− −
+

+

+
·
n
i
R
i
R
i
R
i
R
P
R
P
0 1 2 3............... N tempo

• O Calculo manual de i* em fluxos
multiperiódicos é um processo demorado e
cansativo.
• Calculadoras financeiras realizam o cálculo.
• Métodos foram desenvolvidos para obter
aproximações.

Exemplos
Exemplos
• Apostila: Bertolo. Matemática
Financeira. Pág. 42. Ex. 1.

Referências Bibliográficas
Referências Bibliográficas
• BERTOLO, . Matemática Financeira. (Apostila)
2005. 126p. Disponível em:
http://www.bertolo.pro.br/MatFin/ZIP/MATFIN.zip
(Fevereiro, 2006).
• SAMANÉZ, Carlos Patrício. Matemática
financeira: aplicações à análise de
investimentos. 3. ed. São Paulo: Prentice Hall,
2002. 364p. ISBN 8587918079 capítulos 1, 2 ,3 e
5.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful