159 QUESTÕES SOBRE AÇÃO PENAL COM GABARITO

1 - Q198444 ( Prova: FCC - 2011 - MPE-CE - Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) A ação penal privada subsidiária

a) poderá ser intentada por qualquer do povo quando o requerimento do Ministério Público de arquivamento de inquérito policial não for acolhido pelo Poder Judiciário. b) será admitida se a denúncia não for apresentada no prazo legal, cabendo ao Ministério Público aditar a queixa, repudiá-la e oferecer denúncia substitutiva, intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova, interpor recurso e, a todo tempo, no caso de negligência do querelante, retomar a ação como parte principal. c) será admitida se a denúncia não for apresentada no prazo legal, cabendo apenas ao Ministério Público intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova, interpor recurso. d) será admitida se a denúncia não for apresentada no prazo legal, cabendo ao Ministério Público apenas retomar a ação como parte principal no caso de negligência do querelante até a sentença de primeiro grau. e) será admitida se a queixa crime não for apresentada no prazo legal, cabendo ao querelante titular do direito da ação penal privada aditar a queixa, repudiá-la e oferecer queixa crime substitutiva, intervir em todos os termos do processo, fornecer elementos de prova, interpor recurso e, a todo tempo, no caso de negligência do querelante, retomar a ação como parte principal.

2 - Q200963 ( Prova: MS CONCURSOS - 2009 - TRE-SC - Analista Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Tendo em vista as disposições abaixo, assinale a afirmativa correta relacionada à ação penal pública:

a) A ação penal pública condicionada é iniciada por meio de representação do ofendido ou seu representante legal, ou requisição do Ministro da Justiça. b) Na ação penal pública incondicionada, a atuação do Ministério Público também depende da vontade do ofendido ou seu representante legal. c) No caso de ação penal pública condicionada, a representação será irretratável após o r ecebimento da denúncia pelo juiz. d) A manifestação do ofendido ou seu representante legal, no sentido de demonstrar seu interesse em ver apurado o crime praticado e autorizar a persecução estatal, constitui condição objetiva de procedibilidade da ação penal pública condicionada à representação.

3 - Q200962 ( Prova: MS CONCURSOS - 2009 - TRE-SC - Analista Judiciário - Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) A ação penal é a prerrogativa de pedir ao Estado - Juiz a aplicação das normas de direito penal ao caso concreto. A respeito da ação penal podemos afirmar , exceto:

a) A ação penal pode ser conceituada como o direito público subjetivo de pleitear ao Esta doJuiz a aplicação do direito penal objetivo ao caso concreto. b) Na falta de quaisquer das condições da ação penal pública, o juiz poderá rejeitar limina rmente a peça inicial. c) Na ação penal pública condicionada à representação a legitimidade ad causam, no pól o ativo, em regra, cabe ao ofendido ou seu representante legal. d) A ação penal não poderá ser iniciada sem novas provas quando o inquérito policial for arquivado por despacho do juiz, a requerimento do Ministério Público, em virtude de falta de prov as.

4 - Q101445 ( Prova: CESPE - 2008 - TJ-RJ - Analista Judiciário / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Quanto à ação penal, assinale a opção correta.

a) Salvo disposição em contrário, em caso de ação penal pública condicionada à representação, o direito de representação prescreve, para o ofendido, se ele não o exercer dentro do prazo de seis meses, contado do dia em que o crime foi praticado. b) A representação é ato formal, exigindo a lei forma especial, isto é, deve ser feita por procurador especial, em documento em que conste o crime, o nome do autor do fato e da vítima, além da assinatura do representante e do advogado legalmente habilitado. c) Nos crimes sujeitos à ação penal pública incondicionada, se o Ministério Público não oferecer a denúncia no prazo legal ou se requerer o arquivamento do inquérito policial e o juiz não concordar com o pedido, será admitida ação penal privada. d) A queixa, ainda quando a ação penal for privativa do ofendido, poderá ser aditada pelo Ministério Público, a quem caberá intervir em todos os termos subseqüentes do processo. e) Ainda que a representação contenha elementos que habilitem o Ministério Público a promover a ação penal, não poderá o promotor oferecer denúncia imediatamente, devendo remeter a representação à autoridade policial para que esta proceda ao inquérito.

5 - Q122193 ( Prova: FUNCAB - 2009 - PC-RO - Delegado de Polícia - r / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; )

No que se refere aos aspectos processuais da ação penal,marque a assertiva INCORRETA.
• •

a) A renúncia tácita e o perdão tácito admitirão todos os meios de prova. b) A renúncia ao exercício do direito de queixa em relação a um dos autores do crime, a todos se estenderá. c) Nos casos em que somente se procede mediante queixa, considerar-se-á perempta a ação penal, dentre outras hipóteses, quando, sendo querelante pessoa jurídica, esta se extinguir sem deixar sucessor. d) Em qualquer fase do processo, o juiz, se reconhecer extinta a punibilidade, deverá declará-lo de ofício. e) O direito de representação somente poderá ser exercido pessoalmente pelo ofendido, sendo vedado o seu exercício por procurador compoderes especiais.

6 - Q98612 ( Prova: CESPE - 2008 - PGE-ES - Procurador de Estado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Com relação ao direito penal e ao direito processual penal, cada um dos itens de 136 a 142 apresenta uma situação hipotética, seguida de uma assertiva a ser julgada. Determinado contribuinte, após ter negociado o parcelamento de débito tributário, foi denunciado por crime contra a ordem tributária, tendo o juiz competente recebido a peça acusatória, inaugurando, assim, a ação penal. Nessa situação, foi correta a instauração da ação penal, pois, conforme reiteradas decisões dos tribunais superiores, o parcelamento do débito tributário antes do recebimento da denúncia não acarreta a extinção da punibilidade, sendo necessário o pagamento integral da dívida, inclusive acessórios.

( ) Certo

( ) Errado

7 - Q190327 ( Prova: FUNDEP - 2011 - MPE-MG - Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Quanto à representação, assinale a alternativa CORRETA.

a) A representação deve ser expressa, depende de forma específica para produzir efeitos. b) A representação admite retratação, que pode ser exercida pela própria vítima até a sentença final. c) A representação é direito renunciável, pode ser exercida por procurador com poderes especiais e sujeita-se à decadência. d) A representação deve ser manifestada na presença do juiz, nos casos de violência doméstica.

) Sobre ação penal. o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação penal passará ao cônjuge.2008 . c) requisição do Ministro da Justiça até o oferecimento da denúncia.TCE-AL . • • • • 10 .Q161397 ( Prova: FCC .TJ-SC . dos assistentes e auxiliares da justiça. Do juiz. do ministério público. é correto afirmar: • a) A renúncia da ação penal privada ocorre após o oferecimento da queixa e o perdão antes.Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. e) representação do ofendido e da requisição do Ministro da Justiça até o recebimento da denúncia. o Ministério Público pode recorrer se o acusado for absolvido. ascendente. b) No caso de morte do ofendido. associações ou sociedades legalmente constituídas poderão exercer a ação penal privada.Analista Jurídico / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. se for descoberta a sua qualificação. d) requisição do Ministro da Justiça até o recebimento da denúncia. no curso do processo. A impossibilidade de identificação do acusado com o seu verdadeiro nome ou outros qualificativos não retardará a ação penal. do julgamento ou da execução da sentença. A qualquer tempo. d) As fundações.8 . . 9 . sem prejuízo da validade dos atos precedentes. será privilegiada aquela que primeiro comparecer.Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q161393 ( Prova: FCC . far-se-á a retificação. quando certa a identidade física. e) No caso de ação penal privada exclusiva. c) Se comparecer mais de uma pessoa com direito de queixa.TCE-AL .Q166457 ( Prova: TJ-SC . nos autos. acionista ou administrador de sociedade interessada no processo.2008 .2009 . é correto afirmar: I. o Código de Processo Penal prevê a possibilidade de retratação da • • • • • a) representação do ofendido até o oferecimento da denúncia. b) representação do ofendido até o recebimento da denúncia. II. do acusado e defensor. por termo. O juiz não poderá exercer jurisdição se for sócio. descendente ou colateral até terceiro grau. ) Em relação às ações penais públicas condicionadas. ) No que pertine aos sujeitos processuais.

Por isso. Ao Ministério Público cabe promover. o que deu ensejo a instauração de procedimento policial e o posterior encaminhamento ao juiz competente. b) Estão corretas as assertivas II e IV. Considere que determinada autoridade policial. c) Estão corretas as assertivas III e IV. no exercício do cargo. ) Dispõe o Código de Processo Penal que será admitida ação privada nos crimes de ação pública. • • • • • a) Estão corretas as assertivas I e III. contados do dia em que veio a saber quem é o autor do delito. • ( ) Certo ( ) Errado .2008 . e) Todas as assertivas estão corretas. Nessa situação. se o acusado não o tiver. decairá do direito de representação findo o prazo de seis meses. a ação penal pública incondicionada.MPE-SE .2010 . GABARITOS: 1-B 2-D 3-C 4-D 5-E 6-E 7-C 8-A 9-D 10 . privativamente. julgue os itens de 92 a 102. se esta não for intentada no prazo legal. não representar judicialmente contra o autor do delito. será processado ou julgado sem defensor.Analista . e também a condicionada à representação do Ministro da Justiça ou requisição do ofendido. caso a autoridade policial. foi vítima de desacato.Q150789 ( Prova: CESPE . ainda que ausente ou foragido. ser-lhe-á nomeado defensor pelo juiz.D 11 .Q177445 ( Prova: FCC . ) No que se refere aos temas de direito processual penal e direito penal.III. d) Estão corretas as assertivas I e IV.PC-TO . Nenhum acusado. vítima do desacato. Essa regra constitui exceção ao princípio da • • • • • a) indisponibilidade b) legalidade c) intranscendência d) obrigatoriedade e) oficialidade 12 . IV.Delegado de Polícia / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Direito / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

2010 . seu advogado constituído renunciou ao mandato procuratório.2009 . • • • • 15 .Delegado de Polícia / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) Considere a seguinte situação hipotética. necessariamente.2008 .13 . até decisão final. • ( ) Certo ( ) Errado 14 . e após a representação do ofendido. Nessa situação. esta não mais poderá desistir da persecução penal. tendo o juiz nomeado defensor dativo para patrocinar sua defesa. não caberá recurso algum no âmbito administrativo. de acordo com o que dispõe o CPP. d) pública incondicionada que configura infração de menor potencial ofensivo. b) popular. foi denunciado por crime contra a ordem tributária. por critério discricionário. Carlos não o fez.Q150788 ( Prova: CESPE . Devidamente intimado para constituir novo advogado. a autoridade policial poderá. a autoridade policial. No curso da ação penal. ) Carlos. Apresentado o fato à autoridade policial.Primeira Fase / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. empresário reconhecidamente bem-sucedido. penalmente imputável. Valmir. c) pública incondicionada. e) pública condicionada. podendo o ofendido todavia dirigir outro requerimento ao juiz de direito.Exame de Ordem Unificado .Q155261 ( Prova: FCC . arbitrados pelo juiz. uma vez procedida a representação pela vítima. a autoridade policial deverá exigir prova de que o requerente é cidadão.Q156974 ( Prova: CESPE . o requerimento poderá valer como representação. em virtude do princípio da oficialidade. deverá instaurar o inquérito policial. devendo a ação penal seguir sua tramitação sob a titularidade do Ministério Público. a pagar os honorários do defensor dativo. instaurar inquérito policial ou elaborar termo circunstanciado. por não ser pobre. em crime de ação penal • a) privada e a autoridade policial indeferir o requerimento. constatadas em laudo pericial. manifestando interesse em que o autor do crime seja processado. produzindo-lhe lesões corporais de natureza leve.PC-TO . .Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. ) Se o ofendido requerer a instauração de inquérito policial. Da Ação Penal.MPE-CE . Carlos • a) será obrigado.OAB . agrediu fisicamente Leandro. Nessa hipótese. foi formalizado e remetido ao Poder Judiciário o respectivo termo circunstanciado.

• • 16 . opera-se em: • • • • • a) Três meses do dia em que se esgotar o prazo para oferecimento da denúncia. ) .Auxiliar / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) Trinta dias do dia em que se esgotar o prazo para oferecimento da denúncia.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) será obrigado.Auxiliar / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. no caso desta não ser intentada no prazo legal. b) Doze meses do dia em que se esgotar o prazo para oferecimento da denúncia. a pagar os honorários do defensor dativo. e) A renúncia ao exercício do direito de queixa em relação a um dos autores do crime não se estende a todos os demais. • • • • 17 . d) estará desobrigado do pagamento dos honorários advocatícios. ) A decadência de propor ação privada nos crimes de ação pública. d) O prazo para oferecimento da denúncia estando o réu preso é de quinze dias contados da data do recebimento dos autos do inquérito policial pelo Ministério Público. 18 . o Ministério Público não pode aditá-la.Q118595 ( Prova: TJ-SC . por não ser pobre. por não ser pobre. e) Seis meses do dia em que se esgotar o prazo para oferecimento da denúncia. ) Assinale a alternativa correta segundo o Código de Processo Penal: • a) O Ministério Público pode desistir da ação penal a qualquer tempo do processo. visto que é incabível o arbitramento de honorários ao defensor dativo.TJ-SC .2011 .Técnico Judiciário .Q133863 ( Prova: PUC-PR .2010 . c) Na queixa em que a ação penal é privativa do ofendido.TJ-SC . arbitrados pelo próprio defensor. b) A queixa pode ser dada por procurador com poderes especiais.lo após a prolatação da sentença. os quais deverão ser postulados em ação própria no juízo cível da comarca onde tenha tramitado a ação penal. em que constem do instrumento de mandato o nome do querelante e a menção do fato criminoso.TJ-RO .Técnico Judiciário . a pagar os honorários do defensor dativo.• b) será obrigado. mas não poderá fazê. ainda que o réu não seja pobre.Q118594 ( Prova: TJ-SC . d) Quinze dias do dia em que se esgotar o prazo para oferecimento da denúncia.2010 .

E 13 . d) Julgar extinta a punibilidade pela decadência.FUNDAÇÃO CASA . d) remição. mediante denúncia.Q120555 ( Prova: VUNESP . em face do perdão tácito.D . c) Absolver desde logo o querelado. c) pelo Ministério Público. e) revelia.2010 . ) Quando o querelante deixa de comparecer. representado por advogado com poderes especiais. b) perempção. sem motivo justificado.Analista Administrativo . ) A ação penal de iniciativa pública é promovida • • • • • a) pelo Ministério Público ou ofendido. nos crimes de ação penal privada. e) pelo ofendido. c) remissão.Direito / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.E 15 . b) pela vítima ou seu representante legal. mediante queixa-crime. GABARITOS: 11 . deixar de formular o pedido de condenação nas alegações finais. o juiz deverá: • • • • • a) Extinguir desde logo o processo.B 20 . b) Extinguir desde logo o processo.E 14 . d) exclusivamente pelo Ministério Público.Analista Administrativo .E 18 .FUNDAÇÃO CASA . 20 .Se o querelante.A 16 .B 17 . 19 .Q120556 ( Prova: VUNESP . em face da renúncia tácita.E 19 . dá-se a • • • • • a) absolvição.Direito / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. a qualquer ato do processo a que deva estar presente.2010 . e) Julgar extinta a punibilidade pela perempção. mediante denúncia.E 12 .

Na ação penal pública condicionada. comparecendo mais de uma pessoa com direito de queixa. a ação penal será pública.Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. .DPU . caso o querelante desista da instância ou a abandone.TJ-MA . ) Considere as seguintes assertivas sobre as espécies de ação penal.21 . de acordo com o Código de Processo Penal: I. julgue os itens subseqüentes. Aos delitos de contravenção se aplica o procedimento sumário como regra. escrita ou oral. II. pela ordem.2011 . terá preferência o descendente e. ao órgão do Ministério Público. o cônguge e o ascendente.Analista Judiciário . em seguida.Q99556 ( Prova: CESPE .Q125503 ( Prova: FCC . Seja qual for o crime.TRE-AP . pessoalmente ou por procurador com poderes especiais.2011 . A ação penal tem início com o oferecimento da denúncia ou da queixa. 23 . III. ) Acerca do direito processual penal. mediante declaração. b) II.Titular de Serviços de Notas e de Registros Provimento por remoção / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. d) II e III. c) I.Q119665 ( Prova: IESES . somente surgindo óbice intransponível quando já existente decisão condenatória transitada em julgado. independentemente do recebimento feito pelo juiz. entretanto.2007 . feita ao juiz. e) I e III. sendo sempre definitiva em respeito ao Estado de Inocência. o direito de representação poderá ser exercido. Na ação penal privada. II. qualquer delas prosseguir na ação. III. Está correto o que se afirma SOMENTE em • • • • • a) I e II. podendo. • ( ) Certo ( ) Errado 22 . A desistência da ação penal privada pode ocorrer a qualquer momento. ou à autoridade policial.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. A execução da pena não admite forma provisória. quando praticado em detrimento do patrimônio ou interesse da União. ) É certo afirmar: I.

b) poderá ajuizar a ação em qualquer foro. não se estendendo esse direito ao cônjuge ou aos sucessores em caso de morte ou ausência.IV. d) privada personalíssima. e) poderá preferir o foro do domicílio ou residência do réu. c) privada exclusiva.2011 . • • • • • a) poderá preferir o foro de seu próprio domicílio. A ação penal por crime contra a honra praticado contra Promotor de Justiça pode ser iniciada mediante queixacrime. ) I.Técnico Judiciário . ) A ação penal que só pode ser proposta pelo ofendido. 24 . c) poderá preferir o foro da sua própria residência. Detecta-se o interesse de agir do órgão acusatório quando houver necessidade.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) Nos casos de ação penal privada exclusiva. b) Somente as proposições I e III estão corretas. . adequação e utilidade para a ação penal. d) Somente as proposições I e IV estão corretas. c) Somente as proposições II e IV estão corretas.Q117584 ( Prova: MPE-PR .Segurança / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.1ª REGIÃO (RJ) .2011 . denomina-se ação penal • • • • • a) privada subsidiária da ação pública. d) só poderá ajuizar a ação no foro do lugar da infração. b) pública incondicionada.MPE-PR . conhecido o lugar da infração. pode-se afirmar: • • • • a) Somente as proposições II e III estão corretas.Q121659 ( Prova: FCC .TRT .TRT . o querelante. 25 . e) pública condicionada. Analisando as proposições.1ª REGIÃO (RJ) .Segurança / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q121655 ( Prova: FCC .2011 . 26 .Técnico Judiciário .

b) Ainda que transcorrido o prazo legal para a apresentação da denúncia. ) Acerca do inquérito policial. d) Apenas uma assertiva está correta. b) Apenas as assertivas II e III são corretas. e) Todas as assertivas são corretas. independentemente da manifestação da vítima. que deve ser encaminhada ao promotor de justiça ou ao delegado. no qual se apurou a materialidade e a autoria de crime de roubo.Q98751 ( Prova: CESPE . a vítima não pode apresentar queixa subsidiária. a autoridade policial não pode se recusar a instaurar inquérito. sendo cabível apenas a comunicação do fato ao procurador-geral de justiça. assinale a opção correta.TRE-MA . das ações penal e civil e das questões e processos incidentes. O recebimento de indenização por reparação de dano causado pelo crime. O interesse de agir pode. depois de decorridos 60 dias desse recebimento. ser aplicável ao processo penal. para a adoção das providências disciplinares pertinentes.2009 . c) Nos crimes de ação penal privada personalíssima. A propositura da ação penal. nos mesmos termos com que se lhe reconhece na teoria geral do processo. fica condicionada ao oferecimento da representação. a vítima poderá oferecer a ação penal. III. o IP for recebido pelo promotor de justiça. Considerando as assertivas acima se afirma que: • • • • • a) Apenas as assertivas I e II são corretas. e. d) Tratando-se de crime de ação penal pública condicionada à representação. constitui renúncia ao direito de queixa. assinale a opção correta. ainda não houver sido oferecida a denúncia. c) Apenas as assertivas I e III são corretas. em um delito de menor potencial ofensivo cuja ação penal privada.Q112809 ( Prova: CESPE . em função de composição civil homologada pelo juiz do Juizado Especial Criminal. Da Ação Penal.Juiz / Direito Processual Penal / Inquérito Policial.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. 27 .II. se houver requerimento do ofendido. ao menos nas ações penais não condenatórias. contudo. obrigatoriamente por meio de advogado. Da Ação Penal. .2008 . a ação penal somente pode ser instaurada pela vítima ou seu representante legal. • a) Se. • • • • 28 . e) Pode-se promover a prisão em flagrante e a instauração de IP referente a crime de ação penal pública condicionada à representação. após ter sido encaminhado ao MP IP relatado.TJ-AL . ) Em relação ao inquérito policial (IP) e às espécies de ação penal. ou pelos seus sucessores.Analista Judiciário .

Analista Judiciário . • a) Segundo a melhor doutrina. ação penal é o direito de se pedir ao Estado-Juiz a aplicação do direito penal objetivo. o ofendido pode retratarse da representação até o recebimento da denúncia. assinale a opção incorreta. na ação penal privada.Q101002 ( Prova: CESPE . hipótese em que este passará a intervir em todos os ulteriores termos do processo. o MP poderá aditar a queixa. d) Surgindo. c) Nos crimes praticados em detrimento do interesse da União. ) Quanto ao tema ação penal. d) Nas ações penais privadas. a ação penal será pública. o ofendido não será impedido de intentar ação civil ex delicto. a autoridade policial ordenará. • a) Nas ações penais públicas condicionadas à representação. a desistência ocorre antes da propositura da ação penal. • • • 30 . se houver exclusão voluntária e expressa de um dos co-autores pelo querelante. assinale a opção correta. c) Nas ações penais públicas condicionadas à requisição do Ministério da Justiça.TJ-PA .2006 . b) O titular da ação penal de iniciativa privativa será o ofendido ou quem tenha qualidade para representá-lo.Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. b) Tratando-se de ação penal privada em crime com concurso de agentes. • • • . mediante requerimento do MP ou representação da autoridade policial. durante o inquérito policial. o prazo para o oferecimento da requisição é de três meses a contar do conhecimento da autoria. b) Se o querelante deixar de pedir a condenação do querelado nas alegações finais.crime para incluí-lo.Q101369 ( Prova: CESPE .2006 . • • • • 29 . ocorrerá a perempção. d) Nos crimes contra os costumes. c) Determinado o arquivamento do inquérito policial em face de requerimento do MP.Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. que este seja submetido a exame médico-legal. de ofício. dúvida fundada sobre a integridade mental do indiciado. e) Podem ser objeto de arresto os bens imóveis em relação aos quais haja indícios veementes de que tenham sido adquiridos pelo réu com o produto da infração penal. enquanto a renúncia pode ocorrer depois da propositura da ação penal.DETRAN-PA .• a) Gera preclusão a decisão judicial de arquivamento do inquérito policial a requerimento do MP. ) No tocante à ação penal. não se admite a ação penal pública.

TJ-SE . em que a ação penal é suficiente para resolver a questão prejudicial ligada ao estado de pessoas. c) Uma vez realizada a interceptação telefônica de forma fundamentada.Q99245 ( Prova: CESPE . secundariamente. desde que conexas aos primeiros tipos penais que justificaram a interceptação.Q102312 ( Prova: CESPE . b) O princípio da suficiência da ação penal relaciona-se com as questões prejudiciais heterogêneas. • • . Da Ação Penal. ) Assinale a opção correta quanto à ação penal. bem como o juízo valorativo sobre a gravidade genérica do delito imputado ao paciente e acerca de sua suposta periculosidade. b) A existência de indícios de autoria e prova da materialidade. a requisição do ministro da Justiça admite retratação. constituem fundamentação idônea para a prisão cautelar do autor do crime.2007 . • a) Segundo o STF.D 24 .Juiz / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. assinale a opção correta. por si sós. mas mediante o surgimento de circunstâncias especiais. sendo desnecessário aguardar a solução no âmbito cível. d) O prazo de seis meses para mover a ação penal privada é prescricional e se inicia da data em que ocorreu o fato.D 23 . desde que esta ocorra antes do oferecimento da denúncia.C 29 .E 27 . prevê. c) Nos crimes de ação penal pública condicionada. legal e legítima. uma nova espécie de ação penal para aquela mesma infração.A 28 .E 26 . inquéritos policiais e ações penais em andamento não podem configurar maus antecedentes para efeito da fixação da pena-base.B 30 .TJ-PI . sob pena de ofensa ao princípio da presunção de não-culpabilidade. • • • • 32 . as informações e provas coletadas dessa diligência podem subsidiar denúncia com base em crimes puníveis com pena de detenção.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) Acerca do direito processual penal.GABARITOS: 21 .D 25 .D 31 . e o direito à requisição deve ser exercido no prazo de seis meses.2008 .C 22 . e tem cabimento tanto no caso de inércia da acusação quanto no pedido de arquivamento. • a) Ação penal secundária ocorre quando a lei estabelece um titular ou uma modalidade de ação penal para determinado crime. e) Ação penal privada subsidiária da pública é a única exceção à regra da titularidade exclusiva do Ministério Público sobre a ação penal pública.

não há como se falar em progressão de regime de execução da pena. diferentemente do que ocorre no processo civil. c) Nos processos de competência do júri. somente o advogado regularmente inscrito na OAB pode promover a revisão criminal. sendo pública condicionada à representação. no silêncio da lei a respeito da ação penal. faz referência à titularidade do ofendido.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TRE-PA .TJ-PI . o Código Penal ou lei especial.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. o que equivale a dizer que. a nulidade decorrente da inobservância da competência por prevenção é absoluta. ) Acerca da classificação da ação penal. • 33 . b) A ação penal pública incondicionada é promovida pelo Ministério Público por meio de denúncia.Analista Judiciário .2005 . ) Considerando o entendimento do STF a respeito de temas relativos ao processo penal. Nulidades. e do Ministério Público. assinale a opção correta. • a) A ação penal. ainda que no ato da renúncia o réu esteja sem a assistência do defensor. assinale a opção correta. em que o sentenciado pode fazê-lo direta e pessoalmente. e) Em processo cuja pena privativa de liberdade já esteja extinta. para a ação penal por crime contra a honra de servidor público em razão do exercício de suas funções.Q102309 ( Prova: CESPE . empregando a expressão “somente se procede mediante representação”. o juiz fixe regime de cumprimento de pena mais gravoso ao sentenciado em novo processo criminal.• d) De acordo com orientação do STF. após descrever o delito. mediante queixa. com fundamento na reincidência. cabe habeas corpus para se evitar que.Q101286 ( Prova: CESPE . Tribunal do Juri. diferentemente do que ocorre no habeas corpus. que deve ser oferecida no prazo decadencial de 6 meses. d) Caso o réu esteja em prisão especial e a sentença penal condenatória não tenha transitado em julgado. condicionada à representação do ofendido. c) A ação penal é pública quando a lei expressamente a declara de titularidade do Estado. contados do dia em que ocorreu a infração penal. d) Quando o crime é de ação penal privada subsidiária da pública. inicia-se mediante o oferecimento de queixa por parte do ofendido ou de seu representante legal. ela será exclusivamente privada. • • • • 34 . e) É concorrente a legitimidade do ofendido. o efeito devolutivo da apelação não fica adstrito aos fundamentos da sua interposição. • • • . • a) A renúncia do réu ao direito de apelação impede o conhecimento do recurso por este interposto.2007 . b) No processo penal. Recursos Criminais.

a nomeação de curador especial ao ofendido absolutamente incapaz que não tiver representante legal ou no caso de colidirem os interesses deste com os daquele.• e) A ação penal pública.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q98413 ( Prova: MPE-PR . • • • • 36 . em relação a um dos autores do crime. ) Sobre a queixa-crime. a todos se estenderá. a requerimento do Promotor de Justiça. nem a renúncia do último excluirá o direito do primeiro. poderá a vítima ou seu representante legal. quando a ação penal for privativa do ofendido o Ministério Público não poderá aditá-la. por despacho do juiz. quer na ação subsidiária.Q102135 ( Prova: MPE-SP . b) O princípio da indivisibilidade da ação penal refere-se aos crimes de ação privada. c) A renúncia ao exercício da queixa. b) Nos crimes que se procedem mediante representação. depois de oferecida a denúncia. mas não torna o referido Órgão o titular da ação penal. é promovida pelo Ministério Público por meio de denúncia. mesmo sem novas provas. c) Arquivado o inquérito policial. pois não tem legitimidade ativa para propositura de ação penal privada. constitui substituição processual.MPE-SP . que constitui sua peça inicial. d) A renúncia do representante legal do menor que houver completado 18 (dezoito) anos não privará este do direito de queixa. eis que o Ministério Público pode denunciar posteriormente os demais autores do crime. • a) A queixa contra qualquer dos autores do crime obrigará ao processo de todos. e o Ministério Público velará pela sua indivisibilidade. ) Assinale a alternativa incorreta. o Ministério Público não está obrigado a oferecer denúncia.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. estando esta formalmente perfeita. 35 . d) Nos crimes que se procedem mediante representação ou nos crimes que só se procedem mediante queixa. quer na ação privada exclusiva.2005 . não alcançando a ação pública. ingressar com ação privada subsidiária da pública. • a) O Ministério Publico poderá aditar a queixa-crime.MPE-PR . assinale a alternativa INCORRETA. seja ela condicionada ou incondicionada. e) A queixa poderá ser aditada pelo Ministério Público apenas quando se tratar de queixa-crime subsidiária.2008 . e) A representação será irretratável. • • • • .

e) pública incondicionada. d) de iniciativa privada. 39 .2011 . ) Qualquer pessoa do povo poderá provocar a iniciativa do Ministério Público fornecendo-lhe. d) oportunidade e indisponibilidade. informações sobre o fato e a autoria e indicando o tempo.Q92847 ( Prova: CESPE . b) pública condicionada à requisição do Ministro da Justiça. b) obrigatoriedade e intranscendência. nos casos em que caiba a ação penal • • • • • a) popular. Da Ação Penal.DETRAN-ES . • ( ) Certo ( ) Errado .Analista Judiciário .2010 . É vedada a utilização de inquéritos policiais e ações penais em curso para agravar a penabase.Advogado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. e) intranscendência e indisponibilidade. ) Julgue os itens seguintes.Q93892 ( Prova: MPE-SP . • ( ) Certo ( ) Errado 40 .MPE-SP .Q87511 ( Prova: FCC . por escrito.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) pública condicionada à representação do ofendido. ) São princípios que regem a ação penal privada: • • • • • a) disponibilidade e indivisibilidade.DETRAN-ES .2010 . não se admite o perdão do ofendido depois do trânsito em julgado da sentença condenatória.Q92844 ( Prova: CESPE .37 . o lugar e os elementos de convicção. c) indivisibilidade e obrigatoriedade.2010 . ) Nas ações penais de natureza privada. relativos a habeas corpus.Advogado / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. inquérito policial e ação penal. 38 .Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TRE-RN .

e o juiz.Q88316 ( Prova: VUNESP .C 40 . • ( ) Certo ( ) Errado 42 . mediante aplicação analógica do art. caput. caso discorde do posicionamento do Promotor. caput. da Lei n. com base no princípio da independência funcional dos membros do Ministério Público.Área Judiciária Específicos / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. consoante jurisprudência sumulada dos Tribunais Superiores (STJ e STF). julgue os itens subsequentes. que atende a todos os requisitos legais.E 34 . O Promotor.TRE-ES . da apresentação de proposta de suspensão condicional do processo (art. pois incentiva a prática de furtos. 89.C 33 .Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. de ofício. ) Antônio foi denunciado por receptação simples (art.GABARITOS: 31 . roubos e até mesmo de latrocínios. e requer o prosseguimento do feito.2011 . 180. recusa-se a oferecer a proposta de suspensão. c) Determinar o prosseguimento do processo.E 39 . • a) Remeter os autos à apreciação do Procurador Geral de Justiça. • • • • . para trancar o processo. verificando que seria caso. da proposta de suspensão. por impossibilidade jurídica. 28. ) À luz dos conceitos e das normas aplicáveis à ação e ao processo penal. diante do evidente constrangimento ilegal imposto ao réu com o prosseguimento do feito sem a oferta da proposta de suspensão.A 38 . se o caso. a apresentação de proposta de suspensão é faculdade do Promotor de Justiça e não direito subjetivo do acusado. e) Remeter os autos a outro Promotor de Justiça para que ele apresente a proposta de suspensão. pois se trata de matéria de ordem pública e direito subjetivo do acusado.099/95). em tese. alegando que o crime de receptação é incompatível com o benefício. inclusive. no pedido de anulação de pena de multa em habeas corpus. do Código Penal). segundo o art. da Lei n. pois. Qual a medida que o juiz.C 36 .A 32 . deve tomar.º 9. 89. porém.Analista Judiciário . b) Designar data para apresentação.Q90173 ( Prova: CESPE .TJ-SP . do Código de Processo Penal.º 9. d) Conceder habeas corpus de ofício.2011 .C 41 .E 35 . determina a abertura de vista dos autos ao Promotor de Justiça para tal finalidade.E 37 . Há descumprimento de uma das condições da ação.099/95.

43 . IV e V. O perdão pode ser concedido até o trânsito em julgado da sentença condenatória.Q87128 ( Prova: FCC . II. A lei processual penal tem aplicação imediata. No caso de morte do ofendido.Técnico Judiciário .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. O perdão concedido a um dos querelados não aproveitará aos demais. V. II.Q88314 ( Prova: VUNESP .2011 . e) II. II e III. III. III e IV d) I. • • • • • a) I. a representação do ofendido pode ser retratada até o recebimento da denúncia. III. 44 . ) A respeito do perdão. Na ação penal pública condicionada. IV e V. IV. Na ação penal privada subsidiária da pública. I. e) I. alcançando. O perdão poderá ser aceito por procurador com poderes especiais. apenas. intervir em todos os termos do processo e interpor recurso. somente o cônjuge tem o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação penal privada. os processos em andamento. por se tratar de liberalidade que deve ser interpretada restritivamente. bem como o suplemento dos princípios gerais de direito. o Ministério Público pode aditar a queixa. c) I e III. c) II. II e IV.2011 . b) III. d) I. Está correto o que se afirma SOMENTE em: • • • • • a) II e III. A lei processual penal admite interpretação extensiva e aplicação analógica. As proposições corretas são. .TJ-SP . considere: I. b) I e II. inclusive. ) Analise as proposições seguintes.TRF .Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.1ª REGIÃO .

TRF . pois implicaria revisão prejudicial ao acusado. quando não for intentada pelo Ministério Público no prazo legal. e) queixa formulada pessoalmente pelo ofendido à autoridade policial competente.1ª REGIÃO .Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. independentemente de qualquer manifestação do ofendido. c) não poderá mais ser instaurada por ter se exaurido a atividade de acusação. d) pública condicionada.Q87126 ( Prova: FCC . c) privada subsidiária da pública.45 . denomina-se ação penal • • • • • a) privada exclusiva. e) privada personalíssima. b) pública incondicionada.Técnico Judiciário . nos crime de ação pública. d) portaria do Juiz de Direito baseada em prévia representação do Ministério Público. c) denúncia do Ministério Público condicionada à representação do ofendido ou de quem tenha qualidade para representá-lo.2011 . b) só poderá ser instaurada se o pedido de arquivamento do Ministério Público tiver se baseado em prova falsa. b) queixa-crime ajuizada pelo ofendido ou por quem tenha qualidade para representálo.TRF . a requerimento do Ministério Público. d) não poderá mais ser instaurada. e) só poderá ser instaurada se houver requisição do Procurador-Geral de Justiça. Da Ação Penal.1ª REGIÃO .Q86898 ( Prova: FCC .Analista Judiciário .Q87125 ( Prova: FCC . • • • 47 . ) A ação penal ajuizada pelo ofendido ou por quem tenha condições de representá-lo. ) Arquivado o inquérito policial por despacho do juiz.2011 . a ação penal • • a) só poderá ser instaurada com base em novas provas. ) A ação penal privada exclusiva tem início por meio de • a) denúncia do Ministério Público.2011 . • • • • 46 .1ª REGIÃO .TRF .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. .Técnico Judiciário .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Inquérito Policial.

neste caso.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. intervir em todos os termos do processo. Será admitida ação pública nos crimes de ação privada. do Livro I do Código de Processo Penal. o princípio da indivisibilidade: • • • • a) se aplica à ação penal pública e à ação penal privada. cabendo ao Ministério Público aditar a queixa.TJ-DF . III. Marque a alternativa CORRETA. • • • • a) Apenas as assertivas II. no caso de negligência do querelante. d) Todas as assertivas estão corretas. IV. encontramos a ação penal. Seja qual for o crime. b) somente se aplica à ação penal pública. 49 . repudiá-la e oferecer denúncia substitutiva. II.Juiz . se esta não for intentada no prazo legal. fornecer elementos de prova.Q84548 ( Prova: TJ-PR .Q83951 ( Prova: TJ-DFT . d) não se aplica nas ações penais. analise as questões abaixo: I. Estado e Município. ) Assinale a alternativa correta nas questões a seguir: Conforme a jurisprudência prevalente no Supremo Tribunal Federal e no Superior Tribunal de Justiça. Referente a esta matéria. o ofendido. ou seu representante legal. oferecerá a denúncia no prazo de 15 (quinze) dias. decairá no direito de queixa ou de representação. Salvo disposição em contrário.2007 . a ação penal será pública. retomar a ação como parte principal. c) somente se aplica à ação penal privada. a todo tempo. . se não o exercer dentro do prazo de 6 (seis) meses. se com a representação forem oferecidos elementos que o habilitem a promover a ação penal. III e IV estão corretas. e. quando praticado em detrimento do patrimônio ou interesse da União.TJ-PR .2010 .Objetiva / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. b) Apenas as assertivas I e IV estão corretas. O órgão do Ministério Público dispensará o inquérito.48 . interpor recurso e. contado do dia em que ocorrer a infração penal. c) Apenas as assertivas II e III estão corretas. ) No Título III.

havendo. no entanto.TCE-AP . d) Segundo entendimento do STF.C 50 . o Ministério Público deixar de promover o andamento do processo ou dele desistir. b) A ação penal privada exclusiva só pode ser proposta pelo ofendido.C 48 . . mas não pode produzir prova nova.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TJ-AP .2010 .B 49 . e de 15 (quinze) dias.Analista Judiciário . sucessão por morte ou ausência.A 51 . c) a representação será retratável. • • • • GABARITOS: 41 .A 47 . c) Dá-se ação penal privada personalíssima quando o exercício compete exclusivamente ao ofendido. no caso de ação penal de iniciativa privada. e) as fundações. não é concorrente a legitimidade do ofendido e do Ministério Público. se o réu estiver solto ou afiançado. com quem o agente coabita .2009 .A 45 .Q81391 ( Prova: NUCEPE . estando o réu preso. d) o prazo para oferecimento da denúncia será de 8 (oito) dias.A 43 .Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. b) considerar-se-á perempta a ação penal quando. e) Inexiste possibilidade de ação penal de iniciativa pública extensiva nos casos em que o crime elementar constitutivo do tipo do crime de iniciativa privada é de ação penal pública incondicionada. depois de recebida a denúncia.50 .Q76371 ( Prova: FCC . é correto afirmar que • • a) não se admite renúncia tácita. após iniciada. associações ou sociedades legalmente constituídas poderão exercer ação penal.B 46 .E 44 . assinale a alternativa CORRETA.SEJUS-PI . • a) A ação penal é pública condicionada à representação nos casos de crime de furto cometido em prejuízo de tio ou sobrinho. ) No tocante à ação penal. ) Na ação penal privada subsidiária da pública. • • • 52 .C 42 .2010 . ) Sobre ação penal. para a ação penal por crime contra a honra de servidor público em razão do exercício de suas funções. o Ministério Público • a) pode intervir na prova produzida pelo querelante.Q77960 ( Prova: FCC .Agente Penitenciário / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

defesa prévia. • • • • 54 .Q75085 ( Prova: FCC .2010 . oitiva de testemunhas. referentes a direito processual penal. alegações escritas e julgamento. ) Julgue os itens de 136 a 143. • ( ) Certo ( ) Errado 55 . interrogatório. obstando-se a propositura de nova ação penal acerca dos mesmos fatos. e) pode aditar as razões de recurso interposto pelo querelante. notificação do acusado para resposta. mas não pode recorrer. pois já demonstrou ser desidioso.• • • b) não pode intervir no processo se não aditou a queixa.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. enseja-se a declaração de desconformidade com os aspectos formais indispensáveis à propositura da ação penal e. ) Nos processos de competência originária perante o Superior Tribunal de Justiça e o Supremo Tribunal Federal. recebimento. repudiá-la e oferecer denúncia substitutiva.2010 .TRE-AC . do processo: no primeiro caso. c) pode aditar a queixa. oitiva de testemunhas. ) . citação.Q73137 ( Prova: FUNDEP .Q74626 ( Prova: CESPE . c) denúncia no prazo de quinze dias. recebimento. dentre outros. • 53 . no segundo. defesa prévia.Analista . citação. a absolvição sumária e a rejeição da denúncia têm como finalidade a extinção. Na atual sistemática processual penal. ocorre o exame do mérito da questão. defesa prévia. b) denúncia no prazo de dez dias. citação do acusado. por crime de ação penal pública. mesmo que o querelante a abandone. e) denúncia no prazo de quinze dias. interrogatório. resposta do acusado. recebimento da denúncia pelo relator. notificação do acusado para resposta. d) denúncia no prazo de dez dias. de forma antecipada. instrução.Analista Judiciário . instrução. atos na seguinte sequência: • a) denúncia no prazo de quinze dias.MPU . sustentação oral e julgamento pelo Tribunal. supridas as exigências legais.Processual / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. serão praticados. debates e julgamento pelo Tribunal. debates orais e julgamento.2010 . poderá a ação ser intentada novamente.Técnico Judiciário / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TJ-MG . interrogatório. citação do acusado. recebimento da denúncia. d) não pode retomar a ação como parte principal. alegações escritas e julgamento pelo Relator.

e) se mantiver inerte. ) A representação é retratável desde que manifestada • • • • • a) antes do oferecimento da denúncia. no prazo legal. e) antes da ouvida das testemunhas. pugnado pela necessidade de novas diligências a serem realizadas pela autoridade policial. assinale como se denomina a ação intentada pelo ofendido.2009 . ) Relativamente ao tema ação penal. d) antes da sentença.2010 . não oferecendo a denúncia.Q70533 ( Prova: CESPE . 56 .DPE-PI . 58 .Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. • • 57 . d) Ação penal privada subsidiária da pública. c) Ação penal privada secundária.2010 . • • • • a) Ação penal pública. quando ela não for iniciada no prazo legal pelo Ministério Público.Em relação ao estudo sobre a ação penal. b) determinar o arquivamento do inquérito policial. ) Caberá ação penal privada subsidiária da pública se o representante do parquet • • • a) determinar o arquivamento das peças de informação. b) Ação penal pública condicionada. desde que não tenha ele. c) requisitar as diligências necessárias à obtenção de dados informativos que aperfeiçoem o acervo que contém a informatio delicti. nem tenha se manifestado pelo arquivamento dos autos.Q68990 ( Prova: TJ-SC . d) excluir algum indiciado da denúncia.Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. tempestivamente.TJ-SC .PC-AP . b) antes do recebimento da denúncia. c) antes da primeira manifestação da defesa.Q66291 ( Prova: FGV . analise as afirmativas a seguir: .Delegado de Polícia / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

PC-DF .Objetiva / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. agente comunitário de saúde do Distrito Federal. d) Caso Maria resolva não se manifestar quanto à sua intenção em ver aberta a instrução processual. II. Assinale: • • • • • a) se somente a afirmativa I estiver correta. Nei será denunciado pelo Ministério Público. sua colega de trabalho. quando a vítima de crime contra a honra for servidor público. que é forma de extinção da punibilidade antes da instauração da ação penal. e) A legitimação ad causam e a capacidade processual de Maria dispensam a exigência de profissional do Direito devidamente habilitado na Ordem dos Advogados do Brasil. ) Nei.Delegado de Polícia . nessas ações. somente pode ajuizar a respectiva ação aquele que tiver legitimidade (MP ou querelante). ter-se-á como ocorrida a renúncia. e) se todas as afirmativas estiverem corretas. b) Se Maria morrer e não for casada ou não tiver ascendente. Diz-se que a parte tem interesse juridicamente tutelado para propor a ação. b) se somente a afirmativa II estiver correta. O conceito de legitimidade ativa no processo penal significa que. haverá legitimidade ativa concorrente entre o ofendido e o Ministério Público. situação em que o streptus iudicii justifica a intervenção do Ministério Público.Q64086 ( Prova: FUNIVERSA . III. o Estado sempre permanece responsável pela persecução penal. dependendo unicamente da autorização da vítima. quando poderá obter uma melhora concreta na sua situação jurídica em decorrência do acolhimento do seu pedido (utilidade) e quando não lhe seja possível atingir tal melhora a não ser que recorra ao Judiciário (necessidade). sendo certo que determinados crimes são processados mediante ação pública e outros mediante ação privada. • • • • . assinale a alternativa correta. c) se somente a afirmativa III estiver correta.I. descendente ou irmão. A denúncia ou queixa será rejeitada quando faltar justa causa para o exercício da ação penal. c) Segundo o Supremo Tribunal Federal. Isso se dá porque. Acerca dessa situação hipotética. 59 . • a) Caso haja interesse da ofendida. d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. Denúncia e Queixa.2009 . não importando em que contexto se deu o crime. foi acusado de cometer crime contra a honra de Maria. a persecução penal caberá ao Estado.

será o acusado citado. c) A notificação do acusado para apresentar a resposta preliminar por escrito é desnecessária se ele já tiver constituído advogado nos autos.E 57 .A 58 . poderá o ofendido ou seu representante legal intentar ação penal privada subsidiária da ação pública.Q64079 ( Prova: FUNIVERSA .Objetiva / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. discordando do posicionamento ministerial em relação ao fato. assinale a alternativa correta segundo o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal.DPU . O inquérito policial. foi remetido à justiça. • a) Na ação penal privada subsidiária da pública.C 55 . imputando a Lúcio o crime de estelionato.PC-DF .A 54 . Acerca dessa situação hipotética. d) Após o recebimento da denúncia ou da queixa. restando.E 59 .A 61 . aplica-se tanto aos crimes comuns como aos crimes funcionais típicos por eles praticados. • • • • GABARITOS: 51 .Q63652 ( Prova: CESPE . A respeito dessa situação hipotética. • a) O fato de a denúncia ter sido respaldada em elementos de informação colhidos no inquérito policial não dispensa a obrigatoriedade da notificação prévia do acusado para apresentar defesa preliminar. agente da polícia civil.D 56 . denunciou João. a vítima ou seu representante legal poderá oferecer denúncia perante a justiça. não se manifestou no caso. porque o crime é de ação pública incondicionada. com o objetivo de não efetuar contra este a prisão em flagrante em razão de haver adquirido mercadoria oriunda de crime. poderá a vítima ou seu representante legal.D 60 . ) Lúcio. d) Caso o MP se manifeste pelo arquivamento do inquérito policial. e) O procedimento especial previsto no processo penal. aguardar o pronunciamento do órgão de acusação do Estado. não há prazo para o MP se manifestar. seguindo-se o procedimento sumariíssimo.2009 . desde que haja a resposta preliminar à acusação. em liberdade. com base em elementos de informação obtidos em inquérito policial. c) Como o acusado está em liberdade. após concluído. apenas. foi investigado pela suposta prática de crime de estelionato.C 53 . • • • .E 52 . assinale a opção correta.60 .Delegado de Polícia . b) A conduta do policial civil amolda-se ao crime de concussão. imputado a funcionários públicos. b) Nessa situação. Denúncia e Queixa.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. decorridos mais de dois meses.2010 . ) O Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios. por ter supostamente solicitado propina ao comerciante de peças de automóvel Manoel. ofertar ação penal privada subsidiária. O MP recebeu os autos da investigação policial e.

• • • • . caso este não a exercite no prazo estabelecido em lei. e) No caso de ação penal privada personalíssima. b) Na ação penal pública condicionada à representação. isso obstará o direito dos outros sucessores. a vítima se tornar incapaz. maior de idade e capaz. descendente ou irmão. c) No caso de falecimento do titular da ação penal privada personalíssima com a ação penal em curso. uma vez restabelecida a capacidade. • a) Se. os sucessores poderão prosseguir no feito.• e) A ação penal privada subsidiária da pública somente poderá ser intentada nos crimes que são processados mediante ação penal pública condicionada. na ação penal privada personalíssima. b) Na ação penal privada personalíssima. que possui preferência. caso a vítima. o recebimento de valores pelo ofendido ou seus sucessores. ocorrendo o falecimento ou a declaração de ausência do ofendido. ou nomear curador especial para tal fim. manifeste desinteresse em propor a ação ou em ofertar a representação. ascendente. deverá aguardar a maioridade para ingressar com a ação penal. e) A companheira que vive em união estável com o ofendido não possui legitimidade para oferecer queixa ou prosseguir na ação penal privada em curso.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. antes de ingressar com a referida ação penal.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q63650 ( Prova: CESPE . 62 . sendo a vítima menor de idade. assinale a opção correta. no caso de morte do ofendido ou de ter sido declarado ausente por decisão judicial.2010 .DPU . vindo esta a falecer. consiste em renúncia tácita ao direito de queixa ou de representação. caso o cônjuge.Q63651 ( Prova: CESPE . o direito de representação passará aos sucessores. como indenização do dano causado pelo crime. d) Em qualquer infração penal. pode a vítima prosseguir com a ação penal intentada ou desistir dela. bem como oferecer representação. o direito de queixa transfere-se ao curador legal e. assinale a opção correta. ) Ainda a respeito da ação penal.DPU . c) Na ação penal pública condicionada à requisição do ministro da Justiça. • • • • 63 . d) A única possibilidade da ação penal privada personalíssima do ofendido existente no ordenamento jurídico brasileiro é a do crime de induzimento a erro essencial e ocultação de impedimento para o casamento. tenha deixado transcorrer o prazo para representar. ) Acerca da ação penal.2010 . • a) Na sucessão do direito de queixa ou de representação. mesmo tendo ciência da autoria da infração penal. poderá ocorrer a sucessão processual. o direito de oferecer queixa passará ao cônjuge.

assinale a opção correta.Q63647 ( Prova: CESPE . a perempção ocorrerá somente no caso de o MP deixar de promover o andamento do processo durante trinta dias seguidos. caso o MP não ofereça denúncia no prazo. ) Em relação à ação penal.DPU . d) Na ação penal pública condicionada. a queixa-crime poderá ser ofertada perante a autoridade policial. c) A denúncia é o instrumento de provocação da jurisdição na ação penal pública.Q63649 ( Prova: CESPE . por intermédio de queixa-crime. • • • • 66 .Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. e) A recusa do perdão por um dos querelados não produz efeitos jurídicos aos demais querelados que aceitarem ser perdoados e impede.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. assinale a opção correta. ) A respeito da ação penal. o parente mais próximo na ordem de ascendente. a extinção da punibilidade. c) A ação penal no crime complexo será intentada. e) Na ação pública incondicionada. b) Na ação penal privada. descendente ou irmão. . e. • a) A extinção da pessoa jurídica. Havendo divergência entre os sucessores. o juiz extinguirá a ação penal. • • • • 65 . ) No tocante à ação penal.2010 .DPU . ocorrerá para este a decadência. assinale a opção correta. na ausência deste.DPU .2010 . se comparecer mais de uma pessoa com direito de queixa. autoriza o MP a dar seguimento à ação.Q63648 ( Prova: CESPE .2010 . sem deixar sucessor. terá preferência o cônjuge. caso esta não seja intentada no prazo de seis meses. de igual modo. em qualquer hipótese. b) Ocorre a decadência do direito de queixa na ação penal privada subsidiária da pública. seja esta condicionada ou incondicionada.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.64 . contado do dia em que se esgotou o prazo para oferecimento da denúncia pelo MP. titular da ação penal privada em curso. • a) O prazo decadencial de representação para os sucessores corre a partir do momento em que eles forem notificados judicialmente para manifestar interesse em representar. d) No caso de morte do ofendido ou quando declarado ausente por decisão judicial.

2010 .• a) A regra geral no sistema criminal brasileiro é de que a ação penal deve ser de iniciativa privada. o DP poderá ajuizar queixacrime no interesse e a requerimento do ofendido. • a) A requisição ministerial. o perdão do ofendido obsta o prosseguimento da ação. está sujeita ao prazo decadencial de seis meses. d) Na ação penal privada.Q63646 ( Prova: CESPE .DPU . em qualquer fase do processo. e) Nos crimes de ação penal pública ou nos que se procede mediante queixa. a vítima poderá perdoar o agressor. o procurador deve ser necessariamente advogado e possuir poderes gerais de representação do ofendido. na ação penal pública condicionada. ainda que o processo esteja em grau de recurso e tramitando perante tribunal. • • • • 68 . • • . c) Uma vez ajuizada ação penal privada subsidiária da pública. assinale a opção correta. desde que este comprove a pobreza e os demais requisitos para assistência jurídica. no tocante ao direito de queixa.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. contanto que o faça antes do trânsito em julgado da sentença penal condenatória.2010 . ) No que concerne à ação penal.Q63645 ( Prova: CESPE . obsta que os sucessores representem. antes do oferecimento da representação. não se admite a renúncia tácita ao direito de queixa. na requisição. • a) Nos crimes de ação penal privada. fica vedada por completo a intervenção do MP. prevalecerá a decisão destes. salvo quando a lei declare expressamente os casos em que deve ser de iniciativa pública. ) No que diz respeito à ação penal pública condicionada à requisição do ministro da Justiça. para propositura de ação penal pública condicionada. b) A requisição do ministro da Justiça impõe ao MP o dever de ofertar denúncia.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. contado do dia em que o ministro da Justiça vier a saber quem é o autor do crime. assinale a opção correta. e) A morte do ofendido. c) Para oferecer queixa. • • • • 67 . d) A renúncia na ação penal privada ocorre após a instauração da ação penal e extingue a punibilidade do réu. b) Havendo conflito entre os interesses do menor de idade ofendido e de seus representantes legais. c) A definição jurídica do fato delituoso feita pelo ministro da Justiça.DPU . b) No sistema criminal brasileiro. vincula o juiz criminal que irá julgar a causa.

é indispensável a requisição do ministro da Justiça. na forma expressa da legislação processual de regência. caso o chefe imediato da repartição não o faça. é condição de procedibilidade. ) Em relação à ação penal privada. é indispensável a representação do chefe do órgão público lesado. para início da investigação policial e para que o MP possa oferecer denúncia. ocorrerá a perempção. por intermédio de seu representante legal. agente da conduta delituosa. contra qual deseja oferecer a queixa-crime. na ação penal pública condicionada.Q63643 ( Prova: CESPE . para produzir seus efeitos legais.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. • • • • 70 . poderá representar para deflagração da persecução penal. • • • • .• d) Nos crimes contra o patrimônio da União. em relação a um dos autores do crime. A respeito dessa situação hipotética. b) O querelante poderá optar. informações sobre o ocorrido.2010 . poderá o chefe da repartição perdoar o servidor. e) Considera-se perempta a ação penal privada quando um dos sucessores do querelante perdoar o autor da infração penal e este aceitar o perdão. devendo constar do instrumento do mandato o nome do querelado e a menção do fato criminoso. assinale a opção correta. c) Com a ação penal em tramitação. d) A queixa poderá ser dada por procurador com poderes especiais.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. e) A requisição do ministro da justiça. d) A própria pessoa jurídica de direito público. assinale a opção correta. por escrito. não se estende aos demais agentes da infração penal e. apropriouse de dois computadores da repartição em que trabalhava. • a) Há aceitação legal tácita do perdão no que diz respeito ao querelado mentalmente enfermo ou retardado mental e aos menores de idade. apontando a autoria e os demais elementos de convicção.Q63644 ( Prova: CESPE . depende de aceitação. sendo crime de ação penal pública incondicionada. • 69 . ) Um servidor público federal. caso o MP deixe de promover o andamento do processo durante trinta dias seguidos.DPU . e) Caso os bens sejam restituídos. entre os autores da infração penal.DPU . fornecendo-lhe. o que impede a propositura da ação penal. qualquer pessoa do povo pode provocar a iniciativa do MP.2010 . c) A renúncia ao exercício do direito de queixa. de forma dolosa. • a) Na situação em questão. b) Nessa situação.

ao arquivamento e aos princípios processuais.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. • ( ) Certo ( ) Errado 73 . c) prescrição da pretensão executória.Q61205 ( Prova: FCC . b) prescrição da pretensão punitiva.MPE-RR .B 71 . interpor recursos. ou aos seus sucessores.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. d) perempção. ) .E 69 . podendo propor meios de prova. ) Julgue os itens que se seguem. ) A legislação processual penal contempla tanto hipóteses de substituição processual quanto de sucessão processual.D 67 . • ( ) Certo ( ) Errado 72 .D 64 .A 68 . ainda. mas. será imprescindível demonstrar que promoveram sua habilitação como assistentes antes de ser proferida a sentença.2009 .2008 .MPE-RR . e) preclusão.2010 . O ofendido ou seu representante legal poderão oficiar como assistentes de acusação.TRE-RS .TRF .B 66 . ) A penalidade imposta ao querelante. apresentar perguntas às testemunhas. 74 .E 63 .Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.5ª REGIÃO .B 62 .2008 .Analista Judiciário .Q61332 ( Prova: CESPE .D 70 .C 65 .Q61333 ( Prova: CESPE .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. nesse caso. em virtude do desinteresse em prosseguir na ação penal privada. denomina-se • • • • • a) decadência.Q60517 ( Prova: CESPE . relativos à ação penal. Poderão.GABARITOS: 61 . participar dos debates orais e arrazoar os recursos apresentados pelo Ministério Público.

é aquela cuja titularidade compete exclusivamente ao ofendido. • a) A companheira. porém. é possível ao juiz afastar. c) O falecimento do querelante acarreta. tem legitimidade ativa para prosseguir na ação. conforme súmula do STF. não tem legitimidade ativa para prosseguir na ação. considerando a hipótese de ter havido o falecimento do querelante durante o andamento de ação penal privada.Q60453 ( Prova: VUNESP . o dispositivo da lei dos crimes contra a economia popular que previa o recurso de ofício em caso de arquivamento do inquérito policial. II De acordo com o entendimento do STF. ) Assinale a alternativa correta. A quantidade de itens certos é igual a • • • • • a) 1.2009 . o trancamento da ação penal privada. simples erro de direito na tipificação da imputação de fato idoneamente formulada. que. não mais subsiste no ordenamento jurídico pátrio a ação penal personalíssima.TJ-SP . se houver.Com relação ao direito processual penal. I Com as recentes alterações do CPP. motivo pelo qual a doutrina qualifica tal espécie de ação penal como secundária. ficando tacitamente revogados todos os dispositivos que o previam. c) 3. que vivia em união estável com o falecido. quando praticado com emprego de violência real será. o MP. b) A companheira. à vista dos elementos indiciários de prova que lhe forem fornecidos. mesmo que eles não sejam nomeados pela vítima. • • . de ação penal pública incondicionada. como. antes da sentença. na denúncia.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. embora vivesse em união estável com o falecido. as consequências processuais ou procedimentais decorrentes do equívoco e prejudiciais ao acusado. tem plena liberdade de denunciar todos os implicados no evento delituoso. III O crime de estupro submete-se à ação penal exclusivamente privada. sem antecipar formalmente a desclassificação. de imediato. o recurso de ofício foi revogado. V Na ação penal pública condicionada. julgue os itens a seguir. b) 2. conforme conceito doutrinário. desde que feita a representação pelo ofendido. d) 4. IV Com a revogação da tipificação legal do crime de adultério. 75 . e) 5. necessariamente. por exemplo. sendo o exercício vedado até mesmo ao representante legal. não havendo previsão de sucessão por morte ou ausência.

e) Na ação penal privada . • a) Pessoas jurídicas poderão ingressar com ação penal privada. d) anular a ação penal por ilegitimidade passiva ad processum. assinale a opção correta. • a) Nos termos do princípio da oficialidade. a titularidade da persecução é do ofendido ou de seu representante legal. ) Verificado no curso da ação penal que o acusado era menor de 18 anos à data do fato delituoso. caso haja . c) declará-lo isento de pena em razão de sua inimputabilidade. contados a partir do momento em que o ofendido ou seu representante legal tiver conhecimento de quem é o autor da infração penal.Q60343 ( Prova: VUNESP .Analista Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TJ-SP . d) A representação é condição essencial para o regular desenvolvimento da ação penal pública condicionada proposta pelo MP. podendo ser oferecida até o recebimento da denúncia ou no prazo máximo de seis meses. 76 . 77 .2010 . somente o órgão de acusação do Estado poderá ingressar com ação penal pública. No entanto.DPU . é indispensável o inquérito policial ou a investigação administrativa.Q57151 ( Prova: CESPE . oferecendo denúncia. devendo ser representadas por quem os respectivos contratos ou estatutos designarem. cumpre • • • • a) absolvê-lo.DPU .que poderá ser intentada. b) Na ação penal pública condicionada.Analista Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q57152 ( Prova: CESPE .• d) O falecimento do querelante só acarreta o trancamento da ação penal privada se o querelado assim o requerer. a qualquer tempo.2008 . b) decretar a extinção de sua punibilidade. c) A ação penal pública condicionada à requisição do ministro da Justiça submete-se ao prazo decadencial de seis meses para exercício da requisição. enquanto não estiver extinta a punibilidade -. • • • • 78 . nela poderá haver retratação da representação até a prolação da sentença penal. ) A respeito da ação penal pública condicionada e da ação penal privada.2010 . ) Assinale a opção correta com relação à ação penal e aos seus princípios.Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

haverá interesse de agir do Estado na persecução penal.Prova 2 / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. a propor a ação penal em face do agressor. os mesmos efeitos.Q57150 ( Prova: CESPE . o querelante não poderá mais dela desistir ou retratar-se. b) O interesse de agir. em ambas. sempre que ocorrer um crime. indicativo da autoria e da materialidade da infração penal. Desse modo. assinale a opção correta. em qualquer hipótese. em qualquer hipótese. • a) As chamadas condições de procedibilidade.inércia ou desídia do órgão de acusação.BACEN .Procurador . que constitui condição da ação penal. Contudo. a legitimidade ativa para persecução penal em juízo.Q56848 ( Prova: FCC . c) No sistema jurídico brasileiro. • • • 79 . • b) Na ação penal pública. ocasionando. O juiz julgará improcedente o pedido constante na ação penal. c) Os princípios da conveniência e oportunidade são peculiares da ação penal privada. sob pena de ofensa ao princípio da legalidade estabelecido na Constituição Federal de 1988.DPU . e) O princípio da obrigatoriedade da ação penal pública impõe ao órgão estatal de acusação o dever de oferecer denúncia em todos os casos em que o fato amolde-se à figura típica descrita na norma penal. uma vez intentada a ação penal. está sempre presente em todas as infrações penais.2006 . • • • • 80 . é prevista de forma expressa no Código de Processo Penal (CPP) e consubstancia-se no lastro probatório mínimo e firme. ) A ação penal privada subsidiária da pública . obrigando-o. por expresso dispositivo constitucional. e) A justa causa. como condição da ação penal.2010 . ) No tocante às condições da ação penal. uma vez que somente o Estado é o titular da persecução penal em juízo. d) O princípio da indivisibilidade da ação penal possui incidência tanto na ação penal privada quanto na pública. constituem situações específicas a serem atendidas antes da propositura de todas as ações penais públicas condicionadas. poderá o juiz designar advogado para atuar como promotor no caso concreto e este poderá oferecer denúncia. para a doutrina. encontra-se somente nas mãos do MP. vige o princípio da indisponibilidade da ação penal o que impede o MP. após a instrução do processo. d) A possibilidade jurídica do pedido diz respeito à previsão legal do tipo e da sanção a ser aplicada ao réu e requerida pelo autor da ação penal.Analista Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. como condição da ação penal. de pedir a absolvição do réu. caso o fato narrado não se ajuste ao tipo descrito pelo autor.

b) não precisa expor o fato criminoso com todas as suas circunstâncias.DPE-MT . c) é espécie de ação penal privada prevista no Código de Processo Penal e na Constituição Federal em que se admite acusação privada em crime de ação pública.B 76 . mas tem sido admitida pela jurisprudência para superar a inércia do Ministério Público em oferecer acusação em crimes de ação pública.C 73 . • • • • GABARITOS: 71 . nela se admite a desistência do processo pelo Ministério Público em caso de desídia do querelante. ) A ação penal .D 77 .E 80 .2009 .Q56664 ( Prova: FCC .C 81 . deve ser subscrita pelo advogado desta. e. por isso.Q56663 ( Prova: FCC .Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) A denúncia • a) nos crimes de ação pública condicionada à representação da vítima. • • • • 82 .A 78 .2009 . se o Ministério Público deixa de acusar no prazo legal.E 79 . d) é espécie de ação penal privada prevista somente no Código de Processo Penal e não na Constituição Federal em que se admite acusação privada em ação pública. d) pode ser rejeitada liminarmente pelo juiz.Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. nela se admite a retratação e o perdão. e. por isso.C 75 .• a) é prevista no Código de Processo Penal e é regida pelos mesmos princípios das demais espécies de ação penal privada. c) só poderá ser oferecida pelo Ministério Público se estiver embasada em inquérito policial. e) pode ser substituída por portaria judicial quando ocorrer inércia do Ministério Público e houver risco de prescrição da pretensão punitiva. e) não é prevista no Código de Processo Penal ou na Constituição Federal.DPE-MT .D 74 . Denúncia e Queixa. porque isso já consta do inquérito e do relatório da autoridade policial. se o Ministério Público requerer arquivamento do inquérito policial. b) é prevista na Constituição Federal e é regida pelos princípios da ação penal pública.E 72 .

2010 . • • • • • a) prescrição e perempção. e) privada. b) o perdão.TJ-PI . d) pública condicionada à representação da vítima será julgada extinta se esta se retratar antes da sentença. respectivamente. . quando o ofendido for declarado ausente por decisão judicial.2005 . ) A perda do direito de representar ou de oferecer queixa. descendente ou irmão. causada pela inércia processual do querelante. b) nas contravenções penais será iniciada por portaria expedida pela autoridade policial. c) prescrição e decadência. c) ocorre a perempção caso o querelante deixe de promover o andamento do processo durante sessenta dias seguidos. configuram.Q55725 ( Prova: FCC .• a) privada subsidiária da pública poderá ser proposta pelo ofendido ou seu representante legal quando o juiz deferir pedido de arquivamento tempestivamente formulado pelo Ministério Público. d) o querelante pode optar pela propositura da queixa no foro de residência do querelado. • • • • 84 . em razão do decurso do prazo fixado para o seu exercício. e) só é admitida renúncia expressa. para ser reconhecido como causa de extinção da punibilidade. b) perempção e decadência. ascendente. d) decadência e perempção. ) Na ação penal de iniciativa privada • a) o prazo de seis meses para a propositura da queixa começa a fluir da data do fato delituoso. e o de continuar a movimentar a ação penal privada. poderá ser intentada por seu cônjuge. c) pública será instaurada por denúncia do Ministério Público. que dela poderá desistir se convencer-se da inocência do acusado. e) decadência e prescrição. depende da aceitação do querelado. • • • • 83 .PGE-SE .Assessor Jurídico / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q55886 ( Prova: FCC .Procurador de Estado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

na falta de ambos. e ambos bilaterais. • • • 87 . descendente ou irmão.Q53819 ( Prova: FCC . c) são oferecidos antes e depois da queixa.Técnico Judiciário / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) A ação penal privada subsidiária da pública pode ser ajuizada pelo ofendido ou por quem tenha qualidade para representá-lo se • • • • • a) não concordar com os termos da denúncia apresentada pelo Ministério Público.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.1ª REGIÃO . e) a ação penal pública não for intentada no prazo legal. é correto afirmar que • a) podem ser oferecidos para apenas um dos querelados.TRF . na falta de ambos. será nomeado um advogado para exercer a função de curador especial. na hipótese de haver mais de um pólo passivo.Q52868 ( Prova: CESGRANRIO . e) apenas ao cônjuge e ao descendente e. ) Em relação aos institutos da Renúncia e do Perdão da Ação Penal Privada. b) são sempre oferecidos depois da queixa. d) o Ministério Público tiver devolvido o inquérito à polícia para novas diligências.85 . respectivamente. falecendo a vítima. • • . será nomeado um advogado para exercer a função de curador especial.2006 .Analista Judiciário .2008 . o direito à representação passará • • a) ao cônjuge.TRE-SP .Analista Judiciário . ) Nos crimes em que se procede mediante ação penal pública condicionada a representação. na falta deles. b) o Ministério Público tiver requerido o arquivamento do inquérito policial. será nomeado um advogado para exercer a função de curador especial.Q53097 ( Prova: FCC . ascendente ou descendente e. c) a denúncia apresentada pelo Ministério Público for rejeitada pelo Juiz. b) ao Representante do Ministério Público.2006 . mas o primeiro unilateral e o segundo bilateral. c) apenas ao cônjuge e ao ascendente e.TJ-RO . que poderá ajuizar ação penal imediatamente. ascendente. 86 .Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. d) apenas ao cônjuge.

MPE-RN . • • • • 89 . se esta não for intentada no prazo legal. d) Quando a ação penal for privativa do ofendido.Q51507 ( Prova: FCC .2010 . c) O órgão de Ministério Público não pode promover a ação penal sem estar embasado em inquérito policial. a ação penal pública. d) Nos crimes de ação privada.Advogado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. nomeará advogado para promover a ação penal. b) Ao ofendido ou a quem tenha qualidade para representá-lo caberá intentar. ) . descendente ou irmão. a representação será irretratável depois de oferecida a denúncia.Q52579 ( Prova: FCC . e) Na ação penal pública condicionada. e ambos unilaterais. a requerimento da parte que comprovar a sua pobreza.2010 . e) são oferecidos antes e depois da queixa. ) A respeito da ação penal. ) As questões de números 41 a 50 referem-se a Noções de Direito Processual.METRÔ-SP . respectivamente.Q51506 ( Prova: FCC . o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação passará ao cônjuge. mas o primeiro unilateral e o segundo bilateral. a queixa não poderá ser aditada pelo Ministério Público. respectivamente.MPE-RN . 88 . é correto afirmar: • a) A renúncia ao exercício do direito de queixa em relação a um dos autores do crime não se estenderá a todos.lo caberá intentar a ação privada. b) No caso de morte do ofendido ou quando declarado ausente por decisão judicial.Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.2008 . com exclusividade. é INCORRETO afirmar: • a) A mulher casada não poderá exercer o direito de queixa sem consentimento do marido. salvo quando estiver separada dele ou quando a queixa for contra ele. o juiz. ascendente. • • • • 90 .Agente Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) Ao ofendido ou a quem tenha qualidade para representá. e) Será admitida ação penal privada nos crimes de ação pública. Sobre a ação penal privada.• • d) são oferecidos antes e depois da queixa.

nos crimes de ação pública incondicionada.TJ-PA .A 87 . • a) Intentada a ação penal.B 84 . e) pelo Ministério Público. visando ao ressarcimento do dano.Analista Judiciário .TJ-DF . categoricamente. qualquer que seja o crime. e) Não obstante a sentença absolutória no juízo criminal. • • GABARITOS: 81 . reconhecida a inexistência material do fato.Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. sempre e em qualquer hipótese.2008 . • ( ) Certo ( ) Errado . privativamente. ) Assinale a afirmativa incorreta. b) pelo Ministério Público.E 91 .Q51131 ( Prova: CESPE . ) Acerca da ação penal e suas espécies. c) É cabível a indenização ao dono de animal que é morto em quintal da casa do seu proprietário por pessoa que invade o mencionado quintal para fugir de roubo. pelo Ministério Público mediante representação. c) pelo ofendido ou.D 82 .2008 .A ação penal será promovida • • • a) pelo juiz. em qualquer hipótese. se este preferir. • • • • 92 . Da Ação Civil. Nos crimes sujeitos à ação penal pública condicionada.E 86 .Q51449 ( Prova: FGV . poderá suspender o curso do processo civil. no caso de falecimento desta. b) Não faz coisa julgada no cível a sentença penal que reconhecer ter sido o ato praticado em estrito cumprimento de dever legal.D 85 . a ação civil poderá ser proposta quando não tiver sido.Área Judiciária .E 83 .A 90 .E 89 .E 88 .Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. o juiz da ação civil. julgue os itens seguintes. d) pelos familiares da vítima. se o Ministério Público não a promover no prazo legal. d) A decisão que julga extinta a punibilidade do crime não impede a propositura da ação civil. a representação do ofendido poderá ser retratada até a sentença irrecorrível.

TJ-DF . não competirá intervir em todas as fases do processo. uma vez que a CF veda o anonimato. não podendo ser encaminhada à autoridade policial.Área Judiciária . sendo proibido à autoridade policial iniciar investigação com base em informações apócrifas. nem recorrer da sentença absolutória.2009 . ) Na ação penal privada subsidiária.2009 . • ( ) Certo ( ) Errado 94 . b) a negligência do querelante não causa a perempção. ) Quanto à notitia criminis. oferecida a queixa. • a) É o conhecimento da infração penal pelo MP. a ação penal será sempre pública. d) O conhecimento pela autoridade policial da infração penal por meio da prisão em flagrante do acusado denomina-se notitia criminis de cognição coercitiva.2007 . dos estados e(ou) dos municípios.Q49556 ( Prova: FCC .2008 . titular da ação penal pública. c) O conhecimento pela autoridade policial da infração penal por meio de suas atividades rotineiras denomina-se notitia criminis de cognição mediata. nem oferecer denúncia substitutiva. devendo o Ministério Público retomar a ação como parte principal.Q48792 ( Prova: CESPE . d) é incabível o seu aditamento pelo Ministério Público para acrescentar circunstâncias nela não expressas. assinale a opção correta.MPU . e) ao Ministério Público. • • • • 96 .PC-PB .Analista Judiciário .Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) . • • • • 95 .Agente de Investigação e Agente de Polícia / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. b) O conhecimento pela autoridade policial da infração penal por meio de requerimento da vítima denomina-se notitia criminis de cognição imediata.Processual / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q49305 ( Prova: CESPE . ) Qualquer que seja o crime.la inepta. c) o Ministério Público não pode produzir prova. e) Não se reconhece a figura da notícia anônima.Q51130 ( Prova: CESPE . não sendo parte.Analista . se for praticado em detrimento do patrimônio ou interesse da União.DPE-AL .93 . • a) o Ministério Público não pode repudiá-la por entendê. Da Ação Penal.Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.

contados da data dos fatos.BACEN . entende-se que o direito de requerimento de instauração de inquérito policial deve ser exercido no mesmo prazo do direito de queixa. ou seja. titularizam o ius puniendi em nome do Estado. ) Assinale a alternativa que justifica corretamente qual o prazo para o ofendido ou o seu representante legal requerer a instauração de inquérito policial. dessa forma.2008 . II O vício de legitimidade leva à carência da ação e. desde que tal medida seja requisitada pelo ministro da Justiça. ) Acerca da ação penal. à ação civil ex delicto. d) II e V.Julgue os itens seguintes quanto à ação penal. assim.Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. Da Ação Penal.2009 .DPE-MS . entende-se que o direito de requerimento de instauração de inquérito policial deve ser • . • ( ) Certo ( ) Errado 97 . é causa de nulidade absoluta. julgue os itens seguintes. b) O Código de Processo Penal não disciplina expressamente a respeito e. c) II e III. a representação do ofendido poderá ser apresentada até ocorrer a decadência que extinguiria a punibilidade. • a) O Código de Processo Penal não disciplina expressamente a respeito e. o habeas corpus pode trancar ação penal cujo pedido seja juridicamente impossível. III Uma vez instaurado. 3 meses. o MP deixa de promover o andamento do processo durante trinta dias seguidos. Considera-se perempta a ação penal pública condicionada quando. no processo penal. 98 . b) I e IV. assim. que. V A ação pública de ofício só pode ser iniciada por flagrante ou por portaria da autoridade policial ou judicial. e) IV e V. Estão certos apenas os itens • • • • • a) I e III.Defensor Público / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. Prazos. à jurisdição e à competência. IV Na ação pública condicionada.Q48067 ( Prova: VUNESP .Q48667 ( Prova: CESPE . após seu início. quando o crime for de alçada privada. I Somente lei expressa pode estabelecer a legitimação extraordinária do ofendido ou de terceiro.

d) O Código de Processo Penal dispõe expressamente que o direito de requerimento de instauração de inquérito policial deve ser exercido no prazo de 6 meses. d) Ação penal secundária é aquela em que a lei estabelece um titular ou uma modalidade de ação penal para determinado crime. conforme disposição expressa do Código de Processo Penal. o ofendido. cabe à parte provocar a prestação jurisdicional. contados da data em que o crime ocorreu.2009 . contados da data dos fatos. • a) O princípio da par conditio significa que o juiz forma sua convicção pela livre apreciação da prova produzida em contraditório judicial. ressalvadas as provas cautelares. descendente ou irmão. Da Ação Penal.Q46519 ( Prova: FCC . sendo vedado ao juiz agir de ofício. nova espécie de ação para aquela mesma infração. mediante o surgimento de circunstâncias especiais. contados da data em que se souber quem foi o autor do crime. não repetíveis e antecipadas. ) Sobre ação penal. e) No caso de morte do ofendido ou quando declarado ausente por decisão judicial. 6 meses. ou seja. especialmente quanto a questões probatórias.exercido no mesmo prazo do direito de queixa. assinale a opção correta. é INCORRETO afirmar: • a) Tanto na ação penal pública condicionada à representação do ofendido quanto na condicionada à requisição do Ministro da Justiça. mas.2006 . sendo-lhe vedado fundamentar sua decisão exclusivamente nos elementos informativos colhidos na investigação.Procurador de Estado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. secundariamente. em relação a um dos autores do crime. • 99 . c) Em regra. admite-se a retratação até o recebimento da denúncia. ascendente. decai no direito de queixa ou de representação. contado da data do crime. b) Pelo princípio da iniciativa das partes.PGE-RR . • • • • 100 . se não o exercer dentro do prazo de seis meses. a todos se estenderá. ou seu representante legal.Q47799 ( Prova: CESPE . o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação penal privada personalíssima passa ao cônjuge. • c) O Código de Processo Penal dispõe expressamente que o direito de requerimento de instauração de inquérito policial deve ser exercido no prazo de 3 meses. prevê.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Princípios Gerais do Processo Penal. b) A renúncia ao exercício do direito de queixa.TRE-MA . • .Analista Judiciário . ) Em relação aos princípios gerais de direito processual penal e à ação penal.

com apenas 15 anos de idade. d) Em caso de ação penal privada subsidiária da pública. isto é. após iniciada a ação penal privada. ) Nos casos em que somente se procede mediante queixa. se não o exercer dentro do prazo de 6 (seis) meses. e) for pessoa jurídica e esta se extinguir sem deixar sucessor.Q45969 ( Prova: UESPI .A 101 .E 97 . Nesse caso.B 95 . do escândalo provocado pelo ajuizamento da ação penal.C 94 .B 92 . foi vítima de crime de ação penal pública condicionada à representação.2008 .Procurador de Estado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. sem motivo justificado. • • . 39 do Código de Processo Penal. o Ministério Público poderá oferecer denúncia substitutiva. em razão do strepitus iudicii. a qualquer ato do processo a que deva estar presente. em regra. deverá seu representante legal oferecer queixa.PC-PI . c) sendo a vítima menor de idade. não será considerada perempta a ação penal quando o querelante • a) deixar de promover.E 93 .Delegado / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. o andamento do processo durante trinta dias seguidos.D 100 .C 98 .PGE-CE . d) deixar de apresentar o rol de testemunhas na queixa-crime. mas apenas na forma escrita. • • GABARITOS: 91 . contado do dia em que vier a saber quem é o autor do crime. • • • • 102 . considerar-se-á perempta a ação penal quando o querelante deixar de formular o pedido de condenação em alegações finais.B 99 .Q46343 ( Prova: CESPE .• c) Nos casos em que somente se procede mediante queixa. pode-se dizer que: • a) a representação deve ser oferecida por seu representante legal. e) Segundo o Código de Processo Penal.D 96 . b) a jurisprudência dominante entende que basta a demonstração inequívoca do interesse na persecução criminal para que se entenda por exercido o direito de representação. b) deixar de comparecer.2009 . c) deixar de formular o pedido de condenação nas alegações finais. ) David. o ofendido decairá do direito de queixa. a teor do que prescreve o art.

pelo lugar em que for praticado o último ato de execução. d) A competência é. e) se a vítima estiver representada por advogado. a partir de então. e) o oferecimento de representação é condição necessária ao ajuizamento da ação penal pelo Ministério Público. determinada pelo lugar em que se consumar a infração. antes do recebimento da denúncia e ouvido o Ministério Público. assinale a opção correta a respeito de inquérito policial.Q45933 ( Prova: FCC . • • • • 104 .2009 . cujas ações penais sejam condicionadas à representação da ofendida. em seu lugar. ou. Da Ação Penal. • 103 . b) Nas ações penais públicas condicionadas à representação.Técnico Administrativo / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Analista Judiciário . • a) se a vítima manifestar a intenção de renunciar ao direito de representação na fase do inquérito. c) O Ministério Público não poderá repudiar ação penal privada subsidiária da pública e. • a) Qualquer pessoa do povo que tiver conhecimento da existência de crime de ação penal pública poderá comunicar o fato à autoridade policial. no caso de tentativa. a qual fica obrigada a instaurar o inquérito respectivo. em audiência especialmente designada com tal finalidade. oferecer denúncia substitutiva. porque este. o inquérito policial pode ser instaurado sem representação do ofendido ou de seu representante legal. de regra. em qualquer fase do processo. desde que a parte se comprometa a juntar a representação antes da apresentação do relatório final. em favor da harmonia da vida em comum.2010 . passa a ter o direito de obter um pronunciamento judicial sobre a acusação. b) a vítima poderá renunciar ao direito de representação a qualquer momento. d) só será admitida a renúncia à representação perante o juiz.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Inquérito Policial. ) Nos crimes relativos à violência doméstica ou familiar contra a mulher. c) a renúncia à representação poderá ser feita perante o Ministério Público.MPE-AP . • • • .TRE-MT . ) Com base no Código de Processo Penal. a autoridade policial tomará por termo das suas declarações e ordenará o arquivamento. Da Competência.Q44611 ( Prova: CESPE . em nada condicionando a instauração de inquérito policial pelo Delegado de Polícia. a renúncia ao direito de representação perante a autoridade policial dependerá da sua anuência.• d) a representação é retratável até a citação do réu. ação penal e competência.

em virtude da disponibilidade que as rege. ) A respeito da ação penal pública. • a) iniciada a ação penal privada subsidiária. e admite. b) Considerando os efeitos jurídicos do perdão do ofendido. é correto afirmar que • • • • • a) pode ser instaurada pelo juiz de ofício. ) Assinale a opção correta com referência à ação penal e seus institutos.2009 .PGFN . c) A renúncia.2003 . para tanto. d) Considera-se perempta a ação penal privada se o querelante deixar de promover seu adequado andamento por dez dias consecutivos. todos os meios de prova.Q43566 ( Prova: FCC .Q41110 ( Prova: CESPE . dispensa a aceitação pelo ofensor e produz efeitos ipso jure. b) sendo o querelante pessoa jurídica. b) só pode ser instaurada mediante prévio inquérito policial. mesmo que tenha deixado sucessor.2010 . • • • • 107 . pode dela desistir. o perdão do ofendido.MPE-SE . • . pode ser tácita.Técnico do Ministério Público – Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q40844 ( Prova: ESAF . a competência regular-se-á pelo domicílio ou residência da vítima. 105 . • a) Nas ações penais privadas. não se admite perdão extraprocessual. d) a sua propositura cabe privativamente ao Ministério Público.Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. a empresa se extinguir sem deixar sucessor. nas ações penais privadas. conforme previsto no CPP. e) o Ministério Público. ) Considerar-se-á perempta a ação penal quando. e) Considera-se perempta a ação penal privada quando for querelante pessoa jurídica e esta se extinguir. 106 . c) depende sempre da representação do ofendido.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.MPE-SE . após a sua instauração.• e) Não sendo conhecido o lugar da infração. nos casos em que somente se procede mediante queixa. o querelante deixar de promover o andamento do processo durante trinta dias seguidos.

e) o cônjuge.2010 .• c) falecendo a vítima. o direito de perdão poderá ser exercido por ele ou por seu representante legal.2010 . cônjuge ou irmão. terá preferência. cônjuge. ascendente ou irmão. d) sobrevindo a incapacidade do querelante. para prosseguir no processo. III. o querelado será intimado a dizer. efeito em relação ao que o recusar. na ação penal pública condicionada à representação. III e IV.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. 109 . • • 108 .Q39664 ( Prova: FCC . está correto o que consta APENAS em • • • a) I. dentro do prazo de trinta dias. dentro do prazo de sessenta dias. ascendente. O perdão tácito admitirá todos os meios de prova.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. para prosseguir no processo. II. cônjuge.Q39667 ( Prova: FCC . IV. O perdão concedido a um dos querelados aproveitará a todos.4ª REGIÃO .TRF .Técnico Judiciário . dentro de três dias. ) Se comparecer mais de uma pessoa com direito de queixa. o querelante deixar de promover o andamento do processo durante vinte dias seguidos. qualquer das pessoas a quem couber fazê-lo. qualquer das pessoas a quem couber fazê-lo. descendente ou irmão. nessa ordem. descendente ou irmão. todavia. descendente. . Concedido o perdão. ao mesmo tempo.TRF . b) II e III. c) o descendente.Técnico Judiciário . II e III. não comparecer em juízo. ser cientificado de que o seu silêncio importará aceitação. produzirá efeito. havendo oposição do outro.4ª REGIÃO . devendo. ) Considere as seguintes assertivas sobre o perdão: I. se o aceita. e o perdão concedido por um. Se o querelante for menor de 18 e maior de 16 anos. e) iniciada a ação penal privada. d) o cônjuge. na ação penal privada subsidiária. mediante declaração expressa nos autos. ascendente. b) descendente. • • • • • a) o ascendente. De acordo com o Código de Processo Penal. c) I. não comparecer em juízo. ascendente ou irmão. sem que produza.

) Oferecida a representação pelo ofendido.D 106 . a titularidade é exclusiva do ofendido.2002 .Agente Federal da Polícia Federal Nacional / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Delegado de Polícia . o Ministério Público não é obrigado a intentar a ação penal pública condicionada à representação. • • a) o Código de Processo Penal permite a retratação até o recebimento da denúncia.Polícia Federal .Q39130 ( Prova: CESPE .Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q39129 ( Prova: CESPE . o delegado de polícia não poderá prender o autor do crime em flagrante sem a referida representação. • ( ) Certo ( ) Errado 113 .B 108 . ) Em relação à representação do ofendido.2004 . 110 .C 107 .2004 .D 104 . • ( ) Certo ( ) Errado GABARITOS: 101 .MPE-PE .Polícia Federal . Em crime de ação penal pública condicionada à representação. Na ação penal privada personalíssima.E 102 . não se transmitindo. aos seus herdeiros ou sucessores.B 103 .D 105 .Q39473 ( Prova: CESPE .D 109 . ) Com referência à ação penal. b) o Código de Processo Penal prevê prazo decadencial de seis meses. Denúncia e Queixa.Q38747 ( Prova: FCC . nos crimes de ação penal pública condicionada.D 110 . em caso de morte. julgue os itens que se seguem.2004 .Polícia Federal . contado a partir da data do fato.Regional / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.A 111 .Agente Federal da Polícia Federal Nacional / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. e) I e III. ) Acerca do direito processual penal. . julgue os itens que se seguem. • ( ) Certo ( ) Errado 112 .• • d) I e IV.

4ª REGIÃO . d) o Supremo Tribunal Federal e o Superior Tribunal de Justiça vêm adotando posição rigorosa quanto ao formalismo da representação. e) o Supremo Tribunal Federal fixou orientação de que os direitos de representação podem ser exercidos. b) Nos casos em que somente se procede mediante queixa. iniciada esta.Q38526 ( Prova: CESPE . é correto afirmar: • a) Seja qual for o crime.2010 .Procurador Federal / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. A renúncia ao exercício do direito de queixa e o perdão do ofendido. ) Julgue os itens subseqüentes à luz do direito processual penal. quando praticado em detrimento do patrimônio ou interesse da União. Estado e Município. c) A queixa na ação penal privativa do ofendido não poderá ser aditada pelo Ministério Público. quando representar. em relação a um dos autores do crime.2007 . no processo penal não se admite que. • • • • . • ( ) Certo ( ) Errado 115 .TRF . independentemente.Q38527 ( Prova: CESPE . ) Diversamente do que ocorre em relação ao processo civil. de acordo com o Código de Processo Penal. todavia. o querelante deixar de promover o andamento do processo durante 60 dias seguidos. se conhecidos. sob pena de haver renúncia tácita. sem que produza. no pólo ativo da ação penal privada.AGU . e) A aceitação do perdão fora do processo não poderá ser feita por procurador com poderes especiais.2007 .Q36869 ( Prova: FCC . • ( ) Certo ( ) Errado 116 .Procurador Federal / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) No que se refere à ação penal. a todos se estenderá. pelo ofendido ou por seu representante legal.• c) o ofendido precisa. indicar os nomes de todos os possíveis autores do crime. para efeito de apresentação de queixa.AGU . d) A representação será irretratável após o encerramento do inquérito policial.Analista Judiciário . considerar-se-á perempta a ação penal quando. efeito em relação ao que o recusar.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. a ação penal será pública. Denúncia e Queixa. • • 114 . em caso de morte da vítima. os familiares assumam o lugar dela.

117 - Q35309 ( Prova: CESPE - 2008 - STF - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Acerca das ações penais, julgue os itens que se seguem. Nas ações penais públicas condicionadas à representação, será esta irretratável, depois de oferecida a denúncia.

( ) Certo

( ) Errado

118 - Q35308 ( Prova: CESPE - 2008 - STF - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nas ações penais privadas, a renúncia ao exercício do direito de queixa em relação a um dos autores do crime aproveitará a todos, sem que produza, todavia, efeito em relação ao que o recusar.

( ) Certo

( ) Errado

119 - Q35307 ( Prova: CESPE - 2008 - STF - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nas ações penais privadas, considerar-se-á perempta a ação penal quando, iniciada esta, o querelante deixar de promover o andamento do processo durante 30 dias seguidos.

( ) Certo

( ) Errado

120 - Q33231 ( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) A respeito de ação penal, julgue os próximos itens. A possibilidade jurídica do pedido, como condição da ação penal, é exemplificada pela doutrina com a impossibilidade de se instaurar ação penal se o fato narrado na denúncia ou queixa evidentemente não constituir crime e com a impossibilidade de imposição de pena em caso de fato que, pela inicial, não é previsto na lei como crime.

( ) Certo

( ) Errado

GABARITOS: 111 - C 120 - C 112 - C 113 - E 114 - E 115 - E 116 - A 117 - C 118 - E 119 - C

121 - Q33230 ( Prova: CESPE - 2010 - AGU - Procurador / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) A respeito de ação penal, julgue os próximos itens. Com a reforma parcial do CPP, a ação penal pública incondicionada passou a se submeter ao princípio da indivisibilidade, de forma que não é possível aditar a denúncia, após o seu recebimento, para a inclusão de corréu.

( ) Certo

( ) Errado

122 - Q32146 ( Prova: TJ-SC - 2009 - TJ-SC - Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Assinale a alternativa INCORRETA:

a) Depende da aceitação do querelado a extinção da punibilidade pelo perdão do ofendido. b) No julgamento das apelações o Tribunal poderá proceder a novo interrogatório do acusado. c) O Ministério Público poderá desistir da ação penal. d) Não pode ser incluído na lista geral de jurados aquele que tiver integrado o Conselho de Sentença nos últimos 12 meses antecedentes à publicação daquela. e) No primeiro grau a carta testemunhável será requerida ao escrivão.

• •

123 - Q31748 ( Prova: FCC - 2004 - TRF - 4ª REGIÃO - Analista Judiciário - Área Judiciária Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nos crimes de ação penal privada,

a) o prazo de decadência do direito de queixa será interrompido pela instauração do inquérito policial. b) salvo disposição em contrário, o ofendido, ou seu representante legal, decairá do direito de queixa se não o exercer dentro do prazo de 6 meses, contados da data da consumação do delito. c) as pessoas jurídicas não poderão exercer o direito de queixa, pois esse direito é personalíssimo e privativo das pessoas físicas. d) o menor de 18 anos, a pessoa mentalmente enferma, ou deficiente mental, se não tiver representante legal, não poderá exercer o direito de queixa. e) no caso de morte do ofendido ou quando for declarado ausente por decisão judicial, o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação passará ao cônjuge, ascendente, descendente ou irmão.

124 - Q31166 ( Prova: FCC - 2001 - TRF - 1ª REGIÃO - Analista Judiciário - Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nos crimes de ação penal pública condicionada, em sendo o ofendido declarado ausente por decisão judicial, o direito de representação passará ao
• • • • •

a) curador especial indicado pela O.A.B. b) Ministério Público. c) cônjuge e aos herdeiros necessários, tão somente. d) curador de ausentes, nomeado pelo juiz. e) cônjuge, ascendente, descendente ou irmão.

125 - Q30564 ( Prova: VUNESP - 2009 - TJ-MT - Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nos casos em que somente se procede mediante queixa, considerar-se-á perempta a ação penal quando, tendo-se por perspectiva as hipóteses a seguir, o querelante
• • • • •

a) deixar de promover o andamento do processo durante 90 (noventa) dias. b) renunciar a pedir a punição do corréu. c) deixar de promover o andamento do processo durante 30 (trinta) dias. d) não souber do perdão extraprocessual concedido. e) expressamente deixar de pedir a notificação do réu

126 - Q30559 ( Prova: VUNESP - 2009 - TJ-MT - Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal; ) Nos crimes de ação privada, se comparecer mais de uma pessoa com direito de queixa, terá preferência, numa ordem legal estabelecida pelo artigo 31 do Código de Processo Penal,
• • • • •

a) o parente mais próximo na ordem de vocação sucessória. b) o cônjuge, que poderá prosseguir na ação penal. c) a figura do ascendente, em face dos vínculos fraternos. d) a figura do descendente, com o direito de apenas prosseguir. e) o representante legalmente constituído para o fim.

127 - Q30558 ( Prova: VUNESP - 2009 - TJ-MT - Juiz / Direito Processual Penal / Inquérito Policial; Da Ação Penal; )

2009 . designará outro órgão do Ministério Público para declará-la. designando outro órgão do Ministério Público para oferecê-la. ) É CORRETO afirmar que. ao invés de apresentar a denúncia. c) solicitará revisão da posição ao órgão do Ministério Público e. o juiz. constituindo condição de procedibilidade. d) o perdão do ofendido ao ofensor só é possível antes do início da ação penal. b) a renúncia ao direito de queixa por parte do ofendido maior de 21 anos não impede que seu representante legal possa exercitá-la. podendo este insistir no pedido de arquivamento. e) oferecerá a denúncia. ou insistirá no pedido de arquivamento. deixar de promover o andamento do processo durante 30 dias seguidos. 28 do Código de Processo Penal. fará remessa do inquérito ou das peças de informação ao procurador-geral. se este se recusar.Técnico Judiciário / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ao qual só então estará o Ministério Público obrigado a atender. se este se recusar.Q28038 ( Prova: FCC . • • • • 128 .TJ-MG . . e este • a) oferecerá a requisição para o oferecimento da denúncia. b) determinará ao órgão do Ministério Público o oferecimento da denúncia e. designará outro órgão do Ministério Público para declará-la. d) determinará ao órgão do Ministério Público a revisão da denúncia e. se o órgão do Ministério Público. É exercido pelo ofendido ou seu representante legal. II.Técnico Judiciário . ou insistirá no pedido de desistência. ou insistirá no pedido de desistência. designará outro órgão do Ministério Público para declará-la. ou insistirá no pedido de arquivamento. a representação é irretratável. c) o perdão do ofendido ao ofensor poderá ser processual ou extraprocessual. considere o seguinte: I.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Considerando-se o art. ao qual só então estará o juiz obrigado a atender. à luz do que determina o Código de Processo Penal no que concerne à ação penal de iniciativa privada. Depois de exercido. • • • 129 . requerer o arquivamento do inquérito policial ou de quaisquer peças de informação.Q28875 ( Prova: EJEF . • a) a perempção ocorrerá quando o querelante. ao qual só então estará o juiz obrigado a atender.2005 . designará outro órgão do Ministério Público para oferecê-la. após o início da ação. se este se recusar. ao qual só então estará o Ministério Público obrigado a atender.TJ-AP . no caso de considerar improcedentes as razões invocadas. ao qual só então estará o juiz obrigado a atender. ) No que se refere ao direito de representação previsto no Código de Processo Penal.

com a filha de treze anos de idade. ao flagrar ambos praticando relações sexuais.se pela renúncia do direito de queixa contra o excluído. que beneficiará a todos os ofensores. 130 . descendente ou irmão. pegou uma arma de fogo e levou João preso. face o acordo celebrado entre Maria e João. João. em vez de oferecer denúncia. e instaurou inquérito policial após decorrido o prazo decadencial para oferecimento da queixa. c) I. negligenciar no andamento do processo. II e III.Agente de Polícia / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. Está correto o que se afirma SOMENTE em: • • • • • a) I. e) Sendo encaminhadas ao magistrado peças contendo informações de crime de ação penal pública. • a) O representante legal do ofendido poderá ser autor da ação penal pública incondicionada quando o Ministério Público.III. d) I e IV. Esta. II e IV. ou quando declarada ausente por decisão judicial. contado da data em que o ofendido ou seu representante vier a saber quem foi o autor do crime. em virtude de perdão concedido expressamente. III e IV. O delegado liberou João. e) III e IV. No caso de morte da vítima. IV. poderá o juiz arquivá-las por ser manifesta e indiscutível a causa de exclusão da antijuridicidade. Nessa situação.Q16451 ( Prova: FUNIVERSA . b) I. Só pode ser exercido no prazo de 6 (seis) meses. desde que abra vista em seguida ao Ministério Público. requerer diligências complementares à autoridade policial. b) Considere a seguinte situação hipotética: Maria trabalhava como doméstica e morava nos fundos da casa de seu patrão.PC-DF . d) Tendo verificado o Ministério Público que foi proposta ação penal privada por meio de queixa dirigida a três dos quatro ofensores conhecidos. de permanência no emprego. passará ao seu cônjuge. deverá ser arquivado o inquérito. ) Assinale a alternativa correta. • • • • GABARITOS: . c) O juiz declarará perempta a ação penal quando o querelante ou o substituto processual do Ministério Público. João passou a molestar sexualmente a filha de Maria. deverá manifestar. ascendente. o que é denominada ação penal privada subsidiária.2009 . nos casos de ação penal privada subsidiária da pública.

Q14628 ( Prova: EJEF . o direito de representação poderá ser exercido pelo seu cônjuge. o direito de representação passará ao representante do Ministério Público. c) Prazo.B 127 . princípios e fundamentos: • • • • a) Da indivisibilidade. c) Da oportunidade. a forma e o destinatário. descendente ou irmão.2009 . ) No que diz respeito ao direito de representação.121 . e) No caso de morte do ofendido ou quando ausente do país. d) Da conveniência.E 130 .Juiz / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. devendo ser computado o dia do começo e excluído o dia final.D 122 . 132 .Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TJ-SE . é correto afirmar: • a) O prazo para exercício do direito de representação é de direito material.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Q13096 ( Prova: FCC . ascendente. d) Possibilidade jurídica do pedido.2009 . • • . d) A representação é condição necessária para o início da ação penal. b) Da indisponibilidade.E 128 .Analista Judiciário . que a parte seja legítima e que esteja presente condição de procedibilidade. porém somente na hipótese de incapacidade absoluta. prevalecem as seguintes normas.A 129 .C 126 .Analista Judiciário .TJ-MG .TJ-SE .C 123 . o direito de representação será exercido pelo seu representante legal.Q13097 ( Prova: FCC .A 131 .E 124 . b) Que o fato narrado constitua crime. c) Tratando-se de ofendido doente mental. b) Sendo a vítima menor de 18 anos. • • • • 133 . interesse de agir e legitimação para agir. Tratando-se de ação penal de natureza privada. ) Marque a opção INCORRETA. porém é dispensável para a instauração do inquérito policial. qualificação do acusado e prazo.E 125 . ) São condições da ação penal: • • a) Legitimação para agir.2009 .

indivisibilidade e oficialidade. c) dependerá de requisição do Ministério Público. e) o trânsito em julgado da sentença condenatória. nos autos da ação penal privada.TJ-PA . 136 .Analista Judiciário .2009 .Oficial de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) legalidade. d) a prolação da sentença. entre outros.TRE-PI . b) o interrogatório do querelado. ) A ação penal pública incondicionada.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Inquérito Policial.Analista Judiciário . Da Ação Penal.• e) A descrição do fato criminoso em todas as circunstâncias. 134 . 135 . a instauração do inquérito policial • • • • • a) só poderá ocorrer após a representação da vítima ou de seu representante legal. a classificação do crime e a qualificação do acusado.TJ-PA . é regida. ) A renúncia ao direito de queixa deverá ser manifestada até: • • • • • a) a coleta da prova testemunhal. b) obrigatoriedade.Q12820 ( Prova: FCC . b) dependerá de requisição da autoridade judiciária.2009 . narrando o fato delituoso com todas as suas circunstâncias. e) legalidade. nos autos da ação penal privada. . indisponibilidade e intranscendência.Oficial de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. oficialidade e oportunidade. ) Nos crimes de ação pública. pelos princípios da • • • • • a) disponibilidade. conveniência e intranscendência. d) poderá ser feita de ofício. oportunidade e intranscendência.Q12696 ( Prova: FCC . c) a instauração da ação penal privada. e) dependerá de requerimento escrito.2009 . excetuados os delitos de pequeno potencial ofensivo.Q12816 ( Prova: FCC .Analista Judiciário . d) obrigatoriedade.

Analista Judiciário . c) instaurada por portaria da autoridade policial. e) o trânsito em julgado da sentença condenatória.Q12694 ( Prova: FCC . c) renúncia. caso o direito de prosseguir na ação penal privada não seja exercitado dentro de 60 dias. ocorrerá a extinção da punibilidade em decorrência da • • • • • a) perempção.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.2009 . b) a instauração do inquérito policial.Analista Judiciário . d) decadência. 139 .2009 .2009 .2009 . ) Diante da morte do ofendido. 140 . ) Nos crimes de ação penal pública condicionada.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. b) prescrição da pretensão punitiva.TRE-PI .137 .Defensor Público / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TJ-PA .TJ-PA . c) o oferecimento da denúncia. 138 . e) instaurada por portaria do Secretário da Segurança Pública. a representação poderá ser retratada até • • • • • a) o interrogatório do réu.Analista Judiciário . ) A ação penal pública pode ser • • • • • a) promovida somente pelo Ministério Público.Q12627 ( Prova: FCC . d) a sentença condenatória definitiva. ) .Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.DPE-SP . e) retratação.Q12106 ( Prova: FCC .Q12628 ( Prova: FCC . d) instaurada de ofício pelo juiz. b) promovida pelo ofendido ou por seu representante legal.

2008 . c) conter obrigatoriamente o rol das testemunhas de acusação. e) a queixa poderá ser dada por procurador com poderes especiais.A 139 . ) A denúncia deve • • • • • a) ser sempre escrita.C 141 .Q12060 ( Prova: FCC .TRF-5R . c) for decretado segredo de justiça.2008 . inclusive quando do início da ação penal privada.Q12064 ( Prova: FCC .Analista Judiciário . ) Quando a ação penal for privativa do ofendido.D 137 .C 135 .A 133 . d) descrever o fato criminoso com todas as suas circunstâncias.D 134 . d) o acusado for pessoa idosa. • • • • • a) não cabe ao Ministério Público velar pela sua indivisibilidade. sem necessidade de requerimento ao juiz. a requerimento do Defensor Público. desde que requeira ao juiz.Analista Judiciário .Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) a queixa não poderá ser aditada pelo Ministério Público.TRF-5R . a pedido do Ministério Público. b) não cabe ao Ministério Público intervir nos atos e termos do processo. 142 .Existe previsão legal de prioridade no julgamento de ação penal se • a) alguma das partes for mulher em situação de violência.B 140 . b) forem discutidos direitos relativos a criança ou adolescente vítima de abuso sexual. e) o acusado for integrante de organização criminosa. b) estar necessariamente embasada em inquérito policial.E 136 .A 138 . • • • • GABARITOS: 131 . . d) o perdão concedido a um dos querelados não aproveitará os demais.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.D 132 . e) ser recebida ainda que já estiver extinta a punibilidade.

legitimação para agir e interesse de agir. c) possibilidade legal do pedido.MPE-PE . ou do ofendido. e) as circunstâncias do fato criminoso.2007 . b) maioridade. que são chamadas "condições da ação".143 . ) De conformidade com o Código de Processo Penal. coisa julgada e interesse de agir. d) do Ministério Público.2008 .MPE-PE . isto é. e) representação do ofendido. perempção e litispendência. de ofício. e) do Ministério Público. b) apenas do ofendido. d) a qualificação do acusado ou esclarecimentos pelos quais possa ser identificado. de acordo com o entendimento do Supremo Tribunal Federal. • • 145 . 144 . apenas. ) Na ação penal por crime contra a honra praticado contra funcionário público no exercício de suas funções. ) Para o regular exercício do direito de ação. mediante representação. são elas: • • • a) capacidade processual. No processo penal.Q11926 ( Prova: FCC . responsabilidade e litispendência. b) o rol de testemunhas. requisição do Ministro da Justiça e autoridade jurisdicional competente.Q11925 ( Prova: FCC . apenas. c) a exposição do fato criminoso. exige-se o preenchimento de algumas condições. ou do ofendido. a critério deste. c) concorrente. • • . a legitimidade é • • • a) do Ministério Público. mediante queixa-crime.2008 .Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Promotor de Justiça / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.TRE-SE . mediante queixa-crime. d) possibilidade jurídica do pedido.Analista Judiciário . NÃO se inclui dentre os requisitos obrigatórios da denúncia ou queixa • • • • • a) a classificação do crime. do Ministério Público mediante representação.Q8999 ( Prova: FCC .

Q8492 ( Prova: CESPE .Q8962 ( Prova: FCC . e) pública incondicionada. salvo disposição em contrário.2007 . c) pública.Q3925 ( Prova: FCC . Teresina. constitutiva e de reabilitação. já que não houve omissão do Ministério Público. ) Fernando Capez sustenta que o fundamento da ação penal privada é evitar que o escândalo do processo provoque ao ofendido mal maior que a impunidade do criminoso. Acerca da ação penal privada. o Estado retém consigo a titularidade do direito de punir. nesta última. subsidiária da ação penal pública. não se admite a legitimidade concorrente do ofendido para promover ação penal privada. razão pela qual não é cabível nos casos de crimes de ação penal privada. Rafael Lopes do Amaral. pública condicionada. c) O perdão do ofendido. b) de conhecimento. ou seu representante legal. privada. a ação deve ser pública condicionada à representação. assinale a opção correta. prevista no Código de Processo Penal. descabe o ajuizamento de ação penal privada. são espécies de ação penal: • • • • • a) pública condicionada.2007 . 147 . de conhecimento. A ação penal privada e os institutos da lei dos juizados especiais criminais. A diferença básica entre a ação penal pública e a ação penal privada seria apenas a legitimidade de agir.TSE . ) Nos crimes de Ação Penal Privada. seja expresso ou tácito.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ) Quanto à titularidade do direito de agir. In: Jus Navigandi. não permite a aplicação da analogia in bonam partem.2007 . de reabilitação e investigativa.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. • a) Quando o Ministério Público pede arquivamento da representação. privada e privada subsidiária. decairá no direito de queixa se não o exercer dentro do prazo de .º 765. todavia. declaratória.em ambos os casos. o ofendido. decorrente da não propositura da ação penal.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. ago.Analista Judiciário .TRE-MS ./2005 (com adaptações). é causa de extinção da punibilidade nos crimes que se apuram exclusivamente por ação penal privada e naqueles em que há ação penal pública incondicionada. extraordinariamente atribuída à vítima apenas devida a razões de política criminal . n. ano 9. b) Em crimes contra a honra praticados contra funcionário público propter officium. constitutiva e executiva. d) executiva. d) O benefício do sursis processual. • • • 148 .Analista Judiciário .º 9099/1995.Analista Judiciário . constitutiva. cautelar e declaratória.146 . Nesses casos.TRE-SE . previsto na Lei n.

TRF-3R . descendente ou irmão. sendo que se o marido recusar o consentimento. o direito de oferecer queixa passará. ) Quanto à queixa-crime é correto afirmar que • a) a mulher casada não poderá exercer o direito de queixa sem consentimento do marido. ) Quanto ao direito a representação do ofendido. d) doze meses. contado do dia em que for praticado o último ato de execução da infração penal. c) seis meses. contado do dia em que vier a saber quem é o autor do crime.Área Judiciária . b) pode ser exercido por procurador da vítima ou de seu representante legal com poderes especiais. prosseguindo-se nos demais termos do processo. passará ao cônjuge. o juiz poderá supri-lo. d) a queixa contra qualquer dos autores do crime não obrigará ao processo de todos. contado do dia em que vier a saber quem é o autor do crime.Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Área Judiciária / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. contado da data em que o órgão do Ministério Público receber os autos.Analista Judiciário .TRF-3R .Q3866 ( Prova: FCC . entender-se-á que não tem o que aditar. contado do dia em que for praticado o primeiro ato de execução da infração penal. é INCORRETO afirmar que • a) só pode ser exercido no prazo de seis meses. ao descendente e ao cônjuge. • • . contado do dia em que for praticado o último ato de execução da infração penal. • • • • 150 .Analista Judiciário . sucessivamente. contado do dia em que a vítima ou seu representante legal veio a saber quem é o autor do crime. se este não se pronunciar dentro do tríduo. c) a queixa.2007 . ao ascendente. e) doze meses. não poderá ser aditada pelo Ministério Público. e.Q3835 ( Prova: FCC . c) no caso de morte do ofendido ou quando declarado ausente por decisão judicial. • • • • 149 . e) no caso de morte do ofendido. ainda quando a ação penal for privativa do ofendido. salvo quando declarado ausente por decisão judicial. b) o prazo para o aditamento da queixa será de 3 dias. hipótese em que se declarará extinta a punibilidade do autor. ascendente.• a) seis meses. b) seis meses. salvo quando estiver dele separada ou quando a queixa for contra ele. mediante declaração escrita ou oral.2007 .

E 150 . ) Analise I.B 151 . irrenunciável. aceitação. mas não impede o Ministério Público de dar definição jurídica diversa da que dela constou. III. III.TRF-4R . devendo ser representadas por quem os respectivos contratos ou estatutos designarem ou.Analista Judiciário . d) II. 152 . associações ou sociedades.lo pode retirar a representação durante toda a tramitação da ação penal.Q1189 ( Prova: FCC .• d) as fundações.TRF-4R . podem exercer a ação penal.D 146 . II. O ofendido ou quem tenha qualidade para representá. ) Considere: I.C 145 . II. e) depois de oferecida a denúncia a representação só é retratável se for manifestada pelo ofendido ainda dentro do prazo decadencial. pelos seus diretores ou sócios gerentes.E 147 . depende é .Q1318 ( Prova: FCC .B 144 .2007 .lo pode renovar a representação após ter se retratado. b) I e II. e) II e III. no silêncio destes.Área Judiciária .A 148 . c) I e III.2007 .B 149 . sendo que a representação só será irretratável após a sentença.Técnico Judiciário . A representação do ofendido ou de quem tenha qualidade para representá-lo é condição de procedibilidade. O ofendido ou quem tenha qualidade para representá. Está correto o que consta SOMENTE em • • • • • a) I.E 142 . A O representação perdão O é direito será as irretratável unilateral de e depois não queixa de oferecida de a assertivas: denúncia. • GABARITOS: 141 . desde que não tenha ocorrido a decadência.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Execução de Mandados / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.D 143 .

posteriormente.2007 . e) III. b) I e II. c) não poderão apresentar queixa. b) não poderão apresentar queixa. em relação aos que o recusarem. produzindo efeitos. c) concedido a um dos querelados aproveitará a todos. b) só pode ser aceito pelo querelado. ainda que com poderes especiais. mas poderão interpor recurso ao juiz competente. através de queixa. d) poderão promover.Q1186 ( Prova: FCC . efeito em relação ao que o recusar. não podendo ser aceito por procurador. d) deve ser expresso em declaração assinada pelo ofendido. inclusive. não se admitindo perdão tácito. • • • • 154 . ainda que. o ofendido ou seu representante legal • a) só poderão apresentar queixa se o inquérito policial tiver sido instaurado por requisição judicial. • • • • .Q1185 ( Prova: FCC . e) concedido a um dos querelados só a este aproveitará. venha a ser pelo mesmo recusado. sem que produza.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. d) II e III.2007 . todavia.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. c) I e III. podendo apenas representar ao Procurador-Geral da Justiça. ) Se a ação penal pública incondicionada não for instaurada no prazo legal pelo Ministério Público.Técnico Judiciário . a ação penal privada subsidiária da pública.TRF-4R .TRF-4R . 153 .Técnico Judiciário .Está correto o que consta SOMENTE em • • • • • a) I. ) O perdão • a) concedido a um dos querelados aproveitará a todos. e) só poderão apresentar queixa se o delito for grave e punido com pena privativa de liberdade.

Q490 ( Prova: FCC . d) só pode ser feita sem prévia instauração de inquérito policial se houver representação por escrito do ofendido. ) A propositura da ação penal pública incondicionada através de denúncia do Ministério Público • a) depende de prévia instauração de inquérito policial para apuração da materialidade e autoria do delito.2007 .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.2007 . b) impede o Ministério Público de requisitar diligências à autoridade policial.TJ-PE . o exercício desta pelo ofendido ou por quem tenha qualidade para representá-lo • • • • • a) exclui o direito destes de exercerem a ação penal pública subsidiária.Técnico Judiciário .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. d) impede o Ministério Público de requerer o arquivamento do inquérito policial.Q1184 ( Prova: FCC . ) Quando a ação penal pública for condicionada à representação do ofendido. b) pode ser feita com base em meras peças de informação. 157 . d) denúncia do Ministério Público. ) A ação penal pública será promovida por • • • • • a) queixa do ofendido.TRF-4R .TJ-PE .Técnico Judiciário .Técnico Judiciário . e) só pode ser feita sem prévia instauração de inquérito policial se as peças tiverem sido encaminhadas pela autoridade judiciária. c) não torna obrigatório o oferecimento de denúncia pelo Ministério Público. sem necessidade de prévia instauração de inquérito policial. c) só pode ser feita sem prévia instauração de inquérito policial se houver requisição do Ministro da Justiça.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal. • • • • 156 . e) torna obrigatório o recebimento da denúncia oferecida pelo Ministério Público. e) requisição judicial.155 .2007 . . b) requisição do Ministro da Justiça. c) representação do ofendido.Q491 ( Prova: FCC .

d) cônjuge. b) a representação do ofendido. d) a existência de.Q434 ( Prova: FCC .Analista Judiciário .A 153 .TJ-PE . 159 . ao • • • • • a) descendente.158 . descendente. ascendente. c) descendente.2007 . de acordo com a ordem estabelecida pelo Código de Processo Penal.Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.Analista Judiciário . o direito de oferecer queixa ou prosseguir na ação penal privada passará.C 152 .D 155 . ascendente ou irmão.D 159 . GABARITOS: 151 .B 156 . • • • • • a) o inquérito policial. ascendente.2007 .Q435 ( Prova: FCC . ) Inclui-se dentre as condições de procedibilidade da ação penal pública condicionada. duas testemunhas do fato.D 157 . pelo menos. e) irmão. e) o boletim de ocorrência. descendente. b) ascendente. quando a lei o exigir.C 158 . descendente ou irmão. irmão ou cônjuge. c) o relatório da autoridade policial.C 154 . irmão ou cônjuge. ascendente ou cônjuge. cônjuge.TJ-PE .Área Administrativa / Direito Processual Penal / Da Ação Penal.B . ) Em caso de morte do ofendido.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful