A entrevista semi-directiva é outro método usado pelo entrevistador.

É semi-directiva pois é encaminhada por uma série de perguntas guias, relativamente abertas e não muito precisas, que não obedecem necessariamente à ordem que está anotada no guião da entrevista. O entrevistador desta forma, “deixará andar” dentro do possível o entrevistado, esforçando-se apenas para reencaminhar a entrevista para os seus objectivos quando esta se perder um pouco, colocando perguntas às quais o entrevistado não chega por si próprio, de forma natural e no tempo certo. Já a entrevista centrada, ou focused interview, tem como objectivo analisar uma experiência que o entrevistado tenha vivido ou assistido. O entrevistador não dispõe de nenhum guião com perguntas preestabelecidas, mas sim de uma lista de tópicos relativos ao tema estudado que serão necessariamente abordados ao longo da entrevista com o desenrolar da conversa. O entrevistador deve conquistar a confiança do entrevistado, mas não tentar dominá-lo, nem ser por ele dominado. Caso contrário, acabará induzindo as respostas ou perdendo a objectividade. De acordo com Interviewing in qualitative research , a ideia de um guião para a entrevista é muito menos específica que a noção associada ao planeamento duma entrevista estruturada. Na prática, o guião duma entrevista corresponde a uma lista de tópicos ou áreas gerais a cobrir, algo que é frequentemente utilizado em entrevistas semi-estruturadas. Crucial é que o questionamento permita explorar, de modo flexível, a conduta durante a entrevista, de modo a ir ao encontro daquilo que seja o mais adequado para a linha de investigação em curso. Para orientar essa flexibilidade, o entrevistador deverá, em permanência, procurar respostas para aquilo que realmente o "intriga", bem como para aquilo que precisa de saber, de forma a dar resposta às questões investigativas. Assim, na preparação dum guião de entrevista, deverão ser tidos em conta os seguintes aspectos:      Criar alguma ordem nas áreas/tópicos principais, de modo a que as questões sobre estas áreas/tópicos sejam fluidas, mas estar preparado para alterar a ordem das questões durante a entrevista; Formular questões ou tópicos de entrevista que contribuam para dar resposta às questões investigativas (mas sem tornar as questões muito específicas); Utilizar uma linguagem que seja facilmente compreendida e relevante para as pessoas a entrevistar; Tal como em entrevistas quantitativas, não colocar questões que possam influenciar determinada resposta; Recolher alguns dados extra, que permitam caracterizar os entrevistados de forma a melhor compreender e contextualizar as suas respostas.

(A este propósito, ver fig. 15.1, p. 319, em Interviewing in qualitative research ) Na entrevista semi-estruturada, o investigador tem uma lista de questões ou tópicos a ser cobertos (guião de entrevista), mas a entrevista em si permite uma relativa flexibilidade. As questões podem não seguir exactamente a ordem prevista no guião e poderão, inclusivamente, ser colocadas questões que não se encontram no guião, em função do decorrer da entrevista. Mas, em geral, a entrevista seguirá o que se encontra planeado. As entrevistas semi-estruturadas (ou semi-directivas, de acordo com Quivy et al, 1992), apesar do guião elaborado pelo entrevistador, permitem que o entrevistado tenha alguma liberdade para desenvolver as respostas segundo a direcção que considere adequada, explorando, de uma forma flexível e aprofundada, os aspectos que considere mais relevantes. Entre as principais vantagens das entrevistas semi-estruturadas, contam-se as seguintes:   A possibilidade de acesso a uma grande riqueza informativa (contextualizada e através das palavras dos actores e das suas perspectivas); A possibilidade do/a investigador/a esclarecer alguns aspectos no seguimento da entrevista, o que a entrevista mais estruturada ou questionário não permitem;

 É geradora. orientações e hipóteses para o aprofundamento da investigação. a definição de novas estratégias e a selecção de outros instrumentos. na fase inicial de qualquer estudo. de pontos de vista. .

508..5741:3/.8  &9.8 4:802 /70.. 10J.8.77085489.8 2.1.907.89.8/48./.5.21:/.2.4./06:089084:9O5.4257003/070.89.87085489..7.390.47/02570.3908   3970.8 2.46:0.7:2.807..7.8 0207.8802 0897:9:7.89..F8/. 03970.25.438/070.86:089086:0 348003.10-/.880:3908 O O 5488-/.8507850.42":.9486:0..8 34.6:0.7./0/4.028507290:2..:8.026:080.4397.038/.7.-07/.4257003//.7.7.439.8.3/076:0.89./.47/4.880:3/4.44./70...9./45.907.  .39.7 %.70.03970.8573./4903.20390.1472.0700..7/4 :40.8802 0897:9:7.8 ./450403970.234:4 021:34/4/0..89.. .43909:../.86:. 43.89.07080.7./.7.03970.5.9O5...850.00.9.4240203970.07.2047 . 2.86:089082:940850.76:089084:9O5.4880.:2.89.75705.9. 6:050729.-47../.2 80.88:.97.4-07948 :4/003970.03970. . 48.7.20390 807.399.47707/./06:.4397-:.8089../47 50729026:0403970.9.089.0336:..89...:38/.7.:2.9.0884.947080/.8  5488-/.4397./.9.3/4 /0:2.438/0702./48/01472.88:.89..89.8 /0.3905.80:7E4 6:08003.089.231:03.30././4   803970. 472:.89.86:08908/:7.8700.9.74803970.../0 86:0890854/0234 80:70..802 0897:9:7.89.89..7. #0.86:08908 3.8.850884.43909:./48097.48.   .31472.7./47902:2. ..J1./.76:089086:05488.8  O O O O 08905745O894 .7085489..407. /0803..8 5. 0547.09.89.34:4054/074 3.44.87085489.89.48/003970. 03970.7 /090723.9.3:.47/02/.03970./.88029473.803970./05....20390.89.071   5  023907./0/0.0.9.

.3.089./47.

4:6:08943E74345072902 . 4 6:0.03970.89...9483480:20394/.03970./.80897:9:7.89.07.850.70.08.2.:38.

4/04:9748 3897:203948   . 3.O A07. 47039.80897.89.1.4 .0805O908085.80...5741:3/.803./06:.9F.089.3./47. 4.6:07089:/4 /0543948/0./0134/034.800.7.20394/.