Figuras de Sintaxe

Silepse a) Silepse de gênero, quando o adjetivo deixa de concordar em gênero com o substantivo. Ex.: V.Sa tem-se mostrado muito bondoso. Vossa Excelência ficou cansado com o discurso. A antiga São Paulo da garoa é hoje uma das campeãs de monóxido de carbono. O Rio de Janeiro dos turistas e das belezas naturais é famosa no mundo inteiro. b) Silepse de número. Quando o verbo não concorda com o sujeito em número. Ex.: Aquela gente caminhava. De cabeça baixa, ansiavam chegar o mais depressa possível. O bando de moleques brincava com pipa. Não ouviam nem buzina e nem o chamado da mãe. A família do réu procurou o advogado e queriam saber se ele poderia ficar em liberdade durante o processo. c) Silepse de pessoa. Quando o verbo deixa de concordar com o sujeito em pessoa. Ex.: Os abaixo-assinados requeremos. Os quartanistas preparamos. Crédulos, amistosos, todos os interioranos somos assim, até que a cidade grande comece a nos transformar. (somos = todos + eu) Os brasileiros somos muito crédulos. (somos = brasileiros + eu) Elipse: Omissão de palavras que se subentendem facilmente. Ex.: Vivíamos sob o mesmo teto (elipse do sujeito nós) Solicitei me respondessem com presteza. (elipse da conjunção que) “Na rua deserta, nenhum sinal de bonde.” (elipse de não havia) Zeugma: omissão de termos anteriormente mencionados. Ex.: Uns querem a paz; outros, a guerra. (zeugma da forma verbal querem) Nem eu o ouvi, nem ele a mim (zeugma da forma verbal ouviu) Pleonasmo: Emprego de palavras redundantes com a finalidade de realçar o pensamento. Ex.: Lá vi com estes olhos pecadores. Os sinos, já não quem os toque. Choramos um choro sentido mas nos refizemos logo. A ele resta-lhe a boa oportunidade de provar sua inocência. Polissíndeto: uso repetitivo de conectivos em coordenação Ex.: Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Tua irmã é carinhosa, e doce, e meiga, e casta, e consoladora. E falei, e gritei, e tentei, e gesticulei e pedi ajuda, mas ninguém parou para socorrer o gato. Assíndeto: ausência de conjunções coordenativas entre orações ou partes da oração Ex.: Trabalha, teima, lima, sofre, sua. Tua irmã, é carinhosa, doce, meiga, casta, consoladora. O vento zunia, as folhas caíam. Anacoluto: quebra da estrutura sintática de uma frase, ficando termos isoladosl é mesmo que fase quebrada. Ex.: Eu, parece-me que os exames não serão fáceis. A velha hipocrisia recordo-me hoje dela com vergonha. Umas moedas velhas caídas no fundo da gaveta, nós descobrimos o seu valor depois que o colecionador as quis comprar. Anáfora: repetição de uma mesma palavra ou expressão no início de orações, períodos ou versos. Ex.: “Depois, o areal extenso... Depois, o oceano de pó... Depois no horizonte imenso Desertos... desertos só...”

-

-

-

-

-

-

-

: Chorei bilhões de vezes com a canseira.: “. e o teto. os cabelos mais negros que a asa da graúna”. o fogo fez. Bendito o que..” “O campo é ninho do poeta. Ex. Catacrese: etimologicamente... Inimigos jamais quero ter.” Mike Tyson é um touro (Entre o pugilista e o touro.. a virgem dos lábios de mel.. Ex.. quer dizer “abuso”..- Epístrofe: repetição de uma mesma palavra no final das partes de um período ou trecho. Hipérbato: nome genérico com que se denomina qualquer alteração da ordem direta Ex. em vez do nome do ser. Ex. “como se feras fossem vejo as ruas agachadas no dorso de uma aurora irrecusável. Ex. é um país pivete. Hipérbole: consiste em exagerar uma afirmação Ex. A asa da xícara quebrou-se. na terra. Antonomásia: emprego de palavras ou expressão designativas da qualidade do ser.. do esquecimento ou ignorância do sentido primitivo. sem a presença dos termos comparativos (a sucessão das metáforas tem o nome de alegoria).” Com a passagem da nuvem... o último ouro do sol morre na cerração. Na época de festas juninas. O universo é Deus.. “Iracema.. - Figuras Semânticas Metáfora: comparação implícita.” Ex.. - - - - - . Ele possuía um mar de sonhos e aspirações.: “Chorava em cada canto uma saudade!” “A chuva semeou um pouco de esperança no solo calcinado pelo sol dos trópicos. a lua se tranqüilizava. (embarcar = entrar no barco) Enterrei uma farpa no dedo.: A vida é combate (metáfora) A vida é como um combate (comparação) A chuva caía como lágrimas de um céu entristecido.: Os pés da mesa estão quebrado.: Lindos eram os olhos da criança.. há uma semelhança: a força) O Brasil é novo. sempre morro de medo dos fogos de artifício.” “confessou o seu negro pecado. é o emprego de palavras em sentido figurado em razão da inexistência de outras apropriadas..” “Cai a tinta da treva sobre o mundo. com os termos comparativos presentes no período ou na oração “. Viajam cansados os pescadores de ilusões. (enterrar = pôr debaixo da terra) Sentou-se no braço da poltrona para descançar. Vamos embarcar no trem das onze.: A máquina é Deus.” Símile ou Comparação: é a comparação explícita. O homem é Deus.: O Poeta dos Escravos morreu na flor dos anos (= Castro Alves) O Salvador é que redimirá os homens (= Jesus Cristo) Prosopopéia (Personificação): consiste em atribuir aos seres inanimados ou irracionais características próprias dos seres humanos.. Ex.

sem pedir licença. o sindicalista afirmou que o operário quanto mais trabalhava mais tem dificuldades econômicas.: Ele passou desta pra melhor. (cheiro = sensação olfativa. lado a lado. Ex. doce = sensação gustativa.. Felicidade sim. os povos se levantam.: Que careta mais bonita! Cada vez que você interrompe o colega.” Apóstrofe: Chamamento feito em meio ao discurso. (continente: todo o prato. a) o autor pela obra. quando a sente alegre fica triste..: A fome era tamanha que o homem comeu todo o prato de arroz. dá risada. (doce = sensação gustativa. Ex.: Ouvi Mozart com emoção. (7o Rei de Roma = Falcão) O Presidente dos Pobres suicidou-se em 1954. (mal-de-lázaro = lepra) Famoso jogador de futebol. nem és mau: és triste e humano. Ex. percebo como é bem-educado. conteúdo: o arroz) Ele comemorou tomando um copo de caipirinha. Ex.. Ex. Ex.: O cheiro doce e verde do capim trazia recordações da fazenda. (= morreu) Você me faltou com a verdade. ou de um fato que o celebrizou. ó Deus terrível?!” “Andrada! Arranca esse pendão dos ares!” Sinestesia: metáfora que consiste na união de impressões sensoriais diferentes. (a música de Mozart) Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira. (continente: um copo.” (Vinícius de Moraes) “Não é bom.: “Não basta inda de dor. e. (Cidade Luz = Paris) Portadores do mal-de-lázaro são brutalmente discriminados por quase todo o mundo. verde = sensação visual) Um doce abraço indicava que o pai o desculpara. havendo entre eles uma relação lógica. abraço = sensação tátil) Perífrase: expressão que designa um ser através de alguma de suas características ou atributos. visando à sátira ou à ridicularização.: “Maior amor nem mais estranho existe. idéias contrárias. (Presidente dos pobres = Getúlio Vargas) Paradoxo: é uma proposição aparentemente absurda. Ironia: consiste na inversão de sentido: afirma-se o contrário do que se pensa. “No discurso. e. Ex.- Eufemismo: consiste na suavização de idéias desagradáveis através de outras menos chocantes ou mais polidas. (a obra de Graciliano Ramos) b) o continente (o que contém) pelo conteúdo (o que está contido).: A Cidade Luz continua atraindo visitantes do mundo todo.: “Pra se viver do amor há que se esquecer o amor”. (=mentiu) Aqueles homens públicos se apropriaram do dinheiro (= roubar) O médico comunicou à família que ela estava com doença ruim. - - - - - - - Metonímia: é a substituição do sentido de uma palavra ou expressão por outro sentido.” “Tristeza não tem fim. Ex.” “Quando os tiranos caem. resultante da reunião de idéias contraditórias. o 7o Rei de Roma volta para o Brasil. (= câncer) Antítese: é a figura onde se deslocam. conteúdo: caipirinha contida no copo) .. Ex. se a vê descontente.

: Os bronzes tangiam avisando a hora da missa. (morte = poluição) h) a matéria pelo objeto. (microfones = repórteres) Ele é um bom pincel. (homem = humanidade) A mulher foi chamada para ir às ruas na luta contra a inflação.: Os microfones corriam atropelando até o entrevistado. (mulher = todas as mulheres) e) o instrumento pela pessoa que o utiliza.: Todo homem tem direito à vida. Ex. o problema é que seus quadros são caros. (pernas = pessoas) São muitas as famílias que procuram um teto para morar.: A juventude é corajosa e nem sempre conseqüente.: O bonde passa cheio de pernas. Ex. (suor = trabalho) As indústrias despejam a morte nos rios. (teto = casa) d) o singular pelo plural. Ex. (infância = crianças) f) g) o efeito pela causa.net) Criado por Marcelo Siqueira Não é permitida a alteração do documento. Ex.cjb. (cristais = copos) Todos os Direitos Reservados © 1999 NightFoka’s Produções (www. .c) a parte pelo todo. (bronzes = sinos) Os cristais tiniam na bandeja de prata. (pincel = pintor) o abstrato pelo concreto. Ex. Ex. (juventude = jovens) A infância é saudavelmente desordeira.: Com muito suor o operário construiu a casa.nightfoka. à liberdade e à segurança pessoal.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful