REGIMENTO INTERNO DO FÓRUM DE COMUNICAÇÃO SERTÃO DO SÃO FRANCISCO - BAHIA

CAPÍTULO I Da Natureza Art. 1º - O Fórum de Comunicação Sertão do São Francisco é um espaço de discussão e articulação entre pessoas e entidades que visa discutir estratégias e implementar ações voltadas para a efetivação da comunicação como direito humano. CAPÍTULO II Da Composição e Abrangência Art. 2º - O Fórum é constituído por instituições da sociedade civil (mesmo que sem personalidade jurídica) sem fins lucrativos e por pessoas físicas. O critério fundamental para participar do Fórum é compreender a importância da comunicação para a construção da democracia participativa e da cidadania critica. Art. 3º - Serão considerados membros orgânicos do Fórum, as entidades/pessoas físicas que: I - Contribuição para a sustentabilidade econômica das atividades do Fórum; II - Participação contínua nas atividades do Fórum, principalmente, nas reuniões locais dos municípios; III - Defender a Democratização da Comunicação enquanto direito social; IV - Leitura básica sobre o direito à comunicação; Parágrafo único - Cada entidade integrante do Fórum indicará um/a representante e seu/sua suplente para participar do Fórum. Art. 4º - As entidades que não se dispuserem a serem membros orgânicos podem participar do Fórum na condição de apoiadoras. Art. 5º - A atuação do Fórum é territorial, podendo abranger os municípios de Juazeiro, Curaçá, Uauá, Canudos, Sobradinho, Casa Nova, Sento Sé, Remanso, Pilão Arcado e Campo Alegre de Lourdes. CAPÍTULO III Da Competência ___________________________________________________________________________________
Fundado em setembro de 2009 e-mail: forumcomunicacao@hotmail.com/ Blog: www.comunicasertaoba.blogspot.com

Art. 6º - Ao Fórum compete: I - Propor Políticas Públicas de Comunicação em âmbitos municipais e territorial, favorecendo a ampla participação de todos os segmentos da sociedade na formulação dessas políticas; II - Sensibilizar a sociedade civil para a compreensão da Comunicação como Direito Humano; II - Lutar pela Democratização dos meios de comunicação, desde o acesso das pessoas às informações veiculadas pelos meios, até o incentivo da produção e difusão de meios comunitários e populares; IV - Apoiar e assessorar os veículos comunitários e populares do Território Sertão do São Francisco nos seus processos de legalização e formação técnica e política; V - Favorecer o trabalho em rede dos meios de comunicação comunitários e populares do Território Sertão do São Francisco. CAPÍTULO IV Da organização DAS REUNIÕES Art. 7º - O Fórum se reunirá três (03) vezes por ano com rotatividade nos municípios que o integram. § 1º - O local e indicativo de data das reuniões devem ser definidos pelo conjunto das entidades e pessoas que compõem o Fórum, de preferência na reunião que antecede. § 2º - As reuniões devem ser convocadas com até quinze (15) dias de antecedência pela Secretaria Executiva. Art. 8º - Os municípios que compõem o Fórum deverão realizar reuniões mensais; DA SECRETARIA EXECUTIVA Art. 9º - A Secretaria Executiva do Fórum será composta por três (03) representantes de entidades e pelos/as articuladores/as municipais. Art. 10 - A gestão será de um ano, sendo permitida recondução por mais um ano. § 1º - A Secretaria Executiva será eleita em reunião ordinária, cuja pauta conste este ponto. Art. 11 - Os membros da Secretaria Executiva terão os seguintes cargos: I - 2 Articuladores/as gerais II - 1 Tesoureiro/a III - Articuladores/as municipais ___________________________________________________________________________________
Fundado em setembro de 2009 e-mail: forumcomunicacao@hotmail.com/ Blog: www.comunicasertaoba.blogspot.com

Art. 12 - A Secretaria Executiva terá as seguintes atribuições: I - Aos articuladores/as cabe a responsabilidade de fazer contato com os membros dos fórum; convocar e coordenar reuniões; fazer circular as informações de interesse do fórum; falar em nome da entidade; exercer as atividades de secretaria. II - A tesouraria é responsável pela arrecadação e organização da contribuição financeira que os integrantes do Fórum ou parceiros venham a efetuar, bem como pelos trâmites necessários em caso de outras formas de captação de recursos. III - Os/as articuladores/as municipais são responsáveis pela organização do Fórum em nível municipal, devendo contribuir para mobilização e envolvimento das entidades locais, bem como colaborar na organização das reuniões sediadas nos respectivos municípios. DOS EIXOS E NÚCLEOS Art. 13 – O Fórum atua a partir dos seguintes Eixos e Núcleos: I - Eixo Comunicação Comunitária II - Eixo Comunicação e Educação III - Eixo Políticas Públicas de Comunicação IV - Núcleo de Comunicação Institucional V - Núcleo de Sustentabilidade CAPÍTULO V Da Sustentabilidade Art. 14 - A sustentabilidade do Fórum se dará das seguintes formas: I - Cada entidade pagará uma contribuição anual mínima de R$ 50, devendo ser depositada em conta específica do Fórum; II – Materiais de divulgação do Fórum e dos posicionamentos que o mesmo defende deverão ser produzidos e vendidos como forma de movimentar a receita do Fórum; III – Serão aceitas doações em recursos financeiros e materiais; IV – Será feita captação de recursos para execução de projetos. CAPÍTULO VI Dos casos omissos Art. 15 - Os casos omissos a este Regimento deverão ser discutidos e deliberados pelos integrantes do Fórum. ___________________________________________________________________________________
Fundado em setembro de 2009 e-mail: forumcomunicacao@hotmail.com/ Blog: www.comunicasertaoba.blogspot.com

CAPÍTULO VII Das disposições finais Art. 16 - Todo e qualquer membro do Fórum de Comunicação Sertão do São Francisco deve defender a comunicação como direito humano, ciente da necessidade de existência do Fórum como uma das formas de lutar democratização da comunicação. Parágrafo único: A justificativa abaixo esclarece a importância da criação e funcionamento do Fórum de Comunicação Sertão do São Francisco: A comunicação, entendida como um direito humano, é tema transversal e fundamental na discussão dos diversos outros direitos. O sistema de comunicação vigente no Brasil, por não atender aos princípios básicos da democracia, impede a ampla participação popular nos processos comunicacionais. Isto se dá, sobretudo, pelo desconhecimento de que a comunicação é um serviço público que deve ser assegurado a todos os cidadãos e cidadãs, assim como a educação, saúde, emprego, moradia, fornecimento de energia elétrica etc. No Brasil, não há nenhuma lei que garanta um percentual de programação local nos veículos que transmitem em rede nacional, os canais comunitários e universitários são transmitidos apenas no sinal fechado, não há um fundo específico para a Radiodifusão comunitária, as concessões concentram-se nas mãos de poucas famílias que ampliam a cada dia o número de emissoras por todo o país. Estes são apenas alguns dos exemplos que contribuem para a reprodução de um modelo de sociedade pouco preocupado com a efetivação do direito do cidadão/cidadã fazer uso dos meios de comunicação como instrumentos em favor da luta pela efetivação dos demais direitos, assim como em prol da difusão e valorização da diversidade cultural existente. A comunicação constitui-se, portanto, como importante estratégia de organização social, além de promover a emancipação dos sujeitos através da socialização das informações acerca da realidade a qual pertencem. Neste sentido, a ação política da comunicação deve acontecer também para além dos veículos (rádios, TVs, jornais, internet etc), sendo necessário pensá-la de forma crítica também na escola, na comunidade e nos diversos grupos organizados da sociedade civil, com vistas a contribuir na formulação de políticas para o setor. Fortalecer o movimento pró-comunicação como direito significa instalar e consolidar o debate sobre políticas públicas, criando instrumentos que possam contribuir com a garantia deste e, consequentemente, de outros direitos. Tendo por base a realidade da comunicação no Brasil, a existência de outro modelo, em especial no Território Sertão do São Francisco, implica em discutir e colocar em prática outras formas de comunicação, tomando como base algumas experiências já existentes, a exemplo das Rádios Comunitárias que tem participação relevante no cotidiano da maioria dos municípios. Vale ressaltar a importância de tornar comum, por mais tempo, com mais espaço e com outras abordagens, diversas ações socioeconômicas e culturais que acontecem nos municípios que compõem o território, além da urgente necessidade de combater o discurso criminalizante imposto pelos veículos ___________________________________________________________________________________
Fundado em setembro de 2009 e-mail: forumcomunicacao@hotmail.com/ Blog: www.comunicasertaoba.blogspot.com

comerciais ao abordarem os movimentos sociais da região e do país. A existência do Fórum de Comunicação Sertão do São Francisco justifica-se também pela necessidade de articular diversas iniciativas semelhantes que já existem no Território, no sentido de promover a comunicação como estratégia de organização social, aproveitando o acúmulo prévio para a formulação de políticas públicas locais de comunicação, o que contribui diretamente para o desenvolvimento territorial.

___________________________________________________________________________________
Fundado em setembro de 2009 e-mail: forumcomunicacao@hotmail.com/ Blog: www.comunicasertaoba.blogspot.com