You are on page 1of 11

EDUCACIONAL

Física
Termodinâmica
01. (UEL-PR) A pressão de um gás perfeito, mantido num Resolução:
recipiente de volume constante a 27oC, é P. Se a temperatura P1 P2
for elevada a 127oC, a pressão será: =
T1 T2

27 3 P P 4P
a) . P b) . P c) P = 2 ⇒ P2 =
127 4 300 400 3

4 127
d) . P e) . P Alternativa D
3 27

02. (MACK/2002) Um gás, contido em um recipiente dotado Resolução:


de um êmbolo que pode se mover, sofre uma transformação. Q = 800 cal = 800 . 4,18 = 3344 J
Nessa transformação fornecemos 800 cal ao gás e ele realiza
Q = ∆U + τ
o trabalho de 209 J. Sendo 1 cal = 4,18 J, o aumento da
energia interna desse gás foi de: 3344 = ∆U + 209
∆U = 3135 J
a) 209 J b) 3135 J c) 3344 J
Alternativa B
d) 3553 J e) 3762 J

(FEI/2001) Enunciado para as P (atm)


questões 03 e 04.
4 moles de um gás perfeito A
6
inicialmente no estado A
sofrem uma transformação
isotérmica até um estado B, B
conforme gráfico ao lado.
Dado: R = 0,08 atm . L / mol . K 8 12 V (L)

03. Qual é a pressão (em atm) no estado B? Resolução:


a) 5 b) 4 c) 3 d) 2 e) 1
P1V1 = P2V2 ⇒ 6 . 8 = P2 . 12 ⇒ 48 = P2 . 12

P2 = 4 atm

Alternativa B

04. Qual é a temperatura (em °C) da transformação A → B? Resolução:


a) 180 b) 150 c) 0 d) – 123 e) – 143 PV = mRT ⇒ 6 . 8 = 4 . 0,08 . T ⇒

⇒ 48 = 0,32 T ⇒ T = 150 K

T (°C) = 150 – 273 = – 123 °C

Alternativa D

FISEXT1103-R 1
2 FÍSICA TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

05. (FUVEST) Um mol de um gás ideal sofre uma transformação Resolução:


isotérmica reversível A → B, mostrada na figura.
p (atm) a) PAVA = PBVB
constante dos gases ideais:
2 A
R = 0,082 atm . L/mol . K. 2 . 1 = 1 . VB ⇒ VB = 2L

1 B
b) isotérmica → ∆µ = 0 ⇒ Q = τ

1 VB ∴ Q = 5,7 J

a) Determine o volume VB.


b) Sabendo que o gás efetuou um trabalho igual a 5,7 J,
qual a quantidade de calor que ele recebeu?

06. (FEI) Uma amostra de um gás perfeito é levada do estado A Resolução:


ao estado C, segundo a transformação ABC, conforme
indica o diagrama. O trabalho realizado pelo gás durante τ =Ν área = (0,5 – 0,2) . 1 x 105 = 0,3 x 105 = 3 x 104 J
a transformação é:
p . 105 N/m2 Alternativa A
a) 3 x 104 J 4 C
b) 4,5 x 104 J
c) 7,5 x 104 J
A
1 B
d) 10,5 x 104 J
e) 12 x 104 J 0 0,2 0,5 V (m3)

07. (ITA) Um recipiente de volume ajustável contém n mols Resolução:


de um gás ideal. Inicialmente o gás está no estado A,
ocupando o volume V à pressão p. Em seguida, o gás é ∆µ = 0 ⇒ Q = τ Ν
= área
submetido à transformação indicada na figura. Calcular o
−(2V − V) . (2p − p) −pV
calor absorvido pelo gás na transformação cíclica ABCA. Q= =
2 2
a) Q = 0 p
Alternativa E
2p C
b) Q = npV/2
c) Q = – npV/2
A
d) Q = pV/2 p B

e) Q = – pV/2 V 2V V

FISEXT1103-R
EDUCACIONAL
TERMODINÂMICA FÍSICA
3
08. (FEI/2002) Um gás perfeito sofre as transformações Resolução: P (N/m2 )
conforme o gráfico. O trabalho realizado pelo gás no ciclo
τ N 10 6
ABC é: = A
P (N/m 2) A
WC = 1,2 . 107 J 20 . (106 − 2 . 105 )
a) 1 . 106 A τ = 2 . 105
2
b) WC = – 8 . 106 J V (m 3 )
c) WC = 10 . 106 J B 5
20 . 8 . 10
d) WC = – 10 . 107 J
2 . 105
C τ = 2
= 8 . 106 J 20 40

V (m 3)
e) WC = 8 . 106 J
20 40 Alternativa E

09. (MACK) Certa massa de gás ideal sofre uma Resolução:


transformação na qual sua energia interna não varia. Essa
transformação é: Pela teoria → Alternativa A

a) isotérmica b) isobárica
c) isométrica d) adiabática
e) inexistente

10. (F.M.ABC) O Ciclo de Carnot compreende: Resolução:

a) duas transformações isotérmicas e duas isométricas Pela teoria → Alternativa D


b) duas transformações isobáricas e duas isométricas
c) duas transformações adiabáticas e duas isobáricas
d) duas transformações isotérmicas e duas adiabáticas
e) duas transformações isotérmicas e duas isobáricas

11. (EMC-RJ) O rendimento de uma certa máquina térmica de Resolução:


Carnot é de 25% e a fonte fria é a própria atmosfera a 27oC. TF 300
Calcule a temperatura da fonte quente. η=1– ⇒ 0,25 = 1 – ⇒ TQ = 400 K = 127 ºC
TQ TQ

12. (UNESP) A Primeira Lei da Termodinâmica diz a respeito à: Resolução:


a) dilatação térmica A primeira Lei da Termodinâmica é um balanço energético.
b) conservação da massa
c) conservação da quantidade de movimento Alternativa D
d) conservação da energia
e) irreversibilidade do tempo

13. (FATEC) Haverá trabalho realizado sempre que uma massa Resolução:
gasosa:
a) sofrer variação em sua pressão τ = P . ∆V
b) sofrer variação em seu volume
Alternativa B
c) sofrer variação em sua temperatura
d) receber calor de fonte externa
e) nda

FISEXT1103-R
4 FÍSICA TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

14. (U.Uberaba-MG) Um gás está submetido a uma pressão Resolução:


constante dentro de um recipiente de volume variável.
Provocando-se uma expansão isobárica desse gás, o seu τ Ν= área = (0,5 – 0,2) . 4 = 1,2 J
volume varia como mostra a figura. Ao passar do estado
X para o estado Y, o gás realiza um trabalho que, em joules, Alternativa C
é igual a: p (N/m 2)
a) 1,6 X Y
4
b) 1,4
c) 1,2
d) 1,0
V (m3)
e) 0,8
0 0,2 0,5

15. (UR-RN) Um sistema termodinâmico realiza um trabalho Resolução:


de 30 kcal quando recebe 20 kcal de calor. Nesse processo,
a variação de energia interna desse sistema (em kcal) é: ∆µ = Q – τ = 20 – 30 = – 10 kcal
a) – 10 Alternativa A
b) zero
c) 10
d) 20
e) 35

16. (FUVEST) Um mol de um gás ideal dobra o seu volume Resolução:


num processo de aquecimento isobárico. Calcule:
a) τ Ν= área = (10–2 – 5 x 10–3) . 5 x 106 = 2,5 x 104 J
p (N/m 2 ) R = 8,3 J/mol.K pV
b) pV = nRT ⇒ T =
5 . 106 nR
5 x 106 . 5 x 10 −3
V (m 3)
T1 = ≅ 3012 K
1 . 8,3
0 5 . 10–3 10 –2
5 x 106 . 10 −2
T2 = ≅ 6024 K
1 . 8,3
a) o trabalho mecânico realizado pelo gás
∆µ = 3/2 n R ∆T = 3/2 . 1 . 8,3 (T2 – T1) = 3,75 x 104 J
b) a variação da energia interna do gás nesse processo

17. (MACK/2001) Num recipiente hermeticamente fechado, que Resolução:


não sofre dilatação térmica e provido de uma válvula,
m PV R
encontra-se a massa de 200 g de um gás ideal, sob pressão PV = nRT ⇒ PV = RT ⇒ =
M mT M
de 2,0 atm e temperatura 27 °C. Numa determinada
P1 V1 P V
experiência, foi necessário que uma massa de 50 g desse = 2 2 ⇒ V 1 = V2
gás fosse liberada para o ambiente. Devido a isso, a pressão m1 T1 m 2 T2
do gás remanescente passou a ser 1,4 atm. A temperatura 2 1,4
=
da massa final de gás (em °C), no recipiente, passou a ser: 200 . (27 + 273) 150 (T2 )
a) 7 b) 27 c) 280 d) 567 e) 840 2 1, 4
=
200 . 300 150T2

T2 = 280 K = 7 °C
Alternativa A

FISEXT1103-R
EDUCACIONAL
TERMODINÂMICA FÍSICA
5
18. (FUVEST/2003) O gasômetro G, utilizado para o Resolução:
armazenamento de ar, é um recipiente cilíndrico, metálico,
com paredes laterais de pequena espessura. G é fechado Como o sistema está em equilíbrio, Empuxo = Peso em ambas as
na sua parte superior e aberto na inferior, que permanece situações. Como E = p . V . g, o desnível L = 2m permanece
imersa em água e pode se mover na direção vertical. G constante. Logo, a pressão inicial (para 300K) é igual à pressão final
contém ar, inicialmente à temperatura de 300 K e o nível da (360K).
água no seu interior se encontra 2,0 m abaixo do nível
externo da água. Nessas condições, a tampa de G está Pela Lei Geral dos Gases:
9,0 m acima do nível externo da água, como mostra a figura P0 V0 P1V1 A . L A . L'
= ⇒ =
abaixo. Aquecendo-se o gás, o sistema se estabiliza numa T0 T1 T0 T
nova altura de equilíbrio, com a tampa superior a uma altura 11 L'
H, em relação ao nível externo da água, e com a temperatura = ⇒ L’ = 13,2 m
300 360
do gás a 360 K. Supondo que o ar se comporte como um
gás ideal, a nova altura H será, aproximadamente, igual a: Como o enunciado solicita em relação ao nível da água, temos:

ar ambiente G
a) 8,8 m H = L’ – 2
300 K H = 13,2 – 2 = 11,2 m
b) 9,0 m
c) 10,8 m H0 = 9,0 m ar g
d) 11,2 m Alternativa D
e) 13,2 m 2,0 m
água

19. (MACK/2001) Numa manhã fria, com a temperatura Resolução:


ambiente a 12 °C, calibram-se cada um dos pneus de um m
automóvel, com a pressão de 30 lb/pol2. Se, durante o dia, P.V = n . R . T ⇒ P.V = .R.T
M
a temperatura se elevar para 27 °C, admitindo que o volume
dos pneus permaneça constante, para mantermos a pressão P.V.M
= m . T constante
em 30 lb/pol2 deveremos: R
Mi . T. = mf . Tf ⇒ Mi . 285 = mf = 300
a) esvaziar os pneus, reduzindo a massa de ar interna em
5% do valor inicial. mf = 0,95 mi ⇒ mf = 95% mi
b) esvaziar os pneus, reduzindo a massa de ar interna em
44% do valor inicial. Alternativa A
c) esvaziar os pneus, reduzindo a massa de ar interna em
56% do valor inicial.
d) encher os pneus, aumentando a massa de ar interna em
5% do valor inicial.
e) encher os pneus, aumentando a massa de ar interna em
56% do valor inicial.

20. (MACK/2000) Dispõe-se de 176 g de dióxido de carbono Resolução:


(massa de um mol = 44 g) num recipiente a 0 °C, sob
pressão de 1,64 atm. Para um ajuste de pressão, 176
M = = 4 mols
proporciona-se ao gás (considerado ideal) uma 44
compressão isocórica até 100 °C e, em seguida, uma PV = nRT ⇒ 1,64 V = 4 . 0,082 . 273 ⇒ V = 54,6 L
expansão isotérmica até atingir o volume de 74,6 litros. Processo Isocórico
Nesse instante, a pressão do gás (em atm) será: P1 P2 1,64 P
Dado: R = 0,082 atm . litro / mol . kelvin = ⇒ = 2 ⇒ P2 = 2,24 atm ⇒ V1 = V2 = 54,6 L
T1 T2 273 373
a) 2,24 b) 2,00 c) 1,64 d) 0,82 e) 0,50
Processo Isotérmico
P2V2 = P3V3 ⇒ 2,24 . 54,6 = P3 . 74,6 ⇒ P3 = 1,64 atm
Alternativa C

FISEXT1103-R
6 FÍSICA TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

21. (FUVEST/2001) Um bujão de gás de cozinha contém 13 kg Resolução:


de gás liquefeito, a alta pressão. Um mol desse gás tem
massa de, aproximadamente, 52 g. Se todo o conteúdo do Pela equação de Clapeyron, temos: PV = n . R . T
bujão fosse utilizado para encher um balão, à pressão
atmosférica e à temperatura de 300 K, o volume final do 3
balão seria aproximadamente de: Mas n = m ∴ V = m . R . T = 13 x 10 . 8,3 . 300 ≈ 6,2m3
M P.M 1 x 10 5 . 52
a) 13 m3 R = 8,3 J / (mol . K) ou
b) 6,2 m 3 R = 0,082 atm . L / (mol . K)
Patmosférica = 1 atm Alternativa B
c) 3,1 m 3
≈ 1 x 105 Pa
d) 0,98 m 3 (1Pa = 1 N/m2)
e) 0,27 m 3 1 m3 = 1000 L

22. (FEI) Numa transformação de um gás perfeito, os estados Resolução:


final e inicial acusaram a mesma energia interna. Certamente:
Pela teoria → Alternativa D
a) a transformação foi cíclica
b) a transformação foi isométrica
c) não houve troca de calor entre o gás e o ambiente
d) são iguais as temperaturas dos estados inicial e final
e) não houve troca de trabalho entre o gás e o ambiente

23. (FUVEST) A figura representa um cilindro com êmbolo 24. (UNICAMP) O volume de 1 mol de gás ideal varia
móvel, de massa 200 kg e área A = 100 cm2, que contém linearmente em função da temperatura, conforme o gráfico
inicialmente 2,4 litros de um gás ideal à temperatura de abaixo.
27oC. Aquece-se o sistema até a temperatura estabilizar-se V (L)
em 127oC. A pressão atmosférica é igual a 105 N/m2.
Adotar g = 10m/s2 2V 0
B

A
V0

V0 = 15 L, T0 2T0 T (K)
T0 = 300 K
R (constante dos gases) = 8,3 J mol K
a) Qual o volume final do gás?
b) Qual o trabalho mecânico realizado? Calcule o trabalho realizado pelo gás ao passar do estado
A para o estado B.
Resolução:

V1 V2 2,4 . 400 Resolução:


a) = ⇒ V2 = = 3,2 L
T1 T2 300
nRT 1 . 8,3 . 300
b) τ = p . ∆V = p=
V
=
15 x 10−3
= 166.000 Pa


= 105 +
2000 
 (3,2 x 10–3 – 2,4 x 10–3) = 240 J τ = p . ∆V = 166.000 (2V0 – V0) = 2490 J
−4 
 100 x 10 

FISEXT1103-R
EDUCACIONAL
TERMODINÂMICA FÍSICA
7
25. (UNESP) Dois gases ideais, denominados G1 e G 2, 27. (UF-RN) A temperatura de uma certa quantidade de gás
3 ideal, à pressão de 1,0 atm, cai de 400 K para 320 K. Se o
ocupam volumes idênticos. Porém p1 = 2p2 e T2 = T1 volume permaneceu constante, a nova pressão (atm) é de:
5
(p e T são, respectivamente, pressão e temperatura a) 0,8
absoluta). Se o número de mols de G1 é 12, qual será o b) 0,9
número de mols de G2? c) 1,0
d) 1,2
a) 10 e) 1,5
b) 6
c) 14,4 Resolução:
d) 7,2
p1 p2 1 p
e) 12 = ⇒ = 2 ⇒ P2 = 0,8 atm
T1 T2 400 320
Resolução: Alternativa A
pV
n1 = 1 = 12
R . T1
p2V p 2 . V 5p1V 28. (CESESP-PE) O diagrama p . V da figura ilustra a variação
n2 = = 1 =
R . T2 R . 3 5 T1 6RT1 da pressão com o volume, durante uma transformação
quase-estática e isotérmica de um gás ideal entre o estado
n2 5 5n 5 . 12
= ⇒ n2 = 1 = = 10 mols inicial I e estado final F. Das alternativas a seguir:
n1 6 6 6
p (atm)
Alternativa A
I
2,46
Isoterma
26. (UFF-RJ) Uma certa quantidade de gás perfeito evolui de 1,23 F
um estado I para um estado II e deste para um estado III,
V (L)
de acordo com o diagrama pressão x volume representado.
0 10 20
Sabendo que a temperatura no estado I é de 57ºC, podemos
afirmar que a temperatura no estado III é de:
I. É nula a variação de energia interna do gás nesse
p (atm) processo.
II. O trabalho realizado pelo gás é numericamente igual
4
I à área abaixo da curva IF.
3 III. O calor absorvido pelo gás é numericamente igual à
2 área abaixo do gráfico IF.
II III
1
V (L) Pode-se afirmar que:
2 4 6 8 10 12 a) apenas I é correta
b) apenas II e III são corretas
a) 95 K
c) apenas I e II são corretas
b) 120 K d) todas são corretas
c) 250 K e) nenhuma é correta
d) 330 K
e) 550 K Resolução:
I. correta → ∆T = 0
Resolução:
p1V1 p3V3 3 . 2 1 . 10 II. correta
= ⇒ = ⇒ T3 = 550 K
III. correta → Se ∆µ = 0 ⇒ Q = τ
T1 T3 330 T3

Alternativa E Alternativa D

FISEXT1103-R
8 FÍSICA TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

29. (FGV) Pode-se afirmar que máquina térmica é toda máquina 32. (PUC) O bico de uma seringa de injeção é completamente
capaz de transformar calor em trabalho. Qual dos vedado, de modo a encerrar 1,0 cm3 de ar no interior da
dispositivos pode ser considerado uma máquina térmica? mesma, nas condições ambientais de temperatura e pressão.
a) Motor a gasolina A seguir, puxa-se lentamente para fora o êmbolo (ver figura).
b) Motor elétrico O gráfico representa a variação da pressão p do ar em
c) Chuveiro elétrico função do seu volume V. Sendo isotérmica a transformação,
d) Alavanca e desprezando os atritos pergunta-se:
e) Sarilho
P (104 N/m 2 )
Resolução:
1,0 A
Pela teoria → Alternativa A
– 5,0
– 4,0
PB B
30. (UF-PA) A importância do Ciclo de Carnot reside no fato de: – 3,0
– 2,0
V (cm3 )
a) ser o ciclo do refrigerador – 1,0
(cm3) 0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0
b) ser o ciclo do motor de explosão
c) ter rendimento de 100% ou próximo
d) determinar o máximo rendimento de uma máquina a) Qual a pressão do gás no estado B?
b) Aproximando a curva AB por uma reta, calcule o trabalho
térmica, entre duas temperaturas dadas.
realizado sobre o gás no processo.
e) ser o ciclo dos motores diesel
Resolução:
Resolução: 1 x 10 4 . 1
a) pAVA = pBVB ⇒ pB = = 2500 N/m2
4
Pela teoria → Alternativa D

τΝ= área = ( )( ) = 1,9


1 x 104 + 2500 . 4 x 10−6 − 1 x 10−6
b) x 10–2 J
2
31. (UNISA) Certa máquina ideal funciona realizando o ciclo
de Carnot. Em cada ciclo o trabalho útil fornecido pela
máquina é 1 500 joules. Sendo as temperaturas das fontes 33. (UF-MG) Uma dada massa de um gás perfeito recebe 120 J
térmicas 227oC e 127oC, o rendimento da referida máquina de calor e sofre uma transformação isobárica, sob a pressão
de 40 N/m2, conforme gráfico.
(em %) é de:
Determine a variação da energia interna do gás, em
a) 44 joules, ao evoluir do estado inicial A até o estado final B.
b) 56 V (m3 )
c) 80 B
6
A
d) 10 5
e) 20

Resolução: T (K)
600 900
TF 400
η=1– =1− = 0,20 = 20%
TQ 500 Resolução:

Alternativa E Q = 120 J
τ = p . ∆V = 40 . 1 = 40 J
∴ ∆µ = Q – τ = 120 – 40 = 80 J

FISEXT1103-R
EDUCACIONAL
TERMODINÂMICA FÍSICA
9
34. (PUC-RJ) Uma máquina de Carnot é operada entre duas Resolução:
fontes, cujas temperaturas são, respectivamente, 100oC e TF 273
0oC. Admitindo-se que a máquina receba da fonte quente a) η = 1 – =1− = 0,27 = 27%
TQ 373
uma quantidade de calor igual a 1000 cal por ciclo, pede-se:
1 cal = 4,2; ∆U ciclo = 0
b) ∆µ = 0 ⇒ Q = τ = 1000 cal . 0,27 = 270 cal = 1134 J
a) o rendimento térmico da máquina c) 1000 cal – 270 cal = 730 cal
b) o trabalho realizado pela máquina em cada ciclo
(expresso em J)
c) a quantidade de calor rejeitada para a fonte fria

35. (CESESP-PE) Calcule aproximadamente o rendimento Resolução:


máximo teórico de uma máquina a vapor cujo fluido entra a
TF 378
400ºC e abandona o cilindro a 105ºC. η=1– =1− = 0,44 = 44%
TQ 673

36. (FEI) Assinale a alternativa com afirmações corretas Resolução:


relativas a um gás perfeito: I. correta
I. A energia interna de uma dada massa de gás ideal é II. errada → ∆V > 0 ⇒ Q > τ
função exclusiva de sua temperatura.
II. Numa expansão isobárica a quantidade de calor
III. correta → Não há variação de volume ⇒ τ=0
recebida é menor que o trabalho realizado Alternativa C
III. Numa transformação isocórica a variação da energia
interna do gás é igual à quantidade de calor trocada
com o meio exterior.
a) I e II
b) II e III
c) I e III
d) todas
e) nenhuma

37. (PUC-RS) O gráfico p x V representa as transformações Resolução:


experimentadas por um gás ideal. Calcular o trabalho

τ N= área = ( 2) + 10 . 3 = 80 J
mecânico realizado pelo gás durante a expansão de A até C. 3 + 2 . 20

p (N/m 2 )

B C
30

10 A V (m 3 )
0 1,0 3,0

FISEXT1103-R
10 FÍSICA TERMODINÂMICA
EDUCACIONAL

38. O diagrama caracteriza uma transformação 1 → 2 na qual: 40. (ITA) Uma molécula-grama de gás ideal sofre uma série de
p transformações e passa sucessivamente pelos estados
A→B→C→D, conforme o diagrama pV abaixo, onde
TA = 300 K. Pode-se afirmar que a temperatura em cada
estado, o trabalho líquido realizado no ciclo e variação da
2 energia interna no ciclo são respectivamente:
1
TD(K) ∆τ(atm . L) ∆U(J)
T2
T1 TA(K) TB(K) TC(K)
V
a) 300 900 450 150 20,0 0
a) não ocorre variação na energia interna do sistema b) 300 900 450 150 20,0 40
b) o sistema não troca calor com o exterior c) 300 450 900 150 20,0 0
c) o sistema não realiza trabalho ao passar de (1) para (2) d) 300 900 450 150 60,0 40
d) o calor posto em jogo é transformado integralmente em e) nda
trabalho
p (atm)
e) o sistema recebe calor, que é parcialmente transformado
A B
em trabalho 2,0
1,0 C
Resolução: D

É uma transformação isobárica. 10,0 30,0 V (L)


Alternativa E
Resolução:

p A VA p BVB pC VC p D VD
= = =
39. (FATEC) Um sistema constituído de um gás perfeito passa TA TB TC TD
do estado 1 para o estado 2, conforme o esquema. Se TB = 900 K
medirmos: Q (o calor fornecido), τ (o trabalho realizado) e 2 . 10 2 . 30 1 . 30 1 . 10
300
=
TB
=
TC
=
TD
⇒ T = 450 K
C

∆U (a variação de energia interna), tem-se que: Q = τ + ∆U.


TD = 150 K

p (pressão)
∆τ N
= área = 20 . 1 = 20 atm . L

A
2 ciclo → ∆U = 0
B

1 C Alternativa A
T2 = 500 K
T1 = 300 K

V (Volume)
41. (PUC) O rendimento de uma máquina térmica:
Então, quando o sistema passar do estado 1 para o estado
2, pelos processos A, B e C, podemos dizer que: a) depende apenas da temperatura da fonte quente
a) o trabalho realizado pelo sistema será o mesmo para os b) é tanto maior quanto maior a diferença de temperaturas
três processos das fontes quente e fria
b) o calor fornecido ao sistema será igual nos três processos c) depende apenas da temperatura da fonte fria
c) a variação de energia interna será a mesma nos três d) não depende das temperaturas das fontes e sim das
processos transformações envolvidas
d) no processo A o calor fornecido será menor que nos e) nunca pode ultrapassar 30%
processos B e C
e) nenhuma das afirmações anteriores Resolução:

Resolução: TF
Pela teoria → Alternativa B n=1–
A variação de energia interna depende apenas da variação de TQ
temperatura.
Alternativa C

FISEXT1103-R
EDUCACIONAL
TERMODINÂMICA FÍSICA
11
42. (FMU) Uma máquina térmica recebe da fonte quente Resolução:
100 cal e transfere para a fonte fria 70 cal. O rendimento
100 − 70 30
(em %) dessa máquina será: η= = = 30%
100 100
a) 15
b) 20 Alternativa C
c) 30
d) 40
e) 50

43. (Santa Casa) Uma máquina térmica executa um ciclo entre Resolução:
as temperaturas 500 K (fonte quente) e 400 K (fonte fria).
TF 400
O máximo rendimento (em %) que essa máquina poderá ter η=1– =1− = 0,20 = 20%
será: TQ 500

a) 10 Alternativa B
b) 20
c) 25
d) 30
e) 80

FISEXT1103-R