Centro Universitário de Belo Horizonte Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Uni-BH

REVISTA DAS ATIVIDADES DE EXTENSÃO DO UNI-BH

Revista das Atividades de Extensão do Uni-BH

Belo Horizonte

Dezembro

2007

V.2, N.2

EXPEDIENTE
Uni-BH Reitora Profª. Sueli Maria Baliza Dias Pró-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Profª. Marisa da Silva Lemos Pró-Reitora de Graduação Profª. Raquel Parreira Reis Carvalho Pró-Reitor Administrativo-Financeiro Prof. Wellington José da Cunha Coordenadora de Programas de Extensão Profª. Miriam Cristina Pontello Barbosa Lima Assessora de Programas de Extensão Profª. Maria Aparecida de Assis Teodoro Fundac-BH Presidente Prof. Roberto Moreira Brant Secretário-Geral Prof. Kleber Garcia Campos Diretor Executivo Prof. Francisco José Fogaça Diretora Administrativa Profª. Maria José Reis Machado Diretor Financeiro Prof. Leonardo Carneiro Assumpção Vieira Comissão Editorial Profª. Miriam Cristina Pontello Barbosa Lima (presidente) Profª. Maria Aparecida de Assis Teodoro Organização e Conferência de Dados Centro de Extensão e Pesquisa (Cenep) Revisão Núcleo de Apoio e Revisão de Textos Projeto Gráfico e Capa Leonardo Bracarense Braga Resende Diagramação Adson da Silva Xavier Fotografias Acervo PGPE Josemar Lucas de Oliveira Leandro Couri Rodrigo Neiva Stock Xchange (www.sxc.hu)

Av. Prof. Mário Werneck, 1.685 – Estoril CEP 30455-610 – Belo Horizonte/Minas Gerais www.unibh.br Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Tel/fax: (31) 3377-1389 E-mail: extensao@unibh.br Ficha Catalográfica Bibliotecário: Marcílio Coelho Lisboa da Silva CRB 2145-6 Revista das atividades de extensão Uni-BH. -- v. 2, n. 2, out. 2006 -- . Belo Horizonte : Editora Fundac-BH / Uni-BH, 2007 -v. ISSN 1980-7287 Periodicidade anual 1. Extensão universitária – Atividades. 2. Centro Universitário de Belo Horizonte – Coordenadoria de Programas de Extensão. 3. Fundação Cultural de Belo Horizonte. CDU 378

SUMÁRIO
PALAVRA DA REITORA .................................................................................................................................................... 10 APRESENTAÇÃO .............................................................................................................................................................. 12 PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO ...............................................................................................................................14 PROJETOS ........................................................................................................................................................... 15 • Agência de comunica a ação: assessoria e consultoria de marketing e propaganda a instituições sociais ............................................................................................................... 15 • Comunicação pela cidadania: construindo possibilidades de desenvolvimento e participação social ......................................................................................................... 16 • Jornal da Rua .................................................................................................................................................. 17 • Jornal, leitura e escola .................................................................................................................................. 18 • Mobiliza Som: produtora experimental de áudio ................................................................................... 19 • Publicações empresariais como instrumento de relações públicas ....................................................... 19 • Publicidade e comunidade: produção para radialismo comunitário ................................................... 20 • Rádio escola ponto com ................................................................................................................................ 21 • Requalificação comercial da Rua Itapecerica: desenvolvimento de uma programação anual de eventos e plano de divulgação publicitária ................................................................................................ 21 • Um olhar sobre a Lagoinha: produto audiovisual do gênero documentário ...................................... 22 • O uso da criação publicitária como ferramenta estratégica no desenvolvimento de ações de comunicação para o projeto “centro de qualificação profissional alimentar ...................... 23 • Projeto para criação da revista eletrônica on-line do Departamento de Ciências da Comunicação .......................................................................................................................... 24 CURSOS .............................................................................................................................................................. 24 • Curso básico de edição digital .................................................................................................................... 24 • Fotografia convencional ................................................................................................................................ 24 • Curso básico de operação de câmera ...................................................................................................... 24 EVENTOS ............................................................................................................................................................. 24 • Palestra: Son Salvador (chargista do jornal Estado de Minas) ......................................................... 25 • A voz e a notícia ............................................................................................................................................. 25 • Talentos editoriais ........................................................................................................................................... 25 • Projeto Vitrine ..................................................................................................................................................25 • Seminário: Direito à informação .................................................................................................................. 25 • Seminário: O jornalista brasileiro fora do Brasil ..................................................................................... 25 • Semana de Produção Editorial .................................................................................................................... 25 • Semana de Produção Editorial .................................................................................................................... 26

SUMÁRIO

.............................................................................................................................................. 34 ........................................................................................................................................ 34 EVENTOS ........................................................ 34 • Estatística aplicada ................................................................ 32 • Sistema de Pesquisa e Extensão do Uni-BH (Sipex) .............................................................................. 26 • 25 anos de Jornal Impressão ................................................................. 26 • Entrevista coletiva ................................................................................................... • Rede Wireless ............................................................................................ 34 • Matemática financeira com o uso da calculadora HP12 C .......... 35 • Sun Tech Days 2006 .............................................................................................................................................................................. 33 CURSOS ....... 35 • V Jornada Acadêmica de Ciência da Computação ........... 27 • Oficina Formatos de mídia impressa ..................................... 38 ..... 29 • Adequação de pequenas e micro empresas de alimentos às boas práticas de fabricação ............................................................................................................................................................. 35 • Mês do OpenSource Uni-BH .................................................................................................................................................................................. 35 • VI Jornada Acadêmica de Matemática .................................... 29 • Identificação do perfil sensorial do consumidor mineiro de cachaça de alambique .......................................................................................................................................... 30 • Projeto Vitasopa: secagem solar de frutas e olerícolas visando à redução de desperdícios.......................................................................................................................................................... Módulo II ..........Introdução à robótica) ......................................................................................... 26 • Mostra de Design Gráfico ................................................................................................................ 27 • Humor e ética no rádio ................................................................................. 26 • III Embala Minas: feira internacional de embalagens .....................................................................................................................................................................................................................................................................................Básico de informática............................................................................................ 36 • Dia Nacional da Matemática ..........................................................................................................................................................................................................................................................................• Blitz ecológica Diversitas Comunicação ...................................Introdução à programação de computadores e Módulo III .......................... 34 • Matlab .......................................................................................................................... 27 • Oficina Photoshop básico .................................................................. 37 PROGRAMA UNICULTURA E ARTE .................................................................................................................................................................................................27 • Semana da Comunicação Digital .........................................................................................................................28 PROJETOS ................................................. 31 • Introdução à informática para crianças e adolescentes (Módulo I ........................................37 • IX Enem – Encontro Nacional de Educação Matemática ................................................ combate à fome e geração de empregos (parte II) ........................................37 • Aula inaugural do curso superior tecnológico Processos Gerenciais ..................................................... 35 • Curso de Gestão de Tecnologia da Informação .............................................................................................................. 26 • Mídia digital e ética .......................................................................................................................................................... 27 • Oficina Corel Draw básico ............. 27 PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA ................................ 36 • I Jornada de Engenharia Elétrica e V Jornada de Telecomunicações ........ 35 • I Jornada Acadêmica de Gestão de Tecnologia da Informação ......................................

...................................................................................................... 40 • Coral Francisco Gomes da Rocha .................................................................................................................................................................... 54 ..................................................................................................................... • Diplomacia começa é na escola ..............................................................................................55 • Núcleo de Difusão de Metodologias de Ensino de Matemática ................................................................................................................................................................................................................................ • Grupo de Pesquisa e Projeções Folclóricas Guararás ...........................) ................................................................................ 48 PROJETOS ............................................................................................................... 40 • Grupo de Dança Afro ....... 51 • Cre-ser na paz .......................................................... 52 ................. 45 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................................... • Cia Móvel de Teatro ......................................................... • Contadores de História .............................................................................................................................................................................................................................. 58 • Centro de Idiomas ...................................................................................................................... 44 ................................................................................................................................. 58 • Redação empresarial moderna ... • Catalogação do acervo de manuscritos musicais da Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará ........................................................................... 46 •Festival de Inverno ................................................................................................................................................. 43 ...................................................................................................................................................... • Grupo de Percussão Uni-BH .............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. • Catalogação do acervo de manuscritos do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto / Paróquia do Pilar ................. banda e coral .................................................................................................... 50 • Centro de Acompanhamento Matemático-Pedagógico Júnior (Camp Jr................ 58 EVENTOS ... 47 PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO ........................... com ênfase no uso do computador: uma proposta social através da inclusão digital ................................................................................................................ 42 ................... 53 • Língua afiada: centro de convivência com a língua e com a literatura para crianças e adolescentes órfãos ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ 43 .................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... • Escola Livre de Música de Carmópolis ............................................................................................................. 39 • Sociedade Musical Santa Cecília: orquestra..... 56 • Ver e ler os conteúdos geográficos ....................... 46 EVENTOS ..........................................PROJETOS ......................................................................................................... 56 • Turismo em ônibus: olhares sobre a cidade de Belo Horizonte ........................................................................................................................... 53 • Formação continuada: os projetos interdisciplinares e a (re)significação do trabalho na escola .......................................................................................................................................................................................................................................... 50 • A modelagem matemática na ecologia: ferramenta para o estudo da educação ambiental .................... 39 • Orquestra Jovem de Ouro Preto .......................................................... 49 • Alfabetização tecnológica e as NTICs............................................................ • Núcleo de Difusão de Metodologias de Ensino de Física ....................................................... 57 CURSOS ................ 58 SUMÁRIO ................................... 49 • Atividades interdisciplinares com clientes e acompanhantes da Clínica-Escola de Fisioterapia ........................................... 41 • Coral Uni-BH .................................... 41 .................................................................... 45 ..............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

...........................................................................................................................................................................................................................................61 ....................................................................................................... • Exibição do filme Zuzu Angel... • Atribuições profissionais do arquiteto: Crea-MG .............................................................. • Basquete .... 61 ................................................................................................................................................................................................................................................69 CURSOS ............................................... 70 EVENTOS ....................................................................................................................................................................................59 ............................................................................... • V Semana de Gestão de PME ................................................................................ 61 ........................................................................................................................................... • II Encontro de Egressos do Curso de História ..................................................................................................60 ....................................................................................................... • Iniciação................60 .................................................................................... • III Semana de Contabilidade ................................................................................................................................................................................. 63 .............................................................. • Natação para a comunidade acadêmica ......................................................... 71 • Ciclo de debates: educação física e infância ..................................... 61 PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER ...................................................... 61 .... 68 ................................................... • Palestra sobre os materiais de construção a seco: Flasan ....................• Lendo imagens...................................... • Implantação do treinamento de atletismo no Centro Universitário de Belo Horizonte ........... • Ciclo de palestras: carreiras internacionais ................................................................................................58 ........................ em homenagem ao Dia da Mulher ....................................................................................................................................................................................................... 59 ............................................................................................................................................... • Visita ao bairro Jardim Canadá ....................................................................................................................................................... 70 ....................................................................................................................................... • Roda de capoeira do Movimento Mineiro de Capoeira ........................ 59 ...................................................................................... • Técnicas de construção em pré-moldados de concretos: empresa Precon ........ 60 ......................................... 67 • Laboratório de ginástica rítmica ................ 70 • Ginástica olímpica .................................... • IV Encontro de Estudo e Pesquisa em Letras ........................................................ • Uninclusão .......................................................................................................................................................................................................................................................... Orguel e empresa Locbrás ........................................................................ 59 .............................................................................................................65 .............................................................................................................................................................................................................................................. 66 ........................................................................................ • Equipamentos para corte e furo: G............................................................................................................................................... • Xadrez: resgatando a cidadania .................................................................................................... 60 .............. contemplando obras ...................................................... 65 ........................................................ • Pedagogia itinerante ........................................................................................................ • Sessão de exibição do filme Padre Pio (de Pietralcina) .......................................................................................................... • Palestra sobre pedra industrializada: marmol e quartz compac ...................................................................................... 59 ....... 71 ............................................................................. • Equipe de futebol na esfera competitiva .............................................................................................................................. 65 .................................................................................................................................... • VI Semana de Relações Internacionais .................................................................................................................................................................................................................................................................................................. 71 .......................................................................................... 64 ................................................................................................................................................................................................................. • Capoeira e artes marciais (tae-kwon-do) .....................61 • Arquitetura em aço: empresa Usiminas ......................................................................................................................................................................................................................................................... • Árbitros da Federação Mineira de Karatê ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................. 61 ........... 68 .............................................................................................. • V Semana de RH .................................................................................................................................. • Hidroginástica ............................. treinamento e atualização de handebol .................................63 • Atividade física adaptada ............................................................................................................................................................... interpretando formas........................................................... 60 ................................................ 62 PROJETOS ............................ 59 .....................................................

......................................................73 • Núcleo Experimental de Projetos (NEP) ............................................................................ 83 ....................................................................................................................................................................................................................................................... 79 ....................................................... 81 ....79 . PROGRAMA UNIMEIO AMBIENTE .............................................................................................................................................................................................................................................................. 77 ..................................................................................... PROGRAMA UNIDESENVOLVIMENTO REGIONAL ......................................................................... 86 PROGRAMA UNIDOSO .................................................. • Consultores em viagens e turismo no shopping Paragem .............................................................................. 81 ......... • Atividade extrajudicial .......... 86 •Visitas técnicas ................................................................... • Feira Culture in different countries ....................................................................................................................... • Exame da OAB-simulado ................................................................. 71 ........................................................................................................................................................................................................................................................................................77 ..................................................................................................................................................................................................................................................................72 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ............................................................................................................................................................................ • Filme: A Corporação (The Corporation) ............................................................................... • Visita a campo .................................................................................... • Assessoria Jurídica na Fisioterapia .................................................................... 84 EVENTOS ........................................................................................................................................................ 88 PROJETOS ...................................................................................................................................................................................................... SUMÁRIO .......................................................................................... • Etnobotânica dos quintais dos moradores do bairro Havaí e adjacências ...................................................................................................................................................................................................................... 89 .......... 83 • Reciclagem e cidadania ................................................................................................... • Escritório Modelo: Atividade Judicial ................................................................................... • Júri simulado ......................................................... 81 ................................................................... 74 .................................................... 81 ........................... • Juizado de Conciliação ................ 74 ................................................. 85 .............. • Assessoria Jurídica Comunitária Província Carmelitana .................................................... • III Jornada de Ecologia: responsabilidade ambiental empresarial – do conteúdo à prática ...................................................................................................................... 78 .... 79 ............................ 82 PROJETOS ..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 80 EVENTOS . 81 ...................................................................................................................................... • Visita técnica ..................................................................................................................................................................................... • Assessoria Comunitária Vila Vista Alegre ................................................................................................................................ 73 EVENTOS ......................................................................................................................................................................................................................................... 85 ....................................................... 74 ................................................................... 74 • Palestra sobre mercado de trabalho para o bacharel em Turismo ........................................................................................................................ • Cine-Jus ............................................................................................................................. 78 .........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................81 ..............76 PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS .............................................. • Data Vênia .............................................................................................................................................................................. • Exame simulado: OAB-simulado ......................................................................................................................................... 86 • XV Ciclo de Palestras do Curso de Geografia e Análise Ambiental .................... 81 ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................ 78 .................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................74 PROGRAMA UNIDIREITOS HUMANOS ............................................................................................................................................................ • Imposto de renda de pessoa física ..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... • Júri simulado ....................................• I Simpósio de Esporte na Escola .......................

............................ • Atendimento fisioterápico respiratório em crianças portadoras de síndromes genéticas .. 89 ................................................................................. 108 .................................................................................................. 106 ................................................................ • Melhoria das condições de produção e distribuição de refeições dos restaurantes conveniados à Casdec .................................... 100 • Educação nutricional para gestantes e crianças ...................................... familiares e alunos da Fundação Dom Bosco – unidade Floresta ................................................................. • Assistência fisioterápica especializada em ênfase ao sistema neurológico .................................................. • Orientação nutricional e boas práticas alimentares oferecidas aos professores....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... • Abordagem fisioterápica em gerontologia ............................................................................................................. 103 ............................................................................................................................. 107 .............99 ...................................... • Abordagem preventiva em fisioterapia .................. 104 ............................................................................................................................................... 97 ................................................................................................................ 108 ..................................... • Abordagem fisioterápica em cardiologia e angiologia ......................................... • Hidrovida: abordagem hidroterápica e neuromotora para crianças especiais .......................96 ........................................................................................ funcionários.................................................................................................................................................................................................................................... 104 ................................................................................. • Oficina de culinária ..................................................................100 ......... 103 ...... • Intervenção gerontológica preventiva para grupos de convivência de idosos ..................................................................................................................................................................................... 106 • Abordagem fisioterápica do paciente cardiopata ....................................................................................................................................................................................................................................................... • Abordagem fisioterápica em obstetrícia....................................................... • Abordagem fisioterápica em ortopedia ... 101 .......................................................................................................................... 102 ....................................................................................................... 98 ............................................. • Abordagem fisioterápica em pneumologia ..............................................................................110 ........................................ 96 .. • Unificando: espaço universitário aberto para idosos da comunidade .............................................................................................. 95 ............................... 89 .............. PROGRAMA UNISAÚDE ........................................................................................................................... 105 .................................................................................. ginecologia e mastologia ....................................... • Intervenção fisioterápica em linfologia ............................... 95 ......... • Abordagem fisioterápica cardiovascular em portadores de obesidade classes 2 e 3 .... 90 ....................... • Abordagem fisioterápica para crianças portadoras de necessidades especiais (síndromes genéticas) .................................................................... 109 ................................................. • Abordagem multidisciplinar dentro da assistência primária e secundária para portadores de diabetes mellitus com intervenção fisioterápica cardiovascular e físico-funcional .................................................................... • Ginástica laboral para funcionários da Fundação Hemominas (HBH) ..................................................................................................................................................................................................................... • Fisioterapia ortopédica e esportiva . 93 . • Programa de reabilitação do estado nutricional de idosos do Asilo Casa do Ancião Cidade Ozanan – Belo Horizonte/MG ......................................... • Ações integradas de vigilância nutricional para crianças no distrito de Ipoema – Itabira/MG ...................................................... 97 .............. • Centro Universitário aberto à terceira idade ................................................................................. • Intervenção fisioterapêutica em pacientes portadores de fibrose cística: mucoviscidose .............................................................................................................................. • Atendimento a portadores de doenças vasculares periféricas ................................... 92 .........................• Promoção da qualidade de vida de idosos residentes nos lares gerenciados pela Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) através do exercício físico ........ 94 PROJETOS .............................................................................................................................................. • Reabilitação pulmonar do portador de doença pulmonar obstrutiva crônica ............................................................................................................................................................................................................................................. 91 ...........................................

............................................................. • Palestra: Conservação de peixes (Dr...................................................................................................... 111 ................................................................................................. 116 ............................................................................ • Audiência pública: Diet – o termo gera dúvidas............................................. 118 ............................................................... • IV Sinutri: nutrição.................................................................. 113 ...................... atividade física e saúde ............................. risco à saúde ....................................................... • Visita ao Hospital Semper ..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................124 SUMÁRIO ....................... • Visita ao Instituto São Rafael para deficientes visuais .......................................................................... • Recepção aos calouros ........................................................... 110 ...................................... • Aula inaugural do curso de Ciências Biológicas ........................................................................................................................................................................... • Hospitalidade: técnicas de camareira.......................................................................................... 111 ............................................... 111 ................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 115 • Capacitação profissional solidária: área elétrica ........................................ 110 ................... 110 • II Workshop de ventilação mecânica: teoria e prática .................. • Minicurso sobre avaliação nutricional de paciente crítico: criança e adulto ...................... 118 ÁREAS DE ATUAÇÃO ............................................................................................. 115 ................................................................................................................................ • Viagem técnica ........................... • 1º Simpósio de Fisioterapia em Pediatria .................................................111 .................................................................................................................................................. 112 ...................................... 113 ................................................... • Diagnóstico por imagem ............................................................................... 123 ATIVIDADES DE EXTENSÃO PARA 2008 .............................................................................................................................................. Mark Bowen) .......................................................................................................................................................................... • Visita à Clínica-Escola Uni-BH ................................................................................................. 113 ................................................................................................ 110 • Programa Kumdalini Yoga para empresas ......................................................................................................................... • I Seminário de Educação Farmacêutica do Uni-BH .............................................................................................................................. garçom............................................................................................................................ • Visita Técnica ao Hospital da Baleia ..... • Mãe.................................................................................. 116 • Pão nosso: primeiro emprego ... 114 PROJETOS ................................................................................................................................................ 112 ........................................ O consumo em excesso.............................................................................................................. • Viagem técnica ................................110 EVENTOS .............................................................................................................................................................................................. • Capacitação para trabalhadoras domésticas ............... 112 ........................................................... • Visita ao Centro de Saúde do Tirol ........................................................................................................................................................................................................................................................ 111 ............. copeiro e auxiliar de limpeza .............................................................................................................................................................................................................................................. 110 ........ um presente para você! ................................................... 112 ............... 113 PROGRAMA UNITRABALHO E RENDA ....................................................................... 113 .......................................................................................................................................................................................120 PALAVRAS DO PRESIDENTE DA FUNDAC ....................... • Capacitação profissional solidária: área eletrônica ............................................................................................................................................. 112 ......................................CURSOS ...........................

Palavra da REITORA Profa. Sueli Maria Baliza Dias Reitora (10) .

fiel ao princípio filantrópico que o norteia. o Uni-BH possui uma infra-estrutura que poucas escolas podem ostentar: um corpo docente altamente qualificado com cerca de 800 professores doutores. quatro bibliotecas com um acervo em torno de 200 mil obras à disposição de seus mais de 16 mil alunos. que contemplam as áreas de saúde. cursos. em especial. Sueli Maria Baliza Dias Reitora do Uni-BH (11) . ciências sociais aplicadas e comunicação. mestres e especialistas e outro tanto de funcionários técnico-administrativos. para a população carente. direitos humanos. Parabéns à PróReitoria de Pós-Graduação. um dos três pilares que sustentam a atividade universitária. Um trabalho que. que mostra bem a pujança do trabalho que se realiza no Uni-BH na área da extensão. Pesquisa e Extensão. Para realizar sua missão de oferecer ensino de qualidade e promover atividades de extensão e pesquisa. cultura. Trata-se de um programa de grande porte que mobiliza professores. distribuídos em três campi estrategicamente localizados. que cobre mais da metade de Belo Horizonte – cidade que está entranhada em nossa razão social e tem sido o alvo preferencial da marca de nossa educação. alunos e a comunidade de boa parte da Região Metropolitana de Belo Horizonte. educacional e ambiental voltadas. Profª. cumprimento efusivamente todos os que participaram não só das atividades extensionistas como também aqueles que colaboraram para a produção da revista. Acreditamos que o trabalho de uma universidade só faz sentido quando está voltado para as demandas e necessidades da sociedade. Mais uma vez. eventos e prestação de serviços. A revista que ora temos a honra de apresentar à comunidade acadêmica mapeia as diversas atividades de extensão realizadas na Instituição em 2007. o Uni-BH. na Instituição. mais de 150 laboratórios aparelhados com recursos tecnológicos de ponta. credencia a Instituição a uma outra marca – a marca do social. pelo belo trabalho de alcance social realizado. cultural. educação. é a universidade que ilumina as nações e alavanca o desenvolvimento. desenvolve diversas atividades de extensão de cunho social. certamente. entre projetos. mais de uma centena de atividades extensionistas. Hoje há. em especial a Coordenadoria de Programas de Extensão. é uma característica marcante do Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). Sem dúvida. Além do ensino de qualidade que lhe confere a marca da educação.PALAVRA DA REITORA Criar um relacionamento sólido com a comunidade que o acolhe. esporte. tecnologia. atendendo-a em suas principais demandas.

Pesquisa e Extensão Profa. Marisa da Silva Lemos Pró-Reitora de Pós-Graduação. Miriam Cristina Pontello Barbosa Lima Coordenadora de Programas de Extensão (12) .APRESENTAÇÃO Profa.

assessorias. Para atingir essa meta. encontros seminários. Nesse intercâmbio. contribuindo. Profa. no cumprimento de sua missão de promover o ensino. formação pessoal e profissional. O balanço geral aponta para a seriedade. por meio das diferentes áreas do conhecimento e dos diversos tipos de atividades extensionistas: cursos. ultrapassando seu papel de produtora e repassadora de conhecimentos. serviços. Marisa da Silva Lemos Pró-Reitora de Pós-Graduação. priorizam a partilha de experiências. mais humana. dessa forma. como um só organismo. A Revista objetiva. aos organizadores de cursos e eventos do UniBH. trabalha em prol de uma sociedade mais justa. que buscam. às comunidades e instituições parceiras das atividades de extensão. pautando-se na excelência e no compromisso da busca continuada da produção intelectual e científica. o reconhecimento de que seu trabalho e esforço são imprescindíveis para uma sociedade melhor e mais sustentável. apresenta o segundo número da Revista das Atividades de Extensão do Uni-BH. consultorias. professores. da saúde e da educação. a extensão do Uni-BH. projetos. alunos bolsistas e voluntários. Os cumprimentos sinceros aos gestores.APRESENTAÇÃO O Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). essencialmente. Pesquisa e Extensão Profa. A esses atores que buscam o equilíbrio. quanto na melhoria das condições humanas e ambientais das comunidades e instituições parceiras. em uma realidade marcada por grandes disparidades sociais. para o fortalecimento da cidadania. cujo resultado é o ganho tanto na vivência e aprendizado acadêmicos. sistematizar e divulgar experiências de extensão universitária. menos excludente e desigual. Miriam Cristina Pontello Barbosa Lima Coordenadora de Programas de Extensão (13) . desenvolver o homem e o cidadão. As experiências aqui relatadas constituem trabalhos de trocas. as ações extensionistas convergem para o homem e seu meio. o comprometimento e a criatividade dos trabalhos desenvolvidos durante o ano de 2007 que. da auto-estima. em um constante diálogo com os saberes sistematizados da academia. O conjunto de atividades aqui reunidas expressa a responsabilidade de todos os que circulam na universidade: a de que ela possa se tornar. um centro irradiador de cidadania. longe de serem assistencialistas. cada vez mais. eventos. Os relatos prestados neste número reiteram a valorização de culturas locais e populares. a pesquisa e a extensão. com o propósito de desenvolver a conscientização do lugar social que ocupa e da importância que representa na sociedade. sobretudo.

Programa UNICOMUNICAÇÃO (14) .

Érica Moreira Viana e Aline Zapulla Batista. Felipe Francis. Os projetos. produção e eventos. o projeto Comunica a ação. dentro da estrutura da “agência”. compartilhando recursos e práticas de tecnologias de informação adequadas a cada área.PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO As atividades deste programa constituem-se referência para a valorização da produção técnica. vinculado ao curso de Publicidade e Propaganda do Uni-BH tem como objetivo desenvolver programas de comunicação para captar recursos financeiros e humanos. Cádmo César Coelho Bittencourt Alunos bolsistas: Thiago Ferreira Caetano e Bruna Galvão Saliba Alunos voluntários: Anne Lívia Alves. o projeto é de grande importância (15) PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO . ou seja. integrando o saber acadêmico a outros saberes e espaços sociais. por meio de ações que buscam diminuir a exclusão asilos e outras instituições beneficentes. Rose Lana Sassaki. Thaís Gervásio. Independentemente do nível de conhecimento do estudante. Coordenador: Prof. econômicos e políticos. assessoria e consultoria de marketing e Publicidade e Propaganda.UniBH. forma de doações e voluntariado. no Centro Universitário de Belo Horizonte . o em marketing. o respeito ao pluralismo Atendendo aos objetivos do projeto pedagógico e à diversidade. social. Renata Kelly Borges. Desenvolve-se a sensibilização do do curso em vários aspectos. científico e tecnológico dos países. meio ambiente. Todas essas atividades são executadas por estudantes Projetos de comunicação – a inscrição pode ser feita por alunos regularmente matriculados em qualquer Agência de comunica a ação: uma das habilidades da comunicação. atendimento e desenvolvimento de comunicação via internet. Izabella Cloff. Daniela Cruz Silva. o Comunica a ação público participante nas atividades extensionistas funciona como uma agência de propaganda. promovidas pelas diferentes habilitações da Comunicação Social. Com isso. incluindo também humano. se isso for adequado ao cliente. e de criação. com para a relevância da relação íntima entre os todas as áreas de atividade: oferece consultoria valores sociais. Pedro Henrique Laguardia. da pesquisa e da prática profissional em Comunicação. Produção propaganda a instituições sociais Editorial e Relações Públicas. científica e acadêmica. de maneira genérica. para creches. em Promove-se. os futuros profissionais podem desenvolver seus conhecimentos. e o estágio de desenvolvimento mídia. um intercâmbio de experiências. cursos e outras modalidades desenvolvidas pelo Programa UniComunicação vêm contribuir para o desenvolvimento do ensino. práticas e aptidões técnicas em suas respectivas áreas de preferência. Em atividade desde o início deste ano. a construção da cidadania. assim. eventos. Jornalismo. culturais. Felipe Batista. além de valorizar a disseminação da informação e da produção científica. no trabalho de extensão à comunidade. projetando-se para a interatividade.

que têm nome e imagem consolidados. No Brasil. Além disso. vinda. de A grande importância do projeto é que as forma que crianças e idosos são beneficiados. No caso do presente justas para as mesmas. os estudantes envolvidos no projeto terão grandes chances de desenvolver A primeira é que o trabalho prático realizado grande variedade de atividades práticas. mas ter a consciência de que captar recursos humanos e financeiros é vital para inúmeras instituições beneficentes que não contam com recursos dos governos. Consoante os objetivos do projeto. grande parte para sua formação integral. não se trata de desenvolver campanha de comunicação de marketing social como “porta-voz de pedinte”. dos recursos (humanos e financeiros) de instituições beneficentes é captada através de atividades Comunicação pela cidadania: pró-ativas de seus administradores. ao escolherem ou definirem clientes a serem trabalhados em atividades acadêmicas. veiculação e mensuração dos resultados. realizada por ainda ter conotação de donativos solicitados por “pedintes”. planejamento de mídia. a quebra sensibilização dos seus diversos públicos sempre desse paradigma pode trazer duas grandes demandam atividades e qualquer “ajuda” é bemvantagens. desenvolvendo trabalhos para grandes clientes multinacionais ou empresas nacionais de grande e médio porte. produção. o a Instituição se insere. criação empresa. bem como diagnosticar acesso dos estudantes às informações é muito situações de mercado com base na análise dos dificultado pelos executivos detentores de pontos positivos e negativos. projeto desenvolve-se propaganda para instituições sociais. essa construindo possibilidades de prática ainda é tímida e. Sob esse aspecto. por aspectos óbvios. dos anúncios.para o aprendizado. já que muitas vezes estes Esse tipo de trabalho traz maior visibilidade e são liberados em trocas políticas nem sempre status. preferem atuar na área comercial. principalmente. desenvolvimento poder nos grandes setores e departamentos da de conceitos e temas de comunicação. instituições que não visam a lucro e dependem da Para os estudantes principalmente. Marili de Souza Gomes Aluna bolsista: Patrícia Ivana de Araújo Alunos voluntários: Maria Elisa de Macedo Rodrigues e Willian Nunes Dias O projeto atua no planejamento e execução da comunicação para a mobilização social e se destina as entidades e projetos comunitários geralmente excluídos da grande mídia e das (16) . profissionais e até mesmo alguns estudantes. como creches e asilos. o aluno estará “caminhando” do Fundo Cristão para as Crianças. porque as agências de propaganda já estabelecidas. já que possuem profissionais e agências registro de informações sobre o ambiente onde especializadas para o trabalho. segundo informações de diretor essas atividades. Com Nos Estados Unidos. não é desenvolvimento e participação social Coordenadora: Profª. para empresas multinacionais não é valorizado como desenvolvimento de ações para coleta e por elas.

buscando a efetivação da prática multidisciplinar. formadores de que sejam capazes de mobilizar as comunidades opinião e categorias profissionais ligadas aos locais em torno dos objetivos e metas propostos. em 2007 está sendo feita. sociologia e meio ambiente urbano. Nele. Coordenadora: Profª. Israel Campos O. em parceria com o Grupo Cultural Arautos do Gueto (tema de matéria da edição de 2006). são estimulados a estabelecer relações com as fontes de modo a tratá-las como sujeitos e não O que se propõe é o planejamento de comunicação objetos de informações. uma oficina de comunicação para moradores do Morro das Pedras. Com este trabalho estamos treinando jovens da comunidade para atuar na área da comunicação social de maneira autônoma e produzir boletim informativo sobre atividades culturais e prestação de serviços no Morro das Pedras. (b) um espaço inter-relacional que visa à prática do trabalho e ao intercâmbio de conhecimentos. há espaço para publicações de textos de pessoas normalmente excluídas das mídias tradicionais. Em consonância com esses objetivos. antropologia. Maria Cristina Leite Peixoto Colaboradora: Profª. que coloque em ação ferramentas e instrumentos interessa a um público amplo.condições de aquisição dos próprios meios de produção do jornal é o fato de que os estudantes comunicação. Isabela Abrantes da Silveira. Para tanto. Jornal da Rua O projeto representa: (a) uma possibilidade de interação entre a universidade e a comunidade na qual ela se insere. jornalismo cívico. legitimando a troca de conhecimentos entre os vários atores sociais. Adélia Barroso Fernandes Alunas bolsistas: Virna Fabrini Lagoeiro Lins e Fernanda Godinho de Souza Alunos voluntários: Luana Silva Costa. constituído de comunicacionais específicos em cada caso. para que possam falar e escrever sobre suas experiências e visões de mundo. temas abordados. As referências teóricas que norteiam o projeto estão ligadas aos temas comunicação social. região oeste de BH. Souza e Daiane Rodrigues Guedes O Jornal da Rua é uma publicação cuja temática central é a cidade que se caracteriza pela pluralidade de textos. isto é. e (c) um canal aberto a escutar e a disseminar vozes não-oficiais e saberes reconhecidamente não-científicos. Ponto central na (17) PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO . Distribuído gratuitamente. direitos humanos. agentes culturais. acredita-se que nenhum outro modo a não ser o processo comunicativo poderia melhor se adequar a essa prática. autores e perspectivas. a coexistência das epistemologias do conhecimento. para estudantes.

Rafael Luiz Mariani Nogueira e Tatiana de Carvalho Bastiani A Unesco lançou. através de intervenções planejadas pelo grupo de estudantes do curso de Jornalismo do Uni-BH. 2006). O projeto visa desenvolver. através do Festival de Inverno em Sabará. Centro Educacional Estêvão Pinto e Escola Municipal José de Calasanz. leitura e escola do curso de Jornalismo do Uni-BH. a PUC Minas no 12º Seminário de Letras e no 16º Congresso de Leitura do Brasil. a leitura crítica do texto jornalístico entre professores e alunos da educação básica de uma comunidade escolar parceira. através da mudança de perspectiva de leitura do texto jornalístico. Ana Rosa Vidigal Dolabella Aluna bolsista: Danúsia N. na Unicamp. além de buscar contribuir para o letramento social dessa comunidade.Jornal. Neste projeto. o projeto encontra-se afinado com os objetivos de uma educação em mídia proposta nos moldes internacionais: busca-se o desenvolvimento das capacidades leitoras e Este ano. além das comunidades acadêmicas do Uni-BH. Nesse panorama. procurou-se evidenciar a percepção crítica da comunidade escolar envolvida sobre o texto impresso noticioso pela conscientização de suas dimensões situacionais de comunicação social em uma perspectiva interdisciplinar. leitura e escola importantes agentes de letramento midiático. 2006. desenvolvido no curso de Pedagogia do Uni-BH. Coordenadora: Profª. comunidades externas: grupo de professores da rede pública da Secretaria Municipal de Nova Lima. um programa de ensino modular que compreende estratégias de desenvolvimento de ações destinadas a uma educação para a mídia. M. insere-se o projeto de extensão Jornal. Charaudeau. Este projeto de extensão tem vínculo com o projeto de pesquisa Letramento midiático e formação de professores. o projeto atuou em diferentes crítica na escola pela formação dos professores. Gomes Alunos voluntários: Joana Karla de Lima Gomes Suarez. em julho. (18) . em 2006/2007. através da interdisciplinaridade. No segundo ano letivo. constitutiva de qualquer ação educativa que se proponha efetiva (Kleiman.

através da parceria institucional com a Associação Imagem Comunitária (AIC). Além disso. com o intuito A Mobiliza Som é uma produtora experimental de áudio que funciona como projeto de extensão vinculado ao curso de Publicidade e Propaganda do Uni-BH. Foi iniciada também a gravação de um CD do gênero rap que discute questões como a desigualdade social. A relevância social do projeto está na possibilidade de oferecer ao Instituto Haartman Regueira (IHR . Virgínia Borges Palmerston Alunas bolsistas: Fernanda Soares de Miranda Santos e Juliana Cestaro de Souza Aluno voluntário: Renan Alves dos Santos. Seu objetivo é desenvolver ações no sentido de promover ações em torno da cidadania e a formação na área de produção em áudio e rádio. O projeto busca destacar a área do jornalismo organizacional como parte integrante das atividades de relações públicas e surgiu da verificação de que as organizações internas são veículos da maior importância para a comunicação interna e externa. a exclusão e a realidade dos deficientes em nossa sociedade. foi finalizado o piloto do programa Mobiliza Som. (19) PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO . o projeto deu continuidade à coordenação das atividades da Rádio Sanfa.Mobiliza Som: produtora experimental de áudio emissora interna que funciona no Instituto São Rafael produzida e apresentada por pessoas com deficiência visual. Paola Aparecida Caeiro de Souza. Renato Costa Villaça Aluno bolsista: Flávio Henriques Charchar Alunos voluntários: Aline Gonçalves de Almeida Oliveira.uma Oscip que busca integrar empresas e organizações da sociedade civil. Pedro Henrique Barros e Clarina Arix Mol Soares Coordenadora: Profª. Publicações empresariais como instrumento de relações públicas Coordenador: Prof. Em 2007. dedicado à divulgação e debate em torno da música independente local.

radiodramas. denominado Educomunicação. Dessa forma. Considera-se essa apropriação necessária com visual agradável.O projeto consiste na realização de oficinas de capacitação para a produção de programas radiofônicos. notícias e foi estabelecido que a divulgação do fórum e entrevistas. considera que procedimentos voltados para a A. que recebeu o nome FIS e faço. Através de atividades Os caminhos seguidos para que sejam atingidos lúdicas. Tal evento. proporcionado à Oscip a construção de um veículo que contribua para atingir os objetivos da organização. Publicidade e comunidade: produção para radialismo comunitário Coordenadora: Profª. bimestralmente. cujas temáticas remetem aos problemas a cobertura dos temas trabalhados no evento e questões vivenciados pelos adolescentes. se apropriam. de unir iniciativas a resultados e disposição com mobilização) um veículo que divulgue o Fórum de Investidores Sociais (FIS). Além dos projetos coordenar. por intermédio de reunião com responsáveis pela Oscip. ao mesmo tempo. relacionamento na escola. A partir do briefing. Soares apropriação dos meios e das linguagens da Aluna voluntária: comunicação por parte de crianças e jovens Bruna Ferreira Augusto Cruz contribuem para o exercício da cidadania. o respeito mútuo. os participantes O restante do jornal é composto por matérias deverão estar aptos a criar uma programação e ligadas ao terceiro setor. da organização. em Lagoa Santa. São produzidos spots. dinâmicas e práticas em grupo. da mídia. rádio que está sendo implantada na escola. como deveriam ser por intermédio de um jornal uso de drogas. com idade entre 12 e 16 anos. a criatividade e o respeito às “Muito prazer” (editorial). 4 cores. diferenças. a equipe fez a cobertura do I FIS e editou o número zero do jornal. a editorial e gráfico. os alunos os objetivos do projeto foram o conhecimento se familiarizam com o rádio e sua linguagem. impresso e distribuído em agosto de 2007. Jaqueline Morelo A literatura existente sobre esse campo de Alunos bolsistas: Larissa Elisia Leite Ferreira e Cícero Gabriel de intervenção social. Este projeto tem possibilitado aos alunos a prática da criação de projeto gráfico e editorial de house organ e. ainda que de forma experimental. violência. aos diferentes processos comunicacionais e seus destaca duas colunas fixas: “FIS diferença” reflexos na sociedade. os alunos impresso. Também são objetivos do (entrevista com um palestrante do fórum) e projeto estimular a cooperação. formato A4. ao final. o protagonismo. já aprovados pelo IHR. promovido pelo IHR. Participam das oficinas alunos matriculados na Escola Municipal Herculano Liberato de Almeida. Este (20) . O projeto editorial da para que tenham uma postura crítica frente publicação. uma vez que. de forma coletiva e democrática. com diagramação que permita adequada distribuição das matérias. O projeto gráfico propôs um jornal de 8 páginas. gravidez precoce. convida palestrantes para debater o investimento social.

projeto de extensão é desenvolvido em parceria com o projeto O rádio e a educação: a mídia radiofônica contribuindo para o exercício da cidadania na escola e na comunidade, que obteve o primeiro lugar no Prêmio Bom Conselho 2006, do Instituto Telemig Celular. Com o prêmio, estão sendo adquiridos os equipamentos da rádio que será implantada na escola.

Requalificação comercial da Rua Itapecerica: desenvolvimento de uma programação anual de eventos e plano de divulgação publicitária

Rádio escola ponto com

Coordenadora: Profª. Wanir Terezinha C. Araújo de Siqueira Colaboradora: Profª. Waldiane de Ávila Fialho Aluno bolsista: Maney Vilela Nogueira Alunos voluntários: Rômenia Felipe Souza, Rodrigo da Silva, Michelli G. do Carmo Leal Oliveira, Jeidy Daise de Oliveira, José Sérgio Niquini Júnior, Isac Arriaga, Bianca Vargas e Tiago Pereira

Coordenador: Prof. Admir Roberto Borges Alunos bolsistas: Gisele Ferreira Graciani e Letícia Medeiros Ribeiro de Oliveira Alunos voluntários: Cibelle Costa Bernardes, Gleisson Antônio Mateus, Samantha Junqueira Pereira e Natália Coelho dos Passos É proposta deste projeto a requalificação comercial da Rua Itapecerica, bem como a interatividade e troca de saberes entre comerciantes locais e a comunidade acadêmica do Uni-BH, no tocante aos formatos e conteúdos estratégicos adequados ao desenvolvimento e qualificação dos lojistas e funcionários. Desde o ano de 2006, a escolha da Rua Itapecerica se deu por sua importância e tradição no comércio e na vida da cidade. Nesse sentido, a proposta se ajusta aos objetivos do Programa UniComunicação, viabilizando uma relação transformadora entre universidade e a comunidade vizinha.

O projeto tem por objetivos criar, formatar, produzir e veicular via web, programas radiofônicos e hotsites elaborados em parceria com colégios da capital. A partir de conteúdos ligados às disciplinas trabalhadas com crianças e adolescentes em sala de aula, são definidas as pautas para que se efetivem os objetivos propostos, culminando com a inserção desses Dessa forma, estamos em busca do empreendimento produtos editoriais nos sites das respectivas de uma requalificação fundamentada, no cenário que se apresenta, oferecendo uma base de escolas parceiras. conhecimentos teóricos e técnicos de comunicação,

(21)

PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO

marketing, atendimento e vendas. Assim, procura-se pôr ênfase em produtos acadêmicos decorrentes das ações de extensão na forma de capacitação, site da rua, workshop, cronograma anual de eventos e um plano de divulgação das atividades propostas. Outro importante desafio foi introduzir o aluno no contexto da dinâmica e das dificuldades locais, por via de um planejamento metodológico adequado ao diagnóstico das demandas existentes, para que se pudesse efetivar o trabalho, tendo em vista um ganho amplo e concreto para o projeto de extensão. Realizaram-se, ao longo das atividades, pesquisas, reuniões e debates com lojistas, o que possibilitou a constatação de que esses profissionais, de maneira geral, necessitavam de conhecimentos mais especializados para se adequarem ao ambiente competitivo de hoje.

Coordenador: Prof. Melquíades Almeida Lima Colaboradora: Profª. Lúcia Helena de Araújo Alunas bolsistas: Ludmilla de Souza Mascarenhas e Natália Dutra Rocha Alunos voluntários: Natália Resende Guimarães, Cícero Gabriel de Alburquerque Soares e Dayana, Mara de Souza Veríssimo

É necessário, portanto, que se dê continuidade ao presente projeto, pois é preciso trabalhar no sentido de se resgatarem a importância e a autoestima da comunidade comercial, além de se alcançar um dos principais objetivos do projeto: fazer com que a Rua Itapecerica volte a ser um centro de compras de grande visibilidade na Um olhar sobre a Lagoinha é um projeto para capital mineira. produção de um documentário de 51 minutos sobre o bairro Lagoinha, situado na região noroeste de Belo Horizonte. No início de Belo Um olhar sobre a Lagoinha: produto Horizonte, a região mais próxima da zona audiovisual do gênero documentário urbana comercial em formação era o bairro da Lagoinha, onde foram residir imigrantes italianos, portugueses e espanhóis, que vieram trabalhar na construção da capital de Minas Gerais. Na década de 40, a Lagoinha experimentou um extraordinário crescimento, tornando-se o segundo centro comercial da cidade. Entretanto, segundo a arquiteta Cláudia Mattos Gonzaga, em sua dissertação Lagoinha, um espaço natimorto, defendida na UFMG em 25/06/1999, “a Lagoinha parece ter nascido fadada à decadência e à degradação. Berço da boemia belo-horizontina, o bairro não recebeu a atenção que merecia, deixando a impressão de que veio ao mundo para morrer

(22)

logo em seguida”. Os boêmios de Belo Horizonte não se esquecem da velha Lagoinha, um bairro de limites difusos, mas de características marcantes. Escondida pela rodoviária, cortada por viadutos e radicalmente transformada com a chegada do trem metropolitano, a Lagoinha foi o reduto de seresteiros, dançarinos e amantes da noite de Belo Horizonte. Ali, a menos de um quilômetro do centro da cidade, a vida era outra. O bairro praticamente vivia à margem da capital, com seu comércio agitado, os botequins sempre abertos e cheios, com as pensões, o ribeirão Arrudas, o mercado, as farmácias, os camelôs, as delegacias, o barulho do trem do subúrbio e cinemas. Essa paisagem era emoldurada, no lado oposto, pela rotina dos bairros da Graça, Colégio Batista, Concórdia e um pedaço da Floresta, separados da Lagoinha por uma colina, os quais, ainda hoje, abrigam típicas famílias de classe média com uma tranqüilidade própria das cidades do interior. Espremida entre esses bairros e o centro de Belo Horizonte, a Lagoinha fervilhava dia e noite, na pura boemia, e se perdeu no crescimento da cidade que, inevitavelmente, pediu passagem para estender-se às regiões que o bairro dividia. A Lagoinha boêmia começou a morrer com a construção dos viadutos que ligam o centro de Belo Horizonte à zona norte da cidade e recebeu o golpe de misericórdia com o trem metropolitano, que determinou a construção de modernas plataformas de embarque e desembarque, bem no coração do bairro, atrás da rodoviária.

Durante décadas, comerciantes, moradores, alunos, funcionários e professores da Fafi-BH, hoje Uni-BH, foram testemunhas das transformações por que a Lagoinha passou. É exatamente esse olhar que queremos resgatar com esse projeto de documentário, que pretende trabalhar com documentos escritos, fotográficos, filmes e entrevistas com moradores, comerciantes, boêmios, trabalhadores e estudantes que fizeram a história da região.

O uso da criação publicitária como ferramenta estratégica no desenvolvimento de ações de comunicação para o projeto “centro de qualificação profissional alimentar”
Coordenador: Prof. Alexandre Mota Silva Colaborador: Daniel Rezende Campos Aluna bolsista: Andréa de Lima Monteiro Alunos voluntários: Rafael Aguilar de Oliveira e Rhyana Patricia Neves Carvalho O projeto está focado na criação de ações e de peças de comunicação publicitária com responsabilidade social. O principal objetivo é aplicar teorias da criação publicitária para formatar a comunicação das instituições parceiras. Pretende-se trabalhar a criação publicitária como forma de maximizar a eficiência e, conseqüentemente, o benefício social da Instituição. A intenção é usar conceitos da teoria da propaganda, da redação publicitária e da direção de arte na criação de ações de comunicação estratégicas para instituições que possuem carências para divulgação das informações.

O lugar ainda carrega o nome, mas a sua marca registrada só existe mesmo na lembrança de boêmios renitentes. O mercado e os cinemas foram implodidos e substituídos pelas plataformas do metrô, muitas pensões fecharam e o Arrudas foi canalizado. Foi para o bairro da Lagoinha que a antiga Fafi-BH se transferiu nos anos 60, vindo do anexo do Colégio Municipal da Gameleira, onde iniciou suas atividades, e se faz presente Assim sendo, pretende assessorar essas instituições até hoje. em suas necessidades comunicativas, trabalhando

(23)

PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO

Foram explorados os recursos de cada equipamento na captação de áudio e vídeo. isso. O objetivo principal dos estudos oferecidos no Curso Básico de Operação de Câmera visou. trilhas. mensagens. objetivas e suas aplicações. Foram apresentadas noções básicas de linguagem. desenvolvido pelo IBICT. oferecerlhe condições para processar o próprio material em laboratório fotográfico e analisá-lo O Departamento de Ciências da Comunicação posteriormente. Frederico Dávila Machado da democratização de conteúdos científicos. conta com um conselho científico formado por pesquisadores de várias universidades Curso básico de operação de câmera brasileiras. Terezinha de Fátima Carvalho de Souza Aluna bolsista: Juliana Lopes de Almeida Souza Fotografia convencional Coordenador: Prof. produção e montagem de vídeos. Geraldo de Castro Ramos O curso teve o objetivo de capacitar o aluno para editar vídeo e áudio por meio de aulas teóricas e práticas. Eventos Palestra: Son Salvador (chargista do jornal Estado de Minas) (24) . voltado para as atividades e diafragma. Através de aulas práticas e teóricas. Na prática. Para ampliação de fotos P&B. informações teóricas de extrema importância para a formação de profissionais da área. (DCC) criou a revista on-line. a inserção de créditos. a capacitação do aluno a operar a câmera e seus periféricos. A revista utiliza o programa SEER. O curso teve a duração de uma semana (4 horas diárias e um total de 20 horas/aula) e abordou Cursos Curso básico de edição digital Coordenador: Prof.a forma e o conteúdo do discurso. dentro da filosofia de Coordenador: software livre. Projeto para criação da revista eletrônica on-line do Departamento de Ciências da Comunicação Coordenadora: Profª. carregada com filme preto e branco. efeitos de transição e vários outros elementos os elementos básicos da linguagem de vídeo. por meio de aulas teóricas e prática. a linguagem fotográfica. filtros de imagem. luz natural e artificial. foram estudados a digitalização e o gerenciamento adequado de arquivos digitais. técnicas de revelação e interesse para área de comunicação. denominada E-COM-Revista Cientifica do Departamento Constituíram conteúdos do curso: a câmara de Ciências da Comunicação. com o propósito e procedimentos que viabilizaram a edição de de melhorar a recepção e o feedback dessas vídeos diversos. os filmes acadêmicas e de pesquisa com artigos de e suas especificidades. Rodney Moreira Costa O curso teve como meta capacitar o aluno a planejar a foto que deseja capturar. Além disso. do movimento do livre acesso e Prof. utilizando para isso uma câmara convencional. Trata-se de um fotográfica convencional e seus recursos: obturador periódico semestral.

O evento envolveu os alunos da área da comunicação em um proveitoso debate sobre o exercício profissional.Uni-BH (campus Diamantina) Organizadora: Profª. Talentos editoriais Data: 20 de março Local: Espaço de Convívio . do Brasil Semana de Produção Editorial Data: 17.Data: 10 de março Local: Espaço de Convívio . no último semestre.Uni-BH (campus Diamantina) Coordenadores: Jornalistas Denise Guimarães e Maya Santana O objetivo principal deste evento foi mostrar aos alunos como é o jornalismo internacional.Uni-BH (campus Diamantina) O conhecido chargista Son Salvador proferiu Organizadoras: Profas.Uni-BH (campus técnica vocal.Uni-BH (campus Diamantina) Organizadores: Professores Supervisores do LAPE e PROED (25) PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO .Uni-BH (campus Diamantina) Organizadoras: Profas. Christiane Veras Projeto Vitrine Data: 28 de março Local: Espaço de Convívio . 18 e 19 de abril Local: Espaço de Convívio . Local: Espaço de Convívio . Érika Savernini e Ludmilla Skrepchuk Soares Seminário: O jornalista brasileiro fora O seminário abordou temas relacionados ao direito do autor e sua repercussão na internet. O objetivo deste evento foi premiar os melhores trabalhos desenvolvidos pelos alunos de Relações A voz e a notícia Públicas. nas mais diversas disciplinas. Este evento teve como principal objetivo premiar os trabalhos acadêmicos dos discentes que mais Data: 12 de abril se destacaram no curso de Produção Editorial. Data: 16 de março Local: Uni-BH (campus Diamantina) Coordenador: Professor e Psicólogo Max Seminário: Direito à Informação Dolabela Data: 29 de março Este evento constituiu-se em uma palestra sobre Local: Espaço de Convívio . Andréa Faleiro e Sheila uma palestra cujo tema central foi as Histórias em Lima Quadrinhos (HQ) e a Animação. abordando a relação entre a voz e Diamantina) Organização: Laboratório de Ética a notícia no jornalismo radiofônico.

Ana R. realizadas por profissionais atuantes no mercado mineiro. o homem vive. lançando a edição comemorativa do jornal. a Amda. Érika anos do Jornal Impressão. promover a agência experimental.Uni-BH (campus Diamantina) Organização: Curso de Jornalismo Entrevista coletiva dos alunos do quarto período manhã. III Embala Minas: feira internacional Associação Mineira de Defesa do Ambiente.L. Mídia digital e ética Data: 23 de abril Local: Espaço de Convívio . Entrevista coletiva Blitz ecológica Diversitas Comunicação Data: 23 de abril Local: Espaço de Convívio . impressa e eletrônica. Diversitas Comunicação. e seu cliente. de embalagens (26) . sobre os temas: O evento teve como objetivos: conscientizar os alunos “Frei Galvão.Uni-BH (campus e teve o objetivo de celebrar os vinte e cinco Diamantina) Organizadoras: Profas. oficinas e palestras sobre as mídias digitais. foi também lançada Savernini e Patrícia Pinho mais uma edição da revista Múltipla. Semana de Produção Editorial 25 Anos de Jornal Impressão Data: 25 de abril Local: Galeria de Arte do Teatro Professor Ney Soares .Com o objetivo de fomentar a integração entre alunos e o mercado de Produção Editorial através de mini-cursos. Sheila Lima Data: 25 de abril Local: Espaço de Convívio . Local: Espaço de Convívio . Fabrício Marques e Fernanda Agostinho Este evento constituiu-se de uma exposição na Data: 17. alunos.Uni-BH (campus Diamantina) Organizadora: Profª. Bruno Burgarelli e Lorena Tárcia Este evento contemplou temas que estabelecem uma relação entre a mídia digital e a ética. da Cunha. do curso de Jornalismo. por meio de palestras sobre os mais diversos temas e assuntos pertinentes ao curso. Ludmilla Skrepchuk.Uni-BH (campus Diamantina) Coordenadores: Profs. ambos os A Semana de Produção Editorial teve como veículos são produzidos por alunos do curso de objetivo principal ampliar os conhecimentos dos Jornalismo. a vinda do Papa ao Brasil e sobre a condição ambiental dos espaços em que Catolicismo” e “Pacote de Segurança Pública”.Uni-BH (campus Diamantina) Organizadores: Profs. 18 e 19 de abril Galeria de Arte do Teatro Professor Ney Soares. realizou-se em parceria com o LET.

Os conteúdos éticos? básicos a serem desenvolvidos são: Introdução ao Semana da Comunicação Digital Data: 17 de junho Local: Espaço de Convívio .Data: 07 a 11 de maio Local: Espaço de Convívio . desenvolvidas oficinas Uni-BH (campus Diamantina) e apresentada uma exposição sobre as principais Coordenadora: Profª. WebStandarts. Introdução à composição de Camadas. Frederico José Gerken tratamento de Imagens. Ilustração Digital. A proposta deste evento é mostrar aos alunos as Humor e ética no rádio características básicas e a produção dos diversos formatos gráficos. AffterEffects. (27) PROGRAMA UNICOMUNICAÇÃO . o evento propôs Coordenadora: Profª. gráficos. Introdução ao Recorte. Jogos 3D. Sites Dinâmicos e Banco de Dados. sem perder a irreverência? A proposta desta oficina consiste em possibilitar Como fazer humor com ética e responsabilidade? aos alunos a compreensão das ferramentas básicas Como garantir o sucesso sem passar dos limites e a construção de layouts gráficos. Data: 17 de maio Local: Espaço de Convívio .Uni-BH (campus Oficina Photoshop básico Diamantina) Organização: Curso de Jornalismo Data: 04 de julho Local: Uni-BH (campus Diamantina) Realizado em parceria com o LET. O objetivo foi oferecer de possibilitar ao aluno a compreensão das ao aluno uma visão do que seria desenvolvido ferramentas básicas para criação de layouts nas disciplinas do período posterior. Patrícia Pinho discutir os seguintes temas: Como usar o recurso humor e ética no rádio. Cynthia Enoque tendências na área do design gráfico. 16 e 17 de maio Local: Uni-BH (campus Estoril) Organização: Curso de Design Gráfico Os alunos participaram.Uni-BH (campus Diamantina) Durante uma semana foram realizadas oficinas Coordenadora: Profª. em oficinas. Daniela Marcelino que permitiram a participação de alunos do curso de Produção Multimídia e de pessoas externas à Este evento foi elaborado com a proposta comunidade acadêmica. Oficina Corel Draw básico Data: 05 e 06 de julho Local: Espaço de Convívio .Uni-BH (campus Diamantina) Organização: Curso de Produção Editorial Mostra de Design Gráfico Data: 15. Oficina Formatos de mídia impressa Data: 02 e 03 de julho Local: Espaço de Convívio e Teatro Ney Soares – Foram proferidas palestras. Flash Vídeo.Uni-BH (campus Diamantina) Coordenador: Prof. de estudos sobre diferentes temas de interesse imediato da comunidade do curso de Produção Multimídia: Live Image.

Programa UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA (28) .

pois. causadores de diversas patologias ao ser humano. da pesquisa e da prática profissional nas ciências da informação. que dispõe sobre as boas práticas de fabricação (BPF) em serviços de alimentação (restaurantes. consumi-los não os Projetos destrói. em todas as áreas da produção técnico-científica. Considerando-se os objetivos do Programa UniCiência e Tecnologia. é hoje o principal problema de saúde pública. matérias-primas contaminadas. compartilham. imagens paradas ou/e em movimento. desenvolvem-se mecanismos para que se integrem as mais variadas fontes de informação. falhas no processamento. A maior parte das doenças de origem alimentar é provocada por microrganismos e as principais causas apontadas são as práticas inadequadas de manipulação. tendo em vista a especificidade da área. Além de que.PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA Dois bens são primordiais para o Programa UniCiência e Tecnologia: as informações e o conhecimento. oferecem possibilidades de empresas de alimentos às boas práticas de fabricação apropriação não exclusiva. Visto por esse ângulo. Em 2004. além de constituírem dois importantes elementos para a produção de riquezas. foi editada a Resolução 216. áudio. Além disso. padarias etc. três dos processos que fizeram emergir a espécie humana . Essas empresas (29) PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA .). colocam-se em espaços Adequação de pequenas e micro comuns para todos. no entanto. submetidos à virtualização. uma vez que. se despreendem. Aline R. a virtualização não é uma ameaça das tecnologias atuais ao homem. pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). a seu lugar social ou a seus saberes. dos Santos Pinto e Priscila Celestino Almeida de Souza O consumo de alimentos contaminados. ao contrário.estão imbuídas de um movimento que encerra um “devir outro”. segundo Pierre Lévy (1996). estrutura e equipamentos deficientes e higienização inadequada. na esteira do autor. a técnica e as instituições sociais complexas . o uso da virtualização. Ainda. característica do virtual. de pensar e de criar. facilitando-lhe o acesso e o intercâmbio de experiências. Coordenadora: Profª. a cada dia mais presente em todas as nossas ações. tendo como conseqüência imediata a redução da produtividade econômica do país. Cibele Tosin Stroppa Alunas bolsistas: Fernanda Fonseca Rossi e Paula Carolina Moreira de Sousa Alunas voluntárias: Nathalia de Oliveira Viegas. aos mais diversificados suportes e formatos – multimídia.a linguagem. amplia as potencialidades humanas. preservam. sua maior preocupação é que o uso dos recursos de tecnologias esteja a serviço do homem. textos. por suas características particulares. proporcionando ao homem novas e surpreendentes formas de aprender. os valores de promoção do homem são resguardados. diferem-se de outros bens. pois as atividades desenvolvidas pelos professores alunos e comunidade envolvida otimizam a gestão da informação técnico-científica produzida na academia e a divulgam. lanchonetes. podem ser partilháveis: cedê-los não faz com que se percam. O Programa e todas as ações a ele relacionadas comprometem-se com o desenvolvimento do ensino.

para isso. Em seguida. O agronegócio tem grande importância na geração de divisas para o país e. a tequila do México. é necessário um delineamento e redação do manual de boas práticas de do perfil de consumidores. As equipes de trabalho são constituídas por dois a três alunos para cada empresa atendida. Inicialmente. estabelecimento. Cléia Batista Dias Ornellas Aluna bolsista: Hamida Joseph Dadian Moreira (30) .constituem o setor mais implicado na ocorrência de casos de toxinfecções alimentares. a produção de cachaça mais que triplicou entre 1970 e 1999. que não dispõem de recursos para financiar consultores especializados. saindo de 418 milhões de litros para cerca de 1. são realizadas ações conjuntas das empresas e equipes de trabalho para adequação das não-conformidades: treinamentos dos manipuladores sobre higiene pessoal e preparo higiênico de alimentos. entre outros. quando então fabricação (BPF). com propostas de correção das não-conformidades observadas. são executadas ações para adequação higiênico-sanitária de pequenas e micro empresas de alimentos. Rafael Lobo Ladeira e Leonardo verificação baseada na Resolução 216/2004. segundo o Sebrae. são realizados levantamentos Alunos voluntários: das condições higiênico-sanitárias dos Artur Pires Pimenta e Santos. Identificação do perfil sensorial do consumidor mineiro de cachaça de alambique Coordenadora: Profª. implantação e redação dos procedimentos operacionais padronizados (POP). o conhaque da França. assim como seus respectivos produtores. Patrícia Alvisi estabelecimentos. Luna de Carvalho Os levantamentos são utilizados na elaboração de relatórios em que são apresentadas a avaliação global dos estabelecimentos e a avaliação de cada conjunto de requisitos higiênico-sanitários. a proposta das associações de produtores de cachaça de alambique é tornar o produto tão conhecido no mundo como o uísque da Escócia.5 bilhão de litros anuais. Os relatórios de avaliação são acompanhados de planos de ação. implantação Mas. através de uma lista de Galastro Perez. Em função disso e aliado ao desejo de aumentar significativamente as vendas e ainda conhecer seu consumidor. Através do projeto BPF do curso de Engenharia de Alimentos do Uni-BH.

o processo Projeto Vitasopa: secagem solar de frutas e olerícolas visando à redução de de desidratação de olerícolas e frutas foram desperdícios. o objetivo deste projeto é conhecer e Barbosa traçar o perfil sensorial da cachaça de alambique Alunos voluntários: e. bem como quanto a A unidade de Contagem/Ceasa é a única sabor amadeirado. por exemplo. Renato Lins Pires Alunas bolsistas: Raíssa Cunha Bernardes e Marcela Alves Nesse sentido. Em outras unidades existentes no interior de Minas Gerais (Janaúba. Neste ano. oleosidade. então. aroma adocicado. a unidade de Contagem/ Ceasa. tornando-a conhecida internacionalmente como uma bebida genuinamente brasileira. doce ou ácido. combate à fome e geração implantados com sucesso. frutal e ácido. a desidratação de alguns alimentos. neste semestre. As atividades desenvolvidas neste trabalho se basearam na identificação do perfil sensorial de consumidores da região de Belo Horizonte. que é destinada a creches escolas e asilos. seleção e treinamento de uma equipe sensorial capaz de realizar avaliações (degustações) de bebidas de diferentes. classificá-la quanto. assim. A matéria-prima é transportada em caminhões e. marcas e origens baseadas em atributos de qualidade e. produtora da sopa pastosa Vitasopa. bem como na padronização do produto no mercado nacional e internacional. excedente da produção de olerícolas e frutas. Lúcia Peret de Almeida Colaborador: Prof. a limpidez. oriundas do interior do Estado.poderão ser conhecidos os atributos sensoriais desejáveis e a padronização do produto nacional – a cachaça de alambique –. na unidade. auxiliar as associações de produtores de Henrique Portilho Maia e Sérgio Henrique Silva cachaça de alambique na obtenção e garantia da qualidade. iniciou. a principal linha de produção está destinada à sopa pastosa. sopa liquida processada. é selecionada e destinada à produção. envasada e esterilizada. Coordenadora: Profª. brilho. (31) PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA . a partir de pesquisas de opinião. ou seja. Atualmente. em caráter experimental. de empregos (parte II) O projeto Vitasopa recebe matéria-prima obtida através de doações. Montes Claros e Uberaba).

como batata, banana e cenoura, utilizando as mesmas condições das demais unidades em funcionamento. O objetivo é encerrar a produção da sopa pastosa.

Introdução à informática para crianças e adolescentes (Módulo I - Básico de informática, Módulo II - Introdução à programação de computadores e Módulo III - Introdução à robótica)

Os bolsistas e voluntários que desenvolveram este trabalho realizaram visitas à Ceasa/Contagem, acompanhamento da produção e produziram um relatório dos processos. Os estudos foram iniciados a partir desse ponto, visando a aprimorar os conhecimentos sobre as diversas situações encontradas na seleção da matéria-prima e nos critérios utilizados durante o processamento. Foram possíveis as seguintes ações: avaliar as reações que provocam a degradação da matériaprima durante o transporte até a indústria; acompanhar a produção de sopa esterilizada (já no período final de fabricação); acompanhar a produção da desidratação de alimentos (observar os controles de tempo e temperatura de processo). Baseados nesses estudos e em discussões do grupo formado pelos professores e alunos, foram elaborados relatórios, e promovidas palestras de treinamento, além da produção de material teórico para uso durante as diferentes etapas do trabalho.

Coordenadora: Profª. Miriam Lourenço Maia Colaborador: Prof. Evandrino Gomes Barros Aluno bolsista: Gustavo Corradi Coelho Alunos voluntários: Wellington Soares Santos Tavares e Hugo de Souza Ribeiro Este projeto teve por objetivo ensinar a informática básica, desenvolver em crianças e adolescentes a capacidade de programar computadores e apresentar o processo de construção simples de robôs programados. Visou, ainda, a estimular a criatividade e o desenvolvimento do raciocínio lógico. Na informática básica, o aluno aprendeu a usar as ferramentas básicas de um computador: edição de textos, planilhas e acesso à internet, entre outras. Na programação de computadores, apoiada pela ferramenta gráfica Toon Talk, o aluno foi introduzido nas primitivas básicas de programação (variáveis, iteração, seleção etc).

(32)

Finalmente, na robótica, ele percebeu o processo de construção de robôs em todas as suas fases (planejamento, montagem, programação e teste). Executado pelo curso Ciência da Computação do Uni-BH, já há alguns semestres, o projeto, atendeu, no 1º semestre de 2007, 12 adolescentes da Escola Municipal Oswaldo Cruz e 18 da Escola Municipal Aminthas de Barros, próximas ao campus Estoril.

No final do semestre, foi realizada uma reunião com a responsável de cada escola participante, a fim de se fazer uma avaliação dos resultados do projeto e se discutirem melhorias para o semestre seguinte. Para avaliar o projeto, os pais e os professores dos alunos, assim como eles próprios, receberam um questionário a ser respondido e analisado até o ultimo dia letivo do semestre.

Sistema de Pesquisa e Extensão do UniSua execução, nesse semestre, contemplou BH (Sipex)
três módulos seqüenciais em laboratórios de computação do curso: 1) Introdução à informática, com carga horária de 48h, sendo seis horas semanais, distribuídas em dois dias; 2) Introdução à programação de computadores, com carga horária de 15h, sendo seis horas semanais, distribuídas em dois dias; 3) Introdução à robótica II, com carga horária de 30h, sendo três horas semanais, distribuídas em um dia. O módulo do projeto contou com material didático próprio, cujos conteúdos foram apresentados através da utilização de data-show, exercícios, exemplares e desafios. O material didático, a preparação e o ministrar das aulas foram de responsabilidade de alunos do curso de Ciência da Computação, sob a orientação dos professores envolvidos no projeto. Coordenadora: Profª. Magali Maria de Araújo Barroso Colaboradores: Daniel Hasan Dalip, Flávia Ozana O Sistema de Pesquisa e Extensão do Uni-BH (Sipex) desenvolveu-se com o propósito de dar suporte administrativo às atividades de pesquisa e extensão da Instituição, para centralizar o registro de dados e garantir que a recuperação de informações se realizasse de forma segura e rápida. Constituiu-se de três módulos: Cadastro, Avaliação e Acompanhamento. O módulo de Cadastro, disponibilizado para o registro de atividades a serem desenvolvidas em 2008, possui seis abas que, quando acessadas, solicitam informações acerca da identificação, caracterização, instituições envolvidas, equipe, infra-estrutura e cronograma (de atividades e financeiro) das propostas de pesquisa e extensão. Também neste módulo, o proponente pode preencher o questionário sobre suas realizações acadêmicas e profissionais, cuja avaliação, conforme determinação da PGPE, é utilizada na fase de classificação das propostas. O registro da proposta pode ser feito completa ou parcialmente, já que o sistema armazena as informações já cadastradas para posterior complementação. Estando toda a proposta cadastrada, o proponente envia-a e, a partir desse momento, não mais tem acesso à edição da mesma. O arquivo pode ser impresso, gerado

(33)

PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA

em PDF, com todas as informações constantes na proposta enviada. Na fase de Avaliação, os colegiados e pareceristas têm acesso às propostas e podem emitir seu parecer. Durante todo o processo, o proponente pode acompanhar o trâmite da proposta, tendo acesso aos pareceres emitidos. A fase de Acompanhamento das atividades permite aos pesquisadores e extensionistas o preenchimento de relatórios e a constante atualização do desenvolvimento de suas atividades.

O público alvo do Matlab foram estudantes de diversas áreas que necessitavam de alguma ferramenta matemática computacional.

Matemática financeira com o uso da calculadora HP12 C

Cursos
Rede Wireless
Coordenadores: Profs. Antônio Evangelista de Freitas e Nestor Volpini Coordenadores: Profs. Elmar Alves Peixoto e Helder Rodrigues da O curso teve como objetivos: capacitar o aluno Costa no projeto e análise de problemas em redes wireless; apresentar técnicas de simulação e O curso visou, principalmente, capacitar o de medição em sistemas reais; fazer com que o participante para a realização dos principais aluno possa analisar vulnerabilidades e aspectos cálculos financeiros com a calculadora HP. O de segurança, oferecer conhecimento sobre público alvo para este curso foram executivos tecnologia emergente. Os alunos participantes do varejo e dos serviços em geral, compradores, tiveram como público alvo instaladores, projetistas vendedores, analistas de crédito, operadores de e administradores de redes que pretendiam telemarketing, atendentes e gerentes, bem como implantar ou que já possuíam sistemas wireless alunos e funcionários da Instituição. LANs em suas redes.

Estatística aplicada Matlab
Coordenador: Prof. Mauro Lúcio Lobão O objetivo do curso foi propiciar aos iniciantes noções básicas de Matlab, seus recursos, suas possibilidades, sua estrutura e sua utilidade como ferramenta auxiliar para os estudantes de todas as áreas, introduzindo operações e conceitos básicos de Matlab. Coordenador: Prof. Paulo Roberto Agrizzi Nacaratti Local: Laboratório de Informática do Bloco B8. Promoção: Curso de Administração Os objetivos básicos do curso foram: possibilitar a compreensão dos conceitos básicos e a aplicação da estatística para o profissional de Ciências Exatas e Tecnologia; desenvolver a capacidade de leitura e interpretação de dados estatísticos

(34)

auxiliar na utilização dos mais variados instrumentos estatísticos. O objetivo Tecnologia de Informação principal do evento foi promover a atualização Data: 02/05 a 04/05/2007 de tópicos avançados da área de tecnologia da Promoção: informação e da informática. divulgar trabalhos e projetos desenvolvidos pelos alunos. O curso teve uma participação significativa de alunos e funcionários da instituição. e ministrados mini-cursos por professores e alunos. além de ter contado com a parceria da empresa Minitab Brasil que contribuiu com a oferta de pastas. foi de relevante contribuição renomados. promover mini-cursos para apresentar a apresentação de projetos e trabalhos aos alunos ferramentas e tecnologias adotadas desenvolvidos pelos alunos. Com o objetivo de ambientar os calouros à vida acadêmica e às ferramentas utilizadas no curso. palestras e minicursos. professores e alunos. foram Curso de Ciência da Computação e Tecnológicos realizados 12 mini-cursos e 23 palestras.Uni-BH (35) PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA . 19. pelo mercado. proferidos e desenvolvidos por profissionais I Jornada Acadêmica de Gestão de especializados. Mês do OpenSource Uni-BH Data: 12. CD Rom e canetas. professores e alunos. Data: 2 a 4 de maio Local: Auditório do Bloco B5. conferências. palestras e mini-cursos. Curso de Gestão de Tecnologia de Informação Sun Tech Days 2007 V Jornada Acadêmica de Ciência da Computação Data: 19 de abril Local: Teatro Professor Ney Soares .em pesquisas científicas. participar Além das atividades que visavam o alcance de relatos e experiências de profissionais desses objetivos. a I Jornada definiu: os mini-cursos apresentaram ferramentas e propiciar aos alunos palestras sobre temas de tecnologias adotadas pelo mercado. Laboratórios de Computação do Bloco B8 e salas de aula do Bloco A4 – Uni-BH (campus Estoril) Promoção: Curso de Ciência da Computação Eventos A Jornada Acadêmica é um evento que apresenta. Sistemas para Internet. essencialmente. Foram proferidas palestras ministrados por profissionais especializados. promover discussões acerca da gestão de tecnologia da informação. de Gestão de Informação e Sistemas para Internet. Como objetivos principais. interesse geral. 26 de maio Promoção: Curso de Ciência da Computação e Tecnológicos Este evento foi realizado em conjunto com a 1ª de Gestão de Informação e Sistemas para Jornada do Curso de Sistema para Internet e V Internet Jornada da Ciência da Computação. Durante o período de realização do evento foram O evento foi realizado em parceria com o curso apresentadas conferências. Em 2007.

Promoção: Curso de Matemática A Jornada Acadêmica é um evento que apresenta. tais Matemática do Uni-BH e os alunos em curso. Rosicler Miranda dos Santos. Fiat Automóveis. pesquisadores e (alunos do curso de Ciência da Computação e profissionais da área de Engenharia Elétrica e de Tecnológicos de Gestão de Informação e Sistemas Telecomunicações. Ahmad Auarek. Jornada do curso de Engenharia de Telecomunicações teve como objetivo promover o intercâmbio entre O evento foi aberto tanto ao público interno alunos.do mercado profissional para o engenheiro. no auditório do Bloco B5. dentre outras. proferidos e desenvolvidos por profissionais dias de hoje. com avaliação da tecnologia pelas companhias líderes da indústria. e foi novamente realizado no Teatro Ney Soares. A primeira falou sobre as exigências e tendências essencialmente. por meio do Sun Tech Days. o segundo abordou tema voltado para o estágio atual da implantação da TV especializados. TV Globo Minas. palestras e mini. professores e alunos. profissionais de várias empresas da área: Cemig. Buscou-se. Rosana Santana e Thaís Amaral Cláudio Lopes de Sousa. Gustavo Fernandes Rodrigues. Os objetivos do evento foram: promover o Digital no Brasil.Promoção: Curso de Ciência da Computação e Tecnológicos de Gestão de Informação e Sistemas para Internet O Sun Tech Days é o maior evento de Java da América Latina. Kelly Regina Cotosck e DA de Engenharia Elétrica e de Telecomunicações Promoção: Curso de Engenharia Elétrica e Curso de Engenharia de Telecomunicações O objetivo é oferecer treinamento técnico em Java. I Jornada de Engenharia Elétrica e V Jornada de Telecomunicações Data: 28 a 30 de maio Local: Uni-BH . latex e introdução ao Matlab incentivar a pesquisa em Educação Matemática. Durante o evento os alunos intercâmbio entre os egressos do curso de puderam realizar uma série de mini-cursos. profissionais e estudantes A I Jornada do curso de Engenharia Elétrica e a V de ensino técnico e superior.500 participantes. o evento foi renomeado para MGJUG Tech Days. O evento teve como público alvo professores e estudantes do curso de Matemática. Oliveira. TIM. Wagner Lizete Araújo e o Engenheiro da Rede Globo. e as atividades são desenvolvidas por experts. como: linux. Deniz Gonçalves de palestrantes a Diretora Executiva do grupo Catho. Este ano. contando com a participação de mais de 350 pessoas. conferências. tendo como Coordenadores: Profs. para Internet) quanto para público externo (alunos de cursos da área de computação e informática O evento contou com a participação de de escolas de Minas Gerais). Este evento ocorre todo ano na cidade de São Paulo e reúne mais de 2. (36) . proporcionar um espaço de troca de experiências docentes e divulgar pesquisas e estudos em Educação Matemática. professores. A abertura aconteceu no dia VI Jornada Acadêmica de Matemática 28 de maio. promover a interação entre desenvolvedores. nos cursos. TV Alterosa. ex-alunos.campus Estoril Coordenadores: Profs.

Luiz Antônio de Carvalho Godinho e Antônio IX Enem – Encontro Nacional de Kilson Educação Matemática Promoção: Curso Superior Tecnológico Processos Gerenciais A aula inaugural teve como objetivo. de acordo com o Promoção: DA do curso de Engenharia de Elétrica calendário institucional. O IX Enem foi um dos maiores eventos ocorridos no ano de 2007. dar as boas-vindas aos novos alunos do curso e cumprimentá-los pela aprovação no processo seletivo.A das licenciaturas (LUAL) organizou a apresentação Data: 8 e 11 de maio . que ofereceram atualização na área Rosana Santana de Martins da Matemática. e Telecomunicações. oficinas. work shops e outras atividades. primeiramente. juntamente com o D. de Data: 12 de maio vários estados do Brasil.As das licenciaturas . Promoção: Curso de Matemática e D. Reuniu cerca de 3000 pessoas. Jorge Sabatucci (UFMG). Gustavo Fernandes Rodrigues e Kelly limite de faltas permitido em cada disciplina e os Regina Cotosck tipos de avaliação existentes. Por Data: 28 a 30 de maio último. Os participantes. Deniz Gonçalves de Oliveira.Uni-BH Araújo (UFMG) e Prof. Jussara Loiola Auditório do Bloco B5 – Campus Estoril . os alunos foram instruídos sobre o sistema Local: Bloco C2 campus Estoril . Coordenadores: Profs.Aula inaugural do curso Superior LUAL tecnológico Processos Gerenciais O curso de Matemática. de três palestras ministradas por Profª Gilselda Local: Vieira Aguiar (Uni-BH). tiveram a oportunidade Local: Espaço de convívio Uni-BH de fazer contato com profissionais de alto Organizadores: Profa. exposição de livros. foram destacados aspectos relacionados à infra-estrutura do curso. no campus Estoril.Dia Nacional da Matemática mini-cursos. e os novos alunos foram convidados a visitarem os laboratórios de Idéias e Práticas Gerenciais. (37) PROGRAMA UNICIÊNCIA E TECNOLOGIA .Uni-BH de avaliação do Uni-BH. Profª Dra. que participaram de palestras. em especial quanto ao Coordenadores: Profs. Na oportunidade. estagiária gabarito.

Programa UNICULTURA E ARTE (38) .

que edificam Adriana Caldeira Cortes da Costa. pela formação de novos músicos. Tendo esses princípios atua tanto em Sabará como em todo o estado como meta. violoncelos. um tempo e de um estágio das experiências e além de música contemporânea. transformam-se na fins lucrativos. texturas. banda e coral produções artísticas como trabalhos intelectuais que ampliam a experiência do homem com o real e Coordenador: com o imaginário. Coordenador do Programa UniCultura e Arte (39) PROGRAMA UNICULTURA E ARTE . Virgílio Varela Vianna percussão. saxofones (alto/tenor). inovadora produção artística do homem e de seu violas. contribuindo para a Araújo Nébias. voltada para a divulgação da expressão de uma sociedade. audições públicas em praças e nas tradicionais de maneira significativa. tubas. com vistas a envolver os participantes grande importância no cenário cultural sabarense – professores. contrabaixos. a Sociedade Musical conquistou uma das artes. este Programa cria instrumentos e de Minas Gerais. o desenvolvimento Araújo. alunos e comunidade – em um e mineiro.PROGRAMA UNICULTURA E ARTE Projetos Sociedade Musical Santa Cecília: O Programa UniCultura e Arte valoriza as orquestra. Marcos Eloi (funcionário da Prefeitura Municipal A arte e a cultura reservam singularidade e de Sabará) qualidades que as colocam em uma posição Colaboradores Orquestra: de autonomia e independência. rompetes. como meios indispensáveis para se contemplar o mundo. flautin. tempo. Colaborador Banda: sons. atendendo a uma demanda foi adequado de forma bastante racional para o constante de diferentes e cada vez mais complexos uso do espaço nas finalidades artístico-musicais. Ainda nesse período foram divulgação e acesso da população aos bens sendo adquiridos alguns instrumentos e o prédio culturais e simbólicos. processo dinâmico de iniciativas que contribuem. João Cândido dos Santos da ética e do pensamento crítico. das potencialidades de cada um. formas. com a valorização das festas populares da cidade. clarinetas. A orquestra do conhecimento humanos. Sempre determinada em seus espaços permanentes que oferecem o ensino objetivos. com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e de dotação orçamentária dessas iniciativas. de modo a importância da arte e da cultura para a melhoria receber integrantes e alunos com uma estrutura da qualidade de vida. transformando em conhecimento Prof. a Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará é uma entidade civil. no testemunho de música barroca. flautas e trompete. Bicentenária. da Prefeitura Municipal de Sabará a sede da As atividades oferecidas redimensionam a entidade foi totalmente reformada. a Banda. experiências. para que se torne um elo multiplicador e difusor De 2001 a 2005. instrumentos de Prof. Diógenes de uma linguagem própria. repertório típico de bandas. sem Cultura e arte. movimentos. com: flauta. culturas locais. sistemas que representam e constituem a rica e A Orquestra conta com os instrumentos: violinos. Gláucia Aparecida Furtado de ampliação do conhecimento. bombardinos. para os interesses de física agradável. clarineta. trombones. Márcio Miranda Pontes cores.

Maria Tereza de Seabra Miranda O rico patrimônio histórico-artístico.Orquestra jovem de Ouro Preto Coordenador: seis a dezoito anos. face à responsabilidade de garantir a preservação e conservação desse acervo – verdadeiro testemunho de identidade cultural e de cidadania. Eugênia Felix Vianelo. Flávia Rodrigues da Silva. Patrícia Cristina de Almeida. despertou na Paróquia do Pilar e em sua comunidade – detentoras do maior conjunto patrimonial do Brasil e guardiãs desses bens – a necessidade de desenvolver atividades organizadas. Keyty Emanuelle Silva Felício. Foi. As atividades são realizadas em horário complementar ao da escola e em espaço físico localizado na comunidade à qual as crianças pertencem. Eliézer Gomes de Melo. viola. Por meio da metodologia da arte educação. Ana Beatriz Medeiros. violoncelo e contrabaixo) e vocal para 120 crianças que freqüentam a escola regular e vivem em famílias pobres. Atualmente são oferecidas oportunidades nas áreas de música instrumental (flauta doce. a orquestra-escola tem como objetivo elevar Alunos Voluntários: o nível de bem-estar de crianças e jovens de Aline Lopes. conservação e restauração do acervo patrimonial. Fabiana Mara Rodrigues. Letícia Eline Silveira. Márcio Miranda Pontes Colaboradores: Adriana Caldeira Cortes da Costa. Flávio Oliveira de Araújo. violino. Cristina Araújo de Oliveira. Bárbara Ferreira do Lago. Amanda Costa. Nicole Marinho Horta. formando mão-de-obra para a execução do rico acervo de manuscritos musicais da paróquia. que vem desenvolvendo atividades de preservação. Instrutor: Evandro dos Passos Xavier Alunos bolsistas: Alcileny Pereira de Barros. então. criado um organismo fundacional. Natália Gabriela Bezerra Souza. João Cândido dos Santos. Dayse Patrícia Jardim Pereira. Elba dos Santos Silva. Grupo de Dança Afro Prof. promovendo o seu pleno desenvolvimento e proporcionando as bases de sua formação pessoal e profissional. Carolina Coelis Gomides. Renata Roberta Teixeira Guimarães A Orquestra Jovem de Ouro Preto foi criada nesse contexto. acumulado há quase três séculos. (40) . buscando e qualificando mão-de-obra da comunidade. Nathália de Sousa Faria. viabilizando seu resgate e utilização nos ofícios religiosos com músicos locais. o Museu de Arte Sacra de Ouro Preto. Moema Lis de Leandro e Lima.

Welington Pedro da Silva O professor Evandro está ministrando as aulas e ensaios há quatro anos e ampliou a abrangência do Grupo com a criação do Núcleo de Cultura Afro-Brasileira. Izabela Luiza Prado. Sônia Aparecida dos Santos. Rafaela Antunes Cordeiro de Pinho. Meibia Carvalho Bruno. Fábia Carolina Pereira Resende. Fernanda Avelar. Lúcia Maria da Silva. a cultura e a religiosidade afro. Wallace Filipe Vieira. maracatu. Maria Cristina Estevam. Antônio Carlos Ramos dos Santos. Joyce Alves Damasceno. Tatiane da Silva Pereira. Mafalda Barbosa Gomes. Érika Silva Cruz. boa memória e gosto pela a história. Márcio Miranda Pontes (41) PROGRAMA UNICULTURA E ARTE . Coordenador: Prof. Lais Cristina Oliveira. o Uni-BH oferece o Grupo há cerca de dez anos. Marileide Dias da Costa. Rosana Flávia Silva Passos. Vanessa Magela da Silva Santos. Nas aulas. . Rosânia Souza. dança dos orixás e samba de roda. Coral Francisco Gomes da Rocha Coordenador: Prof. Pioneiro na disciplina de dança afro-brasileira no estado. Lorena Anahi Fernandes. Elton Cerino dos Santos. brasileira é o que se faz no Grupo de Dança e Cultura Afro-Brasileira do Centro Universitário Coral Uni-BH de Belo Horizonte . Kelly Cristina da Silva. em Ouro Preto. Maria Alessandra dos Santos. Márcio Miranda Pontes Colaborador: Alcindo Alves Filho (funcionário do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto) O Coral Francisco Gomes da Rocha tem por meta principal o resgate da música escrita nos séculos XVII e XIX. Bárbara Câmara. Iara Câmara Santos. Aniele Fernandes de Souza. maculelê. Andresa Natália de Morais. além de sensibilidade e afinação. Michelle Cristina Ferreira. os alunos aprendem afoxé. Lucimara Fagundes. Ministradas pelo coreógrafo e pesquisador Evandro Passos. Marcela Rezende Mota Nósseis. Valéria Cristina Siqueira. Luana Avelina Vilela. Elizângela de Oliveira Alves. as aulas de dança têm ampliado a discussão sobre a questão racial nas universidades. mas conversar e aprender sobre com “ouvido musical”. na liturgia dos ofícios religiosos atuais.Uni-BH. Cândida Leite de Carvalho Peres.música. com o objetivo de permitir a integração de qualquer pessoa Não só dançar. Thaina Pereira de Assis. Juliana Júnia dos Santos. Fernanda Pereira Resende. Verônica Felix Seixas.Ana Carolina Lage. O Grupo é aberto a estudantes de todos os cursos do Uni-BH. Anderson Ramos dos Santos. Foram realizados teste para avaliação do potencial músico-vocal de interessados em participar do coral. Valéria Cristina da Silva.

não deixando. contudo. Andressa Ferreira Toledo. Suerlen Katrim Rodrigues. Sabrina Gonçalves da Silva. Outro diferencial deste projeto é a adaptação de pequenas fábulas populares. buscando ainda subsídios de técnicas específicas do teatro de sombras e de bonecos. Valdirene Maria de Souza Instrutor: Luiz Arthur de Oliveira Macedo. Fabiana Aparecida Fagundes dos Santos. Grasielly Karine Assunção Costa. épocas e estilos. Saulo Emanuel da Silva. Gabriela Castilho Rodrigues. classificadas em sopranos. A meta é que estes momentos de reflexão possam. além de desenvolver a aptidão para a música entre seus integrantes. com a apropriação de espaços alternativos nos campi da instituição. numa iniciativa inédita dentre as diversas realizações culturais dos grupos estáveis. Ângela Pinheiro Martins de Paiva. em 2006. prioriza a música brasileira. Rogério Vital de Oliveira. Mirian Vanessa Lopes Oliveira. Carlos Augusto de Aguiar Silveira. palco de estréia do grupo. Suzana Souza de Oliveira O Coral Uni-BH foi criado em 14 de março de 1983. Daniel Miranda Ferreira. desde sua origem pelo maestro Márcio Miranda Pontes e tem como objetivo pesquisar e divulgar a cultura musical. Fernanda Aparecida Lopes Simões. Semestralmente realiza dezenas de apresentações didáticas a capella e com orquestra. Matheus Lacerda de Carvalho Aluno voluntário: Décio Miranda O projeto dos Contadores de Histórias do UniBH foi implantado em agosto de 2006 e procura identificar alunos da instituição com potencial artístico para atender uma demanda diferencial na elaboração de saraus literários. Claudia de Carvalho Tito. de dar espaço a obras de outras origens. fazer parte do calendário cultural do Uni-BH. contraltos baixos e tenores. Nisleide Ferreira da Cruz. Fausto Eustáquio Alves. inclusive. reúne cerca de 40 vozes. Paloma Freitas do Bom Conselho. Peterson Clay França. Jemima Gomes da Silva. a serem levadas dentro e fora da instituição. tendo participado de festivais nacionais e internacionais de música coral e se apresentando em diversos pontos do país. Josemar Lucas de Oliveira.Alunos bolsistas: Contadores de história Adriano Domingos. Luiza Veneroso Morici. Nayane Barros Hilário. Alunos bolsistas: Estela Oliveira Santiago. ex-alunos e funcionários. Diego Felício Torres. É regido. Formado por alunos. Urias Garcias. Mário Cabaneco. Esta ação didática (42) . Isabella Barroso de Oliveira. Elizabeth Balthazar da Silveira. Camila de Ávila Alves. Jennifer Ferreira Fonseca. Leonardo da Silva. Leonardo Tadeu de Oliveira. Carla do Nascimento Oliveira. Kênia Tinoco. Ana Carolina Jales Costa Tavares. Luciana Maria Mayer Souza. Maria Júlia Rodrigues de Jesus. Jamerson de Sousa Costa. leituras poéticas e pequenas encenações adaptadas de passagens bíblicas. Ana Flávia de Freitas Azevedo. Christiane Cerqueira Martins. Em seu repertório. Cristina de Souza Domingues. Leonardo Alexander do Carmo Silva. Rafaela Antunes Cordeiro de Pinho. Márcia Regina Ferreira Braga. Viviane Cristina Lourenço Alunos voluntários: Alexandra Alves Pires. como a capelinha da unidade Estoril. Dalton Ricoy Torres. voltadas essencialmente para o público infantil.

em montagens cênicas sobre temas e obras diversas de interesse universal. Rose Lana Sasaki. Maria Tereza da Costa para garantir a sua preservação e utilização de O projeto Cia Móvel de Teatro do Uni-BH segue. independente da área de conhecimento escolhida. Elisângela Magalhães dos Santos. enriquecendo palestras. ao trabalho do tempo e dos homens Alunos voluntários: e hoje se encontra carente de um tratamento técnico Décio Miranda. de alguma forma. oferecendo ao aluno da instituição a oportunidade de vivenciar experiências Este projeto visa a possibilitar a organização e criativas contínuas. Viviane Moutinho Alvarenga. às solicitações de récitas em hospitais. Débora Mendes. Cia Móvel de Teatro Instrutor: Catalogação do acervo de manuscritos musicais da Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará Luiz Arthur de Oliveira Alunos bolsistas: Andréa Rocha Mendes. há mais de dez anos. O foco do trabalho em questão amplia-se pelo fato de a Cia Móvel atender a demanda interna do Centro Universitário de Belo Horizonte. Concomitante às ações estratégicas que divulgam. utilizado de forma inadequada mas que resistiu. Clara Terra Benevides Sanches. aulas dos cursos de graduação e pós-graduação. Virgílio Varela Vianna Colaborador: Carlos Roberto Umbelino (Vice-Presidente da Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará) Trata-se de um acervo construído ao longo de quase 200 anos.inovadora abre definitivamente o leque de oportunidades para o desenvolvimento artísticocultural não apenas para aqueles interessados no exercício de contadores de histórias propriamente dito. Lorena Carazza Alves. Wagner Henrique Evangelista Coordenador: Prof. seminários. cidadãos ou pequenos grupos com necessidades especiais.a sua catalogação regular. workshops. Samuel do Vale. entre outros eventos docentes. fóruns culturais e festivais de teatro também contam com a participação do grupo. sempre conservado de forma precária. Eventos externos. asilos e creches. como encontros artísticos.de que se têm aproveitamento do conteúdo adquirido em seu curso notícias de existirem no acervo . valorizam e consolidam o nome da instituição. Rômulo Felipe Cassemiro de Amorim. qualificando-o para um melhor recomposição dos conjuntos de obras . endossando seu alcance filantrópico e social. simpósios. mas também para alunos com dotes artísticos nas áreas de música e das artes plásticas. a Cia Móvel de Teatro do Uni-BH atende. Tamires da Silva Vieira. Erasto Rosse Emrich Pinto. forma não destrutiva. durante a permanência no âmbito universitário. o reconhecimento das obras e (43) PROGRAMA UNICULTURA E ARTE . com seus trabalhos. Leandro Cerrate do Nascimento. regularmente. através do estudo e da prática de técnicas teatrais aplicadas. Os Contadores de Histórias do Uni-BH seguem ainda com o intuito de assistir. O projeto oferece também a oportunidade de o aluno se situar com diferencial e eficiência no mercado de trabalho. em forma de música. com os espetáculos e os esquetes mantidos em repertório e/ou resultantes do processo de trabalho.

juntamente com a orquestra de cordas que está sendo gradativamente restabelecida. era mostrada nas igrejas. para garantirem a preservação e conservação do acervo – verdadeiro testemunho de identidade cultural e de cidadania. o em antigos alfarrábios.de alguns autores. levando em consideração que isso tem sido solicitado por diversos pesquisadores e tem sido constantemente desautorizado por causa do mau estado de conservação em que se encontra. Para Sociedade Musical Santa Cecília. de manifestações. Paróquia do Pilar Coordenador: Prof. continua sendo o principal instrumento usado pelo homem para transformar a sua realidade. acumulado há quase três séculos. A capacidade criativa. o presente também urge na necessidade de resgatar a sua história e os fatos que a transformaram na bicentenária instituição que é. a Paróquia do Pilar e sua comunidade viram-se empenhadas a desenvolverem atividades organizadas. para um futuro que estava e está por vir e desenvolvendo atividades de preservação. (44) . várias peças desse acervo que. criado um organismo fundacional. de conhecimentos. de momentos. mais acessíveis e populares. uma tarefa nobre. de valores. do museu de arte sacra de Ouro Preto / Ao final dos trabalhos é desejo da Sociedade disponibilizar esse acervo à consulta pública. Manterem-se vivos os registros do passado é a garantia da sobrevivência da história que se escreve todos os dias. como a mais genuina manifestação humana em todas as áreas do conhecimento. Virgílio Varela Vianna Colaborador: Alcindo Alves Filho (funcionário do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto) Face ao rico patrimônio histórico-artístico. para a urgência de desvendar a possibilidade do presente. em passado recente (cerca dos anos sessenta). a forma mais harmoniosa de registrar essa transformação. com certeza. então. a de divulgar a música que aqui se construiu com muita glória pelos antepassados. pois a pretenção é divulgar a beleza que se encontra escondida Foi. Uma história se constrói através de fatos. papéis amarelados pelo Museu de Arte Sacra de Ouro Preto. conservando sua mais genuína missão. e a Catalogação do acervo de manuscritos preservação dos documentos. especialmente sabarenses. Também é desejo da Sociedade ter a oportunidade de executar. A proposta é chamar a atenção para a música barroca do séc XVIII. tarefa difícil. que vem tempo. e a arte. Mas sem dúvida nenhuma popularizar esse som é. pois outros apelos se mostram atrativos.

Márcio Miranda Pontes Colaboradora: Maria Tereza Seabra de Miranda A Escola Livre de Música de Carmópolis foi criada para formar mão-de-obra para a execução de obras dos mestres da música e para a divulgação da cultura musical naquela comunidade. ficar essa cultura. Danyanane Ingrid de Paiva Nunes. Marcos Eduardo Rodrigues. busca e qualifica mão-de-obra da comunidade. Alunos voluntários: Aender Reis Fúrfuro. Bruno José Vilela de Castro. Carlos Frederico Tomaz de Aquino. Darlan Fernandes Souza. Emerson Flávio Silva Mendes. Escola Livre de Música de Carmópolis Instrutor: Márcio Martins dos Santos Alunos bolsistas: Alex Coimbra e Silva. Rafael Atualmente são oferecidas oportunidades nas Gustavo de Moraes Costa. a orquestracoral-escola tem como objetivo elevar o nível de bem-estar de crianças e jovens de seis a 18 anos. Renan Yamagata Vieira Duarte.conservação e restauração desse acervo Grupo de Percussão Uni-BH patrimonial. Luiza Veneroso Morici. Renato Mello Corrêa. Pablo Mendes de Souza. Luiz Otávio Izidoro de Menezes. Elthon de Aguiar Pastorello. Roberta Prates Parreiras Coordenador: Prof. Diogo Chaves Mendes. Marina Aguilar Galera. Utilizando a metodologia da arte educação. Alysson Lopes dos Reis. para alcançar esses objetivos. e. Cláudio Santos Cendon. promovendo o seu pleno desenvolvimento e proporcionando as bases de sua formação pessoal e profissional. Haroldo Lourenço de Araújom. Gustavo Ganzaroli Mahe. Cláudio Ricardo Roberto Silva. áreas de música instrumental (flauta doce) e vocal Rondinelli Alves da Silva para 50 crianças que freqüentam a escola regular e vivem em famílias pobres. Carolina Bruno Moura. tentando desmitiqual as crianças pertencem. Paloma Santos Coelho. Angélica de Fátima Lima. considerada por muitos (45) PROGRAMA UNICULTURA E ARTE . Alanson Moreira Gonçalves. As atividades são realizadas em horário complementar ao da escola Foram objetivos deste projeto divulgar a e em espaço físico localizado na comunidade à musicalização afro-brasileira. Ricardo Patrício Pereira. Marco Antônio Oliveira da Silva.

João Cândido dos Santos O Festival de Inverno Uni-BH iniciou sua bem sucedida trajetória cultural e artística em 2000. Carlos Henrique S. hoje realizado por Instituições locais. nos cursos apresentações em eventos promovidos pelo Uni-BH de pós-graduação. Evandro dos Passos Xavier. Alexandra Nascimento. o Festival de Inverno. Grupo de Pesquisa e Projeções Folclóricas Guararás Festival de Inverno Coordenador: Prof. assim como oferecer à população da terceira idade a oportunidade de desenvolver uma atividade saudável proporcionando a estes um estilo de vida ativa. Virgílio Varela Vianna Colaboradores: • Professores: Mário Alex Rosa. em temas relacionados a manifestações TV Horizonte. Virgínia Sofia Franco. também em parceria com a Prefeitura (46) . ritmos característicos de uma cultura folclórica vasta As metas a que se têm chegado indicam um e grandiosa. que prevê a interna e/ou externa. realizando apresentações de Mariana. inclusive. Coordenador: Prof. Maria Tereza Seabra de Miranda. Márcio Martins dos Santos. busca-se. realizou número maior de alunos interessados. quando realizou. Moreira Aluna bolsista: Carolina Augusta de Carvalho O projeto de dança folclórica para a terceira idade tem como um de seus objetivos resgatar as manifestações folclóricas da cultura nacional.como primitiva. Eliezer Gomes de Melo. No 1º semestre de 2007. dar em diversos eventos voltados para a comunidade maior visibilidade à Lei 10. proporcionando à comunidade acadêmica e/ou externa informações acerca do folclore brasileiro. Luiz Arthur de Oliveira. Ana Rosa Vidigal Dolabella • Instrutores: Diógenes de Araújo Nébias. em parceria com a Prefeitura Municipal de Ouro Preto. através do conhecimento e montagem de diversas danças populares. Adriana Caldeira Cortes Corrêa da Costa. tanto lato-sensu quanto stricto e marcou presença no programa Dedo de Prosa da sensu. aqui moraram e legaram uma rica Eventos herança cultural. foi criado o Festival de Inverno folclóricas brasileiras. Desenvolve atividades de danças adaptadas ao público da terceira idade. As apresentações promovidas obrigatoriedade da cultura afro e africana nos pelo grupo primam pela alegria e por movimentos e currículos escolares. baseada nas danças A partir de 2003. culturais ligadas aos povos escravos que vieram para o Brasil. Assim.639.

desde 2005 realizase o Festival de Inverno de Sabará. por meio das Instituições locais. por meio das Instituições locais. • Musicalização e flauta doce. • Percepção musical. Como desdobramento dos Festivais realizados desde 2000 nessas diversas cidades destaca-se o convênio firmado entre a Fundação Cultural de Belo Horizonte. • Noções de coquetelaria. com o Museu de Arte Sacra de Ouro Preto e com a Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará para a manutenção de atividades artísticas e culturais desenvolvidas ao longo do ano. Em 2004. iniciaram-se as atividades em Ouro Branco. • Turma de violino 2. Com o intuito de fomentar a cultura em outros municípios da Estrada Real. • Aperfeiçoamento para músicos de orquestra: prática de conjunto. • Danças brasileiras. • Arte e criatividade espontânea. • Leitura critica de jornais: estratégias para uma educação em mídia. utilizando-se recursos próprios e incentivados. estilo e técnica. • Piano Clássico: interpretação. no início de 2006. • Iniciação teatral. evento indicado pela comunidade local como o divisor de águas para o turismo e a cultura daquele município. • Danças afro-brasileiras. Oficinas • Turma da viola. • Aperfeiçoamento para músicos de banda: prática de conjunto. Municipal. que hoje desenvolve seu próprio Festival. Em 2004. • Estudando o poema em sala de aula. evento indicado pela comunidade local como o divisor de águas para o turismo e a cultura daquele município. • Como vender seu peixe. (47) PROGRAMA UNICULTURA E ARTE . iniciaram-se as atividades em Ouro Branco. • A história e evolução de 90 anos de samba. • Turma de violino 1. que hoje desenvolve seu próprio Festival.Municipal. • Minas Gerais no século XVIII: história cultura e arte. em parceria com a Prefeitura Municipal e outros parceiros locais. • Turma de violoncelo e contrabaixo.

Programa UNIEDUCAÇÃO (48) .

com a implantação do laboratório de Aluna bolsita: informática. buscar e descartar. elaborar fórmulas. de forma consciente. o que se procura é o resgate e a valorização das sabedorias. é o objetivo geral deste projeto. Projetos A partir das demandas dos próprios interessados em relação aos benefícios que as tecnologias Alfabetização tecnológica e as NTICs. com as diferenciadas dimensões da realidade. explicações e sensações populares para que. fomentar um sólido processo reflexivo. pois. Desenvolver um conhecimento tecnológico capaz de colocar em funcionamento o laboratório de informática da Escola Estadual Barão de Macaúbas (EEBM). Isso implica uma reorientação estratégica de posicionamento no processo de trabalho que inclua mais do que um conhecimento pronto a ser repassado. em um primeiro Coordenadora: passo. sociais e éticas do sujeito. concordar e discordar. tenham elaborado hipóteses sobre suas vivências. afetivas. uma vez que nesses espaços configurase para todos os envolvidos. mas. num contexto pedagógico-social de formação de um cidadão emancipado e autônomo. Não serão excluídas tecnologias como cinema. como instrumento didático de acesso e construção do conhecimento crítico para os professores e alunos envolvidos. vídeo e outras. alfabetizado em todas as novas linguagens e capaz de dialogar. do desenvolvimento das capacidades cognitivas. com ênfase no uso do computador: uma podem proporcionar. Escola e comunidade se oferecem como vitrines para o mundo. que os professores e Crhristina Marcia Amaral Soares estagiários envolvidos na proposta tenham condições de atuar junto aos alunos. bem como a construção da identidade e a capacidade de relacionar-se e interagir com o mundo que o cerca. assim sendo.PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO O programa UniEducação compreende atividades que promovem a escola e a comunidade enquanto espaços importantes para o processo de promoção do conhecimento social. a possibilidade de ensinar e aprender. recriar o saber histórico. amparado na idéia de que os participantes. criar e recriar. promovendo o aprendizado em torno das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs). pretende-se um processo de inclusão digital em que os participantes sejam proposta social através da inclusão autores de seu próprio processo de construção de digital aprendizagem. Marianela Costa Figueiredo Ferreira da computador e à internet junto ao nosso públicoConceição Rodrigues da Silva alvo. no processo. ao longo de suas vidas. produzir e destruir. em um processo de trocas. fonte para o conhecimento e para a reflexão. no espaço (49) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . A educação tecnológica insere-se em um cenário de complexidade e de mudanças constantes. considera-se importante dar ênfase ao Profª. Priscila Cordeiro Aguilar Aluna voluntária: Pretende-se. As atividades propostas por este programa acreditam no pensar consistente. possam-se construir conceitos.

A. conscientizar os acompanhantes para os direitos de inclusão das crianças na escola regular e. Cacilda Silveira Pinto Aluna Bolsista: Cláudia M. atenderemos às necessidades demandadas pelos profissionais da escola. participar de atividades pedagógicas diversas. O espaço consolidou-se como um lugar especial para as pessoas que o buscam regularmente e nele encontram o atendimento carinhoso e necessário das professoras e aluna envolvidas. promoveremos a alfabetização digital dos educadores e funcionários. possibilitar na prática a formação das alunas do curso de Pedagogia. comunicação e articulação entre professores. alunos e comunidade. na EEBM e em outras escolas públicas convidadas da comunidade. Serão estimuladas redes de informação. A modelagem matemática na ecologia: ferramenta para o estudo da educação ambiental (50) . em média uma hora. Para isso. vinculada ao curso de Pedagogia e à Clínica-Escola de Fisioterapia do Uni. Essa experiência bem-sucedida organiza-se em respostas às atuais demandas sociais relacionadas à inclusão/ exclusão social e inclusão/exclusão educacional de crianças portadoras de necessidades educativas especiais. Atividades interdisciplinares com clientes e acompanhantes da ClínicaEscola de Fisioterapia Coordenadora: Profª. oferecendo a possibilidade de Foi criado em agosto de 2003 e instalado na sala de recepção da Clínica-Escola. Silva O projeto configurou-se como atividade de extensão e de filantropia. como trabalhos manuais e/ou discutem com profissionais de áreas diversas aspectos relacionados às necessidades das crianças. enquanto se aguarda o atendimento fisioterápico. favorecendo seu processo de preparação profissional e de responsabilidade social. realizam atividades de terapia ocupacional.BH. Às crianças foram oferecidas atividades educativas e lúdicas. finalmente. em torno das NTICs. como e-grupos e individuais.de escola pública. através de instrumentos virtuais coletivos. Enquanto os acompanhantes esperam o atendimento no espaço da brinquedoteca. como e-mails. Suas características peculiares situam o projeto na interface da saúde e da educação. tendo em vista a criação de uma cultura virtual capaz de contribuir também como espaço de formação continuada. em relação ao conhecimento sobre tecnologias. nesse período. Maria Therezinha Nunes Colaboradora: Profª. Os objetivos principais do projeto foram: atender a comunidade – crianças e acompanhantes –.

utilizando a matemática para a resolução de problemas reais e cotidianos sobre os temas água. Sérgio Pereira Gonçalves Colaboradora: Profª. Andréa Bataglia Alunas bolsistas: Isabela Coelho Moreira e Verônica Martins de Souza Alunos voluntários: Diogo Caiafa Moreira Lopes de Faria. Dessa forma. com vistas à formação de cidadãos conscientes de suas responsabilidades. através da educação ambiental. energia e lixo. em que conteúdos matemáticos são conectados a outras ciências. contribuindo para a formação de um indivíduo ético.) modificação da realidade. contextualizada e significativa. a modelagem matemática surge como um processo que envolve a realidade e a matemática. a Centro de Acompanhamento matemática foi aprendida e entendida como Matemático-Pedagógico Júnior (Camp um instrumento para compreensão e possível Jr. A necessidade de coletar informações e interpretálas é importante para direcionar as ações desenvolvidas e sua conseqüente sistematização matemática.Coordenador: Prof. O projeto utilizou a contextualização de assuntos podendo auxiliar na construção de hipóteses. Assim. Nesse contexto. os conteúdos matemáticos surgem naturalmente para que seja possível compreender e analisar tais problemas. Como conseqüência. parece natural utilizar a matemática para analisar e solucionar problemas referentes às questões ambientais. Foram realizados estudos de temas ecológicos. os alunos manipulam dados (51) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . A interlocução entre a matemática e a ecologia possibilitou uma aprendizagem interdisciplinar. mediante o qual se definem estratégias de ação. Ao trabalhar com situações reais. como a ecologia. relacionados com o estudo da ecologia como pesquisar e ver a matemática de forma mais primeiro passo para a modelagem matemática. criativo e crítico que possa viver em uma sociedade de forma participativa e com responsabilidade social. Foram feitas discussões com os alunos sobre a problemática ambiental. Nesse contexto. proporcionando ao aluno uma análise global da realidade em que ele age. Roane Araújo Rocha e Maura Bernardes significativos que apresentam um sentido e não trabalham com problemas que envolvem apenas aplicação de algum algoritmo. os alunos caminharam para a construção do conhecimento e para o desenvolvimento do pensamento crítico e reflexivo.

acompanhamento escolar. com idade entre 6 e 10 anos. com o objetivo de promover a compreensão de conceitos matemáticos. Cláudio Viana Farias. Solange Reis Andrade Almeida. como participante do Programa Escola Integrada. 360 – Lagoinha. Kelly Alexandrina de Assis Mendonça. a diminuição da violência entre as crianças e no contexto físico-social em que vivem. sessões de filmes. Maria Imaculada de Souza Marcenes Aluna bolsista: Fabíola Perrim de Melo Alunos voluntários: Ademar Barros de Oliveira. conseqüentemente. jogos. Cre-ser na paz Coordenadora: Profª. assistidas pelo Centro Estudantil da Igreja Batista da Lagoinha. entre outros. José Carlos de Freitas. Através do projeto. onde o projeto foi desenvolvido com o objetivo de promover reflexões sobre a violência cometida em casa. com as famílias e a comunidade.Aline Lopes de Magela. representações. desenvolvido pela Prefeitura de Belo Horizonte. Por meio de práticas de interação com os alunos. na escola e na comunidade. Ronaldo Queiroz Matos e Rosiane Muniz Silva Este foi um projeto levado também às escolas municipais de Belo Horizonte. reaproveitamento de sucata. estabelecer regras e observar valores e atitudes. dinâmicas. desenvolveram-se oficinas e atividades lúdicas. provenientes de área da vulnerabilidade social. Mariana Morais Lima. Maria Eliza Campos de Oliveira. com crianças e adolescentes. Arabele Agata Silva Borges. Silvany Pereira Dias. Filipe de Alencar Saliba. música e dança. Célia Maria Alves e Alves Aluna bolsista: Bruna Paula de Souza Alunas voluntárias: (52) . Patrícia Regina dos Santos Meireles. O projeto teve como público-alvo 30 crianças/ adolescentes e suas famílias. As atividades e o atendimento sociopedagógicoafetivo dispensados às 30 crianças/adolescentes e suas famílias. Cláudia Araújo Souza Coordenadora: Pimenta e Maria de Fátima Oliveira Profª. sobretudo da Pedreira Prado Lopes. contação de histórias. Milene Paula Custódia. a intenção é que seja desenvolvido o sentimento de um maior compromisso social e. localizado na Rua Manoel Macedo. Atividades e jogos foram desenvolvidos. leitura. pintura. Flávia de Oliveira Tomaz. Gleyciane Paula Bigon. Carlos Antônio Silva. encontros com a família e a comunidade. visaram contribuir para a redução das manifestações de violência. pesquisa.

Ingressar no mundo das negociações internacionais é uma oportunidade de relevo. não apenas para aqueles que tomam decisões e. Jasmim. na simulação dos processos de tomada de decisão da diplomacia brasileira.). Camila Gonzaga dos Santos. principalmente. em sua formação como futuros “cidadãos do mundo”. entre os jovens do ensino médio. não menos importantes constituíram-se na propagação de conhecimento específico sobre o funcionamento da diplomacia brasileira (Itamaraty). através do projeto de extensão Diplomacia começa é na escola. nesse complicado contexto internacional. entre os jovens. aptidão para a negociação. afetam a vida de todos. Rafael Oliveira de Ávila Alunos bolsistas: Bernardo César Vilela Ribeiro e Karina Oliveira dos Anjos Alvim Alunos voluntários: Ana Maria Magalhães Martins da Costa. e na aproximação entre a universidade e o seu corpo docente e a comunidade. Francisco Diego de Jesus Melo. as negociações internacionais adquirem relevância cada vez maior.Diplomacia começa é na escola das negociações internacionais e de entender como.Aluna bolsista: BH propiciou ao aluno do ensino médio a Cláudia Araújo Souza Pimenta oportunidade de ter contato com a experiência Alunas voluntárias: trabalho na escola (53) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . a vida de cada cidadão brasileiro. Coordenador: Prof. direta ou indiretamente. com efeitos também cada vez maiores nas vidas de todos os cidadãos. Coordenadora: Profª. Nali Rosa Silva Ferreira O curso de Relações Internacionais do Uni. mas ainda e. a respeito dos temas mais relevantes da agenda internacional. Clarissa Marques Santos. a cada momento. Pedro Junio de Oliveira Ribeiro. Outros objetivos. Rodrigues Silva. Thomaz Moreira Arantes de Formação continuada: os projetos Castro interdisciplinares e a (re)significação do Num mundo em que o “local” e o “internacional” se relacionam com intensidade crescente – o mundo da chamada globalização –. conhecimento a respeito dos processos internacionais que afetam. Guilherme de Pinho Silva. O objetivo geral do projeto foi disseminar. para os jovens. na disseminação. por conseqüência. reconhecer os interesses do “outro” e comunicar eficientemente em público etc. à guisa de conscientização política da sociedade. universalizando os frutos da produção do conhecimento. os interesses do Brasil se inserem. de valores relacionados à atividade diplomática (tolerância. independentemente de sua profissão ou procedência. capacidade de debater.

Coordenadora: Profª. na busca de soluções plausíveis ao atendimento das demandas acadêmicas e profissionais da prática interdisciplinar. potencialidades e necessidades dos alunos. Marina Caldas Alunas bolsistas: Mislaine de Almeida Dias Santos e Suelen Rodrigues Soares Alunos voluntários: Tacyane Elizabeth Vilela. contra a segregação social. crianças e adolescentes órfãos bairro Floresta. em Belo Horizonte. por meio de cursos e oficinas para informações. com vistas à qualidade do ensino. Horto) e de outros mais distantes da escola (Ribeiro de Abreu. na orientação do trabalho com Língua afiada: centro de convivência projetos relacionados às situações contextuais com a língua e com a literatura para do processo de ensinar e aprender na escola. União e Primeiro de Maio. construção de conhecimento e oportunidade de vivenciar situações que lhes forneçam elementos e instrumentos necessários à realização do trabalho interdisciplinar. Os objetivos principais foram: 1Integração universidade/comunidade na possibilidade de sintonizar o projeto pedagógico do curso de Pedagogia do UniBH com a comunidade da EEBM. como defesa. amigos e pela própria O projeto foi desenvolvido com os professores escola. de bairros vizinhos (Santa Tereza. A escola. teórico-metodológicos da interdisciplinaridade. Maria Carolina Teixeira. através de O projeto de extensão acompanhou as professoras uma ‘língua de fogo’. comentada por familiares. sob os fundamentos externa. com as temáticas “A Terra pede socorro” (3ª fase) e “Lixo não é lixo” (2ª fase).Promoção da formação continuada de professores da EEBM. especialmente. projetos interdisciplinares que atendam às expectativas. 42.Luciene Aparecida Costa e Maria de Fátima de de questões e problemas ambientais expostos Oliveira Bispo Barcelos cotidianamente pela mídia impressa e falada. com pais e comunidade (EEBM). Foram desenvolvidas atividades com da Escola Estadual Barão de Macaúbas várias turmas da escola. interdisciplinar. especialmente. As atividades de extensão foram propostas para o desenvolvimento do trabalho interdisciplinar na educação ambiental com o projeto Ambiente presente: participação consciente. no desenvolvimento de atitude com o qual são compelidos a viver. Observou-se que sujeitos abandonados ou considerados insuportáveis expressam. o sentimento de abandono das turmas referidas. 2. localizada na Rua David Campista. atende crianças de classes sociais diferentes. por exemplo). projeto realizado em abrigos e escolas municipais de Belo Horizonte. interroga a presença desconcertante entre crianças de 2 a 14 anos de hábitos linguageiros em que predominam injúrias e insultos. elas interpretaram necessidades em impasse. Samya Marcatti Perpétuo Língua Afiada. Elias de Souza da Silva. com a liderança das turmas do Ciclo Inicial de Alfabetização. e desejos dos alunos por uma aprendizagem (54) .

Nas oficinas. vetor de articulação ao Outro. a imaginação e a invenção. A ausência de laboratórios de física e de atividades práticas nas escolas de ensino fundamental e médio é justificada pelo alto custo dos equipamentos. palavrinhas e palavrões que os representam(vam). As oficinas foram condicionadas à particularidade daquilo que lhes interessa(va) e perturba(va). nos níveis fundamental e médio. privilegiaramse as palavras. a fim de recuperar o regime da comunicação em que vigora o regime das provocações linguageiras. há um consenso entre os educadores de que a experiência extensiva e direta dos alunos com os fenômenos estudados é de grande importância para a aprendizagem. e criou-se uma rotina de letras que ampliou as possibilidades de a criança e o adolescente elucubrarem uma linguagem. foram privilegiados a sonoridade da língua. Nesse plano. Convocados a brincar com língua e literatura. articularem-se ao saber do Outro e encontrarem novas formas de inserção no laço social. com os sentidos e com as criações poéticas recheadas de humor e ditos espirituosos. puderam encontrar uma língua viva. charadas. Coordenadora: Profª. Sem excluir ou repudiar qualquer forma de expressão que lhes fosse própria. a mobilização e a adesão dos alunos às disciplinas relacionadas com as ciências físicas. é bastante precária. Deniz Gonçalves de Oliveira Alunas bolsistas: Maria Fernanda de Souza Castro e Soraya Mara Meneses de Souza Em que pese à importância da ciência para o mundo moderno e para o enfrentamento dos problemas dos países em desenvolvimento. rimas. buscando elevar a qualidade do ensino de física nas escolas de ensino fundamental e médio da Grande BH. dificultando. de brincar com os sons e de ficar conectado com as coisas do mundo e do coração. Como uma mão estendida por uma fenda. Entretanto. Foi despertado o poder cortante da palavra poética e os sujeitos envolvidos tornaram-se embriagados com o poder de fogo que têm as palavras cheias de graça.Foi investigado o tratamento desta ‘língua de Núcleo de difusão de metodologias de gozo’ pela convivência com a poesia. assim. trava-línguas. Língua ensino de física Afiada interveio no regime da língua de gozo de que são servos crianças e jovens segregados por sua condição de orfandade. com isso despertou-se o gosto pela palavra e pela conversação. buscou-se ainda criar o gosto de viajar com as palavras. O objetivo maior foi implicálos num esforço de poesia de tal forma a tornálos irresistíveis no ofício da palavra que faz laço. A tônica dos trabalhos foi desafiar e afiar essa língua de gozo por meio de jogos com as palavras. mesmo porque a situação do ensino público. parlendas. O projeto Núcleo de difusão de metodologias de ensino de física foi estruturado com o objetivo de interferir nessa realidade. buscou-se desmanchar a muralha de gozo que encerra essas crianças e jovens fora do sentido. é grande a aversão dos estudantes do ensino médio por algumas disciplinas científicas em várias nações. o Brasil não se distingue. a virar as palavras pelo avesso. a prosa poética bem-humorada. (55) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . criaram-se instrumentos de endereçamento ao Outro de seu modo de gozo. o envolvimento. pois o humor e a poesia abrem espaço para o riso.

oficinas. tanto desenvolvendo habilidades necessárias para uma melhor atuação na sociedade. S Carvalho. utilizou-se social. o projeto Turismo em (56) . no uso de materiais pedagógicos interessantes. Para tanto. além da já citada: permitiu que o licenciando em matemática. Reis das principais metas a serem atingidas por Este projeto teve como propósito incentivar o ensino instituições de ensino. Raquel Sant’Anna Murta Aluno bolsista: Felipe Artiaga Coordenadora: Alunos voluntários: Profª. quanto como profissional e colaborador com o professor das escolas da comunidade. de Souza e Gabriela Duque Gonçalves Conceição Silva Alunas voluntárias: Dentro dos novos conceitos educacionais e Anne P. Carvalho. o aspecto lúdico. Auxiliou professores do ensino fundamental e médio divulgando experiências e novos materiais didáticos. voluntários e bolsistas. pedagógicos que pregam a inclusão como uma Castro e Lívia B. na construção de seus laboratórios. minicursos e palestras em escolas da Grande Belo Horizonte. Carlos Augusto Martins Alunas bolsistas: Castro. O NDMEM cumpriu outras importantes funções. como jogos e quebra-cabeças que despertaram a curiosidade e o interesse do aluno pela matemática. Lígia L. Kátia V. S. Simone de Moura Barbosa e Kelly da Maria F. alguns projetos estão sendo da matemática. Giselda Vieira de Aguiar Mateus Vilela de Rezende. estabelecendo-se um intercâmbio elaborados com princípios de responsabilidade universidade/comunidade. Turismo em ônibus: olhares sobre a cidade de Belo Horizonte Núcleo de difusão de metodologias de ensino de matemática Coordenadora: Profª. Com o Laboratório Itinerante. Geisa de Carvalho silva Ferreira Colaboradora: Profª. estimulou os professores do ensino fundamental e médio das escolas parceiras do projeto a utilizarem atividades práticas em suas aulas e apresentarem a física como uma ciência articulada ao cotidiano. promoveu exposições. Assessorou a montagem de laboratório de Física com equipamentos construídos com materiais de fácil acesso e de baixo custo.Nesse sentido. Nessa perspectiva. explorando os conceitos físicos através de demonstrações experimentais. Recebeu alunos do ensino fundamental e médio de escolas carentes de recursos pedagógicos no Laboratório de Ensino de Física do Curso de Matemática do Uni-BH. prestasse atendimento às escolas.

mas também reconhecem sua importância na construção de um espaço de cidadania. Essas atividades foram realizadas no Laboratório de Morfologia (Morfolab) e contaram com o apoio de estagiários e outros professores que atuam no laboratório.ônibus. vinculado ao curso de Geografia e Análise Ambiental. representada pelos corpos docente e discente. mostrando seu potencial e seu valor como ponto forte para o turismo. A prática do projeto consistiu na presença de alunos do curso de Turismo nos ônibus de transporte coletivo de Belo Horizonte (o projetopiloto contempla a linha 8102). possibilitando integração No primeiro semestre de 2007. Os estagiários prepararam atividades relacionadas ao desenvolvimento dos solos e suas aplicações no dia-a-dia dos alunos da Escola Estadual Doutor Simão Tamm Bias Fortes. criando um ponto de interface entre a população que. visitas à escola. ao partilharem informações. Foram elaborados vários planos de aula. assim como a Belotur. Prof. A integração e a dosagem dos aspectos teóricos e práticos dessa ação promovem o desenvolvimento humano. com o objetivo de apresentar a cidade de Belo Horizonte de outra forma. desenvolvendo projetos de animação de roteiros turísticos. Sidney Portilio Aluna bolsista: Os alunos envolvidos pelo projeto estão na Leizy Anne Matos Carvalho quarta série do ensino fundamental (três salas O objetivo principal desse projeto foi trabalhar os conteúdos da Geografia. durante os turnos manhã e tarde. As informações desenvolvidas e oferecidas nessa modalidade turística contribuíram para acentuar a hospitalidade dos mineiros para os turistas que. ao utilizar o transporte urbano. localizada no Bairro Havaí. maquetes esquemáticas. de forma pragmática e representativa. parceira no Projeto. devidamente identificados e monitorados pela BHTrans. o que baliza a utilização do turismo como atividade que visa compreender a realidade na qual o homem está inserido. além disso. não somente preservam algo da história. freqüentemente. social e educacional. escolher as classes Ver e ler os conteúdos geográficos que seriam envolvidas pelo projeto e fazer uma primeira abordagem sobre o tema com os Coordenador: alunos. Aluna voluntária: Bruna Murta Lemos Nos meses de fevereiro a junho. que objetivaram conhecer a sua estrutura pedagógica. além do turista. O projeto permitiu a mobilização social. buscou propiciar ao morador da cidade uma nova modalidade de lazer. que enriquece a sua experiência na medida em que. não tem acesso ao mundo acadêmico e à universidade. foram desenvolvidas atividades diversas relacionadas ao projeto Ver e ler os conteúdos geográficos. cartilhas e simulações de perfis de solos para facilitar o entendimento do assunto trabalhado. que estariam compartilhando com a sociedade resultados de seu trabalho. encontra informação turística de boa qualidade. atendeu o turista e. (57) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . no ensino fundamental. foram feitas 4 de todos os segmentos à dinâmica social. constituindo-se como espaço de interação entre a academia e a comunidade.

Relacionadas à mesma temática. buscouse estimular o aprendizado e o aperfeiçoamento de uma ou mais línguas estrangeiras. Buscou-se O evento contou com a apresentação de palestra. neste ano. Houve uma preocupação de incluir alunos carentes da comunidade externa. e contribuir para uma melhor formação do futuro profissional de Letras. além da materna. envolvendo-o em atividades inerentes à sua profissão. interpretando formas. também estender o ensino de línguas à comunidade. em parceria com o Laboratório de Biogeografia (Biolab). ausência. elaborar documentos concisos. Cursos Centro de Idiomas Eventos Redação empresarial moderna Local: Bloco B1 – campus Estoril UniBH Coordenador: Prof. Luísa Carla Diniz contemplando obras Alunas bolsistas: Karyne Wladênia Moura Teixeira e Ana Flávia Data: 03 de julho Correa de Amorim Local: Espaço de Convívio . Vicente da Silva Pinto O objetivo do curso foi utilizar os recursos dos dez passos propostos por Carlos Pimentel. oferecendo trabalhos de qualidade a custos reduzidos. oficinas com membros da comunidade do bairro Havaí. foram trabalhados os elementos de conservação e manejo dos solos nos quintais do bairro e sua relação com a cobertura vegetal. testemunho e produção de sentido(s). e analisar a imagem como narrativa. também foram realizadas. Essa escolha se deu por se tratar de classes que já possuem tempo disponível para desenvolver atividades extras durante a semana (duas horas semanais. para que vivenciassem experiências de aprendizado diferenciado. abrindo-lhes o espaço acadêmico e mostrando-lhes a importância de conhecer mais uma língua. Lendo imagens.com aproximadamente trinta alunos cada). Nas oficinas. claros e coerentes e exercitar o espírito crítico em leitura e produção de textos. (58) . na era da reprodutibilidade técnica.Uni-BH (campus Aluna voluntária: Diamantina) Márcia Mara de Souza Cardoso Organização: Curso de Pós-Graduação lato-sensu Especialização em Língua Portuguesa: Leitura e O Centro de Idiomas contribui para que a Produção de Textos universidade seja uma ponte permanente que leva aos diversos setores da sociedade o acervo da cultura e o conhecimento da língua de outros países. proferida pelo Prof. às sextas-feiras). Coordenadora: Profª. As apresentações foram direcionadas para gestores sendo dividido em dois módulos com uma curta duração e para secretárias e funcionários da instituição. Com as atividades desenvolvidas. que visava mostrar o novo pacto sobre o sentido da obra de arte. Ronaldo Campos.

Através de diversas ações . (59) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . conseqüências históricas. ampliar a cultura um passo a mais no processo de construção de cinematográfica e debater sobre a influência da uma mentalidade inclusiva em nossa Instituição. seus precedentes e inclusiva. sociológicas.palestras. 18 e 19 de setembro Local: Espaço de Convívio . favorecendo o sucesso acadêmico e da linguagem do cinema. e culturais. O evento atingiu um público aproximado de 870 pessoas.Uni-BH (campus Diamantina) Organização: Curso de Letras Foram apresentados resultados parciais de várias pesquisas em andamento realizadas por ex-alunos do curso de História. atividades culturais. Escola Municipal Antônio Jerônimo. II Encontro de Egressos do Curso de História Local: Espaço de Convívio Uni-BH (campus Diamantina) Promoção: Curso de História Pedagogia itinerante Data: 25 a 29 de julho Local: Cidade de Joaíma – MG. Ruillon Mont’Alverne Neto Pessoas com Necessidades Especiais. buscou-se refletir e entre os quais alunos. e da Educação sobre o contexto e as personagens do filme. em sobre estudos literários e lingüísticos. em maio. da ciência. elaboração e distribuição de cartilhas. foram homenagem ao Dia da Mulher desenvolvidos mini-cursos e oficinas pertinentes à área da literatura e da lingüística. a Semana de Inclusão de Coordenador: Prof. nos três campi e representou da linguagem do cinema. ampliar a cultura profissional dos alunos com necessidades educacionais cinematográfica. professores. religião. O evento contou com uma grande participação tanto de discentes como de egressos Neste evento foram proferidas palestras Exibição do filme Zuzu Angel. Data: 08 e 22 de Abril e 07 de 2007 Local: Espaço de Convívio Uni-BH (campus Diamantina) Uninclusão Promoção: Curso de Pedagogia O Projeto Uninclusão. buscandoNúcleo de Orientação Psicopedagógica Multicampi se atingir os seguintes objetivos: Refletir e do Uni-BH objetiva repensar a convivência na discutir temas relacionados à educação. Entre as principais ações do Uninclusão. no ensino Local: Espaço de Convívio Uni-BH (campus superior. desdobramento do Programa Qualidade de Vida (Univida). através diversidade. educacionais debates. Com a exibição do filme. Terminal rodoviário. Promoção: Curso de Pedagogia. debater sobre o período da especiais e a construção de uma sociedade ditadura militar no Brasil.IV Encontro de Estudo e Pesquisa em Letras Data: 17. com qualidade. funcionários e discutir temas relacionados à educação através comunidade externa. Diamantina) foi realizada. da filosofia. apoio psicopedagógico ao corpo discente e docente – o projeto buscou Sessão de exibição do filme Padre Pio fornecer subsídios instrumentais e atitudinais (de Pietralcina) para que os alunos com diversas especificidades pudessem desenvolver a autonomia necessária Data: 07 de maio para manter-se. desenvolvido pelo O filme foi exibido em várias sessões.

Ciclo de palestras: carreiras internacionais Data: 28 de abril Local: Pré-vestibular Ensaio Promoção: Curso de Relações Internacionais O objetivo foi a realização de ciclos de palestras sobre “Carreiras Internacionais” em cursinhos de preparação para o vestibular em Belo Horizonte e região.MG Coordenadores: Prof. com o objetivo de demonstrar as metodologias de leitura do espaço urbano frete a uma estrutura urbana de significância maior. ex-alunos. funcionários. Alfio Conti Os alunos do 9º período que cursam a disciplina Planejamento Urbano e Regional realizaram uma visita à cidade de Nova Lima. 8 e 9 de maio Promoção: Cursos de Relações Internacionais Visita ao bairro Jardim Canadá Data: 25 de março Local: Nova Lima . editoras. para a arrecadação e doação de livros. Palestra sobre os materiais de construção a seco: Flasan Data: 03 de abril Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. revistas e jornais por parte de alunos. Para a montagem da biblioteca (que foi organizada na zona rural de Joaíma) foram doados cerca de 6 mil livros. jornais e revistas para as oficinas e palestras. Maria Beatriz de Castro Silva Menegale Palestra sobre pedra industrializada: marmol e quartz compac Data: 17 de abril Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. Reginaldo Magalhães de Almeida e Prof. nas oficinas e palestras realizadas. professores. escolas e da comunidade. Maria Beatriz de Castro Silva Menegale (60) .Os objetivos deste evento voltaram-se para a realização de palestras e oficinas pedagógicas para a comunidade e para professores da rede pública e da zona rural da cidade de Joaíma. Houve significativa participação de todos. com o propósito de despertar vocações e disseminar informações de restrita circulação na sociedade VI Semana de Relações Internacionais Data: 7.

Foram realizados vários mini-cursos. ocorre todos os semestres no Uni-BH. Luiz Antônio de Carvalho Araújo. A palestra faz parte do conteúdo A V Semana de Gestão de PME é um evento que da disciplina Prática Profissional. A montagem do evento foi realizada (61) PROGRAMA UNIEDUCAÇÃO . o imposto simples Promoção: Colegiado do curso de Contabilidade nacional). educação dos Recursos Humanos. Assessora da Câmara de Arquitetura do Godinho e Antônio Kilson CREA-MG.Equipamentos para corte e furo: G. o Local: Uni-BH (campus Estoril) Uni-BH tema foi “Gestão de Pessoas: desafios. Técnicas de construção em prémoldados de concretos: empresa Precon V Semana de RH Data: 19 e 20 de abril Data: 23 de maio Promoção: Laboratório de Recursos Humanos Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. Maria Beatriz de Castro Essa atividade é realizada uma vez a cada semestre Silva Menegale e tem como objetivo proporcionar um espaço para troca de experiências entre os participantes Arquitetura em aço . Joel Vidal Ferreira Filho V Semana de Gestão de PME Data: 8 e 11 de maio Local: Auditório do Bloco B5 – campus Estoril Uni-BH A Engenheira Arquiteta Vera Maria Carneiro de Coordenadores: Profs. ministrou a palestra para os alunos do 10º período. 22 e 23 de maio empresas (gerenciamento de projetos segundo Local: Uni-BH (campus Estoril) o PMI. perspectivas Coordenadora: Profª. como falar em público.empresa Usiminas e para servir de reflexão sobre a realidade das empresas. o evento contou com palestras sobre temas relativos a pequenas e médias Data: 21. Ao final do evento foi oferecido um Menegale coquetel aos palestrantes e professores do curso. Este evento reuniu no campus vários profissionais da área. Trabalho em equipe. Neste semestre. uma proferida pelo Prof. ministrados por professores. José Alves e outra pelo economista representante do Silva Menegale Banco Sudameris. III Semana de Contabilidade Este ano. alunos e ex-alunos do curso. Orguel e empresa Locbrás pela coordenação do curso juntamente com as estagiárias do Núcleo de Práticas. e minicursos voltados para os alunos e Núcleo de Práticas (Responsabilidade social empresarial. Marketing competitivo e Abrindo sua empresa passo a passo). promovido pelos Laboratórios de Idéias e de Marketing. No Data: 11 de maio último dia. foram feitas duas palestras para Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. Maria Beatriz de Castro encerramento. Arquitetura em aço: empresa Usiminas Data: 31 de maio Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Prof. Maria Beatriz de Castro Silva e soluções”. no campo da administração e da Data: 25 de Maio de 2007.

Programa UNIESPORTE E LAZER (62) .

sob a coordenação da Profª Sendo o esporte um importante veículo de inclusão Daniela Sanches Machado. do Brasil (APABB). é necessário e urgente que as atividades esportivas sejam organizadas e gerenciadas a partir de políticas e programas que cumpram o preceito constitucional e garantam o acesso de todos à prática do esporte e do lazer. a realização de atividades complementares – torneios. e saúde. Daniela Sanches Machado Entende-se que a responsabilidade social implica Aluna bolsista: o direito de todos a uma boa qualidade de Carolina Nayara Betti vida. envolvendo um número significativo de professores. gincanas. as atividades propostas Física. adolescentes e adultos envolvidos nas várias atividades oferecidas pelo Programa UniEsporte e Lazer. a ética e a transparência. com o objetivo de trabalhar à cultura. ajudam no processo de socialização do indivíduo. (63) PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER . o intercâmbio de eventos. Do ponto de vista políticosocial. pois contribuem para o desenvolvimento pessoas com faixa etária entre 11 a 46 anos. o Programa cumpre o compromisso com a responsabilidade social do esporte.PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER A prática esportiva constitui direito de todo cidadão. em integral do homem. incentivam a educação formal e o acesso as atividades se fundamentam na perspectiva de inclusão e integração. abraçam a responsabilidade social de que se Chandler Rezende Freitas. o Uni-BH atua junto a instituições parceiras que possibilitam a troca de experiências e informações. Por essas razões. sendo mesmo reconhecidas como referência para outros programas esportivos. Profª. Projetos Atividade física adaptada Com o intuito de fortalecer ações em benefício de crianças. favorecem a auto-estima. do curso de Educação e transformação social. despertam talentos. promovem a assistência à sua maioria portadores de deficiência mental. as ações extensionistas do Programa UniEsporte e Lazer identificam-se com a excelência. respeitando e desenvolvendo Coordenadora: as potencialidades de cada grupo. contribuem para o respeito às leis. normas e regras cívicas. exibições. contando com a supervisão do Prof. alunos e público externo participante. com cerca de quinze projetos. Além disso. festivais.Hoje. à convivência saudável com a natureza e à participação efetiva de todos os cidadãos na O projeto é um trabalho realizado em parceria com a Associação de Pais e Amigos do Banco construção de uma sociedade mais justa. assegurado pelo artigo 217 da Constituição Federal. Atende cerca de 25 fala.

É oferecido ainda o treinamento parceira APABB. sobre temas relacionados à população atendida. são oferecidas palestras e atividades são oferecidas a pessoas. além de uma instituição convidada – Naera –. São promovidas. das equipes de competição. a partir de 10 anos promovidas por assistentes sociais da instituição de idade. No primeiro Souza e Filipe Oliveira Ferreira semestre de 2007. arremessos. com a participação de todos os alunos do projeto. Além disso. Aos pais dos alunos portadores de deficiência. Coordenadora: além de promover a participação no esporte. procurando-se sempre promover uma interlocução entre as informações científicas e a prática vivenciada no projeto de extensão. representam a cidade de Contagem nos Jogos do Interior de Minas Gerais (Jimi). motoras e mistas. Thiago Freitas como as Olimpíadas Especiais Brasil. Os atletas universitários de vários cursos do Uni-BH disputam os Jogos Universitários Mineiros (JUMs) e Brasileiros (JUBs) representando a Instituição. promovendo a participação das pessoas Alunos voluntários: portadoras de deficiência em eventos esportivos. discussões científicas com a professora coordenadora do projeto. com corridas. lançamentos Cruz e saltos. no período em que seus filhos praticam atividades As atividades de extensão propostas pelo projeto esportivas. Luís Martins de Souza Garcia. foi realizado o 1° Festival de Atletismo Uni-BH/APABB. Em parceria com a Federação Mineira de Basketball (FMB). semanalmente. que queiram aprender e praticar basquetebol.as capacidades coordenativas. quanto na participação em (64) . através de vivências na modalidade basquetebol. tanto na aprendizagem. Juliana de Oliveira Torres Alunos bolsistas: A modalidade esportiva desenvolvida é o André Magno de Macedo Pires e Douglas Leite da atletismo. que se abre para a atletas tanto das comunidades interna quanto Basquete externa que queiram participar. especializada no atendimento a pessoas com necessidades especiais. o objetivo do projeto é proporcionar aos alunos e atletas a oportunidade de conhecerem o meio esportivo. estagiários e com o professor da APABB. Profª.

Eyder Barbosa de Senna Jeronymo Aluna bolsista: Heloísa de Abreu Moreira Coordenador: Prof. pois ambas as o futebol. 90 minutos. cursos de arbitragem e festivais de minibasquete (que acontecem. das 8h às 9h30 e das 9h30 às 11h. realizam-se. das origens e das capacidades motoras das especificidades das artes marciais A atividade de extensão Futebol na esfera tae-kwon-do e capoeira. na percepção de espaço e externa. os treinamentos acontecem três vezes por semana com duração de 2 horas (2ª e 4ª. Luciano Chequini Espírito Santo Aluno bolsista: Diogo Afonso Ferreira Evaristo Alunos voluntários: O projeto desenvolveu a aprendizagem dos Mateus Milanez dos Reis e Luís Eduardo Letayf gestos técnicos. das 13h Equipe de futebol na esfera competitiva às 14h30 e das 15h às 16h30. das 11h às 13h – masculino. no cumprimento das normas específicas das Além disso. Já para as equipes. o treinamento é a reverência e o tratamento com os colegas. caso não sejam cumpridos seus requisitos. tais como clínicas técnicas. englobando o diagnóstico da colocam em risco a saúde dos participantes em condição física. contribuindo assim para o conhecimento modalidades esportivas têm a essência da luta científico sobre o esporte. os treinamentos. 3ª e 6ª. O objetivo principal foi o controle do rendimento dos atletas da equipe de desenvolvimento comportamental da disciplina. artes marciais. das 14h às 16h – feminino). uma mudança de comportamento dos envolvidos. bem como o direcionamento e o possíveis acidentes. em escolas e clubes de BH). com o diagnóstico da condição física de no manuseio dos objetos usados no treinamento. despertando a motivação e o dentro da área de treinamento. mensalmente. fazem-se em si e. das 13h às 14h30.competições. O projeto participa também da promoção de eventos da FMB. equipes de futebol profissional. Foram apresentadas competitiva pretende estudar. mesmo. e o controle do rendimento é de suma importância (65) PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER . Os resultados interesse por essa prática esportiva. 2ª e 5ª. Capoeira e artes marciais (tae-kwon-do) Coordenador: Prof. das 20h às 22h. observando-se. Tem-se observado Uma das normas que existem nas artes marciais que a integração entre o diagnóstico. obtidos foram positivos. de forma aplicada. com duração de desenvolvidas. como complementação. que se resumem no respeito ao atividades voltadas para a comunidade esportiva colega e professor. divididas em 4 turmas: 2ª e 5ª. as regras comportamentais. Para isso. futebol do Centro Universitário de Belo Horizonte. As atividades práticas para os iniciantes são ao longo do período em que as atividades foram aulas duas vezes por semana. e sábado.

Os atletas que participam do treinamento hoje têm traduzido essa melhora nos resultados de campeonatos disputados e também na convocação de um dos atletas para a Seleção Brasileira Universitária de Futebol. Lenice Kappes B. com o objetivo de se formarem equipes que representarão a Instituição nas competições universitárias mineiras e nacionais. atletas e Coordenadora: árbitros dessa modalidade. como também cursos de formação e aperfeiçoamento para árbitros e treinadores. comunidade vizinha e das instituições parceiras momentos de iniciação e treinamentos esportivos na modalidade handebol e promover jogos e eventos. Este projeto vincula-se ao projeto Escola Integrada da prefeitura. Oliveira (66) . um crescimento da modalidade esportiva handebol. que está treinando por um período de três anos. São realizados Profª. pois a melhora do desempenho da equipe do Uni-BH. organizam-se festivais de handebol para iniciantes. proporcionando-lhes experiências ricas em coordenação e habilidade motora. Outro aspecto relevante é a contribuição à comunidade acadêmica. além de jogos pré-esportivos relacionados a todas as modalidades esportivas. Luiz Antônio Ribeiro Soares das Neves Aluna bolsista: Bruna Silva Santos O projeto tem como finalidade possibilitar aos alunos do Uni-BH. Iniciação. acredita-se estar contribuindo para a formação de cidadãos mais coordenados e habilidosos para serem futuros atletas e/ou terem oportunidades de vivências motoras mais ricas na vida adulta. com o objetivo de proporcionar mais momentos de jogos na prática dessa modalidade esportiva. treinamentos periódicos das equipes do Uni-BH nos naipes masculino e feminino. treinamento e atualização de handebol Hidroginástica Coordenador: Prof. que tem se beneficiado com os trabalhos científicos resultantes do acompanhamento dos treinamentos e competições realizadas. realizam-se momentos de aprendizado e iniciação ao esporte para os alunos de 5 a 10 anos. com o objetivo de buscar uma otimização dessas funções e. conseqüentemente. Assim. pôde ser observada pelos resultados obtidos. Além disso. Nas escolas conveniadas.para o progresso no desenvolvimento do atleta. buscando um aprimoramento dos treinadores.

o que proporcionou uma melhora na qualidade do serviço prestado. O número de pessoas atendidas cresce a cada semestre. além de ter atendido também a comunidade em geral e uma turma especial. por meio de um convênio firmado entre a prefeitura e o UniBH. principalmente por parte dos idosos. utilizando-se implementos que aumentam a intensidade dos exercícios propostos. no primeiro semestre de 2007. Com o envelhecimento da população. Implantação do treinamento de atletismo no Centro Universitário de Belo Horizonte Coordenador: Prof. notoriamente. e a hidroginástica é uma das atividades mais indicadas para esse público. não havendo risco de quedas. sendo que. As aulas do projeto de extensão de hidroginástica iniciaram em 2006 e a procura. como gestantes. A hidroginástica proporciona ao aluno do curso de Educação Física a oportunidade de aprofundamento teórico e científico em uma área que. bem como a segurança que esse meio proporciona como baixo impacto. abre-se para uma maior inserção do profissional no mercado de trabalho. José Onaldo Ribeiro de Macedo Aluno bolsista: Rafael Lopes O projeto de iniciação ao atletismo. Esses alunos ministraram aulas de hidroginástica e participaram de um grupo semanal de estudo para discussão dos temas nelas envolvidos. desenvolvido em uma parceria do Centro Universitário de Belo Horizonte com a Associação Municipal de Assistência (67) PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER . e há a previsão de aumento do número de participantes para o próximo semestre. O primeiro semestre de 2007 teve a participação de um grupo de alunos do curso de Educação Física extremamente motivados e interessados. há uma grande procura por parte das pessoas acima de 60 anos pela prática da atividade física. foram atendidas. além de pessoas em estados especiais. pacientes do Ambulatório de Nutrição. Com o presente projeto. 100 pessoas. A melhora no condicionamento físico também pode ser percebida por jovens e por indivíduos já condicionados. em média. Mariana Oliveira Ribeiro e Cristina Freitas Carvalho A prática de atividades realizadas no meio líquido tem se tornado cada vez mais comum entre a população devido aos benefícios causados pela imersão no meio líquido. obesos. a comunidade em geral teve a oportunidade de praticar uma atividade física sempre orientada por profissional de Educação Física a custo mais acessível. Vanessa Baliza Dias Alunos bolsistas: Anderson Jardim Milani e Gláucia Rodrigues Silveira Alunas voluntárias: Laura Katherine de Aguiar. tem sido maior a cada semestre. O projeto atendeu a comunidade carente da regional oeste. Paloma Costa e Silva.Colaboradora: Profª. hipertensos e portadores de deficiência física.

Registra-se ainda o que aumentou a capacidade de um atendimento diferenciado: a infra-estrutura de que o curso de Educação Física dispõe. Coordenadoras: Profª. e participação em competições de GR. arco. Guilherme de Azambuja Pussieldi Alunos bolsistas: Izabela Dias do Reis. a oportunidade de oferecer ao aluno do curso de Educação Física tanto a aplicação dos conhecimentos teóricos relacionados à área da ginástica rítmica quanto o conhecimento dos processos de ensino dessa modalidade. através de demonstrações. pois os contatos dos alunos com a prática possibilitaram o cumprimento parcial do estágio tanto de observação quanto de coparticipação. Maria Thereza Martins de (68) . Do ponto de vista acadêmico. Debien Aluna bolsista: Renata Carolina Avelar Bretas Natação para a comunidade acadêmica A ginástica rítmica (GR) é um esporte essencialmente feminino. no Brasil e no exterior. Os principais objetivos alcançados pelo projeto foram a integração comunidade interna e externa. as atividades do projeto foram muito significativas para a disciplina Atletismo I e II. no sentido de projetar o nome e a imagem do Uni-BH. uma vez que trabalhou para a inclusão social e promoção de jovens carentes como cidadãos. em Minas Gerais. professores. em Belo Horizonte. bola. proporcionando ao aluno a prática acadêmica e a vivência social. Várias iniciativas foram tomadas pela coordenadora da atividade. abriu uma perspectiva de cunho social altamente relevante e de total viabilidade. foi meta a divulgação da GR dentro da comunidade interna e externa. e à comunidade a vivência das diferentes formas de organização social.Social (AMAS). Maria Inês Machado de Salles e Jurema Barreiros P. Além desses objetivos. oficiais e aprovados pela Federação Internacional de Coordenador: Prof. alunos bolsistas e voluntários competentes que oferecem condições para o bom andamento de todas as atividades inerentes ao atletismo convencional. por meio de estada de aperfeiçoamento das alunas participantes em treinamento. maças e fita. partindo do individual ao coletivo. ou seja. Laboratório de ginástica rítmica Ginástica (FIG): corda. que tem na sua base corporal o desenvolvimento do balé clássico e como característica principal o trabalho com os cinco aparelhos manuais. apresentações.

Patrícia Pires Capetinga e Frederico Mainart e Medeiros Alunos voluntários: Renata Carvalho Ribeiro. Fábio Augusto Cardoso e Frederico Mainart e Medeiros a saúde. bem como de desenvolver estudos referentes à área de Atividade Física e Saúde nos cursos do DCBAS. além disso. favorecendo a sua participação nas atividades de extensão. Este projeto visa aprimorar a aptidão global relacionada com a saúde. nos quais os conhecimentos produzidos naquela se transformam em benefícios para a comunidade. Também nos propomos a inserir o corpo discente como parte ativa no processo ensino/aprendizagem e integrá-lo à comunidade. Um importante passo para a integração entre universidade e sociedade é dado por meio dos projetos de extensão. no tripé ensino. a reflexão. Por isso. técnicas e produtos. José Roberto de Melo Corrêa. além do ensino. a mudança e o aperfeiçoamento de métodos. O contato com a comunidade oportuniza a aplicação.Oliveira. como referencial para a formação de seus alunos. corpo discente e docente do campus Estoril. pesquisa e extensão. acredita-se ser de importância fundamental a produção do conhecimento e o aproveitamento do mesmo para a melhoria da qualidade de vida da população. Não podendo nos esquecer de promover a aproximação e o convívio entre funcionários e comunidade. oferecer ao público interno e externo a oportunidade de realizar atividades físicas como forma de melhorar a qualidade de vida e promover/restabelecer Aluna bolsista: Lígia Lobato Castro Alunos voluntários: Thiago Luís Teixeira Rodrigues Lana e Gláucia Monteiro Macaroun (69) PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER . Ruilon Mont´Alverne Neto e Roberto Moreira Brant O Uni-BH baseia-se. Xadrez: resgatando a cidadania Coordenadores: Profs. através da atividade de natação.

O projeto foi desenvolvido no Laboratório de Ginástica Olímpica no Bloco C2 do Campus Estoril. O Centro de Xadrez é um espaço cultural. escolar. completar sua formação acadêmica e futuramente fomentar pesquisas.). processo de desenvolvimento intelectual. moral. visual etc. segundo afirmação do próprio autor. Segundo Howard Gardner. foi um o xadrez. apresentações e competições. pedagógico e desportivo com finalidade de representar a Instituição em campeonatos. O valor do curso foi de R$ 50. favorecendo de deficiências (motora. Os benefícios que a prática do xadrez proporciona têm sido de grande valia para o desenvolvimento desse esporte em nível escolar. interpessoal e Coordenador: Márcio Mário Vieira intrapessoal. pesquisas e construção de propostas de suporte pedagógico e de multiplicação do xadrez em escolas do ensino básico.00 e teve como público alvo adolescentes a partir de 14 anos. social e desenvolve duas delas: a lógico-matemática e a psicofísico. através da modalidade Ginástica Olímpica. Hoje. Cursos que vem estudando as várias formas de inteligência e sua aplicação no meio escolar. ou seja. reabilitação e alto rendimento). o desempenho escolar daqueles que o praticam. Nessa busca por melhorias na grade curricular. espacial. Portanto. o xadrez é de fundamental E para uma formação em completo do individuo este importância no desenvolvimento intelectual e sua esporte ofereceu a possibilidade de inserção em difusão entre os estudantes lhes será de inestimável todos os níveis de rendimento (esporte-saúde. o raciocínio lógico e a da cidadania e inserção social para crianças e capacidade de resolver problemas colaboram para adolescentes carentes. exposições. valor.O projeto pretende ainda possibilitar aos alunos a utilização do xadrez como instrumento de resgate A concentração exigida. social. Este projeto teve como objetivo a formação educacional E qual a relação do xadrez com esse tema? É que e integral de seus participantes. respeitado pesquisador norte-americano e autor do livro Inteligências múltiplas. propõe-se a participação em campeonatos. desenvolver nos participantes habilidades características do enxadrista. oficinas. musical. para unir o espírito inovador das instituições educacionais e a forte imagem de intelectualidade que o esporte-arte oferece. (70) . a escola que não oferece atividades extras para dinamizar e acrescentar conteúdo e experiências diferenciadas a seus alunos não é bem vista pelo MEC nem pela sociedade. Consolidada a cultura enxadrística. corporal-cinestésica. lógico-matemática. Propiciou a comunidade uma estreita relação entre o conhecimento produzido no Centro Universitário de Belo Horizonte e sua aplicabilidade. o ensino de xadrez surge como uma boa opção. minicursos. em recuperação e portadores uma sensível melhora no comportamento. espacial. A idéia é começar com a divulgação da cultura enxadrística à comunidade acadêmica através de promoções de palestras. existem sete tipos Ginástica olímpica de inteligência: lingüística.

bloco C2 e B8 Data: 13 de maio Comissão organizadora Local: Coreto da Praça da Liberdade. Kátia Lúcia Moreira Lemos O objetivo deste evento contemplou a comemoração Prof. conferindo. capoeiristas e alunos da disciplina de Capoeira do professor coordenador da O objetivo do simpósio é discutir o esporte na escola. BELO Presidente: Prof.Árbitros da Federação Mineira de Karatê Data: 24 de março Coordenador: Prof. nas suas relações consigo mesmo e Ciclo de debates: educação física e com o outro. Rodolfo Novelino Benda Coordenador: Prof. linhas de pesquisa e entre diferentes áreas do conhecimento. Data: 20 e 21 de junho Local: Curso de Educação Física . Dra. sobre o tema proposto. Eyder Barbosa de Senna Profª. Dr. um forte cunho valorativo. Eyder Barbosa de Senna Os objetivos deste ciclo visaram promover Jeronymo conhecimentos. projetando seu papel na efetiva construção da pessoa humana. profissionais e acadêmicos.Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. Alessandra de Magalhães Campos Garcia Jeronymo (mestre) Profª. O público Profª. Doutorando Cláudio Augusto HORIZONTE – MG Boschi Prof. Anísia Sudário Daniel (especialista) alvo foi a comunidade local. reflexões e propostas sobre O objetivo do curso foi promover estágio para os Educação Física e Infância através de um ciclo de alunos da disciplina Artes Marciais e oportunizar Debates no curso de Educação Física do Uni-BH. infância (71) PROGRAMA UNIESPORTE E LAZER . com essa expressão cultural. atividade. promover o diálogo entre diferentes instalações para a comunidade Artística Marcial. Kátia Regina de Sá Eventos Roda de capoeira do Movimento Mineiro de Capoeira I Simpósio de Esporte na Escola Data: 19/11 Local: Campus Estoril. Gounnersomn Luiz Fernandes (mestre) do aniversário da Abolição dos Escravos. laços profissionais oferecendo melhores condições de com a participação de pesquisadores.

Programa UNIDESENVOLVIMENTO REGIONAL (72) .

Luciana N. As atividades extensionistas do Uni-BH desenvolvidas por este Programa buscam um equilíbrio. a educação. Maria E. em suas implicações sociais. A importância dos trabalhos relacionados à promoção do desenvolvimento regional é de alta significância. (73) PROGRAMA UNIDESENVOLVIMENTO REGIONAL . que se vincula a um projeto estadual de desenvolvimento. cujo enfoque é o estudo do desenvolvimento de para que seja conferido à região em foco o papel uma determinada região. Trata-se de ações que prevêem diferentes abordagens: a abordagem supra regional. Magalhães Alunos bolsistas: Helen Priscila Santos Vieira. até a alocação de recursos para a infra-estrutura logística e tecnológica. André Luiz P. através da extensão universitária. envolvendo-os em práticas de projetos de arquitetura e urbanismo. sob a ótica de suas potencialidades produtivas. uma vez que são propostos diversos instrumentos de intervenção.PROGRAMA UNIDESENVOLVIMENTO REGIONAL O grande desafio enfrentado é criar condições que possibilitem um desenvolvimento endógeno. que prevê a interdependência e integração de ações políticas. a partir dos sistemas produtivos locais já existentes. e a intra-regional. M. No escritório experimental de arquitetura. que vão desde os processos efetivos de regionalização/ descentralização. sobretudo. a abordagem inter-regional. de suas possíveis diferenças. de Oliveira. a concessão de incentivos e crédito e a promoção da acumulação do capital social regional. com as variáveis do mercado. combinando as variáveis demandadas pelo lado da oferta. redefinindo a visão das regiões. identificadas e articuladas em um contexto de gestão adequado. Núcleo Experimental de Projetos (NEP) Coordenadora: Profª. Marcela Agda Moreira e Wellington da Silva Lima O NEP tem por objetivo principal o aprendizado dos alunos do curso de graduação de Arquitetura e Urbanismo. Ivana Arantes Botelho Colaboradores: Prof. Profª. proporcionam a promoção e desenvolvimento econômico e social da região. de seus recursos Este Programa desenvolve atividades extensionistas ambientais e culturais. Ferreira e Profª. voltada para o desenvolvimento endógeno. Essas variáveis. sociais e econômicas de uma determinada região. não apenas nas dimensões políticas. que os objetivos das ações extensionistas visam alcançar. V. inter-relações econômicas entre a produção e o mercado. considerando-se as de auto-gestora de seu desenvolvimento. Prestação de serviços mas.

como citadas anteriormente. ONGs e entidades filantrópicas. em prol da melhoria do ambiente urbano. Dessa maneira. o que demonstra o alcance do projeto. As atividades desenvolvidas no NEP visam responder às demandas comunitárias. principalmente através de parcerias importantes. para que as próprias entidades envolvidas busquem os recursos para viabilização das modificações e (74) . como o convênio com a Sociedade São Vicente de Paulo. Esses convênios contribuem para a viabilização do projeto. associações e grupos de apoio à população carente. São comunidades locais. A intenção do NEP não pretende ser apenas assistencialista. e não demandas individuais. não só para a concretização dos objetivos propostos. sob a forma de prestação de serviços. Os objetivos pretendidos estão sendo aos poucos alcançados. à medida que o projeto vai-se consolidando. como também para a continuidade dos trabalhos. e vem conseguindo isso. população carente organizada em associações ou grupos.são criadas condições de aplicabilidade do conhecimento obtido em sala de aula. através dos projetos de arquitetura. A atuação em si procura atender e acompanhar a mobilização das comunidades e seus parceiros. não remunerados. pois fornecem o material necessário. trabalha-se também a “face pública” da arquitetura e seu papel social. colocando os alunos e professores em contato com a realidade urbana do país. pois já existem demandas para o 2º semestre de 2007. onde são desenvolvidos projetos que visam atender às comunidades carentes. uma vez que o que fazemos é fornecer instrumentos.

quanto para os professores envolvidos. As apresentações foram seguidas de debate entre os alunos. foram apresentados também. Norma Fróes (75) PROGRAMA UNIDESENVOLVIMENTO REGIONAL . professores e ex-alunos. A segunda parte desse sábado constituiu-se de uma exposição de dois ex-alunos do curso de Turismo. A realização do projeto tornou-se um importante instrumento não só para os alunos bolsistas. A Feira Culture in Different Countries foi coordenada pela Profª. Consultores em viagens e turismo no shopping Paragem Data: 12 de junho Local: Shopping Paragem Coordenadores: Professores e Alunos do curso de Turismo A idéia foi apresentar ao público sugestões de pacotes de turismo nacionais para o mês de junho. Norma Fróes e realizada pelos alunos do 4º período do curso de Turismo.adequações de seus espaços físicos para não só atender às exigências da Vigilância Sanitária. hoje proprietários da Star Brasil Agência de Viagens e Turismo. Eventos Palestra sobre mercado de trabalho para o bacharel em Turismo Data: 14 de abril Promoção: Curso de Turismo Na primeira parte do sábado acadêmico. dois Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC). A atividade teve a participação de vários períodos do Curso de Turismo. de contato com a realidade brasileira. que é bastante diversa dos ambientes acadêmicos e de escritórios de arquitetura convencionais. Visita técnica Data: Mês de junho Local: Diamantina . Também fez parte da atividade o conhecimento dos equipamentos de transporte já que a ida foi realizada por via rodoviária e a volta realizou-se por via aérea.MG Coordenadores: Profs. mas também proporcionar melhores índices de qualidade de vida e conforto aos usuários dos abrigos de idosos. Os alunos viajaram com o objetivo de conhecer o acervo arquitetônico e artístico da cidade. além da palestra. Feira Culture in Different Countries Data: 12 de maio Local: Curso de Turismo Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª. Alexandra Nascimento e Rodrigo Carvalho Tavares Passos Viagem à cidade de Diamantina como atividade conjunta das disciplinas Cultura Popular e Patrimônio e Fundamentos dos Transportes. destaques do ano de 2006. Houve a montagem de stands e apresentações artísticas. representando as manifestações culturais de vários países.

Programa UNIDIREITOS HUMANOS (76) .

pois. cultural. No entanto. Amplia-se a luta pelos direitos do homem. a garantia e fortalecimento das liberdades. em atendimento aos assistidos. voltado para o bem comum. como um direito social e coletivo. de exclusão social: “Enquanto um bilhão de habitantes de nosso planeta vive na prosperidade. cada vez mais acentuada. balizados no axioma de que “somos uma única comunidade humana”. à infância. Paralelamente. e com os massacres na África Central e na Argélia. 1998). os movimentos sociais pressionam o poder político e a opinião pública. ambiental e econômico. a Declaração Universal dos Direitos do Homem. Com vistas ao reconhecimento e conseqüente alteração desse cenário. após os atendimentos. políticos e industriais. consultoria jurídica e/ou propositura de ações judiciais. É. mediante acompanhamento da professora coordenadora e. volta seu olhar para objetivos políticos e sociais que se destinam a consolidar o respeito aos direitos básicos do homem. à educação. a partir dessa perspectiva que o Programa redimensiona os temas que desenvolve. exigindo a consolidação dos estados de direito. os massacres percorreram os anos desse século. basicamente.A Carta das Nações Unidas. para o novo século. por exemplo. toma corpo uma nova geração de direitos: à vida. foram discutidas as (77) PROGRAMA UNIDIREITOS HUMANOS . na independência de toda forma de submissão – política. o Programa UniDireitos Humanos tem como objetivos principais promover e divulgar medidas que apostem na perfectibilidade humana. Natália Cristina Chaves Aluna bolsista: Alexandra Melo Barsante As atividades consistem. de aceitação de subempregos. estabelece diretrizes. o Pacto Internacional sobre os Direitos Civis e Políticos e o Pacto Internacional sobre os Direitos Econômicos e Culturais ratificam. ao acesso e uso do patrimônio público cultural. ao desenvolvimento. com a limpeza étnica realizada na Bósnia. buscando criar alternativas para assegurar uma vida mais confortável ao cidadão em condição de risco e à comunidade em geral.PROGRAMA UNIDIREITOS HUMANOS O século XX foi marcado. o processo de internacionalização dos direitos do homem. O terror ultrapassou os últimos anos e se prolonga pelos primeiros anos do século XXI. elabora atividades. à saúde. a má distribuição de renda. desde o início. Prestação de serviços Assessoria Comunitária Vila Vista Alegre Coordenadora: Profª. ao meio ambiente. outro bilhão sobrevive em estado de miséria que desafia qualquer descrição. traça um horizonte novo. em nome de projetos ideológicos. A equipe responsável pelas ações extensionistas realizou com sucesso o acompanhamento de processos ajuizados. à cidade. quatro bilhões dispõem de renda modesta próxima ao mínimo vital” (SACHS. com a invasão ao Iraque. histórico. econômica – para que o desenvolvimento possa ser visto como uma possibilidade real. Os atendimentos foram feitos. por uma série de ações de desrespeito à vida: o mundo assistiu a duas guerras e ao genocídio em massa. desencadeia fenômenos de desemprego em massa.

visando à redação de oportunidade de aquela comunidade. Prof. orientação e Colaborador: encaminhamento dos casos. assessoria jurídica nos Coordenador: projetos sociais desenvolvidos pela Província. A par disso. Além de atendimento jurídico. enquanto aguardam o atendimento fisioterápico. Rúbia Carneiro Neves Aluna bolsista: Karina Miranda de Meira Pereira Aluna bolsista: Ludmilla Canhoni Aluna voluntária: Tatiane Aparecida Pereira Tiago As atividades consistiram no atendimento extrajudicial aos assistidos. além do parecer Província Carmelitana escrito. uma sobre tema específico. Após o atendimento. de petições iniciais a serem levadas ao Poder Judiciário. Os alunos fizeram o atendimento aos interessados notificações extrajudiciais. em forma de parecer. ter acesso à justiça e a conhecimentos contexto da sociedade”. Prof. Com o objetivo de diminuir a ociosidade dos pacientes e acompanhantes da Clínica-Escola de Fisioterapia. dentre as quais. Marcelo Barroso Lima Brito de Campos Assessoria Jurídica na Fisioterapia Coordenadora: Profª. elaboradas com o acompanhamento da professora coordenadora. Foi feita pesquisa também dos estagiários bolsistas e curriculares. foram oferecidas atividades. Ledsônia de Souza Campos alunos elaboraram cartilhas. especificamente. material para aula no projeto Unidoso. sob a orientação Aluna bolsista: e revisão da professora coordenadora. que Marina Maroca Breguez foram distribuídas na sala de espera quando foram apresentados os temas propostos.medidas cabíveis a cada caso. compromisso da extensionista Ludmila Canhoni. Os alunos extensionistas atendem diretamente clientes da comunidade de Belo Horizonte. consultoria em todas as questões que envolveram interesses diretos da Província Carmelitana. resolver amigavelmente as controvérsias. Frisam-se o interesse e sobre direitos e deveres do cidadão brasileiro. sempre acompanhados da assistência do coordenador e do colaborador do projeto. a quem foram prestadas orientações. normalmente um paper com o tema “A eficácia do Direito no carente. com sucesso. levando O objetivo específico dos trabalhos foi prestar esclarecimentos de dúvidas àquela comunidade. a assessoria jurídica. com o Coordenadora: auxílio do NPJ. Daniel Firmato de Almeida Glória consubstanciando consultoria. conforme o caso. o que será repetido O projeto consistiu em proporcionar. dentre as quais. em parceria com o curso de Direito e com o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) do Uni-BH. todas as situações são discutidas para que o acadêmico possa apreender técnicas e a própria sistemática de um bom atendimento. os Profª. através no próximo semestre. com o intuito de inscritos. Assessoria Jurídica Comunitária que estipula a elaboração. em Atividade extrajudicial relação aos serviços prestados à comunidade e. (78) . foi realizado.

para elas são oferecidas atividades. os alunos elaboram cartilhas. dentre as quais. escrito. Data Vênia Juizado de conciliação Coordenadora: Profª. a assessoria jurídica em parceria com o Curso de Direito e com o Núcleo de Prática Jurídica (NPJ) do Uni-BH. Além de atendimento jurídico. elaborados com o acompanhamento da Professora Coordenadora que estipula a elaboração. sob a orientação e revisão da Professora Coordenadora. O projeto Data Vênia é um programa de entrevistas com profissionais de diversas áreas. quando são apresentados os temas propostos com esclarecimentos de dúvidas à comunidade. É a instância do curso de Direito que permite aos alunos o acesso à prática jurídica dentro da própria escola. de petições iniciais a serem levadas ao Poder Judiciário juntamente com o auxílio do NPJ. O projeto serviu como excelente instrumento de complementação na formação dos profissionais Os alunos fazem o atendimento juntamente com dos cursos de Direito e Comunicação Social. ter acesso à justiça e a conhecimentos sobre direitos e deveres do cidadão brasileiro. abordando assuntos diretamente vinculados ao curso de Direito. que são distribuídas na Sala Espera. Marco Túlio de Carvalho Rocha Alunas bolsistas: Patrizia Villaca Machado e Lucienne Menezes O Escritório Modelo – Atividade Judicial situa-se no âmbito do Núcleo de Prática Jurídica do UniBH. a partir das atividades. uma vez que possibilitaram o acesso rápido e gratuito a serviços jurídicos de boa qualidade à população mais necessitada. conforme o caso. Como conseqüência benéfica. auxílio inscritos a quem são prestadas orientações por para a reflexão da ciência da comunicação. Cybele Oliveira e Souza de Gouvêa Aluno bolsista: Joaquim Falcão Filho Os pacientes e acompanhantes da Clínica-Escola de Fisioterapia ficam aguardando o atendimento fisioterápico em uma sala de espera e com o fim de evitar a ociosidade dessas pessoas. que Professora Coordenadora aos interessados conseguiram. os atendimentos realizados no Escritório Modelo foram instrumento fundamental de defesa da cidadania. o Data Vênia. De suma importância acadêmica. como (79) PROGRAMA UNIDIREITOS HUMANOS . O projeto consiste em proporcionar através dos estagiários bolsistas e curriculares uma oportunidade de aquela comunidade. normalmente carente. além do parecer escrito. em forma de parecer. Coordenador: Prof.Escritório Modelo: Atividade Judicial Coordenador: Prof. Fabiano Teodoro de Rezende Lara Alunos bolsistas: Gilmar Deilson Saldanha Júnior e Samuel Lana Shamash.

Alan Carlos. Cacilda Almeida. Coordenadora: Profª. Paiva e Vitor Luiz de Castro Alunos voluntários: (80) . instruir os alunos participantes deste projeto no preenchimento da declaração do imposto de renda da pessoa física. enfim. Viviane Ferreira. A discussão de temas de interesse jurídico. de cursos de graduação e pós-graduação da área de Ciências Humanas.projeto de extensão. Joelma Márcia Fernandes. Francilaine de Andrade. Lydiane Lima. Lívia Maria de Pádua Ribeiro Alunos bolsistas: Núbia Lais Silva Fraga Leire lemos. aproximou os alunos da realidade. porquanto se evidencia a vida prática e objetiva da classe jurídica. Orientar aos alunos participantes deste projeto na aplicação pratica da elaboração da declaração do imposto de renda de pessoa física(IRPF). O projeto esteve intimamente ligado ao conteúdo programático do curso de graduação em Direito do Uni-BH. proporcionando-lhes inegável conhecimento e conscientização da vida prática. Raidy Benevides Silva. Orientar aos alunos participantes deste projeto. dos discursos acadêmicos. sem dúvida. do dia-a-dia do operador do direito. para a vida extracurricular. seja modelo completo ou simplificado. visou aprofundar a pesquisa jurídica em temas cuja amplitude podem contribuir para a formação acadêmica e. Emanuel Alves. A visão político-acadêmica do projeto transcendeu os limites do discurso meramente didático. igualmente. Robson Luciano. em face da universalização do conhecimento. Lara Cavalcante Imposto de renda de pessoa física Propiciarw o desenvolvimento de competências voltadas para a elaboração de declaração do imposto de renda de pessoa física(IRPF) e prestar esclarecimento à população da legislações especificas. na medida em que contribuiu para a formação jurídica e sociopolítica da comunidade discente e docente do respectivo curso e. igualmente.

monopólios e oligopólios e a responsabilidade legal de tais cooporações à luz do direito empresarial e consumerista. com declarações semanais para o jornal. 18 e 25 de maio Júri simulado Coordenador: Prof. Data: 04.Prover aos alunos participantes deste projeto.Promoção: Curso de Direito Coordenador do LAJUR O Juri Simulado é realizado semestralmente pelo O Exame Simulado teve como objetivo fornecer a Curso de Direito e constitui-se em oportunidade experiência prática sobre o exame da OAB. com análise dos resultados e abordagem de temas afetos ao Exame Simulado: OAB-simulado aprendizado do direito. Neste semestre. aos alunos a noção do Tribunal do Júri. oriundo do Tribunal do Júri. Cine-Jus Promoção: Núcleo de Prática Jurídica Trata-se de apresentação de filmes realizada pelo projeto do Núcleo de Prática Jurídica. O Cine-jus tem como objetivo suscitar a discussão jurídica de temas abordados em filmes. para os alunos do curso. a realidade do exame da OAB. e defesa e julgaram uma situação extraída de caso Coordenador: Profs. com a realização de um Júri Simulado no qual os alunos prepararam as peças de acusação Data: 11 de Junho de 2007. discente e a comunidade tenham conhecimento do funcionamento do Tribunal Júri simulado do Júri. que aborda temas relativos às grandes coorporações. (81) PROGRAMA UNIDIREITOS HUMANOS . Felipe Martins e Viviane real. Eventos Filme: A Corporação (The Corporation) Data: 22 de março Promoção: Núcleo de Práticas Jurídicas. do IR através de parceria firmada com estado de minas. Exame da OAB-simulado Promoção: Curso de Direito O objetivo da exibição do filme e posterior debate visaram a reflexão e o aprofundamento Este evento apresenta ao aluno do curso de direito de questões relativas à pratica do Direito. Promover ao aluno egresso a possibilidade do retorno à instituição como multiplicador dos conhecimentos adquiridos no seu desempenho no projeto. para que o corpo docente. prestarão esclarecimentos à sociedade sobre o regulamento. etc. foi apresentado e discutido o filme a Coorporação. a Mayrink atividade foi promovida pelos professores da área de Direito Penal e contou com a participação efetiva A proposta do evento teve como objetivo permitir de alunos e professores. formas apresentações. Tiago de Carvalho Gomes Pinto . Dessa forma.

Programa

UNIMEIO AMBIENTE

(82)

PROGRAMA UNIMEIO AMBIENTE
As ações extensionistas deste programa priorizam medidas que buscam minimizar a violenta degradação ambiental, provocada pelas grandes concentrações populacionais das áreas urbanas. Constitui preocupação dos professores coordenadores dessas atividades promover a biofilia, para que todas as espécies vivas passem a sofrer menos os impactos dos graves danos causados pelos lixões a céu aberto, pelos esgotos in natura despejados em rios e lagos, pelo acúmulo de gases tóxicos no ar, por exemplo.

Coordenadoras: Profª Ângela Maria da Silva Gomes Colaboradora: Profª. Maria Lúcia Yoshico Wakisaka Aluna bolsista: Gilmara Priscila de Carvalho Alunos voluntários: Bruno Brito Santos, Flávio Lúcio Os objetivos das atividades enfocam, sobretudo, Cardoso, Tânia Batista Teodoro e Gleiton Aguilar a convivência saudável entre a modernização dos Reis agrícola e urbano-industrial, o homem e seu ambiente. As comunidades participam, por meio O projeto, desenvolvido por professores e alunos das atividades propostas, de inovadoras formas do curso de Geografia e Análise Ambiental em de um desenvolvimento sustentável, através de parceria com a Comissão de Meio Ambiente do um intercâmbio de saberes, que geram o esforço bairro Havaí e adjacências, está relacionado de todos para uma vida ecologicamente correta. à comunidade localizada nas proximidades do campus Estoril do Uni-BH e é voltado para Os professores e alunos que desenvolvem questões do meio ambiente e educação ambiental. atividades ligadas ao Programa UniMeioPretende analisar e difundir os elementos que Ambiente trabalham em prol de soluções compõem os quintais urbanos, as relações sociais que exigem estratégias articuladas com as que os sujeitos estabelecem com o espaço e com comunidades parceiras, e possam colocar em a botânica, buscando compreender e promover discussão novos paradigmas técnicos e éticos, no os processos de produção e reprodução do âmbito da agenda do desenvolvimento regional conhecimento da biodiversidade e diversidade e local, e, essencialmente, coloquem o homem no centro do processo de desenvolvimento, com vistas a uma qualidade de vida melhor e mais saudável.

Projetos
Etnobotânica dos quintais dos moradores do bairro Havaí e adjacências

(83)

PROGRAMA UNIMEIO AMBIENTE

Coordenadoras: Profª. Liciane Faria Traverso Gonçalves Colaboradora: Profª. Maria Lídice Gonçalves Alunas bolsistas: Fernanda Marques Brier e Natália de Carvalho Amaral Alunos voluntários: Bruno Dutra de Araújo, Nathalia Miranda Walter Bretas Rocha e Vicente Bernardo Ananias cultural. Valoriza-se assim o conhecimento tradicional dos moradores desse local. Trata-se de população urbana com perfil socioeconômico de baixo poder aquisitivo em sua maioria. O trabalho fundamenta-se na abordagem participativa, com instrumentos da pesquisa-ação, a partir da leitura da realidade dos sujeitos sociais, sistematização e diálogo dos conhecimentos tradicionais e acadêmicos. Entre os resultados, temos a valorização do saber tradicional apresentado por essa comunidade e o aumento das possibilidades de troca de saberes e da rede de solidariedade entre os moradores. Com este trabalho, constata-se a importância do diálogo entre os conhecimentos científico e popular e o aumento da biodiversidade em quintais urbanos. O projeto consistiu em oficinas de reciclagem semanais, das 14h às 16h, que aconteceram às 5ª feiras (crianças e adolescentes de 7 a 17 anos) e 6ª feiras (adultos e idosos: acima de 18 anos e, principalmente, a 3ª idade), no Laboratório de Percepção Ambiental (Perceplab) do curso de Ecologia.

Reciclagem e cidadania

O objetivo geral do projeto foi capacitar pessoas de baixa renda e/ou em situação de risco social para, por meio de atividades de reciclagem de resíduos sólidos, desenvolverem uma ocupação alternativa e inclusiva. Como objetivos específicos, o projeto visou, além do desenvolvimento de técnicas de reciclagem a baixo custo, despertar e estimular a criatividade nas pessoas; dar-lhes possibilidade de, sem saírem de casa – o que, para muitas, é indispensável – realizarem uma atividade produtiva e geradora

(84)

de renda com a venda dos objetos elaborados com materiais. ocupar crianças. atividades in loco para observação dessas características são fundamentais para complementar a formação dos alunos. bem como as transformações ambientais nos ecossistemas brasileiros. Isso se tornou de extrema importância. por meio da extensão de transferência de conhecimentos à comunidade. descartados para o lixo. adolescentes e adultos (inclusive idosos) em situação de risco social. para a conservação. bem como proporcionar aos discentes um contato mais próximo com uma amostragem da realidade das paisagens fitogeográficas. a preservação e a qualidade ambientais. Sendo assim. Visita a campo Eventos Visita a campo Local: Sete Lagoas Data: 2 e 3 de junho Coordenador: Prof. uma vez que são abordados os diferentes Biomas do Brasil. (85) PROGRAMA UNIMEIO AMBIENTE . visualizando. Maisa Gonçalves de Carvalho Essa visita a campo teve como objetivo observar alguns aspectos e fenômenos da paisagem natural como forma de fixação da teoria lecionada em sala de aula. contribuir para a retirada e a reciclagem de resíduos sólidos. Visita a campo Local: Serra do Cipó Data: 19 de maio Coordenadora: Profª. sobre diversos Data: 19 de maio Coordenadora: Maisa Gonçalves de Carvalho fenômenos naturais e sob influência atrópica. Múcio do Amaral Figueiredo Essa atividade teve por objetivo aprimorar os conhecimentos teóricos discutidos em sala de aula. discutindo e refletindo em campo e Local: RPPN Caraça em contato direto com a natureza. Esse trabalho teve por objetivo proporcionar aos discentes o reconhecimento em campo de alguns aspectos naturais. em geral. contribuir para elevar a auto-estima. realizar uma das funções da academia.

Nessa visita os alunos colocaram em prática os Data: 30 e 31 de maio e 1 de junho Pormoção: Curso de Ecologia XV Ciclo de Palestras do Curso de Geografia e Análise Ambiental Data: 4 e 5 de junho Local: Campus Estoril Uni-BH Coordenador: Prof. um analisar as interações entre os diferentes sistemas evento de caráter científico. que foram doados para o Lar Ebenézer. trabalhando sob a orientação dos professores coordenadores. (86) . desenvolvendo em campo temas trabalhados em sala de aula. Alisson Duarte e Ângela Para inscrição no evento. Córrego do Bação. no levantamento topográfico das vertentes.Novas Relações. Gestão municipal ambiental e o transporte e trânsito. Visitas técnicas • Data: 03 de julho Local: Belo Horizonte. André Veloso métodos em levantamentos de recursos naturais. é realizado nos moldes de congresso para que o aluno possa familiarizar-se com esse tipo de • Data: 28 de abril (Turno: Manhã) e 5 de maio evento.MG. todos os participantes Maria da Silva Gomes doaram 1 quilo de alimento não perecível. O Fator humano alguns parâmetros de qualidade da água préno Trânsito. que visa inserir os alunos no meio científico. Márcia Rodrigues – do conteúdo à prática O trabalho teve como objetivo atuar no desenvolvimento da observação geográfica. Acessibilidade Ambiental. a Jornada de Ecologia. a partir de na Reorganização do Espaço. A Geografia e os Transportes: selecionados. identificação dos compartimentos ambientais e Neste XV Ciclo foram ministradas as seguintes palestras: Motorização e Mudanças Transescalares caracterização dos recursos hídricos. Vespasiano. Coordenadores: Profs. Lagoa Santa e Pedro Leopoldo III Jornada de Ecologia: responsabilidade ambiental empresarial Coordenadora: Profª. classificação dos solos e do relevo. Constituiu ainda objetivo das visitas O curso de Ecologia oferece. Itabirito. A influência do transporte urbano no aquecimento global. Para esta atividade são convidados profissionais Fazenda Alegria da área para ministrar palestras e Mini-cursos. anualmente. Construção e Aplicação de Modelos de Rede em Geoprocessamento para a Cidade de Ouro Preto . Este na observação do relevo. (Turno: Noite) Local: Belo Horizonte. Velhos Desafios. abertura e descrição de perfis de pedológicos.

relativo a saneamento básico. com posterior análise em laboratório. Virgínia de Lima Palhares Nessa saída de campo o destino foi a fazenda Alegria. silos. • Data: 27 de abril Local: Distrito de Córrego Bação. com moradores locais. sala da ordenha. Caixa d’água da COPASA (Belvedere) e Lagoa da Pampulha (Tratamento de Águas Córregos Ressaca e Sarandi) Coordenadora: Profª. como a poluição e a degradação da qualidade das águas. Semidecidual. Lílian Maria de Oliveira • Data: 5 de maio (Turma GEON4) e 12 de maio (Turma GEOM4) Local: Município de Funilândia Coordenadora: Profª. • Data: 19 de maio de 2007 Local: Lagoa Seca. Grupo Bambuí e Supergrupo Espinhaço para identificar e discutir as diferenças e as Nessa visita foram realizadas entrevistas com complexidades pedológicas e fitossociológicas representantes da Associação de Moradores. O trabalho teve como objetivo especifico a coleta de solos. Coordenadora: Profª Lílian Maria de Oliveira A importância da visita esteve associada ao aprimoramento dos conhecimentos dos alunos nos assuntos abordados na disciplina. sitiantes e proprietários de entre esses domínios geológicos. Foram abordados assuntos relacionados a características econômicas e rurais do município de Funilândia e ao papel da instituição em nível local. O objetivo maior foi identificar as potencialidades e levantamento fitossociológico de uma das do local para promoção de um desenvolvimento formações vegetais: Floresta Estacional Tropical rural com base local. Lagoa Santa. qualidade de águas e gestão de recursos hídricos. Parque Nacional da Serra do Cipó. orquidário. Alisson Duarte e Ângela Maria da Silva Gomes O trabalho possibilitou aos alunos vivenciar em campo vários conceitos discutidos em sala de aula.• Data: 12 de maio (Turno: Manhã) e 19 de maio (Turno: Noite) Local: Belo Horizonte. As atividades realizadas atenderam aos objetivos propostos. Cardeal Mota. onde os alunos tiveram a oportunidade de percorrer alguns setores. Virgínia de Lima Palhares Horizonte. hotéis fazenda. deposito. Coordenadores: Profs. berçário. município de Este trabalho de campo teve como objetivo Itabirito percorrer alguns trechos do complexo Belo Coordenadora: Profª. (87) PROGRAMA UNIMEIO AMBIENTE . como: maternidade. • Data: 18 de maio Local: Condomínio Alphaville – Visita as Estações de Tratamento de Águas e Esgotos.

Programa UNIDOSO (88) .

O objetivo principal do Programa é despertar a consciência de todos para que considerem os idosos como sujeitos que devem assumir. com destaque à avaliação do projeto e encontros que fomentaram a socialização e possibilitaram a arrecadação de humanização dos serviços de saúde. Marcos Borges Júnior Aluno bolsista: Douglas Henrique de Barros Filisberto As atividades deste projeto buscaram desenvolver as capacidades físicas (força. O Programa UniIdoso. formação de agentes multiplicadores e apoio a entidades e comunidades. bens não perecíveis para as Instituições. definitivamente. No que se refere à saúde dos idosos. reconhecendo que todo cidadão tem direito à vivência do esporte. foi oferecida para os acadêmicos do curso de Educação Física do Uni-BH. ela é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o completo bem-estar físico. a prática de planejamento e execução de treinamento físico. participação da escolha dos serviços gerontologia da comunidade. sua relevância que corresponde a uma das mais importantes iniciativas de inclusão social promovida por professores e alunos do Uni-BH. através da atuação em núcleos de encontros semanais. do respeito à dignidade humana. à solidariedade e à responsabilidade social. esporte e lazer para a população a partir de 60 anos. Promoção da qualidade de vida de idosos residentes nos lares gerenciados pela Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) através do exercício físico Coordenador: Prof. É um programa que elabora. (89) PROGRAMA UNIDOSO PROGRAMA UNIDOSO Projetos . executa e avalia ações de saúde. visando ao aprimoramento da população idosa. com vistas à excelência. coordena. minimizando os efeitos de doenças degenerativas e aumentando a sociabilidade. fundamentada nos princípios da democracia. Além disso. através do treinamento físico planejado e supervisionado. Abordagem fisioterápica em lazer. da transparência. eventos de impacto. levando ao pré-idoso e ao idoso atividades físicas e lúdicas diversas. a responsabilidade de participar da vida nacional. melhorando a autonomia. Por ser o bem mais importante de qualquer ser humano. daí. e visando ações permanentes de prevenção de Desenvolveram-se ainda dados para pesquisas e doenças crônico-degenerativas. constrói suas ações dentro da perspectiva da participação coletiva. e não somente a ausência de doença. prevendo-se a atenção integral à saúde do participante do Programa. rumo a um mundo melhor para todas as gerações de brasileiros. mental e social.O Programa UniIdoso atinge uma população muito vulnerável e sem peso político. flexibilidade e resistência) dos idosos. muitas atividades são desenvolvidas de forma eficiente.

qualidade de vida na terceira idade. foi montado o programa da residência em fisioterapia e todo o processo de seleção de candidatos. O que constitui um anseio de muitos profissionais. Gabriela de pacientes idosos nos três níveis de atenção à Boemeke Pinto. com vistas a suprir uma demanda de treinamento em serviços. este residente terá a oportunidade de conhecer mais de perto o funcionamento do sistema único de saúde e poderá participar diretamente do programa de saúde da família. encenações.Coordenadora: Centro Universitário aberto à terceira Profª. em cada encontro. Mas nossos objetivos vão além da formação profissional em termos da fisioterapia pura. propondo intervenções que contribuam para a melhoria das Foram oferecidas aulas semanais sobre condições de saúde nas populações visitadas. Gosling Alvarenga Na primeira etapa. Ludmila Santos Eufrásio e Sthefanie e também reabilitadora. através de ações práticas mais criativas. este programa é único no Brasil e planejando-se a interação teoria e prática. para os grupos de convivência. especialmente os maiores de 60 anos. assim como diversos outros projetos de extensão voltados para os idosos. idade. ou seja. uma vez que este residente também terá treinamento em docência através da realização de palestras e simpósios tanto na graduação quanto na pósgraduação. Durante o treinamento em serviços de saúde. para as instituições de longa permanência e para a utilização do espaço universitário nos três campi pela terceira idade. pretende formar cidadãos mais comprometidos Além das aulas semanais. em diversos sistemas: cardiovascular. nervoso entre outros. durante e após procedimentos cirúrgicos. que possibilitará ao residente o acompanhamento direto dos pacientes antes. Larissa Alves de Coordenadora: Oliveira e Marcella Carvalhaes Pimenta Profª. As atividades deste projeto incorporam-se ao Programa Unidoso. danças. (90) . ministradas por professores da instituição e convidados. visitas e outras ações. dinâmicas. Jonathan Ferreira Nogueira saúde. Érica Cristina Batista através da realização de atendimento fisioterápico Ruas da Silveira. Adriana Netto Parentoni idade Alunos bolsistas: Paulo Mateus Costa Affonso. musculoesquelético. com finalidade preventiva curativa de Gama. Por tudo isso. com a saúde e capazes de promover melhorias foram também desenvolvidos jogos. com o adequadas. planejadas e direcionadas à terceira intuito de reforçar o tema ministrado. Juliana Magalhães Machado Barbosa Aluna bolsista: O projeto foi desenvolvido para possibilitar a Adriana Vidigal Reis implantação da Residência em Fisioterapia do UniBH. Fabiana Silva Lopes. O seu objetivo foi aprimorar os conhecimentos Alunos voluntários: teóricos e práticos referentes à gerontologia Bruno de Castro Fonseca.

residindo sozinhos ou com a família. Patrícia Alves Caldeira Brant. que visam à socialização dos idosos. Todos os participantes receberam certificado de participação. A participação no projeto foi gratuita e o pré-requisito essencial é que os participantes tenham 60 anos ou mais. Lillian Gazon Muzzi e Maria Hilda Nogueira Soares . piscina terapêutica. Esses grupos. vive na comunidade. em formatura solene ao final de cada semestre. através de atividades como: palestras. Estudos demográficos têm demonstrado o envelhecimento populacional brasileiro. coordenados por idosos ou por voluntários. vêm ocorrendo sem o apoio de entidades civis e governamentais. culturais e jurídicas dos idosos. Gustavo Nonaka Gontijo.Diversos espaços acadêmicos. estão proliferando os grupos de convivência de idosos. tais como biblioteca. mais de 98% dos idosos. jogos e passeios. O projeto ofereceu ainda um passeio voltado para os idosos e eventos de comemoração e informações a cada semestre. sociais. Entendendo que os grupos de convivência necessitam de atividades que favoreçam conhecimentos básicos sobre os principais problemas de saúde da terceira idade e atitudes básicas de prevenção e manutenção da saúde. Nas comunidades. ginásios e laboratórios de informática foram utilizados durante as aulas. Ludmila Santos Eufrásio. geralmente sem fins lucrativos. é que se pensou o presente projeto cujo principal objetivo voltou-se para a realização de práticas de educação sobre temas relacionados à saúde. psíquicas. que promovessem uma atitude de prevenção Intervenção gerontológica preventiva para grupos de convivência de idosos Coordenadora: Profª. danças. No nosso país. Os temas abordados procuraram oferecer informações que contemplaram as necessidades físicas. comprometendo a adequação e a segurança das atividades realizadas. Bruno Richard Lima. Louise Guimarães de Araújo (91) PROGRAMA UNIDOSO Alunas bolsistas: Melquia Cândida Machado e Adriana Vidigal Reis Alunos voluntários: Bruna Martins Costa.

Juliana Magalhães Machado. “Massagem e relaxamento”. Prefeitura de Belo Horizonte. os idosos apresentavam alterações fisiológicas do envelhecimento e doenças crônico-degenerativas (92) . sendo a primeira sobre “Coluna e postura”. Marco Túlio Figueiredo Campolina. Taís Almeida Marra Colaboradoras: Profas. músicas.e mudança de hábitos. sem perder de vista suas características: “Depressão”. Juliana de Carvalho Freitas. solicitados pelos grupos de convivência: Para isso. Lidiane da Silva Santos. “Osteoporose” e “Osteoartrite”. lúdica e acessível ao discussões. “Incontinência urinária”. Postura”. “Memória”. “Prevenção de câncer não haver pré-requisitos para o ingresso. Fisioterapia orientados por uma professora gerontóloga. encenações. o projeto se propôs também: a realizar um acompanhamento dos grupos de convivência atendidos. passou a ser oferecido no formato “Prevenção de Quedas”. Juliana Fernandes de Araújo. “Hipertensão”. Louise Guimarães de Araújo e Adriana Neto Parentoni Alunas bolsistas: Fernanda Pinheiro Amador dos Santos e Maiana Rocha Aguiar Alunos voluntários: Débora Maria Guimarães da Silva. Porém. Maria Hilda Nogueira Soares. temas. a avaliar os resultados das intervenções e coletar dados sobre o público e os grupos de convivência para direcionar novas ações. “Cuidados com a de oficinas. Coordenadora: Profª. O assunto “postura” foi escolhido devido à alta prevalência de disfunções e dores na coluna vertebral na população em geral. “Diabetes”. prepararem-se práticas foram realizadas através de dinâmicas. As atividades realizadas foram avaliadas positivamente pelos idosos. não de mama”. aulas de maneira didática. coordenadores dos grupos e pela instituição parceira. contribuir para a socialização dos idosos e recursos formulados pelos alunos do curso de promover experiências intergeracionais. por meio da Coordenadoria de Direitos do Idoso. Além das práticas educativas. Natália Stefane Franco e Renata Sayuri Nagoya As atividades do projeto contemplaram a realização de atividades de prevenção A partir do 1º semestre/2007. visando a reduzir a Unificando: espaço universitário aberto morbidade e o impacto na qualidade de vida para idosos da comunidade causados pelas doenças crônico-degenerativas típicas da maturidade. “Varizes”. apoiando e orientando os coordenadores e assessorando as atividades realizadas. o Unificando primária e secundária através de discussões de passou a fazer parte do Programa Unidoso. As haver ônus para a população. voltar-se para pessoas a partir dos 60 anos. jogos e outros idoso.

Coordenadora: Gerontologia. além de dedicarem horas para estudos a capacitação dos cuidadores e profissionais sobre os temas desenvolvidos e preparação de dessa instituição asilar. realizou a “Tarde de Controle funcionais e sociais do indivíduo malnutrido. o revezamento uma melhor qualidade de vida aos idosos da Tocha Olímpica. primeiramente. Foi prevista em grupo. Nessa oportunidade. passeio ao “Aquário Mundo global ao idoso. portadores de baixo peso/ de 10 acadêmicos do curso de Fisioterapia. Saúde Coletiva e Unidade de Profª. discussão e preparação das individuais. estabelecendo de forma definitiva Programa de reabilitação do estado o papel primordial do profissional nutricionista na nutricional de idosos do Asilo Casa assistência gerontológica. das 13h30 às 16h. Essa atividade foi seguida da oferta práticas de saúde realizadas com os idosos. velhice de estudantes do ensino médio antes e Os cuidadores e profissionais foram capacitados após educação gerontológica: projeto piloto”. do Ancião Cidade Ozanan – Belo permitiu-se aos acadêmicos do curso de Nutrição Horizonte/MG o aprofundando dos conhecimentos práticos e teóricos na área Nutrição Clínica. e participação no evento promovido foi possível exercer a cidadania garantindo pela Prefeitura de Belo Horizonte. Através do projeto em epígrafe. de acordo com as alunos se responsabilizavam-se também pela características/recursos disponíveis na instituição e preparação dos temas de educação e dinâmicas monitoramento nutricional adequado. para reconhecerem a importância do profissional No primeiro semestre de 2007. Adriana Keller Coelho Alimentação e Nutrição. A metodologia o estado nutricional dos idosos do Asilo de trabalho constou. brasileiros residentes em instituições de longa permanência. desnutrição e sobrepeso/obesidade.que maximizam ou desencadeiam queixas de Este projeto de extensão pretendeu reabilitar dores e limitações nessa região. através do estabelecimento das necessidades nutricionais Os selecionados participavam de reunião semanal para treinamento. da seleção Cidade Ozanan. Os de dieta individualizada. de pesquisa a partir da extensão e no envio extremos ponderais e condições clínicas que de trabalhos para eventos científicos. Pensando-se na geração no envelhecimento relacionadas à alimentação. trazendo a toda a equipe As reuniões com os idosos aconteceram às assistencial a possibilidade de identificar e terças-feiras. Aluna bolsista: Lívia Guedes Lopes Ferreira (93) PROGRAMA UNIDOSO . Geriatria. em Reabilitação material didático para as palestras. por desenvolvidas as pesquisas “Avaliação do meio do melhor conhecimento das necessidades efeito de práticas educativas no controle e na nutricionais dos idosos e técnicas adequadas de prevenção de dores da coluna vertebral em idosos” e “Avaliação das atitudes em relação à manipulação de alimentos.lidar com as principais alterações fisiológicas B8 no campus Estoril. o Unificando. da Hipertensão Arterial” e o “IV Encontro Intergrupos de Convivência do Uni-BH e Homenagem dentro de um conceito ampliado de assistência ao Dia das Mães”. na cidade. de Gerontologia. foram requerem cuidado nutricional específico. das Águas”. em especializado em determinadas situações. Nutricional de Idosos. na sala 413. a parceria com outros projetos de extensão da área partir do conhecimento das conseqüências clínicas.

Programa UNISAÚDE (94) .

vez. por exemplo. Evane Luíza Dias Nalon. Daniela Maria da Cruz dos Anjos Alunas bolsistas: Thaísa Lins Vieira Dora e Leandro Ozório Madureira Alunos voluntários: Camila Caldeira Viana.Os diabéticos assistidos É fundamental advogar em prol de ações pelo projeto totalizaram 43. Daniela Arias Rios. a realização de um treinamento funcional dos Os esforços para estabelecer os preparativos idosos diabéticos. Bárbara Brito de Carvalho. ao meio-ambiente são. 6 atividades. Patrícia Se os problemas com a saúde apresentam. as condições básicas de saneamento. como diminuição da velocidade de necessidade. As mudanças dos hábitos de comportamento em relação ao corpo. importante para o estabelecimento de ações cooperativas contra a propagação dos males que Os objetivos deste projeto de extensão foram desequilibram a saúde física e mental do homem. de importância crescente em através de encontros para estudos. tem como meta o cuidado com a vida pela prática da cidadania. à higiene. semestre de 2007. mais que desenvolver atividades que prevêem as doenças e as possibilidades de cura. Sua incidência e prevalência estão aumentando e alcançando proporções elaboração e execução de planos para ação. mobilidade limitada O Programa UniSaúde representa um passo de joelho e tornozelo. quanto ao risco de desenvolverem pé chave de alcance dos objetivos propostos pelas diabético. caminhada. sendo que 14 desse porte para que se possa proporcionar realizaram treinamento funcional regular 2 vezes uma melhor segurança e oportunidade para o por semana (448 sessões) e foram orientados desenvolvimento humano. e a análise do perfil dos básicos para uma boa condição de vida são a diabéticos. Alguns fatores constituem objetos de estudo para este programa: a escolha e ingestão de alimentos saudáveis. o cuidado com a higiene pessoal. fatores significativos para que o homem tenha uma vida mais longa e mais saudável. à alimentação. reflexão. entre outros. os exercícios físicos. As atividades teórico-práticas se intercalam por dinâmicas específicas que permitem à comunidade O diabetes mellitus está associado a vários tanto acadêmica quanto externa à academia comprometimentos neuromusculoesqueléticos que a tomada de decisões mais pertinentes a cada podem levar a inabilidades físicas e alterações da marcha. Abordagem multidisciplinar dentro da assistência primária e secundária para portadores de diabetes mellitus com intervenção fisioterápica cardiovascular e físico-funcional (95) PROGRAMA UNISAÚDE PROGRAMA UNISAÚDE Projetos . O Programa UniSaúde. saúde publica. e a garantia de hábitos quanto ao controle da doença e prevenção dos fatores de risco cardiovascular no primeiro de vida mais adequados e saudáveis. Sabrina Carvalho Fonseca. epidêmicas. novos desafios. a cada Pereira Alvarenga. passos curtos. o importante é estabelecer uma maior colaboração entre os atores envolvidos Uma das doenças que afetam os idosos é o nas atividades extensionistas que se concretizam diabetes mellitus. voluntários e 2 bolsistas. a postura do corpo. O projeto contou com a participação de 8 acadêmicos do curso de Fisioterapia. medidas de controle contra os diferentes e diversos distúrbios.Coordenadora: Profª.

o aprendizado e o atendimento à comunidade fosse garantida tanto na graduação quanto na pós-graduação. Oraida Salve de Aguiar Aluna bolsista: Camila Santos Cruz Alunos voluntários: Adriane Viana de Souza. Assistência fisioterápica especializada em ênfase ao sistema neurológico Coordenadora: Profª. Fabiana Assis Carvalho Moura. teve por objetivo principal desenvolver ações de promoção de saúde e prevenção de agravos. Essas atividades preliminares foram necessárias para que o processo de implantação da residência transcorresse com sucesso e para que a integração entre o ensino. Ana Paula Miranda Furbino. conseqüentemente. Luciana Cota e Silva. no 1º semestre de 2007. a atuação do fisioterapeuta na prevenção primária. visto que desenvolveu ações em seis especialidades tanto em nível hospitalar quanto ambulatorial em parceria com o Ipsemg. Além disso. gerontologia.O aumento da incidência do diabetes e a maior expectativa dessa população ressaltam a importância de uma atenção especial no que diz respeito à avaliação e ao tratamento do desempenho funcional. Os atendimentos aos pacientes envolvidos ocorreram em locais distintos. visando à participação e à assimilação do conteúdo pelos ouvintes e. degenerativas e ocupacionais. onde os temas foram previamente definidos. este projeto de extensão foi de fundamental importância. infecciosas. e a atuação nos três níveis de atenção à saúde (prevenção. cardiologia. com vista a implementar o tratamento proposta inovadora e pioneira. Natália de Paula Carneiro Vasconcellos Alunas bolsistas: Ariella Maciel Prosdocimi Surrette e Mariana Cristina Simões Alunas voluntárias: Jovânia Ramos Costa e Mariana Cristina Simões O projeto. de acordo com a demanda e o interesse da comunidade. secundária e terciária. que contempla fisioterápico neurológico no âmbito das políticas (96) . As práticas educativas aconteceram na clínica-escola do Uni-BH e no Centro de Saúde Santa Rosa. obstetrícia Foi feita ainda uma análise da comunidade e urologia. incapacidade. cura e reabilitação). Wanessa Silva Gonçalves. clínica-escola e hospital. o projeto de extensão Fisioterapia Preventiva participou com a elaboração e a aplicação de uma metodologia de ensino. favorecendo hábitos de vida saudáveis. na clínica-escola do UniBH e nos centros de saúde da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. operacionalizar o processo da Residência em Fisioterapia nas áreas de ginecologia. Em cada uma delas. limitação ou restrição funcional e suas necessidades de reabilitação motora Considerando a Residência em Fisioterapia uma neurológica. em uma gama de patologias genéticas. tais como Além disso. Polyana Santos de Castro e Laura de Almeida Leão Foram objetivos do projeto a aquisição de conhecimento teórico e prático em Fisioterapia com enfoque neurológico infantil e adulto. Paloma Siqueira de Oliveira. foram desenvolvidas estratégias para centros de saúde. utilizando-se a educação como ferramenta para despertar e estimular os indivíduos a redefinirem conceitos e ações. Fisioterapia Respiratória e Gerontologia. foram elaboradas outras atividades em parceria com os projetos de extensão: Saúde da Mulher. Abordagem preventiva em fisioterapia Coordenadora: Profª. à prevenção e à promoção da saúde. ortopedia. de Belo Horizonte quanto a seus problemas: respiratória e neurologia.

Gurgel de Souza. Ingrid de Castro Bolina Faria Alunos voluntários: Cláudia Renata de Jesus. Isis Tacyana Gonçalves S. Fábio Campos da Silva. Nascimento. O projeto realizou atendimento fisioterápico Felipe Abritta B. fossem obtidos em menos tempo de tratamento e os ganhos funcionais. Hellen Natalie Santana. foram realizadas melhorassem a qualidade de vida dos indivíduos práticas educativas na comunidade (igrejas. Virgínia Franca Silva. Magalhães. Eduardo Onofre Rodrigues Bastos. pacientes encaminhados por médicos angiologistas A especificidade e particularidade de cada de consultórios ou hospitais e centros de saúde da um foram respeitadas. mais pronunciados. Atendimento a portadores de doenças vasculares periféricas As atividades deste projeto de extensão tiveram como objetivos gerais: aprofundar o aprendizado dos alunos em uma área específica da Fisioterapia através da vivência do atendimento fisioterápico específico em doenças vasculares periféricas e contribuir para sua formação como uma atividade complementar às atividades de ensino. de acordo com a crônica. Jovânia Ramos da Costa. Além do atendimento específico. Carvalho Alunas bolsistas: Fernanda Neves Murta e Marcela Júnia Braga Alunos voluntários: Eduardo Frederico Cherem Fereira. Juliana Cássia Correa. Coordenadora: Profª.sociais e a atender pacientes com afecções obstrutiva periférica ou insuficiência venosa nervosas. Camilo Cândido da Silva Santos. Samira Alcici. Ana Paula Rezende. grupos e associações) sobre fisiopatologia das atendidos. B. Joana Polônio Pellegrino. Karoline Oliveira Prata e Poliana Soares Saraiva Atendimento fisioterápico respiratório em crianças portadoras de síndromes genéticas (97) PROGRAMA UNISAÚDE . especializado em reabilitação vascular periférica Jaqueline Moutinho Guimarães e Débora de para pessoas que apresentavam doença arterial Andrade Câmara Coordenadores: Profs. Milene Martins Foureaux. doenças e orientações domiciliares de exercícios específicos para melhora vascular. Thiago Henrique Lobato de Araújo. Danielle Aparecida Gomes Pereira e André M. Foram avaliadas e abordadas pessoas que precisavam de reabilitação vascular e patologia. Jacqueline Oliveira A. por vezes em grupos. Taís Garcia de Castro. para que os resultados cidade de Belo Horizonte. Thiago Pascoal Lopes. e também individualmente.

os pacientes que não puderam permanecer em Belo Horizonte foram encaminhados para o serviço de fisioterapia de sua cidade. ao longo do tratamento.A maioria das síndromes genéticas associa-se a complicações pulmonares de causa direta ou indireta. através de palestras e cartilhas educativas. muitas vezes podendo levar à morte. apresentaram níveis satisfatórios de melhora clínica e baixíssimo nível de internações hospitalares por descompensação respiratória. sob a orientação da equipe participante do projeto. em relação às crianças. O objetivo geral do presente projeto foi a instituição de um programa de acompanhamento fisioterápico Fisioterapia ortopédica e esportiva ambulatorial para pacientes portadores de síndromes genéticas com complicações pulmonares associadas. quanto aos cuidados respiratórios que deveriam ser tomados. Coordenador: Prof. realizaram-se. avaliadas no início do tratamento e reavaliadas. Fabiano Botelho Siqueira Alunos bolsistas: Leandro Chaves de Castro e Isabela Lima Araújo Alunos voluntários: Danielle Carvalho de Oliveira Coutinho. o atendimento ambulatorial e o relacionamento terapeuta/paciente mostraram a eficiência. Neste primeiro semestre de 2007. O acúmulo de secreção pulmonar e as más-formações do sistema respiratório são os fatores principais para a descompensação respiratória nas crianças. avaliar e quantificar a qualidade de vida dos pacientes portadores de síndromes genéticas. seriedade e responsabilidade de todos os profissionais envolvidos no projeto. Fernando Roberto Edmundo Gomes. Raquel de Brito Vendrix. contando com uma população de crianças com síndromes genéticas raras. Em um intervalo de 24 sessões. Silva Gonçalves Rocha e Thiago Barcelos Leão O projeto teve como objetivo preparar os alunos para avaliar. Os benefícios mútuos para a comunidade. após as 24 sessões. a equipe de profissionais avaliou todos os pacientes e orientou os familiares. Todas elas. analisar e avaliar os efeitos da intervenção fisioterápica respiratória. os pacientes foram encaminhados para o atendimento fisioterápico respiratório no Uni-BH e. orientar os familiares quanto aos cuidados respiratórios específicos. em média. avaliar e acompanhar a função pulmonar. para o Centro Universitário – como troca de saberes e ganho experiencial da aplicação de conteúdos teóricos – a melhora da qualidade de vida das crianças. 8 atendimentos/ dia. orientar e tratar indivíduos com disfunções musculoesqueléticas e disfunções (98) . fizeram-se testes específicos e avaliação do sistema respiratório. principalmente para as crianças portadoras de mucopolissacaridoses. Os objetivos específicos buscaram: elaborar um protocolo de avaliação e de atendimento fisioterápico respiratório para as principais síndromes genéticas. Posteriormente à avaliação inicial.

O programa funciona hoje sob a coordenação da professora da cadeira de Ginástica Laboral Daniela Coelho Zazá. absenteísmo e procura ambulatorial. Coordenadora: Profª. o programa encontra-se sedimentado com funcionários mais conscientes da prática de atividades físicas e já são notórias as melhoras no rendimento do trabalho e redução de procuras ambulatoriais. ética e competente. Apesar dessa mudança em seu comportamento. o homem gera sobrecargas mecânicas em suas estruturas osteomusculares e articulares. o Uni-BH foi procurado pela Fundação Hemominas. Este programa teve como objetivos oferecer a seus funcionários melhores condições e ambiente de trabalho por meio de melhorias nas posturas ocupacionais. Foram realizados atendimentos. prevenção de fadiga muscular e mental. torna-o mais sedentário. melhoria no desempenho do trabalho e fora deste. Nos postos de trabalho. A participação neste projeto propiciou aos alunos atualização e aplicação. percebeu a necessidade de ampliar as ações em qualidade de vida no trabalho e resolveu implementar o Programa de Ginástica Laboral em suas unidades de Belo Horizonte. podendo desenvolver futuramente doenças ocupacionais. através do Serviço de Saúde Ocupacional. na prática clínica. duas vezes por semana. Daniela Coelho Zazá Aluna bolsista: Clarisse Pinheiro Silva A tecnologia no mundo atual tem facilitado a vida do homem e. ao mesmo tempo. além de promoção da saúde. A Fundação Hemominas. redução de acidentes de trabalho. mostrando que a ginástica laboral é bastante eficaz em suas propostas. e sob a supervisão da fisioterapeuta da Fundação Hemominas. ao executar uma tarefa.relacionadas à prática de atividades esportivas. ele é um ser ativo que necessita de movimento para o seu bem-estar geral. a importância (99) PROGRAMA UNISAÚDE . Dinéa Batista dos Santos Chitarra. dos conceitos teóricos desenvolvidos em sala de aula e despertou a consciência para a importância do trabalho do profissional fisioterapeuta de forma científica. Hoje. a um grupo de indivíduos com dor lombar crônica e a atletas amadores de vôlei de um clube de Belo Horizonte. Em 2005. imbuído de suas Ginástica laboral para funcionários da responsabilidades no tocante à prevenção das doenças ocupacionais e da melhoria da Fundação Hemominas (HBH) qualidade de vida de seus funcionários. principalmente quando assume posturas funcionais inadequadas. em nível de mercado. além de buscar oferecer uma abordagem preventiva para essas disfunções. devido à qualidade de ensino do curso de Educação Física. para fazer parte deste programa como parceiro. Isso mostra também.

de profissionais diferenciados trabalharem em e planejamento de demais ações passíveis de ser realizadas envolvendo outros setores do município parceria para um mesmo fim. Isabela Ferreira de Melo Rocha. seqüencialmente. foi realizada a formatação de devem ser estabelecidos bons hábitos alimentares um banco de dados no software EPI-INFO. vêm contribuindo 62 crianças entre 0 e 5 anos no distrito de Ipoema. conseqüentemente. Agricultura. desenvolvimento satisfatório. cada vez mais para a industrialização nos hábitos zona rural do município de Itabira/MG. Essas crianças receberam. também na infância Posteriormente. foram avaliadas durabilidade e boa aceitação. Álvaro Luiz Lage Alves e Vicência Barbosa Coordenadora: Profª. (Secretarias de Ação Social. além de orientações através de palestras. como Priscila Karine Souza Santos trabalho da mulher fora do lar. Educação. Mara Cláudia Azevedo Pinto Pereira Cheib Alunas bolsistas: Ângela Cristina Favretto Ribeiro Freitas e Priscila Alunas bolsistas: Marina Costa de Siqueira Nacif e Natália de Cristina Barros dos Santos Alunas voluntárias: Oliveira Tenuta Daniela Finamor e Emanuella Larissa Valadares Alunas voluntárias: Bárbara Rigotto Lima Prado. Foram contribuindo para o cuidado nutricional. As próximas atividades deverão envolver a Foram atendidas 355 crianças com idade entre 2 realização de atividades de educação nutricional e 6 anos. quantidade Jade Ananda Ribeiro. seguida de avaliação antropométrica e projeto teve por objetivo garantir ao grupo interpretação dos índices antropométricos para materno-infantil o acesso à assistência nutricional. quais dependem a disponibilidade. identificadas 30 crianças com risco nutricional. à desnutrição e obesidade. versão que continuarão na idade adulta. as práticas alimentares do distrito. crianças e seus pais da Unidade Municipal de visitas para identificação das características Educação Infantil (Umei) e da Escola Municipal alimentares. O projeto promoveu educação nutricional para desnutrição ou sobrepeso. Saúde. Marina Moreno Wardi. com atividades (100) . Além da através da realização de antropometria. Foram boa nutrição para assegurar o crescimento e utilizados antropômetros e balanças eletrônicas. hábitos dos seus familiares. outros fatores. Larissa Braga do Carmo e e qualidade dos alimentos consumidos. socioeconômicas. dinâmicas de grupo e técnicas vivenciais. atividades foram realizadas em conjunto com a equipe do Programa de Saúde de Família (PSF) Por outro lado. execução do diagnóstico nutricional. inicialmente. culturais e demais Aminthas de Barros. Maria Cristina As práticas da alimentação estão fortemente Prado Figueiredo. O presente 2005. maior praticidade. Camila condicionadas ao poder aquisitivo das famílias. Desenvolvimento Econômico etc). da criança. Todas as da família e. feito um rastreamento inadequadas na infância estão relacionadas de crianças portadoras de desvios nutricionais à anemia. Entre fevereiro e junho de 2007. Ações integradas de vigilância nutricional para crianças no distrito Ipoema – Itabira/MG Educação nutricional para gestantes e crianças Coordenadores: Profs. Turismo. Além da estabilidade econômica. dos turnos manhã e tarde. localizadas no Bairro Havaí. preliminares. das Vieira Aramuni. Foi.

mucopolissacaridose e paralisia braquial obstétrica. Hidrovida: abordagem hidroterápica e neuromotora para crianças especiais Um dos objetivos dessa extensão foi capacitar o aluno a realizar uma boa avaliação fisioterápica.6% de crianças desnutridas ou com risco nutricional e 15% com sobrepeso ou obesidade. Samira Alcici. abordando a introdução do conceito de Pirâmide Alimentar Infantil. alimentação do pré-escolar. em ministrar palestras Jacqueline Oliveira A. mielomeningocele. das 10h às 11h40. Os pacientes atendidos são portadores de: paralisia cerebral. Duarte de Oliveira O projeto foi desenvolvido na piscina terapêutica do Uni-BH. orientar as professoras a conhecerem melhor a criança portadora de necessidade especial. comportamento alimentar. uma vez que não existem ações desse tipo entre as faculdades de Fisioterapia em Belo Horizonte. Souza e Niziamara A.Os temas abordados foram: anemia. A atuação dos alunos Aluna bolsista: se concentra. Vale ressaltar que a atividade de atendimento hidroterápico para essas crianças foi iniciativa única da professora coordenadora do projeto. O diagnóstico nutricional foi informado aos pais e à coordenação da Umei e da Escola. na qual os alunos da extensão participam ativamente do Coordenadora: processo de inclusão social de crianças portadoras Profª. artrogripose. introdução aos conceitos da Pirâmide Alimentar Infantil e às cores dos alimentos. . o que confere ao Uni-BH um diferencial acadêmico facilmente percebido pelos atuais alunos e possíveis candidatos ao curso de Fisioterapia. duas vezes por semana (segundas e quartas-feiras). de acordo com os valores referencias do NCHS. para orientação sobre práticas alimentares saudáveis.4% de crianças eutróficas. A extensão Hidrovida consolidou uma parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte. Fabiana R. totalizando 30% de crianças com algum tipo de distrofia. obesidade infantil. dando visibilidade à instituição Uni-BH no meio social. Foi realizada avaliação nutricional de todas as crianças através dos índices P/I. Foram diagnosticadas 70. atualmente. 2000. Ana Cássia Siqueira da Cunha de necessidades especiais. traçar objetivos de tratamento. síndrome de Down. desnutrição. Foi apresentado um teatro infantil. (101) PROGRAMA UNISAÚDE lúdicas e objetivo de apresentar os alimentos e incentivar o consumo. P/E e E/I. distrofia muscular. Gurgel de Souza nas escolas da regional oeste com o objetivo de Alunas voluntárias: Jaqueline Montinho Guimarães. Os grupos com os pais que aceitaram participar do projeto tiveram periodicidade quinzenal. 14. elaborar condutas hidroterápicas para crianças com problemas neurológicos e adequar a pesquisa com a demanda de pacientes da comunidade.

quinzenalmente. Associado ao tratamento de limpeza brônquica. Intervenção fisioterapêutica em pacientes portadores de fibrose cística: mucoviscidose Coordenadores: Profs. uma realidade na formação do fisioterapeuta. Rita de Cássia D. terapeuta ocupacional). visto que esse é importante no entendimento do processo: saúde. fonoaudiólogo. ainda na graduação. psicólogo. nutricionistas. facilitação da marcha nas dependências da escola. Sílvia Regina Vieira dos Santos e Juliana Márcia da Silva Mendes A fibrose cística é uma afecção genética com um padrão de herança autossômico recessivo. aos portadores de fibrose cística e a seus familiares. de acordo com as normatizações mundiais. A doença é caracterizada por uma disfunção generalizada das glândulas exócrinas. Tudo isso favoreceu a inserção do Uni-BH no cenário brasileiro da fibrose cística. propiciando uma visão generalista em congruência com o projeto pedagógico do curso de Fisioterapia do Uni-BH. alimentação na hora do recreio. e os temas abordados são: posicionamento em sala de aula. Além disso. vestimenta. Jovânia Ramos da Costa. Mendes dos Santos. de caráter evolutivo crônico e progressivo. Evanirso da Silva Aquino e Cristiane Cenachi Coelho Alunas bolsistas: Renata Aurichio de Oliveira e Tatiana Monteiro dos Reis Alunas voluntárias: Ariella Maciel Prosdocimi Surrette. Portanto. as atividades possibilitaram o contato multiprofissional dos alunos envolvidos com médicos. o objetivo deste projeto de extensão foi a promoção da assistência fisioterapêutica. banho. que engloba a utilização da terapia inalatória. melhorando a qualidade de vida pela minimização dos danos pulmonares observados pela manutenção dos valores de prova de função pulmonar. nutricionista. com o objetivo de facilitar a remoção de secreção. através da promoção da saúde.Essas palestras são oferecidas. Outro fator importante foi a adoção de um modelo de saúde não somente focado na doença. reforçando seu posicionamento como instituição de ponta junto à sociedade. suporte de outros profissionais (médico. como brincar na sala de aula. o que marca a vivência profissional. A referida parceria divulga o nome do Uni-BH. incapacidade. desenvolvida pela Organização Mundial de Saúde. Giuliana Cristine de Souza Moreira. regidos pela classificação internacional de funcionalidade. funcionalidade e desempenho. em todos os níveis de saúde. que compromete (102) . Isso proporciona uma abordagem ampla e uma melhor abrangência das limitações das estruturas e dos sistemas corporais e não só das incapacidades do doente. doença. o funcionamento de todos os órgãos e sistemas. mas também no modelo social. assistentes sociais e psicólogos. O tratamento fisioterapêutico tem sido proposto a partir dos primeiros meses de vida da criança. exercícios e educação para os pacientes e familiares. também vem sendo proposto um novo modelo de fisioterapia para fibrose cística. enfermeiros. principal causa de infecção lesão pulmonar. dentista.

promover discussão interdisciplinar de casos que devem ser abordados por mais de um projeto. tratamento e acompanhamento Ferreira Belo Adelino. foram também objetivos: promover melhora do quadro clínico e da qualidade de vida dos pacientes linfopatas. por meio de práticas de educação em linfologia e atividades afins. André Maurício centro universitário e centros médicos que atendem Borges de Carvalho. foi oferecida reabilitação gratuita reconhece e adota a fisioterapia como o de pacientes linfopatas. existe uma carência desse serviço Melhoria das condições de produção em nossa comunidade. tanto para a reabilitação educativa para a comunidade. Elisângela Cristina de Souza Silva. Além disso. Por outro lado. Cleria Fernandes 3 atendimentos semanais. discentes do curso de Fisioterapia do Uni-BH e Fernanda Kelly de Paula. Ambulatório de Gerontologia. Gonçalves Os resultados foram bastante positivos. favorecendo o desenvolvimento de atitudes de prevenção e manutenção da saúde entre os pacientes linfopatas. promoveu-se palestra tratamento mais eficaz. com vistas a restaurantes conveniados à Casdec prestar atendimento fisioterápico especializado em linfologia. registrou para os discentes o aprendizado em A Sociedade Internacional de Linfologia (1995) linfoterapia. por essa razão. Margarete Maia Lazarini. pensou-se e distribuição de refeições dos na implantação do presente projeto. do Uni-BH e profissionais externos. Aluna bolsista: Fernanda Maria de Lima Correa As atividades desenvolveram-se na Clínica-Escola Alunas voluntárias: Alessandra Fernandes de Lima. educação e relacionamento Coordenadora: Profª. pensou-se ainda proporcionar aos discentes o aprendizado em uma área específica da Fisioterapia. favorecer a integração Coordenadores: Profs.entre discentes e pacientes. Aline das Graças do Uni-BH. Mesmo sabendo a importância da fisioterapia na linfologia. Foram selecionados de Assis. Paula Fernanda Faria. capacitar os discentes para abordagem fisioterápica específica em reabilitação linfática. com Caetano. Carina Carla Ferreira. viabilizou-se o intercâmbio entre os outros núcleos de assistência como para prevenção do linfedema. além de participarem de encontros Lemes. Daniele Aparecida Gomes e a comunidade portadora de doenças linfáticas. Sabrina Alves Ramos Alunas bolsistas: Luciana de Oliveira Zica e Letícia Viana Pires Amaral (103) PROGRAMA UNISAÚDE Intervenção fisioterápica em linfologia . aprimorar a capacidade de orientação. Francinele de Oliveira dos pacientes. facilitando a divulgação das atividades do UniInácio Teixeira Cunha BH com portadores de linfedema. Camila Couto Rodrigues e Valeska Tahise científicos. e o aprimoramento das habilidades de relacionamento e orientação da comunidade. Virgínia Maria sobre avaliação. pois se O linfedema é uma patologia crônica e complexa. Katiara Michelly Soares todos passaram por um treinamento adequado de Lima.

portanto. Sônia Maria de Figueiredo Aluna bolsista: Lúcia Olímpia Coelho Ferreira Aluna voluntária: Marilente Alves Lopes A Oficina de culinária buscou instrumentalizar e capacitar a população assistida (freqüentadores do Ambulatório de Nutrição) como forma de promover o autocuidado. De acordo com a classificação estabelecida. Apenas um (33. Na tentativa de melhorar as condições higiênicosanitárias de produção das refeições. A partir desse check list. o que representa um grande problema de importância sanitária (CARVALHO. familiares e alunos da Fundação Dom Bosco – Unidade Floresta Coordenadora: Profª. treinamentos foram elaborados e aplicados aos manipuladores de alimentos de cada restaurante. 66. higiene Aluna voluntária: dos alimentos e higiene ambiental. o objetivo deste trabalho voltou-se para a qualificação da equipe de três restaurantes associados à Casdec. a utilizar o Laboratório de Nutrição e Dietética e os recursos didáticos que ele oferece. com bom nível de sanidade e que fossem adequadas aos comensais.8%. Foi aplicado A Síndrome de Down é uma alteração um novo check list para comparar os resultados cromossômica responsável pelo retardo mental e aparência característica. adequando-se em menos de 50% aos itens avaliados. surgiu a partir da descrição de John Langdon (104) .9% a 68. o setor de refeições coletivas vem crescendo cerca de 20% ao ano. Para se alcançarem os objetivos propostos. a fim de fornecer refeições nutritivas. através de técnicas de culinária.7% dos restaurantes enquadraram-se no Grupo 3. A participação Clarice Pantuso Monteiro e envolvimento dos funcionários durante os dias de treinamentos foram significativos. um baixo nível de atendimento desses estabelecimentos às exigências da legislação de adequação das Boas Práticas de Fabricação para serviços de alimentação. A primeira etapa desenvolvida foi a aplicação de um check list nos restaurantes conveniados ao projeto para diagnosticar as condições das edificações e instalações. a avaliar e ensinar os princípios das boas práticas de fabricação e congelamento de alimentos. ensinou-se o aluno a transformar os alimentos e/ou sobras de alimentos em pratos saborosos. produção e documentação.Alunas voluntárias: Cristiane Pereira Rodrigues e Luana Rosa No Brasil. sendo a classificação realizada com base na RDC nº 275. 2000).3%) estabelecimento foi classificado como Orientação nutricional e boas práticas Grupo 2 (51 a 75% de atendimento dos itens). Pôde-se observar que a adequação variou de 10. crenças e cultura de cada participante. 216/04 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Luciana Ramos Costa Simões Alunas bolsistas: Alessandra Mara Santos Mendes e Ana Flávia Dayrell Salema Os temas abordados foram higiene pessoal. O nome dessa síndrome antes e após os treinamentos. a valorizar os costumes. manipuladores. Assim. agregando a esses costumes os conhecimentos técnicos mais relevantes. funcionários. verificou-se a adequação dos restaurantes à resolução RDC nº. Oficina de culinária Coordenadora: Profª. alimentares oferecidas aos professores. Percebeu-se. a ensinar técnicas básicas de utilização de microondas na cocção de alimentos. com o aproveitamento de gêneros alimentícios. equipamentos. mas também é crescente o número de enfermidades vinculadas à ingestão de alimentos.

há ocorrência. Os alunos envolvidos neste projeto tiveram a oportunidade de selecionar pacientes no Centro de Especialidades Médicas do Instituto da Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg). usando como materiais uma balança infantil da marca Balmak e infantômetro (com graduação de 1 em 1 cm até 150 cm). de acordo com a classificação da doença e indicação médica. na faixa etária entre 06 e 36 meses. que consiste na presença de um cromossomo 21 extra. Flávia de Paula Castro. de vivenciar a realidade do quadro clínico do paciente. Maria da Paz Moraes Barros Nunes e Ariella Maciel Prosdocimi Surette . analisar o consumo alimentar dessas crianças. ao mesmo tempo. alta susceptibilidade a infecções. Taxa Metabólica Basal reduzida. Mariana Lima Loureiro de Souza. sob a forma de aulas teóricas (palestras sobre alimentação saudável e elaboração de dinâmicas e jogos de interação entre o grupo de mães participantes) e práticas (com preparação e degustação de receitas culinárias). em 1886. observar o hábito alimentar das famílias. em sua fase de diagnóstico. Na Clínica-Escola. através de um questionário sobre consumo alimentar e informações socioeconômicas. de selecionar candidatos à reabilitação pulmonar. Luciana de Carvalho Lopes Orlandi Aluna bolsista: (105) PROGRAMA UNISAÚDE Down. oferecer informações nutricionais aos professores e mães das crianças vinculadas à Fundação Dom Bosco – Unidade Floresta. existe um total de 46 cromossomos. Cláudia Renata de Jesus. os fatores psicológicos e fisiológicos que estão presentes nessa incapacidade. obesidade. também. Este projeto de extensão teve como objetivos: realizar a avaliação antropométrica de 17 crianças com Síndrome de Down. através da análise do valor calórico total do recordatório alimentar de 24 horas de cada criança avaliada. Associadas à síndrome. Priscila Kristel Silva Lopes. As pessoas com a Síndrome de Down apresentam 1 cromossomo a mais. Cynthia Ramos Gonçalves. hipotireoidismo. médico inglês que descreveu. de cardiopatias congênitas. hipotonia muscular. Izabella Lana Ziviani. dos componentes reversíveis da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e melhora a força e resistência muscular dos pacientes. as características de uma criança com síndrome. desordem no sistema imunológico. Mariana Cristina Simões.Os cromossomos são estruturas que se encontram no núcleo de cada célula e que contêm as características hereditárias de cada pessoa. Em cada célula. A atuação do grupo de reabilitação pulmonar do Uni-BH nos portadores de DPOC possibilitou o atendimento dessa população e proporcionou aos alunos uma experiência (clínica e prática) de um tratamento fisioterapêutico já reconhecido na literatura mundial. o aluno realizou a avaliação. Bruno Santiago Martins Pereira. através de oficinas de culinária. Carla Eustáquio Augusto. Natália Batista Silva Alunos voluntários: Augusto Martins Lima. Ela constitui uma das causas A reabilitação pulmonar otimiza a administração mais freqüentes de deficiência mental. atendendo. Silvas Parreiras de Paulo. pela primeira vez. Mariana Oliveira Silva. o Reabilitação pulmonar do portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Coordenadora: Profª.

mas a saúde quer cada vez Júnia Cristina Vitarelli Antunes da Silva.Fisioterapia do Uni-BH. por meio de aplicação de Além dos atendimentos clínicos às crianças. e uma inovação. em termos do ambiente escolar e da equipe pedagógica de atendimento ambulatorial e efetiva forma de para receber as crianças especiais incluídas. as atividades constituíram uma novidade para reconhecimento das necessidades de adaptação os alunos do Uni-BH. A proposta da inclusão é Alunos voluntários: extensa e complexa. orientações à equipe e aos pais e colegas. Esta é a primeira de uma série de palestras que trarão temas de interesse dessa Tiveram ainda a oportunidade de correlacionar população. os fatores etiológicos da DPOC com a situação social do paciente. elaborou projetos de educação sobre a doença e participou de reuniões para discussão de temas referentes à reabilitação pulmonar e a DPOC. questionários específicos de qualidade de vida. pois entende como saúde. as extensões Pediatria: atendimento fisioterápico a crianças portadoras de síndromes genéticas e Hidrovida do curso de (106) . uma vez que eles passam a maior parte do seu dia e de suas atividades em companhia de seus responsáveis. que proferiu palestra sobre esporte adaptado. paraolimpíadas e incentivo ao Coordenadora: esporte universitário. Com esse propósito. a boa relação e adaptação com o meio em que vive. João Rodolfo Miranda de Souza e Hellen Natalie Abordagem fisioterápica cardiovascular Santana atendimento. saúde. duas vezes por semana. seja familiar. ministrando uma palestra Alunas bolsistas: esclarecedora a respeito da escola plural e o Cristine de Assis e Daniele Louredo de Souza processo de inclusão. as extensões de Pediatria trouxeram portadoras de necessidades especiais ao Uni-BH o presidente do comitê paraolímpico (síndromes genéticas) de 2007. com o começo das práticas educativas. Ana Karina de Oliveira Abate prestigiou o debate. em portadores de obesidade O fisioterapeuta está intimamente ligado ao classes 2 e 3 processo de inclusão. além do bem-estar físico e mental. A regional oeste também Profª. ministraram palestra direcionadas aos pais e/ou cuidadores das crianças a respeito da paralisia cerebral. A tratamento com menor custo para os serviços de proposta terá continuidade no 2º semestre deste ano. Considerando ainda a abrangência do tema Abordagem fisioterápica para crianças inclusão. escolar ou social. favorecendo assim uma real possibilidade de qualidade de vida. A abordagem fisioterápica inclui o preparo da família e do ambiente de convívio dos pacientes. através de suas bolsistas. Como as experiências vivenciadas pelo presente Firmou-se parceria com a equipe de educação projeto não são oferecidas durante a graduação da regional oeste para o início do trabalho de e. foi dada ênfase às intervenções nas escolas. Patrícia Varanda Aguilar. Maria mais cumprir seu papel nesse contexto. Francisca Ramos.

Érica Cristina Batista Ruas da Silveira. reabilitação cardiovascular tem como objetivo além de interferir na função cardíaca e pulmonar. das 13h A realização de exercício físico regular e supervisionado promove normalização dos níveis pressóricos. Os objetivos da abordagem fisioterápica do paciente cardiopata são: instituir um programa de reabilitação cardiovascular ambulatorial para pacientes portadores de disfunções cardíacas ou de fatores de risco para doenças cardiovasculares. permitir ao indivíduo a restituição/manutenção também limita a resposta ao exercício. “Benefícios do exercício físico para a qualidade de vida”. entre outros. Sabrina Carvalho Fonseca. propiciar aos alunos envolvidos no programa a prestação de serviços especializados à comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade. Júlia Resende Vieira Os termos obesidade classes 2 e 3 indicam graus elevados de obesidade. com de uma satisfatória condição clínica. que facilitam As doenças cardiovasculares são um problema o aparecimento de doenças orgânicas de saúde pública. O projeto de atendimento fisioterápico a portadores de obesidade classes 2 e 3 é realizado duas vezes por semana (terças e quintas). . auxiliando na redução da massa gorda e no controle das patologias co-associadas à obesidade. além de integrar as atividades de ensino e de pesquisa do Uni-BH com as demandas da comunidade.Coordenadora: Profª. realizar palestras educativas. campus Estoril. Luciana Campanha Versiani Alunas bolsistas: Edna Oliveira de Jesus e Sthefanie Gosling Alvarenga Alunos voluntários: Amira Gonçalves Gomes. Todos os pacientes que freqüentam a extensão participam também de palestras semanais sobre “Fatores de risco cardiovasculares”. Marcella Carvalhães Pimenta e Marcella Júnia Abordagem fisioterápica do paciente cardiopata Coordenadora: Profª. promove condicionamento cardiorrespiratório. Luciana Napoleão Lopes Alunas bolsistas: Rachel Carneiro Resende Fonseca e Vanessa Lorenzato A obesidade é uma alteração metabólica Alunas voluntárias: cuja prevalência vem aumentando pelo mundo Luciane Alves Passos. O acompanhamento fisioterápico do indivíduo com obesidade classes 2 e 3 proporciona um melhor controle da perda de peso. diminuição da intolerância à glicose. na Clínica-Escola e no Galpão de Eventos do Uni-BH. constituem a principal causa significativamente agravadas pelo excesso de de mortalidade e morbidade na população gordura corporal. avaliar a capacidade funcional desses indivíduos antes e após a intervenção fisioterápica. (107) PROGRAMA UNISAÚDE às 15h. conseqüente piora da qualidade de vida. psicológica e laborativa. elaborar um protocolo de avaliação/reavaliação e de atendimento fisioterápico para esses pacientes. A que a massa gorda excessiva do paciente obeso. Shirley Soares da Silva e inteiro. Além disso. Este projeto também inclui um Programa de Condicionamento Cardiorrespiratório Específico para pacientes que foram submetidos à cirurgia de redução do estômago tanto no pré quanto no pós-operatório. física. Alguns estudos já demonstraram e demandam altos custos em assistência. Edierly Lourenço dos Santos. “Cuidados com a medicação”. mudanças no estilo de vida e redução da mortalidade em pacientes cardiopatas. melhora dos níveis lipídicos plasmáticos. com conseqüente melhora da qualidade de vida.

pós-IAM. diabetes mellitus. por meio de atendimentos. V. Karine Dias Maia e Flávia de Paula Castro (108) . nos três níveis de atenção Patrícia Varanda Aguilar e Ludmila de Paula à saúde. possibilitando a atualização teórico-prática. Após os atendimentos. portadores de doença arterial coronariana (isquemia miocárdica silenciosa. pós-transplante cardíaco. Fernanda Saltiel Barbosa Velloso direcionada a portadores de disfunções cardíacas Alunas bolsistas: e vasculares periféricas. representando. angina estável. e a intensidade do esforço é controlada através do percentual de freqüência cardíaca máxima. palestras educativas e orientações domiciliares aos pacientes. pós-revascularização miocárdica. dentre outros. modificando hábitos de vida. até três vezes por semana nas fases de fisioterapia ambulatorial. os atendidos nos centros de saúde municipais e na Clínica-Escola do Uni-BH que não possuem planos privados de assistência à saúde. duas vezes por semana. indivíduos com teste ergométrico anormal e/ou cinecoronariografia anormal. Abordagem fisioterápica em cardiologia e angiologia Coordenadora: Profª. Alunas voluntárias: Leandra C. portadores de marca-passo. do aluno de Fisioterapia e dos residentes em Cardiologia e Angiologia. portadores de disfunções vasculares periféricas (insuficiência venosa e doença arterial periférica). em um galpão coberto do Uni-BH. pósangioplatia coronária). um trabalho de grande relevância social. são realizadas palestras informativas aos pacientes sobre os principais fatores de risco para a doença coronariana e sobre como realizar seu controle. sedentarismo e história familiar). Fabiane Fidelis da Seu objetivo foi aprimorar a formação acadêmica Silva. obesidade. cardiopatias congênitas. durante e após as atividades. de Albuquerque. com duas horas de duração. Poliana ginecologia e mastologia Soares Saraiva e Karoline Oliveira Prata Coordenadora: O projeto propôs uma abordagem fisioterápica Profª. Os dados vitais são aferidos antes. ou seja: primário (preventivo). assim. na fase hospitalar inicial após um evento cardíaco agudo. são realizadas reuniões quinzenais com os alunos para discussão de casos clínicos e artigos científicos. cardiopatia hipertensiva. dislipidemia. As indicações da reabilitação cardiovascular incluíram: indivíduos aparentemente sadios com fatores de risco para doença arterial coronária (tabagismo. valvopatias. Além disso.O atendimento ambulatorial de fisioterapia cardiovascular é realizado em grupo. Aluna bolsista: Edierly Lourenço dos Santos Alunas voluntárias: Edna Oliveira de Jesus. hipertensão arterial. cardiomiopatia dilatada. Giane Amorim Ribeiro Samora Abordagem fisioterápica em obstetrícia. Os atendimentos foram realizados de duas a três vezes ao dia. secundário Pereira (curativo) e terciário (reabilitador). O projeto beneficiou os pacientes internados no Hospital Ipsemg.

visando à prevenção de problemas Abordagem fisioterápica em ortopedia musculoesqueléticos. uma iniciativa nova na área da fisioterapia. neurologia são implementados em conjunto com o da ortopedia. No Hospital do Ipsemg. As principais metas foram o aprimoramento do desempenho do fisioterapeuta. O atendimento às mulheres grávidas pautou-se na prevenção de algias e incômodos típicos do período gestacional. o 2º semestre de 2007 no Hospital do Ipsemg. Uma outra atividade também elaborada foram as reuniões semanais entre os professores. Por se desenvolver estratégias para prevenir lesões tratar de um projeto de grande complexidade. responsável pela implantação da Residência em Fisioterapia. variando a cada semana e sendo realizado em grupo. de divulgação e operacionalização da e associações esportivas. o projeto objetivou também e Urologia. cardiologia. este projeto de extensão é pesquisa em fisioterapia ortopédica. palestras preventivas sobre cuidados com a coluna vertebral. ergonomia para o pessoal da enfermagem do hospital. a partir de um conhecimento teórico e práticas ambulatorial e hospitalar que favoreceram o desenvolvimento de capacidades e habilidades frente ao ensino e Especificamente. (109) PROGRAMA UNISAÚDE . com vistas a traçar diretrizes para a Residência em Fisioterapia. Márcio Alves Marçal Aluna bolsista: Raquel de Brito Vendrix Este projeto de extensão foi criado como parte da proposta de Residência em Fisioterapia Ortopédica. principalmente. mas já bastante consolidada na área médica. pneumologia. em grupos comunitários seletivo. O projeto de extensão em saúde da mulher teve por objetivos atender a gestantes e mães da comunidade e operacionalizar o processo da Residência em Fisioterapia. Coordenador: Prof. Atendimentos clínicos. ortopédicas. porque não há atividades foram (e estão sendo) desenvolvidas modelo a ser seguido. ginecologia. exercícios de alongamento e relaxamento também foram desenvolvidos e constituíram metas a serem alcançadas. em Ginecologia. propiciando ao profissional trabalhar envolvendo todas as especialidades da em programas de atenção à saúde primária.A proposta ganhou mais força porque outros projetos das áreas de gerontologia. iniciativa pioneira no Brasil. Obstetrícia Além disso. no ambulatório da foi dedicado à elaboração de todo o processo Clínica-Escola do Uni-BH. foi elaborado um programa de treinamento em residência. As fisioterapia e.

Maria da Glória Rodrigues Machado satisfatório de participantes em discussões interativas. monitorar e interpretar a função respiratória. com o propósito de oferecer técnicas de relaxamento e repouso aos participantes. o curso reforça e acrescenta informações das disciplinas Avaliação Nutricional e Dietoterapia. nas diferentes incidências e identificar as alterações radiológicas das principais doenças agudas e crônicas respiratórias. cujo público alvo foram todos os fisioterapeutas. O objetivo do evento foi descrever as principais complicações das vias aéreas artificiais e os cuidados para evitá-las. Foram desenvolvidas atividades de interação entre a vivência clínica e a discussão teóricocientífica dos tópicos referentes à área específica da pneumologia. O evento foi realizado no auditório do campus Lourdes. descrever os principais modos ventilatórios. familiares e acompaII Workshop de ventilação mecânica: nhantes sobre as principais doenças respiratórias e as principais abordagens terapêuticas dessas teoria e prática doenças. O evento foi realizado no auditório do campus Lourdes. Coordenadora: O resultado foi muito interessante. o que possibilitou a resolução de dúvidas e o aprimoramento dos conhecimentos. Dessa forma. Cursos Programa Kumdalini Yoga para empresas Coordenador: Sérgio Vieira A Coordenadoria de Programas de Extensão ofereceu o Programa Kumdalini Yoga especialmente para os gestores da Fundação Cultural de Belo Horizonte e Centro Universitário de Belo Horizonte. campus Estoril. reconhecer as principais incidências radiográficas. com um número Profª.Abordagem fisioterápica em pneumologia Coordenadora: Profª. Os trabalhos envolvidos nesta atividade contemplaram palestras educativas na sala de espera Eventos da Clínica-Escola do Uni-BH que tiveram como objetivo informar pacientes. Ivana Mara de Oliveira Rezende Aluna bolsista: Alessandra Aparecida Quaresma Gomes Alunos voluntários: Alessandro Roberto Silveira Moreira e Daniela Aris Rios Data: 5 de maio Promoção: Centro Acadêmico de Nutrição do UniBH O mini-curso promovido pelo Centro Acadêmico de Nutrição teve como objetivo promover a possibilidade de aprimoramento aos graduandos do curso no tema avaliação nutricional no paciente crítico. Diagnóstico por imagem Coordenadora: Profª. Minicurso sobre avaliação nutricional de paciente crítico: criança e adulto (110) . com vistas ao diagnóstico e prognóstico do paciente e descrever as principais estratégias para o desmame da ventilação mecânica. identificar as principais estruturas nos Raios X de tórax. cujo público alvo foram todos os fisioterapeutas. Maria da Glória Rodrigues Machado O objetivo do evento foi revisar a anatomia funcional do sistema respiratório.

Luís Gustavo Martins Drumonnd. Adriana. A atividade O evento teve como objetivo aprimorar o conheci. Vanda da Silva. Ana Karina de Oliveira Abate. além de aprender a localizar. Joana Ferreira do Amaral . atividade física e saúde . O evento contou com a participação de professores e alunos do primeiro. Emily Sobreira. Flávia Profs. Júnia de Sousa Franco. uma interação entre os alunos. cujo público alvo foram os alunos do curso de Ciências Biológicas. os estudantes puderam e suas repercussões. relacionadas às diversas disfunções neuromotoras Na pesquisa de campo. no campus Estoril. Maria Rita Daidone Zica e Vicência Barbosa Pereira Cheib O objetivo do evento. Cristiano Schetini Azevedo Profas. Para promover Nutrição. O objetivo do evento foi a apresentação do curso de Ciências Biológicas e a estrutura do Uni-BH aos calouros.ES Organizadores: Organizadores: Profs. Viagem técnica Data: 18 a 20 de maio Local: Aracruz . Lílian Albuquerque. (111) PROGRAMA UNISAÚDE Aula inaugural do curso Ciências Biológicas IV Sinutri: nutrição. os calouros tiveram a oportunidade de conhecer os trabalhos que vêm Data: 1 e 2 de março sendo realizados no curso. Adma Mesquita Batista. Keller Coelho. Sousa. Júnia Sousa Franco 1º Simpósio de Fisioterapia em Pediatria O curso de Ciências Biológicas promoveu. Os alunos dos turnos da manhã e da noite Joyce M. a Estação Biológica de Aracruz. a aula inaugural para abrir o primeiro semestre letivo de 2007. realizaram uma viagem técnica. segundo e terceiro períodos do curso. Além disso. para visitarem Oraida Salve Aguiar.Organizadoras: Organizadores: Profas. José Carlos Magalhães Amâncio Gonçalves Zacarelli.complementou as orientações dadas nas disciplinas mento e proporcionar discussões interdisciplinares de Zoologia de Invertebrados I e II. bem como costões rochosos. os organizadores abriram espaço para a participação do 2º e 3º Recepção aos calouros períodos. Ana Cássia e Luiz Gustavo Martins da Silva Siqueira da Cunha. participaram de dinâmicas e tiveram a oportunidade de conhecer trabalhos desenvolvidos pelos colegas do segundo e terceiro períodos. foi dar O evento IV SINUTRI – Atividade Física e Saúde boas vindas aos alunos do 1º período e apresentar é realizado a cada 2 anos com o objetivo de a estrutura do curso e as oportunidades que lhes atualização e discussão de temas na área de serão criadas no campo profissional. Na oportunidade. identificar e coletar espécimes animais e vegetais que. analisar áreas de mangue. Organizadora: Profª. os alunos assistiram a palestras.

Maria Lectícia Firpe nova e inovadora do profissional farmacêutico no Penna. Mark Bowen. um presente para você! Data: 14 a 18 de maio Local: Bloco C2 campus Estoril do Uni-BH Promoção: Clinica Escola O objetivo do evento foi oferecer uma sessão de relaxamento para as mães em comemoração ao se dia. Os alunos puderam ainda aprender um do Uni-BH pouco mais sobre o desenvolvimento das plantas em alguns biomas brasileiros. Mark Bowen) Data: 2 de julho Local: Uni-BH (campus Estoril) Coordenadora: Profª Júnia de Sousa Franco Visita técnica A palestra. Foi feita uma visita na Escola São Rafael pelos alunos do curso de Ciências Biológicas. Data: 6 a 9 de maio do Fisheries and Widlife Group. ministrada pelo Dr. A proposta da visita girou em torno da realização de modelos pedagógicos que poderiam ser utilizados no ensino de Ciências e Biologia para alunos deficientes visuais do ensino fundamental e médio. que cursavam as disciplinas de Genética. levantamento das áreas de atuação do profissional farmacêutico cuja demanda de mercado tem Visita no Instituto São Rafael para sido relevante. no litoral capixaba. Orientar os alunos. Mãe. Discutir a formação do profissional Data: 13 de junho para o terceiro milênio. cerca de 40 estudantes fizeram um passeio de escuna pela costa de Aracruz. Os alunos levaram modelos para o Instituto. Juliana Batista Uni-BH. Juliana Batista associadas à conservação da vida silvestre e de Os alunos do primeiro período estiveram no recursos pesqueiros. de forma adequada. retratados por meio Data: 11 e 12 de abril de estufas temáticas. teve como tema a discussão Jardim Botânico. com o objetivo de complementar de estratégias para conservação de peixes de as aulas teóricas da disciplina Biologia das água doce. órgão do governo americano de Belo Horizonte responsável pelo desenvolvimento de pesquisas Coordenadora: Profª. A visita proporcionou aos alunos a oportunidade de aproveitar o local onde encontram-se representantes de exemplares I Seminário de Educação Farmacêutica vivos. Construir coletivamente um Local: Escola São Rafael projeto pedagógico que permita uma formação Coordenadores: Profas. Bioquímica. de Souza e Junia de Souza Franco. foram levadas para estudos em um laboratório. (112) . Biologia Celular e Biologia das Talófitas e das Criptógamas. do Bureau Local: Jardim Botânico da Fundação Zoobotânica of Reclamation. Cláusia Lopes Penaforte. puderam também apreciar a história evolutiva das plantas terrestres Promoção: Curso de Farmácia contadas através da representação em uma O objetivo principal deste evento foi fazer um estufa especial. para o mercado de trabalho desse profissional. Ao final da pesquisa de campo. Palestra: Conservação de peixes (Dr. Talófitas e Criptógamas.posteriormente. Outros objetivos: Estender a deficientes visuais metodologia de construção coletiva do projeto pedagógico. e utilizaram-nos como material pedagógico para o ensino de Biologia para os deficientes visuais.

. especialmente nas (CTI). escovário. na Região Metropolitana de Belo Horizonte. que iniciou suas atividades neste primeiro semestre. André Maurício de Carvalho representada pela vereadora. pediatria. realizou uma visita técnica. emergência. A atividade fez parte da disciplina Semântica Médica 1. Durante toda a visita. laboratório de análises clínicas. ministrada pelo professor André Maurício da Carvalho. os alunos Local: Hospital Semper exercitaram um dos primeiros fundamentos clínicos . no Barreiro. centro cirúrgico. bem como os projetos do hospital. A primeira turma do curso de Medicina. Mauro Kleber. a enfermeira Denise Vianna Amador. Foram apresentadas as dependências do hospital: enfermarias. como os refrigerantes. a auxiliar administrativa do HB. enfermarias. Além da visita pelas dependências do CS (sala de reuniões. as unidades Maria Ambrosina. risco da disciplina Semântica Médica 1. André Maurício de Carvalho. a senhorita Fernanda Bonomo mostrou a estrutura de atendimento. em Belo Horizonte. Dr. que iniciou suas atividades neste primeiro semestre. A atividade faz parte da disciplina Semântica Médica 1. zoonoses. A atividade faz parte dúvidas. bem como Data: 19 de abril os projetos futuros nas instalações físicas do Promoção: Curso de Nutrição hospital (recepção. A audiência teve a participação da coordenadora do curso de Nutrição. endoscopia. na região Audiência pública: Diet – o termo gera central de Belo Horizonte. ala de pacientes terminais e recepção. Baeta Vianna. administração. . setor de pequenas cirurgias. O consumo em excesso. ao Centro de Saúde (CS) Tirol. Contando com o apoio de estagiários e Coordenador: Prof. O contato inicial dos alunos do 1º período do curso de Medicina foi realizado através de visitas Visita ao Hospital Semper à Clínica Escola do curso de Fisioterapia do UniBH. ortopedia. sala de observação. ao Hospital Semper. enfermarias. André Maurício de Carvalho Local: Centro de Saúde do Tirol A primeira turma do curso de Medicina do Uni-BH. André Maurício de Carvalho no serviço público. de representantes do Visita Técnica ao Hospital da Baleia PROCON e da Secretaria Municipal de Saúde. consultórios. apartamentos. sala de espera.a observação. mostrou a estrutura de atendimento e os projetos sociais desenvolvidos “para inserir e conscientizar a comunidade a monitorar a própria saúde”. Os alunos tiveram outras informações relacionadas às unidades que formam o complexo do Hospital da Baleia. no bairro Saudade. pediatria.Coordenador: Prof. Centro de Tratamento Intensivo objetivo de discutir o uso abusivo e a falta de (CTI) e suas Unidade de Tratamento Intensivo informação sobre adoçantes. oncologia. ao Hospital da Baleia. expurgo. ministrada pelo professor André Maurício de Carvalho. A Audiência Pública sobre o uso de adoçantes foi tomografia. maternidade. acolhimento. Coordenador: Prof. que presidiu a Local: Hospital da Baleia audiência. farmácia. centro cirúrgico. (113) PROGRAMA UNISAÚDE Visita ao Centro de Saúde do Tirol A primeira turma do curso de Medicina. André Maurício de Carvalho professores na condução dos trabalhos. Durante toda a visita. Durante toda a visita. iniciada no primeiro semestre de 2007. Centro de Terapia Intensiva (CTI). odontologia e vacina) foram dadas várias informações técnicas Data: 4 e 11 de maio sobre a importância de um médico generalista. realizou uma visita técnica.Câmara Municipal de Belo Horizonte com o hemodinâmica. cozinha e depósito) bebidas dietéticas. mostrou a estrutura funcional. o diretor técnico do HS. sala Visita à Clínica-Escola Uni-BH de curativos. ginecologia. a gerente do CS. Coordenador: Prof. Antônio Mourão Guimarães e Antônio Chagas Diniz. área de proposta pela vereadora Maria Lúcia Scarpelli exames cardiológicos. ministrada à saúde pelo Prof. realizou uma visita técnica.

Programa UNITRABALHO E RENDA (114) .

mas à realização de um trabalho prático e conjunto com os diferentes segmentos da sociedade. Coordenador: Prof. O Programa UniTrabalho e Renda não visa apenas à transmissão de ensinamentos formais. mas encontram-se respostas que despertam o sentido da construção da cidadania por meio das condições de trabalho. através de sua capacidade de trabalho geradora de renda. proporcionando a essas pessoas formação profissional ou até mesmo reciclagem profissional na área. sua preocupação com o fortalecimento de valores. para a preparação do homem que construa. é desenvolvido em parceria com a Associação Primeiro de Maio do Bairro Vista Alegre e a Regional Oeste da Prefeitura de Belo Horizonte. com os resultados obtidos. à saúde. que aprofunda as desigualdades. à educação. Quanto aos professores e alunos envolvidos. Não se aplicam soluções através da relação doar/receber. sobretudo. e o estudo das ações e políticas mais pertinentes para intervenções que possam combater os problemas encontrados. as dimensões dessa desigualdade. ao acesso aos bens culturais e de consumo. o projeto propõe a formação de auxiliares de eletricista através de educação teórica e prática. Dessa forma. O objetivo é a formação (115) PROGRAMA UNITRABALHO E RENDA .PROGRAMA UNITRABALHO E RENDA Projetos Capacitação profissional solidária: área O principal objetivo deste programa é desenvolver elétrica atividades voltadas para questões que envolvem o trabalho. como solidariedade e ideais de transformação da realidade brasileira. eles mostram. ele próprio. a distribuição de renda. A maioria das pessoas atendidas não possui experiência na área nem formação profissional. Moacir de Souza Júnior Aluno bolsista: Eduardo Assis Rocha Alunos voluntários: Daniel Ricardo da Silva Alvarenga e Jaqueline dos Santos Marques Freitasa O projeto. seu direito à moradia. os grupos mais afetados. o que torna o projeto uma grande contribuição para a inserção social das pessoas na comunidade. que atende comunidades carentes através de ações educativas e inserção social das pessoas no mercado de trabalho. as origens e os determinantes da desigualdade social. Voltado para adolescentes e adultos com idade mínima de 14 anos. as atividades extensionistas deste programa apontam. Essa filosofia rompe com a relação de absoluta dependência. que se engajam a avaliar as causas do crescimento do grau de desigualdade e a buscar soluções urgentes que o reduzam. uma vez que implica a autonomia para a sobrevivência física e social do participante do UniTrabalho e Renda.

assim como conceitos de proteção de equipamentos e de segurança pessoal. O curso é dividido em 15 aulas teóricas e práticas em que os alunos aprendem a projetar circuitos elétricos de dentro de uma residência. principalmente quando não se tem o conhecimento requisitado. Com o objetivo de suprir jovens e adultos dessas Capacitação profissional solidária: área comunidades com conhecimento básico em eletrônica. Dessa forma. que tem que ser contínuo e gradativo.de auxiliares de eletricistas em instalações social coloca as pessoas das comunidades mais residenciais. A desigualdade Hospitalidade: técnicas de camareira. uma vez que esse segmento da engenharia só admite pessoas com conhecimentos técnicos. Coordenador: Prof. Alexandre de Lima Veloso Colaborador: Prof. foi idealizado este projeto. o projeto abrangerá carentes em desvantagem na competição por um mais um nível de especialização – a instalação emprego. tanto por jovens quanto adultos. os participantes demonstraram uma boa assimilação dos conhecimentos básicos transmitidos e deixaram a perspectiva de que continuarão buscando mais aprendizado na área. garçom. O projeto foi desenvolvido com treinamentos teóricos em sala de aula e práticos em laboratório. e automação predial. copeiro e auxiliar de limpeza Coordenador: Prof. Gláucio Lopes Ramos Aluno bolsista: Samuel Sena Silva Aluna voluntária: Nádia Magalhães Sousa Atualmente as oportunidades de emprego são cada vez mais raras e disputadas. Conhecimentos em eletrônica podem ser um grande diferencial na disputa por um emprego. Como resultado. pretende criar um vínculo ainda mais forte entre o Uni-BH (o aluno passa a ter um tempo de aprendizado maior na Instituição) e a comunidade atendida. Danilo Simões Coelho Aluna bolsista: Ludmilla Prates de Souza Alunos voluntários: (116) . proporcionando melhor formação técnica e profissional também na área de automação predial. vinculado eletrônica ao curso de Engenharia de Telecomunicações. Futuramente.

quase sempre empresas do setor de hospitalidade. Percebe-se. Com essa perspectiva. Gomes Braga O projeto apresenta resultados expressivos. todos com capacitação adequada para lecionar. os graduandos do Uni-BH fortalecem seus conhecimentos teóricos em temas relacionados à hospitalidade e têm a oportunidade de testar sua aptidão didática. muitos deles inseridos no mercado de trabalho. assim. orientados por professores do curso. Marcelo que contribui para a melhoria geral dos serviços Queiroz D’Ângelo. Em termos acadêmicos. trabalho. poder público.Lousiane Braga E. o mercado de hospitalidade de Belo Horizonte passa a contar com mão-de-obra mais qualificada. academia e terceiro setor. elaboraram apostilas que servem de material didático para os cursos e constituem importante referencial bibliográfico para pesquisa relacionada às áreas temáticas abrangidas pelos O projeto constitui um esforço da equipe do cursos. tornando-os aptos a repassar conhecimentos integrados. o (117) PROGRAMA UNITRABALHO E RENDA . Além disso. Marques Guimarães. a Prefeitura de Belo Horizonte e a ONG Rede hospitalidade. Nayara Aline de Souza e Thaiz turísticos na cidade. foi registrada a participação de quase 30 alunos do curso de Turismo. capacitar alguns de seus alunos. curso de Turismo em promover a inserção social de indivíduos oriundos de comunidades carentes. acadêmica de experiências práticas importantes capacitá-los e encaminhá-los ao mercado de para a formação integral dos graduandos. que. até o 1º semestre de 2007. alijados de processos adequados de formação profissional. os alunos participantes do projeto. que visa selecionar indivíduos carentes. Durante esse período. tendo formado. então. uma sinergia entre Procura. já estão obtendo significativos sólidos na área da hospitalidade a indivíduos de resultados na colocação dos participantes em classes sociais menos favorecidas. e visa aproximar a vivência Cidadã. o projeto beneficia os vários agentes envolvidos no processo: os alunos membros da comunidade ganham conhecimento técnico e teórico para se inserir no mercado de trabalho. O projeto está inserido no convênio entre o Uniatravés da formação profissional na área da BH. 481 alunos.

a entender as funções dos ingredientes/aditivos e (118) . assim. Biologia e Boas Práticas de Fabricação. Coordenadora: Profª. É realizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e com a Associação Primeiro de Maio da Vila Vista Alegre. Matemática. que busca a integração entre a universidade e a sociedade.Pão nosso: primeiro emprego os principais processos de fabricação de pães. Eles obtêm. condições técnicas para atuarem no setor de panificação e. ficam capacitados para seu primeiro emprego. Teixeira Colaborador: Prof. e tem duração de 33 horas. o setor de panificação possui em torno de 52 mil empresas: fatura cerca de 25 bilhões de reais por ano e está entre os seis maiores Capacitação para trabalhadoras segmentos industriais do país e gera 580 mil domésticas empregos diretos e 1. conta com a participação de dois professores. de um aluno bolsista e um voluntário.5 milhão indiretos. são dadas aos alunos noções de Química. os alunos são capacitados a conhecerem vários tipos de farinhas. O objetivo do presente trabalho é treinar jovens carentes da região de Belo Horizonte. Cleverson Fernando Garcia Aluna bolsista: Stefânia Silva Fernandes Alunas voluntárias: Beatriz Silva Ferreira Rios e Marina Santos Ribeiro Ferreira No Brasil. Além disto. de modo a se profissionalizarem como auxiliares de padeiro. bem como a conhecer e verificar os equipamentos envolvidos no processamento. a ter conhecimento dos cálculos de produção. dessa forma. Durante o curso. a controlar a qualidade dos produtos obtidos. O curso. Maria Aparecida V.

seja criado um no ramo de alimentos. processamento e aproveitamento maior vida útil e máximo aproveitamento nutricional. uma vez capacitadas.Coordenadora: Profª: Andréa Charbel Aluna bolsista: Maira de Oliveira Namorato Aluna voluntária: Mirielle Araujo de Oliveira excedentes através de técnicas de processamento. etc. também para a valorização deste profissional junto à sociedade. desidratação e processamento mínimo. (119) PROGRAMA UNITRABALHO E RENDA . aproveitamento. conservação e dos produtos desidratados e processados em feiras processamento de produtos alimentícios. procedimentos para manuseio. Espera-se.prática cujo objetivo trabalhadoras possam aplicar os conhecimentos em geral é capacitar trabalhadores quanto a aspectos atividades efetivas de geração de renda (venda de higiene. O aluno e comércios locais). as Curso de natureza teórico . parentes e conhecidos. com o adquire o conhecimento básico para o trabalho certificado do curso feito no Uni-BH. qualidade de vida das trabalhadoras e também práticas de higiene dos equipamentos (geladeiras. de perdas. criando-se uma rede onde as armazenamento e confecção de alimentos buscando noções de higiene. procedimentos para compra de gêneros o conhecimento adquirido poderá ser repassado a alimentícios. etc. fornos. que. uma vez que. diferencial positivo e facilitador para o emprego e lanchonetes. quando as trabalhadoras são capacitadas quanto a: A meta a médio prazo do projeto é a melhora da práticas de higiene na cozinha e na área de serviço. sejam refletidas em melhores condições procedimentos para evitar perdas de resíduos ou de saúde e de vida. como cantinas. ainda. padarias. de seus familiares e sua comunidade. lavagem.). Espera-se que. Ênfase é dada ao trabalho doméstico rotineiro.

ÁREAS DE ATUAÇÃO (120) .

(121) .

(122) .

oferecendo mais e melhores empregos. mormente. a universidade não pode deixar de cumprir o seu papel social. por si só. Assim é que. É com esse objetivo que atua a Coordenadoria de Programas de Extensão. Posteriormente. possibilitarão a inclusão social e resgatarão a dignidade e a cidadania. uma situação aguda. além de proporcionar sólida formação acadêmica – preparando profissionais competentes para o mercado de trabalho –. o Centro Universitário de Belo Horizonte (Uni-BH). Para potencializar esse objetivo. Inicialmente. atenta à sua finalidade filantrópica. em nome da Fundac. É. a apresentação desta Revista das Atividades de Extensão. a população carente. Com a população integrada à escola. há a necessidade de se tratar da situação crônica. Existem duas situações básicas nas quais a população carente se encontra. resgataremos as camadas periféricas e menos favorecidas. que integra a Pró-Reitoria de Pós-Graduação. em que “precisa aprender a pescar”. por certo. pois. um trabalho de destaque não só nas áreas educacional e cultural – seu objetivo precípuo – como também na social. é necessário trazer o indivíduo para a escola – por meio do ensino regular ou de programas de extensão – e mantê-lo nesse contexto a fim de que possa crescer e capacitar-se para o trabalho. com enorme satisfação que faço. a Instituição tem desenvolvido. ao longo de quase meio século de existência. em que ela – numa metáfora que gosto de evocar – precisa primeiro “receber o peixe” para suprir suas necessidades mais urgentes. que. todos os nossos cursos. realizado sobretudo por meio de sua mantida de maior visibilidade. Com efeito. Pode-se dizer que tudo que se faz no Uni-BH tem também a marca do social. Roberto Moreira Brant Presidente da Fundac-BH (123) PALAVRA DO PRESIDENTE DA FUNDAC . suas vidas. temos interagido com os diversos segmentos da sociedade. Pesquisa e Extensão do Uni-BH. que é levar à população o conhecimento e os bens culturais e artísticos que ela produz. Prof. Nas duas situações. que vivem à margem da sociedade. que constitui uma amostra do ensino que se presta no Uni-BH – ensino que tem a marca da educação e do social. Centro de saber que alavanca o progresso e o desenvolvimento. certamente estaremos combatendo a criminalidade e os desvios comportamentais. Unidos nesse trabalho de inclusão e desenvolvimento social. realçam os valores voltados para o papel social e de cidadania que o graduado deve imprimir no exercício de sua profissão. Nesse sentido. para que possa suprir. um dos objetivos mais caros de nossa Instituição é a dimensão social do trabalho que desenvolvemos. a Instituição tem estabelecido parcerias com entidades públicas e privadas que beneficiam.Palavra do presidente da FUNDAC De acordo com o que dispõe o estatuto da Fundação Cultural de Belo Horizonte (Fundac-BH).

leitura e escola • Língua afiada: centro de convivência com a língua e com a literatura para crianças e adolescentes órfãos • Cre-ser na paz • Atividades interdisciplinares com pacientes e acompanhantes da Clínica-Escola de Fisioterapia • Temáticas de formação para a cidadania • Educação para a cidadania: apoio na recuperação escolar de jovens do ensino médio • Introdução à informática para adolescentes • Introdução à informática para a terceira idade • Introdução à programação de computadores • Introdução à robótica para adolescentes • Capacitação solidária: formação de auxiliar de eletricista • Capacitação profissional solidária em eletrônica: auxiliar técnico • Núcleo Experimental de Projetos (NEP) • Camp Jr.Atividades de extensão para 2008 • Capacitação e produção para rádio comunitária • Me ajuda a ajudar: a criação publicitária a serviço da comunidade • Mobiliza Som: produtora experimental em áudio • Projeto de comunicação visual e publicitária para a Associação Família de Caná • Revistas científicas on-line do Uni-BH • Rádio escola ponto com • Comunicação pela cidadania • Jornal da Rua • Jornal. obstetrícia e mastologia • Comissão Permanente de Propriedade Intelectual (CPPI) • Ciranda da saúde • Inclusão digital • Ação pedagógica • Educação física na educação infantil • Diagnóstico e intervenção nutricional em creches atendidas pelo projeto Jornada Solidária • Contação de história • Campanhas para a Jornada Solidária • Tecendo afetos • Creche legal: avaliação arquitetônica • Coral Uni-BH • Grupo de Dança Afro • Contadores de História • Cia Móvel de Teatro • Catalogação do acervo de manuscritos musicais da Sociedade Musical Santa Cecília de Sabará • Catalogação do acervo de manuscritos do Museu de Arte Sacra de Ouro Preto / Paróquia do Pilar • Grupo de Percussão Uni-BH • Escola Livre de Música de Carmópolis (124) . mensageiro e garçom • Turismo em ônibus • Assessoria jurídica e conscientização • De mãos dadas • Direito e cidadania • Direito vivo • Juizado de Conciliação • Plantas medicinais: valorização do conhecimento popular • A modelagem matemática na ecologia: ferramenta para a educação ambiental • Reciclagem e cidadania • Uso do composto orgânico na jardinagem • Etnobotânica dos quintais do bairro Havaí • Programa de assistência alimentar e nutricional para idosos • Oficina de culinária • Educação nutricional para gestantes e crianças • Atenção nutricional a centro de saúde • Adequação da oferta de nutrientes nas refeições a crianças e adolescentes atendidos numa instituição de assistência • Abordagem multidisciplinar a portadores de fatores de risco cardiovascular • Impacto de uma intervenção nutricional no estado nutricional. porteiro. • Xadrez: resgatando a cidadania • Pão nosso: primeiro emprego • Inclusão produtiva: aproveitamento do excedente da matériaprima vegetal na elaboração de conservas de alimentos • Elaboração de produtos e subprodutos derivados do leite e análise do custo de produção • Capacitação de trabalhadoras domésticas • Adote o terceiro setor • Diplomacia começa na escola • Incubadora de empresa multidisciplinar do Uni-BH Incomuni • UNI Consultoria Júnior • Curso de extensão em hospitalidade: técnicas de camareira. pressão arterial e glicemia de crianças em uma escola municipal de Belo Horizonte • Treinamento de judô e jiu-jítsu para acadêmicos do Uni-BH • Promoção da qualidade de vida de idosos através do exercício físico • Oficina de basquetebol e dança de rua • Natação para a comunidade acadêmica • Atividades físicas adaptadas • Ginástica laboral • Equipe de futebol na esfera competitiva • Hidroginástica • Ginástica rítmica • Dança folclórica • Vivendo e aprendendo: projeto Unidoso • Unificando: espaço universitário aberto para idosos da comunidade • Orientação e intervenção fisioterapêutica em pacientes portadores de fibrose cística: mucoviscidose • Noções de gerontologia para o cuidado do idoso • Intervenção gerontológica preventiva para grupos de convivência de idosos de Belo Horizonte • Intervenção fisioterápica em linfologia • Hidrovida: abordagem hidroterápica e neuromotora para crianças especiais • Fisioterapia ortopédica e esportiva • Abordagem fisioterápica respiratória em crianças portadoras de síndromes genéticas • Abordagem fisioterápica de portadores de obesidade classe 2e3 • Abordagem fisioterápica em pacientes diabéticos • Atendimento a portadores de doenças vasculares periféricas • Reabilitação pulmonar na doença pulmonar obstrutiva crônica • Abordagem fisioterápica do paciente cardiopata • Abordagem fisioterápica clínica em pneumologia • Abordagem fisioterapêutica em ortopedia • Assistência fisioterápica especializada: ênfase em neurologia • Fisioterapia preventiva: residência • Abordagem fisioterápica em cardiologia e angiologia • Abordagem fisioterápica em gerontologia • Abordagem fisioterápica em ginecologia.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful