Informação e documentação - trabalhos acadêmicos - apresentação: NBR 14724/2005. Rio de Janeiro: ABNT, 2005. 9 p.

DEFINIÇÕES Para os efeitos desta Norma, aplicam-se as seguintes definições: Dissertação: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou de um estudo científico retrospectivo, de tema único e bem delimitado em sua extensão, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações. Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) visando a obtenção do título de mestre. Tese: Documento que representa o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo científico de um tema único e vem delimitado. Deve ser elaborado com base em investigação original, Constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a coordenação de um orientador (doutor) e visa a obtenção do título de doutor, ou similar. Trabalhos acadêmicos – similares (trabalho de conclusão de curso – TCC, trabalho de graduação interdisciplinar – TGI e outros): Documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador ESTRUTURA A estrutura de tese dissertação ou de um trabalho acadêmico, compreende: elementos prétextuais, elementos textuais e elementos pós-textuais. Com a finalidade de orientar os usuários, a disposição de elementos é dada a seguir: Estrutura Elemento Capa (Obrigatório) Folha de rosto (obrigatório) Errata (Opcional) Folha de Aprovação (Obrigatório) Dedicatória (Opcional) Agradecimentos (Opcional) Epígrafe (Opcional) Resumo na Língua vernácula (Obrigatório) Resumo em língua estrangeira (Obrigatório) Sumário (Obrigatório) Listas de ilustrações Lista de abreviaturas e siglas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Introdução Desenvolvimento Conclusão Referências (obrigatório) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Glossário (opcional)

Pré Textuais

Textuais Pós-textuais

ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Os elementos pré-textuais antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização do trabalho, na ordem descrita nos elementos pré-textuais. Capa Elemento obrigatório, para proteção externa do trabalho e sobre o qual se imprimem as informações indispensáveis à sua identificação, na seguinte ordem: a) nome do autor; b) título; c) subtítulo, se houver; d) número de volumes (se houver mais de um, deve constar em cada capa a especificação do respectivo volume); e) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; f) ano de depósito (da entrega). Folha de rosto Elemento obrigatório, que contém os elementos essenciais à identificação do trabalho. Anverso da folha de rosto Os elementos devem figurar na seguinte ordem: a) nome do autor: responsável intelectual do trabalho; b) título principal do trabalho: deve ser claro e preciso, identificando o seu conteúdo e possibilitando a indexação e recuperação da informação; c) subtítulo: se houver, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título principal, precedido de dois pontos (:); d) número de volumes (se houver mais de um, deve constar em cada folha de rosto a especificação do respectivo volume); e) natureza (tese, dissertação e outros) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido, área de concentração; f) nome do orientador e, se houver, do co-orientador; g) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; e h) ano de depósito (da entrega) Verso da folha de rosto Deve conter a ficha catalográfica, conforme o Código de Catalogação Anglo-Americano – CCAA2 Errata Elemento opcional, que consiste em uma lista das folhas e linhas em que ocorrem erros, seguida das devidas correções. Apresenta-se quase sempre em papel avulso ou encartado, acrescido ao trabalho depois de impresso. A errata se houver deve ser inserida logo após a folha de rosto. O Texto da errata deve estar disposto da seguinte maneira: Exemplo: Folha Linha Onde se lê 32 3 publicacao Leia-se publicação

Folha de aprovação Elementos obrigatórios, que contém autor, título por extenso e subtítulo, se houver, local e data de aprovação, nome, assinatura e instituição dos membros componentes da banca examinadora. Dedicatória

Elemento opcional, onde o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho. Agradecimentos Elemento opcional, onde o autor presta homenagem ou dedica seu trabalho. Epígrafe Elemento opcional, onde o autor apresenta uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho. Podem também constar epígrafes nas folhas de abertura das seções primárias. Resumo na língua vernácula Elemento obrigatório, que consiste na apresentação concisa dos pontos relevantes de um texto. O resumo deve dar uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho, constituindo-se em uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, não ultrapassando 500 palavras, seguindo, logo abaixo, das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/ou descritores, conforme NBR 6028. Resumo de língua estrangeira Elemento obrigatório, que consiste em uma versão do resumo em idioma de divulgação internacional (em Inglês Abstract em castelhano Resumen em francês Résumé, por exemplo). Deve ser seguido das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/ou descritores, na língua. Sumário Elemento obrigatório, que consiste na enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho. Na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede, acompanhado do respectivo número da página. Havendo mais de um volume, em cada um deve o sumário completo do trabalho, conforme a NBR-6027. Lista de ilustrações Elemento opcional que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentado no texto com cada item acompanhado o do respectivo número da página. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros). Lista de abreviaturas e siglas Elemento opcional, que consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas nos textos, seguidas das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. Recomenda-se a elaboração de lista própria par a cada tipo Lista de símbolos Elementos opcionais, que deve ser elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com o devido significado. ELEMENTOS TEXTUAIS Parte do trabalho em que é exposta a matéria. Deve Ter três partes fundamentais: introdução, desenvolvimento e conclusão. Introdução Parte inicial do texto, onde devem constar as delimitações do assunto tratadas, objetivas da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho. Desenvolvimento

Partes principais do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções, que variam em função da abordagem do tema e do método. Conclusão (Considerações finais) Parte final do texto na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipóteses NOTA – É opcional apresentar os desdobramentos relativos à importância, síntese, projeção, repercussão encaminhamento e outros. ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Os elementos pós-textuais complementam o trabalho Referências Elemento obrigatório, que consiste em um conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual, conforme a NBR 6023, mesmo mencionados em notas de rodapé. Apêndice Elementos opcionais, que consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Exemplo: APÊNDICE A – Avaliação numérica de células inflamatórias totais aos quatro dias de evolução APÊNDICE B – Avaliação de células musculares presentes nas caudas em regeneração Anexo Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Exemplo: ANEXO A – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em Regeneração – Grupo de controle I (Temperatura...) ANEXO B – Representação gráfica de contagem de células inflamatórias presentes nas caudas em regeneração – Grupo de controle II (Temperatura...) Glossário Elemento opcional, que consiste em uma lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições; FORMAS DE APRESENTAÇÃO Formato Os textos devem ser apresentados em papel branco, formato A4 (21,0 cm x 29,7 cm) digitados ou datilografados no anverso da folha, exceto a folha de rosto. O projeto gráfico é

de responsabilidade do autor do trabalho. Recomenda-se para digitação, a utilização de fonte tamanho 12 para o texto e tamanho 10, para citações longas e notas de rodapé. Margem As folhas devem apresentar margem esquerda e superior de 3 cm, direita e inferior de 2,0 cm Espaço Todo texto deve ser digitado ou datilografado, com 1,5 de entrelinhas. As citações longas, as notas, as referências e os resumos em vernáculo e em língua estrangeira devem ser digitados ou datilografados em espaço simples. Os títulos das seções devem ser separados do texto que os procede ou que os sucede por uma entrelinha dupla (um espaço duplo ou dois espaços simples) Notas do rodapé As notas devem ser digitadas ou datilografadas dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples de entrelinhas e por filete de 3 cm, a partir da margem esquerda Indicativos de seção O indicativo numérico de uma seção procede seu título, alinhando à esquerda, separando por um espaço de caractere. Nos títulos, sem indicativo numérico, como lista de ilustrações, sumário, resumo, referências e outros devem ser centralizados, conforme a NBR 6024. Paginação Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas seqüencialmente, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2cm da borda direita da folha. No caso de o trabalho ser constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única seqüência de numeração das folhas, do primeiro ao último volume. Havendo apêndice e anexo, as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal. Numeração Progressiva Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho, deve-se adotar a numeração para as seções do texto. Os títulos das seções primárias, por serem as principais divisões de um texto, devem iniciar em folha distinta. Destacam-se gradativamente os títulos das seções, utilizando-se os recursos de negrito, itálico ou grifo e redondo, caixa alta ou versal, e outro, conforme a NBR 6024. Citações Menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte, conforme a NBR 10520. Abreviaturas e siglas Quando aparecerem pela primeira vez no texto, deve-se colocar seu nome por extenso, se acrescentado à abreviatura ou a sigla entre parênteses. Exemplo: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) Equações e fórmulas Aparecem destacadas no texto, de modo a facilitar a leitura. Na seqüência normal do texto, é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas do parágrafo são centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. Quando fragmentadas em mais de uma linha, por falta de espaço, devem der interrompidas antes do sinal de igualdade ou depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão.

Exemplo: x2+y2=z2 Ilustrações Figuras (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas, fluxogramas, esquemas, desenhos e outros) Elementos demonstrativos de síntese que constituem unidade autônoma e explicam ou complementam visualmente o texto. Qualquer que seja seu tipo, sua identificação aparece na parte inferior precedida da palavra Figura. Seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto em algarismos arábicos, do respectivo título e/ou legenda explicativa e da fonte, se necessário. As legendas das ilustrações devem ser breves e claras, dispensando consulta ao texto. Devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem. Tabelas Elementos demonstrativos de síntese que constituem unidade autônoma. As tabelas apresentam informações tratadas estatisticamente, conforme IBGE, 1993. Em sua apresentação: a) Têm numeração independente e consecutiva; b) O título é colocado na parte superior, precedido da palavra Tabela e de seu número de ordem em algarismos arábicos; c) As fontes citadas, na construção de tabelas, e notas eventuais aparecem no rodapé após o fio de fechamento; d) Casos sejam utilizadas tabelas reproduzidas de outros documentos, a prévia autorização do autor se faz necessária, não sendo mencionada na mesma; e) Devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se referem; f) Se a tabela não couber em uma folha, deve ser continuada na folha seguinte e, nesse caso, não é delimitada por traço horizontal na parte inferior, sendo o título e o cabeçalho repetidos nas folhas seguintes; g) Nas tabelas utilizam-se fios horizontais e verticais para separar os títulos das colunas no cabeçalho e fechá-las na parte inferior, evitando-se fios verticais para separar as colunas e fios horizontais para separas as linhas.

1 CITAÇÃO BIBLIOGRÁFICA
1.1 Conceito sobre a NBR-10520/2002
A NBR-10520, de acordo com a ABNT, foi criada especificamente para elaboração de citações bibliográfica e a última revisão ocorreu em agosto de 2002. A Associação reformulou a NBR-10520, e ela é a norma regida atualmente para padronização dos trabalhos acadêmicos e técnico-científicos. 1.1.1 Conceito

Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte. 1.1.2 Objetivo da NBR-10520

Fixar as condições exigíveis para padronização e coerência da seguridade das fontes indicadas nos textos dos tipos de documentos (ABNT, 2002). 1.2 Tipos de citação De acordo com a ABNT, as formas de citações mais conhecidas são: direta, indireta e citação de citação. 1.2.1 Citação direta, literal ou textual Citações diretas, literais ou textuais: transcrição do trecho do texto de parte da obra do autor consultado.
Exemplo 1: Espaçamento 1,5cm Tamanho = 12

Podemos ilustrar o conceito de nação, com destaque a sua identidade comunitária através do seguinte trecho:
A nação pode ser uma figura coletiva do Sujeito. Ela é o quando se define simultaneamente pela vontade de viver junto no quadro de instituições livres e por uma memória coletiva. Tornou-se habitual opor uma definição revolucionária da soberania nacional contra o rei, a uma concepção alemã da nação como comunidades de destino (TOURAINE, 1994, p.45). Espaçamento 1,0cm Tamanho = 10 Recuo = 4,0 cm Ponto final Autor em CAIXA ALTA, data, página

Exemplo 2:

A citação com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas”

As características da "educação militar compartilhada pelos homens e mulheres espartanas" são tão conhecidas que não vale a pena perdermos tempo em descrevê-las (PONCE, 1994, p.37).
Ponto final

1.2.2 Citação indireta ou livre

Citações indiretas ou livres é o texto baseado na obra do autor consultado (uso de paráfrase). Exemplo 1:
Indicação do Autor no começo do texto citar em Caixa Baixa seguida da data

Segundo De Sordi (1995) devemos considerar o conceito de qualidade de ensino como algo impregnado de conteúdo ideológico. Sendo que a escola deve explicitar de que qualidade está falando no planejamento de seus métodos de ensino.
Ponce (1994), nos leva a compreender o exato alcance das idéias pedagógicas de Lutero, ressaltando que não devemos perder de vista dados anteriores. Afirma ainda que a instrução elementar era o primeiro dever da caridade, e que mesmo no fanatismo de Lutero não sobrasse muito lugar para o saber profano, aconselhava aos pais que enviassem seus filhos à escola.

Exemplo 2:
Indicação do Autor no meio do texto entre (parênteses), colocar em CAIXA ALTA, separando-se por ponto e vírgula.

1.2.3 Citação de citação Citação de citação é aquela em que o autor do texto não tem acesso direto à obra citada, valendo-se de citação constante em outra obra. Exemplo 1:
Indicação dos Autores separados pela expressão “apud” ou “citado por”

Ponce (1982), citado por Silva (1994), declara que instrução, no sentido moderno do termo, quase não existia entre os espartanos.

Exemplo 2:

A organização documental é importante, sem ela, todo o resto seria invalidado, porém o fazer biblioteconômico é muito mais do que apenas isso dentro da biblioteca universitária. Ela deve estar a serviço, ser uma atividade meio e não um fim em si mesma. O humano e a técnica devem caminhar juntos, de forma equilibrada, para que a organização possa cumprir seu papel social maior.
A indústria de informação, isoladamente, não produz conhecimento. Produz estoques de informação organizada para uso imediato ou futuro, ou, o que é pior, a criação voluntária no Brasil de uma base importante para sustentar a indústria transnacional de indústria da informação em ciência e tecnologia, na qual o profissional é formado no país para funcionar como um mero executor de normas e regulamentos, sem, no entanto, têApud usa-se quando o leitor não tem p. 183). los criado (BARRETO, 1990 apud SOUZA, 1991,em mãos a obra original, e na obra consultada encontra-se esta referência que é citada primeiramente, seguida do autor, data e página da obra consultada.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Informação e documentação - referencias - elaboração: NBR 6023/2002. Rio de Janeiro: ABNT, 2002. Conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual (NBR 6023, 2002). A referência é constituída de elementos essenciais e quando necessário acrescido de elementos complementares.

a) Elementos essenciais: são informações indispensáveis à identificação do documento. Estão estritamente vinculados ao suporte documental e variam, portanto, conforme o tipo. b) Elementos complementares: são informações que, acrescentadas aos elementos essenciais, permitem melhor caracterizar o documento. Os elementos essenciais e complementares da referência devem ser apresentados em seqüência padronizada. Ao se elaborar as referências lembre-se: • Alinhá-las somente a margem esquerda e de forma a se identificar individualmente cada documento, em espaço simples e separados entre si por espaço duplo; • • Os elementos essenciais e complementares da referência devem ser apresentados em seqüência padronizada; O recurso tipográfico (negrito, grifo ou itálico) utilizado para destacar o elemento do título deve ser uniforme em todas as referências de um mesmo documento; • Travessão com seis espaços para substituir o nome do autor quando já tiver sido citado anteriormente ou quando o autor do capítulo for o mesmo da obra como um todo; • • As abreviaturas devem seguir a norma NBR-10522; Os nomes dos autores devem ser separados por ponto e virgula, seguido de espaço e se optar para abreviar o primeiro nome do autor, seguir o mesmo padrão para todas as referências; • • • Autoria desconhecida, a entrada é feita pelo título; Quando necessário, abreviam-se os títulos dos periódicos conforme a NBR-6032; Quando houver indicação explícita da responsabilidade pelo conjunto da obra em coletâneas de vários autores a entrada deve ser feita pelo nome do responsável, seguida de abreviação, no singular do tipo de participação (organizador, compilador etc.) entre parênteses; • Responsabilidade entidades (órgãos governamentais, empresas, associação) tem entrada pelo seu próprio nome por extenso;

• •

Título e o subtítulo devem ser reproduzidos tal como figuram no documento, separados por dois pontos; Edição utilizar abreviaturas dos numerais ordinais e da palavra ed. adotada na língua do documento: 5th ed. 6. ed.

A seguir modelos de referências: • MONOGRAFIAS (livros, folhetos, relatórios etc.) - (no todo) SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo se houver. Edição. Local: Editora. data de publicação. página. volume. série. a) Obras com até três autores: RAMALHO JÚNIOR, F.; FERRARO, N. G.; SOARES, P. A. T. Os fundamentos da física. São Paulo: Moderna, 1995. 3 v. b) Obras com mais de três autores: indica-se apenas o primeiro acrescentando-se a expressão et al. TURRA, C. M. G. et al. Planejamento de ensino e avaliação. 11. ed. Porto Alegre: Sagra, 1996. 301 p. c) Autor entidade: as obras de responsabilidade de entidade (órgãos governamentais, empresas, associações etc.) têm entrada pelo seu próprio nome, por extenso. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação - apresentação de citações em documentos. Rio de Janeiro, 2001. Sistema de Bibliotecas • PARTES DE MONOGRAFIAS (livros, folhetos, relatórios etc.)

a) Parte de monografia onde o autor do todo é o mesmo que da parte: SOBRENOME, Nome. Título. In: ______. Título (do todo). Edição. Local: Editora, data. volume ou página (inicial e final da parte referenciada). HEGENBERG, L. Generalizações nomológicas e acidentais. In: ______. Etapas da investigação científica. São Paulo: EPU, EDUSP, 1976. p. 2, cap. 2, item 2.3, p. 42-48. Nota: Quando o autor da parte for o mesmo da obra, empregar o travessão de seis espaços após o "In:" representando a repetição do autor.

b) Parte de monografia com autoria própria: SOBRENOME, Nome (da parte). Título (da parte). In: SOBRENOME, Nome (do todo). Título (do todo). Edição, Local: Editora, data. volume ou página (inicial e final da parte referenciada). ABRAMO, P. Pesquisa em ciências sociais. In: HIRANO, S. (org). Pesquisa social: projeto e planejamento. São Paulo: T. A. Queiroz, 1979. parte 1, cap. 2, p.21-88. • TRABALHOS APRESENTADOS EM CONGRESSOS, REUNIÕES ETC.

SOBRENOME, Nome (Autor do Trabalho). Título: subtítulo. In: NOME DO CONGRESSO, número, ano, local de realização. Título da Publicação. Local de publicação (cidade): Editora, data. Página inicial-final do trabalho. TRAINA JÚNIOR, C. GEO: um sistema de gerenciamento de base de dados orientado a objetos; estado atual de desenvolvimento e implementação. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 6., 1991, Manaus. Anais... Manaus: Imprensa Universitária da FUA, 1991. p. 193-207. • TESES E DISSERTAÇÕES

SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Local (cidade), data. Número de páginas ou volumes. Categoria (Grau e Área de concentração) - Nome do Curso/Faculdade, Universidade. SILVA, M. B. P. da. Um estudo da relação entre resultados do concurso vestibular e desempenho acadêmico em psicologia. Curitiba, 1989. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas • PERIÓDICOS a) citado no todo: TITULO DA PUBLICAÇÃO. Local da publicação: Editora, Ano inicial-Final. Periodicidade. VEJA. São Paulo: Abril Cultural, 1950- . Semanal. b) artigo de periódico: SOBRENOME, Nome. Título (artigo). Título do Periódico, Local da publicação, volume, número, página inicial-final, mês ano, particularidades que identifiquem a parte (se houver). BLÜMER, A. S. et al. Situação do aleitamento materno no Brasil. Pediatria

Atual, São Paulo, v. 11, n. 7, p. 53-61, jul. 1998. Suplemento. • DOCUMENTOS ELETRÔNICOS

a) Internet: SOBRENOME, Nome. Título. Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: data de acesso ao documento, acrescida opcionalmente dos dados referentes a hora, minutos e segundos. SABATINI, R. Aplicações na internet em medicina e saúde. Disponível em: <http://www.informaticamedica.org.br/informed/intern1.html>. Acesso em: 27 set. 2004, 20:06:30. b) CD-Rom: AUTOR. Título. Local: Editora, data. Tipo de suporte. INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA IBICT. Bases de dados em Ciência e Tecnologia. Brasília, n. 1, 1996. CD-ROM.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful