Dinheiro: Os dez estudos mais estranhos de sempre - Dinheiro Vivo

Página 1 de 1

Versão para impressão

Dinheiro: Os dez estudos mais estranhos de sempre
As teorias mais estranhas sobre o dinheiro.
Dinheiro Vivo | 25/10/2011 | 10:57

Há estudos para todos os gostos, com as conclusões mais surpreendentes. As universidades afadigam-se em projectos à primeira vista loucos e com resultados que, muitas vezes, mais não fazem do que deixar um sorriso nos lábios de quem os lê. Aqui fica uma selecção sobre os dez estudo mais estranhos de todos os tempos, envolvendo dinheiro. 1. O dinheiro não compra a felicidade. Um estudo de psicólogos da Universidade de Missouri-Columbia chegou à conclusão de que o dinheiro e a popularidade não vão, por si só, levar ninguém ao nirvana. A riqueza excessiva, particularmente para quem não está habituado, pode é causa infelicidade. 2. As pessoas mais altas ganham mais. Os homens mais altos tendem a ser mais bem pagos que o baixos. A razão, diz um estudo de WileyBlackwell publicado na «The Economic Record», é que as pessoas mais altas são vistas como mais inteligentes e poderosas… 3. Gente bonita faz mais dinheiro; homens feios são os que ganham menos. Acredite ou não, investigadores da Universidade do Texas concluíram que as pessoas atraentes ganham acima da media. E os homens feios são mais prejudicados que as mulheres igualmente medonhas. Ganham, em media, menos 9% de salário. 4. Preocupação com dinheiro leva as mulheres a gastarem mais. Uma investigação conduzida por Karen Pine, da Universidade de Hertfordshire, concluiu que 79% das mulheres admitem ir para as compras para ficarem mais animadas. Mesmo se a preocupação original for… a falta de dinheiro! 5. Dinheiro compra felicidade se o gastar com os outros. Este é talvez um dos mais estranhos estudos académicos. Segundo investigadores da Universidade de Columbia e da Harvard Business School, é possível comprar a felicidade com dinheiro. Desde que o gaste com outra pessoa… 6. O seu cérebro acha que o dinheiro é uma droga. Se alguma vez encarou o dinheiro como uma dependência, talvez não esteja muito longe da verdade. Um estudo da Universidade do Minnesota descobriu que contar dinheiro ou apenas segurar em notas pode ser a sua metadona. 7. Quem partilha ficheiros, gasta mais dinheiro em música. Ora aqui está o estudo que deita por terra parte das teorias catastrofistas sobre a pirataria na internet. Um estudo feito em Inglaterra revela que quem partilha ficheiros na net gasta mais 75% de dinheiro em música do que aqueles que, alegadamente, têm as mãos limpas. E esta? 8. Pagar impostos pode dar prazer. Quer que o centro de prazer do seu cérebro se illumine? Pague impostos, diz um estudo da Universidade de Oregon, que também afirma que outra forma de se sentir satisfeito é ser voluntário num banco contra a fome na sua cidade. Entre os dois, qual prefere? 9. Dinheiro endurece o coração, mas alimenta o trabalho. Investigadores das universidades de Minnesota, Florida e Columbia chegaram à conclusão que a performance laboral aumenta e a atenção e afecto para com os outros cai sempre que as pessoas são recordadas de aspectos monetários. 10. Tempo não é dinheiro. Uma série de experiências levadas a cabo por Ritesh Saini, da Universidade George Mason, e Ashwani Monga, da Universidade do Texas, levaram à conclusão de que as pessoas tomam melhores decisões financeiras se tiverem mais tempo em vez de apenas dinheiro…
© Dinheiro Vivo

http://www.dinheirovivo.pt/Imprimir/CIECO019480.html

26-10-2011

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful