Combinamos de ser cornos.

Tenho 32 anos, casado, sem filhos, 1,77m, 72 kg, moreno claro e minha mulher 26 anos, morena clara, 1,62m, 58 kg, cabelos castanhos... Sempre tive vontade de ver minha esposa sendo possuída por outro macho na minha frente. Quando estávamos transar eu falava sobre o assunto no ouvido dela e ela ficava super excitada e gozava gostoso, dizendo para eu olhar ela dando para outro macho e me chamando de corninho. Depois que eu gozava na bucetinha dela ela me mandava chupar dizendo que era para eu sentir o gosto da porra do macho dela. O problema é que quando passava a excitação ela se arrependia e me pedia desculpas e dizia que jamais teria coragem de me trair. Eu falava que não se tratava de traição, pois era com o meu consentimento, mas nunca consegui convencê-la a dar para outro macho. Nem só ela e ele ou com a minha presença. Tenho um amigo, minha esposa não o conhece, que também tem essa fantasia de ser corno. Ele é boa pinta, três anos mais velho que eu e bastante simpático. Sempre que saímos do trabalho na sexta-feira passamos num bar e ficamos tomando cerveja e conversando sobre o assunto de ser corno. Numa dessas sextas-feiras bolamos um plano de ele comer minha mulher e eu depois comeria a dele em outra oportunidade. Planejamos uma viagem de final de semana para o litoral e disse a ele que levaria minha mulher a uma praia deserta e que era para ele ira também no mesmo horário e que nos encotraría-mos por acaso e eu o apresentaria para minha esposa e o convidaria para ficar com a gente na praia. Chegamos a tal praia e como era de costume, levamos cerveja no isopor e uma garrafa de uwisky. Arrumamos tudo e ficamos tomando sol. Minha esposa usava um biquíni preto com a parte de cima que só tapava os bicos dos peitinhos. Ficamos tomando uwisky e cerveja e ouvindo música. Passados umas duas horas o meu amigo começou a caminhar em nossa direção. Eu virei para ela e falei que achava que conhecia aquele cara de algum lugar. Chegando mais próximo chamei-o pelo nome e disse: é você cara e naquele disfarce todo, começamos altos papos, como se há muito não nos via e o apresentei para minha esposa, convidando-o para tomarmos umas bebidas para celebrar nosso reencontro. Notei que minha mulher não gostou muito, mas logo começamos a beber e em pouco tempo fomos ficando descontraídos e como meu amigo era muito simpático ela foi ficando mais a vontade. Ele usava apenas uma bermuda larga e eu e minha esposa só de sunga e biquíni, respectivamente. Meu amigo, em dado momento começou a elogiar minha esposa sem para, dizendo que eu era um cara de sorte por ter uma mulher tão bela e simpática, etc. Percebi que seu pau já estava duro sob a bermuda e vi que minha esposa também já tinha percebido e estava excitada. Senti que estava pintando um clima. Num dado momento ela foi para a água tomar um banho e eu sinalizei para que meu amigo fosse logo atras para tentar seduzi-la. Ficaram uns 10 minutos na água conversando e percebi de longe que ele às vezes encostava-se a ela. Retornando da água, ela estava com a parte de cima do biquíni um pouco solto e pediu para eu amarra um pouco mais forte e como eu estava com as mãos suja de areia, pedi para o meu amigo amarra. Enquanto amarrava, percebi que ele tocou nos seios dela e ela se arrepiou toda. Nessas alturas eu e meu amigo já estávamos de paus duros e ela percebendo tudo, deitou-se e falou para eu lavar as mãos para passar protetor solar nela. Mais

uma vez pedi para meu amigo fazê-lo e ele não pensou duas vezes e foi logo passando o protetor nela, lentamente, em todo o corpo e ela quieta de olhos fechados deixou sem resistir. Meu pau estava tão duro que saiu pra fora da sunga e ela vendo aquilo, virou-se para meu amigo e começou a passar protetor nele também. Fiquei louco de excitação e tirei a sunga e logo em seguida, estáva-mos todos nus. Corri na sacola e peguei uma toalha grande e forrei o chão para os dois se deitarem e fiquei assistindo, de camarote, meu amigo chupando sua bucetinha e em seguida penetrá-la com aquele pau duro e cabeçudo. Ver aquele homem pelado encima de minha mulher mexendo a bunda, naquele vai e vem e ouvir minha esposa gemendo e dizendo para ele meter mais, foi a maior satisfação que já tive em toda a minha vida sexual. Embaixo dele e gemendo, ela virou-se para mim e começou a dizer coisas para me deixar ainda mais louco: Veja meu corninho, olha que homem gostoso, a pica dele e muito gostosa e dura, ele mete gostoso demais, estou adorando isso. Ta gostando de ser corno meu amorzinho, ta? Gosta de ver sua mulher sendo fudida, gosta, então olha meu corninho gostoso. Passados alguns minutos os dois começaram um vai e vem mais frenético e gozaram como dois animais e eu, numa punheta alucinante, também gozei. Passamos a tarde inteira bebendo e trepando. Fizemos uma dupla penetração nela e ela me fez chupar o pau dele. Em outra oportunidade conto como meu amigo também se tornou corno com a minha ajuda.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful