P. 1
Hands-On C3D 2012

Hands-On C3D 2012

|Views: 77|Likes:
Published by Guido Günther

More info:

Published by: Guido Günther on Oct 17, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/17/2011

pdf

text

original

Sections

  • SOBRE ESTE DOCUMENTO
  • CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO
  • Figura 4
  • Figura 5
  • Figura 6
  • CAPÍTULO 2 PONTOS E SUPERFÍCIES
  • Levantamento de Pontos
  • Figura 7
  • Figura 8
  • Figura 9
  • Figura 10
  • Criando um Modelo Digital de Terreno (Superfície)
  • Figura 11
  • Figura 12
  • Figura 13
  • Figura 14
  • Figura 15
  • Figura 16
  • Figura 17
  • Figura 18
  • CAPÍTULO 3 PROJETO VIÁRIO
  • Figura 22
  • Figura 23
  • Figura 24
  • Figura 26
  • Figura 27
  • Perfil do Terreno
  • Figura 28
  • Figura 29
  • Greide (concordância vertical ou perfil longitudinal de projeto)
  • Figura 31
  • Figura 32
  • Figura 34
  • Definição da Seção Tipo
  • Figura 35
  • Figura 37
  • Figura 38
  • Figura 39
  • Figura 40
  • Criação do Modelo do Corredor
  • Figura 41
  • Figura 42
  • Cálculo dos Volumes de Corte e Aterro
  • Figura 43
  • Figura 44
  • Referências Externas (XREFs)
  • Figura 45
  • Figura 46
  • Figura 47
  • Figura 48
  • Gráficos de Seção Transversal
  • Figura 49
  • Figura 50
  • Figura 51
  • Figura 52
  • Figura 53
  • Figura 54
  • Figura 55
  • Figura 56
  • Figura 57
  • Figura 58
  • Figura 59
  • Caracterização do Material e Geração de Relatório de Volume
  • Figura 60
  • Figura 61
  • Figura 62
  • Figura 63
  • Diagrama de Bruckner
  • Figura 65
  • Folhas de Planta e Perfil
  • Figura 67
  • Figura 68
  • Figura 69
  • Figura 70
  • Figura 71
  • Relatórios e Tabelas do Projeto Viário
  • Figura 72
  • Relatórios de Alinhamentos
  • Figura 74
  • Relatório de Alinhamento Vertical
  • Figura 75
  • Nota de Serviço
  • CAPÍTULO 4 TERRAPLENAGEM
  • Criação de Plataformas a partir de critérios
  • Figura 81
  • Figura 82
  • Figura 83
  • Figura 84
  • Figura 85
  • Figura 86
  • Figura 87
  • Figura 89
  • Figura 90
  • Figura 91
  • Figura 92
  • Gerando gráficos de seções transversais da plataforma
  • Figura 93
  • Figura 94
  • Figura 95
  • Figura 96
  • Figura 97
  • Figura 98
  • Figura 99
  • Visualizando áreas de corte e áreas de aterro
  • Figura 101
  • Figura 102
  • Figura 103
  • CAPÍTULO 5 LOTEAMENTOS
  • Figura 104
  • Figura 105
  • Figura 106
  • Figura 108
  • Figura 109
  • Figura 110
  • Figura 111
  • Figura 112
  • Figura 113
  • Figura 114
  • Figura 116
  • CAPÍTULO 6 TUBULAÇÕES
  • Figura 119
  • Figura 120
  • Figura 121
  • Figura 122
  • Figura 123
  • Figura 125
  • Figura 126
  • Figura 127
  • Figura 128
  • Figura 129
  • Figura 131
  • Figura 134
  • Figura 135
  • CAPÍTULO 7 INTEGRAÇÃO COM O GOOGLE EARTH
  • Exportação de dados para o Google Earth
  • Figura 137
  • Figura 138
  • Figura 139
  • Figura 140
  • Importação de superfície do Google Earth
  • Figura 142
  • Figura 143
  • Figura 145
  • CAPÍTULO 8 TOPOGRAFIA
  • Figura 149
  • Figura 150
  • Figura 151
  • Figura 152
  • Figura 153
  • Figura 154
  • Figura 155
  • Figura 156
  • Figura 157
  • Figura 158
  • Figura 159
  • Figura 160
  • Figura 162
  • Figura 163
  • Figura 164
  • Figura 165
  • Figura 166
  • Figura 167
  • Figura 168
  • Figura 169
  • Figura 170
  • Figura 171
  • Figura 172
  • CAPÍTULO 9 DESENVOLVENDO PROJETOS EM EQUIPE
  • Figura 173
  • Figura 174
  • CAPÍTULO 10 DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS

Hands-on AutoCAD CIVIL 3D 2012

AGOSTO/2011

ÍNDICE
SOBRE ESTE DOCUMENTO ............................................................................................................... 2 CAPÍTULO 1 CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO ............................................................................................................. 3 PONTOS E SUPERFÍCIES .......................................................................................... 8

Levantamento de Pontos ................................................................................................................... 8 Criando um Modelo Digital de Terreno (Superfície) ........................................................................ 10 CAPÍTULO 3 PROJETO VIÁRIO ..................................................................................................... 16 Alinhamento Horizontal (Eixo) ......................................................................................................... 16 Perfil do Terreno .............................................................................................................................. 20 Greide (concordância vertical ou perfil longitudinal de projeto) ...................................................... 22 Definição da Seção Tipo .................................................................................................................. 24 Criação do Modelo do Corredor ...................................................................................................... 28 Cálculo dos Volumes de Corte e Aterro .......................................................................................... 29 Referências Externas (XREFs) ........................................................................................................ 30 Gráficos de Seção Transversal ....................................................................................................... 33 Caracterização do Material e Geração de Relatório de Volume ..................................................... 40 Diagrama de Bruckner ..................................................................................................................... 43 Folhas de Planta e Perfil .................................................................................................................. 45 Relatórios e Tabelas do Projeto Viário ............................................................................................ 48 Relatórios de Alinhamentos ......................................................................................................... 50 Relatório de Alinhamento Vertical ................................................................................................ 50 Nota de Serviço ............................................................................................................................ 51 CAPÍTULO 4 TERRAPLENAGEM ................................................................................................... 52 Criação de Plataformas a partir de critérios .................................................................................... 52 Gerando gráficos de seções transversais da plataforma ................................................................ 60 Visualizando áreas de corte e áreas de aterro ................................................................................ 65 CAPÍTULO 5 CAPÍTULO 6 CAPÍTULO 7 LOTEAMENTOS ........................................................................................................ 68 TUBULAÇÕES ........................................................................................................... 76 INTEGRAÇÃO COM O GOOGLE EARTH ................................................................ 86

Exportação de dados para o Google Earth ..................................................................................... 86 Importação de superfície do Google Earth ...................................................................................... 88 CAPÍTULO 8 CAPÍTULO 9 CAPÍTULO 10 TOPOGRAFIA ............................................................................................................ 91 DESENVOLVENDO PROJETOS EM EQUIPE ....................................................... 107 DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS ................................................................ 109

Pg. 1

SOBRE ESTE DOCUMENTO
O objetivo deste documento é apresentar ao usuário algumas das funcionalidades básicas do software AutoCAD Civil 3D. O software AutoCAD Civil 3D é lançado anualmente e encontra-se em sua versão 2012. A cada versão lançada várias novidades são introduzidas no mesmo, fornecendo novas funcionalidades e expandindo sua capacidade de realizar tarefas e projetos cada vez mais complexos. O software AutoCAD Civil 3D pode ser utilizado para a realização de projetos de diversas disciplinas de projeto (geometria viaria, drenagem, paisagismo, redes de esgoto, terraplanagem, entre outras), mas nesta apostila será dado enfoque apenas em algumas das ferramentas básicas de projetos geométricos de rodovias, terraplanagem, loteamentos, redes de tubulações e topografia, sendo o usuário encorajado a estudar as demais ferramentas após a conclusão desta apostila. Esta apostila foi desenvolvida com a versão 2012 do AutoCAD Civil 3D, mas exercícios similares também podem ser realizados com uma versão anterior do software, havendo apenas os inconvenientes de que algumas funções da versão 2012 podem não estar disponíveis nas versões anteriores e que os arquivos salvos em versões mais recentes do software não são editáveis em versões mais antigas. Os arquivos utilizados neste curso são disponibilizados apenas para a versão 2012. Recomendamos que os usuários tenham conhecimentos das funcionalidades básicas do software AutoCAD para que os mesmos possam trabalhar de maneira eficiente no AutoCAD Civil 3D. Boa sorte na sua jornada para conhecer um pouco melhor o AutoCAD Civil 3D!

Pg. 2

como superfícies. Figura 2 – Catchment Object Diferentemente das soluções tradicionais. Além disto. Os menus são organizados de forma coerente. A janela “Toolspace” organiza de forma lógica todos os objetos na aba “Prospector” e disponibiliza as funções de gestão de estilos na aba “Settings”. Na prática. ou terrenos. sendo baseados nas propriedades dos elementos do projeto. em inglês). A interface do Civil 3D é de fácil utilização. o AutoCAD Civil 3D é um software paramétrico e trabalha com o conceito de modelo de objetos (model-based design. o AutoCAD Civil 3D possui todas as funcionalidades do software CAD mais usado no mundo. foi desenvolvido na plataforma do AutoCAD. etc. perfis. conforme Figura 3.CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO O AutoCAD Civil 3D é a mais atual solução da Autodesk para projetos de Engenharia Civil. Sendo assim. os rótulos (textos com informações dos objetos) no AutoCAD Civil 3D são gerados e atualizados dinamicamente. tubulações. sendo que ao longo deste texto alguns deste objetos serão apresentados em maiores detalhes. alinhamentos. por sua vez. Figura 1 – Objetos do Civil 3D Na versão 2012 foi adicionado um novo objeto. Os objetos paramétricos com os quais o Civil 3D trabalha estão indicados Figura 1. “Catchment” ou área de contribuição. isto significa que o Civil 3D produz automaticamente um efeito de propagação quando ocorrem alterações nos dados de alinhamentos. Este objeto foi adicionado com o intuito de simplificar o fluxo de trabalho em projetos de drenagem pluvial e esgoto. com comandos semelhantes para todos os Pg. de modo que não precisamos nos preocupar em efetuar estas atualizações manualmente. lotes. Estas atualizações automáticas garantem a consistência dos relatórios finais do projeto e também facilitam o estudo de diferentes cenários. A partir da versão 2012. perfis. 3 . gera arquivos no formato DWG e também conta com as funcionalidades de geoprocessamento do AutoCAD Map 3D. o AutoCAD Map passou a contar com certas funcionalidades de modelos da indústria que não estão inclusas no AutoCAD Civil 3D 2012. Ele foi desenvolvido na plataforma do AutoCAD Map 3D que.

aba Prospector e aba Settings Pg. enquanto os métodos de edição utilizam comandos de “grips”.objetos. As ferramentas de layout permitem acesso rápido à criação e edição de comandos. 4 . Figura 3 – Janela Toolspace.

como base para a construção de novos estilos. 4) BARRAS DE FERRAMENTAS: padronizados. “Settings” . 5) EDITORES DE PROPRIEDADES: com abas de separação. Figura 4 1) TOOLSPACE: para gestão de objetos existem quatro separadores. 3) FERRAMENTAS DE LAYOUT: para criar e editar objetos. 6) RIBBON: interface de criação e edição das tarefas do Civil 3D. permitem fácil acesso às alterações de objetos individuais. possibilitam acesso rápido a uma vasta gama de controles. editando ou criando novos estilos que se adequem às suas necessidades. 5 . Todos os tipos de objetos têm controles de estilos semelhantes e um conjunto semelhante de coleções de estilos na aba “Settings”. Esses estilos controlam a forma de visualização e alguns aspectos do comportamento de projeto dos objetos. “Prospector”.Na Figura 4. “Survey” e “Toolbox”. e são atribuídos e geridos pelo usuário. É possível utilizá-los como estão definidos. Todos os objetos do AutoCAD Civil 3D têm um estilo atribuído. ou. então. Pg. visualizamos a interface do AutoCAD Civil 3D. 2) VISTA DE ITENS: possibilita a visualização rápida da lista de conteúdos da pasta selecionada ou a visualização gráfica do objeto selecionado. O Civil 3D já traz vários estilos pré-configurados para cada tipo de objeto.

você verá a janela que é chamada de Toolspace (se não estiver visualizando esta janela. Vá ao “Application Menu” e clique em “New / Drawing”. a partir da versão 2011. 2. Ao instalar o Civil 3D. 3. e por estilo ou layer. 6 . Figura 5 Pg. não é preciso preocupar-se em colocar cada tipo de objeto em seu respectivo layer. No entanto. não há problema. Do lado esquerdo.1. adiciona também uma série de relatórios adaptados para o Brasil. vá até a aba Home e clique no botão “Toolspace” no painel Palettes). Clique em “OK”.dwt” conforme a Figura 5. Inicie o AutoCAD Civil 3D 2012. se você ainda preferir trabalhar com conceito de layers. conforme a figura a seguir. Basta selecionar o template por layer. que além de adicionar um Template pré-configurado para a norma de apresentação de projetos rodoviários do DER-SP. No nosso exemplo vamos selecionar o template “_AutoCAD Civil 3D 2012_BRA (DERSP). O Civil 3D já traz alguns templates pré-definidos. O template configurado por estilo irá colocar todos os objetos relacionados em um mesmo layer e isto não trará prejuízos ao projeto. Como o Civil 3D trabalha com o conceito de objetos. o usuário pode instalar o country kit Brasil. divididos em unidades imperiais ou métricas. Este Template foi criado pela Autodesk para atender ao padrão brasileiro de apresentação de projetos rodoviários e é disponibilizado junto com o software.

Pg. 5. selecione a aba “Settings”. adaptando os Templates existentes aos padrões de apresentação de projetos adotados pela empresa ou órgão público contratante dos serviços.dwg”. Vamos. 7 . Salve o desenho com o nome “Base. Configure as unidades do projeto e o sistema de coordenadas conforme a Figura 6. Clique na opção “Edit Drawing Settings”. Figura 6 6. Na “Toolspace”. Clique com o botão direito no nome do projeto (nome do seu arquivo). 4.O usuário pode ainda criar o seu próprio Template. agora. Explore as demais abas da janela “Drawing Settings” e depois clique em “OK”. configurar as unidades do desenho e o sistema de coordenadas que utilizaremos para nosso projeto.

Isto porque estes estilos são atribuídos ao grupo de pontos e não a cada ponto separadamente. 8 . clique no ícone à direita para buscar o arquivo de pontos ( Dublin spot elevations. Elevation). 8. Na barra de ferramentas “Create Points”. superfícies. alinhamentos (eixos). dentre outros. Existem diversas maneiras de se criar pontos no Civil 3D. Northing. Neste exemplo vamos importar um arquivo de pontos no formato ENZ (Easting. o que inclui o símbolo do ponto e a configuração dos seus rótulos. selecione a aba “Home” e clique na opção “Points / Point Creation Tools”. Pg. O Civil 3D organiza os pontos em grupos de pontos (“Point Groups”). Figura 7. importar arquivo de alinhamento ou de pontos.txt). separado por vírgula. no campo “Add Points to Point Group”. selecione a opção “Import Points”. Todos os pontos que pertencem ao mesmo grupo podem compartilhar o mesmo estilo de exibição. 7. No campo “Source File”. É possível criar pontos a partir de objetos existentes como curvas de nível. clique no ícone à direita para abrir a caixa de diálogo de criação de grupo de ponto conforme a Figura 8. Para isto. Na “Ribbon” (faixa de opções).CAPÍTULO 2 PONTOS E SUPERFÍCIES Levantamento de Pontos Vamos começar nosso projeto importando um conjunto de pontos de levantamento de campo. Vamos importar estes pontos para um grupo chamado “Levantamento”. Este arquivo de pontos que estamos importando já passou pelas correções do levantamento (iremos abordar as funcionalidades de topografia do Civil 3D no CAPÍTULO 8). selecione a opção “ENZ (comma delimited)” para o formato. Na caixa de diálogo que se abre. Digite “Levantamento” para o nome do grupo e clique em “OK”. Figura 7 9.

9 . Execute o “Zoom Extents” para visualizar os pontos (se você possuir um mouse com rodinha.Figura 8 10. Figura 9 Pg. pode fazer um clique duplo nela para efetuar o Zoom Extents. Selecione um ponto qualquer e clique com o botão direito. 11. Clique em “Levantamento”. O ponto é representado por um círculo amarelo com um ponto no meio. Clique em “Zoom to”. No rótulo é exibida a elevação correspondente à este ponto. 12. O Civil 3D automaticamente executa um zoom até a localização do ponto selecionado. Note que é exibida abaixo da “Toolspace” a lista de pontos que pertencem a este grupo. Na aba prospector do ToolSpace. caso contrário. Atente para o modo de exibição do ponto (Figura 9). expanda o grupo “Point Group”. no menu View teremos a opção Zoom).

10 .13. a numeração. Selecione o ponto e clique com o botão direito. Figura 10 Criando um Modelo Digital de Terreno (Superfície) O próximo passo é construir um modelo digital de terreno. localização e elevação dos pontos não são alteradas. no “Prospector”. Pg. altere “Point Style” para “Standard” e “Point Label Style” para “Standard”. Conforme mostrado na Figura 11. que no Civil 3D é chamado de superfície (“surface”). Na caixa de diálogo. clique com o botão da direita sobre o item “Surface”. Clique na opção “Point Group Properties”. Repita o processo e retorne o “Point Style” e “Point Label Style” para “Estação” e “PONTO_COTA_DESC”. conforme Figura 10. respectivamente. Apenas modificou-se a forma de exibição destes dados. Clique em “OK” e verifique as alterações ocorridas. Entretanto. Note que esta modificação alterou todos os pontos do grupo “Levantamento” e não apenas o ponto selecionado. 14. 15. usando os pontos importados. e selecione a opção “Create Surface”.

todos eles têm um nome ou código que os identifica. Vamos chamar a superfície de “Terreno Existente”. Tudo isto você preenche no diálogo “Create Surface” que é exibido na Figura 12. Você pode aceitar o nome sugerido ou entrar com um nome personalizado. Pg. 11 . 16. Figura 12 17. Na opção “Type” está definida “TIN surface”.Figura 11 Como o Civil 3D trabalha com o conceito de objetos. Repare na parte superior da caixa de diálogo da Figura 11. Vamos também atribuir o estilo prédefinido “CURVAS1&5 (GEOMETRIA)” à superfície. Deixe esta opção marcada e clique em “OK”. Isto significa que a superfície será criada a partir da triangulação de pontos.

ponto.Até aqui criamos apenas o objeto superfície. Arquivos de Pontos e Grupos de Pontos. bloco. Linhas de Corte. Para isto. Objetos de Desenho (incluem linha. Figura 13 19. 3D faces e polyfaces). dê um clique duplo em “Terreno Existente” e depois em “Definition”. 12 . 18. texto. vamos usar Grupos de Pontos. Os dados de uma superfície são agrupados nas seguintes categorias: Limites. no Toolspace. mas é preciso dizer quais dados devem ser usados para criar o modelo digital de terreno. Selecione o grupo de pontos “Levantamento” e clique em “OK”. com seu limite e as curvas de nível (Figura 14). Clique com o botão da direita em “Point Groups” e depois em “Add” (Figura 13). No nosso exemplo. Agora você já deve estar visualizando o modelo de terreno em 2D. Curvas de Nível. Figura 14 Pg.

22. você pode começar seu projeto criando uma superfície e selecionando a opção “Point Files” que é mostrada na Figura 13. Na aba “Analysis”. conforme Figura 15. Para isso. Utilize o comando “Orbit” e mude para uma vista 3D da superfície. 24. No campo “Surface Style” selecione “MAPA DE ELEVAÇÃO” e clique em “Apply”. 23. 20. no painel “Label & Tables”. selecione a opção “Object Viewer”. vá na aba “Annotate”. Criaremos agora uma tabela com as informações da elevação. Para facilitar nossa visualização. Esta tabela nos traz as elevações máximas e mínimas de cada uma das faixas de elevação da superfície “Terreno Existente” (Figura 16). A vantagem deste procedimento é que você não irá sobrecarregar seu arquivo com os pontos e ele ficará menor. selecione “Elevations” no campo “Analysis Type” e clique no botão abaixo de “Ranges” para iniciar uma análise. atribuiremos outro estilo à superfície.DICA: Ao invés de importar o arquivo de pontos como fizemos neste exemplo. Clique com o botão direito sobre o modelo de Terreno Existente. Verifique as faixas de elevação no campo “Range Details” e clique “OK” para fechar a janela. Clique com o botão da direita em “Terreno Existente” e a seguir em “Surface Properties”. Selecione a opção “Elevations” e escolha um local vazio na tela para inserir a tabela. Para determinarmos quais as faixas de elevação adotadas para a visualização é necessário fazer uma análise da superfície. selecione a opção “Add Tabels” e em seguida “Add Surface Legend Label”. Após terminar de explorar a superfície feche a janela “Object Viewer”. O que você visualiza no Civil 3D é apenas uma questão de configurar o estilo. A superfície “Terreno Existente” agora é exibida em diversas cores. de acordo com a faixa de elevação de cada área da mesma. Você pode criar novos estilos no Civil 3D ou alterar os estilos existentes. 13 . Pg. Figura 15 25. 21.

26. 29. clique com o botão direito em “Data Shortcuts” e clique em “Set Working Folder” e selecione a pasta na qual serão salvas as informações do “Data Shortcut”. criaremos uma pasta dentro da pasta selecionada anteriormente para o armazenaento das informações. escolha a configuração inicial de novamente (“CURVAS-1&5(GEOMETRIA)”). 14 . Novamente clique com o botão direito em “Data Shotcut” e selecione “New Data Shortcuts Project Folder”. Pg.Figura 16 Para continuarmos com nosso exercício. Nesta etapa. 28. em “Surface Style”. Salve o desenho para utilização nas etapas posteriores. clique com o botão direito no “Terreno Existente” e selecione “Surface Properties”. tornando o desenho atual menor. o “Terreno Existente” será uma referência. 27. Iremos utilizar a superfície como um “Data Shortcut” para a próxima etapa. ou seja. voltaremos o estilo de exibição da superfície para sua condição inicial. Na “Toolspace”. conforme Figura 17. Na “Toolspace”. e mais fácil de trabalhar. Na aba “Information”. Mais informações sobre a utilização de “Data Shortcuts” e compartilhamento de dados podem ser obtidas no CAPÍTULO 9.

temos apenas a superfície.dwg) e feche-o. portanto selecione “Surfaces” e clique OK. Clique novamente com o botão direito em “Data Shortcuts” e selecione “Create Data Shortcut”.dwg). 15 . Neste caso. Salve o desenho (Base. Após isso. Uma janela aparecerá. conforme Figura 18. pois para criarmos o “Data Shortcut”. salve o desenho (Base.Figura 17 30. na qual você deve selecionar os objetos que se tornarão uma referências. Figura 18 31. o programa pede para que o desenho seja savo. Pg.

Comecemos criando a referência do terreno existente. Pg. Verifique que neste “Data Shortcut” podemos modificar o estilo da superfície (“Surface Properties / Surface Style”). Vamos chamá-lo de “Av Brasil”. 35. Criaremos e definiremos agora. Se a superfície não estiver visível na tela. Abra o arquivo “Projeto Viário. Na “Ribbon”. 32. Confira se o “Alignment style” está definido como “EIXO COMPLETO-(PROJETO)” e o “Alignment label set” como “PADRAO-100mX20m”. expanda “Dara Shortcuts”. Na “Toolspace”. Lembre-se que estes estilos irão variar de acordo com o template que você usou para criar seu arquivo. selecione “Alignment / Alignment Creation Tools”. vamos apenas atribuir um nome ao nosso alinhamento. 36. 16 . A caixa de diálogo de criação do alinhamento será exibida. Figura 20 34.CAPÍTULO 3 PROJETO VIÁRIO Alinhamento Horizontal (Eixo) Passemos agora ao projeto de um trecho viário.dwg” (Figura 19) Figura 19 33. execute o comando “Zoom Extents”. Clique em OK na janela que irá aparecer com as informações da superfície. ou seja a superfície pode ter um estilo de exibição diferente do que está selecionado no arquivo original que a contém. o alinhamento horiontal (eixo de projeto) da pista. na aba “Home”. “Surfaces” e clique com o botão direito em “Terreno Existente” e selecione “Create Reference” (Figura 20). Por hora.

clique para procurar o conjunto de critérios de projeto que será utilizado. Nesta opção é possível revisar os critérios de projeto indicados pelas diversas agências.. conforme a Figura 22. após selecionar a opção “Alignment” no painel “Design”. 37. da American Association of State Highway and Transportation Officials.xml” e configure o campo “Minimum Radius Table” para “AASHTO 2004 Metric eMax 4%”. Neste exemplo usaremos “80km/h”. que é um dos mais adotados mundialmente. que automaticamente estabelece os raios mínimos das curvas horizontais (e. Caso você tenha instalado o “Country kit Brazil”. os parâmetros de cálculo das diretrizes de projetos rodoviários do DER-SP também estarão disponíveis para seleção. Neste exemplo utilizaremos “_Autodesk Civil 3D Metric_BRADER-SP(AASHTO2004). selecione a aba “Design Criteria”. As diretrizes de projeto geométrico de rodovias do DER-SP e de diversos outros órgãos rodoviários são baseadas no manual da AASHTO de 2004. contendo por exemplo. assim como é possível editá-los e criar novos critérios de projeto para alinhamentos horizontais e verticais. No campo “Starting design speed” definiremos a velocidade diretriz desta rodovia. versão 2004. posteriormente o comprimento mínimo das curvas verticais) a partir de valores indicados por uma norma selecionada. Ainda na janela “Create Alignment”. Nesta aba você pode selecionar a opção “Design Criteria Editor”.Figura 21 Nesta mesma caixa de diálogo temos a ferramenta “Design Criteria”. Clique em “Use criteria-based design”. Pg. 17 . O Civil 3D já vem préconfigurado com os critérios de de projetos de diversas normas e manuais internacionais. na aba “Modify”. o manual A Policy on Geometric Design of Highway and Streets. Clique em “OK”. Também é possível criar novas regras usando uma interface bastante simples localizada na “Ribbon”. outra aba “Modify” com opções para edição de alinhamentos aparecerá.

. Figura 23 Na janela “Curve and Spiral Settings” é possível configurar o tipo de curva transição a ser utilizada.”. conforme a Figura 23. Clique em “OK” para fechar a janela. No primeiro ícone a esquerda. assim como o raio padrão para a inserção de curvas circulares..Figura 22 38. conforme Figura 24. Em seguida será exibida a barra de ferramentas “Alignmet Layout Tools”. Neste exemplo utilizaremos curvas circulares com raio de 50 metros. 39. Pg. clique em “Curve and Spiral Settings. 18 .

B. indicados pelo centro dos círculos A. tais como raios de curva. as estacas e todos os rótulos associados.pontos de interseção das tangentes) dos trechos em tangente. D e E. extensão de tangentes. Figura 25 41. Selecione a opção “Edit Alignment Geometry” e a janela “Alignment Layout Tools” se abrirá. C. Selecione o alinhamento e clique com o botão direito. Figura 26 Pg. Agora é só clicar nos vértices (PIs . Ainda no ícone indicado na Figura 23. entre outros. clique em “Tangent-Tangent (With curves)” para desenhar o alinhamento. Clique no terceiro botão da direita para a esquerda (Figura 26) e aparecerá uma tabela (Figura 27). 19 . Repare que automaticamente o Civil 3D já criou as. Nesta tabela é possivel editar parâmetros do alinhamento.Figura 24 40.

Altere o nome da “Profile View” para “Perfil Vertical Terreno Av Brasil” (Figura 29). 46. Altere o valor do raio de uma das curvas para 50m e repare que um triângulo amarelo com um sinal de exclamação aparecerá. verifique se o “Label” do Terreno Existente está definido como “VAZIO”. clique no botão “Add” para criar o perfil “Av Brasil” usando a superfície “Terreno Existente”.Figura 27 Repare que as curvas foram criadas com o raio de 280m e não 50m como haviamos especificado no momento de criação do alinhamento. Na próxima tela “Profile Display Options”. A próxima tela define a variação das alturas do perfil. Clique em “NEXT” até que este botão se torne desabilitado e. Isto ocorreu porque o raio mínimo de uma curva circular horizontal é 280m. deixe a opção “Automatic” selecionada para abranger todas as variações de altura existentes ao longo do alinhamento. por fim. segundo o manual de Projeto Geométrico do DER-SP. clique no botão “Draw in profile view”. Como queremos o perfil de todo o alinhamento. 43. Em seguida. 44. Perfil do Terreno O próximo passo será criar o perfil do terreno. Assim como antes. Na tela seguinte. Na caixa de diálogo “Create Profile from Surface” (Figura 28). Você pode aceitar todos os outros valores sugeridos no diálogo seguinte e clicar no botão “NEXT”. deixe a opção “Automatic” selecionada e clique novamente em “NEXT”. clique em “Create Profile View”. Este símbolo indica que o raio daquela curva é inferior ao raio mínimo segundo o critério de projeto definido anteriormente. O Civil 3D ajustou automaticamente o raio das curvas para satisfazer os critérios de projeto que nos definimos anteriormente. Vá até a aba “Home / Profiles / Create Surface Profile”. Pg. 42. 20 . considerando-se uma superelevação máxima na curva de 4% e velocidade diretriz de 80km/h. 45. você define o intervalo do alinhamento que será utilizado para criar o perfil.

Figura 28 Figura 29 47. 21 . Pg. Clique em algum ponto fora da superfície do terreno. O Civil 3D pedirá um ponto para inserir o gráfico do perfil.

Selecione na aba Home “Profiles /Profile Creation Tools”. Nesta caixa de diálogo. exibirá a caixa de diálogo “Create Profile” (Figura 31). bem como todos os rótulos relacionados. Novamente.xml”. Para que você entenda bem o conceito de um software paramétrico. Agora mova algum grip (vértice) do alinhamento. vamos digitar um nome para o alinhamento vertical. então. 22 . Pg. Esta caixa de diálogo também possui a aba “Design Criteria”. o alinhamento. na outra. É interessante utilizar nomes descritivos. Trabalhando com uma única viewport. clique em “Design Criteria”. como no alinhamento horizonal. 49. Ele será chamado “Alinhamento Vertical Av Brasil”. posicione a vista do perfil de tal forma que ela ocupe toda a área de desenho. posicione o perfil e. Clique em “OK”.48. e procure o critério semelhante ao escolhidoo anteriormente “_Autodesk Civil 3D Metric_BRA-DER-SP(AASHTO2004). vamos utilizar a vista de perfil que acabamos de criar. faça o seguinte: configure duas viewports na vertical (“Ribbon / View / Set Viewports / Two:Vertical”. Repare que o perfil é atualizado automaticamente. que irá atribuir os comprimentos mínimos das curvas verticais segundo a norma selecionada. O Civil 3D pedirá para você selecionar a vista do perfil e. pois em um projeto grande isto ajudará bastante a localizar os objetos de interesse. Figura 30 Greide (concordância vertical ou perfil longitudinal de projeto) Para criar o greide. Em uma delas.

com espaçamentos longos. pressione ENTER. Crie trechos retos com comprimento médio superior a 300m. Agora basta clicar em pontos de interseção na vista. 52. É nesta barra que estão todas as funções disponíveis para a criação e edição de perfis longitudinais. É importante que o primeiro ponto do greide que você selecione coincida com o vértice inicial do perfil do Terreno Existente e o último ponto do greide coincida com o vértice final do perfil do terreno existente. Pg. o que facilita o aprendizado. As linhas de grade da Profile View do perfil do Terreno Existente estão espaçadas 5m umas das outras. Ela é muito semelhante às barras de ferramentas de pontos e alinhamentos horizontais que vimos anteriormente.Figura 31 Neste momento. como mostra a Figura 32 acima. a barra de ferramentas “Profile Layout Tools” é exibida (Figura 32). Quando terminar de definir o alinhamento vertical. 23 . O Civil 3D possui uma interface consistente. 51. Figura 32 50. Através do primeiro ícone da barra de ferramentas de perfil selecione a opção “Draw Tangents”.

Ainda na barra “Profile Layout Tool”. acione a “Tool Palettes”. sarjeta. Na barra de ferramentas “Profile Layout Tools”. Na “Ribbon”. Vamos agora inserir curvas verticais parabólicas entre os trechos retos do perfil projetado. no painel “Palettes”. 56. Clique perto do ponto de interseção vertical (PIV) onde se deseja colocar a curva parabólica e digite o comprimento desejado para a curva. Este objeto representa o eixo de projeto na seção transversal. por exemplo 80 (metros). O Civil 3D trabalha com o conceito de “Assemblies” e “Subassemblies”. O próximo passo é inserir os elementos de seção transversal. Para criar um assembly. painel “Create Design”. o Civil 3D irá pedir um ponto para inserir o “subassembly”. selecione o sexto item da esquerda para à direita da barra. Chame-o de “Av Brasil” e clique em um local vazio na tela para inserí-lo. no aba “Home”. O assembly define a posição do eixo do projeto nas seções transversais e os subassemblies são componentes de seção transversal como faixas de rolamento. escolha “More Free Vertical Curves” e “Free Vertical Parabola (PVI based)” (Figura 34).Figura 33 53. 55. Figura 34 54. na “Ribbon”. Se você clicar com o botão da direito. selecione a opção “Assembly / Create Assembly”. etc. clique no terceiro botão da direita para a esquerda. Para isso. Outra forma de trabalhar Pg. guardrail. você pode abrir a tabela com os parâmetros do perfil para corrigirr quaisquer parâmetros insatisfatórios e fazer as mudanças necessárias no perfil. Definição da Seção Tipo Agora vamos definir a seção tipo. Se você clicar com o botão esquerdo sobre um destes elementos. meio-fio. 24 . na aba “Home”. poderá selecionar a opção “Help” que apresenta informações detalhadas sobre o comportamento do “subassembly”. Na janela “Tool Palettes” você tem uma lista dos principais componentes viários utilizados em seçõestipo. e aparecerá uma tabela com os parâmetros do perfil projetado.

clique com o botão da direita e selecione “Help”. Acesse os diferentes níveis e. Explore os vários modelos de “assemblies” e “subassemblies” disponíveis no catálogo “Corridor Modeling Catalogs (Metric. selecionar a opção “Catalog”. Figura 35 57. você tem a opção para apresentar o “Content Browser” (Figura 35).net)”. após selecionar o “Assembly”. quando quiser informação sobre algum elemento. no painel “Palettes”. Pg. Figura 36 Figura 37 Você pode explorar o catálogo para ver que componentes ele contém. Ainda na aba “Home” da “Ribbon”. Posicione a janela de catálogo e o seu “assembly” na tela de tal forma que seja possível visualizar os dois como mostra a Figura 37. na aba “Assembly”. Outra forma de acionar o “Content Browser” é. 25 .com os subassemblies é usar o catálogo de subassemblies que o Civil 3D possui.

O primeiro deles será o “LANEOUTSIDESUPER” ou “LANESUPERELEVATIONAOR” que nos permite definir uma faixa de rolamento da pista. Clique na linha vermelha central do eixo de projeto. O Civil 3D disponibiliza alças ao longo das subassemblies (pontos de conexão) para facilitar o processo de introdução de novas subassemblies. Adicione estes “subassemblies” na extremidade superior dos inseridos anteriormente.58. utilize a janela de propriedades e altere o lado para “Right” (Figura 38). Para isto. Atente para o local de inserção destes últimos subassemblies. precisamos inserí-la do lado direito. 59. Agora. 26 . digite um destes nomes e clique em “Go”. Neste momento. Repita os passos anteriores para adicionar de ambos os lados o subassembly “BASICCURBANDGUTTER” (que define a sarjeta e o meio-fio) e o subassembly “BASICSIDESLOPECUTDITCH” (que gerará os taludes automaticamente). A pista é inserida do lado esquerdo por padrão. Seu resultado final deverá ser semelhante ao da Figura 39. clique novamente na linha vermelha do eixo da “assembly”. No campo “Search” à esquerda no catálogo. 60. assim sucessivamente. Neste exemplo. Solte-o em qualquer lugar. Depois. Os subassemblies utilizam a tecnologia i-drop® que nos permite levá-los para a área de trabalho do Civil 3D clicando o ícone “i”. Clique neste ícone e arraste-o para a área de trabalho. Figura 38 Pg. o Civil 3D exibe a janela de propriedades e pede para você selecionar o ponto para inserção do subassembly. vamos utilizar 3 componentes diferentes na seção-tipo.

Basta clicar no sub-assembly desejado. Figura 40 Pg. 27 .Figura 39 Você pode ainda recorrer a utilização da janela “Tool Palettes” (Figura 40) para adicionar os “subassemblies”. configurar os parâmetros necessários na janela de propriedades e selecionar o ponto ao qual este objeto será inserido no “assembly”.

Neste momento. Selecione o corredor. Figura 41 64. Você pode selecionar o corredor e usar o “Object Viewer” para visualizá-lo em 3D (Figura 42). Clique em “OK” para fechar a janela. Se estivéssemos trabalhando com superlargura. Agora você deve estar visualizando a caixa de diálogo “Target Mapping”. Pressione ENTER no prompt do Civil 3D para trazer a lista de todos os alinhamentos presentes no desenho e selecione o alinhamento “Av Brasil”. selecione a opção “Corridor / Create Simple Corridor”. clique com o botão direito e selecione a opção “Object Viewer”. 62. selecione “Terreno Existente” como a superfície para os dois campos “Target Surface” (um é para o lado esquerdo e outro para o lado direito da seção tipo). no painel “Create Design”. 28 . considerando-se uma elevação (“profile”) determinada para o eixo da seção tipo. na aba “Home”. 63. Clique OK na caixa de diálogo “Target Mapping”. Pg. O nome do corredor será “Av Brasil”. Aqui é onde vamos definir que superfície utilizar como alvo para gerar os taludes. Conforme mostrado na Figura 41. o modelo de corredor é gerado. Na “Ribbon”. usaríamos este diálogo para definir os objetos alvo.Criação do Modelo do Corredor A criação do modelo de corredor consiste na aplicação da seção tipo (“assembly”) ao longo do alinhamento (alignment). Faça o mesmo para os prompts de perfil (“profile”). 65. Você pode clicar o alinhamento ou selecioná-lo a partir de uma lista. O Civil 3D nos pede para selecionar o alinhamento (“alignment”). 61. selecionando o perfil “Alinhamento Vertical Av Brasil” e seção tipo (“assembly”).

. clique com o botão da direita sobre o nome do corredor e selecione a opção “Rebuild – Automatic”. Pg. Altere o nome da superfície para “Av Brasil – DATUM”. Selecione o corredor “Av Brasil” na “Toolspace”. clique na aba “Boundaries” e clique com o botão da direita sobre a superfície que aparece na lista. Depois. faça o seguinte: na “Toolspace”. Altere o valor do campo “Overhang Correction” para “Bottom links” e adicione o code “Formation” (ou Datum) à superfície.Figura 42 66. Clique na aba “Surfaces”. Agora.. Cálculo dos Volumes de Corte e Aterro Para que possamos calcular os volumes de terra a ser movimentada para a construção da via em questão é necessário criar uma superfície correspondente ao corredor. Clique com o botão da direita e selecione “Properties. faça alterações no alinhamento horizontal e/ou vertical.”. Clique em “OK”. Para que você verifique novamente como as atualizações dinâmicas se propagam no Civil 3D. 67. Selecione a opção “Add Automatically” e depois “Daylight”. Repare que o corredor é atualizado automaticamente. Para assim podermos compará-la com a superfície do Terreno Existente. 68. 29 . Configure a superfície de acordo com a Figura 43. Altere o estilo para “TRI_PTO_BRD”. para fechar a janela “Corridor Properties”.

conforme a Figura 45. 72. Salve o desenho antes de fazer este passo. 30 . selecione os demais itens. 69. Na janela “Create Data Shortcuts” não será necessário criar uma referência da superfície do corredor. Figura 44 Referências Externas (XREFs) Para continuarmos os exercícios. iremos criar um novo desenho. clique com o botão direito em “Data Shortcuts” e selecione “Associate Project to Current Drawing”. clique no botão mais à esquerda para criar uma nova entrada na lista. Configure as superfícies de base (“Terreno Existente”) e comparação (“Av Brasil – DATUM”) como mostrado na Figura 44. clique com o botão direito em “Data Shortcuts” e selecione “Create Data Shortcut”. Na janela que é apresentada.Figura 43 Uma vez que já temos a superfície do corredor. Selecione uma superfície. 70. 71. O intuito de criar outro desenho. Salve o desenho atual com o nome de “Modelo”. portando não selecione a superfície. portanto o programa fica menos carregado e assim mais fácil de trabalhar no desenho. Pg. Na “Toolspace”. na aba “Tin Surface” clique em “Volumes”. é trabalhar com um arquivo de tamanho menor. Ainda na “Toolspace”. mas não feche o desenho. podemos fazer o cálculo de volumes. no qual iremos inserir o que foi feito nos desenhos anteriores como XREF e Data Shortcut. caso seja solicitado.

Clique em “Attach” e selecione o desenho anterior (MODELO. 75. Em “Ribbon”. execute o comando “Zoom Extents”. No item “Path type”. selecione “Relative Path”e clique em Ok.Figura 45 73. Se o desenho não aparecer. A mesma já está préconfigurada. Pg. com todos os fatores de escala definidos como 1 e ponto de inserção em 0. na aba “Insert” no painel “Reference”. 31 .dwg). 74.0 nos pertindo fazer apenas as mudanças necessárias. Crie um novo arquivo com o template do DER-SP e salve-o com o nome de “DOCUMENTO”. criaremos uma referência externa.0. A janela “Attach External Refference” (Figura 46) se abrirá.

Clique com o botão direito em “Av Brasil” e selecione “Create Refference”. clique na seta para baixo ao lado de “Reference” e altere o valor do item “Xref Fading” para 10 conforme Figura 47. Iremos também criar a referência dos perfis tanto do terreno quanto do greide de projeto. expanda “Av Brasil”. expanda “Profiles” e clique com o botão direito em “Alinhamento Vertical Av Brasil” e selecione “Create Reference”. 32 . na aba “Insert” no painel “Reference”. mas como se fosse um bloco. Figura 47 77. Na “Toolspace” expanda “Data Shortcut”. Pg. mais transparente a referência externa ficará. “Alignment” e “Centerline Alignments”. este é apenas uma referência na qual a princípio não podemos fazer modificações. pois quanto maior este valor. Configure a janela que aparecerá conforme Figura 48 e clique em OK.Figura 46 Verifique que tudo que tinhamos no arquivo Modelo está agora no arquivo Documento. 78. e verifique que o alinhamento foi criado no desenho. Clique em OK na janela que aparecerá. Ainda na “Toolspace” expanda “Data Shortcut”. 76. Este não possui a mesma característica do Data Shortcut. Em “Ribbon”. “Alignment” e “Centerline Alignments”.

como na Figura 49.Figura 48 79. selecione “Sample Lines”. portanto clique com o botão direito em “Terreno Existente”. Na “Ribbon”. O Civil 3D pede para selecionar um alinhamento. Altere o estilo do corredor “Av Brasil” para “PADRAO SECAO”. Em “Profile Style”. selecione “Create Reference” e configure a janela “Create Profile Reference”. Altere o nome para “Linha de Amostragem . Pg. Deve-se também criar a referência do perfil do terreno existente. precisamos definir em que estacas e com que frequência desejamos criar estes gráficos. Altere o estilo da superfície “Terreno Existente” para “TERRENO NATURAL”. Para tal devemos criar Linhas de Amostra (“Sample Lines”) nas estacas em que desejamos criar gráficos de seção transversal ou extrair informações para quantitativos. agora. na aba “Home”. Visualiza-se. 80. Gráficos de Seção Transversal Antes de criarmos os gráficos de seções transversais.Av Brasil”. Selecione o alinhamento “Av Brasil”. Altere o estilo da superfície do datum do corredor para “SUPERFICIEDATUM”. 33 . 81. verifique se está definido como “Terreno Natural” e o “Profile Label Set” como “Vazio”. Clique em Ok. no painel “Profile & Section Views”. a caixa de diálogo “Create Sample Line Group”.

A caixa de diálogo “Create Sample Line – From Corridor Stations” deve estar configurada conforme a Figura 51. Figura 50 84. Pg. É importante ter sido criada a superfície correspondente ao corredor antes desta etapa. 34 .Figura 49 82. incluindo a do datum do corredor. Clique em “OK”. clique em “Sample Line Creation Methods” e selecione a opção “From corridor stations”. 83. Na barra de ferramentas “Sample Line Tools”. Clique em “OK” e pressione ENTER para finalizar o comando de criação das “Sample Lines”. Note que as três superfícies existentes estão selecionadas. conforme Figura 50.

85. O projeto deverá ficar igual à Figura 52. Antes de criarmos os gráficos iremos adicionar a escala 1:200 a lista de escalas do desenho.. podemos criar os gráficos de vista de seção tranversal. conforme Figura 53. Clique no ícone no canto inferior direito do Civil 3D que apresenta a escala atual dos “labels” do desenho. 35 . Pg.. Selecione a opção “Custom.Figura 51 As Linhas de Amostra são criadas.” para editar a lista de escalas disponíveis. Os gráficos das seções transversais são usualmente plotados na escala 1:200. Figura 52 Uma vez criadas as linhas de amostragem.

2” no campo “Drawing units” (Figura 54). no painel “Profile & Section Views”. Na janela seguinte clique em “Add”. 36 . na aba “Home”. selecione “Section Views / Create Multiple Views”. Defina “1:200” como nome da escala e preencha “0. Pg. Na “Ribbon”. 87. passaremos agora a criação dos gráficos das seções transversais. Altere a escala do desenho para “1:200” através do ícone da Figura 53. Figura 54 A adição da escala 1:200 ao desenho facilitará a visualização das seções transversais. 88.Figura 53 86.

37 . Figura 55 91. Na janela “Data Bands”. clique sobre ele e mude-o conforme Figura 55. Em “Section View Name” digite “Seções Transversais” e clique em “Next”. Clique em”NEXT>” três vezes para avançar. O mesmo deve estar como VAZIO. Se não. Clique em um espaço vazio na área de desenho para que sejam criadas as “Section Views” (Figura 56).89. No campo “Placement Options” selecione a opção “Draft”. 90. Pg. 92. Na janela “Section Display Options” você irá verificar o estilo de exibição dos “Labels” do “Terreno Existente”. altere o valor do campo “Select band set” para “<none>” e clique em “Create Section Views”.

38 . na aba “Sections”. Na janela “Section View Group Properties”. Para resolver o problema citado selecione a grade de uma das “Section Views”.&COTA” e clique em “Edit Current Selection”. Figura 57 Pg.. conforme Figura 57.. 93. Selecione a opção “DIST. 94. Repare as informações referentes aos pontos da superfície projetada não estão aparecendo. clique com o botão direito e selecione a opção “Section View Group Properties.Figura 56 Todos os gráficos da seção transversal são criados na área de desenho. clique no campo “Change Labels” para alterar o valor do “label” da superfície “Av Brasil Av Brasil – DATUM”.”.

Já para a criação dos gráficos de seção transversal. Isto fará com que as informações sobre os pontos da superfície não se sobreponham quando elas estiverem no gráfico. deveria-se ter criado uma superfície representado o topo do pavimento acabado. 39 .95. esta representa as elevações da camada final de terraplanagem acabada. Figura 59 NOTA: neste exemplo você criou a superfície do datum do corredor. Figura 58 Os “labels” que apresentam a elevação e a distância em relação ao eixo central (“offset”) de cada ponto notável da superfície do datum do corredor apareceram e não estarão sobrepostos (Figura 59). A criação desta superfície é necessária para o cálculo de volumes de terraplanagem.000mm” (Figura 58). altere o valor do campo “Stagger Labels” para “Stagger both sides” e o valor dos campos “Stagger line 1 height” e Stagger line 2 height” para “10. não as do Datum. Na janela “Section Label Set”. pois as informações usualmente apresentadas nesses gráficos expressam a elevação e offset de pontos da superfície do pavimento acabado. Clique “OK” em todas as janelas abertas para continuar trabalhando. Pg.

Conforme a Figura 61. Altere as opções de acordo com a Figura 60 e clique em “OK”. clique na opção “Compute Materials”. Figura 60 97.Caracterização do Material e Geração de Relatório de Volume Vamos agora. Figura 61 98. A caixa de diálogo “Compute Materials” é aberta. Aparecerá a caixa de diálogo “Select a Sample Line Group”. A caixa de diálogo “Quantity Takeoff Criteria” é exibida. para podermos determinar os volumes envolvidos nos serviços de terraplenagem 96. Na aba “Material List” definimos qual é o material de corte e qual é o material de aterro. 40 . no nosso caso o solo. No campo “Quantity Takeoff Criteria” selecione a opção “CORTE&ATERRO”. Revise os critérios de determinação de volumes (Figura 62). em seguida clique em “Edit Current Selection”. selecione a aba “Material List”. Na “Ribbon”. com o qual estamos trabalhando. na aba “Sample Line”. Selecione uma sample line qualquer na área de desenho. Já o material “ATERRO” é definido como Pg. 99. definir as características do material. Repare que o material “CORTE” está definido como o material abaixo (“below”) da superfície do terreno natural (EG) e acima (“above”) do da superfície do datum do pavimento.

1. ou seja. poderíamos calcular a quantidade de material a ser escavado (corte) entre a camada superficial e camada de material rochoso e calcular também a quantidade de material rochoso a ser escavado.o material abaixo (“below”) da superfície do datum do pavimento e acima (above) da superfície do terreno natural (EG). O Civil 3D permite o cálculo de escavações em situações extremamente complexas com diversas camadas de materiais. um fator de 1. A esta expansão volumétrica do material dá-se o nome de empolamento. para materiais usualmente encontrados. Dependendo do tipo de material de corte e outras considerações. Aceite os valores definidos originalmente para o comando (Figura 62) e clique “OK” para continuar. o fator de aproveitamento será zero ou próximo de zero). DICA: O parêmtetro “Fill Factor” relaciona-se com o fator de contração do material. Figura 62 Pg.7. mas poderíamos definir critérios mais complexos e vários tipos de materiais. expressa quanto material é necessário. se o material apresenta excesso de matéria orgânica. 100. o fator de expansão é normalmente maior que 1. Se houvesse uma superfície de terreno natural e outra superfície que representasse o nível inicial de uma camada de material rocohoso. para preencher determinado volume de aterro. Por exemplo. O volume de material geralmente expande depois de removido. É sempre um valor menor ou igual a 1. O “Fill Factor” apresenta valores superiores a 1 para materiais usualmente utilizados. DICA: O parâmetro “Cut Factor” expressa a diferença entre o volume que o material ocupava em seu estado natural e o volume solto do material. Portanto.2 metros cúbicos deveriam ser contabilizados para transporte. DICA: O critério definido neste exemplo é bem simples. Podemos definir o “Cut Factor” como o fator de empolamento do solo somado de uma unidade.1 e 1. nem todo material retirado é aproveitável (por exemplo.2 significaria que para cada metro cúbico de material removido. DICA: O parâmetro “Refill Factor” representa a porcentagem de material escavado que pode ser reutilizado como material de aterro. medido em volume solto. O “Cut Factor” pode variar entre 1. 41 .

O relatório “Volume Report” (Folha de Cubação no Brasil) será gerado e será aberto no navegador padrão para arquivos html que estiver definido no seu computador. conforme .101. 103. Na janela “Compute Materials” defina o “Terreno Existente” como “EG” (terreno natural) e a superfície “Av Brasil – DATUM” como “DATUM” (superfície de datum do pavimento). Pg. no painel “Launch Pad”. Selecione novamente uma “Sample Line” qualquer na área de desenho. Nele é possível verificar o volume de material deslocado por linha de amostra. Na “Ribbon”. clique na opção “Generate Volume Report”. na aba “Sample Line”. conforme Figura 63. Figura 63 102. 42 . Clique “OK” para fechar a janela. Revise as opções da janela “Report Quantities” e clique em “OK” para aceitá-las.

alterando os índices de expansão. visando extinguir transporte desnecessário de material e facilitando a análise do local mais apropriado para a inserção do bota fora. 104. Na janela “Create Mass Haul Diagram – General” (Figura 65)altere o nome da vista para “Diagrama de Bruckner”. na aba “Sample Line”. Pg. Compare cada “Volume Report” obtido com o primeiro que foi gerado e analise as alterações.Figura 64 Repita os passos anteriores para criar novas listas de materiais. 105. 106. compactação e reaproveitamento. clique em “NEXT>” duas vezes. selecione uma “Sample Line” qualquer e na “Ribbon”. Este tipo de análise é usualmente realizada através do Diagrama de Bruckner (diagrama de volumes). Altere a escala do desenho para 1:1000 se o seu desenho estiver na escala 1:200. Diagrama de Bruckner Agora. 43 . Para criar um diagrama de Bruckner. em seguida clique em “Create Diagram” e selecione um espaço vazio na área de desenho para criar o diagrama. iremos calcular a quantidade de terra que será removida ou inserida por estaca. selecione a opção “Create Mass Haul Diagram”.

44 .010”.Figura 65 107. 108. Clique em “OK” para fechar a janela. Na janela “Mass Haul View Style” selecione a aba “Graph” e altere o valor do campo “Vertical exaggeration” para “0. Podemos alterar a escala vertical do Diagrama de Bruckner para visualizarmos melhor.”. Selecione o diagrama... clique com o botão direito e selecione a opção “Edit Mass Haul View Style. Figura 66 Pg.

Na tela seguinte selecione a opção “Plan and Profile” para gerar um layout com vista em planta e em perfil. Na janela “Create View Frames . 110. Clique em “NEXT>”.Alignment” clique em “NEXT>”. 109. e o de mínimo de um trecho de aterro para um de corte. A área entre a curva e a linha de compensação mede o momento de transporte da distribuição considerada.000m”. 45 . Na “Ribbon”. vamos criar as folhas com vistas em planta e perfil do projeto viário. Folhas de Planta e Perfil Por fim. No campo “View Frame Placement” selecione a opção “Along alignment” e clique na caixa “Set the first view frame before the start of the alignment by” e preencha “50. Que representam um dos principais elementos de documentação a ser entregue. conforme Figura 67. Lados ascendentes do diagrama representam trechos com maior volume de corte e lados descendentes do diagrama representam trechos com maior volume de aterro. em seguida selecione o Layout “A1 PLANTA E PERFIL 1^1000”. Procure pelo arquivo “_AutoCAD Civil 3D 2012_BRA (DER-SP). Auxiliar na determinação das distâncias médias de transporte (DMT).dwt”. Um ponto de máximo representa a passagem de um trecho de corte para um de aterro. Volumes de corte são considerados com valores positivos e volumes de aterro são considerados com volumes negativos. Figura 67 Pg.NOTA: O Diagrama de Bruckner representa a soma acumulada dos valores de corte e aterro ao longo do eixo. selecione a opção “Create View Frames”. na aba “Output”. Inclinações muito elevadas das linhas servem para indicar grandes movimentos de terra. Aplicações do diagrama:     Determinar quais os melhores locais para implantação de bota-fora e caixas de empréstimo. no painel “Plan Production”.

no painel “Plan Production”. 114. Na tela “Match Lines” marque a caixa “Allow aditional distance for repositioning (increases view overlap)” e preencha “50.000m”. Na janela “Create Sheets” selecione a opção “All Layouts one new drawing” para criar todos os layouts em um desenho diferente do que você está trabalhando. 46 . retângulos demarcam as posições das vistas das plantas. selecione a opção “Create Sheets”. Figura 68 Verifique que. 113. De volta a “Ribbon”. ao longo do alinhamento. conforme Figura 69. em seguida clique em “Create View Frames”. 115. conforme Figura 68.111. Clique em “NEXT>” duas vezes e em seguida clique em “Create Sheets”. No campo “Choose the north arrow block to align in layouts:” selecione “North”. 112. Clique em “NEXT>”. Aceite as configurações padrão e clique em “NEXT>” na tela “View Frame Group”. na aba “Output”. Pg.

as folhas estarão em abas abaixo do desenho. 117. Clique em “OK” para salvar o desenho e criar as folhas. Os desenhos foram criados em um outro arquivo. Figura 70 Pg. conforme Figura 71. e a janela “Sheet Set Manager” aparecerá (Figura 70). Selecione uma das folhas para abrí-las. 47 . Ao Abrir.Figura 69 116.

que trabalhamos anteriormente. entre os principais para projetos viários estão:  Alignment (Alinhamento)  Profile (perfil longitudinais do terreno natural e greide de projeto)  Corridor (notas de serviço com dados das seções transversais) O Civil 3D permite ao usuário criar novos relatórios também. 119. Você pode editar também as configurações da folha e das vistas para eleminar a hachura cinza entre uma folha e outra. Abra o arquivo “Modelo. Relatórios e Tabelas do Projeto Viário O Civil 3D oferece uma série de relatórios sobre diferentes tipos de objetos. 48 . assim como pode alterar as dimensões e estilos das vistas. Os relatórios disponíveis são mostrados na janela “Toolspace”. na guia “Toolbox”. DICA: Você pode editar o “Template” utilizado para criar folhas que atendam ao padrão de uma determinada empresa ou órgão público. Pg.Figura 71 118.dwg”. É possível gerar relatórios de diversos elementos do Civil 3D. Através da janela “Sheet Set Manager” manipule e visualize as folhas com as vistas em planta e perfil. além de editar os relatórios presentes.

no painel “Palettes”. Revise os itens na janela que aparecerá e clique em OK. Na “Ribbon”. 122. 121. ative a aba “Toolbox” da “Toolspace”. Altere o estilo da superfície Terreno Existente para “TERRENO NATURAL”. Na janela “Sample Line Tools” clique em “Sample Lines Creation Method” e selecione “From corridor Stations”. Selecione o alinhamento e na janela “Create Sample Line Group” em “Name” digite Linhas de “Amostragem Av Brasil”. Figura 72 Figura 73 – Toolbox Caso você tenha instalado o “Country kit Brazil” que vem junto com o Civil 3D. na aba “Home”. 120. Pg. 49 . no painel “Profile & Section Views”. Para acessar os relatórios disponíveis.dwg. você terá acesso a faixa de opções “RELATÓRIOS”. Altere o estilo do corredor “Av Brasil” para “PADRAO SECAO”. é necessário criarmos “Sample Lines”. Para tal clique no ícone da “Toolbox” na aba “Home”. clique em “Sample Lines”. Altere o estilo da superfície do datum do corredor para “SUPERFICIE-DATUM” e clique OK.Antes de acessarmos os relatórios. que apresenta relatórios adaptados em português. Utilizaremos os relatórios em português para os exercícios. conforme Figura 72. as mesmas que criamos no arquivo Documento.

Relatórios de Alinhamentos 123. Para gerar uma tabela das curvas horizontais. Novamente aceite as configurações do relatorio na janela que aparecerá. Figura 75 Pg. Figura 74 Relatório de Alinhamento Vertical 124. O relatória será conforme o da Figura 74. Para uma tabela das curvas verticais. Revise os itens da janela e clique em OK. expanda a opção “Alinhamento Vertical” execute o relatório “PVI Vertical”. e o relatório abrirá conforme Figura 75. selecione a opção “Alinhamento Horizontal” e execute relatório “Curva Horizontal”. 50 .

Pg. 126.Nota de Serviço O Civil 3D possui vários relatórios com diversas formas de apresentar os dados das seções transversais. A janela “Nota de serviço” aparecerá. Em “Selecione o Corridor Link”. Clique em Criar relatório. para que se possa fazer uma edição qualquer dos dados. O relatório de seções transversais é conhecido no Brasil como nota de serviço e é muito utilizado na construção de vias. 125. DICA: Você também pode usar a ferramenta de adicionar tabelas no desenho para inserir diversos tipos de tabelas com dados de alinhamentos e perfis longitudinais nas plantas de projeto. por exemplo no Microsoft Excel. Selecione a opção “Notas de Serviço” e execute o relatório “Notas de Serviço”. para adicionar este item Figura 76 – Relatório Nota de Serviço DICA: Todos os dados dos relatórios podem ser lançados em um programa qualquer de edição de textos. 51 . selecione TOP e clique em ao relatório.

Estas vantagens nos permitem criar de maneira rápida e fácil um modelo 3D de terraplenagem que responderá dinamicamente a qualquer alteração que seja feita nos parâmetros do modelo. efetuar cálculo de volumes. pode-se criar superfícies diretamente a partir do objeto de terraplenagem. 52 . selecione o comando “Feature Line / Create Feature Line from Objects”. Um conceito importante para se trabalhar com plataformas no Civil 3D é o de Feature Lines. no painel “Create Design”. Abra o desenho “Terraplenagem01. o que significa que é possível mostrar curvas de nível.dwg”. Esta polilinha será o limite da plataforma que iremos criar. Repare na polilinha 2D na cor magenta. como linhas. Feature Lines suportam elevações variáveis e arcos. quaisquer atualizações nos critérios de terraplenagem ou no alvo irão atualizar automaticamente o seu objeto de terraplenagem. Na “Ribbon”. Diferentemente de polilinhas 3D. para linhas de contorno (chamadas de “Feature Lines”) ou limites de lotes. arcos ou polilinhas. incluindo balanceamento automático de volumes. O fato de usarmos os objetos de grading do Civil 3D nos traz duas vantagens significativas. Além disto.CAPÍTULO 4 TERRAPLENAGEM Criação de Plataformas a partir de critérios As ferramentas para projetos de terraplenagem do AutoCAD Civil 3D fornecem um esquema flexível para projetos de diferentes tipos de plataformas. Uma Feature Line pode ser criada convertendo-se objetos existentes. No nosso exemplo. a localização e elevação onde as declividades caem são calculadas automaticamente. Primeiro. Uma “Feature Line” representa um objeto no desenho a partir do qual você quer terraplenar. 1. ou através do comando “Feature Line / Create Feature Line” localizado na aba “Home”. vamos criar uma Feature Line a partir de uma polilinha 2D. Pg. Você cria superfícies de terraplenagem aplicando critérios como declividade para superfície ou greide para distância. na aba “Home”. Figura 77 2. É possível economizar bastante tempo nos projetos de terraplenagem se você salvar os seus critérios e estilos para reutilização. Uma Feature Line é um tipo especial de objeto que pode ser adicionado a uma superfície ou que os comandos de terraplenagem reconhecem como linha de base ou como alvo. apresentar a terraplenagem proposta em vista de perfil e seção transversal e muito mais. Segundo.

Na janela “Panorama” preencha o valor de elvação dos vértices da “Feaature Line”. o mesmo fica marcado na área de desenho por um triângulo. aceite as opções padrão e clique o botão “OK”. 53 . 5. selecione-a e clique o botão direito do mouse. Figura 79 DICA: Quando um vértice é selecionado na janela “Panorama”. Agora podemos definir as propriedades desta “Feature Line”. Selecione a polilinha espessa na cor magenta. Escolha a opção “Elevation Editor…”. 6. Figura 80 Pg. Nos vértices da esquerda (A e B) coloque a elevação em “110m” e nos vértices da direita (C e D) coloque a elevação em “100m”. 4. Para isto. conforme a Figura 79. Na janela “Create Feature Lines”.Figura 78 3.

Na maior parte dos casos. 7. 54 . Para isto. equivalente a 50% de inclinação). você verá diferentes grupos de critérios. conforme Figura 82. como está mostrado na Figura 81. Clique “OK” para fechar a janela. alterne para a aba “Criteria”. é possível agrupar os critérios de acordo com os projetos específicos como loteamento. você vai usar vários objetos “grading” com diferentes critérios para desenvolver um projeto de terraplenagem. clique com o botão da direita do mouse em “ALTURA” debaixo de “Grading”. Revise as opções e parâmetros da aba “Criteria”.Todo objeto de terraplenagem que você cria é definido por um conjunto de critérios de projeto que controlam sua geometria e comportamento.ALTURA”. Figura 81 8. Usando estes conjuntos. Pg. “TALUDE”. na aba “Settings” da “Toolspace”. O Civil 3D permite que você gerencie múltiplos critérios através dos conjuntos de critérios de terraplenagem ou “grading criteria sets”. Dependendo do template do Civil 3D que você está usando. No diálogo “Grading Criteria Sets . que no está configurado como “relative elevation” e a elavação realtiva está configurada para 1m. Selecione a opção “Edit…”. enquanto a declividade do talude está configurada para 2:1 (relação H:V. “Grading Criteria Settings”. 9. Vamos editar um grupo de critérios de terraplenagem. mineração. etc. Nesta aba é possível definir o “grading method”. Altere o valor do campo “Relative Elevation” para “5m” e a inclinação do talude para “3:1”.

A barra de ferramentas da Figura 83 é mostrada. Clique no botão OK sem alterar nenhuma opção. Já definimos o contorno e os critérios que vamos aplicar. SUPERFÍCIE).. selecione a opção “Grading / Grading Creation Tools”. 55 . ou seja. Pg. clique no quarto botão da barra de ferramentas da esquerda para a direita. na aba “Home”. Selecione os demais critérios disponíveis (COTA. partindo do passo 1. Selecionar o grupo de critérios que vamos usar e o critério específico que será aplicado 3. Figura 83 Estes são os passos que precisamos seguir: 1. Agora é o momento de criarmos nosso objeto de terraplenagem. Selecione diretamente na barra de ferramentas o critério “ALTURA”. 11. vamos ao passo 3.” para verificar os parâmetros disponíveis para criação de plataformas. Selecione o grupo “TALUDES” e clique em “OK”. Criar um “Grading Group” 2. Para o passo 2. um arquivo com extensão DWT e utilizá-lo como modelo para projetos futuros. no painel “Create Design”.. DISTÂNCIA. Por último. Clique no ícone indicado Figura 84 e selecione a opção “Create Grading”. O que podemos fazer é salvar o nosso arquivo como um template. Na “Ribbon”. Estes passos não precisam ser repetidos toda vez que formos trabalhar com projetos de terraplenagem. 14. Criar o objeto “grading” 12. 13.Figura 82 10. Então vamos lá. Clique no ícone mais à esquerda da barra de ferramentas da Figura 83 para criar um “Grading Group”. clique com o botão direito do mouse e selecione a opção “Edit. Dê o nome de “Plataforma” a este grupo.

Clique em qualquer ponto do lado externo da plataforma. 56 . 16. Figura 86 Agora o talude é apresentado com a configuração usual. na cor azul (Figura 85). marque a caixa de seleção “Slope patterns” e selecione o estilo “TALUDE”.”. na aba “Slope Patterns”. Clique na Feature Line que você criou (contorno da plataforma). Figura 85 17. Na barra de ferramentas “Grading Creation Tools” selecione “SUPERFÍCIE” como critério de criação do “grading” e clique na opção “Create Grading”. pressione ENTER para aceitar a elevação proposta e pressione ENTER para aceitar a declividade proposta. Selecione o “grading” que foi criado. Nos próximos passos iremos criar os demias elementos da plataforma. Clique “OK” fechar a janela. Em seguida precisamos definir a elevação relativa do grading. Em seguida vamos editar o estilo do objeto “Grading” para facilitar a visualização. O Civil 3D pede para você selecionar o lado para o qual quer terraplenar. Responda “Yes” ao prompt que pergunta se você quer aplicar o grading ao longo de toda a Feature Line.Figura 84 15.. 18. clique com o botão direito e selecione a opção “Edit Grading Style.. Na janela “Grading Style”. Pg. selecionando a quina da plataforma.

Responda “Yes” ao prompt que pergunta se você quer aplicar o grading ao longo de toda a Feature Line. Marque a caixa de seleção “Volume base Surface”. Na janela “Create Surface” altere o estilo da superfície para “TRI_PTO_BRD” e clique “OK” para criar uma superfície chamada “Plataforma”. 20. Selecione uma linha qualquer de talude do “grading”. 21. selecione a superfície “Terreno Existente” como superfície base para cálculo de volume e clique “OK” para fechar a janela. na cor azul. Clique em qualquer ponto do lado externo da plataforma.. Pg. O Civil 3D pede para você selecionar o lado para o qual quer terraplenar. clique com o botão direito e selecione a opção “Grading Group Properties. “ZOOM” e “ORBIT” para visualizar a superfície em três dimensões. Selecione a superfície “Plataforma” clique com o botão direito e abra o “Object Viwer”. 23.. Clique no interior da base da plataforma e pressione ENTER para terminar o comando. 22. Iremos agora criar um objeto de superfície a partir dos elementos de terraplenagem. Clique na Feature Line mais externa da plataforma. Na janela “Grading Group Properties” marque a caixa de seleção “Automatic Surface Creation”.”. Figura 88 24. 57 . A nossa plataforma ficou como mostra Figura 89. Para criar posteriormente uma superfície que inclua a base da plataforma.Figura 87 19. devemos clicar no ícone da Figura 87 e escolher a opção “Create Infill”. Utilize as ferramentas de “PAN”. Pressione ENTER duas vezes para aceitar a declividade “2:1” proposta.

Para diminuir este volume de aterro. Para calcular o volume de corte e aterro. selecione no “Elevation Editor” o botão “Set Increment”. selecione o ícone “Grading Volume Tools” na barra de ferramentas “Grading Creation Tools” (Figura 90). 26. então. Selecione a superfície “Plataforma”.Figura 89 25. clique com o botão direito e selecione a opção “Surface Properties. 29.”. Figura 90 28.. Feche janela “Object Viewer”. o volume líquido resultante possui um valor muito grande de aterro. Ao selecionarmos a opção “Grading Volume Tools” automaticamente é exibida uma caixa de diálogo. Para declinar nossa plataforma.. Neste exemplo. o resultado do cálculo é de volumes de corte e aterro é apresentado na caixa de diálogo. vamos rebaixar nossa plataforma. Selecione a opção “Elevation Editor”. Basta. Se você dispuser as janelas do “Elevation Editor” e “Grading Volume Tools” como na Figura 91. Selecione a feature line que define o contorno inicial da plataforma e clique com o botão da direita do mouse. 27. poderá ver como todos os elementos do projeto no Civil 3D estão integrados. 30. na aba “Information” altere os estilo da superfície para “CURVAS-1&5 (GEOMETRIA)”. Na janela “Surface Properties”. 58 . Este resultado nos leva à parte mais interessante do Civil 3D que é sua capacidade de alterar todos os dados do projeto de forma automática a partir da modificação de um ou mais parâmetros. entrar com o valor do incremento/decremento e clicar no botão “Lower Incrementally”. Pg.

bem como o cálculo de volume. 59 . Figura 92 Pg. mudando a representação tri-dimensional e a elevação de cada vértice. e recalcula os volumes.Figura 91 Automaticamente a representação 3D é alterada. Mas o Civil 3D possui um outro recurso bastante poderoso para o estudo de cenários e cálculo de volume que é o balanceamento automático de volumes. apresentando um novo resultado. Na barra de ferramentas “Grading Volume Tools” clique no ícone mostrado na Figura 92. por exemplo. para “Required Volume”. 31. Entre com o valor 5. O Civil 3D altera a elevação da plataforma. Na Figura 92 vemos como o Civil 3D nos apresenta o histórico dos cálculos de volume efetuados.

Selecione a polilinha vermelha. 33. 60 . começamos criando um alinhamento a partir da polilinha vermelha que atravessa todo o centro da plataforma. Neste diálogo é muito importante que o alinhamento não pertença ao mesmo site da plataforma. iniciando do lado esquerdo e finalizando do lado direito. Para criar o alinhamento. Então. Elementos que pertencem ao mesmo site interagem entre si. Defina a direção do alinhamento. Abra o desenho “Terraplenagem05. conforme Figura 93. selecione a opção <None> para o site do alinhamento. o alinhamento irá interferir na superfície da plataforma. Preencha os campos conforme Figura 94 e clique em “OK”. Pg. 32. na aba “Home”. Este alinhamento pode ser criado a partir de uma polilinha. seleicone a opção “Alignment / Create Alignment from Objects”. Figura 93 34. Assim. portanto. se o alinhamento e a plataforma estiverem no mesmo site. O diálogo mostrado na Figura 94 é exibido. na “Ribbon”.Gerando gráficos de seções transversais da plataforma Criaremos um alinhamento que atravesse uma plataforma de um lado a outro.dwg”.

Selecione o alinhamento “Seção Transversal”. 35. Na “Ribbon”. no painel “Profile & Section Views”. Esta distância será usada para gerar as linhas de amostra (você pode utilizar 30 metros para cada lado). Altere o nome para “Linha de Amostragem”. 61 . precisamos criar as linhas de amostra. Visualiza-se. Na sua plataforma. Pg. como na Figura 95.Figura 94 Em seguida. Altere o estilo da superfície Terreno Existente para “TERRENO NATURAL”. Altere o estilo da superfície Plataforma para “SUPERFICIETOP”. O Civil 3D pede para selecionar um alinhamento. na aba “Home”. 36. selecione “Sample Lines”. calcule a distância do centro até o limite (offset) mais distante do centro. que são as linhas mestras das seções transversais. a caixa de diálogo “Create Sample Line Group”. agora.

.”. Na barra de ferramentas “Sample Line Tools” selecione a opção “By range of stations. conforme Figura 97.. conforme Figura 96.Figura 95 37. 62 . Na janela “Create Sample Lines – By Station Range” altere o valor do campo “Increment along tangents” para “2m” para criar seções transversais a cada 2 metros. Figura 96 38. Pg.

na aba “Home”. 41. Em “Section View Name” digite “Seções Transversais” e clique em “Next”. Clique em”NEXT>” três vezes para avançar. Clique em “NEXT>”.Figura 97 Vamos agora criar os gráficos de seções transversais. Pg. selecione “Section Views / Create Multiple Views”. conforme Figura 99. 39. no painel “Profile & Section Views”. 63 . Na “Ribbon”. Na janela “Section Display Options” altere o estilo de exibição dos “Labels” do “Terreno Existente” para “Standard”. No campo “Placement Options” selecione a opção “Draft”. 40. Figura 98 42. Na janela “Data Bands” configure de modo que o estilo “Cota_TERRENO” exiba labels da superfície do Terreno Existente e a o estilo “Cota_Projeto” exiba labels da superfície Plataforma.

Clique em “Create Section Views”. Altere a escala do desenho para poder visualizar melhor as informações das seções transversais. 44. Figura 100 Pg.Figura 99 43. 64 .

Pg. Divida a análise em 2 “ranges” (faixas) e clique no botão indicado na Figura 102 para realizar a análise.Visualizando áreas de corte e áreas de aterro Considerando que nosso projeto básico está encerrado. Quando o valor da “TIN volume surface” é positivo. selecione a opção “Surface / Create Surface”. 48. Defina a superfície de base como a superfície “Terreno Existente” e a superfície de comparação como a superfície “Plataforma”. Figura 101 Vamos agora configurar a análise de elevações para exibir as regiões de corte e de aterro. Selecione a superfície “Plataforma”. selecione a opção “TIN volume surface” e preencha os dados da janela de acordo com a Figura 101. já quando o valor é negativo indica uma situação de corte. Configure as faixas de modo que os valores menores ou iguais a zero sejam representados na cor vermelha e os valores maiores que zero sejam apresentados na cor verde. 47.”. 65 . a superfície de comparação está acima da superfície de base. A “TIN volume surface” guarda a diferença de elevação entre a superfície de base e a superfície de comparação em cada ponto. Clique em “OK” para fechar a janela. Na “Ribbon”.. Clique com o botão direito e selecione a opção “Surface Properties. ou seja. podemos explorar alguns recursos visuais do Civil 3D. na aba “Home”. Na aba “Analysis”. visualizar em cores diferentes as regiões de corte e aterro. Altere o estilo de exibição da superfície para “Elevação”. 46. Para isto vamos criar uma superfície de volume e fazer uma análise de elevação. Por exemplo.. Clique em “OK”. O passo-a-passo está descrito abaixo: 45. há uma condição de aterro. No campo “Type” da janela “Create Surface”. no campo “Analysis type:” selecione a opção “Elevations”.

Quando uma alteração é efetuada. Figura 103 Com isto terminamos nosso projeto de terraplenagem no Civil 3D.Figura 102 Na Figura 103 as áreas na cor verde representam regiões de aterro. 66 . todos os objetos relacionados são alterados Pg. enquanto as áreas na cor vermelha indicam regiões de corte. Em apenas alguns minutos é possível modelar as plataformas e taludes. calcular volumes e fazer alterações. estudando diferentes cenários de projeto.

eliminando erros de projeto. não existem quando trabalhamos com o AutoCAD Civil 3D. Se você revisar o nosso procedimento para criação da plataforma. serão melhores. Assim. É importante que você saiba que ainda existem recursos referentes a plataformas que não pudemos explorar aqui. como labels e cálculos desatualizados. podemos aplicar critérios diferentes a diferentes partes de uma feature line e.automaticamente. 67 . Certamente. Na verdade. usamos a ferramenta de “Grading Transition”. para isto. notará que sempre indicamos que o critério de grading seria aplicado ao longo de toda a feature line. já que erros comuns. A atualização em cascata de objetos relacionados garante a correção do projeto. temos sempre a garantia de estar com todas as informações corretas. Com o Civil 3D é possível criar projetos complexos de terraplenagem e explorar diferentes cenários para tomar a melhor decisão. os projetos serão finalizados em menor tempo. no sentido de minimizar o movimento de terra. Pg. e terão mais qualidade.

Cada lote é um objeto independente que não duplica linhas de fronteiras. 68 .dwg”. Selecione a polilinha retangular e pressione ENTER. conforme Figura 105 e clique em “OK” Pg.CAPÍTULO 5 LOTEAMENTOS No Civil 3D. É possível importar lotes como polilinhas simples e depois convertê-los em objetos de lotes. atualizará as propriedades dos lotes. clique na opção “Parcels / Create Parcels from Objects”. 1. Figura 104 Neste exemplo você criará diversos lotes na área interna do retângulo apresentado na Figura 104. 3. Na “Ribbon”. Abra o arquivo “Loteamentos01. Editar segmentos de lotes. dinamicamente. 2. na aba “Home”. Vamos criar um lote a partir da polilinha 2D. lotes também são reconhecidos como objetos paramétricos inteligentes. Os lotes são compostos por uma série de segmentos que podem ser editados um a um. Na janela “Create Parcels – from Objects” altere o valor do campo “Area label style” para “Name Area Perimeter”.

Isto se deve ao fato de os alinhamentos atravessarem o lote determinado pela polilinha. Na “Ribbon”. 5. 4. ou seja. No próximo passo iremos definir a faixa de domínio das vias. No nosso caso verificamos que cada rótulo exibe a área e o perímetro do lote. dependendo da configuração do estilo de rótulo adotado. Na janela “Create Right of Way”. além do número da propriedade. Selecione os quatro lotes presentes no desenho e pressione ENTER.000m”. Clique em “OK” para fechar a janela.000m”. clique na opção “Parcel / Create Right of Way”. Altere agora a geometria do alinhamentos que se interceptam. altere o valor do campo “Cleanup at Parcel Boundaries” para “none” e mantenha o valores dos campos de “Cleanup at Alignment Intersections” em “fillet” e 20. também. Estas informações podem ser alteradas.Figura 105 Verifique que o Civil 3D criou mais de um lote. Pg. na aba “Home”. altere o valor do campo “Offset from Alignment” para “30. Atente. para o rótulo de cada lote que contém informações geométricas do lote. 69 . conforme Figura 106. a distância que os lotes devem respeitar do centro da via. As informações dos rótulos são automaticamente atualizadas para as novas configurações dos lotes.

Na “Ribbon”. Pg. Note que o loteamento é dividido em dois novos lotes. Na janela “Create Parcels – Layout” altere o valor do campo “Parcel style” para “Singlefamily” e clique em “OK”. 6. de maneira semelhante a Figura 109. Figura 107 Nos passos seguintes você irá subdividir os lotes em parcelas menores. 7. conforme Figura 108. Na barra de ferramentas “Parcel Layout Tools”. Figura 108 8. cria uma linha de divisão de lotes de modo a dividir um dos lotes ao meio. na aba “Home”. Com o auxílio das ferramentas de “OSNAP” (precisão). As informações dos rótulos são automaticamente atualizadas.Figura 106 Com isto a faixa de domínio das vias é automaticamente excluída da área dos lotes. 9. clique na opção “Parcel / Parcel Creation Tools”. 70 . clique sobre a opção “Add Fixed Line – Two points”.

Clique na seta do ícone indicado na Figura 111. Clique no ícone indicado na Figura 110 e preencha os valores dos campos de acordo. definimos a área e o comprimento frontal de cada lote. 71 . o modo para gerar os lotes. e de que forma será distribuída a área que sobra ao se criar os lotes.Figura 109 10. Figura 110 11.Create”. Figura 111 Pg. Desta forma. automático ou manual. Clique em “Slide Line .

Pressione Enter para aceitar a subdivisão proposta. As linhas de fronteiras dos lotes podem ser facilmente movidas através dos "grips". em seguida clique novamente no comando “Slide Line – Create”. 14. Figura 112 13. 72 . Repare que o lote inicial foi subdivido. Selecione um lote para ser subdividido. 15. Selecione outro lote para ser subdivido. Preencha os valores da janela “Parcel Layout Tools” conforme Figura 113. Pg. conforme Figura 112. clique na opção “Parcel / Parcel Creation Tools”. na aba “Home”.12. Em seguida clique no ponto inicial da testada e no ponto final. Na “Ribbon”. 16.

Defina o ponto inicial da testada do primeiro lote a ser criada e em seguida o ponto final da subdivisão. Pg. O Civil 3D apresentará uma proposta de subdivisão dos lotes. Figura 114 18. pressione ENTER para aceitála e depois pressione ENTER novamente para finalizar o comando. 73 . conforme Figura 114 e pressione ENTER.Figura 113 17.

Em seguida selecione qualquer face de um lote para adicionar o “label”. Figura 116 21.Nos passos seguintes iremos adicionar labels com informações dos segmentos dos lotes no desenho. preencha os campos conforme a Figura 116 e clique em “Add”. na aba “Annotate”. 74 . clique sobre a etiqueta acima do comando “Add Labels”. Figura 115 20. Pg. 19. Na janela “Add Labels”. Na “Ribbon”.

75 . 22..Se você adicionar o rótulo a faces retas serão inseridas informações de comprimento e azimute da face.”. 23. Vale lembrar que o que aparece na rótulo é apenas umas questão do que você configura para ser exibido. serão inseridas informações de comprimento. raio e ângulo central. No menu escolha a opção “Edit Label Style. Selecione um rótulo e clique com o botão direito. Faça alterações diversas no conteúdo e nas configurações de exibição do rótulo e verifique o resultado final. Figura 117 Figura 118 Pg. se o rótulo for adicionado a faces curvas..

neste ponto. A caixa de diálogo “Pipe Rule Set” é exibida. Pg.dwg”. Clique em “OK”. Neste tutorial vamos criar uma rede de tubulações simples. as regras controlam os parâmetros de projeto da tubulação. conforme Figura 119. como poços de inspeção ou caixas de passagem. notar as diferenças entre estilos e regras. alltere os valores das regras de recobrimento máximo e declividade acordo com a Figura 120. proporcionando rápidas atualizações do projeto. Como também se tratam de objetos paramétricos inteligentes. Figura 119 2. Clique com o botão direito em “Regra-Tubo”. Inicialmente. Clique em “Edit”. 76 . A direção da rede será da esquerda para direita. A posição das estruturas e dos tubos estão marcadas com círculos e polilinhas vermelhas. a respectiva profundidade relativa à superfície e o comprimento dos tubos.CAPÍTULO 6 TUBULAÇÕES O AutoCAD Civil 3D permite projetar e modelar o layout de sistemas sanitários e pluviais. Esta função é bastante útil quando. É muito importante. regras de projeto pré-definidas controlam a inclinação dos tubos. se projeta um sistema de gravidade como um sistema de escoamento de águas pluviais e/ou esgotos. Na aba “Settings” da Toolspace clique duas vezes em “Pipe” e em “Pipe Rule Set”. a edição de tubos e estruturas é simples e ágil. vamos definir as regras que serão aplicadas ao projeto. na estaca 12 e termina em um lançamento após a estaca 27. Enquanto o estilo controla as características de visualização. Na aba “Rules”. 1. Assim como na vida real. A rede se inicia no centro da pista projetada. Desta forma. a construção do modelo da rede de tubulações é feita utilizando peças individuais de ligação de tubos da rede. é possível inserir estruturas ao longo da rede. Abra o desenho “Tubulações01. por exemplo. Neste desenho você criará uma rede de tubos para drenagem da pista projetada. À medida que se cria o projeto de tubulações.

selecione a opção “Pipe Networks” clique em “Pipe Network Creation Tools”. Verifique que no campo “Network parts list” é onde se define se a rede de tubulações é sanitária (em inglês. na aba “Home. “Sewer”) ou pluvial (“Storm”). 4.Figura 120 3. Pg. selecione a lista “PADRÃO” que está préconfigurada com elementos de rede pluvial. 77 . Configure-na conforme a Figura 121. Clique em “OK”. A caixa de diálogo “Create Pipe Network” é exibida. Na “Ribbon”.

Selecione o tubo “Concrete Pipe SI – 1.000mm Concrete Pipe”. Figura 122 5.200mm dia 600mm cone Concentric Structure”. Atente para os menus mostrados na Figura 123 e na Error! Reference source not found.Figura 121 A barra de ferramentas “Network Layout Tools” é exibida (Figura 122). Figura 123 Pg. Selecione a estrutura “Concentric Cylindrical Structure NF SI – 1. Neles define-se o tipo de tubos e estruturas que se utilizará ao longo da rede.. 78 .

pressione ESC quando terminar o lançamento da rede. em seguida clique no círculo próximo a estaca 15 para inserir a segunda estrutura. O seu desenho deverá estar semelhante ao da Figura 126. Pg. Figura 125 7. Continue inserindo estruturas e tubus da rede até o ponto de lançamento. Clique no ícone da Figura 125 e selecione a opção “Pipes and Structure”. Torne o layer “_REDE_PROPOSTA” invisível para facilitar a das tubulações recém criadas.Figura 124 6. Clique no primeiro círculo a esquerda. 8. 79 . próximo a estaca 12 para inserir a primeira estrutura.

9. 80 . 10. Na “Ribbon”. selecione a opção “Alignment / Create Alignment from Network Parts”. As informações exibidas nos rótulos são determinadas pelo estilo de rótulo adotado. em seguida selecione a última estrutura da rede (“PV-07” – a direita na área de desenho) e pressione ENTER. Preencha a janela “Create Alignment – From Pipe Network” conforme Figura 127 e clique “OK”. clicando em “Add”. 11. Figura 127 12.Figura 126 Note os rótulos inseridos sobre as estruturas. Na janela “Create Profile from Surface” selecione o alinhamento “EIXO-DRENAGEM” e adicione as superfícies “Av Brasil – TOPO” e “Terreno Existente”. na aba “Home”. Pg. Selecione a primeira estrutura da rede (“PV-01” – a esquerda na área de desenho).

Clique em “NEXT>” três vezes. Figura 129 14. conforme Figura 129. Pg. Na tela “Profile Display Options” altere os valores dos campos “Labels” para “Standard” e clique em “NEXT>”. altere também o valor do campo “Profile View Style” para “Perfil – Rede de Drenagem”. Na tela seguinte verifique se todas as estruturas e tubulações estão selecionados e clique em “NEXT>”. 15. Altere o estiolo do perfil da superfície “Av Brasil – TOPO” para “PROJETO” e clique em “Draw in profile view”. Figura 128 13. 81 .conforme Figura 128. Na janela “Create Profile View – General” altere o nome da vista do perfil para “PERFIL – REDE DE DRENAGEM”.

18. Em seguida clique em “Create Profile View” e selecione um espaço vazio na área de desenho para ser criada vista do perfil longitudinal da rede de drenagem. Figura 130 Note que a tubulação e as estruturas tomaram como referência a superfície da “Av Brasil”. Configure os parâmetros da janela “Add Labels”. 17. Na tela “Data Bands”. Note que as informações dos tubos e estruturas da rede são exibidas na parte inferior da vista do perfil. conforme Figura 131.16. na aba “Annotate”. 82 . Na “Ribbon”. Clique em “add” e em seguida selecione uma estrutura ou tubo na vista em perfil. Vamos agora adicionar rótulos (“labels”) para exibir as informações da rede na área do perfil. altere o valor do campo “Select band set” para “Drenagem” e clique em “NEXT>”. clique na etiqueta junto a opção “Add labels”. Pg. devido a configuração de “Band sets” que definimos anteriormente. pois estaá superfície representa o nível do pavimento acabado.

Na “Ribbon”. duas viewports na vertical. selecione “Set Viewports / Two Vertical”. 83 . posicione a rede de tubulações em planta e. vamos alterar estes valores. Em uma delas. na aba “View”. o perfil. Configure. Para entender melhor este conceito. na outra.Figura 131 Repare que os rótulos são adicionados a todos os elementos da rede. novamente. Este parâmetros fazem parte da configuração de regra da rede. 19. Pg. Figura 132 Note a inclinação da rede e a distância entre a superfície e a tubulação.

Pg. Na “Ribbon”. conforme Figura 135. Na aba “Pipe Networks”. 84 .Altere os valores de acordo com a Figura 134. na aba “Modify”.Figura 133 20. acesse a caixa de diálogo “Pipe Rule Set” na aba “Settings” da Toolspace. para alterar a regra “Regra-Tubo”. Figura 134 21. no painel “Modify” selecione a opção “Apply Rules”. Clique em “OK”. selecione “Pipe Network” no painel “Design”. Novamente.

Verifique as alterações no perfil. Pressione ENTER. Figura 136 Pg. 85 . em seguida selecione a última (“PV-07”).Figura 135 22. 23. Selecione a primeira estrutura da rede (“PV-01”). Com a ferramenta “Orbit” visualize a rede de tubulações em perspectiva.

software de livre circulação pela internet. na aba “Output” clique em “Publish to Google Earth” (Figura 137).dwg”. e em seguida realizaremos a importação de uma imagem do Google Earth para o Civil 3D. vamos inicialmente exportar um projeto atual para o Google Earth. Pg. selecione a opção “Selected model space entities” para selecionar os objetos que você deseja que apareçam no Google Earth. Pressione ENTER. permitindo fácil e rápido acesso às características da superfície. Figura 137 Figura 138 3.CAPÍTULO 7 INTEGRAÇÃO COM O GOOGLE EARTH O AutoCAD Civil 3D está totalmente integrado com o Google Earth. Exportação de dados para o Google Earth 1. Defina um nome para o arquivo e clique em “NEXT>” (ou “Avançar>” se o seu Windows estiver configurado para língua portuguesa). que permite a visualização de imagens reais capturadas por satétlite de praticamente qualquer lugar do mundo. Selecione alguns objetos do desenho. Clique em “NEXT>” duas vezes. Na “Ribbon”. O processo de importar e exportar dados do Google Earth garante fiel reprodução das coordenadas e elevações atribuídas. 86 . 2. Para entender melhor esta integração. Abra o desenho “GE_EXPORT. tais como o corredor e as superfícies do pavimento. Na segunda tela do wizard (Figura 139). Clique no ícone com o símbolo positivo. O diálogo do passo 1 do wizard “Publish AutoCAD DWG to Google Earth” (Figura 138) é exibido.

Figura 139

4. Na tela seguinte (Figura 140), selecione a opção “Drape entities on ground”. Esta opção faz a projeção dos objetos do projeto na superfície do Google Earth. Clique em “NEXT>” e em “Publish”. Quando o Civil 3D acabar o processamento, para visualizar o projeto no Google Earth, clique em “View”.

Figura 140

5. Após a visualização salve o projeto atual e feche-o.

Pg. 87

Figura 141

Importação de superfície do Google Earth
6. Inicie um novo desenho com o mesmo Template utilizado anteriormente, “_AutoCAD Civil 3D 2011_BRA (DER-SP).dwt”. 7. O Google Earth tem suas coordenadas em sistema Latitude/Longitude. Portanto, temos de adequar o sistema de coordenadas do AutoCAD Civil 3D. Como feito antes, na aba “Settings” da Toolspace, clique com o botão direito no nome do desenho. Clique na opção “Edit Drawing Settings”. 8. Configure as coordenadas do projeto conforme a Figura 142. Clique em “OK”., caso você esteja importando um território que seja do fuso 22, como por exemplo a cidade de São Paulo.

Pg. 88

Figura 142

9. No Google Earth, busque a superfície que deseja importar e deixe-a exibida na tela. Uma vez feito isto, volte para o AutoCAD Civil 3D. 10. Na “Ribbon” na aba “Insert”, no painel “Import”. Clique em “Google Earth - Import Google Earth Image and Surface”. No prompt pressione ENTER. Note que a superfície é criada juntamente com a imagem exibida no Google Earth (Figura 143).

Figura 143

11. Selecione graficamente a superfície e clique com o botão direito. Clique em “Surface Properties”. Note que no campo “Render Material” há um novo material selecionado (Figura Pg. 89

altere o “Visual Style” para “Realistic” e o “View Control” para “SW Isometric” (Figura 145). 90 . Figura 145 Pg. No “Object Viewer”. Selecione novamente a superfície e clique com o botão direito. Figura 144 12. Feche o “Object Viewer”.144). Note que o material de renderização aplicado à superfície é o mesmo do Google Earth e que as elevações estão representadas fielmente de acordo com os dados importados. Clique em “Object Viewer”. clique em “OK”. Para entender melhor.

como Estações Totais. O AutoCAD Civil 3D possui uma lista com os mais diversos sistemas de coordenadas utilizados. A origem de qualquer projeto está relacionada com o contexto natural onde ele será inserido. editar e visualizar todo o trabalho topográfico em um único ambiente. seus limites. Figure Prefix Database – gerencia os prefixos que afetam a exibição e as propriedades das elementos topográficos (pontos. Antes de planejar e projetar é necessário uma análise do local. poligonais. a facilidade de translação de sistemas de coordenadas e a utilização da linguagem LandXML para atribuir maior quantidade de informações aos dados topográficos tornam o AutoCAD Civil 3D um ferramenta poderosa e completa para as necessidades envolvidas com o serviço de análise topográfica. como criar pontos. curvas e espirais. Além disso. transformar. A maioria dos aplicativos CAD tem a capacidade de trabalhar com ferramentas geométricas. evidenciando. utilizando e mantendo protegido o arquivo de dados. linhas.) que podem ser importados para o desenho.  Sensoriamento remoto. Desta forma.  Controles eletrônicos. entre outros.CAPÍTULO 8 TOPOGRAFIA O levantamento topográfico é utilizado para precisar a localização e descrição do ambiente onde vai ser feita determinada obra. Além das funcionalidades matemáticas e topográficas disponíveis. a funcionalidade de topografia vai muito além de ferrramentas geométricas de coordenadas. já o AutoCAD Civil 3D possibilita gerenciar. projeções personalizadas podem ser criadas e adicionadas à lista disponível.  CAD/GIS. As novas tecnologias disponíveis possibilitam que as tarefas do topógrafo sejam executadas de forma mais precisa utilizando:  Satélites. topografia. que podem ser atribuídos a qualquer projeto. 91 . O AutoCAD Civil 3D utiliza três bancos de dados separados para a funcionalidade de topografia:    Equipment Databases – gerencia e define modelos de erros para equipamentos específicos de topografia quando analisa o arquivo de dados através do Método dos Mínimos Quadrados. infra-estrutura e serviços públicos disponíveis. Figura 146 A interação com informação GIS. Pg. etc. o sistema de banco de dados utilizado é excelente para gerenciar o arquivo de dados de campo disponível. Survey Database – aloca e gerencia informações topográficas específicas para serem utilizadas no ambiente do Civil 3D.

O arquivo topográfico do Civil 3D pode ser acessado por múltiplos desenhos e pode afetar outros objetos. visualizado ou editado. O esquema abaixo caracteriza o fluxo de informações do banco de dados topográfico. além de realizar o download do arquivo diretamente para o banco de dados. Leica X-Change. ou através de arquivos LandXML . O arquivo de dados não editados proveniente diretamente da observação de campo ou captação GPS é chamado de arquivo bruto. Estes dois modos são através de arquivos Autodesk Field Book (caderneta de campo) .Esses bancos de dados são mantidos em separado e são independentes do projeto devido às seguintes razões práticas e legais:    O trabalho original feito por topógrafos registrados pode ter implicações legais e não deve ser alterado sem conhecimento das conseqüências.FBK. Carlson Connect. Arquivos de desenhos e de pontos ASCII. Normalmente. os objetos topográficos são transformados. sincronizando o sistema de coordenadas do banco de dados e o sistema de coordenadas do desenho individual. Figura 147 A Autodesk colabora com os principais fornecedores de equipamentos topográficos de forma a desenvolverem suas próprias APIs e drivers para interação com o AutoCAD Civil 3D e AutoCAD Land Desktop. de se importar o arquivo bruto para o Civil 3D. Trimble Link. este arquivo não pode ser aberto. Os dados topográficos podem ser transformados. bancos de dados externos (como pontos do Oracle) e arquivos topográficos manualmente desenvolvidos podem ser introduzidos ao banco de dados topográfico. Topcon TopLink. Pg...XML. Há duas formas. como pontos e superfícies. 92 . Se as unidades do desenho e o sistema de coordenadas diferem. A lista abaixo mostra alguns fornecedores:      TDS Survey Link (aplicativo no Autodesk Survey).

dwg”. confome Figura 149. Pg. a aba “Survey” será exibida. Desde que este levantamento esteja em um sistema de coordenadas conhecido. com sistemas de coordenadas conhecido. Se a aba “Survey” não estiver sendo exibida no “Toolspace”. um pequeno levantamento topográfico é realizado. 93 . digite o comando “_OPENSURVEYTOOLSPACE”. mapas adicionais. e é adicionado a um levantamento topográfico com limites maiores e um conhecido sistema de coordenadas. Abra o arquivo “Seção-1. assumindo-se um sistema de coordenadas. 1. imagens raster e outros dados geoespaciais podem ser utilizados no desenvolvimento do projeto. Ou seja. vamos transladar um levantamento topográfico realizado em um sistemas de coordenadas adotado (suposto) para outro levantamento maior.Figura 148 No exercício a seguir.

Altere o campo “Current Figure Prefix Database” para “New Boston”. e clique em “OK”. onde serão inseridos os dados de campo. na aba “Survey” clique no ícone . No campo “Figure Prefix Database Path” localize a pasta “Prefixos”. conforme Figura 150. Para isto. aceitando as demais opções. Vamos definir as propriedades dos bancos de dados que criaremos. 94 .Figura 149 2. Pg. Figura 150 3. Faça as alterações de acordo com a Figura 151.“Edit Survey User Settings”.

Dê “OK”. Para criar um novo banco de dados. Clique em “Edit Survey Database Settings”. de acordo com a Figura 152. Dê o nome “Levantamento-1”. Altere as unidades para “US Foot”. 95 . na aba Survey.Figura 151 4. Clique com o botão direito sobre o novo banco de dados criado. Figura 152 Pg. clique com o botão direito em “Survey Databases” e selecione “New Local Survey Database”.

No menu “View”. Uma animação do levantamento é exibida enquanto o arquivo é adicionado ao banco de dados. clique em “Named Views”. Crie um novo “Network” com o nome de “Plato”. Figura 153 7. Selecione a caderneta de campo “Caderno-1.5. O Civil 3D trabalha com “Networks” para organizar os dados de um levantamento de um banco de dados conforme as várias etapas de um projeto. Dê “OK”. clique com o botão direito em “Plato”. A vista é alterada para um local próximo ao ponto 5000. conforme Figura 154. Selecione a vista “5000-5000” (Figura 153). Vamos inserir os dados de uma caderneta de campo. 6. Figura 154 Pg. 96 . clique em “Set Current” e “OK”.fbk”. 5000 (a tela é exibida vazia). Para isto. Clique em “Import Field Book”.

Na aba “Prospector”. Altere o estilo para “No_Display” (Figura 156) e dê “OK”. expanda “Survey” e “Network”. Clique com o botão direito sobre o segundo item “Curb” e selecione “Zoom to”. Pg. Selecione esta linha no desenho e clique com o botão direito. Figura 156 10. Com o botão direito sobre “Plato” clique em “Properties”. 97 . Note que a linha representando a guia superior aparece destacada. exiba as propriedades do ponto de controle. Desta forma é possível verificar as coordenadas deste ponto. Clique em “Elevation Editor”. De acordo com a Figura 155. De volta à aba “Survey”. Figura 155 9. expanda o item “Figures”.8.

Visualiza-se a caixa “Panorama”.50’.11. Pg. New Hampshire / NAD83 New Hampshire State Planes. 15. com o botão direito sobre “TR-1”. Crie um novo “Network” com o nome de “Lev-2”. 12. Como feito anteriormente. Com o botão direito em “Lev-2”.fbk” e dê “OK”. clique em “Set Current” e “OK”. clique em “Update Survey Data from Drawing”. US Foot” (Figura 157). Altere a menor das elevações para 55. como é possível notar na Figura 158. No menu “View”. Note que os valores de “Grade Ahead” e “Grade Back“ são atualizados. Selecione esta mesma linha no desenho e. Expanda o item “Figures” e. 14. clique em “Named Views”. 98 . Vamos agora verificar o perímetro e a área da poligonal adicionada. crie um novo banco de dados topográficos (botão direito sobre “Survey Databases”. “New Local Survey Database”). Figura 157 13. com nome de “Levantamento-2”. Selecione a caderneta de campo “Caderno-2. através do botão direito. clique em “Display Mapcheck”. Selecione a vista “Lev-2”. Altere o sistema de coordenadas para “USA. clique em “Import Field Book”.

expanda “Control Points” e. No campo “Point 1 Number” digite “36” e no campo “Point 2 Number” digite “7” (Figura 159). 18. Com o botão direito. 99 . Pg. Em “Select an Inquiry Type” selecione “Point / Point Inverse”. Figura 159 17.Figura 158 16. Para inserirmos o levantamento anterior no local apropriado. precisamos de algumas informações geográficas sobre a poligonal recém-inserida. Mantenha a “Inquiry Tool” aberta. Para isto. Vamos agora alterar as coordenadas do ponto de controle 10000 para o ponto 36 do “Levantamento-2”. feche o banco de dados topográfico “Levantamento-2” e abra o “Levantamento-1”. Para obtermos estas informações. na aba “Analyze” clique em “Inquiry Tool”. A caixa de diálogo “Inquiry Tool” é exibida. com o botão direito sobre “10000”.

Dê “OK”.clique em “Properties”. Figura 160 19.“Pick a Point from the Drawing”. Altere o valor e a direção do campo “Direction” de acordo com o valor obtido na “Inquiry Tool” (Figura 161). Altere a elevação para 625 (Figura 160). Clique no ícone . Abra a caixa de diálogo “Properties” do item “10000 – 10001” na lista de “Directions”. Pg. Dê “OK” e feche a “Inquiry Tool”. 100 . Com auxílio do OSNAP selecione o ponto número 36.

Como feito anteriormente. realize o “Mapcheck” desta poligonal e compare com os valores já obtidos. através do botão direito sobre “Plato”. Pg. Nomeie esta nova poligonal também como “TR-1”. Altere o estilo para “Basic” e clique em “OK”. clique em “Update Network”. clique com o botão direito sobre “Plato” e em “Properties”. 21. Na aba “Prospector”.Figura 161 20. De volta à aba “Survey”. Clique com o botão direito sobre “Figures” e selecione “Create Figure From Object”. conforme Figura 162. Clique em “OK” e depois pressione a tecla “ESC”. 101 . Selecione a poligonal “TR-1” criada no banco de dados topográfico anterior.

Na aba “Survey”. no item “Figures”. abra o banco de dados topográficos “Levantamento-2”. lembre-se que estes dados estão com unidade de pés. 102 . Clique em “OK”. Repita o procedimento inserindo as poligonais. 22. vamos verificar como é facil transformar as unidades de um levantamento topográfico realizado para se adequar ao restante do projeto onde foi inserido. Figura 163 23. para metros e UTM83-19 (Figura 163). Clique em “Edit Drawing Settings”. Na aba “Settings” clique com o botão direito em “Seção-2”. Para isto. Verifique que as unidades e o sistema de coordenadas estão selecionados.Figura 162 A seguir. Clique em “Points / Insert Into Drawing”. Clique com o botão direito sobre “Survey Points”.dwg”. abra o arquivo “Seção-2. respectivamente. Pg.

Clique o botão direito sobre “Figures”. 25. por exemplo. 27. como. Figura 164 Por fim. Para isto. Na aba “Survey”. Desenhe uma linha com 100 unidades de comprimento em qualquer local dentro da poligonal “TR-1”. Figura 165 Pg. 103 . crie um novo projeto. Nomeie esta poligonal como “100 m” e dê “OK”. crie um novo banco de dados topográfico com o nome de “Levantamento3”. Não esqueça de pressionar “ESC” para encerrar o procedimento. Selecione o arquivo “Definições. Verifique o comprimento da poligonal criada. 26. Na caixa de diálogo. descrições de pontos. vamos trabalhar com informações complementares que podem ser adicionadas aos dados de um levantamento.sdx_def” e dê “Abrir”. Clique em “Edit”. Clique com o botão direito sobre este novo banco de dados e selecione “Manage Extended Properties”. Clique em “Create Figure From Object” e selecione a linha criada.24. conforme Figura 164. Marque as opções de acordo com a Figura 166 e dê “OK”. Na aba “Survey” clique com o botão direito sobre “Figures”. clique no ícone “Import Settings from a File” (Figura 165).dwt”. Utilize o template “Topo-Metrico.

Clique em “Import Survey LandXML”. Altere o campo “Current Figure Prefix Database” para “Bay View” (Figura 167) e clique em “OK”. Da mesma forma. 29. Localize o arquivo “Levantamento-3. Clique no cabeçalho da coluna “Parcel Type” de forma que as linhas sejam re-arranjadas. e dos lotes do tipo “Roadway Easements” para “Road_Esmt”. Para isto. conforme Figura 168. Segurando a tecla “SHIFT” selecione todas linhas onde esteja selecionada a opção “Administrative”. Clique em “Edit”. Na lista de itens selecione “Administrative”. Pg. Repita este procedimento e altere o estilo para “Residential Lot” dos lotes do mesmo tipo. clique com o botão direito sobre “Figures”. Com todas estas linhas selecionadas. as poligonais terão prefixo “Bay View”. Figura 167 A seguir vamos editar as poligonais. Desta forma. clique com o botão direito sobre “Levantamento-3”. Para inserir as informações de um levantamento topográfico realizado. altere o estilo para “Hydrologic” do único lote deste tipo. clique com o botão direito sobre o cabeçalho da coluna “Style”.Figura 166 28.xml“ e dê “Open”. 104 . Clique em “Edit”. re-arranjando-as em grupos de acordo com o que representam. Salve as alterações (Figura 169) e feche este diálogo. 30.

Clique em “Remove from Drawing”. Na aba “Prospector”.Figura 168 Figura 169 31. Clique no cabeçalho “Style” para re-arranjar as poligonais de acordo com o estilo atribuído. Figura 170 32. Clique em “Edit Points”. através do botão direito. 105 . 33. clique com o botão direito sobre “Points”. Clique com o botão direito sobre “Figures”. Selecione graficamente este ponto e. 34. arraste cada grupo de poligonal para o desenho. Clique em “OK”. Selecione a opção “Yes” (Figura 170). No menu “Figure Groups”. Clique com o botão direito sobre “Figure Groups” e clique em “New”. Feito isto. Clique em “Points / Insert into Drawing”. Com auxílio da tecla “SHIFT” selecione os itens marcados com estilo “Administrative”. Repita estes procedimentos e crie grupos para as demais poligonais com estilos diferentes (“Hydrologic”. Clique com o botão direito sobre o ponto número 217 e selecione ”Zoom to”. Clique em “Edit”. “Residential Lots” e “Roadway Easement”). vamos alterar as informações exibidas sobre um ponto específico do levantamento. clique em “Edit Label Text” (Figura 171). clique com o botão direito sobre o cabeçalho “Add to Group”. Selecione a numeração do ponto. Na caixa de diálogo “Text Component Pg. Clique com o botão direito sobre “Survey Points”. Dê o nome de “Administrative”. Para finalizar.

Figura 171 Figura 172 Pg. selecione “Point. antes de “<[Point Number>]” e digite “POINT:“. Na lista “Properties” selecione “Point.Monument. clique. Posicione o cursor após o campo <[Point Number]> e pressione “ENTER”. 106 .Editor”. A caixa deve ficar igual a Figura 172. Digite “MON:”. Na lista “Properties”. Pressione “OK”.name” e clique na seta azul.Monument. no lado direito. Pressione “ENTER” e digite “SURVEY:”.orginSurvey” e clique na seta azul.

Figura 173 3. Selecione a sua superfície e clique no botão “OK”.CAPÍTULO 9 EQUIPE DESENVOLVENDO PROJETOS EM O Civil 3D possui recursos que permitem que uma equipe trabalhe em conjunto em um mesmo projeto. Clique com o botão da direita sobre “Data Shorcuts” e selecione a opção “Create Data Shortcuts”. O diálogo da Figura 174 é exibido. Na “Toolspace” selecione “Master View” como é mostrado na Figura 173. o João e a Maria. Vamos abordar neste capítulo uma forma mais rápida de se promover a integração de uma equipe em um projeto que é o recurso de Data Shortcuts. Com isto.dwg” no AutoCAD Civil 3D. irão usar sua superfície. O Autodesk Vault é uma aplicação de colaboração que faz parte do pacote do Civil 3D. view frames (para as folhas de planta e perfil). Pg. Para maiores informações sobre o Vault. Ele deve ser instalado em um servidor de banco de dados SQL Server. Dê um nome para o seu diretório de compartilhamento. 107 . consulte seu manual que está no DVD do Civil 3D. 2. alinhamentos. Abra o arquivo “superficie. 4. O item “Data Shortcuts” será adicionado à lista de elementos da Toolspace. Os passos abaixo indicam o que deve ser feito para compartilhar esta superfície: 1. Estes recursos são: Vault e Data Shortcuts. Se você tivesse criado um arquivo novo é preciso salvá-lo antes de seguir para o passo 2. Vamos supor que você criou uma superfície e que 2 outros usuários. sua superfície já estará disponível para ser usada pelos demais usuários. Suponha que seu arquivo que contém a superfície seja o Superficie. O shortcut permite que vários usuários referenciem os mesmo objetos: superfícies. redes de tubulações.dwg. Clique com o botão da direita sobre “Data Shortcuts” e selecione a opção “Set Data Shortcuts Folder”.

108 . Um mesmo objeto como superfície ou alinhamento pode ser compartilhado por um número ilimitado de usuários. Salve o seu arquivo. Suponha que você é o João e quer usar a superfície que foi compartilhada. Se você clicar com o botão da direita sobre o nome da superfície que está abaixo de “Data Shortcuts” verá a opção “Create Reference”. Crie um novo arquivo e selecione seu template preferido. Simplesmente siga os mesmos procedimentos do passo anterior.Figura 174 5. Você poderá alterar o estilo da superfície e utilizá-la normalmente em seu projeto. selecione Master View como na Figura 173. Na janela Toolspace. 6. Selecione esta opção e clique OK no diálogo que se apresenta. Apenas não poderá editá-la. A superfície é referenciada no seu arquivo novo. Pg. Quando o objeto original é alterado. Suponha que você é a Maria e quer usar a superfície que foi compartilhada. cada usuário que referencia este objeto receberá uma notificação no Civil 3D informando que o objeto foi alterado e um comando para atualizá-lo será exibido.

geografia de altitudes (ramo na geografia que trata de medidas e mapeamento de locais de alta altitude) relação Intensidade. 109 .D. Frequência para precipitações Pg.CAPÍTULO 10 Inglês abutment alignment assembly bearing berme/bench bound breaklines catchment cover crest culvert curb curve cut datum daylight detention pond Ditch EGL fade feature line fill frontage girder grading gutter haul headlight visibility HGL Hypsography I.F. DICIONÁRIO DE TERMOS TÉCNICOS Português apoio alinhamento / eixo de rodovia gabarito / seção tipo rumo berma limite linhas de corte bacia de captação / bacia de contribuição cobertura convexo bueiro / tubulação perpendicular a uma estrada que capta a água da estrada meio-fio curva corte superfície do corridor resultante da terraplenagem (sem as camadas da estrutura do pavimento) no Brasil chamado de offset – linha que marca onde a plataforma de projeto encontra o terreno natural bacia de retenção canal linha de energia (Hidráulica) desvanecimento linha base aterro frente longarina plataformas de terraplenagem sarjeta free haul = transporte livre distância de visibilidade em curvas verticais côncavas linha piesométrica (Hidráulica) hipsografia . Duração.

Inglês Inlet land planning Lane mass haul diagram parameter parcel pipes profile PVI quantity takeoff right of way Sag sample lines shoulder slope slope patterns station subassembly survey watershed weir Português dispositivo de captação de água qualquer (boca-de-lobo. 110 . entre outros) planejamento do aproveitamento do terreno faixa de rolamento Diagrama de Bruckner (diagrama de massa) parâmetro lote tubulação perfil longitudinal / greide da rodovia ponto de interseção vertical levantamento de quantitativos alinhamento predial / faixa de domínio no caso de rodovias e avenidas côncavo linhas de amostragem acostamento declividade padrões de declividade estaca elemento da seção transversal levantamento Bacia hidrográfica. É a soma de todas as "catchment areas" vertedouro Pg.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->