Qualidade de Vida no Trabalho dos Enfermeiros de um Hospital Universitário. Quality of Life of Working Nurses in a University Hospital.

Calidad de Vida Laboral de Enfermera en un Hospital Universitario. Jacqueline Vogt Borges. Discente do 8º período do curso de Enfermagem e Obstetrícia da Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo, Brasil. E-mail: jac_vogt@hotmail.com. Eliane de Fátima A. Lima. Professora Assistente I do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Espírito Santo. Espírito Santo, Brasil. E-mail: elianelima66@gmail.com.

A população foi composta por 100 enfermeiros.0.6274 for personal relationships. It was developed in the period from January to April 2011.0556 para o domínio físico.6274 para las relaciones personales. World Health Organization for the statistical treatment of data used the computer program SPSS. Através dos resultados obtidos pelo WHOQOL-Bref. versión 17.1250 para meio ambiente. Para o tratamento estatístico dos dados utilizou-se o programa SPSS. versão 17. Defining the profile of quality of life of these professionals as satisfactory in accordance with the maximum scores for each domain. 71. Enfermeiros.0. and WHOQOL-Bref.0556. RESUMÉN Estudio transversal para evaluar la calidad de vida laboral de los profesionales de enfermería en la Universidad Moraes Hospital Antonio Cassiano. la calificación promedio fue interrumpido por la muestra de la realidad física 73.1250 to the environment. fue utilizado como una herramienta para la recolección de los datos del cuestionario sobre el perfil sociodemográfico y las condiciones de trabajo elaborados por los autores. Los resultados obtenidos por el WHOQOL-Bref. y WHOQOL-Bref de la Organización Mundial de la Salud para el tratamiento estadístico de los datos utilizados el programa informático SPSS.0. Se desarrolló en el período de enero a abril de 2011. ABSTRACT Cross-sectional study to evaluate the Quality of Working Life of professional nurses at the University Hospital Cassiano Antonio Moraes.3796 to 63. da Organização Mundial de Saúde.RESUMO Estudo transversal realizado com o objetivo de avaliar a Qualidade de Vida no Trabalho dos profissionais Enfermeiros do Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes. Working Conditions. o escore médio pontuado pela amostra foi de 73. 71. University Hospital. e o WHOQOL-Bref. the average score was punctuated by the sample to the physical realm 73. La población estuvo constituida por 100 enfermeras. psicológicos y de . 71. was used as a tool for data collection the questionnaire on the sociodemographic profile and working conditions elaborated by the authors. Foi desenvolvido no período de janeiro a abril de 2011. version 17. psychological and 71. Definindo o perfil de qualidade de vida desses profissionais como satisfatória de acordo com a pontuação máxima dos escores para cada domínio. 71. Nurses.0556. Hospital Universitário. The results obtained by the WHOQOL-Bref. Condições de Trabalho. The population consisted of 100 nurses. Palavras-Chave: Qualidade de Vida. Keywords: Quality of Life.3796 para o psicológico e 63. utilizou-se como instrumento para a coleta de dados o questionário sobre o perfil sociodemográfico e condições de trabalho elaborado pelas autoras.6274 para relações pessoais.

La definición del perfil de calidad de vida de estos profesionales como satisfactoria de acuerdo con las puntuaciones máximas para cada dominio. Enfermeros.71.3796 a 63. . Hospital Universitário. Palabras clabe: Calidad de Vida. Condiciones de Trabajo.1250 al medio ambiente.

mental e emocional por parte do trabalhador5. representa a maior força de trabalho do hospital1. É um trabalho que exige um estado de alerta constante e grande consumo de energia física. REFERENCIAL TEÓRICO A QVT surgiu inicialmente buscando a redução do esforço físico do trabalhador. O profissional de Enfermagem deve ter preparo técnico e intelectual. e o interesse pelo trabalho neste momento passa a ser a riqueza e não mais a subsistência 1. e com isso os interesses entre empregado e empregadores deixaram de ser harmoniosos. Com base nessas considerações o objetivo deste estudo foi avaliar a Qualidade de Vida no Trabalho dos profissionais Enfermeiros do Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (HUCAM) da Universidade Federal do Espírito Santo. a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) tem sido alvo de preocupação de estudiosos ao longo dos anos. provocando inevitáveis conflitos e o lado profissional passou. Observa-se que as instituições hospitalares. A equipe operacional de saúde. envolvendo inúmeros elementos negativos proporcionados pelo ambiente caracterizado pela enfermidade3. para tanto. com vistas à melhoria da própria qualidade de vida da população. mais precisamente a equipe de Enfermagem. geografia e teorias da administração.INTRODUÇÃO Desde os primórdios da humanidade. Partindo das concepções apresentadas. através de ciências como a geometria e matemática. portanto. a ser a face predominante do ser humano. também precisam ir a busca de modelos que favoreçam a qualidade na prestação de assistência3. que se sentiu forçado a ser um super-profissional e. o que muitas vezes leva o trabalhador a abdicar de sua própria saúde em benefício de seu doente4. física. A situação de assistir ao doente coloca o profissional de enfermagem em uma posição de total doação. geralmente é submetida às situações geradas pelas atividades inerentes à função. não poupa esforços em jornadas de trabalho acima de suas capacidades fisiológicas2. muda-se o foco. e para isso não podem poupar esforços para garantir uma qualidade de vida dos seus trabalhadores. Com o desenvolvimento do sistema capitalista. o trabalho é visto como uma obrigação e uma forma de lutar pela sobrevivência. como as utilizadas por . ter a sua disposição recursos materiais e ter saúde física e mental para desempenhar a sua tarefa.

São inúmeras as interpretações para a conceituação de QVT. saúde. reconhecimento profissional. Maslow desenvolveu a teoria das necessidades humanas. destaca-se Elton Mayo que iniciou na década de 30 a Escola de Relações Humanas. Esse modelo visa organizar o trabalho de tal forma que o comprometimento dos indivíduos seja estimulado e que o desempenho organizacional possa ser melhorado. desenvolveram estudos relacionados ao trabalho humano. Outros autores ainda merecem destaque como Abraham Maslow e Frederick Herzberg. A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu QVT como “a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive em relação aos seus objetivos. iniciou em Londres. ele procurou compreender quais são as condições que levam ao engajamento do indivíduo em seu trabalho6. como uma crítica ao Taylorismo. família. O objetivo básico de Qualidade de Vida no trabalho é o equilíbrio entre indivíduo e organização2. relações sociais. e Herzberg realizou estudos abordando aspectos de satisfação e insatisfação no trabalho1-2. Utilizando uma abordagem humanística fez surgir o que mais tarde seria chamado de movimento QVT. trabalho. engloba diversos aspectos da vida humana.Taylor e Fayol1. Trist em seus estudos buscou agrupar o trinômio indivíduo/trabalho/organização que deu origem a chamada abordagem sociotécnica2. antes colocado na tarefa e na estrutura organizacional. expectativas. Em suas pesquisas. que entre as décadas de 50 e 60. a valorização do empregado como ser humano e de sua posição na organização. . meio ambiente. foi transferido para as pessoas que trabalham e participam nas organizações1-2. dentre outros7. o destaque. dedicada aos estudos e pesquisas em comportamento de grupo e comportamento organizacional.1-2. dentre eles. isto é. Alguns autores considerados precursores de estudos sobre a QVT contribuíram grandiosamente para a melhor compreensão do tema. tenha sido Eric Trist. tais medidas proporcionavam mais agilidade e conforto ao trabalhador e conseqüentemente melhor eficiência do serviço. estudos sobre a QVT no Instituto Tavistock. ela é abstrata e abrangente. na Inglaterra.6. padrões e preocupações” 7-8. uma instituição de caridade britânica. como a satisfação. A filosofia de base da QVT é a filosofia humanista. Mas talvez o maior responsável pela denominação QVT. que por volta da década de 50.

Pode-se incluir ainda como fatores prejudiciais à QVT dos enfermeiros a baixa remuneração. vivenciando uma rotina de trabalho estressante sem planejamento operacional de suas atividades cotidianas o que tem ocasionado desgaste. que define as diretrizes e normas regulamentadoras da pesquisa envolvendo seres humanos. levando a uma situação conhecida como sobrecarga de trabalho. com vistas à melhoria da própria qualidade de vida da população. de grande porte. a enfermagem tem sofrido modificações na dimensão do seu processo de trabalho. Desse modo. Trata-se de um hospital geral. Foi preciso incorporar conhecimentos de outras áreas. como da Administração. METODOLOGIA Realizou-se de um estudo descritivo de coorte transversal. que presta atendimento em várias especialidades médicas. principalmente devido muitas vezes este profissional ter uma longa jornada de trabalho9. por exemplo. desde o seu nascimento. desenvolvendo as áreas de assistência. mas na liderança e na pesquisa. visto que a comunidade hospitalar. manipulação de substâncias tóxicas e presença de fatores de risco pertinentes ao ambiente. através da entrega e recolhimento do questionário pela autora aos profissionais enfermeiros que aceitaram participar do estudo. ensino. através da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Ao longo da sua história. respeitando os aspectos éticos e legais da Resolução nº 196/1996 do Conselho Nacional de Saúde10. que envolvem atuações profissionais diretamente ligadas aos princípios de manutenção e recuperação da saúde3. . a Enfermagem. Além ainda das dificuldades socioeconômicas enfrentadas por estes profissionais. é necessária e indispensável em todas as fases da vida dos seres humanos. a enfermagem precisou tomar direções mais amplas 1 passou a assumir papéis não só na assistência. Com a evolução da profissão como ciência e prática social. até a sua morte9. sobre a qualidade de vida dos enfermeiros que trabalham no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Espírito Santo. como possuidora de características bastante peculiares. também precisam ir a busca de modelos que favoreçam a qualidade na prestação de assistência. pois muitos profissionais mantêm mais de um vínculo empregatício3.As instituições hospitalares. A população do estudo foi constituída pelos 100 (cem) profissionais enfermeiros que se encontravam no exercício ativo de suas funções. A coleta de dados foi realizada no período de 20 de Janeiro a 20 de abril de 2011. sendo considerada a arte do cuidar. cansaço e sobrecarga. pesquisa e extensão.

psicológico. Para a coleta de dados cada participante recebeu dois questionários auto-aplicáveis. . O método de transformação converte os escores brutos em uma escala de 4 a 20. WHOQOL-Bref.11 As duas questões gerais são examinadas separadamente: onde a primeira questão revela a percepção do indivíduo sobre a sua qualidade de vida e a segunda questão revela a percepção do indivíduo sobre a sua saúde. elaborado em 1998 por um grupo multicêntrico interessado em estudo sobre qualidade de vida. Este instrumento é derivado do WHOQOL-100. O escore bruto é então convertido em um escore transformado. tarde e noite. Cada uma das 24 questões possui uma pontuação que varia de 1 a 5.Foram entregues 100 questionários. relações sociais. O WHOQOL-Bref é um instrumento de avaliação da qualidade de vida. WHOQOL-Bref. O segundo instrumento especifico de avaliação de qualidade de vida. O primeiro. sendo que 02 estavam incompletos. Para o cálculo manual de cada domínio há uma equação que resulta em um escore bruto. Uma das limitações do instrumento é a dificuldade de se estabelecer um ponto de corte que distinga qualidade de vida “boa” de “ruim13. nos turnos manhã. consta de 26 questões. Aversão abreviada. contendo questões sobre o perfil sociodemográfico e condições de trabalho. 02 foram excluídos porque entrarem em licença capacitação e atestado médico no período da coleta dos dados. utilizando-se uma tabela de referência. nível de interdependência. sendo duas questões gerais sobre qualidade de vida e as demais 24 representam cada uma das 24 facetas que compõe o instrumento original. o World Health Organization Quality Of Life (WHOQOL group) da OMS e traduzido para o Português por Fleck e colaboradores. em que cada uma das 24 facetas é avaliada a partir de quatro questões. desses foi recolhida noventa e sete. ambiente e espiritualidade/religiosidade/crenças pessoais. 03 em branco. Após esse processo ficamos com uma amostra de 90 enfermeiros que representa 90% da população de estudo. e em uma escala de 0 a 10012. no WHOQOL-Bref cada faceta é avaliada por apenas uma questão. elaborado pelas autoras. Assim o WHOQOLBref é composto por quatro domínios: físico. relações sociais e meio ambiente. Diferente do WHOQOL-100. psicológico. comparável com o WHOQOL100. e os demais não foram localizados durante o período da coleta de dados. referentes aos enfermeiros que se recusaram a responder. Os quatro domínios indicam a percepção individual da qualidade de vida do trabalhador. assim denominado por conter cem questões que agrupadas formam 06 dimensões ou domínios: físico. Os escores dos domínios podem ser agrupados e então revelar um escore único para a qualidade de vida.

e apenas 1. com idade média de 23-30 anos. e pela proximidade com a escola de enfermagem. Tais dados corroboram com os achados de um estudo que avaliou a qualidade de vida dos enfermeiros das equipes de saúde da família de Uberaba. dos entrevistados 54.A análise estatística foi realizada utilizando-se do programa Statiscal Package for Social Sciences versão 17 (SPSS-17).89% trabalham em um único local. desvio-padrão.33% da amostra respondeu já estar atuando na área entre 11 e 20 anos. e neles observou-se que na amostra predominaram os adultos jovens.44%). Quanto aos locais de trabalho. especificamente da microrregião de Araxá13.11% possui o título de doutorado. 33. valores máximos e mínimos. . primeiro e terceiro quartil. Para as variáveis categóricas e para as variáveis contínuas usou-se a média. mediana. e o trabalho profissional em um único emprego com vínculo de diarista. 75. ao passo que em um estudo que avaliou a qualidade de vida da equipe de enfermagem da central de esterilização de materiais Hospital de Base. 48.44% eram concursados. com vínculo de diarista (64. o sexo feminino. Os resultados mostram que. A busca por cursos de especialização pode ser explicada por um lado pela maior seletividade do mercado de trabalho e a esperança de aumento salarial13ou por se tratar de um hospital de ensino. Em relação ao tempo em que o profissional atua na área da enfermagem. os casados. deve haver um maior estímulo para cursos de pós-graduação2. dado semelhante foi apresentado por um estudo sobre a qualidade de vida dos enfermeiros de um hospital de ensino realizado na cidade de Porto Alegre2. As questões relacionadas ao WHOQOL-Bref foram recodificadas seguindose os passos recomendados para pontuação dos escores. em São José do Rio Preto8.00% dos enfermeiros desta instituição possuem pós-graduação. RESULTADOS E DISCUSSÃO Perfil Sociodemográfico e Condições de Trabalho Os resultados referentes ao perfil sociodemográfico e condições de trabalho dos enfermeiros do HUCAM estão expostos na Tabela 1.56% dos enfermeiros foi formado em instituição pública de ensino e que 80. semelhante a estudos realizados em Porto Alegre2 e Florianópolis4. prevalecendo uma carga horária semanal entre 30 a 40 horas. mostrou que 39% da equipe atuava na área entre 7 e 11 anos. Os dados foram analisados descritivamente por freqüências absolutas (n) e relativas (%).

22 54.56 30.00 48.67 14.56 19.67 7.719 reais Entre 3.99 2.45 14.22 64.34% responderam ter sido entre 3.89 0.44 75. Tabela 1.33 20.579 reais.78 1.330.89 44.789 reais Entre 2. 33.67 33.11 80.790 e 3.00 25.11 13.22 87.44 5. estou formalmente casado(a) Sim. vivo em união Não.44 5.720 e 5. Perfil sociodemográfico e condições de trabalho dos Enfermeiros do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes.11 54.44 0.34 18.00 21.44 11.56 0.44 6.00 8.11 0.00 64.11 0. qual foi aproximadamente sua renda familiar líquida .88 10. Variáveis De 23 a 30 anos De 31 a 40 anos De 41 a 50 anos Mais de 50 anos Nulos Masculino Feminino Nulos Sim.580 e 7.89 Idade Sexo Você atualmente está casado/a ou vive com alguém? Qual seu grau de instrução? Em que tipo de instituição de ensino você concluiu sua faculdade de Enfermagem? Há quanto tempo você trabalha na Enfermagem? Em quantos locais você trabalha na área da Enfermagem? Qual sua carga horário semanal de trabalho? Seu horário é: Seu vínculo é: No mês passado.56 1.56 15.579 reais Entre 5.00 7.56 8. assim mostra os dados de um estudo realizado em Porto Alegre sobre a QV dos enfermeiros de um hospital de ensino2 onde 44. mas já fui casado/a ou vivi com alguém Nunca fui casado/a ou vivi com alguém Nulos Graduação Pós-Graduação (especialização.00 16.33 0.78 0.00 30.720 e 5.00. residência) Mestrado Doutorado Nulos Privada Pública Nulos até 5 anos De 6 a 10 anos De 11 a 20 anos De 21anos a mais Um Dois Três ou Mais Nulos Menos de 30 De 30 a 40 horas De 41 a 50 horas De 51 a 60 horas Acima de 61horas Nulos Diarista Plantões Noturnos Plantões Diurnos Plantões diurnos e noturnos Outro Nulos CLT Funcionário público Terceirizado Outro Nulos Entre 930 e 2.Em relação à renda familiar líquida do último mês.439 reais Freq.00 11.44 21.00 24. Absoluta 32 27 23 8 0 11 79 0 58 13 19 0 10 72 7 1 0 22 68 0 27 15 30 18 44 40 5 1 2 49 5 14 18 2 58 6 7 6 13 0 19 49 10 12 0 8 9 30 17 % 35.11 2.00 12.4% possuem uma renda familiar de até R$6.78 6.00 33.

25 Máximo 25.6389 e a questão que avaliou a percepção do indivíduo sobre a satisfação com sua saúde atingiu um escore de 16. focando não só o ponto de vista do trabalhador.padrão 3. Tabela 3: Média dos escores da avaliação de qualidade de vida dos enfermeiros do HUCAM segundo domínios do WHOQOL-Bref. / Não quero responder Nulos 15 11 0 16. resultados semelhantes aos encontrados em um estudo sobre a QVT de Enfermeiros no trabalho em turnos na cidade de Florianópolis4.7361. Questões Gerais Percepção da qualidade de vida Satisfação com a saúde Mínino 6.6389 16.7361 Desvio. que a questão que avaliou a percepção do indivíduo sobre sua qualidade de vida alcançou um escore de 17.67 12.68575 Observou-se através dos dados expostos na Tabela 2. apesar dos bons resultados apresentados na Tabela 2. A Tabela 3 ilustra a média específica obtida em cada domínio analisado pela escala de aferição da qualidade de vida. é preciso ressaltar que o trabalho de enfermagem gera um acúmulo de processos destrutivos que comprometem a saúde e vida dos trabalhadores e que com o tempo desfavorecem a qualidade de vida destes profissionais15. já previamente citada.padrão . Vitória. Porém. Tabela 2: Resultados das respostas sobre as questões gerais.00 Média 17. Resultado satisfatório já que a compreensão do significado de qualidade de vida que o trabalhador tem vai interferir de forma muito positiva na qualidade de vida no trabalho14.22 0.00 25.00 Qualidade de Vida A Tabela 2 ilustra a média específica obtida das respostas sobre as questões gerais do questionário WHOQOL-Bref. De uma forma geral estes resultados evidenciaram que os profissionais de enfermagem do HUCAM estudados tiveram uma boa percepção de sua qualidade de vida e estão satisfeitos com sua saúde.7.92810 5. 2011. Domínio Mínino Máximo Média Desvio.440 reais ou mais Não sei. portanto é preciso.25 6. estar atento para o desenvolvimento de ações que identifiquem a satisfação do trabalhador e promovam a qualidade de vida no trabalho. mas também dos empregadores e da sociedade em geral16.

a estabilidade é a razão principal que leva a maioria das pessoas a ingressar no serviço público.1250 (DP: 12. O domínio relações sociais e físicos foram os que apresentaram maior pontuação máxima. pode estar relacionado a carga horária de trabalho semanal.75 100. enquanto o escore meio ambiente obteve a média mais baixa.Físico Psicológico Relações sociais Meio ambiente 32. Em um estudo sobre a qualidade de vida do servidor público em uma secretaria de saúde17. energia para o dia-a-dia.63).6204 63.44% não ultrapassam 40 horas durante a semana.65875).0556 (DP:15. respectivamente. O domínio psicológico e o domínio relações sociais obtiveram resultados próximos.04942 13. Pode-se inferir. logo em seguida está a flexibilidade no serviço. alcançando ambos o escore 100.50 16. 54.0556 71.16203) e 71. com médias de 71. com média de 73. salubridade no .04942). o qual garante ao trabalhador.65875 A maior média alcançada dentre os domínios foi a referente ao escore físico.6204 (DP:15.36203 12. Este domínio possui relação com algumas necessidades humanas básicas quando relaciona dor física.3796 71.67). as médias dos quatro domínios não apresentaram diferenças significativas. o acesso aos serviços de saúde e o meio de transporte. inclui ainda segurança na vida diária.00 90.00 95.3796 (DP:13. o que facilita sua mobilidade e desempenho de suas atividades. de 63. Contudo. já que não precisam se adequar a mais de uma rotina de trabalho. sendo mais comum a jornada de trinta e seis horas/semana18. que segundo os dados. tendo obtido escores semelhantes entre si. Já o domínio meio ambiente obteve a menor pontuação máxima (90. e o construto relações sociais o menor escore mínimo (16. o domínio físico apresentou o maior escore dentre os demais.36203).00 100.1250 15. a carga horária semanal de trabalho varia de trinta a quarenta horas semanais. como preconiza a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT)1. Uma outra justificativa para o alto escore revelado pelo domínio físico. que o escore alto para este domínio esteja relacionado aos dados anteriormente mencionados que revelam que 54.63 73. sono e desempenho de atividades diárias. O domínio meio ambiente compreende satisfação com o local onde o sujeito mora.16203 15. locomoção. além disso.44% dos enfermeiros do HUCAM tem como vínculo empregador o funcionalismo público. Ao contrário do que mostra um estudo sobre a QVT de profissionais enfermeiros de Unidades de Terapia Intensiva7.14 37. Na enfermagem.67 18. a maioria trabalha em apenas um local. maior estabilidade.

3796 para o psicológico e 63. Dentro de todos os domínios avaliados. disponibilidade de informações e satisfação monetária. podendo desencadear estresse. . Em especial os enfermeiros. melhor é qualidade de vida do indivíduo4. É inegável a importância de que em uma instituição hospitalar. Torna-se importante acompanhar os profissionais em tratamento ambulatorial. Tais valores definem o perfil de QVT de enfermagem do HUCAM que participaram deste estudo como satisfatório de acordo com a pontuação máxima dos escores para cada domínio. apoiando-os para a recuperação ou a melhoria da condição de saúde. 71. por se tratar basicamente de mulheres. estando de acordo com os dados preconizados pela OMS de que o perfil de qualidade de vida é definido pelos escores obtidos do questionário WHOQOL-Bref12 sendo que quanto mais alto o escore. Os dados permitem classificar a qualidade de vida no trabalho dos profissionais enfermeiros do HUCAM como satisfatória. Porém é preciso chamar atenção para que as instituições hospitalares busquem dispor de recursos que possibilitem a satisfação profissional. mas por estratégias para modificar. conclui-se que os Enfermeiros do HUCAM apresentaram condições sociodemográficas e de trabalho semelhante a maioria dos estudos anteriores referentes ao tema. este recebeu o menor escore. que na maioria das vezes possuem ainda a jornada de afazeres domésticos19.1250 para meio ambiente. a fim de que não interfira quanti-qualitativamente na vida e no trabalho19. irritabilidade e desmotivação.ambiente físico.0556 para o domínio físico. CONCLUSÃO Embasado nos objetivos deste estudo. comparado aos demais profissionais de saúde. Através dos resultados obtidos pelo WHOQOL-Bref. Ainda. na profissão da enfermagem há uma agravante. para garantir uma melhor qualidade de vida não somente para o trabalhador. as reflexões sobre a qualidade de vida devem ser permeadas não somente por condições para a qualidade do trabalho. É preciso um olhar crítico focado na qualidade de vida do trabalhador da área da saúde. questionário que mede a qualidade de vida. oportunidades de lazer. melhorar ou implementar ações a fim de garantir condições adequadas e atendimento profissional competente e responsável. 71. mas também para o trabalho prestado por eles. sendo 63. O ambiente de trabalho influencia a qualidade de vida dos profissionais. mental e psicológico pelo qual estão submetidos. onde numa escala de 0-100 o escore médio pontuado pela amostra foi de 73.1250. pelo desgaste físico. em especial os da equipe de enfermagem. como já relatado.6274 para relações pessoais. já que são estes os profissionais que lidam diretamente com o paciente por um período maior.

Whitaker IY. 2005.CNS 196/96.Silva BM . Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. Jornada de trabalho: fator que interfere na qualidade da assistência de Enfermagem. Saúde Públ. Qualidade de Vida da Equipe de Enfermagem da Central de Materiais E Esterilização.Vieira DFVB. 2000. 1(4): 95-100. 11. LML.Neumann VN. Jan-Fev. Qualidade de Vida no Trabalho dos trabalhadores de Enfermagem em Hospital de Ensino [dissertação]. Atuantes Em Unidades do Bloco Cirúrgico. Acta Paul. Qualidade de Vida No Trabalho de Profissionais de Enfermagem. Res. Normas de pesquisa envolvendo seres humanos. 5. DRC. 14(1): 54-60. Saúde Colet. 34(2): 178-83. 2006 Jul-Set.Fleck MPA et al. Qualidade de vida no trabalho: um estudo de caso das enfermeiras do Hospital Heliópolis.Paschoa S. Rev. Florianópolis. 1993. Qualidade de Vida no Trabalho: Percepções da Equipe de Enfermagem na organização Hospitalar.Martins MM.Tanaka WY et al.Dessa maneira. 4. . 3. 9. Qualidade de vida e capacidade para o trabalho dos profissionais em Enfermagem no trabalho em turnos [Dissertação]. 2. Belo Horizonte: Escola de Enfermagem. Domingos NAM.Talhaferro B. 8. SSV. 2007. Revista Rev. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Latino-am Enfermagem. Zanei.este estudo torna-se relevante por fornecer subsídios para a criação e implantação de programas que visem a melhoria da QVT dos enfermeiros da instituição em questão. Barboza DB. al. Ciênc. REFERÊNCIAS 1. 2006. Dantas RAS. 15(6):495-506. 20(3): 305-10. Bioética. 2007.Ministério da Saúde (Br). Dez. sob a Ótica da Satisfação. Estudo de algumas condições que dificultam a assistência de enfermagem no período noturno. 10. Texto Contexto Enfermagem. 1996. de Enferm. Revista Ciência Médica. 15(3): 442-8. Conselho Nacional de Saúde. 6. 10(4): 1055-1062. de Enferm. [Dissertação]. 2006. Nov-Dez. Acta Paul. Rev. 1988. 4 (2 Supl): 15-25.Schmid. 7. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. et. Rev. Qualidade de Vida no Trabalho dos trabalhadores de Enfermagem de Unidades de Terapia Intensiva.Pizzoli. 2002.

1998. Revista de Administração em Saúde. 13. Set-Out. 15. USP [online]. Massarollo MCKB. WHOQOL Group. O conteúdo significativo da QVT para funcionários públicos de uma secretaria de saúde.Freitas GF. (1998). 2006: 40(3): 434-438. Jan-Jul: 1(1): 76-94. Camelo SHH. Rev. 3(1):105-109.Gonzales RMB. Rev. Abr-Jun: 17(2):262-7.12. Uberaba: Universidade Federal do Triângulo Mineiro. UERJ. A regulação das relações de trabalho e o gerenciamento de recursos humanos em enfermagem. Agosto. [Dissertação].Figueiredo IM.br/psiq/whoqol84.Organização Mundial da Saúde (OMS). Fernandes MFP. 18.A. 17. 22(5).ufrgs.Garcia EOP. Fugulin FMT. enferm. 2010. Coordenador Fleck. Qualidade de vida dos enfermeiros das equipes saúde da família Uberaba. Porto Alegre. enferm. 16. 2009. 2010. Versão em português dos instrumentos de avaliação de qualidade de vida: WHQOL. Montanari D. Out-Dez. 12(49): 154-162. Versão em português dos instrumentos de avaliação de qualidade de vida. 1998. esc. Stancato K. Avaliação da qualidade de vida de profissionais de saúde em Campinas.html (acessado em 2010. 14. Jan-Jun.Silva VEF. Cogitare Enferm.Fernandes JS. . Qualidade de vida no trabalho: percepções dos agentes comunitários de equipes de saúde da família. Expressão de indicadores de (in)satisfação no trabalho por enfermeiras coordenadoras de área de um hospital universitário. A qualidade de vida e a saúde do trabalhador de enfermagem. 23). M. 2009. 1998. Neves DS. 19.Souza MA. Revista Eletrônica de Gestão e Serviços. http://www. Mundo Saúde.P.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful