P. 1
Tema - Sacramentos

Tema - Sacramentos

|Views: 208|Likes:
Published by Pedro Luis

More info:

Published by: Pedro Luis on Dec 26, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/05/2013

pdf

text

original

Sections

  • Conteúdo
  • MAIS DO QUE SETE SACRAMENTOS?
  • OS SACRAMENTOS DA IGREJA
  • OS SACRAMENTOS
  • CONFISSÃO
  • EUCARISTIA - SACRAMENTO E SACRIFÍCIO
  • SACRAMENTO DA PENITÊNCIA
  • FILHOS DE DEUS PELO BATISMO
  • O BATISMO
  • OS SACRAMENTAIS
  • PAPA BENTO XVI ENSINA: " NINGUÉM PODE BATIZAR A SI MESMO!"
  • AS PRESENÇAS DE CRISTO
  • A EUCARISTIA E A ECLESIOLOGIA
  • EUCARISTIA - SACRAMENTO PARA O POVO
  • O QUE SIGNIFICA A EXPRESSÃO "PRO MULTIS" DITA NA CONSAGRAÇÃO?
  • O BATISMO INFANTIL E A INSPIRAÇÃO DAS SAGRADAS ESCRITURAS!
  • PROTESTANTE QUESTIONA BATISMO DE CRIANÇAS E IMAGENS - VEJA RESPOSTAS!
  • O QUE É O BATISMO? VEJAMOS O QUE A BÍBLIA TEM A DIZER?
  • PAPA APRESENTA VIDA SACRAMENTAL COMO ANTÍDOTO PARA ÀS SEITAS!
  • CINZAS, UM SACRAMENTAL QUE O PAPA TAMBÉM RECEBE
  • Cinzas, sacramental que o Papa também recebe
  • ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - COMO PROVAR A EXISTÊNCIA DOS SETE SACRAMENTOS?
  • ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - O QUE É A GRAÇA E A NECESSIDADE DOS SACRAMENTOS?
  • ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - O QUE SÃO OS SACRAMENTOS?
  • A VIDA DE CRISTO EM NÓS, ENQUANTO CABEÇA DA IGREJA
  • A VIDA DE CRISTO EM NÓS, ENQUANTO CABEÇA DA IGREJA
  • COMENTÁRIOS SACRAMENTUM CARITATIS
  • VIDA DE FÉ E SACRAMENTOS
  • OS SACRAMENTOS NO SÉCULO III
  • JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA?
  • JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA? - PARTE II
  • O PROTESTANTISMO E OS SACRAMENTOS
  • LIÇÕES SUPLEMENTARES SOBRE A EUCARISTIA NA IGREJA ORTODOXA E SUA VALIDADE
  • PODE O CATÓLICO COMUNGAR O CORPO E SANGUE DE CRISTO NA IGREJA ORTODOXA???
  • SACRAMENTOS DA IGREJA
  • A GRAÇA SANTIFICANTE E A GRAÇA ATUAL
  • A EUCARISTIA E A UNIDADE DA IGREJA
  • SOBRE O SACRAMENTO DA UNÇÃO DOS ENFERMOS
  • O BATISMO DE CRIANÇAS
  • A CONFISSÃO DOS PECADOS ENSINADA NA BÍBLIA
  • ATAQUE PROTESTANTE A TRANSFORMAÇÃO DO PÃO E VINHO NO CORPO E SANGUE DE CRISTO!

Sacramentos

Conteúdo
Conteúdo........................................................................................................2 MAIS DO QUE SETE SACRAMENTOS?..............................................................4 OS SACRAMENTOS DA IGREJA........................................................................5 OS SACRAMENTOS.......................................................................................13 CONFISSÃO...................................................................................................15 EUCARISTIA - SACRAMENTO E SACRIFÍCIO...................................................23 SACRAMENTO DA PENITÊNCIA......................................................................26 FILHOS DE DEUS PELO BATISMO..................................................................35 O BATISMO...................................................................................................38 OS SACRAMENTAIS.......................................................................................40 PAPA BENTO XVI ENSINA: " NINGUÉM PODE BATIZAR A SI MESMO!"...........42 AS PRESENÇAS DE CRISTO...........................................................................43 A EUCARISTIA E A ECLESIOLOGIA.................................................................47 EUCARISTIA - SACRAMENTO PARA O POVO..................................................49 O QUE SIGNIFICA A EXPRESSÃO "PRO MULTIS" DITA NA CONSAGRAÇÃO?...50 PROTESTANTE PERGUNTA: " PORQUE OS CATÓLICOS INSISTEM EM COMUNGAR APENAS O PÃO?".......................................................................52 BATISMO É "EM NOME DE JESUS" OU "EM NOME DO PAI, E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO?.........................................................................................54 O BATISMO INFANTIL E A INSPIRAÇÃO DAS SAGRADAS ESCRITURAS!.........57 OS SACRAMENTOS CRISTÃOS COMO ELES SE INTERLIGAM E SE INTERDEPENDEM?........................................................................................68 PROTESTANTE QUESTIONA BATISMO DE CRIANÇAS E IMAGENS - VEJA RESPOSTAS!.................................................................................................72 O QUE É O BATISMO? VEJAMOS O QUE A BÍBLIA TEM A DIZER?...................79 PAPA APRESENTA VIDA SACRAMENTAL COMO ANTÍDOTO PARA ÀS SEITAS! 84 CINZAS, UM SACRAMENTAL QUE O PAPA TAMBÉM RECEBE.........................85 ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - COMO PROVAR A EXISTÊNCIA DOS SETE SACRAMENTOS?...........................................................................................86 2

ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - O QUE É A GRAÇA E A NECESSIDADE DOS SACRAMENTOS?.................................................................................100 ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - OS SACRAMENTOS SÃO MERAS REPRESENTAÇÕES EXTERIORES?...............................................................101 ENTENDENDO OS SACRAMENTOS - O QUE SÃO OS SACRAMENTOS?.........102 A VIDA DE CRISTO EM NÓS, ENQUANTO CABEÇA DA IGREJA......................103 O SACRAMENTO DA EXTREMA - UNÇÃO PODE SER DADO AOS NÃO CATÓLICOS?...............................................................................................110 COMENTÁRIOS SACRAMENTUM CARITATIS.................................................111 VIDA DE FÉ E SACRAMENTOS.....................................................................115 OS SACRAMENTOS NO SÉCULO III..............................................................117 JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA?.........................................................119 JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA? - PARTE II.........................................142 O PROTESTANTISMO E OS SACRAMENTOS.................................................165 LIÇÕES SUPLEMENTARES SOBRE A EUCARISTIA NA IGREJA ORTODOXA E SUA VALIDADE...................................................................................................167 PODE O CATÓLICO COMUNGAR O CORPO E SANGUE DE CRISTO NA IGREJA ORTODOXA???............................................................................................169 SACRAMENTOS DA IGREJA..........................................................................171 A GRAÇA SANTIFICANTE E A GRAÇA ATUAL................................................173 A EUCARISTIA E A UNIDADE DA IGREJA......................................................179 SOBRE O SACRAMENTO DA UNÇÃO DOS ENFERMOS.................................181 O BATISMO DE CRIANÇAS..........................................................................183 A CONFISSÃO DOS PECADOS ENSINADA NA BÍBLIA...................................187 ATAQUE PROTESTANTE A TRANSFORMAÇÃO DO PÃO E VINHO NO CORPO E SANGUE DE CRISTO!..................................................................................188

3

com Fonte: http://www. Outras vezes seu emprego foi mais amplo.Eu ouvi um padre dizer que a Igreja pode mudar. Depende da forma como você emprega o termo "sacramentos".veritatis. muitas coisas eram chamadas "sacramentos" na Igreja primitiva e. o conceito de sacramento foi insuficientemente desenvolvido pela Igreja primitiva e houve debates sobre quais rituais e práticas cristãs deveriam ser chamados "sacramentos". O problema é a falta de distinção: alguns poucos escritores colocam os 7 sacramentos tradicionais ao lado de meros sacramentais ou meros "sinais" e o adjetivo "meros" sugere que tal idéia seja também aplicada aos 7 sacramentos. lógico que isto pode confundir. Atualmente vemos alguns promoverem o antigo costume: alguns teólogos usam o termo em um sentido amplo. Ele disse que houve um tempo em que existiram mais do que os sete que conhecemos hoje. não foram identificadas como tais. O Concílio de Trento reiterou este ensinamento em resposta à rejeição protestante quanto a alguns sacramentos.com. posteriormente. podemos dizer que existem exatamente 7 sacramentos.http://www. 4 . Porém. -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es). conforme os últimos sete séculos.catholic. Portanto. Isto é verdade? (Anônimo) Sim e não. Por que esta multiplicidade de definições? Porque ainda não tinham atingido um consenso sobre o que a palavra "sacramento" significaria. o número dos sacramentos.MAIS DO QUE SETE SACRAMENTOS? Autor: This Rock Magazine . exatamente aqueles que conhecemos hoje.br/article/5780/mais-do-que-sete-sacramentos . de modo que qualquer coisa que tivesse um simbolismo cristão era chamado "sacramento". Às vezes o termo foi usado pelos Padres para apontar práticas que hoje chamaríamos de "sacramentais". Os Concílios de Lião (1274) e Florença (1438-1445) ensinaram que existem apenas 7 sacramentos. Como resultado.Janeiro/1990 Tradução: Carlos Martins Nabeto Fonte: Catholic Answers . como já mudou.

é que foi oferecida a infinita reparação pelo mal infinito da rebelião do homem contra Deus. pelo mérito de Sua paixão. jamais se salvariam.). sem os quais não se entra na verdadeira vida(.. Para tanto Deus se Revelou pelos profetas e nos últimos tempos. pois nasceram descendentes de Adão. a graça que os faria estar eternamente com Ele. se não renascessem por Jesus Cristo. durante toda a vida e a eterna. O que a morte de Jesus significa. se submeta.1413) .. Oh morte que dá vida aos mortos! Que coisa mais pura que este sangue? Que ferida mais salutar que esta?" (In Ioann Evang.. donde manaram os Sacramentos da Igreja. nem todos participam do benefício de sua morte.com. servindo-se de Sua natureza 5 . assim como nasceram os homens. desde sempre foi chamado a manter um relacionacionamento com Ele. oferecendo-se em nosso favor. Ainda que Jesus Cristo tenha morrido por todos. Pela Revelação sabemos que Adão pecou e que todos ficaram privados da glória de Deus. já que perderam pelo pecado original. e do mesmo modo. e se perdida. Durante Sua vida pública as multidões se aglomeravam ao redor de Jesus para serem curadas. pois nesta regeneração é conferida a eles. E eram curadas pelo Seu poder divino.veritatis. nos tirou do poder das trevas e nos transferiu ao Reino de Seu Filho muito Amado.2 . nos fez dignos de entrar juntamente com os Santos na glória. Santo Agostinho e a tradição cristã vêem brotar os Sacramentos e a própria Igreja do lado aberto de Jesus: "Ali abria-se a porta da vida. Deus. e é Nele que temos a redenção e o perdão dos pecados. e sendo concebidos pelo mesmo processo. porque. foi pago um preço infinito para assegurar o fluxo ilimitado da graça que permite ao homem voltar a Deus e permanecer em união com Ele. mas somente aqueles a quem sejam comunicados os méritos de sua Paixão. Ainda por ela sabemos que na plenitude dos tempos Deus envia seu Filho pra resgatar este homem da condenação eterna a que estavam todos fadados.34). contraem por esta descendência sua própria impureza.OS SACRAMENTOS DA IGREJA Autor: Ana Maria Bueno Cunha Fonte: http://www. pelo Filho.Bíblia de Navarra. Os Evangelhos nos contam que na Cruz Jesus é perfurado por uma lança e do Seu lado direito brota sangue e água (Jo 19.120. Este segundo Adão adormeceu na Cruz para que dali fosse formada uma esposa que saiu do lado dAquele que dormia. pelos quais tem início toda verdadeira Santidade pois se já começada.br/article/5656/sacramentos-da-igreja Santos Sacramentos da Igreja. através de Seu Filho. efetivamente impuros. 1412. e fez isso pelo sacrifício de Si mesmo. pag. a graça com que se tornam salvos. O homem criado por Deus a Sua imagem e semelhança. se recobra totalmente.

instituídos de modo permanente por Cristo. ao dar o Espírito Santo. Suma Teológica. chama os apóstolos. em virtude da ação de Cristo e pelo poder do Espírito Santo presente na Igreja. confere aos apóstolos o Seu poder de santificação. que são aqueles que vivificam a alma pela graça presente. para comunicar os frutos desta redenção maravilhosa. Sua Santíssima humanidade é o caminho para nossa salvação e o meio insubstituível para nos unir a Deus. Eles são como que “Forças que saem” do corpo de Cristo. diz o Catecismo que retrata os Sacramentos. a hemorroísa. Cristo ressuscitado. inaugurando um tempo novo na “dispensação do mistério”: Cristo se manifesta. e libertação para seus males. Age nela e com ela pelos Sacramentos que instituiu Ele mesmo. sendo acessíveis à nossa humanidade atual e realizam eficazmente a graça que significam. toda união com os irmãos. que depois de anos doente com um fluxo de sangue e após gastar tudo que tinha. Os homens neste mundo tem a chance de obter cura. pelo poder do mesmo Espírito confere este poder aos seus sucessores. pois "somente ela.a. Pelos Sacramentos flui também para nós. os instrui e dá a eles poder de continuar aqui Sua missão até que Ele volte para entregar tudo ao Pai. desde Deus através da Humanidade do Verbo. de modo singular e eminente pela Eucaristia. deve levar o cristão necessariamente aos Sacramentos. se achega à fonte da graça. Os Sacramentos são sinais sensíveis (palavras e ações).1116) Lembremo-nos da cena daquela mulher. através do qual Deus é glorificado e os homens santificados. e numa atitude humilde e reverente. para santificar as almas. hoje nós podemos nos aproximar do Senhor por meio dos Sacramentos. pois. tornado-os assim. Anunciavam 6 . Assim estamos hoje. “As palavras e as acções de Jesus durante a sua vida oculta e o seu ministério público já eram salvíficas.q. sinais sacramentais Dele mesmo. na nova e eterna Aliança. sobretudo a Eucaristia e o da Penitência. tanto físicos quanto espirituais. caiu ao chão e apenas tocou na orla do seu manto…Jesus sente que uma força sai de Si e pergunta aos apóstolos: ”quem Me tocou?” Ora. Assim. porque sem eles não há salvação. buscar a Cristo. III. quando buscam a Cristo presente nos Sacramentos que deixou à Sua Igreja.62. por isso a vida litúrgica é sacramental. havia ali uma multidão mas sómente nesta mulher saiu como que uma força…esta cena maravilhosa. Em todos os tempos e em todos os lugares. No dia de Pentecostes. logicamente depois do Batismo que o torna filho de Deus. foi até Jesus. Jesus enquanto esteve neste mundo. mas somente aquele que se achega aos Sacramentos. nasce a Igreja. quando envia o Espirito Santo prometido.humana. eis a grande misericóridia de Deus que não deixou os homens à deriva e fora de seu plano de amor. consciente de que estava diante d’Aquele que tudo pode. Antecipavam o poder do seu mistério pascal. todo louvor em comum. torna presente e comunica a Sua obra de salvação pela liturgia de Sua Igreja. os Sacramentos são “as obras-primas de Deus”. sempre vivo e vivificante: ações do Espírito Santo que opera no seu corpo que é a Igreja. para levar a efeito tão grande obra.5). todo movimento ou pastoral. (Catecismo da Igreja Católica n. Estes. para serem administrados pelos Seus ministros. ao revelar a face misericordiosa de Deus. onde Cristo mesmo vem em favor dos que a Ele se achegam confiantes. uma multidão pode falar de Cristo. Toda oração. uma virtude que cura aqueles que os recebem com fé "(cfr.

scilicet gratiae. e demonstrativo daquilo que em nós a paixão de Cristo realiza. profissionais e sociais. mostra-nos que devemos com todas as forças e ajuda de Deus. São Jerônimo ao comentar que Nosso Senhor não exige que tenhamos um simples desejo vago de justiça. determinar e mudar. praenuntiativum futurae gloriae – O sacramento é sinal rememorativo daquilo que o precedeu. confessa a fé recebida dos Apóstolos. o que julgar conveniente à utilidade dos que os recebem e à veneração dos mesmos Sacramentos. q. Os Sacramentos Instituídos por Cristo são sete: Batismo. conforme a variedade dos tempos e lugares. têm também a função de instruir. Quando a Igreja celebra os Sacramentos. e prognóstico. Isto parece ter insinuado claramente o Apóstolo com estas palavras: ”Assim nos considere o homem como ministros de Cristo e dispenseiros dos mistérios de Deus ”(l Cor 4. oferece e ensina a viver todos os homens: frequência de Sacramentos. 12.: Ed.1115). 3. mas que tenhamos sede e fome dela. et prognosticum. sem lhes alterar a substância: Declara mais [este sagrado Concílio] que a Igreja sempre teve o poder de. Confirmação. 6. 60. instrumento universal de salvação.e preparavam o que Ele ia dar à Igreja quando tudo estivesse cumprido. 3 c. id est. nos deveres de estado e na união da alma com Deus. Leon. à edificação do corpo de Cristo e. ao administrar os Sacramentos.in Matth. porque “o que no nosso Salvador era visível. que é chamado a aderir a ela. a. ou seja. Summa theologiae. como diz Próspero de Aquitânia [século V]). que se manifesta nos mandamentos. 1123) O Sacrossanto Concílio de Trento declarou que a Igreja tem o poder de. Não só supõem a fé. que anuncia de antemão a glória futura» (São Tomás de Aquino. razão pela qual se chamam Sacramentos da fé». pelos ministros da sua Igreja. Quem quer de fato a santidade cristã tem que amar os meios que a Igreja. da paixão de Cristo. A fé da Igreja é anterior à fé do fiel. São Tomás de Aquino define assim as diferentes dimensões do sinal sacramental: «Sacramentum est et signum rememorativum eius quod praecessit.5. fortificam e exprimem por meio de palavras e coisas. por fim. de ora em diante. e este é aquele que se esforça sinceramente por cumprir a vontade do Pai. mas também a alimentam. buscar aquilo que nos faz justos diante dEle. ou seja. determinar e mudar. (Comm. Os mistérios da vida de Cristo são os fundamentos do que. Eucaristia. A liturgia é um elemento constitutivo da Tradição santa e viva (Catecismo n. 7 . a ser justo. convivência intima com Deus na oração e fortaleza para cumprir os deveres familiares. salva [sempre] a sua substância. ao administrar os Sacramentos.6) «Os sacramentos estão ordenados à santificação dos homens. l). da graça. passou para os seus mistérios” (Catecismo da Igreja Católica n. scilicet passionis Christi. a Igreja crê conforme reza. Daí o adágio antigo: «Lex orandi.) O cristão é chamado à santidade. et demonstrativum eius quod in nobis efficitur per Christi passionem. como sinais. quer dizer. A lei da oração é a lei da fé. lex credendi – A lei da oração é a lei da fé» (Ou: «Legem credendi lex statuat supplicandi – A lei da fé é determinada pela lei da oração». Cristo dispensa nos Sacramentos. a prestar culto a Deus.

pelo qual o homem é consagrado às coisas divinas e se distingue dos outros. Ordem. CDC 777. ser guiado na vida social.Penitência. recuperar as forças perdidas. os gestos e o objeto (agua. se não se torna infrutuoso. de meios para conseguirmos o nosso intento. destinado a produzir efeitos em relação com cada sacramento. Atua ex opere operato : pelo próprio fato de a ação ser realizada). a princípio a graça santificante. Estes nos mostram exteriormente. sendo estes necessários `a salvação e são eficazes porque neles age o próprio Cristo. conservar-se. significando que aumenta a capacidade da alma para absorver o amor de Deus. Todo cristão praticante confessa a eficácia dos sacramentos. quem opera é Deus com Seu poder ilimitado e para comunicar a graça necessita da disposição e do preparo do homem. e o Sacramento da Penitência. e por isso as disposições interiores são muito importantes. o que Deus opera interiormente. confere um direito a graças atuais especiais. aumentando o nível de vitalidade espiritual. levar uma vida útil a si mesmo e a sociedade. que provém da inabitação do Espírito Santo em nós. Matrimônio. pelos quais se logra a salvação e a justificação “(Catecismo Romano II. ser reiterados na mesma pessoa. comunicando a graça inexistente pelo pecado (Batismo e confissão . Além da graça santificante e sacramental. pela legitima propagação da espécie. pão) constituem o sinal sensível. que é a vida sobrenatural. o partilhar da própria vida de Deus. para se cumprirem mais facilmente os deveres impostos pela recepção do Sacramento. Crisma. ou segundo a doutrina universal. São eles: Batismo.2) Como vimos os sacramentos conferem a graça. mas precisamos de forças. crescer. Cristo os instituiu para facilitar a obtenção do fim ultimo do homem que é viver eternamente com Ele. impresso na alma. precisa o homem de sete coisas: nascer. por chefes revestidos de poder e autoridade. que serão conferidas no tempo oportuno. não conferindo por 8 . um vigor especial. alguns Sacramentos conferem o que se chama de caráter. IIIB) . Esta acrescenta a graça santificante sugundo São Tomás de Aquino. que é característica de cada um deles e são ajudas de Deus às nossas necessidades particulares ou ao nosso estado de vida. óleo.Estes dois Sacramentos. O Batismo nos dá a graça que foi perdida pelo pecado original. conservar-se a si mesmo e ao genero humano. que é um sinal espiritual indelével. aumentam a graça santificante. estabelecendo a união com Deus perdida por Adão. O mesmo podemos dizer da vida espiritual que necessita de todas esta funções.Os outros cinco Sacramentos.” (Catecismo Romano) “Os sacramentos pertencem à categoria dos meios. por certa imagem e semelhança. pelo que a Igreja insiste na necessidade da sua devida preparação”(cf. em nossa alma pelo Seu poder invisível. Este capacita o homem para a recepção ou para o excercícios dos santos Mistérios. curar-se quando adoece. e para tanto Deus se utiliza de coisas visíveis para que a natureza humana perceba a graça invisível. confere esta mesma graça caso a tenhamos perdido pelo pecado mortal. as orações. Ordem e Unção dos enfermos. Fazendo uma analogia entre a vida natural e sobrenatural. – “Os frutos dependem das disposições espirituais de quem os recebe. pois como já disse. nutrir-se. Temos um caminho a seguir. mais o da penitência caso o receba em estado de graça. cada Sacramento produz a chamada graça sacramental. chamam-se Sacramentos de mortos. ou. Além dela. (São chamados Sacramentos dos vivos). não podendo por isso. “Para viver. podemos entender o porque deste número. Os Sacramentos só podem ser recebidos com dignidade.

Da nossa parte é preciso que tenhamos desejo de recebe-la. quis unir a si. quando nele resplandece íntima participação. Fora que eles devem ser recebidos como o que de fato são: Santíssimos.VI. envolvimento profundo. contra aqueles que vinculavam à santidade do ministro a própria validade dos Sacramentos. os presbíteros unem-se hieràrquicamente de diversos modos com o Bispo. para que não aconteça de :” Dar aos cães o que é santo.”(Jubileu dos Bispos – Homilia de D. Pois aquele que com conhecimento recebe indignamente um Sacramento comete um sacrilégio Ministro do Sacramento: Os presbíteros. derramando em nós a graça. feitos de modo. afirmando isto. é de igual modo evidente que a santidade do ministro é a condição mais natural para a celebração dos Sacramentos. Era um modo de afirmar que Cristo está presente nos Sacramentos e opera para além da fragilidade do ministro. por meio do ministério dos Bispos. homens que servissem humildemente a obra da santificação. A experiência pastoral mostra que há uma influência misteriosa que passa precisamente através do testemunho do ministro. sobretudo com a celebração da missa. 9 . 174 .especial participantes do sacerdócio de Cristo. ”Tu amas-Me? Esta identificação amorosa com Cristo tem para nós. com o óleo dos enfermos. que é o único santo e santificação. exercido in persona Christi Capitis na celebração dos Sacramentos. Em todos os Sacramentos. Segundo Tanquerey pag. oferecem sacramentalmente o Sacrifício de Cristo.portanto a devida instrução para os fieis é imprescindível.isso a graça santificante. reconciliam os pecadores com Deus e com a Igreja. introduzem os homens no Povo de Deus pelo Batismo. aliviam os doentes. aliada a um arrependimento sincero de nossos pecados. Bispos. . 6 de outubro de 2000). nem lançar aos porcos as vossas pérolas”(Mt 7. Donde vem que os presbíteros são consagrados por Deus. Inácio mártir. coerência total de fé e de vida. e dela tem sede. Mas.6) O Concílio de Trento nos ensina em sua sess. fazendo assim com o sacramento opere de forma total e positiva. defendeu a sua eficácia ex opere operato. Sabemos que a Igreja. cap7 que a quantidade da graça produzida pelos sacramentos depende juntamente de Deus e de nós. para que. A santidade é algo que o povo de Deus percebe como que por instinto. sejam na celebração sagrada ministros d'Aquele que na Liturgia exerce perenemente o seu ofício sacerdotal a nosso favor . como já nos tempos da Igreja primitiva testemunhou S. pelo sacramento da Penitência. Na verdade. porém. como companheiros e colaboradores. outro lugar privilegiado no "munus sanctificandi". Giovanni Battista – Basílica de São João de Latrão. ministros dos Sacramentos Deus. e assim o tornam de algum modo presente em todas as assembleias dos fiéis .

Mas se ele for um excomungado vitando (Aquele que foi nominalmente excomungado pela santa Sé. Para que o Sacramento seja válido. Obrigação de negar os Sacramentos aos indignos 10 . a não ser se algum fiel lhe peça e se falte ministros para realiza-lo. nem o estado de graça do ministro. mediante decreto e sentença pública) só em perigo de morte o poderá administra-lo.Condições para a Administração dos Sacramentos . Para a lícita administração dos Sacramentos requer-se: 1 – O estado de graça: a reverência para com o mesmo o requer. o Sacramento será válido na medida em que ele tem esta intenção. Por isso o batismo realizado por um herege é válido se é administrado com a intencão e com o rito da Igreja. 5 – A devida licença. portanto. Um excomungado não pode licitamente confeccionar um Sacramento e administrá-los. a administração torna-se inválida. Se ele executa uma ação externa incompatível com a interna. Um ministro que administra o Sacramento em pecado mortal. porque aadministracão dos Sacramentos é um ato humano. 2 – A intenção interna: Um Ministro voluntariamente distraído peca gravemente se a sua distração é causa de erros substanciais para o rito sagrado. peca mortalmente. Se não houve tempo de se confessar e se ele fez um ato de contrição perfeita. 4 -A imunidade de censuras e irregularidaes. sem necessidade. não se requer nem a fé. fazer em Nome de Cristo. deixando a confissão o mais breve possível. por expo-los ao perigo de nulidade. pode celebrar. 3 – A observância dos ritos e das cerimônias. Este age em nome de Cristo. pode comunicar a Graça interna à ação sacramental 2 – A devida intenção. O ministro deve ter pelo menos a intenção de fazer o que faz a Igreja.segundo Del Greco Para a válida adminitração dos Sacramentos requer-se: O Poder divino e a devida intenção – 1 – O poder divino: Somente Deus de fato.

3) Tanto elemento quanto a palavra são tidas por “coisas sensíveis” já que são percebidas por todos nós. Ofício . Santo Agoatinho nos diz: “Unindo-se a palavra ao elemento. se os pedem de boa fé (cfr. Entre eles. embora não o sejam por razões idênticas. porém. Mas se o sacerdote conhece a má disposição do penitente somente pela sua confissão. 2l81 a). deixa de ser Sacramento. Do Batismo declarou nosso Senhor ser absolutamente necessário para todos os homens: Quem não renascer da agua e do Espírito. Assim requer a caridade e a religião. não 11 . se antes não houverem abjurado os seus erros e se tiverem reconciliado com a Igreja (cân. mesmo só materialmente. 2 -Deve-se negar os Sacramentos a um pecador oculto quando os pede secretamente: não se pode. quer publicamente até que conste de sua emenda. -2). Sem a abjuração de seus erros.de março de 1916 em DB. que se não for observada. violado o sigilo sacramental. São Paulo em Ef 5.731.25 -26 nos explica claramente ambas as partes: Cristo amou a Igreja e por ela Se entregou. 2) os pecadores públicos. doutro modo. nem em perigo de morte se administrar os Sacramentos da Penitência e da Extrema-Unção aos hereges e cismáticos. Tract. que é a palavra. mas nem todos são igualmente necessários. Diferença dos Sacramentos 1 . a fim de santifica-la. tres são mais necessários. daí nasce o Sacramento”(Aug. 3 – Deve-se negar os Sacramentos a um pecador público. resposta do S. não lhe pode negar os Sacramentos. a forma da palavra é descrita de uma tal maneira.Quanto à necessidade: Todos os Sacramentos comportam em si uma virtude admirável e divina. purificando-a no banho de agua pela palavra da vida ” Ambas unidas dão a certeza de que houve de fato o Sacramento. negá-los quando o pedido é público. 1 -É proibido ministrar os Sacramentos da Igreja hereges e cismáticos. pois hoje. Outra tem o caráter de forma. mesmo se estes os pedem de boa fé. 80.Entre os indignos estão incluídos: 1) os hereges e os cismáticoss. 3) os pecadores ocultos. penitência e reparação do escândalo (cân. In Ioh. que os peça privadamente. 855-1) Componentes essenciais dos Sacramentos: Materia e Forma: Cada Sacramento contém duas partes constitutivas: Uma com função de matéria: chama-se elemento. na nova aliança. nem possuem a mesma graduacão e finalidade.

. para os Sacramentos dos mortos se exige a atrição sobrenatural. ajudando-nos sem cessar com a graça dos Sacramentos. mas o de água). adquirida mediante a contrição perfeita ou pela absolvição sacramental. sendo superior por santidade. pois precisamos para recorrer a ele. Para aqueles que chegaram a idade da razão. E para os Sacramentos dos vivos se exige estado de graça. se requer uma positiva e pessoal intenção. O Sujeito do Sacramento: O sujeito capaz dos Sacramentos é somente o “homo Viator”. Por fim. Para receber validamente os Sacramentos.Quanto à dignidade: A Eucaristia sobrepuja a todos os outros. 12 . Esta última porém se requer para o sacramento da Penitência. Para a validade dos outros sacramentos se requer o batismo. Todavia nem todo homem é capaz de todos os Sacramentos. sendo capaz de todos os outros Sacramentos qualquer batizado.entrará no Reino de Deus 2 . Somente aquele que não foi batizado é sujeito capaz do Batismo. Para receber licitamente os Sacramentos e com frutos. não se requer nem o estado de graça nem a fé. Agradeçamos pela Igreja que continuará para sempre a obra de Cristo: ensinar aos homens as verdades acerca de Deus e a exigência de que se identifiquem com essas verdades. pelo qual nos incorporamos à Igreja. dando-nos tudo para recebermos de Seus dons Santíssimos. (aqui não basta o de desejo. uma dor sobrenatural que se tem por meio da fé. número e grandeza de seus mistérios. demos graças a Deus que no Filho nos abençoou e nos constituiu seu povo de predileção.

OS SACRAMENTOS Autor: Leandro Martins de Jesus Fonte: Catecismo da Igreja Católica Fonte: http://www. Durante este tempo da Igreja.br/article/5660/os-sacramentos Com a manifestação pública da Igreja ao mundo. tornar presente e comunicar a obra de salvação do Cristo. “até que ele venha” (1 Cor 11. “No dia de Pentecostes. que vive e age na Igreja. a Igreja por meio de sua liturgia é encarregada de manifestar. pela efusão do Espírito Santo no dia de Pentecostes (cf. Age pelos sacramentos” (CIC §1076). Cristo vive e age em sua Igreja e com ela de forma nova. At 2. o tempo da Igreja. durante o qual Cristo manifesta.26). pela efusão do Espírito Santo. Neste novo tempo.1s). a Igreja é manifestada ao mundo. O dom do Espírito inaugura um tempo novo na “dispensação do mistério”: o tempo da Igreja. inicia-se um “novo tempo” para a humanidade. própria deste tempo novo. que é o seu corpo.veritatis. 13 .com. toma presente e comunica sua obra de salvação pela liturgia de sua Igreja.

dependerá das disposições de quem o recebe.(2) “A partir de momento em que um sacramento é celebrado em conformidade com a intenção da Igreja. manifestam e comunicam aos homens. de forma análoga distinguiu também o tesouro dos sacramentos. a saber: Batismo. embora peregrina nesta terra.19. conformando-o à Jesus.” (cf. Lc 5. Eucaristia. uno em três pessoas. sobretudo na Eucaristia. A Igreja “como que o sacramento” age como sinal e instrumento. Assim sendo. São “por meio da Igreja”. independentemente da santidade pessoal do ministro. (cf. este fato verdadeiramente ocorre. Portanto. realizava a obra salvífica de Deus através de todas as suas palavras e ações (cf. instituídos por Ele para comunicar sua graça. o mistério da comunhão do Deus amor. independente da justiça ou santidade de quem o confere ou de quem o recebe. os frutos dos sacramentos dependem também das disposições de quem os recebe”. pois são esses “sacramentos que fazem a Igreja”. visto serem os canais da graça de Cristo a atingir o homem. mas 14 .2 apud CIC § 1116) Assim como a Igreja iluminada pelo Espírito Santo distinguiu o cânon das Sagradas Escrituras. “aquilo que era visível em nosso Salvador passou para os mistérios” (Sermão 74. (cf. Realizam eficazmente a graça que significam em virtude da ação de Cristo e pelo poder do Espírito Santo (CIC § 1084) Toda a liturgia da Igreja gira em torno do sacrifício eucarístico e dos sacramentos (1). não só porque.17. 8. existindo “por meio dela” e “para ela” (Igreja). com efeito. Entretanto. é por meio dela que o Espírito Santo dispensa o mistério salvífico de Cristo. já participa antecipadamente da liturgia celeste “Sentado à direita do Pai” e derramando o Espírito Santo em seu Corpo que é a Igreja. Os sacramentos são sinais sensíveis (palavras e ações). Unção dos Enfermos. CIC § 1128) É importante frisar que os sacramentos são necessários à salvação. atencipando dessa forma o poder do seu mistério pascal. os quais são da Igreja num duplo sentido. Confirmação ou Crisma. “Os sacramentos são “da Igreja” no duplo sentido de que existem “por meio dela” e “para ela”. Ordem e Matrimônio. por meio de sua obra salvífica. visto agir neles (Sacramentos) o próprio Cristo. o poder de Cristo e de seu Espírito agem nele e por ele. como Cristo foi enviado pelo Pai. que são sete. CIC § 1118) Quando se diz que os Sacramentos são “sinais eficazes da graça de Deus” (cf. acessíveis à nossa humanidade atual. Leão Magno. pregando o Evangelho a todos os homens anunciassem que o Filho de Deus com a sua morte e ressurreição nos livrou do poder de satanás e da morte e nos transferiu para o reino do Pai. 6.É por meio dos Sacramentos que a Igreja dispensa as graças de Cristo aos fiéis. unindo-o de forma vital ao Salvador.46). os Sacramentos atuam “ex opere operato” (pelo próprio fato de ação ser realizada). Penitência ou Confissão. CIC § 1131). pois esta é o sacramento da ação de Cristo operando em seu seio graças à missão do Espírito Santo E são “para a Igreja”. a frutuosidade do Sacramento validamente recebido. Cristo age agora pelos sacramentos. curando-o. CIC 1129) NOTAS (1) ” 6. Contudo. A Igreja com suas ações litúrgicas. assim também ele enviou os apóstolos. Diz-nos S. cheios do Espírito Santo. transformando-o. Cristo enquanto caminhou no mundo antes de sua morte e ressurreição.

119) -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es). “para louvor de sua glória” (Ef 1. porque acusas as tuas obras más. Deus acusa os teus pecados. Desde então. E “perseveravam na doutrina dos apóstolos. e se tornam assim verdadeiros adoradores que o Pai procura. sepultados. Para citar este artigo: JESUS. Sacrosanctum Concilium n. [. celebrando a eucaristia na qual “se representa a vitória e o triunfo de sua morte” e.15) em Cristo Jesus. que a frutuosidade dos sacramentos depende das disposições pessoais de quem os recebe: ninguém é santificado sem que se abra ao dom de Deus. 6) (2) “É claro. é então que começam as tuas boas obras. porém. p. Leandro Martins de.41-47). por meio do sacrifício e dos sacramentos.com.com... anunciam a sua morte até que venha. no próprio dia de Pentecostes. CONFISSÃO Autor: Ana Maria Bueno Cunha Fonte: http://www. a Igreja jamais deixou de reunir-se para celebrar o mistério pascal: lendo “tudo quanto nas Escrituras a ele se referia” (Lc 24.. Desde 30/03/2009. Pai ” (Rm 8. recebem o espírito de adoção de filhos.veritatis.veritatis. foi o próprio homem quem o fez..)” (D.27). Destrói o que fizeste. Apostolado Veritatis Splendor: OS SACRAMENTOS. duas realidades distintas. O princípio das obras boas é a confissão das más. sobre os quais gira toda a vida litúrgica. Estêvão T. ao mesmo tempo. a obra de salvação que anunciavam. Do mesmo modo.br/article/5660.. foi Deus que o criou: quando ouves falar do pecador.12) por virtude do Espírito Santo. OSB in: Curso de Iniciação Teológica por correspondência. juntas-te a Deus. Assim pelo batismo os homens são inseridos no mistério pascal de Cristo: com ele mortos. dando graças “a Deus pelo seu dom inefável” (2Cor 9. Módulo 30. “no qual clamam: Abba.” (cf. O homem e o pecador são. Por esse motivo. e ressuscitados. já está de acordo com Deus. e na comum fração do pão e na oração… louvando a Deus e sendo bem vistos por todo o povo” (At 2. se tu também os acusas. “os que receberam a palavra” de Pedro “foram batizados”. 15 . no qual a Igreja se manifestou ao mundo. toda vez que come a ceia do Senhor.br/article/5599/confissao “Aquele que confessa os seus pecados e os acusa. para que Deus salve o que fez.] Quando começas a detestar o que fizeste. Quando ouves falar do homem. por assim dizer. Disponível em http://www. removendo os obstáculos à graça (o apego aos pecados e as más inclinações. Bettencourt.15).também para que levassem a efeito.

Deus que Se revelou no amor e na misericórdia. I Joh 1. o seu amor e perdão nos convida ao arrependimento sempre. redenção do pecado. 1491). está convidado pela voz da Verdade divina a ler com realismo no interior de sua consciência e a confessar que foi gerado na iniquidade. Toda a obra e a pregação do Precursor é uma chamada enérgica e premente à penitência e à conversão. Ele que com todo amor nos amou. “Se dissemos que não temos pecados”. Regenerar o que foi degenerado pelo pecado foi o objetivo de Deus Pai. indicando Jesus como o “Cordeiro de Deus”. quando fez entrar neste mundo Seu Filho unigênito nascido de uma mulher. mostrou e nos dispôs.. 128 (PL 35. caso nos mantenhamos fiéis até o fim. antes de mais nada. o Verbo encarnou no seio puríssimo da Bem-aventurada Virgem Maria. p. é o início da vida plena que o Senhor oferece para nós pecadores e que culmina com Sua visão beatífica. São João Batista confirma esta missão. para salvar o povo dos seus pecados (Mt 1. “Enganados pela perda do sentido do pecado" – recorda o Papa João Paulo II . através dos Sacramentos contidos em Sua Igreja. Também Jesus se submeteu àquele rito penitencial (cf. Rom 8. como dirigida pessoalmente a cada um. mas porque “se deixa contar entre o número dos pecadores.por vezes tentados por alguma ilusão pouco cristã de impecabilidade. os homens de hoje têm necessidade de voltar a escutar. ainda neste mundo.29). “o mundo inteiro jaz em poder do malígno”(1 Jo 5. não porque tenha pecado.21)" (Carta Apostólica de Nosso Papa João Paulo II sob forma de Motu Próprio – Misericórdia Dei).). 16 . Cada um. Pela misericórdia de Deus. Assim. Mt 3.19). verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. pela graça que nos santifica e restaura.13-17). a salvação é. temos que agradecer profundamente a Deus. “Aquele que tira o pecado do mundo" (Jo 1.. enganamo-nos a nós mesmos. ao enviar Seu Filho para morrer por nós pecadores. e como se não tivesse bastado Deus nos mostrar o caminho de volta. a advertência de São João: “Se dissermos que não temos pecados.Praticaste a verdade e vens à luz” (AGOSTINHO. 708).21) e abrir-lhe “o caminho da salvação”. ainda nos foi dada a capacidade maravilhosa de nos santificarmos diante de Sua presença. e antecipa já o 'batismo' da sua morte sangrenta.8.29). Reconhecer sua própria miséria e que para ela existe solução quando se busca com toda clareza e propósito de mudança de vida. enquanto impedimento da amizade com Deus. consciente de nossa fragilidade que nos alicia e corrompe. 13: CCL 36. portanto. restituindo o que foi perdido pelo pecado. Se existe algo pelo qual nós. como dizemos no Salmo Miserere (Biblia de Navarra. E para que ningúem abuse da misericórdia divina. no qual se encontra o homem que cedeu à tentação do Maligno e perdeu a liberdade dos filhos de Deus (cf. 12. é já o 'Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo' (Jo 1. é pela chance que nos é dada de nos voltarmos a Ele. para nos elevar à dignidade de filhos adotivos. sua graça maravilhosa. fazendo-O morrer na Cruz para efetuar a redenção. e a verdade não está em nós”. mais ainda. Pai que reconcilia. cujo sinal é o Batismo administrado nas águas do Jordão. Santo: In Iohannis evangelium tractatus. católicos. A perda do sentido do pecado é um perigo que espreita o homem de todos os tempos. e libertação do estado de escravidão.

Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda culpa” (1 Jo 1. nas obras. Se confessarmos nossos pecados. Meu confidente e Meu amigo.) 17 . que deve se reconhecer pecador com humildade e verdade. Sess. a confissão.8-9). ou melhor. banhar-nos na humilhação e confusão – Ouçamos também a voz de Jesus. Implica a dor e a repulsa pelos pecados cometidos. A penitência interior é. uma resistência à Sua vontade. assumir a atitude concreta de arrependido.14ª. na boca. capaz de pecar e de ser induzido ao pecado.19). in corde eius contritio. a contrição. 3: DS 1673. Supõe e inclui. A semente divina da caridade. 5. aspira a crescer e a dar frutos realmente agradáveis a Deus. reconciliar-se com Deus supõe e inclui o apartar-se com lucidez e determinação do pecado. manifestar o arrependimento. portanto. in opere tota humilitas vel fructifera satisfactio – A penitência leva o pecador a tudo suportar de bom grado: no coração.. — indo mais ao fundo na consideração da própria personalidade — reconhecer-se pecador. mais intensa a Sua agonia. toda a humildade e frutuosa satisfação" (Catecismo Romano 2. Para tanto. Quem confessa seus pecados. por leve que seja é uma ofensa a Deus. Nosso amor a Ele deve ser. movido pela graça divina a responder ao amor misericordioso de Deus. 177). in ore confessio. E esta luz o leva a crescer em santidade. Conhecer ”que o pecado. O Santo pelos pecadores entender que o amor de Deus é maior que o pecado e que por amor a Ele deve voltar atrás. p. do fundo da nossa miséria. 2007. é o que sou capaz de fazer por ela. Na realidade. Anápolis: Aliança Missionária Eucarística Mariana. “Se dissermos que não temos pecado. E então. Adolph: A Vida Espiritual Explicada e Comentada. e este amor a Deus não é uma questão de sentimentos. Alimenta-se da esperança na misericórdia divina. O que de verdade prova meu amor a alguém. depositada em nossas almas. na realidade. Deus. o homem precisa. secundum misericordiam tuam…Penitus lava me a culpa mea…' "(TANQUEREY. que é a de quem se coloca no caminho do regresso ao Pai.? "Poenitentia cogit peccatorem omnia libenter sufferre. uma ingratidão para com o mais amante e o mais amável dos pais e benfeitores. p. pedindo ajuda ao Senhor.13-15)… Saibamos escutar estas censuras tão bem merecidas. o propósito firme de não mais pecar e a confiança na ajuda de Deus. peçamos humildemente perdão: 'Miserere mei. enganamos a nós mesmos e a verdade não está em nós. e sobretudo a Deus. esta que é tarefa para toda a vida. Doutrina de Sacramento Penitência. Esta é a razão pela qual nos devemos preparar com um exame profundo. está na verdade que é luz. 21.. consciente de que ali morreu O justo pelos injustos. o fazer penitência no sentido mais pleno do termo: arrepender-se. ao olhar para a Cruz. iluminado pelo Espírito Santo. Concílio de Trento. no qual se caiu. para poder participar do plano de felicidade que quis Deus para sua alma.Por isso. 299: cf. arraigado na verdade. é o princípio indispensável do retorno a Deus. c. portanto. se queremos converter-nos de novo. Não existe outro caminho. portanto. digamo-nos a nós mesmos que as nossas faltas tornaram mais amargo o cálix que lhe foi apresentado no jardim das Oliveiras. ingratidão que O fere tanto mais quanto é certo que somos seus amigos privilegiados. suportá-lo-ia. vivíamos juntos numa doce intimidade:' (Sl 54. o dinamismo do “coração contrito” (Sal 51. E assim se volta Ele para nós e diz: 'Se for um inimigo quem Me ultraja. supõe-se uma disposição interior do cristão. para que possamos conhecê-lo melhor e conhecer-nos melhor.Mas tu. e reconhecer o próprío pecado.tu eras um outro eu. não o nosso sentimentalismo.

que julgavam os fiéis no tribunal da Penitência. faz parte da própria essência do Sacramento. Dolorido por haver desagradado a Deus.Sobre a Confissão dos pecados. Mt. 3. mas sim uma verdadeira e dolorosa manifestação dos próprios pecados. porque deriva do carater judicial que Nosso Senhor imprimiu ao rito da Penitência.48). da extensão da culpa. que como juiz atua para a absolvição. XIV. O invoquemos no dia de nossa tribulação. que devemos sempre pedir para que sejam perdoadas as faltas e ações inspiradas pelo adversário. a não ser que se confesse a Ele. do publicano e do fariseu. assim como temos muitos exemplos na história do povo de Deus. 14-15) (Cf. que atua na pessoa de Cristo que é Aquele que perdoa. acusando-se a seu representante. começamos a repará-lo fazendo um ato de submissão.. No Evangelho. encontramos os episódios de Madalena e Zaqueu. Além de ser condição para a remissão dos pecados. A necessidade da confissão consiste em que o homem necessita do perdão divino. Desde as origens do gênero humano se nos depara a acusação contrita das faltas cometidas. É melhor para o homem pedir perdão do que endurecer o coração. Mc 1. para inaugurar a era messiânica. Nos Atos dos Apóstolos narrase que. embora conhecedor do pecado de Adão e Eva. porque humilha: repara a ofensa feita a Deus. Ele não pede nada a ninguém. mas divino. E o faz da maneira dos apóstolos e seus sucessores. Sabemos que Jesus deixou o Sacramento da Penitência para que todo fiel recorra ele caso tenha pecado após o Batismo. para dele recebermos a absolvição e a penitência. A confissão consiste na acusação distinta dos nossos pecados ao confessor. caso ele caia em pecado após o Batismo" (Conc. o penitente não se contenta com palavras ou suspiros e prova o seu compungimento fazendo um gesto que lhe custa. Isto será imensamente agradável a Deus e quando. Papa Clemente Romano. 6): ? “Então vinham a ele a circunvizinhança do Jordão. DB. confessando os seus pecados”. 5. que se perderam pelo caminho. adaptação – Padres apostólicos – Paulus -3@ Edição 2002 – p. requeria dos que a ele vinham a confissão dos pecados (Cf. sendo o pecado um ato de rebeldia contra Deus. o sacerdote não pode fazê-lo sem conhecimento de causa. e isto com pleno conhecimento do estado dessa almas. em conseqüência da pregação de São Paulo.889 -0 916 ss. porventura. O Altíssimo. Por que essa exigência divina? Porque. "A confissão é a acusação dos pecados feita a um sacerdote aprovado. ele nos admoesta que o Senhor do universo não tem necessidade de nada. c. sess. João Batista. portanto esta acusação que se deve fazer não é um invento humano. “muitos dos que tinham crido. iam confessar e manifestar as suas obras” (At. Como juiz que absolve ou condena. porque não deve ser uma narração indiferente. Trento. 19. Chama-se à confissão acusação. necessitarmos. para obter dele a absolvição. e para isto temos que entender que somos nada. cân. e eram por ele batizados no rio Jordão. Ele nos libertará e assim O glorificaremos (Sl 49. repara o dano causado à comunidade cristã submetendo-se a sentença daquele que é o representante legal. interroga-os 18 . as parábolas do filho pródigo. reconhecendo-nos culpados. 18). Papa da Igreja. abrindo-lhes e fechando-lhes as portas do Céu.5.901). nos diz São Clemente Romano.

C. adúltero e assassino: “Pequei contra o Senhor” (2 Reis 12. entretanto. Iª S. . e confessaram os seus pecados e as iniqüidades de seus pais”. 13).Secreta: Feita somente ao sacerdote sem que outros a ouçam. para formar um juízo prudente a respeito do penitente. 4. IIª ESD. 19 18: ? “E muitos dos que tinham crido iam confessar e manifestar suas obras”. pode fazê-lo (c. mas não te submetas a ninguém para pecar”. 31: ? “Não te envergonhes de confessar os teus pecados. A escrita recorra-se só por motivo justificado. JOÃO. e neste caso o penitente ao entregar o escrito ao sacerdote dirá: "acuso-me dos 19 . 13: ? “Aquele que esconde as suas maldades não será bem sucedido. pois do contrário a confissão deixaria de ser secreta (embora o intérprete fique obrigado ao segredo). I. mas mediante sinais ou gestos aptos à compreensão.c. A mais célebre é a do Rei Davi.Oral: por meio da palavra falada. PROV. As Qualidades da Confissão: Segundo Del Greco.Verdadeira. Se alguém ignora a língua. Confissão no Antigo Testamento: ECL. ela deve ser: A. Doutor em Direito Canônico. Ele é fiel e justo para perdoar estes nossos pecados e para nos purificar de toda iniqüidade”. Se quiser. não é obrigado a confessar-se por meio de interprete. 9. 28. usava-se a Confissão: ATOS.889 -2). aquele. ECL. excluindo toda mentira. que as confessar e se retirar delas alcançará misericórdia”. 1 E 2: ? “E no dia 24 deste mês se ajuntaram os filhos de Israel em jejum e vestidos de sacos e cobertos de terra. 4: ? “O que ama a Deus implorará o perdão de seus pecados e se absterá de tornar a cair neles”. 3. B.“Se nós confessarmos os nossos pecados. 9: . E os da linhagem dos filhos de Israel foram separados de todos os filhos estrangeiros. porém. O Antigo Testamento está repleto de textos relativos à humilde confissão de homens prevaricadores. Na Igreja Primitiva.e incita-os a se reconhecerem culpados. 903. O penitente peca gravemente se negar a verdade quando o confessor legitimamente interroga a respeito de pontos que julga de necessidade.

731 -2). Os mudos não são obrigados a usar a escrita: podem confessar-se por meios de sinais. não tiverem rejeitado seus erros e feito a profissão de fé (S. A Absolvição dos Moribundos: Pode-se e deve-se absolver o moribundo que. dessem. Cân. pelos quais não ficamos excluídos da graça de Deus.pecados que lê neste papel". ou pelo menos todos os pecados mortais que o penitente atualmente. em virtude do poder supremo das chaves. o que é costume das pessoas piedosas. p. por um qualquer sinal ou pela voz. ” Sem ser estritamente necessária. a confissão das faltas quotidianas (pecados veniais) é contudo vivamente recomendada pela Igreja. porque estando nosso Senhor Jesus Cristo prestes a subir da terra ao céu. se confessa e pede absolvição. a progredir na vida do Espírito. e que se suponha que esteja com boa fé. pois ficarão perdoadas automaticamente. se antes. Quanto aos hereges e cismáticos. Os tímidos. (Pe. de melhor modo possível. expondo-as em confissão. 20 . o dom da misericórdia do Pai. proveitosamente e sem nenhuma presunção. deixou os sacerdotes e seus vigários como presidentes e juizes. não podem ser absolvidos. se estabelece: pode-se absolver aquele privado de sentido. e naquelas que caímos com freqüência ainda que se proceda com boas intenções. caso seja batizado. não precisam necessariamente serem omitidas na confissão. É necessário. A confissão repetida dos pecados já perdoados é lícita e recomendada. ou ainda se ignora as verdades consideradas de necessidade de meio para salvação.1458). Por parte do penitente: se calou algum pecado grave ou mentiu em matéria grave relacionada com a confissão. privados dos sentidos. não ouviu ou não entendeu algum pecado. podem ser absolvidos sob condição. são considerados incluídos na confissão. Com efeito. a lutar contra as más inclinações. neste Sacramento. Confissão Nula: Ela pode ser nula por parte do confessor. a sentença do perdão ou retenção dos pecados. a confissão regular dos nossos pecados veniais ajuda-nos a formar a nossa consciência. Quanto aos moribundos católicos. (cfr. a deixarmo-nos curar por Cristo. que viveram um vida pouco cristã. atendendo às circunstâncias. OFM. 568) Com relação aos Pecados Veniais. Por parte daquele: se lhe falta o devido poder. Of. Recebendo com maior frequência. Teologia Moral. 17 de maio de 1916). Quanto aos pecados omitidos por esquecimento. podem empregar a escrita. a quem devem ser denunciados todos os pecados mortais em que caírem os fiéis cristãos para que. portanto. com isso. São Paulo: Paulinas. pode e deve acusar. Teodoro da Torre Del Greco. se não tem propósito firme de emendar-se ou não está contrito. depois de um minucioso exame (integridade formal). D. confessar novamente os pecados graves que não foram diretamente submetidos ao poder das chaves. 1959. mas devem ser declarados na próxima confissão. ou por parte do penitente. mas não necessária. Se não estão privados dos sentidos. se não pronunciou ou trocou a forma substancial.Íntegra: Devem ser acusados todos os pecados mortais cometidos depois do Batismo e ainda não confessados (integridade material). Não é permitida a confissão com um sacerdote ausente ou uma absolvição a distância. somos levados a ser misericordiosos como Ele” (Catecismo da Igreja Católica n. os que devem se confessar com sacerdotes surdos ou os que padecem dos males da garganta.

Concedei-me horror ao pecado. deste mundo. Não permitais que torne doravante a ofender-Vos. porque pequei muitas vezes. As crianças devem aceder ao Sacramento da Penitência antes de receberem pela primeira vez a Sagrada Comunhão". e plenamente e para sempre na Glória. dissipai as trevas da minha ignorância sobre a malícia do pecado. não deve receber a Sagrada Comunhão. ao bem-aventurado São João Batista.a. Senhor. Confiteor . Detesto-as. ao bemaventurado São João Batista. (bate-se por três vezes no peito) por minha culpa. Como nos ensina São Tomás: ”o menor bem da graça é superior a todo o bem do universo” (Suma Teológica. em Vossa presença. porque é a mais cruel das ingratidões. mesmo que tenha uma grande contrição. I-II. e digno de ser amado. sim.113. arrependimento e desapego. se quiserdes. que rogueis a Deus Nosso Senhor por mim. a todos os Santos e a vós.Importa também saber da exortação que nos faz o Catecismo da Igreja Católica n. até ofender um Deus que se deu à morte por mim! Peço-vos humildemente perdão de minhas faltas.Confesso-me Eu pecador me confesso a Deus todo-poderoso. o fim último do homem é o próprio Deus. lavando a cruz com ajuda de Sua graça. 21 . Gastemos a vida na busca deste bem que necessarimente passa pelo arrependimento e confissão verdadeira diante do Sacerdote de Cristo. que é possuído como antecipação aqui na terra pela graça. Pedindo o Conhecimento dos Pecados Eterna fonte de luz. Eis me aqui. e rogo-Vos me concedais a graça de fazer desde hoje até à morte uma sincera penitência. está obrigado a confessar fielmente os pecados graves. à bem-aventurada sempre Virgem Maria. ao bem-aventurado São Miguel Arcanjo. Nada e nenhum bem neste mundo. de renúncias. confundido e penetrado de dor à vista de minhas faltas. aos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo. minha máxima culpa. que sou ingrato. Padre. por pensamentos. Nosso Senhor nos mostra o caminho. ao menos uma vez ao ano» . com grande pesar de ter ofendido um Deus tão bom. sem ter previamente recebido a absolvição sacramental. a não ser que tenha um motivo grave para comungar e não lhe seja possível encontrar-se com um confessor. Lembremo-nos que o fim do homem nesta vida não é ganhar bens temporais. Padre. Divino Espírito. Portanto. e um eterno amor a Vós. rogo à bem-aventurada Virgem Maria.1457: "Segundo o mandamento da Igreja. a todos os Santos e a vós. palavras e obras.9). ao bem-aventurado São Miguel Arcanjo. Castigai-me. aos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo. Como levei tão longe a minha malícia e iniqüidade.q. é comparável à salvação eterna da alma. minha culpa. Aquele que tem consciência de haver cometido um pecado mortal. «todo o fiel que tenha atingido a idade da discrição.

Desde 25/02/2009. Rendamos graças a Deus que deu à Sua Igreja um tal dom” (AGOSTINHO. não existiria nenhuma esperança. Santo – Doutor da Igreja). nenhuma perspectiva de uma vida eterna e de uma libertação eterna. Concedei-me esta graça. Ana Maria Bueno. Para citar este artigo: CUNHA. quero desde hoje mudar de vida e compensar. “Se na Igreja não existisse a remissão dos pecados.br/article/5599. jamais tornar a ofender-Vos: Embora miserável. e ninguém me poderá apartar do Vosso amor. com amor. -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es).Propósito de Emenda: Como desejaria.veritatis. as ofensas que Vos tenho feito. Senhor. Apostolado Veritatis Splendor: CONFISSÃO. 22 .com. Disponível em http://www. Amém.

O Sacramento A Eucaristia distingue-se dos demais sacramentos pela sua sublimidade. Na Sagrada Escritura. porém de forma mais perfeita. e depois na última ceia. Todos os sacramentos confluem para o Santíssimo Sacramento: os batizados fazem-se filhos da Igreja. Como sacramento é uma realidade permanente. Como sacrifício a Eucaristia é uma realidade transitória. em obediência as suas palavras “fazei isto em memória de mim”? O sacramento do matrimônio. para que fim mais belo foram instituídos pelo próprio Jesus os sacerdotes da Nova Lei. e como soldados fieis que deverão ser tem a necessidade de receber o Pão dos Céus. que se realiza durante a celebração da Santa Missa. Na Eucaristia como sacrifício. Jesus oferece mais uma vez ao Pai seu holocausto pela nossa Salvação. na Eucaristia não recebemos só os méritos do mistério pascal. A Penitência por sua vez. só que agora já não mais ocultada pelos véus das aparências de pão e vinho. e sacrifício é algo que oferecemos a Deus. possam gozar da visão Eucarística. Jesus deixa singularmente clara sua realidade eucarística. instituído primariamente para gerar aqueles que pelo Batismo far-se-ão filhos de Deus. mas o próprio Cordeiro de Deus. a fim de que quando abandonarem este mundo. Ele intitula-se o Pão Vivo descido do Céu. enquanto como sacramento o Senhor doa-se a nós para nossa santificação. é o sacramento que capacita as almas que fraquejaram a receber a Sagrada Comunhão. o sacramento da Unção dos Enfermos. e este Deus Pai misericordioso é o Bom Pelicano que alimenta os filhotes com a sua própria carne.SACRAMENTO E SACRIFÍCIO Autor: Fernanda Carminati Azevedo Fonte: http://www. e seu fim primário é glorificação de Deus. 23 . Também é indispensável lembrar àqueles que negam o Santíssimo Sacramento. e tem como desígnio a nossa santificação.veritatis. é dado para unir os filhos da Igreja aos supremos tormentos da Paixão do Redentor.EUCARISTIA . E o sacramento da Ordem.com. posto que os são os canais da graça de Deus. no partir do Pão. Os crismados são confirmados a fim de fazerem-se perfeitos cristãos e dar testemunho de vida verdadeiramente cristã. que comunicam a alma de quem os recebe o mistério salvífico de Cristo.br/article/5583/eucaristia-sacramento-e-sacrificio Sacramento é algo que nos é doado. senão para que tivessem o poder de fazer presente sobre os altares o próprio Mestre. Por fim. o Santíssimo Sacramento. e a Igreja reúne os seus da mesma forma que Jesus reuniu-se com seus apóstolos. tomando o pão diz: “Este é o meu corpo”. de modo que se pode dizer que a Eucaristia é a plenitude dos demais sacramentos.

Jesus vai ser ainda mais enfático dizendo: “Em verdade. porque é uma lembrança da paixão e morte de Nosso Senhor. e não beberdes o seu sangue. onde a oblação é incruenta. Neste verdadeiro sacrifício que é a Missa. e é nele que se realiza a reconciliação entre Deus e o homem”. 67). mas por tê-los saciado a fome. o mesmo oferecimento e o mesmo sacerdote da Cruz. no Salmo 110. Também asseverou o Doutor Angélico “Tanto vale a celebração da Santa Missa. 35). não tereis a vida em vós mesmos. porque nele houve derramamento de sangue. separados apenas na ordem cronológica. e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre. mas era simplesmente verdade. logo onde está o corpo está concomitantemente o sangue. o sacrifício Eucarístico que nela acontece. mas esta profecia anuncia o Sacerdócio de Jesus na Santa Missa. Poderiam dizer os hereges: “que sacrifício pode dar-se sem derramamento de sangue?” Ora. Jesus não foi correndo até eles e disse: “acalmem-se vocês não me entenderam bem. Jesus então os repreende por que eles O Seguiam não por Ele ter feito milagres. pois ele também é um monte encimado por uma Cruz e por um Crucificado. quanto vale a Morte de Jesus na cruz”. pois Jesus ressuscitado não morre mais. 53 . O Sacrifício Eucaristia enquanto sacrifício. é a renovação do sacrifício da Cruz. aquele rei ofereceu a Deus pão e vinho. em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem. o profeta Davi profetiza a respeito do Messias: “Jurou o Senhor. não é o outro. mas o mesmo sacrifício da Cruz. Estas palavras do salmista. Então muitos de seus discípulos murmuraram e foram embora. não era um simbolismo. portanto incruento. é Jesus todo inteiro e vivo como está no Céu. verdadeiramente uma bebida. mas como na Cruz. A Santa Missa é um verdadeiro sacrifício em que o sacerdote é o próprio Jesus. este era um sacrifício em que não havia derramamento de sangue. é mesma Vítima. é claro que minha carne não é uma verdadeira comida. Abraão voltando da guerra encontrou um rei chamado Melquisedec. mas o que existe sobre o altar. o povo logo pede a Jesus deste pão. Jesus é não só sacerdote. e o Sacrifício da Missa é incruento (sem derramamento de sangue).aquela passagem em que Nosso Senhor depois de ter feito o milagre de multiplicar os pães e os peixes. a Santa Missa. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.56). é seguido pela multidão. é também a Vítima oferecida ao Pai.” Ao contrário. A única diferença está no modo em que Jesus se oferece: o Sacrifício da Cruz foi oferecido com derramamento de Sangue (cruento). e eu o ressuscitarei no último dia. Como Jesus está presente na Sangrada Hóstia? Tanto nas aparências de pão quanto de vinho. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue. O Papa Pio XII proferiu esta admirável sentença: “O altar de nossas igrejas não é diferente do altar do Gólgota. aproximando de seus doze apóstolos diz: “Quereis vós também retirar-vos?” (São João 6. Jesus vai mandar que trabalhem não pela comida que perece. Jesus não retificou o que acabara de dizer mesmo tendo visto que muitos se afastaram. segundo a ordem de Melquisedec”. A Missa é um memorial do Sacrifício da Cruz. e aquele que crê em mim jamais terá sede” (São João 6. Jesus mantém o que acabara de dizer. e Jesus responde: “Eu sou o Pão da Vida: aquele que vem a mim não terá fome. assim também onde está o sangue está por concomitância o corpo. a morte é 24 . e onde está o corpo e o sangue está a alma e a divindade. porque aquilo o que disse não era uma figura. mas pela comida que dura para vida Eterna e que Ele dará. não se referem ao sacerdócio que Jesus exerceu na Cruz. Importante compreender que a Santa Missa. por isto seu sangue já não mais separa de seu corpo. e ainda.” (São João 6.

mas todo o respeito. e ouviu do justo francês: “estou saudando o meu Deus. Uma vez quando perguntado se sofria por estar apoiado sobre as chagas 25 . A Eucaristia é o amor de Deus. por isso o católico deve sair de cada Santa Missa melhor do que chegou a ela. Só o amor pode fazer um Deus suportar o abandono em tantos sacrários onde permanece esquecido. o católico deve esquecer-se de tudo mais que exista para ver somente o Cristo e oferecer-se com Ele. e por meio delas vir fazerse presente sobre o altar. Enquanto os homens querem conquistar os pólos mais altos do mundo. Ao aproximarmo-nos da Diviníssima Eucaristia. Como é misericordiosa a providência de Deus. e por assim sabermos. Só o amor pode fazer um Deus querer tudo isto. no mesmo instante o oficial francês parou. solenidade e reverência que pode merecer um Deus. tendes só uma idéia da imensa grandeza de Deus. Ainda. Também por meio da Santa Missa que Jesus fazendo-se presente sobre o altar pode vir sacramentalmente as nossas almas na Santa Comunhão. Só o amor pode confinar um Deus a uma pequena partícula. Qual a finalidade de renovar esta oblação? Primeiro para que nos ofereçamos com Ele. estava andando pela cidade de Marselha com um oficial francês. Quando se inicia a Santa Missa. agora devemos estar presentes com Ele na patena do celebrante. Eucaristia: Mistério da Fé. posto que após a sua ressurreição Jesus já não pode morrer. Deus nos quis mostrar esta doce verdade: Jesus na Divina Eucaristia é só amor. sendo tão grande. deve morrer misticamente com Jesus. Só o amor pode fazer um Deus querer nosso coração como Sua morada. deve colocar-se no Calvário ao lado da Santíssima Mãe do Redentor. A Santa Missa e a Comunhão são os centros da nossa fé. quando encontraram com um sacerdote levando o Santo Viático à um enfermo. só o amor pode fazer um Deus querer ser tão pequeno. fazermos todo o possível para recebêlo dignamente. o emir Abd-el-ksder. e assim conseguirmos de Deus o perdão pelas nossas faltas e alcançarmos graças que nos forem necessárias. O árabe logo perguntou a razão de tal saudação. para que possam ser aplicados a nós os frutos deste Santo Sacrifício. Prodígio do Amor A Eucaristia é um mistério da fé. descobriu a cabeça e se ajoelhou. Certa vez um árabe. pois nela Jesus oferece-se verdadeiramente ao Pai tornando novamente presente a oferta feita por Ele na Cruz. e só um Deus pode amar assim. na ilusão de serem grandes homens. e em união com os merecimentos de sua Paixão e Morte darmos glórias a Deus. isto é que se dá nos gestos e nas palavras. Porém a Missa não é uma simples lembrança. para ressuscitar com Ele para uma vida de mais perfeição cristã. que o Sacerdote vai levando a um doente. mas não conheceis o seu amor”. como na Cruz separaramse o corpo e o sangue.simbolizada na separação das aparências do pão e vinho. já que não pudemos estar presentes na sua Cruz do Gólgota. é portanto uma morte mística. “A Eucaristia é o amor que supera todos os outros amores no Céu e na Terra” (São Bernardo). nestas horas não cabem quaisquer irreverências. no milagre eucarístico de Lanciano.” O emir reagiu dizendo: “como acreditar que Deus. é essencial compreender bem a quem iremos receber. a ponto de ir até aos barracos dos pobres? Nós maometanos fazemos uma idéia bem mais alta de Deus. e uma recordação constante e imperecível do amor de Deus pelas suas pobres criaturas. Só o amor pode fazer um Deus obediente às palavras do sacerdote. faça-se tão pequeno. o fragmento de carne em que se transformou a Hóstia Consagrada.” O oficial então responde-lhe seguro: “É porque vós. sendo o coração o símbolo do amor. é cientificamente atestado ser um fragmento do músculo cardíaco humano e vivo.

SACRAMENTO DA PENITÊNCIA Autor: Ana Maria Bueno Cunha Fonte: Sociedade Católica Fonte: http://www. pois contém o próprio Deus. Apostolado Veritatis Splendor: EUCARISTIA: SACRAMENTO E SACRIFÍCIO. Sabendo o Senhor. sendo sapientíssimo. Expressou o Seu amor e Sua misericordia estabelecendo o Sacramento da Penitência. Santo Agostinho dizia sobre a Eucaristia: “Sendo Deus onipotente. não teve mais o que dar”. estou suspenso”. ouviu uma resposta vinda da Hóstia a pouco consagrada: “É o seu também. E o pecador ao se confessar sincera e contritamente os seus pecados. Deus fe-los participantes do seu direito de julgar. pois. mas está ainda ligado com as ataduras de seus pecados. buscasse Sua misericórdia 26 . Desde 04/02/2009. instituir um Sacramento que o pudesse curar e restabelecer a graça perdida. 126). e sendo riquíssimo. Conta-se também na vida de São Bento. Felipe – A Sagrada Tradição – Editora Cléofas . não pôde dar mais. que um dia celebrando a Santa Missa. isto é participar verdadeiramente da Santa Missa. devido sua tendência ainda ao orgulho e desobediência. aprouve a Ele. São Pio de Pietrelcina respondeu: “Durante a Missa. como os Bispos são os sucessores dos Apóstolos tem o mesmo direito. deve nos fazer não só expectadores do Sacrifício de Cristo.br/article/5603/sacramento-da-penitencia “Os Apóstolos receberam. poderia viver também. não soube dar mais.br/article/5583. mas vítimas com a Vítima. Ora. e eles julgam em Seu Nome e em Seu lugar. São Pio não sentia-se apenas no Calvário. Porque a verdadeira participação na Santa Missa. Bento!”. e nada mais significativo o instituir justamente após sua Ressurreição.veritatis. (São Gregório Magno – Papa e doutor da Igreja – AQUINO. não continuaria em estado de pureza e santo em Sua presença. caso caindo em pecado.Lorena: São Paulo – p. Disponível em http://www. sem a qual ninguém O veria. o que tinha como fruto a perda da dignidade de filhos Seus.com. -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es). Para citar este artigo: AZEVEDO. não nos esqueçamos nem um só momento.veritatis. o Espírito Santo para desligar os pecadores da cadeia dos seus pecados. já que estariam todos condenados a viverem longe de Sua face santíssima. que a Eucaristia é nosso grande tesouro de valor infinito. mostrando que como Ele vivia. assim todo homem renascido pelo Batismo. e corte-lhas absolvendo. após ter pronunciado as palavras “Isto é o meu Corpo”.sangrentas dos pés durante a Santa Missa . não estou de pé. Para encerrar . que mesmo depois do Batismo o homem que foi elevado ao estado sobrenatural pela graça. assistindo a Santa Missa. amado Senhor. Precisa de que o Sacerdote lhas corte. Fernanda Carminati. mas ele se pregava a Cruz. é como Lázaro: já vive.com.

Convertei-vos! Afastai-vos do mau caminho que seguis. quer de perdoar os pecados. o que pressupõe o conhecimento do caráter pecaminoso do ato.se cometido com plena consciência. O próprio Senhor de todas as coisas também falou da penitência. o Filho de Deus vindo como o Cordeiro que tira e carrega sobre Si o pecado do mundo. aparece como Aquele que tem poder. mediante um rito próprio. com um juramento: Dize-lhes isto: “Por Minha vida – oráculo do Senhor Javé -. com consciência. sincera e arrependimento se confessa lealmente. Nas mãos e na boca dos Apóstolos. onde a graça invisível seria derramada através de sinais visíveis e sensíveis. que de amigos e filhos. Sempre ouve no meio do povo de Deus um ministro da graça que inspirado pelo Espírito Santo pregaram a penitência. o Papa Paulo VI na Encíclica Lumem Gentium: “Aqueles que se aproximam do Sacramento da Penitência. Catecismo da Igreja Católica n. o poder de perdoar os pecados. a qual. virtude esta que levava os homens. apesar de homens. O Senhor que tinha nascido. vivido e morrido para redimir a humanidade. o Pai depôs misericordiosamente um “ministério de reconciliação”. mas para perdoar e salvar. Nos diz S. o poder inaudito de penetrar tão profundamente no destino dos pecadores. Ao chegar a plenitude dos tempos. O perdão. àqueles a quem perdoardes os pecados. arrependimento e propósito. quer de julgar. Esta é a grande graça de chamada à conversão. O Pai abre seus braços misericordiosos e realmente dá ao homem condições de santificação o tornando apto a vê-lo um dia. e ainda com total consentimento suficientemente deliberado para ser uma opção pessoal”. afasta do redil de Cristo.11). a detestarem seus pecados caso desejassem ser santos diante do Deus Altíssimo. infunde sobre eles o Espírito Santo.22). que eles exercem de maneira singular. mas antes com a sua conversão. que age na pessoa do próprio Cristo. Jesus aparece aos Apóstolos reunidos no Cenáculo e. exemplo e oração. àqueles a quem o retiverdes. de modo que tenha a vida. na Nova Aliança selada pelo sangue de Cristo. . não hesita em conferir aos seus. que tinham ferido com o seu pecado. o Senhor instituiu o Sacramento da Penitência dando à Sua Igreja todo poder de perdoar as ofensas cometidas a Ele. em virtude do poder de agir in “persona Christi”. Ó casa de Israel”?(cf.se com confiança. por amor deste Deus. já que só Deus pode perdoar pecados. contrição verdadeira. obtêm da misericórdia de Deus o perdão da ofensa a Ele feita e ao mesmo tempo reconciliam-se com a Igreja. associando a este dom a missão e o dever. é purificado no sangue de Jesus Cristo. ou seja. tendo como ministro o sacerdote. seu Filho amado que não se poupou por amor a ele. já que todo batizado mesmo que sujo pelo pecado mortal. seus mensageiros.pecado este que rompe a vida divina que faz merecer o céu. Se percorrermos todas as épocas verificamos que em cada geração o Senhor concedeu o tempo favorável da penitência e todos que O escutaram foram santificados e acolhidos. pela caridade. . trabalha pela sua 27 .17) e exatamente por isso. 1859). acontecia pela virtude da penitência. da sua oposição à Lei de Deus. (Cfr. (Jo 3. antes da vinda de Cristo. não Me comprazo com a morte do pecador. Ez 33. o torna inimigo de Deus pela desobediência. ser-lhes-ão retidos” (Jo 20. .que é infinita. é a grande oportunidade para a vida plena e santa. que veio não para condenar. por que haveis de perecer. Na tarde do dia da Páscoa. que é Aquele que perdoa. na plenitude da alegria pascal. com estas palavras: "Recebei o Espírito Santo. ser-lhes-ão perdoados. da comunhão dos santos. S.

é causa meritória e vital pra todos os homens. Ficou então esclarecido que Cristo liberou-nos dos pecados. dia e noite. Santo Agostinho muito inspiradamente vê na ressurreição de Lázaro uma figura do Sacramento da Penitência: “como Lázaro do túmulo. 1295) A condição indispensável para a excelência deste Sacramento é nosso amor a Deus. A Cruz de Cristo se faz presente no momento em que a Graça deste Sacramento é derramada no penitente. principalmente pela sua Paixão. Evang. Th. c – Santo Tomás de Aquino . Enquanto me conservei calado. E assim como o defunto saiu ainda atado. Deus dá um grande grito. entre contínuos gemidos. ordena-se principalmente a duas coisas: a destruir os defeitos dos pecados passados. vossa mão pesava sobre mim. e não mais dissimulei a minha culpa. Donde claramente se conclui que os Sacramentos da Igreja possuem. mirraram-seme os ossos. pois o leva a uma “verdadeira ressurreição espiritual”. 1 . se junta a nós quando recebemos o Sacramento (S. Para que fique desatado dos seus pecados disse o Senhor aos ministros: Desatai-o e deixai-o andar. OSB – p. Por ela iniciou também o rito da religião cristã. a sua gravidade torna-se infinita e por amor Deus o instituiu. Que quer dizer desatai-o e deixai-o andar? O que desatardes na terra será desatado no céu” (In Ioann.Exposição sobre o Credo – Edições Loyola -5@ edição – 2002 – Tradução e notas Dom Odilão Moura. Disse: Sim. Pois. 62 . ”É uma paz que brota da certeza – não de uma esperança insegura – de que os pecados foram perdoados. 115). pois mesmo sendo passados aos atos. Feliz o homem a quem o Senhor não argui de falta. Nos diz São Tomás de Aquino que: ”A graça deste Sacramento e de todos os outros. força esta que. 11) Um dos frutos deste Sacramento. Então eu vos confessei o meu pecado. 5. chama-te com uma graça extraordinária. Jesus se oferecendo. bem como causa satisfatória. Com esta paz. permanece o efeito (a culpa). sais tu quando te confessas. cujo pecado foi absolvido. Nosso amor e nosso arrependimento é portanto condição para o perdão. E vós perdoastes a pena do meu pecado.6). de modo especial. e em cujo coração não há dolo. se bem realizado. também o que se vai confessar ainda é réu. ”Feliz aquele cuja iniquidade foi perdoada. III. esgotavam-se-me as forças como nos ardores do verão. Assim também todo fiel recorrerá a vós. de que a amizade voltou e que o céu está disponível novamente. pois o homem não pode merecer o perdão dos pecados porque. 28 . consequência da restituição da dignidade de filho que é.31. 49. de certo modo. desta vida nova e bendita. oferecendo-se a Si mesmo a Deus como oblação e hóstia (Ef 5). vem ao coração do penitente uma grande consolação. e o fez como causa eficiente e meritória.” (Salmo de Davi . é a paz que brota da reconciliação com o Senhor.conversão” (Lumem Gentium n. já que ao morrer. conforme a religião da vida cristã. a força da Paixão de Cristo. no momento da necessidade. sendo Deus o ofendido. nosso Pai. e dos bens próprios dos quais é a amizade do mesmo Deus. 24 Bílbia de Navarra – Santos Evangelhos p. merece. Pois que quer dizer sair senão manifestar-se como vindo de um lugar oculto? Mas para que te confesses. vou confessar ao Senhor a minha iniqüidade. e a aperfeiçoar a alma com relação ao culto de Deus.

se fica pelo medo do castigo divino ou pela fealdade do pecado). mantendo contudo a sua estrutura fundamental: de um lado. Em conseqüência. mas por meio do Sacramento da Penitência. e a seus legítimos sucessores. mediante esse ministério. do outro. embora este perdão se possa obter também por outros meios. como é o mesmo Batismo aos que ainda não renasceram (Sacrossanto Concílio de Trento. embora sobrenatural. a sua reparação possível é condição a impor) e.Diante de tão claras e precisas palavras de Jesus. passamos a ser novas criaturas Suas. (Prefácio do Cardeal Angelo Soldano sobre Alocuções a uma Carta Apostólica de João Paulo II sobre o Sacramento da Penitência) A Igreja recomenda-o mesmo para o perdão dos pecados veniais. Sessão XIV . O Sacramento da Penitência. mas tão só aos que mediante o Batismo começaram a fazer parte. um é o fruto do Batismo. os atos do pecador penitente: 1) a contrição perfeita (quando o motivo é o amor de Deus. mas convenientemente dos demais. Por séculos ininterrúptos e assim será até que se consuma os tempos. o poder de perdoar ou não os pecados. em 25 de novembro do ano do 29 . esses já não estão sozinhos no mundo. Catecismo da Igreja católica n. fonte de vida divina para todos os seus. mas são como membros de um organismo cujo chefe é Cristo Crucificado e Ressuscitado. instituído no Cenáculo na tarde do dia de Páscoa. absolve o pecador de seus pecados e fixa o modo de satisfazer por eles. todo homem teve e terá a seu alcance o Sacramento da Misericordia. não poderemos chegar de modo algum a esta renovação e integridade sem muitas lágrimas e sacrifícios de nossa parte para solicitar a Divina Justiça. assim. distribuiria as graças aos batizados arrependidos. sendo então suficiente só por si para antecipar o perdão) ou pelo menos a atrição (quando o motivo. entendeu sempre a Igreja universal . e outro é o da Penitência. é tão necessário este sacramento da Penitência aos que pecaram. da mesma forma que o infinito poder de Deus Criador não só age diretamente. depois do Batismo. esvaziam a economia sacramentária e diminuem o próprio e infinito poder do Sacrifício Redentor. perdoa os pecados também hoje com um ato dotado de eficácia atual. como alguns defendem. O Sacramento da Penitência é aquele cuja forma concreta mais evoluiu ao longo dos séculos (cf. que não é a mera comemoração. acolhendo a todos como uma mãe para se formar o povo santo e reconciliado. Dom Manoel Franco – Enciclopédia Católica Popular) Sobre a importância deste Sacramento o Concílio de Trento nos diz: Além disso. a ação de Deus pela intervenção da Igreja (que. tão querido pelo Pai. que desde o momento da instituição deste Sacramento da misericordia. da Igreja e são chamados a viver o seu mistério em plenitude. pelo menos. 2) a confissão íntegra de. no entanto. para sempre. para conseguir a salvação. de modo que por esta razão chamaram os santos padres à Penitência de uma espécie de Batismo de sacrifícios e aflição. pois vestindo-nos de Cristo pelo Batismo.Celebrada no tempo do Sumo Pontífice Júlio III. povo este que Deus espera ser toda a humanidade. pecados graves ainda não confessados. já que Ele a amou até o fim e se entregou por Ela como vítima perfeita. 3) o cumprimento da satisfação ou penitência imposta pelo confessor com eficácia sacramental como compensação pelos danos provocados pelos pecados (no caso de danos reparáveis cometidos contra terceiros. ao reconciliarem-se os fiéis que tenham caído neles depois do Batismo. Mas Jesus. que confere virtude salvífica aos atos sacramentais. conseguindo plena e eterna remissão dos pecados. da satisfação oferecida “semel pro semper” (duma vez por todas) no Calvário: esses não se dão conta de que.esta que é a arca para onde acorre todo homem que crê em Cristo -. e para que isso acontesse foi delegado aos Padres que estiveram em contato com os Apóstolos. por meio do bispo e seus sacerdotes.1447). (FALCÃO. mas confere dignidade de causa às criaturas. destina-se a perdoar os pecados não indiscriminadamente a todos os homens.

Outro efeito do Sacramento da Penitência é devolver-nos os méritos das boas obras que tenhamos feito por amor a Deus e em estado de graça. Além de todos estes bens que o sacramento infunde no penitente. que santificaria todo aquele que d’Ele se achegasse pelas mãos do sacerdote. Que depósito de riquezas em Deus! Dandonos direito a quaisquer graças atuais de que possamos precisar. já que sem ele nenhum homem após haver pecado poderá adquirir o céu. já que ele. pelo perdão que concede aos homens. que aumenta o conhecimento próprio. desejo de santidade. Fora a paz que trás ao penitente. restituindolhe a graça santificante e concedendo-lhe especial “graça sacramental” que o ajuda na luta para não recair nos pecados cometidos. que fortalece a alma a participacao da vida divina pela qual esta unida a Deus. combate a negligência e tibieza espiritual. que nasce da dívida de satisfação que se contrai com Deus. os torna seres deiformes. Estas penas que seriam pagas no purgatório são diminuidas pela graça do sacramento aliada a orações. introduzido pela Igreja sob a inspiração do Espírito Santo. pois estaria definitivamente longe de Deus na eternidade. aumentar a graça santificante e de perdoar pecados mortais e veniais (que neste caso se recebe um incremento de graça santificante. e que confia e sabe que Cristo deixou uma Igreja onde estaria ali o depósito de suas graças. fortifica a vontade. portanto devem também ser confessados. Portanto. “Toda força da penitência reside no fato de ela nos reconstituir na graça e de nos unir a Deus com a máxima amizade” (Catecismo Romano 2. e como ela é todo bem distribuido por Deus aos homens. o que nos confirma S. É um sacramento que depende muito da colaboracão do penitente. mortificações e outras obras feitas em estado de graça. Portanto o Sacramento da Penitência reconcilia a alma com Deus ao mesmo tempo que perdoa os pecados. que nos ajuda abundantemente a rejeitar o mal e buscar solidamente o bem. Este digno Sacramento além de restaurar. deve-se reconhecer pecador e falho. da confissão frequente. É a chamada graça 30 . cujo fim é o inferno.Senhor de 1551 . Além disso o ajuda a crescer em graça. desenvolve a humildade cristã. 18). Portanto é condição para se obter a salvação. S. caminho de reconciliação com Deus. 5. que merece-nos um aumento de graça nesta vida. ele apaga também parte da pena temporaldevida ao pecado. ao fazer da santa Confissão. de glória no céu e que foram perdidos pelo pecado mortal. antes de tudo. apesar de terem outros meios para te-los perdoados). o Sacramento da Penitência. o Papa Pio XII em sua Encíclica Misticis Corporis: “Para progredir mais rapidamente no caminho da virtude. presta-se à direção espiritual e por virtude do mesmo sacramento aumenta a graça” (Bíblia de Navarra – Evangelho de João – p. destina-se primariamente a perdoar ao pecador arrependido os pecados graves.Doutrina do Santo Sacramento da Penitência). o Sacramento da Penitência deve ser entendido como um grande bem que requer fé e sobretudo disposição. purifica a consciência. recomendamos vivamente o pio uso. desejo de fazer em tudo a vontade de Deus que é fonte de sabedoria. desairraiga os maus costumes. o grande presente da Páscoa à Sua Igreja. 1426) Porque Nosso Senhor deseja que todos alcancem o céu. usufurir deste Sacramento . aptos a realizarem atos sobrenaturais com méritos de vida eterna e santidade. no caso dos pecados mortais é cancelado o castigo eterno que são consequências deles. recompensa para aqueles que permanecerem de pé com o auxílio de Cristo e de Sua graça. desejou que ele deva ser antes de tudo. mesmo depois de terem sidos perdoados. o que resultaria no fim triste para este homem caso viesse a morrer com ele.

Conforme mandamento da Igreja. com todo sentido da sua culpabilidade e da sua confiança em Deus. é necessário o antídoto para se curar e tal é a graça conferida pelo Sacramento da Penitência: ”Ele perdoa todas as suas faltas. com o que ele propõe aos filhos de Deus. A confissão individual e íntegra e a absolvição constituem o único modo ordinário pelo qual o fiel. É o direito a um encontro mais pessoal do homem com Cristo crucificado que perdoa. e para fazer uma confissão frutuosa é preciso que se faça um exame de consciência bem feito levando em conta os mandamentos do Senhor.1457). tendo no coração um arrependimento sincero. e. participantes na celebração penitencial. por meio do ministro: “ São-te perdoados os teus pecados”. que corresponde à verdade interior do homem. consciente de pecado grave. se reconcilia com Deus e com a Igreja. podo-se diante d’Ele. pelo nosso sim e amor arrependido. A Igreja. Aquele que tem consciência de ter cometido um pecado mortal não deve receber a Sagrada Comunhão.aventurados os que tem fome e sede de justiça.3). Muito embora a comunidade fraterna dos fiéis. dos quais tem consciência. isto é ao mesmo tempo o direito do próprio Cristo em relação a todos e a cada um dos homens por Ele remidos. todavia. a um sacerdote da Igreja e a penitência proposta. na vida espiritual pode-se também adoecer pelo pecado. João Paulo II em sua Carta Apostólica Misericórida Dei). Assim como na vida corporal as pessoas ficam doentes. pois é remédio pra toda doença espiritual. afirma expressamente a sua fé no ministério da Redenção. definitivamente é necessario que neste ato se pronuncie o próprio individuo. como realidade viva e vivificante. que te cura de todas as tuas doenças”(Sl 102. é obrigado a confessar seus pecados graves. nossa relação com Ele. a fim de que aos mesmos se ofereça a oportundade de se confessarem individualmente em dias e horas que lhes sejam convenientes”(S. a confissão propriamente dita feita. seja muito útil para o ato de conversão pessoal. ao manter o Sacramento da Penitência. no qual o homem não pode ser substituído pelos outros. É o direito de encontrar-se com cada um de nós naquele momemto-chave da vida humana. que é o momento da conversão e do perdão. Isto só é possível graças ao infinitos méritos de Jesus Cristo conquistados na cruz e que neste Sacramento damos a Deus Pai. corresponde à humana culpabilidade e também aos desejos da consciência humana. desde que se faça bom uso e de acordo. com Cristo que diz. tem cura da almas. com a Igreja e com o mundo em que vivemos -. depois de ter chegado à idade da discrição. que a conversão é um ato interior de uma profundidade particular. As crianças devem confessar-se antes de receber a Primeira Eucaristia (Catecismo da Igreja Católica n. não pode fazerse “substitur”pela comunidade. para confessar: “Pequei conta Vós”. “vai e doravante não tornes a pecar”. que se caracteriza numa aversão ao pecado e desejo de santidade. S. A Penitência . “Bem. podendo neste caso obter-se a reconciliação também por outros meios e por isso. em razão do ofício. “Não podemos esquecer. de forma individual. defende o direito particular da alma humana. com os irmãos. porque serão saciados” (S.sacramental que nos fortifica para não cairmos em pecado e que é ao mesmo tempo remédio que cura e fortalece. a chance de partilhar conosco estes bens maravilhosos. está obrigado a providenciar para que sejam ouvidas as confissões dos fiéis que lhe estão confiados e que de modo razoável peçam para se confessar. mesmo que esteja profundamente contrito. `a semelhança do salmista. Como é evidente. ”somente a impossibilidade fisica ou moral o escusa desta forma de confissão. a menos que tenha um motivo grave para comungar e lhe seja impossível chegar a um confessor. se não tomarem remédio. propósito de não mais pecar. morre. “todo aquele que. pelo menos uma vez por ano". com toda profundidade da sua consciência.S. Por este motivo. "todo fiel. sem receber previamente a absolvição sacramental. Papa João Paulo II – Carta Encíclica 31 .

Para ouvir a confissão se requer. de modo que os penitentes. mas com reverente assombro – aquelas palavras: “Quem é este que até perdoa pecados?” (Lc 7. ouve a palavra do sacerdote. tendo-se em vista o número dos penitentes. Pede-se ao sacerdote." (Catecismo da Igreja Católica. o propósito de confessar individualmente seus pecados no devido tempo (Código de Direito Canônico . 961). põe nos lábios do sacerdote”E a nós pecadores. cura e sara em nome de Cristo. 1483) O Ministro da Penitência: Só um Bispo ou um presbítero. Cân. o poder de jurisdição. ministro de Cristo. que julga e absolve. que sofre com os remorsos e que. que no Sacramento da Penitência empresta a voz para Cristo . cân. Esta jurisdição é o poder público de reger os fieis em ordem à vida eterna. desempenhamos o encargo de embaixadores de Cristo. Sua Santidade o Papa Pio XI escrevia: ”quando vemos um homem exercer esta faculdade (perdoar os pecados) não podemos pelo menos deixar de repetir – não com escândalo farisaico. que tenha grande compreensão e compaixão.cân. pode-se recorrer à celebração comunitária da reconciliação com confissão e absolvição gerais. já que ele mesmo tem que ter a consciência de sua própria debilidade. os fiéis devem ter. O Sacerdote é representante na terra deste canal de graça. 872) . Daí brota uma grande consolação para o homem culpável. Cabe ao Bispo diocesano julgar se os requisitos para a absolvição geral existem (CDC. A necessidade grave pode também apresentar-se quando. Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus”(2Cor 5. servos Teus…”O Sacerdote compadece-se e é compreensivo porque ”ele próprio está rodeado de debilidade”. ”É Deus quem em Cristo. além do poder da Ordem. não havendo confessores suficientes para ouvir devidamente as confissões individuais num tempo razoável.24). sem culpa de sua parte.cân.49). a necessidade de purificação que sente a consciência humana.19-20). Foi o Homem-Deus que tinha e tem o “poder de perdoar os pecados na terra” (Lc 5. quem quis transmiti-lo aos Seus sacerdotes para encher com a liberalidade da misericórdia divina. porque o sacerdote é juiz que pronuncia a sua sentença. e é Deus mesmo que exorta por nosso intermédio. para a validade da absolvição. Nesse caso. reconciliava consigo o mundo. não levando em conta os pecados dos homens . Mas é Cristo quem absolve. e pôs em nossos lábios a mensagem da reconciliação. 961. 962. Um grande concurso de fiéis por ocasião das grandes festas ou de peregrinação não constitui caso de tal necessidade grave (Código de Direito Canônico . no Cânon romano da Santa Missa.1). se veriam privados durante muito tempo da graça sacramental ou da sagrada Eucaristia. Esta necessidade grave pode apresentar-se quando há um perigo iminente de morte sem que o os sacerdotes tenham tempo suficiente para ouvir a confissão de cada penitente. Ouvir isto da boca de alguém que por sua vez terá a necessidade de pedir as 32 .Redemptor Hominis) "Em casos de necessidade grave. depois do verdadeiro julgamento (Cfr. que em nome de Deus lhe diz: ”Eu te absolvo dos teus pecados”. Por isso a Igreja. Portanto. arrependido.1).

por nenhuma causa. mas inclui sempre também uma ferida no seio da comunhão eclesial. 2) a absolvição em nome de Deus. no rito da Santa Missa. Também não pode fazer uso do conhecimento da vida dos penitentes adquirido pela confissão. simultaneamente. O sigilo do Sacramento da Reconciliação é sagrado e não pode ser traído sob nenhum pretexto. os fiéis se encontram imersos numa cultura que tende a cancelar o sentido do pecado. uma catequese autêntica acerca do sentido da Eucaristia não pode ser separada da proposta dum caminho penitencial (1 Cor 11. Na realidade. a Reconciliação é um batismo laborioso (laboriosus quidam baptismus). a Igreja declara que todo sacerdote que ouve confissões é obrigado a guardar segredo absoluto a respeito dos pecados que seus penitentes lhe confessaram. não é lícito ao confessor revelar o penitente. da misericórdia de Deus. Por causa da ligação entre ambos os sacramentos. ou de qualquer outro modo. 3) e a imposição da penitência ou satisfação. explicitam a consciência do próprio pecado e.o próprio Deus . sublinhando assim que o resultado do caminho de conversão é também o restabelecimento da plena comunhão eclesial. Além disso. somos filhos amados e temos a graça de um tesouro maravilhoso . n. É muito útil para os fiéis recordar-lhes os elementos que. Por isso. "O sigilo sacramental é inviolável. a relação entre a Eucaristia e a Reconciliação recorda-nos que o pecado nunca é uma realidade exclusivamente individual. que se exprime no abeirar-se novamente da Eucaristia” (Exortação Apostólica Pós-Sinodal Sacramentum Caritatis de S. 2490) Eucaristia e Sacramento da Reconciliação “Os padres sinodais afirmaram. Este segredo. não degrada o dom misericordioso de Deus.mesmas palavras a outro sacerdote. Enfim. 27-29). que o amor à Eucaristia leva a apreciar cada vez mais também o sacramento da Reconciliação. com palavras. chama-se "sigilo sacramental". Papa Bento XVI Sobre a Eucaristia). 1464) São atos do ministro dotado do poder de absolver (cf. Constatamos — é certo — que. na qual nos encontramos inseridos pelo Batismo.em nossas almas. Diante da delicadeza e da grandiosidade deste ministério e do respeito que se deve às pessoas." (Catecismo da Igreja Católica n.S. 6 – Sobre o Sacerdócio Católico) Os sacerdotes devem incentivar os fiéis a receberem o sacramento da Penitência e devem mostrar-se disponíveis a celebrar o sacramento cada vez que os cristãos o pedirem de um modo conveniente (Catecismo da Igreja Católica n. que não admite exceções. no nosso tempo. favorecendo um estado de espírito superficial que leva a esquecer a necessidade de estar na graça de Deus para se aproximar dignamente da comunhão sacramental. justamente. a perda da consciência do pecado engloba sempre também uma certa superficialidade na compreensão do próprio amor de Deus. já que através da frágil criatura se vê na mão de Deus que opera este prodígio” (Carta Encíclica -Ad Catholici Sacerdotti. sob penas severíssimas. como diziam os Padres da Igreja. por isso. mas apesar disso lembremo-nos que fomos feitos pela 33 . CDC 965-986): 1) o juízo sobre a acusação. porque o que o penitente manifestou ao sacerdote permanece "sigilado" pelo sacramento. mas sublima-o.

Disponível em http://www. 34 . por isso precisamos nos recompor neste Sacramento de amor. com a mesmo direito a herança. Fomos Batizados na Esperança (Santo Agostinho. Ana Maria Bueno. Para citar este artigo: CUNHA.br/article/5603. Mons. através de Sua Igreja. levando Deus na alma. Apostolado Veritatis Splendor: SACRAMENTO DA PENITÊNCIA.veritatis. podiam viver ao mesmo tempo. dando-nos roupa nova e pondo em nossos pés as sandálias para que sigamos confiando sempre em Sua misericórdia que é eterna. Bispo de Hipona e Doutor da Igreja) e ela nos faz caminhar. para vivermos na alegria de Sua casa. Escrivá de Balager ensinava que “os cristãos. O perdão está disponível e o Pai ansioso na estrada a nossa espera para que retornemos de onde nunca deveríamos ter saído. “Acheguemo-nos a Deus e Ele se achegará a nós. mas sabendo que somos do mundo e que somos terra. buscando agradar em tudo nosso Senhor. -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es). Amém. para que tanhamos a vida.é promessa de Deus e nela confiamos agradecidos. onde insiste em colocar em nossos dedos o anel. comprada a preço de Seu sangue precioso . que não exitou em dar-nos seu Filho e para com Ele nos fazer filhos.argila e podemos nos quebrar com facilidade. com a fragilidade própria do que é da terra: um púcaro de barro que o Senhor Se dignou aproveitar para o Seu serviço”. desde que deixemo-nos conduzir pelo seu Espírito Santo. eudeusados. "no Céu e na Terra”. apesar das lutas contra o mal. Ele que é a videira verdadeira e nós como ramos permaneçamos ligados a Ela.com. Vivemos no tempo do cumprimento das promessas onde Deus tem-se deixado encontrar e não exita em carregar nos ombros nossas dores e fragilidades. Desde 04/02/2009.

isto é a Sociedade dos cristãos unidos a Cristo. 35 .4.25). . vem muito a propósito fazermos algumas reflexões sobre o nosso Baptismo *************** Pelo Baptismo tornamo-nos Filhos de Deus !. que ultrapassa todos os limites naturais ou humanos das nações. O Baptismo. ficando a fazer parte do Corpo Místico de Cristo.O Baptismo incorpora na Igreja. das culturas..13). Assim feitos Povo de Deus pelo Baptismo. (1 Cor. para formarmos um só corpo. acaso não somos nós membros uns dos outros?(Ef. É pelo Sacramento do Baptismo que entramos na Comunidade do Povo de Deus. das raças e dos sexos : Por isso é que todos nós fomos baptizados num só Espírito. Das fontes baptismais nasce o único povo de Deus da Nova Aliança. como nos diz o Catecismo da Igreja Católica : 1267. Portanto.. e só ele.O Baptismo faz de nós membros do Corpo de Cristo. "Desde então…. dá-nos o direito de nos dirigirmos a Deus e chamar-Lhe Pai Nosso. recebe um pequeno pagão. através do Pároco.FILHOS DE DEUS PELO BATISMO Autor: John Nascimento Fonte: Lista Exsurge Domini Transmissão: Rogério Hirota Ao celebrarmos a festa do Baptismo do Senhor. ficamos também a fazer parte da Orgânica Pastoral e Litúrgica. como é a Igreja local onde ficamos inscritos.. dentro da liturgia baptismal. 12 . O Baptismo incorpora-nos na Igreja porque somos baptizados num só Espírito e formamos um só corpo. a Igreja. e da burocracia de uma sociedade perfeita.

O Baptismo é. vigiaremos.. Também pelo Baptismo nós recebemos a vida Sobrenatural. também por amor.2..5). Sem o Baptismo não podemos receber a Amizade de Deus. sem nada fazermos para a merecermos e sem sermos consultados. Deus comunica-nos a Vida Sobrenatural no Baptismo. para anunciar a todos os outros cristãos da Paróquia que já têm mais um irmão. quando for necessário. tocam os sinos festivamente... que recebeu de seus pais a vida natural. um Dom gratuito do amor de Deus.(1Pe. . 36 .. Depois do Baptismo. Os pais comunicam a vida natural aos seus filhos por um acto de amor mútuo. Como não há Dom de Deus tão necessário para a nossa salvação como o Dom da Sua Amizade. É como se dissessem : .. após o nascimento. . Nós prometemos que ela será fiel ao seu Baptismo.. um sacerdócio santo".. ainda não cometeu qualquer pecado..Podeis recebê-la.. e sem ela não nos poderemos salvar.. É Deus a querer dar-nos a Sua Amizade e a Igreja a tentar impedir a nossa condenação eterna. não pode receber deles a Vida Sobrenatural. pode extinguir-se. regenerado pelas águas do Baptismo e a convidá-los a dar graças a Deus por o ter recebido como filho.. mas um amor infinitamente maior.Os baptizados tornam-se "pedras vivas" para a "edificação dum edifício espiritual. sem serem consultados. um Dom necessário para nossa salvação eterna. como nos diz ainda o Catecismo da Igreja Católica : 1268. ela. para o seu futuro. bem contra a nossa vontade. E tudo decorre num ambiente de fé e alegria porque é mais um irmão que entra na Família. e como a nossa vida. A criança acabada de nascer.. como nós. sem nada fazerem para isso. todavia. pois.. O Baptismo é. pois. Assim como os filhos receberam a vida natural de seus pais. a Igreja manda que o Baptismo seja administrado o mais brevemente possível. de um momento para o outro. A partir do Baptismo cada cristão é uma pedra viva para a edificação de um edifício espiritual e fica a fazer parte do sacerdócio comum dos fiéis. É mais um filho de Deus.A criança é apresentada pelos Pais e pelos Padrinhos que se comprometem por ela.

5). . Podemos chamar a Deus Senhor. É aqui que está toda a explicação. .1. "O que não renascer da água e do Espírito Santo. pelo seu trabalho e pelo seu estudo se tomou médico. embora tivéssemos uma alma imortal e tivéssemos sido criados por Deus e à semelhança de Deus.11). Por isso. mas apenas Suas Criaturas. pintor célebre.“Aos que receberam Cristo. Também nós. (Jo. Ora isto significa que antes não o era. O Baptismo faz-nos filhos de Deus e membros da Igreja. engenheiro. Somos Filhos de Deus mas não é apenas porque Deus nos criou. etc. os animais e as plantas e não dizemos que são filhos de Deus. ordenou aos Seus discípulos que anunciassem o Evangelho e baptizassem todas as nações.Será por isto que somos Filhos de Deus ? Também não. (Jo. A Igreja não conhece outro meio senão o Baptismo para garantir a entrada na bemaventurança eterna.3. Ele deu o poder de se tornarem Filhos de Deus”. se nos tomamos Filhos de Deus pelo Baptismo é porque antes o não éramos. tem cuidado em não negligenciar a missão que recebeu do Senhor : de fazer "renascer da água e do Espírito" todos os que podem ser baptizados. não podem entrar no Céu sem ele. É esta a expressão mais bela do Evangelho.. porque só o homem tem uma alma imortal.“Aos que nasceram de Deus. Criador. Há uma grande diferença entre o homem e as outras criaturas. O Baptismo é tão necessário à salvação que as crianças.11). mas Ele mesmo não está ligado aos seus sacramentos..O próprio Senhor afirma que o Baptismo é necessário para a salvação. S.Eis o que nos diz o Catecismo da Igreja Católica : 1257. mesmo sem terem feito qualquer pecado. O Baptismo é necessário para a salvação de todos aqueles a quem o Evangelho foi anunciado e que tiveram a possibilidade de pedir este sacramento. Ele deu o poder de se tomarem Filhos de Deus”. . mas não lhe podemos chamar Pai antes de sermos baptizados. pois que é pelo baptismo que nos tomamos Filhos de Deus.1. Diz-nos o Catecismo que o Baptismo nos faz filhos de Deus. Mestre. (Jo. Por isso. Dizemos de alguém que. Também Deus criou a aves. João diz : . não pode entrar no reino dos céus". Deus ligou a salvação ao sacramento do Baptismo. 37 .

.Porque é que a água que produz a vida sobre a terra. A Água é um elemento tão importante como indispensável à vida do corpo. ao benzer a Agua Baptismal. Dizia Tertuliano : . Como é que celebramos o dia aniversário do nosso Baptismo ? . 38 . foi a Água. diz estas palavras: . não há-de dar a vida do Céu ? Na Vigília Pascal.Nascemos de nossos pais pela vida natural. para dar a vida eterna àqueles que hão-de renascer. mas é necessário Renascer para ficarmos a fazer parte da Família de Deus.Tu sabes qual o dia em que foste baptizado ? O BATISMO Autor: John Nascimento Fonte: Lista Exsurge Domini Transmissão: Rogério Hirota Pela Água e pelo Espírito Santo O meio que Jesus nos deixou para operar esta grande maravilha do renascimento é o Baptismo. Os sábios da antiguidade pensavam . o Sacerdote. O sinal sensível escolhido por Jesus para nos tornar Filhos de Deus.Que esta fonte seja santificada e fecundada.e os modernos ainda são da mesma opinião que toda a vida vem da água.

incapazes de participar nele. Não pode consagrar o Pão e o Vinho ou perdoar os pecados. quando seus filhos acabavam de ser baptizados. Porque os baptizados receberam um sacerdócio subordinado e colectivo é que eles podem e devem. Os cristãos são.. dá ao mundo. responder Amen. carinhosa e fecunda que dá a própria vida de Cristo. é sempre o mesmo mistério. cristãos. outrora. outros Cristos. todos os que se tornam membros da Igreja pelo Baptismo. O nome de cristão significa : O que recebeu a unção (Crisma). pois. É absolutamente necessária a consagração baptismal para participar no culto e para receber os outros Sacramentos. A consagração baptismal permite aos fiéis. tornam-se simultaneamente Reis e Sacerdotes com Cristo. isto é. como participar nela. sob a invocação.Claro que ele não é Sacerdote no sentido estrito. renascer. S. tomava-os nos braços com santa alegria e beijava-os ternamente. conferiu à Água o poder de perdoar o pecado. estarem em sua casa quando estão na Igreja. sob a invocação da SS. portanto. Sacerdócio Eterno de Cristo A Igreja não é uma sociedade vulgar. rei de França. dar a vida (vida eterna). não só assistir à Santa Missa. o sacerdócio do leigo ? . dizendo: 39 . antes de começar o Ofertório. Trindade.Fecundar. «Em que consiste. Este grande mistério é muito especialmente representado pela unção com o óleo santo do Crisma. o mistério do nascimento. Por essa razão. mas foi consagrado para celebrar. ratificar as orações do Sacerdote. eram também incapazes de oferecer o Sacrifício. os que foram consagrados pela unção do Crisma. (e ainda hoje na preparação de adultos para o baptismo). ela é mãe verdadeira. consagrado pelo Sacramento da Ordem. Esta unção manifesta o carácter que imprime na alma do baptizado uma semelhança indelével com o sacerdócio eterno de Cristo Diz S. Eu te baptizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. do Espírito Santo. Jerónimo que o sacerdócio do leigo é o Baptismo. Luís. eram convidados a sair. os não baptizados (Os Catecúmenos). isto é.. Portanto. em conjunto com todos os outros cristãos. sob a presidência do sacerdote». Quando Jesus entrou no Jordão para ser baptizado por João Baptista. o culto divino. Além de indignos.

Estes são. . se esforçam sem o poderem conseguir. A doutrina dos Sacramentais é tratada no Catecismo da Igreja Católica a partir do Nº 1667 e começa com a sua definição."Cristo Senhor. fez do povo novo «um reino de sacerdotes para o seu Deus e Pai». os que. toma-se parte na vocação única deste povo : na sua vocação sacerdotal . Deus seja louvado para sempre ! Apóstatas não são apenas aqueles que negam a sua religião. se torna motivo da sua condenação. por apagar a sua Filiação Divina que. Por meio deles.Ao entrar no povo de Deus pela fé e pelo Baptismo. Diz-nos o Catecismo da Igreja Católica : 784. São-no também os que esquecem e calcam aos pés as promessas do seu Baptismo. e se obtêm pela oração da Igreja.Meu filho querido! A todo o momento tu és meu filho. mas agora. em vez de ser uma garantia da sua salvação.. pela regeneração e a unção do Espírito Santo. dispõem-se os homens para a recepção do principal efeito dos Sacramentos e santificam-se as várias circunstâncias da vida”(SC 60). os baptizados são consagrados para serem uma casa espiritual.Na verdade. sumosacerdote escolhido de entre os homens. à imitação dos Sacramentos. sobretudo de ordem espiritual. de harmonia com a doutrina da Constituição do Concilio Vaticano II sobre a Santa Igreja. 40 . sacerdócio santo (LG 10)" OS SACRAMENTAIS Autor: John Nascimento Fonte: Lista Exsurge Domini Transmissão: Rogério Hirota em 27/Nov/2008 Diz o Catecismo da Igreja Católica : 1667. – “A Santa Mãe Igreja instituiu também os Sacramentais. . sinais sagrados que significam realidades. pela sua incredulidade e vida desregrada. tornaste-te filho de Deus.

(SC 61). preparam para receber a graça e dispõem para cooperar com ela.(ex opere operantis). como a imposição da mão. * Os sacramentos conferem a graça por si mesmos (ex opere operato). * A graça dos sacramentais depende das disposições dos que os recebem e da intercessão da Igreja. presbíteros ou diáconos). que deriva do mistério pascal da Paixão. há certas bênçãos que podem ser presididas por leigos. à cultura e à história próprias do povo cristão duma região ou duma época. Morte e Ressurreição de Cristo. como bênçãos de pessoas. 1166. Porém. Diferem dos Sacramentos : * Quanto à sua instituição. muitas vezes acompanhada dum determinado sinal. Por isso. bem como do uso de coisas úteis ao homem. “Portanto. Segundo as decisões pastorais dos bispos. – Os Sacramentais não conferem a graça do Espírito Santo como os Sacramentos. a liturgia dos Sacramentos e Sacramentais faz com que a graça divina. santifique todos os passos da vida dos fiéis que os recebem com as devidas disposições. Os sacramentais podem ser : * Objectos. segundo as normas dos livros litúrgicos e a juízo do Ordinário do lugar. * Acções. podem também ser administrados por leigos. quanto mais uma bênção disser respeito à vida ecelsial e sacramental. bem como interpretar os já existentes e aprovar as fórmulas para a sua administração. – Vêm na sequência do sacerdócio baptismal : todo o baptizado é chamado a ser uma “bênção” e a abençoar. pela oração da Igreja. o sinal da cruz. como água benta. medalhas. e exorcismos : Assim o diz o Catecismo da Igreja Católica : 1668 . rosários. Assim o diz o Catecismo da Igreja católica : 1670 . mas. A ela se deve também que não deixe de poder ser orientado para a santificação dos homens e para louvor de Deus o bom uso das coisas materiais”. dotados das qualidades devidas : Assim o diz o Catecismo da Igreja Católica : 1669 . escapulários. de circunstâncias muito variadas da vida cristã. de objectos e de lugares. alguns. podem também corresponder às necessidades. Cristo instituiu os Sacramentos enquanto a Santa Sé é que pode instituir ou abolir os sacramentais. mais a sua presidência será reservada ao ministério ordenado (bispos. – São instituídos pela Igreja com vista à santificação de certos ministérios da mesma Igreja. 41 . Embora os ministros dos sacramentais sejam os clérigos munidos do devido poder. de certos estados de vida. da mesa. a aspersão da água benta (que recorda o Baptismo).O Código do Direito Canónico apresenta a mesma doutrina a partir do Cân... onde vão buscar a sua eficácia todos os Sacramentos e Sacramentais. Só a Santa Sé pode estabelecer ou abolir os Sacramentais. Incluem sempre uma oração.

o batismo: sem nos deixar formar pela Igreja não podemos nos tornar cristãos”. “Um cristianismo ‘feito por si mesmo’ – as palavras do Papa – é uma contradição”.br/conteudo/article. necessita do outro. que aconteceu na Sala Paulo diante de mais de 5 mil pessoas. Abordando o tema paulino de Cristo como “novo início da história”. Ninguém pode se tornar cristão por si mesmo. “Mas também esta comunidade – acrescentou logo em seguida. Bento XVI – que falou quase o tempo inteiro deixando de lado o texto escrito – lembrou que a palavra “batizado” é “um passivo: ninguém pode batizar a si mesmo. seguindo as próprias idéias e os 42 . tornar-se cristão é um passivo: só através de um outro podemos ser cristãos. É o que afirmou o Papa na catequese da audiência geral da hoje. “criatura nova” em São Paulo. referindo-se à Igreja – não age por si mesma.com. “É da Igreja – afirmou o Santo Padre – que recebemos a fé. PAPA BENTO XVI ENSINA: " NINGUÉM PODE BATIZAR A SI MESMO!" Autor: Papa Bento XVI Fonte: http://www.verbonet. e sobre o conceito de “home novo”. 10 dez (SIR) – “Ninguém pode batizar a si mesmo”.* Os sacramentos da Igreja católica são apenas sete e o número de sacramentais é variável.php/20081210111442340 Cidade do Vaticano. e este outro que nos dá o dom da fé é em primeira instância a Igreja”. porque “só Cristo pode construir a Igreja”.

ainda há lugar para “um exame de consciência para todos nós”. por amor e por semelhança. AS PRESENÇAS DE CRISTO Autor: Dr. O segundo aspecto sobre o batismo que aparece nos textos paulinos. é que “a natureza faz parte do sacramento”. e de modo mais especial. mas também. é o verdadeiro doador dos sacramentos”. “Tornar-se cristãos – lembrou o Santo Padre – é mais que uma cirurgia plástica ou um tratamento cosmético que acrescente algo a uma vida mais bonita: é um novo início e um renascimento”. e em todos os seres.com.próprios desejos: só Cristo pode constituir a Igreja. Nesta perspectiva.veritatis. pela ubiqüidade. para quem.br/article/3596 Saiba mais: Catecismo da Igreja Católica. explicou o Papa.e. 1) Presença de Cristo em todas as coisas. diferenciarmos os modos pelos quais Deus Se faz presente nas coisas. comentou o Papa. “o batismo é mais que uma purificação: é morte e ressurreição”.. implica o cosmos”. 1365-1381 Importa. 43 . por Sua ubiqüidade ou onipresença. 2) Presença de Cristo em todos os homens. nesta perspectiva. em todos os lugares. “Assim podemos caminhar numa nova vida”. antes de tudo. para o Papa. i. pecadores ou justos. Isto significa que “o cristianismo não é algo puramente espiritual. em virtude de seu poder. implica o corpo. nos lugares e nos seres. Rafael Vitola Brodbeck Publicação original: Maio de 2006 Extraído: http://www.

na natureza divina. ou melhor. aquele que morreu. Embora Deus esteja em sua Sua substância.3) Presença de Cristo nas almas dos justos. recuerda esta clásica doctrina: «Dios se halla presente a todas las cosas. uma vez que um de Seus atributos é a imensidão ou ubiqüidade.. Feitas essas diferenciações. por la que establece con ellos una profunda amistad deificante. não tendo ela substância divina. por alto. No ser humano. nos doentes. da de Deus. mesmo pecador. na oração de sua Igreja. la presencia de gracia. ontológico. 27. "Tu estavas comigo. é a mesma presença divina com a qual o Senhor está em todas as coisas. Divinum illud munus: STh I. nos ministros. 1373) Em todas as coisas. Pe. 6) Presença de Cristo na Santíssima Eucaristia pela realidade e pela substância. pela graça.3). chamada inabitação. Deus está presente também pela ubiqüidade. mas participa. mui significativamente.20). Toda la obra misericordiosa del Padre celestial. seres e lugares. por esencia. de modo excelso. Pero la Revelación nos descubre otro modo por el que Dios está presente a los hombres. que confunde o Criador com os seres criados. mas por antonomásia. dos quais ele é o autor. mas não eu contigo..e. citando a Santo Tomás.'" (Cat. pela inabitação.34).. quer no céu quer no purgatório. Sin ese contacto entitativo." (Santo Agostinho. 4) Presença de Cristo nas páginas das Sagradas Escrituras. 38) Ainda assim. permanente. nos pobres. Pe. faz-Se presente Deus. toda la obra de Jesucristo. "A pesar del pecado de los hombres. aquele que está à direita de Deus e que intercede por nós' (Rm 8. las criaturas hubieran recaído en la nada. decorre da inabitação. também chamada onipresença. por presencia. "'Cristo Jesus. no sacrifício da missa e na pessoa do ministro. que ressuscitou. pela graça santificante. Conf. esta presença é inferior àquela efetuada por Deus mediante a graça. Dios siempre ha mantenido su presencia creacional en las criaturas. i. José. presença essa que se chama. León XIII. 5) Presença de Cristo na assembléia dos fiéis. mediante a graça santificante. a presença de Deus no justo.8. 44 . não como se nas outras Ele não estivesse real ou substancialmente presente. IRABURU. espiritual. uma vez que é reunião de almas dos justos e. es decir. Em outro. Mas 'sobretudo (está presente) sob as espécies eucarísticas. nos presos. 'lá onde dois ou três estão reunidos em meu nome' (Mt 18. en cuanto se hallan sujetas a su potestad. convém recordar o que. Síntesis de la Espiritualidad Católica. De fato. sob pena de cairmos no erro do panteísmo. pois o homem é Sua imagem e semelhança. no altar. en cuanto todas están abiertas y patentes a sus ojos. é uma participação na vida divina. nos sacramentos. y está en ellas "por potencia. pelo uso que deles se faz. se consuma en la comunicación del Espíritu Santo a los creyentes. nela não se convertem as substâncias das coisas onde Ele está presente em virtude de Seu poder. A substância de cada criatura permanece a mesma. dos que estão em estado de graça ou já se encontram salvos. ou seja. em certos sacramentais. nas imagens. por isso. passemos à consideração de cada uma dessas maneiras de Deus fazer-Se presente. está presente de múltiplas maneiras em sua Igreja: em sua Palavra. lugares e seres. é uma presença mais íntima. José María." (RIVERA. porque en todas ellas se halla él como causa del ser"» (enc. X. Em certo sentido. Fundación Gratis Date) "Para melhor entender a natureza e efeitos desse dom. Não muda o homem sua substância.

senão que habita nela como em seu templo. desejá-lo e buscá-lo. Cristo é Deus. isto é. e disso se segue aquele mútuo amor pelo qual a alma está intimamente presente diante de Deus. e por essência. 3) Em virtude da Encarnação. 42) Santo Tomás de Aquino explica: "O especial modo da presença divina própria da alma racional consiste precisamente em que Deus esteja com ela como o conhecido naquele que o conhece e o como o amado no amante. fundada na caridade e realizada pela graça.. Cada ser conserva sua substância própria. Deus está presente.. algo da substância divina. sem alteração da substância própria do homem. nem fazer-lhes participar de Sua natureza divina). 15. duas naturezas em uma só Pessoa.." (S.. Ad Eph. porque em todas se acha como causa de seu ser. a. que é puro espírito. Deus não está presente na pedra ou na árvore de modo a fazê-las participar de Sua divindade. não só a divindade como a humanidade do Salvador estão presentes. como em seu templo.. Sua semelhança com o Criador se dá pela participação da perfeição divina enquanto tem. A pedra é pedra. Antes mesmo de tornar-se carne. fazendo-a participar da vida divina. No homem em estado de graça (e nos anjos do céu). por isso.). conhecendo e amando. mas. se diz que Deus não só é na criatura racional.. já que é segundo a natureza amar o bem. o homem não é Deus por estar Este presente naquele.) propriamente se chama inabitação (. "Deus mora secretamente no seio da alma" (São João da Cruz. quando nos referimos à onipresença. está na alma do justo de forma mais íntima e inefável. Ainda nesta. a substância. como Deus. 45 . Ainda que esta se una indissoluvelmente à humanidade de Cristo em Sua Encarnação. sendo Ele nosso Deus dentro de nós. Finalmente. Deus faz-Se presente de modo ainda mais excelso: pela participação na natureza divina. isto é.) três Pessoas que trago na alma (. o Verbo. e goza dele com a mais regalada doçura. enquanto todas estão abertas e patentes a seus olhos. Assim também. na criatura racional.. 14) Essa santificação ou divinização não é uma mudança da substância humana em divina. mas também homem. e está nele mais do que se possa suceder entre os amigos mais queridos. vez que é inteligente e possui vontade (Deus. por presença. A grande reformadora do Carmelo sempre se referia às "(. a alma racional aplica sua operação ao mesmo Deus.depois das Sagradas Escrituras. na Eucaristia. também é inteligente e possui vontade). 4.' Mas. por ser Deus. Consc." (Sua Santidade. Th. E esta admirável união (. mediante a qual Deus Se dá à alma e nela Se torna presente pessoal e substancialmente. encontra-se Deus já de outra maneira. contudo. o homem continua homem (e o anjo. enquanto se acham sujeitas a sua potestade. já estava em tudo e em todos (sem alterarlhes. I. Deus. No homem. q. o Papa Leão XIII.. recebe algo da divindade. por meio de sua graça. Evidentemente. sendo a ele semelhante.. resta inalterada. não Deus.3) A inabitação é formalmente uma união física e amistosa entre Deus e o homem.)." (Santa Teresa d'Ávila.. Encíclica Divinum Illud Munus) "Trabalhemos sempre vivendo conscientemente Sua inabitação em nós. pela ubiqüidade. que Deus se acha presente em todas as coisas e que está nelas 'por potência. o ser (no caso. o ser pedra). Verbo feito carne. segundo este modo especial. porém. sem alterar a sua própria. 43. aquela é preexistente. sendo nós Seu templo. pela graça. as quais são perfeições divinas. estamos falando de um atributo da divindade." (Santo Inácio de Antioquia. anjo). porém. contudo. mas elevação da primeira à última. É o homem semelhante a Deus apenas na medida em que participa das faculdades da inteligência e da vontade. substância humana. E porque. Chama. enquanto é conhecido e amado. eis que é Cristo.. ensinaram os sagrados doutores. sua natureza humana.

Sangue. ainda que Deus nela esteja presente pela ubiqüidade. ainda que Deus nela esteja presente. O mesmo em relação ao Santíssimo Sacramento: é Deus conosco. ainda que real. Nela. pela graça. uma vez que. presente em locais específicos: em Cafarnaum. Nela. Jerusalém.Nenhuma dessas presenças. Não! Se a pedra. na manjedoura. nas bodas de Caná. "porque é substancial e porque por ela Cristo. participe da natureza divina. era onipresente. sua natureza humana (ainda que participando. nos sacramentais. Nela. faz-Se presente na Bíblia. pois faz-Se presente nas coisas. o que seria panteísmo). após a consagração e por ela. diz Paulo VI. ainda que Deus nele esteja também presente e seja ele criado à Sua imagem e semelhança. nas almas de muitos. em virtude de sua onipresença. como bem lembrou o consulente. A substância do lugar não muda. que caracterizam a semelhança. presença essa chamada inabitação. a Eucaristia é o próprio Deus! Não está Cristo nela como na pedra (que continua pedra) ou no homem (que continua homem. A pedra tem a presença de Deus. ainda que seja feito à Sua imagem e semelhança e. é uma presença excelente. nem com um homem. A preseça de Jesus em um local específico e determinado não elimina Sua ubiqüidade. Rei e Salvador. Deus não está presente como em todos os lugares.. É uma presença. mas há verdadeira mudança de substância (transubstanciação): as substâncias do pão e do vinho. sem assumir a natureza divina (daí que não adoramos a pedra nem a consideramos Deus. se mesmo o homem em estado de graça continua homem. que se dá de maneira espiritual. O homem tem a presença de Deus. o que não se faz com uma pedra. em Sua vida terrena. estava. imensidão. Primeiro como conseqüência da inabitação: Cristo está presente. Deus não está presente apenas enquanto esta tem o ser. após a Encarnação. De qualquer maneira. Cristo. continua pedra. sem mudar sua substância. muito especialmente. sendo Deus. é a mesma de Deus na Eucaristia. entre o povo fiel. e Sua presença nele. A Eucaristia tem a substância de Deus. faz-Se presente nos homens pela grandiosa semelhança entre eles e Deus. criados à Sua imagem. no caso do homem justificado. Nazaré. Deus não está presente pela graça ou elevando a substância. entretanto. até Si. de modo especial. pela promessa de estar presente no meio deles. específica. sem mudar a substância de pedra. Deus não está presente pela participação na vontade e na inteligência. é explicada de dois modos. seres e coisas. em um barco no mar da Galiléia. Deus e homem. nos ministros. faz-Se presente nas almas justas em razão da graça. real por antonomásia! A presença de Jesus Cristo. Nela. porém resta com a substância de pedra. (Encíclica Mysterium Fidei. Cristo. Segundo. pelo uso. outrossim. mas por antonomásia". Jesus Cristo. como se as outras não fossem 'reais'. e. mesmo elevado pela graça à natureza divina). "Esta presença chama-se 'real' não por exclusão. se o homem nãojustificado continua homem. pela graça santificante. mudam-se em Corpo. a natureza. na Eucaristia. porém resta com a substância de homem. se torna presente completo". encontrase o Criador do Universo! Daí que a adoremos. Alma e Divindade de Nosso Senhor. da natureza divina). com vontade e inteligência. de 3 de setembro de 1965. nº 39) A Eucaristia não é apenas presença de Cristo: ela é o próprio Cristo! Ainda que estivesse em todos os lugares. 46 . Deus. pois nela Cristo não só está presente: a Eucaristia É Deus! Sob a aparência de pão. não invalida a ubiqüidade.. onipresença.

Tal como todos os outros sacramentos. a Eucaristia está no coração de toda a Igreja A Eucaristia “faz” a Igreja porque ela aplica a salvação (soteriologia) de Cristo merecida pela sua paixão e morte no seu “primeiro momento da salvação”. é a unidade da Igreja. a sua última aspiração.A EUCARISTIA E A ECLESIOLOGIA Autor: John Nascimento Fonte: Lista Exsurge Domini Transmissão: Rogério Hirota (SacroSancttus) Seguindo o ensinamento de S. ela está enraizada na vida da Igreja. Assim a Eucaristia torna-se o sinal da unidade. nós vimos a causa da nossa morte para o pecado na morte de Jesus. Neste contexto. Mas esta unidade não é apenas entre os cristãos vivos. a Eucaristia não é uma aproximação individualista a Deus em Cristo. pelos Padres da Alexandria e da Antioquia. Ele está no coração de toda a Tradição e tem sido renovado por toda a convergência ecuménica do tempo presente. Neste “segundo momento”. é também uma unidade entre todos aqueles que antes viveram (e que vivem para sempre) em comunhão com os santos. Tomás de Aquino. res tantum . causada pela ressurreição de Jesus. dando uma vida divina e eterna. pelos Padres gregos e latinos. Tomás de Aquino. a comunhão com o Pai em Cristo e no Espírito Santo está no coração de toda a Redenção. mas uma Páscoa da Igreja. A imortalidade é-nos dada pelo Senhor Ressuscitado cujo corpo se tornou um “espírito vivificante” através da sua ressurreição. Este é precisamente o valor importante da Eucaristia. Isto atinge a sua finalidade (negativamente). 47 . Através desta união com a Trindade em Cristo os membros da Igreja estão unidos uns aos outros (pelo Espírito) como membros do corpo de Cristo. Assim. e a nossa divinização e ressurreição. Este ensinamento foi repetidamente apresentado igualmente pelos Padres do Oriente e do Ocidente. afastando a nossa inclinação para o pecado e (positivamente). com S. dando-nos uma vida divina e eterna.

e o mesmo se diga dos desportos. numa apreciação de valores em ordem ao bem comum. Para muitos. ou simplesmente ignorar a música. levou até ao extremo o Seu amor por eles”. Nós fomos chamados. A Liturgia é o culto do povo e é tão necessária ao espírito humano como o canto para os pássaros e a vida ao ar livre para os animais. dum Deus que louvou o mundo e a todos nós desde toda a eternidade. é o Filho de Deus numa oração eterna ao Pai em nosso nome e convidando a juntar-se a Ele toda a criação numa magnífica Sinfonia de Deus. A música. Assim é também com a Liturgia. Assim vamos compreendendo que não podemos ficar apenas abrigados à sombra da fé. Mas os Religiosos que vivem em contacto com a natureza. para que nós saibamos quanto Ele nos amou e como nós devemos também amar os outros. a poesia e as artes têm uma missão purificadora. Na nossa cultura há uma certa dificuldade para apreciar a Liturgia. Ele que amara os seus que estavam no mundo. A Eucaristia é o hino do universo. todavia há muito mais em relação à Liturgia do que à estética. e recebemos talentos para um cântico de louvor. podem apreciar a ligação entre o louvor a Deus e a vivência no mundo dos homens. Ele deixou-nos o memorial do Seu amor. mas que devemos traduzir em obras aquilo em que acreditamos. Foi por isso que Deus enviou Jesus que nos amou “até ao fim”. como uma respiração necessária. Num mundo que está ego-centrado e voltado só para os valores materiais e apetitosos. a arte é uma perda de tempo.(Jo. 48 . e havemos de ser chamados a dar contas do que fizemos com os nossos talentos.13. Todavia as artes como os desportos são também importantes para o melhoramento do nosso mundo e das ciências. Nós temos a oportunidade de nos juntarmos em coro.“Antes da festa da Páscoa. porque há uma certa dificuldade em apreciar a arte. mas não o podemos fazer isentos de uma final punição. . o louvor e a adoração são uma perda de tempo.1). Meditando sobre a Eucaristia nós podemos começar a compreender o mundo numa perspectiva de Deus.Na Lirurgia eucarística o céu e a terra estão unidos num hino universal de louvor e de acção de graças. sabendo Jesus que chegara a Sua hora de passar deste mundo para o Pai. (Devemos dizer que os desportos – se não lhe derem uma importância exagerada – têm uma tarefa importante a desempenhar). nem sempre devidamente apreciada.

Eles concedem-na.exsurgedomini. Assim se passa com a música de Mozart ou de Beethoven. mas de uma maneira que é preciso explicar para se compreender.EUCARISTIA . Cada condutor interpreta. A sua finalidade é a de levar o espectador a uma experiência de compositor. que já vem desde Trento.com. Esta imagem não é meramente uma representação. O erro. mas há uma apreciação do que é partlhar a beleza do som. do contraponto e do ritmo. Tomás de Aquino que usaram o termo “In sacramento”. Celebrar “in sacramento” é celebrar em sinais sagrados. A isto chamamos uma reunião de salvação.htm “Para celebrar em Sacramentos. Mas podemos assim entusiasmar os nossos jovens se eles se sentem alheios a todo 49 . isto é uma reunião da Igreja (porque ekklesia significa assembleia de Deus para a salvação). cada músico entusiasma e comunica à audiência a alegria estática do compositor à medida que descobre as maravilhas e o mistério do som. Foi S. da harmonia. ela falha como veículo para nos conduzir ao divino. mas sim como um apelo ao mundo dos símbolos. Nós vamos para um espectro luminoso e sonoro e deparamo-nos com uma exibição de gestos e de palavras que pouco ou nada significam para quem as não compreende.xpg. Isto não é por brincadeira. é simplesmente acreditar que os Sacramentos concedem a graça “ex opere operato”. Quando a nossa liturgia se torna prosaica e pesada. é necessário celebrar em sinais sagrados”. Há aqui mais do que um entender (na verdade não há que entender). Muitas vezes nós vamos à Igreja para ouvir uma sinfonia e deparamo-nos com o solo de um barítono. Agostinho e S.br/formacaocatolica/formacaocatolica_doutrina/ eucaristia1/eucaristiasacramentoparaopovo.SACRAMENTO PARA O POVO Autor: John Nascimento Fonte: Lista Exsurge Domini Transmissão: Rogério Hirota (SacroSancttus) Fonte: http://www. cada orquestra dá vida.

com. Lucas 12. As anáforas dos diversos ritos orientais. Teria sido perfeitamente possível aos textos do Evangelho dizer "por todos" (por exemplo. ao invés. por falta de consistência.br/article/5388 Mensagem ======== Carisímos amigos do Veritatis Splendor: Salve Roma. um decreto da Congregação para o Culto divino obrigando a toda a Igreja ocidental. É claro que o pro multis (que desde a entrada em vigor da santa missa dita em vernáculo.veritatis. 41). a tal fé que não leva a parte nenhuma. O Rito Romano em latim sempre disse pro multis e nunca pro omnibus na consagração do cálice. cf.um conjunto de sinais e de palavras que para eles nada significam ? É a isto que podemos chamar de maneira genérica. sejam em grego. a fórmula apresentada na narrativa da instituição [da Eucaristia] é "por muitos". 11-12). John Nascimento O QUE SIGNIFICA A EXPRESSÃO "PRO MULTIS" DITA NA CONSAGRAÇÃO? Autor: Rafael Cresci Fonte: http://www. e as palavras foram fielmente traduzidas assim na maioria das versões bíblicas modernas. e essa palavra foi enfatizada por alguns exegetas em conexão com as palavras do profeta Isaías (53. a utilização do "pro multis" em vez do "por todos" no santo sacrifício isso implica mexer em determinadas doutrinas e crenças diversas . à eterna É datado de 17 de outubro de 2006. siríaco. uma fé sem obras. o grande mistério de um Deus realmente presente. armênio. 24) fazem referência específica a "muitos" pelos quais o Senhor oferece o Sacrifício. 28. como o próprio cardeal Arinze diz: "Os Evangelhos Sinóticos (Mt 26. Mc 14. tratando-se da Eucaristia. embora ausente para os nossos sentidos. línguas 50 . É viver numa escuridão que não deixa ver o sentido e o alcande de toda a Liturgia que se fica apenas nos gestos e nas palavras. tem derteminada doutrina em sí. deveria ser tido traduzido por por muitos). de modo especial.

Como não temos nenhuma tradução desde a edição típica segunda (e já estamos na terceira edição típica latina). De acordo com a instrução Liturgiam Authenticam. portanto. De qualquer forma. No entanto não vejo nenhum padre obedecer a ordem da Congregação. o fiel é convidado a aceitar na fé o dom oferecido e a receber a vida sobrenatural que é dada àqueles que participam nesse mistério. "Por muitos" é uma tradução fiel de pro multis. Não é ilícito nos dias de hoje. 51 . A referida instrução termina assim: As Conferências dos Bispos daqueles países onde a fórmula "por todos" ou sua equivalente está atualmente em vigor são. pois ainda não temos nenhuma tradução posterior à promulgação da instrução da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos. requisitadas a realizar a catequese necessária aos fiéis sobre essa questão nos próximos um ou dois anos. segundo a declaração da Congregação para a Doutrina da Fé de 25 de Janeiro de 1974. etc. para prepará-los para a introdução de uma tradução vernacular precisa da fórmula pro multis (ou seja. ao passo que "por todos" está mais para uma explicação do tipo que cabe mais propriamente à catequese. reflete também o fato de que essa salvação não é aplicada de modo mecânico.eslavas. a utilização do "pro multis" nunca invalidou a consagração. independentemente da vontade e da participação de cada um. de modo a ser contado no número dos "muitos" aos quais o texto se refere. Minha pergunta é as missas que inssistem em dizer " por todos" ainda são válidas ? Prezado Rafael.. agindo de acordo em sua vida. passando a ser apenas ilícita. pelo contrário. "por muitos". Ela quer dizer exatamente aquilo que disse: "na próxima tradução do Missal Romano que os Bispos e a Santa Sé aprovarem para uso em seu país". mesmo sendo utilizada numa tradução da editio typica tertia ou utilizada pelos padres mesmo depois desta promulgada com as palavras corretas.. e nem os ditos "semanários liturgicos" . E..) na próxima tradução do Missal Romano que os Bispos e a Santa Sé aprovarem para uso em seu país. deve ser feito um esforço para uma maior fidelidade aos textos latinos nas edições típicas [do Missal]". continua não tornando a consagração inválida. contêm o equivalente verbal do latim pro multis em suas respectivas línguas. etc. embora permanecendo aberta à inclusão de cada pessoa humana. A expressão "por muitos". "per molti".

com. Percebo que vocês valorizam muito o sacramento da eucaristia (que os evangélicos chamam de ceia do Senhor). 52 . PROTESTANTE PERGUNTA: " PORQUE OS CATÓLICOS INSISTEM EM COMUNGAR APENAS O PÃO?" Autor: Renato Colonna Rosman Fonte: http://www.br/article/5440 Cidade/UF: João Pessoa/PB Religião: Batista Mensagem ======== Prezados.. viverá eternamente!" (Jo 6. fica em mim e eu nele. Este é o pão que desceu do céu. O que come este pão. Rafael.. mas gostaria que verificássemos uma passagem bíblica que reza o seguinte: "Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue. não tereis a vida em vós.. Desde 21/11/2008.com. O que come a minha carne e bebe o meu sangue.59).veritatis.. Disponível em http://www. 54 . O que comer a minha carne e beber o meu sangue terá a vida eterna. Apostolado Veritatis Splendor: LEITOR PERGUNTA SOBRE O "PRO MULTIS" NA CONSAGRAÇÃO. e o meu sangue é verdadeiramente bebida.br/article/5388. -------------------------------------------------------------------------------Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte e o(s) autor(es).veritatis. Porque a minha carne é verdadeiramente comida. viverá por mim. Para citar este artigo: CRESCI. O que me come.Em Cristo. Rafael Cresci.

isto é. 53 . e dando graças. Seja sempre bem vindo. Não é para alguns privilegiados. Paulo fala aqui para toda a igreja.. sugerimos que pesquise em nosso site a respeito utilizando a janela de busta no canto superior direito da página principal e digitando "Eucaristia". Que Deus o abençoe. Caso você tenha interesse em conhecer mais sobre o sacramento da Eucaristia. Portanto. Além do mais. Ao comungar (comer) somente o pão consagrado. se o cristão católico ao comungar come apenas o pão consagrado. Assim sendo. tomando o cálice. Espero que a resposta tenha sanado a sua dúvida. deu-lho. mas para todos. tanto no pão quanto no vinho consagrados pelo sacerdote católico. tomando o cálice. "E. não tereis a vida em vós". não beberdes o seu sangue. ao comungarem. ignorando a obrigação de beber do vinho?" não reflete a realidade de como nós cristãos católicos celebramos o sacramento da Eucaristia. "E.. e TODOS BEBERAM DELE" (Mat 26:27). Em toda a celebração eucarística católica. A sua pergunta: "Por que os católicos insistem em comer somente do pão. o cristão católico também bebe o sangue de Jesus. Por que os católicos insistem em comer somente do pão. ignorando a obrigação de beber do vinho ? Fica aqui mais uma cândida pergunta minha para a vossa resposta. (Marcos 14:23 ACF). o sacerdote católico. e dando graças. Segundo a doutrina católica. até que ele venha" (1 cor 11:26). ignorando uma ordem expressa do próprio Jesus Cristo ? Não tem Jesus a autoridade máxima em termos de doutrina ? As demais passagens das escrituras mostram que TODOS comeram do pão e beberam do vinho na celebração santa. deu-lho. Não é verdade que nós cristãos católicos no sacramento da Eucaristia "insistimos em comer somente o pão. ignorando a obrigação de beber o vinho". e todos beberam dele. não é necessário comungar ambos o pão e o vinho. "Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor. ele está recebendo Jesus Cristo inteiro do mesmo modo se comungasse bebendo apenas o vinho consagrado. Também os cristãos católicos que participam da celebração eucarística presidida pelo sacerdote católico podem. Jesus Cristo está realmente presente inteiro com Seu Corpo. Seu Sangue.A pergunta que não quer calar: Por que os fiéis católicos só comem da hóstia mas não bebem do vinho. porque este já está incluído no pão consagrado. come o pão e bebe o vinho consagrados. as palavras de Jesus são muito fortes: "se . em ambas as espécies eucarísticas. Sua Alma e Sua Divindade. tanto comer o pão quanto beber o vinho consagrados em determinadas circunstâncias. Prezado Leitor "Cristão Batista" Agradecemos a sua visita ao nosso site católico e rezamos para que o Espírito Santo o ilumine para que você possa compreender o significado da Eucaristia. considerado por nós cristãos católicos o mais importante de todos os sacramentos.

apóstolo. E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO? Autor: Carlos Martins Nabeto .veritatis. E considera inválida o batismo de Igrejas que batiza em nome de Jesus. Renato Colonna Rosman Veritatis Splendor: http://www. A nossa Igreja batiza em nome da Santíssima Trindade. 54 . E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO".Atenciosamente.Leandro Martins .com. Como compreender isso? Caríssimo J.br/default.aspx BATISMO É "EM NOME DE JESUS" OU "EM NOME DO PAI.Renato Rosman Fonte: http://www.br/article/5130 LEITOR PERGUNTA SE BATISMO É "EM NOME DE JESUS" OU "EM NOME DO PAI. orienta aos fiéis a serem batizados em nome de Jesus. Mensagem ======== Pedro.com.veritatis.

O relato prossegue: “E imediatamente [o carcereiro recebeu o Batismo. é sepultado e ressuscita com ele: Batizados em Cristo Jesus. que se utilize a fórmula "em nome do Senhor Jesus". Os Apóstolos e seus colaboradores oferecem o Batismo a todo aquele que crer em Jesus: judeus. tu e a tua casa”. portanto. VII. fazer-se cristão (cf. "em nome de Jesus" ou "em nome do Senhor Jesus". foi o próprio Jesus Cristo quem estabeleceu a fórmula batismal utilizada pela Igreja. “A partir do dia de Pentecostes.não tem origem cristã. Didaché.31-33). mas no sentido de se batizar na autoridade de Cristo.38). em Col 3. Pedro não indica uma fórmula a ser recitada. que se deve fazer as coisas em nome de Jesus Cristo. obviamente. Diz que se deve batizar em nome do Senhor Jesus não como quem utiliza uma fórmula distinta. e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para a remissão de vossos pecados. mas está enfocando incorporação do fiel em Cristo. O Batismo não tem sua fórmula mudada. batizando-os em nome do Pai. pelo Batismo fomos sepultados com ele na morte para que. mas Pedro enfatiza que essa fórmula (subentendida) precisa ser administrada na autoridade de Jesus. Portanto. Na Didaqué (pelo ano 100) indica-se que se deve batizar em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. e acontece o sacramento”. ele não está exprimindo a fórmula batismal. declara São Paulo a seu carcereiro de Filipos. como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai.. O Batismo cristão. mas diz.38). repetindo a doutrina de Paulo. ele e todos os seus” (At 16. 1: IX. 5). a Igreja celebrou e administrou o santo Batismo. em sua morte é que fomos batizados. assim como os cristãos batizavam.. e ensinando-os a observar tudo o que ordenei a vocês" (Mt 28. 19-20). o batismo . ensinando-a aos apóstolos: "Vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos. assim também nós vivamos vida nova (Rm 6. [grifo nosso] Note que Jesus não fala para batizar seus discípulos. mas "em nome do Pai. sem que isso seja obstáculo para que noutros passos se fale dos "batizados no nome do Senhor". São Pedro não manda. A expressão batizar-se em nome de Cristo indica. et fit Sacramentum Une-se a palavra ao elemento. O Batismo é. pelo Batismo o crente comunga na morte de Cristo. Apenas se enfatiza a autoridade na qual deve ser proferida a fórmula de sempre. O Batismo aparece sempre ligado à fé: “Crê no Senhor e serás salvo.genericamente considerado . pois. isto é. Segundo o apóstolo São Paulo. e do Filho. Santo Agostinho dirá do Batismo: “Accedit verbum ad elementum. em lugar da forma trinitária prescrita por Jesus. (1) Com efeito. Então recebereis o dom do Espírito Santo” (At 2. pagãos. santifica e justifica. tementes a Deus. por outro lado. Quando São Pedro orienta para que se batize “em nome de Jesus” (cf. Com efeito. e do Filho e do Espírito Santo. Os batizados “vestiram-se de Cristo”. portanto a incorporação N'Ele. estes. São Pedro declara à multidão impressionada com sua pregação: “Arrependei-vos. apenas em seu próprio nome. (CIC § 1226-1228) Assim se compreende que "Batizar-se em nome de Jesus Cristo": Não quer dizer necessariamente que seja esta a "fórmula" litúrgica empregada ordinariamente pelos Apóstolos. outros grupos religiosos judeus e pagãos também tinham seus batismos (porém.17. está firmado e ostenta explicitamente a fé na 55 .3-4). e do Espírito Santo". At 2. não batizavam "em nome de Cristo").Como se sabe. para fazer-se cristão. o Batismo é um banho que purifica. Pelo Espírito Santo. A fórmula é a trinitária. um banho de água no qual “a semente incorruptível” da Palavra de Deus produz seu efeito vivificante. portanto.

mas também porque o Filho está no centro. utilizando-se a fórmula trinitária (“em nome do Pai. Quadrangular. inclusive. Aí se percebe o caráter cristológico do rito batismal. A fórmula para o batismo nas águas é claramente estabelecida na Grande Comissão como 'em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo'. imposto pelos judeus aos gentios que abraçavam o Judaísmo.. No mesmo sentido. é. Nathaniel M. de orientação protestante (pentecostal): "2. a referida expressão define a originalidade espiritual e messiânica do batismo cristão. um Batismo trinitário e não unitário. 245).12-13). de Roma. por exemplo. dos outros batismos. em seu livro "Teologia do Batismo" (ed.. doutor em Liturgia pelo Pontifício Instituto Litúrgico Santo Anselmo. Carlos Nabeto Leandro Martins de Jesus 56 . (. e do Filho e do Espírito Santo”) (2). não só porque. ed. 2.61. a expressão 'batizar em nome de Jesus' está PERFEITAMENTE sintonizada com a fórmula trinitária de Mateus que é... é com base nesta ordem DIRETA de Cristo . segundo outros autores. 24-25). para dar o Espírito. (p. o batismo cristão significa mais do que simples aceitação de Cristo. O batismo em outras comunidades eclesiais (não católicas) é válido se realizado com água e na mesma fé da Igreja Católica. E isto é comprovado. em especial o "batismos dos prosélitos". mediante o dom do Espírito" (pp.que devemos entender as demais passagens que falam de "batizar em nome do Senhor Jesus": na verdade os autores sacros querem. a Igreja Católica não aceita e considera inválido o batismo de certas confissões religiosas. Por razões teológicas. Aqueles que recebem o batismo em nome de Jesus são constituídos filhos diante do Pai.1. Paulus. É nesse sentido que entende.Santíssima Trindade.) De qualquer forma. ou pelo sentido distorcido que dão ao sacramento. 1ª ed. Além disso. ou 'em nome do Senhor Jesus' NÃO são consideradas fórmulas batismais.. o padre Valter Maurício Goedert.1-2). solidarizar-se com ele e seu destino. como a "Didaqué" (7. aponta o livro "Fundamentos de Teologia Pentecostal" (DUFFIELD.3-4. Significa estar revestido de Cristo. 1987). porque realmente participam da condição do Filho único. mas têm por objetivo especificar de que batismo se pretende falar.que estabeleceu a fórmula trinitária .105). saiu da boca de Cristo. a "1ª Apologia" de São Justino Mártir (1. 1988): "As expressões: batizar 'em nome de Jesus'. igualmente. vol. a "Tradição Apostólica" de Santo Hipólito de Roma (21).ex: Testemunhas de Jeová e Ciência Cristã) Esperando ter o ajudado nos despedimos. DISTINGUIR o batismo cristão (trinitário e regenerador). Desta forma. In caritate Christi. pelos documentos extrabíblicos mais antigos. busca uma comunhão vital e uma adesão da fé da qual o rito batismal é sinal. Guy P. o "Dos Sacramentos" de Santo Ambrósio (2. VAN CLEAVE.. o "Do Batismo" de Tertuliano (6. As declarações sobre ser batizado 'em nome de Jesus' omitem a fórmula mais longa e enfatizam o batismo cristão como sendo distinto do batismo de João" (p. 50). 2ª ed. De fato. pois. ou os batismos promovidos pelos seguidores de João Batista. uma vez que vários existem. assim. como enviado definitivo do Pai. o "Sacramentário Gelasiano" (449) etc. cristológica.

br/article/4945 ======== Agradeço pela preciosa atenção e a rapidez que fui atendido.O que importa é que os pais e os padrinhos de batismo se empenhem em educar os filhos na fé. a Igreja Evangélica de Confissão Luterana do Brasil (IECLB). e a Igreja Metodista. Bíblia Sagrada. (2) Como exemplo de comunidades eclesiais cujo batismo é reconhecido pela Igreja Católica temos: as Igrejas Orientais. Para um aprofundamento nessa questão...aceitar primeiro.tomar conhecimento e uma criança? 57 . Quanto a essa afirmaçaõ de Frei Battistini no livro (manual da fé pág 128-ed 16. a Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB).essa passagem dá a entender que é preciso compreende.veritatis.mas ficou ainda duas perguntas em aberto: 1O batismo torna a criança filho de Deus. eu pergunto. a Igreja Vetero-Católica. comentário sobre At 2. Actos dos Apóstolos. Epístolas de São Paulo (I).Renato Rosman ________________________ Notas (1) Cf. página 81. a Igreja Episcopal (Anglicana) do Brasil. Edições Theologica. Traduzida por vários autores portugueses para Editorial Universus e anotada pela Faculdade de Teologia da Universidade de Navarra. 1990. e se os pais forem ateus? A palavra de Deus nos diz: Se creres e fores batizados serás salvo. O BATISMO INFANTIL E A INSPIRAÇÃO DAS SAGRADAS ESCRITURAS! Autor: Marcos Monteiro Grillo Fonte: http://www.com. Volume II. recomendo a leitura do artigo: Batizado de Protestante. Braga. 38. Os esclarecimentos sobre os apócrifos foram de grande importância.

o pórtico da vida no Espírito («vitae spiritualis ianua – porta da vida espiritual») e a porta que dá acesso aos outros sacramentos. O santo Baptismo é o fundamento de toda a vida cristã.como explicar que os evangelistas Lucas. Nascidas com uma natureza humana decaída e manchada pelo pecado 58 .e sabemos disso. Com relação ao batismo e ao batismo das crianças. «Baptismos est sacramentam regeneratiorais per aquam in Verbo – O Baptismo pode definir-se como o sacramento da regeneração pela água e pela Palavra» (5). A paz de Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com você! Agradecemos pela confiança em nos escrever. gostaria de saber quais as outras? --------------------------Prezado irmão Pedro. Marcos passaram por comunidades fundadas por Paulo colhendo testemunhos para depois surgir os evangelhos." "O BAPTISMO DAS CRIANÇAS 1250. Pelo Baptismo somos libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus: tornamo-nos membros de Cristo e somos incorporados na Igreja e tornados participantes na sua missão (4).2-Se a Bíblia é toda inspiração. leiamos o que diz o Catecismo da Igreja Católica (grifos meus): "1213.e a INSPIRAÇÃO? 3-Diante da afirmação que a Bíblia não é a única fonte de conhecimento.

a que todos os homens são chamados.original. O Baptismo é a fonte da vida nova em Cristo. a Igreja e os pais privariam. donde jorra toda a vida cristã. crianças ou adultos. também. ao seu papel de sustentar a vida que Deus lhes confiou (46). se não lhe conferissem o Baptismo pouco depois do seu nascimento (45). o batismo de fato torna a criança filho de Deus. O Baptismo é o sacramento da fé (49). a fé deve crescer depois do Baptismo. Os pais cristãos reconhecerão que esta prática corresponde. 1251. 1254. A fé que se requer para o Baptismo não é uma fé perfeita e amadurecida. desde o princípio da pregação apostólica. A pura gratuidade da graça da salvação é particularmente manifesta no Baptismo das crianças. 1252." Conforme lemos acima. criança ou adulto. Esse é também o papel do padrinho ou da madrinha. é importante a ajuda dos pais. O seu múnus é um verdadeiro ofício eclesial (51). a criança da graça inestimável de se tornar filho de Deus. 1255. Explicitamente atestada desde o século II. Para que a graça baptismal possa desenvolver-se. 59 . Ao catecúmeno ou ao seu padrinho perguntase: «Que pedis à Igreja de Deus?» E ele responde: «A fé!». A prática de baptizar as crianças é tradição imemorial da Igreja. quando «casas» inteiras receberam o Baptismo se tenham baptizado também as crianças (48). Só na fé da Igreja é que cada um dos fiéis pode crer. Mas a fé tem necessidade da comunidade dos crentes. capazes e preparados para ajudar o novo baptizado. É por isso que a Igreja celebra todos os anos. as crianças também têm necessidade do novo nascimento no Baptismo para serem libertas do poder das trevas e transferidas para o domínio da liberdade dos filhos de Deus (44). A preparação para o Baptismo conduz apenas ao umbral da vida nova. mas um princípio chamado a desenvolver-se. a renovação das promessas do Baptismo. Toda a comunidade eclesial tem uma parte de responsabilidade no desenvolvimento e na defesa da graça recebida no Baptismo. é no entanto bem possível que. no seu caminho de vida cristã (50). na Vigília Pascal. Em todos os baptizados. FÉ E BAPTISMO 1253. que devem ser pessoas de fé sólida. Por isso.

que é o seu último fim. Acontece que. A distinção entre pecado mortal e pecado venial. a sua bemaventurança. etc.] a vontade se deixa atrair por uma coisa de si contrária à caridade. é praticamente certo que essa criança. A experiência dos homens corrobora-a. e em caso de pecados mortais. perderá a graça santificante. cometerá pecados. Porém. deve considerar-se mortal [. etc.. e se por esse motivo. quer contra o amor do próximo (como o homicídio. 1855. atacando em nós o princípio vital que é a caridade. Pelo menos em tese. por via das dúvidas. É como se dissessem: "nós não cremos em nada... Os pecados devem ser julgados segundo a sua gravidade. o ensino da Igreja é claro: é responsabilidade dos pais e dos padrinhos não só batizar as crianças. pela qual somos ordenados para o nosso fim último. o adultério.. o perjúrio.. vivendo afastada da fé cristã. Desvia o homem de Deus. pelo seu próprio objecto.). torna necessária uma nova iniciativa da misericórdia de Deus e uma conversão do coração que normalmente se realiza no quadro do sacramento da Reconciliação: «Quando [.. a criança nunca mais for à Igreja. preferindo-Lhe um bem inferior. Se os pais da criança batizada forem ateus. quer seja contra o amor de Deus (como a blasfémia. tornando-se adolescente e depois adulta. embora ofendendo-a e ferindo-a.).incorporando-a à Sua Igreja.". vamos batizar nosso filho na Igreja. o pecado. mas também criá-las na Igreja. ou por qualquer outro..) [. um risco supérfluo. 60 . lamentavelmente. não sendo todavia contrária ao amor de Deus e do próximo (como uma palavra ociosa. a graça da justificação recebida pelo Batismo. já perceptível na Escritura (94). O pecado venial deixa subsistir a caridade. etc.. ou por alguma espécie de "medo". impôs-se na Tradição da Igreja. quando a vontade do pecador por vezes se deixa levar para uma coisa que em si é desordenada. somos ateus. e por isso querem que seus filhos também o sejam. mas. para que a fé da criança possa crescer e amadurecer. Leiamos o que o Catecismo diz sobre a gravidade do pecado mortal (grifos meus): "1854. O pecado mortal destrói a caridade no coração do homem por uma infracção grave à Lei de Deus.]. muitas pessoas batizam seus filhos por uma mera tradição ou convenção social. 1856. tais pecados são veniais» (95). O pecado mortal.] Em contrapartida. supõe-se que os pais batizam seus filhos na Igreja por serem cristãos.

antes aumentam. A matéria grave é precisada pelos dez Mandamentos. devemos confiar o juízo sobre as pessoas à justiça e à misericórdia de Deus. Mas parte-se do princípio de que ninguém ignora os princípios da lei moral. O mesmo se diga de pressões externas e de perturbações patológicas. Pressupõe o conhecimento do carácter pecaminoso do acto. embora nos seja possível julgar se um acto é. do estado de graça. tal como o próprio amor. da sua oposição à Lei de Deus. não furtes. A ignorância involuntária pode diminuir. 1861. 1859. Tem como consequência a perda da caridade e a privação da graça santificante. A gravidade dos pecados é maior ou menor: um homicídio é mais grave que um roubo. é o mais grave. ou seja. A qualidade das pessoas lesadas também entra em linha de conta: a violência cometida contra pessoas de família é. originará a exclusão do Reino de Cristo e a morte eterna no Inferno. Para que um pecado seja mortal. honra pai e mãe» (Mc 10. 18). por estar afastada dela. Os impulsos da sensibilidade e as paixões podem também diminuir o carácter voluntário e livre da falta. 1860. por sua natureza. 1858. ou mesmo desculpar. No entanto. e é cometido com plena consciência e de propósito deliberado» (96). três condições: «É pecado mortal o que tem por objecto uma matéria grave. mais grave que a exercida contra estranhos. O pecado cometido por malícia. não cometas fraudes. uma falta grave. O pecado mortal é uma possibilidade radical da liberdade humana. A ignorância simulada e o endurecimento do coração (97) não diminuem. o carácter voluntário do pecado. a imputabilidade duma falta grave. requerem-se. não cometas adultério. Para que o pecado seja mortal tem de ser cometido com plena consciência e total consentimento. inscritos na consciência de todo o homem. não levantes falsos testemunhos. como no caso de cometer um 61 . uma vez que a nossa liberdade tem capacidade para fazer escolhas definitivas. em simultâneo. segundo a resposta que Jesus deu ao jovem rico: «Não mates." Note que mesmo que a pessoa ignore as leis e os mandamentos da Igreja. E se não for resgatado pelo arrependimento e pelo perdão de Deus. por escolha deliberada do mal. irreversíveis. E implica também um consentimento suficientemente deliberado para ser uma opção pessoal. pode incorrer em pecado mortal.1857. em si.

os anjos. transcritos acima. na posse das suas faculdades e capacidades. «Para escrever os livros sagrados. convém também lermos o que nos diz o Catecismo da Igreja Católica (grifos meus): "105. conforme lemos acima. Os livros inspirados ensinam a verdade. parece que muitas pessoas não têm se dado conta disso. inclusive vivendo a fé católica cada qual à sua maneira. para que. nos ensina que "devemos confiar o juízo sobre as pessoas à justiça e à misericórdia de Deus". Deus escolheu e serviu-se de homens.aceitar primeiro. segundo a fé apostólica. peço que leia com atenção os números 1250 a 1254. a santa Mãe Igreja. como verdadeiros autores. nem correr o risco de passar a eternidade afastado do meu Criador. «Com efeito. Com relação à sua pergunta "essa passagem dá a entender que é preciso compreende. 106. Infelizmente. Deus é o autor da Sagrada Escritura. Por isso.homicídio ou um estupro. O Catecismo. É necessário levarmos a fé a sério. escritos por inspiração do Espírito Santo. agindo Ele neles e por eles. têm Deus por autor. a fim de que possamos todos gozar da bem-aventurança eterna no Céu. conforme explica o parágrafo 1860 acima transcrito. É nosso destino na eternidade que está em jogo. por Sua graça. a Virgem Maria. E obviamente penso o mesmo em relação aos filhos que Deus.tomar conhecimento e uma criança?". Com relação à Sagrada Escritura. e como tais foram confiados à própria Igreja» (75). de modo que não cabe a nós. porque. vier a me conceder. particularmente. acham que batizar os filhos na Igreja é uma mera formalidade ou uma simples convenção social. «A verdade divinamente revelada. condenar ninguém ao Inferno. considera como sagrados e canónicos os livros completos do Antigo e do Novo Testamento com todas as suas partes. não quero abusar da misericórdia de Deus. peço a Deus a graça de permanecer na Igreja. e que no fim tudo dará certo. foi registrada neles sob a inspiração do Espírito Santo». «E assim como tudo o que os autores inspirados ou hagiógrafos afirmam. junto com a minha família. junto com a Santíssima Trindade. que os livros da Sagrada Escritura contêm e apresentam. deve ser tido como afirmado pelo Espírito 62 . os santos e todos os salvos por Jesus Cristo. Deus inspirou os autores humanos dos livros sagrados. 107. pusessem por escrito. de antemão. tudo aquilo e só aquilo que Ele queria» (76). crêem que cada um pode viver a vida como quiser. Mas eu.

e àquilo que aprouve a Deus manifestar-nos pelas palavras deles (80). Com efeito. intérprete da Escritura 109. aberto desde a sua Páscoa (84). não menos importante que o anterior. 111. «não duma palavra escrita e muda. Mas. Para que não sejam letra morta. fielmente e sem erro. falar e narrar correntes naquele tempo. existe outro princípio de interpretação recta. ou poéticos ou de outros géneros de expressão»(81). «Porque a verdade é proposta e expressa de modos diversos. a verdade que Deus quis que fosse consignada nas sagradas Letras em ordem à nossa salvação» (77). nos abra o espírito à inteligência das Escrituras (79). de que Jesus Cristo é o centro e o coração. III. 110. para bem interpretar a Escritura. mas do Verbo encarnado e vivo» (78). os «géneros literários» em uso na respectiva época. pelo Espírito Santo. é preciso ter em conta as condições do seu tempo e da sua cultura. Portanto. O Espírito Santo. a Escritura é una. Na Sagrada Escritura. 1. em razão da unidade do desígnio de Deus. os modos de sentir. é necessário prestar atenção ao que os autores humanos realmente quiseram dizer. Deus fala ao homem à maneira dos homens. Palavra eterna do Deus vivo. e sem o qual a Escritura seria letra morta: «A Sagrada Escritura deve ser lida e interpretada com o mesmo espírito com que foi escrita» (82). Para descobrir a intenção dos autores sagrados. é preciso que Cristo. 108. por isso mesmo se deve acreditar que os livros da Escritura ensinam com certeza. O II Concílio do Vaticano indica três critérios para uma interpretação da Escritura conforme ao Espírito que a inspirou (83): 112. O Cristianismo é a religião da «Palavra» de Deus. por muito diferentes que sejam os livros que a compõem. uma vez que a Sagrada Escritura é inspirada.Santo. a fé cristã não é uma «religião do Livro». em textos históricos de vária índole. ou proféticos. No entanto. Prestar grande atenção «ao conteúdo e à unidade de toda a Escritura». «Por coração (85) de Cristo entende-se a Sagrada Escritura que nos dá a conhecer o 63 .

113. moral e anagógico. Graças à unidade do desígnio de Deus. Podemos adquirir uma compreensão mais profunda dos acontecimentos. reconhecendo o seu significado em Cristo: por exemplo. Por «analogia da fé» entendemos a coesão das verdades da fé entre si e no projecto total da Revelação. «Sacra Scriptura principalius est in corde Ecclesiae quam in materialibus instrumentis scripta» – «A Sagrada Escritura está escrita no coração da Igreja. Estar atento «à analogia da fé» (89). 1. aqueles que desde então a consideram com inteligência. do Baptismo (91). O sentido literal. OS SENTIDOS DA ESCRITURA 115. O sentido alegórico. Sacrae Scripturae) fundentur super litteralem» – «Todos os sentidos (da Sagrada Escritura) se fundamentam no literal» (90). mais do que em instrumentos materiais» (87).. assim. podem ser sinais. mas também as realidades e acontecimentos de que fala. a Igreja conserva na sua Tradição a memória viva da Palavra de Deus. 2. «Omnes sensus (sc. Segundo uma sentença dos Padres. não só o texto da Escritura. subdividindo-se este último em sentido alegórico. Segundo uma antiga tradição. 3. Mas a Escritura ficou aberta depois da Paixão e assim.coração de Cristo. secundum spiritualem sensum quem Spiritus donat Ecclesiae» «segundo o sentido espiritual que o Espírito Santo dá à Igreja») (88). Ler a Escritura na «tradição viva de toda a Igreja».. Com efeito. É o expresso pelas palavras da Escritura e descoberto pela exegese segundo as regras da recta interpretação. 114. Este coração estava fechado antes da Paixão. e é o Espírito Santo que lhe dá a interpretação espiritual da Escritura («. 117. podemos distinguir dois sentidos da Escritura: o sentido literal e o sentido espiritual. 64 . a travessia do Mar Vermelho é um sinal da vitória de Cristo e. O sentido espiritual. porque a Escritura estava cheia de obscuridades. discernem o modo como as profecias devem ser interpretadas» (86). A concordância profunda dos quatro sentidos assegura a sua riqueza à leitura viva da Escritura na Igreja: 116.

a moral o que deves fazer. Foram escritos «para nossa instrução» (1 Cor 10. mercê deste estudo. Podemos ver realidades e acontecimentos no seu significado eterno. 11) (92). com relação à sua pergunta nº 3. não acreditaria no Evangelho se não me movesse a isso a autoridade da Igreja católica» (96). creio que os parágrafos acima esclarecem a sua pergunta de nº 2. exemplos e instituições. fez-se de duas maneiras: – oralmente. na sua pregação oral. quid credas allegoria. a alegoria o que deves crer. de algum modo preparatório. nisi me catholicae Ecclesiae commoveret auctoritas» – «Quanto a mim. «Cabe aos exegetas trabalhar. está sujeito ao juízo último da Igreja. particularmente o de número 107. que. que tem o divino mandato e o ministério de guardar e interpretar a Palavra de Deus» (95): «Ego vero Evangelio non crederem. Os acontecimentos referidos na Escritura podem conduzir-nos a um comportamento justo. quo tendas anagogia». por entender e expor mais profundamente o sentido da Sagrada Escritura. amadureça o juízo da Igreja. O sentido moral. «pelos Apóstolos. tudo quanto diz respeito à interpretação da Escritura. segundo a ordem do Senhor. A transmissão do Evangelho. de harmonia com estas regras. o qual nos conduz (em grego: «anagoge») em direcção à nossa Pátria. 65 .2. a Igreja terrestre é sinal da Jerusalém celeste (93). também transcritos do Catecismo da Igreja Católica: "76. Com efeito. Um dístico medieval resume a significação dos quatro sentidos: «Littera gesta docet. para que. «A letra ensina-te os factos (passados). 118. 119. peço que leia atentamente os ensinamentos abaixo. a anagogia para onde deves tender» (94). Assim. Moralis quid agas. 3. O sentido anagógico." Com efeito. Finalmente.

sob a inspiração do mesmo Espírito Santo. Uma e outra tornam presente e fecundo na Igreja o mistério de Cristo. na sua doutrina. «A Tradição sagrada e a Sagrada Escritura estão intimamente unidas e compenetradas entre si. CONTINUADA NA SUCESSÃO APOSTÓLICA 77. 80. cujas riquezas entram na prática e na vida da Igreja crente e orante» (44). os Apóstolos deixaram os bispos como seus sucessores. – por escrito. Esta transmissão viva. Com efeito.. fazem como que uma coisa só e tendem ao mesmo fim» 16. no mundo – introduz os crentes na verdade plena e faz com que a palavra de Cristo neles habite em toda a sua riqueza» (45). por uma sucessão ininterrupta. 20).. enquanto distinta da Sagrada Escritura. pela Igreja. 78. que outrora falou. Assim. «Para que o Evangelho fosse perenemente conservado íntegro e vivo na Igreja. escreveram a mensagem da salvação» (40). até ao fim do mundo» (Mt 28. dialoga sem interrupção com a esposa do seu amado Filho. a comunicação que o Pai fez de Si próprio. e o Espírito Santo – por quem ressoa a voz do Evangelho na Igreja. derivando ambas da mesma fonte divina. 66 .transmitiram aquilo que tinham recebido dos lábios. pelo seu Verbo. realizada no Espírito Santo. Com efeito. . 79. «sempre. no Espírito Santo. que se exprime de modo especial nos livros inspirados. e o que tinham aprendido por inspiração do Espírito Santo». trato e obras de Cristo. II. que prometeu estar com os seus.. "entregando-lhes o seu próprio ofício de magistério"» (41). denomina-se Tradição. «por aqueles apóstolos e varões apostólicos que. «a Igreja. embora estreitamente a ela ligada. vida e culto. «Afirmações dos santos Padres testemunham a presença vivificadora desta Tradição.. e. A relação entre a Tradição e a Sagrada Escritura UMA FONTE COMUM. «a pregação apostólica. até à consumação dos tempos» (42). devia conservar-se. Pela Tradição. perpetua e transmite a todas as gerações tudo aquilo que ela é e tudo em que acredita» (43). continua presente e activa na Igreja: «Deus.

«Apoiando-se nele.. foi confiado pelos Apóstolos ao conjunto da Igreja. sob a direcção do Magistério da Igreja. nascidas no decorrer do tempo nas Igrejas locais. O depósito da fé (49) («depositum fidei»). «não tira só da Sagrada Escritura a sua certeza a respeito de todas as coisas reveladas. disciplinares. III. de tal modo que. «A Sagrada Escritura é a Palavra de Deus enquanto foi escrita por inspiração do Espírito divino». Por isso. A Tradição de que falamos aqui é a que vem dos Apóstolos. É preciso distinguir. contido na Tradição sagrada e na Sagrada Escritura. para que eles. a primeira geração de cristãos não tinha ainda um Novo Testamento escrito. DUAS FORMAS DE TRANSMISSÃO DISTINTAS 81. litúrgicas ou devocionais. Daí resulta que a Igreja. sob as quais a grande Tradição recebe expressões adaptadas aos diversos lugares e às diferentes épocas. A interpretação da herança da fé A HERANÇA DA FÉ CONFIADA À TOTALIDADE DA IGREJA 84. desta Tradição. por sua vez. ambas devem ser recebidas e veneradas com igual espírito de piedade e reverência» (48). De facto. TRADIÇÃO APOSTÓLICA E TRADIÇÕES ECLESIAIS 83. na 67 . modificadas e até abandonadas. com a luz do Espírito da verdade. todo o povo santo persevera unido aos seus pastores na doutrina dos Apóstolos e na comunhão. exponham e difundam na sua pregação» (47). fielmente a conservem. É à sua luz que estas podem ser mantidas. na fracção do pão e na oração.. Elas constituem formas particulares. a quem está confiada a transmissão e interpretação da Revelação. conserva a Palavra de Deus. confiada por Cristo Senhor e pelo Espírito Santo aos Apóstolos. Ela transmite o que estes receberam do ensino e do exemplo de Jesus e aprenderam pelo Espírito Santo. «A sagrada Tradição. e o próprio Novo Testamento testemunha o processo da Tradição viva. e transmite-a integralmente aos seus sucessores.. 82. as «tradições» teológicas.

sob diferentes formas. cuja autoridade é exercida em nome de Jesus Cristo (51). Fique na paz de Nosso Senhor Jesus Cristo. o bispo de Roma. 87. este Magistério não está acima da Palavra de Deus. Marcos M. a ouve piamente. actuação e profissão da fé transmitida. por mandato divino e com a assistência do Espírito Santo. lembrando-se da palavra de Cristo aos Apóstolos: «Quem vos escuta escuta-me a Mim» (Lc 10.geocities. Everton Jobim Fonte: http://br. ensinando apenas o que foi transmitido. «O encargo de interpretar autenticamente a Palavra de Deus. haurindo deste depósito único da fé tudo quanto propõe à fé como divinamente revelado» (52).conservação. enquanto.com/worth_2001/neovelhosacramento. O MAGISTÉRIO DA IGREJA 85. a guarda religiosamente e a expõe fielmente. Os fiéis. Grillo OS SACRAMENTOS CRISTÃOS COMO ELES SE INTERLIGAM E SE INTERDEPENDEM? Autor: Prof." Esperamos ter respondido suas perguntas satisfatoriamente. foi confiado só ao Magistério vivo da Igreja. 86. 16) (53).html 68 . mas sim ao seu serviço. «Todavia. isto é. escrita ou contida na Tradição. aos bispos em comunhão com o sucessor de Pedro. haja uma especial concordância dos pastores e dos fiéis» (50). recebem com docilidade os ensinamentos e as directrizes que os seus pastores lhes dão.

Existiam em função dos sacramentos a serem instituídos por Cristo .Qual a relação entre os sacramentos judaicos e os sacramentos da Nova Lei ? ____________________________________________________________ RESPOSTA : ____________________________________________________________ A relação entre os sacramentos cristãos e os judaicos ______________________________________________________ Liminarmente . tal como os sacramentos cristãos. Sem o batismo não podemos comungar . que está eternamente unida ao Espírito Santo e recebe as graças dos sacramentos até a consumação dos tempos . com Cristo . que não tinha pecados . então .Qual a relação entre os sacramentos da Igreja e o sacrifício de Cristo ? 2. assim . infundindo as virtudes teologais da fé . Eles não transmitiam a graça . morre o pecado original em nossa almas e nasce uma alma em estado de graça . devemos observar que os sacramentos judaicos eram apenas símbolos dos sacramentos cristãos . esperança e caridade . no qual se recebe a graça santificante . assim como a Sua Igreja . Acolhemos Deus em nossa alma .Circuncisão . as virtudes espirituais da nossa alma. que só pôde ser removida com o sacramento do batismo . 69 . transmitindo a graça da justificação . O próprio Jesus . bem como aspectos de suas vidas e seus afazeres no mundo. Adquirindo direitos e deveres em relação aos demais cristãos e à Igreja . Vivificando . para que toda a justiça fosse feita . como Nosso Pai de adoção . Morremos . somos feitos filhos adotivos de Deus . Passamos a integrar a família celeste. mandamento divino transmitido a Abraão . foi batizado . viva para Deus . As obras da Lei de Moisés deveriam ser realizadas porque eram ordenanças divinas e necessárias para a perseverança dos homens no reto caminho . ___________________________________________________________ Comparação entre os sacramentos judaicos e os sacramentos cristãos ___________________________________________________________ 1. O cristão tem o selo da aliança com Deus na própria alma. receber a absolvição dos pecados e o sacramento do crisma. O Espírito Santo corta as ataduras do pecado original no batismo . Nos sacramentos cristãos .__________________________________________________________ OS SANTÍSSIMOS SACRAMENTOS E O SACRIFICIO DE CRISTO _________________________________________________________ OS SACRAMENTOS CRISTÃOS E OS SACRAMENTOS JUDAICOS __________________________________________________________ 1. aptos a realizar as obras de valor sobrenatural que contarão como méritos em nossa justificação. foi substituído pelo batismo. efetivamente . Mas não tinham o poder de perdoar a culpa original . o Espírito Santo . atua . santificando e justificando os homens .

Moisés é uma imagem do Cristo . e sua mãe foi erguida ao topo da hierarquia celeste . O Sacramento simboliza o Cristo casado perpetuamente com a sua Igreja . foi educado por seus pais humanos . o sofrimento e a morte . e não mais o sacerdócio limitado e imperfeito dos levitas . pedir perdão pelos pecados e novas graças a Deus . Eles não morreram como pecadores réprobos . Cristo morreu para não mais morrer e transmitiu essa vitória a todos. O Cristo não é um Sumo Sacerdote mortal . a dor .comum a tdos os batizados . oferecendo um sacrificio perfeito que aplacou definitivamente a ira divina em face da transgressão humana. aqueles que morreram sem pecado mortal .A ordem é o novo sacerdócio . Também pode ser referida ao hábito de ungir determinadas pessoas para missões específicas. 4. porque Jesus é a união de Deus com os homens . que aplacou a ira divina definitivamente . o sacerdócio da graça .A eucaristia está relacionada à Páscoa .O sacramento do crisma pode ser identificada com a maioridade dos jovens na lei antiga . redime toda a humanidade. Deus ordenou aos homens que se mutiplicassem ( Gênesis). somente com a ida de Cristo ao Hades após a morte na cruz . nos curamos ou morremos com Cristo . Adão corrompeu a terra querendo igualar-se a Deus . Os apóstolos são os sacerdotes de Cristo e transmitem essa graça e essa autoridade a seus sucessores. universal . tal como o Cristo teve uma familia .2. Confirmando a opção de vida religiosa . Deus Encarnado . Aliança celebrada no seu Corpo . acima dos anjos e santos. A eucaristia está relacionada também aos sacrificios da Lei Antiga ( as ofertas levíticas ) que destinavam-se a louvar . puderam ser purificados do pecado original . Honrar o Pai e a mãe é um dos Mandamentos da Lei de Deus . Assim definiu magistralmente o apóstolo Paulo na Epístola aos Hebreus . absolutamente necessário para a nossa salvação. do sofrimento . reconciliando o homem com o Pai. mas com a mancha do peacdo original para ser purificada em suas almas . antecipou a imagem do mundo futuro . Deus curou os males espirituais e os males fisicos . em definitivo . 70 . na sacralidade da familia . Na unção do enfermos . Ele anuncia a Si mesmo . e o Cristo .Sobre a unção dos enfermos podemos nos referir às curas operadas pelo Cristo . 3. No matrimônio . quando viveremos eternamente junto a Deus. de uma única vez . Os patriarcas do Antigo Testamento ofereceram sacrificios a Deus em reparação por suas culpas . Deus resgatando os homens e evitando o aniquilamento definitivo da humanidade . selada com o seu sangue. novos filhos de Deus virão ao mundo . Ressuscitando os mortos . agradecer . e a forma de fazê-lo era através do matrimônio. glorficando ao Pai nele e sendo a glória eterna de Deus. sem o mal . aumentando a intimidade com a vida litúrgica e a força do sacerdócio leigo -. Trata-se do mesmo sacrificio do Calvário . e na Sua Igreja. perfeito e eterno . santificou essa mesma terra com a graça . Importante destacar que nas obras da Lei antiga os homens não podiam encontrar definitivamente a redenção porque todas elas dependiam da graça a ser comunicada aos que viveram antes de Cristo . a felicidade e a procriação . Apenas os levitas estavam autorizados a exercer o sacerdócio ministerial. ele é o Sumo Sacerdote que entrou num Templo vivo . libertos . a partir de uma livre manifestação da misericórdia divina.O sacramento do matrimônio existia como uma bênção matrimonial . Na verdade ingressamos na glória celeste . O homem e a mulher formam uma unidade oferecida a Deus para santificar o sentimento de amor . tornando-O propício. à passagem da escravidão do pecado para a libedade na terra da promessa . 6. Na Santa Eucaristia temos a aplicação diferenciada da mesma eficácia do sacrificio único que . 5.

O Cristo é a comunicação eterna da verdade de Deus aos homens .a oferta eterna de Cristo ao Pai. Existe . Deus redime a criação . Somente ela está autorizada a celebrá-los. ninguém pode ser padrinho de batismo . é um sacramento e é constituida pelos sacramentos. A Igreja . receber a crisma e assim sucessivamente . Os méritos e a satisfação são de Cristo . e do próprio sacramento do crisma . O batismo é a porta para todos os sacramentos . toda uma conexão lógica entre os sacramentos. Os sacramentos prolongam o sacerdócio e a presença de Cristo entre os homens . Só pode ser crismado quem já recebeu . casamento .ANTIGO TESTAMENTO Prof. para concluir . Todos os mistérios de Cristo foram transmitidos a seus sacramentos . PRINCÍPIOS DA LEI ANTIGA . ela própria . são ações de Deus para Deus . na justiça e na caridade . na vida espiritual da Igreja .modo insuperável de reconciliação do homem com Deus. Podemos crescer na graça . para o recebimento da eucaristia são necessários o batismo e a confissão .em sacrificio eterno . portanto . a primeira comunhão . eternamente oferecido a Deus -. confessar . Com a sua morte . fazendo as obras que ele nos convidou e nos autorizou a fazer . Nesta sequência . Somente Deus poderia vencer o aniquilamento . São absolutamente necessários para a nossa justificação e santificação crescentes . para nunca mais sair . após o recebimento da graça da justificação. Everton Jobim 71 . tal como o sacificio de Cristo . Sem o batismo não podemos receber a comunhão . demonstram possuir uma fé profunda em Deus e creram na promessa do envio do Messias Salvador . _______________ CONCLUSÃO _______________ Os sacramentos . Sinais visíveis da graça invisível. como o Pai celeste é infinitamente justo . ou seja a comunicação da vida santa e perfeita e da justiça infinta . oferecendo Seu Filho . viveram sob a Lei . Nossa alma ainda não se encontra apta para a participação . que vence a morte e perdoa os nossos pecados . efetiva . ao menos . Cristo esmagou a morte e ingressou no céu . gloriosamente . ____________________________________ A relação entre os sacramentos ____________________________________ Todos os sete sacramentos estão ligados entre si e existem em função do sacrifício do Calvário . Seu sacerdote é o Espírito Santo que atua através de seus ministros .que torna tudo justo .foram justos e honrados .obra agradável e eterna -. E sem o sacramento do crisma ninguém pode almejar receber o sacramento da ordem . derrotar a morte e oferecer essa vitória aos homens. e neles podemos crescer como seus ministros . Sem o sacramento do crisma .

PROTESTANTE QUESTIONA BATISMO DE CRIANÇAS E IMAGENS . sendo velho? Pode. July 27.11 To: .. não pode ver o reino de Deus. E disse-lhes(o SENHOR JESUS) : Ide por todo o mundo.br Sent: Sunday. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer..VEJA RESPOSTAS! Autor: Nilton Fontes Fonte: http://www..br Cc: niltonfontes@uai.. a quem desde os meus antepassados sirvo com uma consciência pura. Jesus respondeu.. a suposição de que os apostolos batizavam casas inteiras que aparece mencionado no livro de Atos do Apostolos caiu-me por terra quando o Espiríto Santo de Deus Pai Todo-Poderoso me convenceu com a Santa palavra do livro de São Marcos 16 . e nascer? Jesus respondeu: Na verdade. Quem crer e for batizado será salvo. pregai o evangelho a toda criatura. tornar a entrar no ventre de sua mãe.com. e o que é nascido do Espírito é espírito. e disse-lhe: Na verdade. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. respondi mais do que rápido para aquele crente que pensei eu que ele queria me provocar. não pode entrar no reino de Deus.dicionariodafe. porque aprontei muito com álcool prostituição e muitas coisa que fazemos em nossa juventude inocentemente quando criança ninguém pregou para mim e logicamente eu não pude CRÊR então não foi pela minha fé e sim pela dos meu amados pais . mas quando prestei a devida atenção para o que o Senhor Jesus disse : "QUEM CRER E FOR BATIZADO " invalidou totalmente o meu batismo de criança .br/cartas/tito_batismo-imagens.. de que sem cessar faço memória de ti nas minhas orações noite e dia. 72 . João 3 : 3-7 Dou graças a Deus. resumindo quando o crente anunciou essa palavra do livro de são Marcos resolvi ler e crer na Santa Bíblia entreguei meu coração para o SENHOR Jesus cristo de Nazaré e me converti dos maus caminhos e agradeço a Deus pela atenção do Senhor me batizei conforme a Bíblia diz consciente de que nasci de novo .com. O que é nascido da carne é carne. mas quem não crer será condenado. e um crente me questionou porque fizera tal coisa e se eu cria na bíblia Sagrada. na verdade te digo que aquele que não nascer de novo.@terra.11 PM batizei meu filho mais velho a algum tempo atrás.htm From: Tito 1. porventura. 2008 11. na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito.. Então como fui batizado quando criança eu minha família segui a tradição da igreja católica romana e fiz o mesmo com meu primogênito.15-16 .com. ao contrário do meu soberbo e arrogante pensamento resolvi ler a nossa biblia e constatei que o Senhor Jesus não Batizava as crianças e muito menos os apostolos.

Então um dos sacerdotes que tinham sido deportados de Samaria foi.. aí ele me mandou estes trechos da nossa bíblia católica que eu confesso que não tinha lido e ele também mandou o trecho do livro de Sabedoria capitulo 13 e 14 que eu também não tinha lido . Ele ensinou às pessoas como prestar culto a Javé. conforme o costume das nações de onde tinham sido exilados. serás salvo. pessoas comuns. os de Sefarvaim queimavam seus filhos em honra de Adramelec e de Anamelec. e com a boca se faz confissão para a salvação. e se fixou em Betel. ele me disse que Deus mandou fazer com um certo propósito. o santo padre o papa como sacerdote não deveria nos ensinar sobre isso ? por favor estou ficando sem argumento Paz e fogo tito 2 Reis 17: 28 – 41. como sacerdotes. uma de Nebaaz e uma de Tartac. 33 Temiam a Javé e também adoravam seus deuses. porém.. para que servissem nos templos dos lugares altos. 32 Também prestavam culto a Javé. na sinceridade só li o novo testamento .. 2 Reis 18:1 -7 fiquei um tanto quanto perplexo. mas quando li em nossa bíblia católica os trechos de 2 Reis 17: 28 – 41.@gmail. foi fabricando seus próprios deuses. deuses de Sefarvaim.2ºTimóteo 1:3 Paz e fogo A saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus. Nomearam. 30 Os babilônios fizeram uma estátua de Sucot-Benot.. os de Cuta. Visto que com o coração se crê para a justiça.29 Cada grupo. e colocou-os nos templos dos lugares altos que os samaritanos tinham feito.. e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos. pois será que estou sendo um idolatra com as imagens? Essa evangelização está virando uma desgraça. mostrei pra ele os e-mails e sobre Deus ter mandado fazer os querubins a serpente e tudo mais . Cada grupo fez isso nas cidades em que morava. uma de Nergel. 34 Ainda hoje seguem seus ritos 73 .com> Nilton indiquei o site dicionário da fé para um conhecido e mostrei o conteúdo que achei muito bom. e depois o povo começou a queimar incenso e idolatrar a serpente e um rei que fazia a vontatde de Deus quebrou tudo por causa da idolatria. uma de Asima. 31 os de Ava. Romanos 10 : 9-10 Irmão Tito 2008/7/2 Tito 1:11 <. os de Emat..

quebrou as estelas e derrubou os postes sagrados.. 5 Ezequias pôs sua confiança em Javé. Não temem a Javé. 36 Vocês devem cultuar. prestavam culto a seus próprios ídolos. nem a lei e os mandamentos que Javé ordenou aos filhos de Jacó.. É inacreditável que uma pessoa possa ser enganada tantas vezes seguidas !!! VAMOS DIRETO AO ASSUNTO: = PRIMEIRA PARTE: BATISMO DE CRIANÇAS – 74 . 41 Desse modo. filho de Ela. 39 Temam somente a Javé seu Deus. 40 Eles. 35 Javé tinha feito uma aliança com eles e ordenara: «Não adorem outros deuses. 37 Observem os estatutos e normas. e não prestem culto a outros deuses. com grande força e braço estendido..com.. que os tirou do Egito. nem praticam seus estatutos e normas.. 2 Ele tinha vinte e cinco anos quando subiu ao trono. filho de Acaz. Despedaçou também a serpente de bronze que Moisés havia feito. ao mesmo tempo. É inacreditável como uma pessoa possa acreditar em tanta mentira. rei de Israel. não os cultuem e não lhes ofereçam sacrifícios. Cuidem sempre de os colocar em prática. e era filha de Zacarias. começou a reinar em Judá no terceiro ano do rei Oséias. 4 Ele acabou com os lugares altos. 2 Reis 18:1 -7. e ele os libertará de todos os seus inimigos». a lei e os mandamentos que Javé deu a vocês por escrito. não obedeceram e continuaram a viver conforme o costume antigo. Ezequias. seguindo em tudo o seu antepassado Davi. Seus filhos e netos continuaram fazendo até hoje o que seus antepassados haviam feito. 38 Não esqueçam a aliança que fiz com vocês. Eles a chamavam de Noestã. e reinou vinte e nove anos em Jerusalém.br> segunda-feira. porém. adorar e oferecer sacrifícios somente a Javé. 28 de julho de 2008 09:11 Tito 1:11 <. 3 Ezequias fez o que Javé aprova.antigos. esses grupos adoravam a Javé e. Sua mãe se chamava Abia. porque os israelitas ainda queimavam incenso diante dela.com> Re: joão 3:6 Caro Tito. o Deus de AS RESPOSTAS Fontes <niltonfontes@uai.@gmail. a quem tinha dado o nome de Israel. Não prestem culto a outros deuses.. não se prostrem diante deles.

1. Primeiro Erro: Falso orientador O primeiro erro seu foi buscar orientação de "um crente" ( = protestante = inimigo da Igreja de Cristo). Você foi justamente buscar ajuda do seu inimigo. É claro que ele aproveitou a oportunidade para enganá-lo. Onde está na Bíblia que você deve "OUVIR UM CRENTE" ? - Meu caro, você deveria buscar orientação dos bispos católicos que são os sucessores dos apóstolos, pois na Bíblia diz para VOCÊ OUVIR OS APÓSTOLOS. Leia Lc 10,16.

2. Segundo Erro – Bíblia mal interpretada - Você foi buscar na Bíblia, já com os versículos dirigidos pelo "falso orientador". Portanto você caiu na armadilha do inimigo, pois Bíblia mal interpretada leva à perdição: 2Pd 3,16. Até o diabo citou versículos bíblicos para tentar Jesus no deserto(Mt 4). - O certo seria você buscar orientação nos documentos da Igreja (No Catecismo), pois Jesus disse para ouvir a Igreja: Mt 18,17. Mas você desobedeceu, por isso caiu em outra armadilha do inimigo.

3. Terceiro Erro - Palavra de Deus é suposição ? Você nega a Palavra de Deus e inventa coisas que não estão escritas na Bíblia. A Bíblia diz que os apóstolos batizavam famílias inteiras SEM QUALQUER EXCEÇÃO. Será que em todas essas famílias não havia uma criança sequer ? - Família de Cornélio: "Estando Pedro ainda a falar, o Espírito Santo desceu sobre todos os que ouviam a (santa) palavra....Então Pedro tomou a palavra: Porventura pode-se negar a água do batismo a estes que receberam o Espírito Santo como nós? E mandou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo"(At 10,44.47,48) - Família de Lídia: ". Foi batizada juntamente com a sua família "(At 16,15); - Família do carcereiro de Paulo: "Então, naquela mesma hora da noite, ele cuidou deles e lavou-lhes as chagas. Imediatamente foi batizado, ele e toda a sua família."(At 16,33). - Outro argumento falso é basear no fato de Jesus ter sido batizado adulto. É claro que não podia ser batizado como criança, pois foi Ele que instituiu o Batismo ! Também Abraão foi circuncidado com 99 anos(Gn 17,24), pois foi com ele que começou a Circuncisão. Mas todos foram circuncidados(Gn 17,23), cada qual na sua idade: Assim Ismael foi circuncidado com 13 anos(Gn 13,25) e Isaac com apenas 8 dias(Gn 21,4). No Antigo Testamento, a circuncisão era o rito de inclusão da pessoa no povo de Deus, é POIS UMA FIGURA DO BATISMO !!! Onde Está escrito que batizavam SÓ ADULTOS ? Onde está escrito que batizavam famílias inteiras, exceto crianças ?

75

4. Quarto Erro - Falsa interpretação de Mc 16,15-16. - É evidente que não basta ser batizado. É preciso crer em Jesus. Mas a fé vem pelo ouvido (Rm 10,13). É por isso que muitos católicos receberam o Batismo, mas depois são enganados por esses falsos pastores, pois nao receberam a fé. Os seus pais não cumpriram o compromisso de transmitir a fé ao filho batizado ainda criança. E a pessoa adulta ao invés de buscar a Palavra que lhe falta é iludida a ser batizada de novo nessas seitas perversas, quando está escrito: "Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo."(Ef 4,5). Onde está escrito que se deve RE-BATIZAR ?

- As crianças são pois batizadas na fé dos pais. Os pais receberam autoridade de falar em nome dos filhos. No Evangelho Jesus mostra claramente a autoridade dos pais sobre os filhos e realiza curas e libertações dos filhos através do pedido dos pais: Jesus cura a filha da mulher cananéia: Mt 15,28: "Disse-lhe, então, Jesus: Ó mulher, grande é tua fé! Seja-te feito como desejas. E na mesma hora sua filha ficou curada." Jesus não perguntou se a filha queria ser curada ou não, mas realizou conforme o pedido da mãe !!!

Jesus cura o filho de um oficial do rei: "Vai, disse-lhe Jesus, o teu filho está passando bem! O homem acreditou na palavra de Jesus e partiu. Enquanto ia descendo, os criados vieram-lhe ao encontro e lhe disseram: Teu filho está passando bem"(Jo 4,50-51).

- Além do mais, nem tudo está na Bíblia(Jo 20,30;21,25). Por isso a TRADIÇÃO É NECESSÁRIA. Em Jo 4,2 diz que os discípulos de Jesus batizavam. Você sabe como eles batizavam ? Não está escrito!!! - Então é preciso aprender com eles na prática... Na Bíblia não está !

"Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças" (São Cipriano, ano 248 Carta a Fido). "Onde não há escassez de água, a água corrente deve passar pela fonte batismal ou ser derramada por cima; mas se a água é escassa, seja em situação constante, seja em determinadas ocasiões, então se use qualquer água disponível. Dispa-selhes de suas roupas, batize-se primeiro as crianças, e se elas podem falar, deixe-as falar. Se não, que seus pais ou outros parentes falem por elas" (Hipólito, ano 215 - Tradição Apostólica 21,16). "A Igreja recebeu dos apóstolos a tradição de dar Batismo mesmo às crianças. Os apóstolos, aos quais foi dado os segredos dos divinos sacramentos sabiam que havia em cada pessoa inclinações inatas do pecado (original), que deviam ser lavadas pela água e pelo Espírito" (Orígenes, ano 248 - Comentários sobre a

76

Epístola aos Romanos 5:9) - ISTO É A TRADIÇÃO: A IGREJA APRENDEU COM ELES...Sem a Igreja e a Tradição você está perdido: Só fica inventando...

Aí estão os testemunhos dos primeiros cristãos que aprenderam com os apóstolos e os apóstolos aprenderam com Jesus.

Agora eu pergunto: E esses falsos pastores? Com quem eles aprenderam ? Com Lutero ?

Para saber mais, leia o artigo: "Batismo de Crianças"

SEGUNDA PARTE = QUESTÃO DAS IMAGENS: A SERPENTE DE BRONZE.

1. Primeiro Erro: "quando li em nossa bíblia católica os trechos de 2 Reis 17: 28 – 41... 2 Reis 18:1 -7 " Quando Deus proíbe imagens no Antigo Testamento, Ele está falando de IMAGENS DOS "DEUSES PAGÃOS". Imagens de ídolos, portanto. É preciso ler dentro do contexto. Você cometeu o erro de ser dirigido pelo inimigo. Satanás também usou versículos da Bíblia para tentar Jesus. Mas Jesus soube responder com a mesma Palavra da Escritura. Então aprenda responder agora: Deus manda fazer imagens: - Ex 25,18: "Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido..."; - Ex 26,1: "Farás o tabernáculo ... sobre as quais alguns querubins"; - Nm 21,8: "Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste". O TEMPLO DE SALOMÃO ERA CHEIO DE IMAGENS ! Como Deus pode proibir imagens, se ELE MESMO MANDA FAZER ?^ DEUS SE CONTRADIZ?

77

2. Segundo erro: A serpente de bronze foi destruída. - Este é um erro tão grosseiro, que nem uma criança de sete anos cai numa tolice dessa. - Será então que Deus errou em mandar fazer a Serpente de Bronze... e quinhentos anos depois o rei Ezequias corrigiu o erro de Deus, quebrando a serpente ? - É isto que vocês falsários fazem também com Jesus: - Dizem que Jesus errou em dar autoridade a Pedro, e então 1.500 anos depois mandou Lutero consertar o erro ?!?!? Como não têm inteligência para entender o que está tão claro. Os israelitas transformaram a serpente de bronze numa "deusa": Nehustã. E é exatamente isto que Deus condena. Então o rei Ezequias quebrou-a. Quebrou o ídolo, quebrou a "deusa Nehustã", que eles estavam adorando.

Para entender mais sobre o assunto, leia o artigo: " Católicos adoram imagens?"

Que Deus o ilumine para encontrar a verdade, que liberta !

Paz e Fogo!!!

Em 28.07.2008 Nilton Fontes

78

O QUE É O BATISMO? VEJAMOS O QUE A BÍBLIA TEM A DIZER?

Autor: Bob Stanley Tradução: Rogério Hirota (SacroSancttus) - Revisado em 31/Mar/2008 Fonte: El baú del Tesoro Catolico Fonte: http://www.exsurgedomini.xpg.com.br/ O Batismo Fonte: El baú del Tesoro Catolico Autor: Bob Stanley Tradução: Rogério Hirota (SacroSancttus) - Revisado em 31/Mar/2008 Batismo: Sacramento pela qual uma pessoa é purificada de todo o pecado, pela água e pela Palavra de Deus, pelo batismo o pecado é retirado dando lugar a Deus. " O Sagrado Batismo é a base de toda a vida cristã, o caminho a vida no Espirito (...) e a porta que dá acesso a outros sacramentos" . Catecismo da Igreja Catolica 1213 É pelo batismo que nos tornamos filhos e filhas de Deus. O Batismo no Antigo Testamento: "O Senhor disse a Moisés o seguinte: “Toma os levitas do meio dos israelitas e purifica-os. Eis como farás para purificá-los: asperge-os com a água da expiação e eles passem uma navalha sobre todo o corpo, lavem as suas vestes e purifiquem-se a si mesmos." Números 8,5-7 "Aspergi-me com um ramo de hissope e ficarei puro. Lavai-me e me tornarei mais branco do que a neve." Salmo 51,9 "Jerusalém, limpa o coração da maldade, a fim de que consigas a salvação" Jeremias 4,14 "Eu vos retirarei do meio das nações, eu vos reunirei de todos os lugares, e vos conduzirei ao vosso solo. Derramarei sobre vós águas puras, que vos purificarão de todas as vossas imundícies e de todas as vossas abominações. Dar-vos-ei um coração novo e em vós porei um espírito novo; tirar-vos-ei do peito o coração de pedra e dar-vos-ei um coração de carne. Dentro de vós meterei meu espírito, fazendo com que obedeçais às minhas leis e sigais e observeis os meus preceitos."

79

Ezequiel 36,24-27 "libertá-los-ei de todas as transgressões de que se tornaram culpados e purificá-losei. Eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus." Ezequiel 37,23 "Naquele dia jorrará uma fonte para a casa de Deus e para os habitantes de Jerusalém, que apagará os seus pecados e suas impurezas." Zacarias 13,1 A primeira menção do Batismo no Novo Testamento é na passagem sobre João Batista: "Confessavam seus pecados e eram batizados por ele nas águas do Jordão." Mateus 3,6 O Batismo de São João não era o batismo cristão iniciado após a ressurreição de Cristo. Era um Batismo de arrependimento. "Eu vos batizo com água, em sinal de penitência, mas aquele que virá depois de mim é mais poderoso do que eu e nem sou digno de carregar seus calçados. Ele vos batizará no Espírito Santo e em fogo." Mateus 3,11 "No último dia, que é o principal dia de festa, estava Jesus de pé e clamava: Se alguém tiver sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura: Do seu interior manarão rios de água viva (Zc 14,8; Is 58,11). Dizia isso, referindo-se ao Espírito que haviam de receber os que cressem nele, POIS AINDA NÃO FORA DADO O ESPÍRITO, VISTO QUE JESUS AINDA NÃO TINHA SIDO GLORIFICADO " João 7,37-39 Ele lhes perguntou: " Recebestes o Espírito Santo, quando abraçastes a fé? Responderam-lhe: Não, nem sequer ouvimos dizer que há um Espírito Santo! Então em que batismo fostes batizados?, perguntou Paulo. Disseram: No batismo de João. Paulo então replicou: João só dava um batismo de penitência, dizendo ao povo que cresse naquele que havia de vir depois dele, isto é, em Jesus.Ouvindo isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus." Atos 19,5 os Padres da Igreja também citaram o Batismo de São João: " Inclusive o Senhor mesmo disse que enquanto Ele não ascendesse primeiro ao Pai, o Espírito não desceria (João 16,7). Então o Senhor não estava ainda conferindo certamente o que o servo não era capaz de dar. Conforme isto, encontramos depois nos Atos dos Apostolos que aqueles que havia recebido o batismo de João não havia recebido o Espírito Santo (Atos 19,1-5). Tertuliano, Batismo 10:4 " Portanto, meus amados, que o Batismo de João não tinha valor para o perdão dos pecados, senão para o arrependimento." Aphraates, Treatises, 12,10 " Pergunto então, se o Batismo de João perdoava os pecados, que mais poderia fazer o Batismo de Cristo por aqueles que o Apóstolos Paulo queria batizar com o Batismo de Cristo depois destes ter recebido o Batismo de João? " Santo Agostinho, O Batismo 5,10,12 " [...] então aqueles que foram batizados por João, não foram batizados de novo? " Santo Agostinho, Homilias sobre João, 5,18 O Batismo dado pelos Apóstolos antes da Ressurreição também tem o mesmo significado do Batismo de João. Somente a partir de Atos 2,3-4, quando os Apóstolo receberam o Espirito Santo que foram então capaz de outorgar o Batismo de Cristo. "Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas

80

8 "Apareceu-lhes então uma espécie de línguas de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Ficaram todos cheios do Espírito Santo e começaram a falar em línguas." Atos 2. pois. em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo" Atos 1. então imergir ou mergulhar uma mão ou um pé seria também uma interpretação correta.19 Quem pode batizar? Qualquer pessoa que através do uso da razão.3-4 Logo após a vinda do Espírito Santo. lavar-se ou banhar-se. Em Nome do Pai.testemunhas em Jerusalém. batizai-as em nome do Pai. tem razão. Qual é a maneira correta de batizar? " O rito essencial do Batismo consiste em mergulhar na água o candidato ou em derramar água sobre sua cabeça." Atos 22. Porque a Igreja Católica não batiza por imersão? Resposta: Sim. Recebe o batismo e purifica-te dos teus pecados. do Filho e do Espírito Santo. a palavra grega "baptizo" (ou também Baptisma ou Baptismos) significa mergulhar. E naquele dia elevou-se a mais ou menos três mil o número dos adeptos" Atos 2. LIMPAR COM ÁGUA. tiver a reta intenção de fazê-lo conforme a Igreja o faz. isto. e ensinai a todas as nações. por que tardas? Levanta-te. mas também significa limpar por imersão.16 Aonde encontramos na Bíblia a autorização para o Batismo? "Ide. os apóstolos começaram a batizar as pessoas. Se você deseja usar a palavra imersão como o único significado do batismo. Até porque a palavra Batismo vem da palavra grega "baptizo" que significa mergulhar. Agora eu pergunto. pronunciando a invocação da Santíssima Trindade.41 "E agora. "Pedro lhes respondeu: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados. Qualquer pessoa pode ser batizado a não ser que exista alguma dúvida sobre o Sacramento.38 "Os que receberam a sua palavra foram batizados." Atos 2. Lavar. invocando o seu nome. e recebereis o dom do Espírito Santo. Filho e Espirito Santo" Catecismo da Igreja Catolica §1278 Algumas perguntas e suas resposta sobre o Batismo 1ª Pergunta: Eu creio que o Batismo por imersão é o único realmente válido. conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. Quem pode ser batizado? Qualquer pessoa que não tenha sido batizado e tenha a reta intenção." Mateus 28. o propósito do batismo é limpar o nosso corpo por imersão ou 81 .

10 mas não diz que Ele foi submergido em água. Mateus 3. Agora eu te pergunto o porquê disso tudo? Será porque Jesus foi batizado por imersão? Se fosse pensar assim. Se não puder batizar com água fria.1 Quanto ao batismo. batizai-as em nome do Pai. e ensinai a todas as nações. A Didaqué foi o ensino dos Apóstolos conhecido como Catecismo dos Primeiros Cristãos. escrito ainda no Século I diz: 7.19: "Ide.3 Na falta de uma ou outra. Note que os apostolos não fizeram menção do Batismo por "imersão". então devo dizer que Ele também foi crucificado antes de ascender ao céu. em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. mas nem todas as Igrejas Católica tem a facilidade de batizar por imersão. batize em outra água. em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Será que isto também significa que nós também devemos ser crucificados antes de entrar no céu? Mostre-me na Bíblia onde que consta que a cada batismo foi realizado somente por imersão.. faça assim: depois de ditas todas essas coisas. mergulhado. 2ª Pergunta: A Igreja Católica batiza crianças. do Filho e do Espírito Santo. Você deve ordenar ao batizando um jejum de um ou dois dias." Jesus não diz que era somente os adultos não é mesmo? Jesus por acaso colocou uma idade limite para se receber o Batismo? Se colocou qual seria a idade minima.limpar a nossa alma fazendo-a agradável a Deus retirando todo o pecado original? A Igreja Católica se for solicitada batiza também por imersão. batize em água corrente. então deve-se buscar por um meio que seja acessível a todos. faça com água quente.]" não disse "quem não submergir na água ". A Sagrada Escritura nos diz que Ele saiu da água. 7.2 Se você não tiver água corrente. devem observar o jejum. baseando-se na Biblia? 82 . 7.4 Antes de batizar. tanto aquele que batiza como o batizando. pois. Mostre-me a autoridade bíblica para fazer isto? Resposta: Aonde diz nas Sagradas Escrituras "não batizar crianças"? Mostre a autoridade bíblica para NÃO batizar crianças? Jesus Cristo diz em Mateus 28. derrame água três vezes sobre a cabeça. Mostre-me na Bíblia onde diz que Jesus Cristo foi imergido.] quem não renascer da água [.5 " [.. Jesus nos diz em João 3. 7.. Veja o artigo 1278 do Catecismo da Igreja Catolica.16 e Marcos 1. bem como aqueles que puderem.

1 Pedro 3.)" I Corintios 1. O Batismo citado no Novo Testamento em Atos 2. no oitavo dia do seu nascimento." Lucas 3. Rom 6.4. A circuncisão tinha que ser feito no inicio da vida. circuncidou-o."E agora. A prefiguração do batismo no Antigo Testamento era a circuncisão. será circuncidado entre vós nas gerações futuras" Gen. batizei também a família de Estéfanas. entrai em minha casa e ficai comigo. no oitavo dia de seu nascimento.21 As crianças não faz parte do povo? Para aqueles que negam o batismo infantil: o peso da prova está sobre os mesmos na tentativa de demonstrar que todos os versiculos anteriormente mencionados que em todas as situações e familias citadas não havia crianças.21 83 ." Atos 16. "Foi batizada juntamente com a sua família e fez-nos este pedido: Se julgais que tenho fé no Senhor. Pedro não diz deixe suas crianças em casa.15 Será que nesta casa não haveria de ter crianças? Por acaso Lucas afirma "sua familia exceto as crianças?"." Atos 22." Mateus 19. Além destes.38. também Jesus o foi. foi-lhe posto o nome de Jesus" Lucas 2.16 Por acaso Paulo disse "a familia de Estéfanas menos as crianças" ? "Quando TODO O POVO ia sendo batizado." Gen 21. que fazia do homem um Judeu. Recebe o batismo e purifica-te dos teus pecados.21 afirma que este Sacramento faz do homem um cristão e o salva. POR QUE TARDAS ? Levanta-te.38 Eu diria que este versculo inclui a todos desde bebês e crianças de todas as idades.16 Então porque tardar em batizar crianças? "Pedro lhes respondeu: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo" Atos 2. não me consta ter batizado ninguém mais.E. "Disse-lhes Jesus: Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais. "(Aliás.4 "Completados que foram os oito dias para ser circuncidado o menino. "Todo homem. 17. porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham. correto? Eu te pergunto: Se a circunsição das crianças eram tão importante para o povo do Antigo Testamento.12 Com oito dias de vida significa que se inclui os bebês.14 Como as crianças poderiam ir até Jesus sem ao menos ser batizados? Para aqueles que são contra o batismo infantil encontrará aqui um conflito bíblico que põe em risco a salvação das almas de suas crianças. passados oito dias do seu nascimento. invocando o seu nome. como Deus lhe tinha ordenado. Porque entãopara algumas pessoas as crianças são excluidos do batismo no Novo Testamento? "Abraão pôs o nome de Isaac ao filho que lhe nascera de Sara.

«Sabeis muito bem que a firmeza da fé e a participação nos sacramentos fazem fortes vossos fiéis diante do risco das seitas ou de grupos pretensamente carismáticos. Foi a mensagem que deixou esta quinta-feira ao receber os bispos da Guatemala que realizaram sua qüinqüenal visita «ad Limina Apostolorum» ao Papa e a seus colaboradores..org/article-17792?l=portuguese Papa apresenta vida sacramental como antídoto às seitas Ao receber os bispos da Guatemala CIDADE DO VATICANO. celebrando com alegria sua fé como membros vivos do Corpo de Cristo (cf. 1 Co 12. que criam desorientação e chegam a pôr em perigo a comunidade eclesial».zenit. 84 . especialmente na América Latina. 27) e fiéis ao fundamento dos apóstolos». o Santo Padre constatou que «Deus abençoou o povo guatemalteco com um profundo sentimento religioso. onde diz nas Escrituras que não se deve batizar as crianças? © Escrito por Bob Stanley em 25 de Outubro de 1999 Atualizado em 31 de Agosto de 2000 PAPA APRESENTA VIDA SACRAMENTAL COMO ANTÍDOTO PARA ÀS SEITAS! Autor: Papa Bento XVI Fonte: http://www. rico de expressões populares. acrescentou o Papa. 6 de março de 2008 (ZENIT.Onde é no Antigo Testamento se afirma que NÃO se deve circuncidar as crianças? Que as crianças são excluídas do rito que as tornam parte do povo de Deus? Mais uma vez eu pergunto.org).Bento XVI apresentou uma vida de fé e de participação nos sacramentos como antídoto contra a expansão das seitas. que hão de amadurecer em comunidades cristãs sólidas. Depois de ter recebido pessoalmente os prelados e de ler seus informes. quinta-feira.

5 de fevereiro de 2008 (ZENIT. pelas mãos do cardeal Tomko Por Marta Lago CIDADE DO VATICANO. pelo que insistia na necessidade de substituir os católicos por outros cristãos na América Latina.zenit.Nos últimos trinta e cinco anos.05-02-2008 Permalink: http://www. segundo alguns especialistas. sacramental que o Papa também recebe ZP08020509 . Assim recorda o cardeal Jozef Tomko. começarão às 16h30. em declarações publicadas pela agência «Notimex» em 3 de janeiro de 1999. o Papa Bento XVI receberá na quarta-feira – como incontáveis cristãos de todo o mundo – a imposição das Cinzas. objetivo que fracassou. Estimativas apontam que na Guatemala existam atualmente cerca de dez mil grupos fundamentalistas.zenit. presidente do Conselho Pontifício para a Pastoral no Campo da Saúde. pois também há pessoas que abandonam posteriormente essas confissões.org/article-17469?l=portuguese Cinzas. Rockefeller para o presidente Richard Nixon em agosto de 1969. UM SACRAMENTAL QUE O PAPA TAMBÉM RECEBE Autor: Marta Lago Fonte: http://www. presidido por Bento XVI. O cardeal mexicano Javier Lozano Barragán. ainda que os números exatos são difíceis de confirmar. «ajuda a alcançar a salvação».org). O cardeal Lozano revelava que as seitas se tinham proposto para o ano 2000 ter entre suas filas 50% da população guatemalteca. Os ritos da Quarta-Feira de Cinzas. CINZAS. revelava que uma das causas desta invasão se encontra no informe redigido por Nelson A.. o significado deste gesto e do tempo litúrgico que ele abre.No começo da Quaresma. longe de teatralidade ou formalidades ainda sacras. O documento sustentava que após o Concílio Vaticano II a Igreja Católica deixou de ser uma aliada de confiança para os Estados Unidos e a garantia de estabilidade social no continente (sul-americano). Rockefeller pedia no documento apoio para os grupos fundamentalistas cristãos e as agregações como Moon e Hare Krishna. que imporá as Cinzas ao Santo Padre. 85 . grupos protestantes e outras seitas religiosas teriam conseguido atrair quase 30% da população. Vários representantes da Santa Sé denunciaram nos últimos anos que a Guatemala se converteu em uma espécie de experimento para os grupos fundamentalistas dos Estados Unidos para penetrar em toda a América Latina. um sacramental que. terça-feira.org/article-17469?l=portuguese Na quarta-feira.

reconhece o purpurado em uma entrevista concedida a «L’Osservatore Romano» – edição diária italiana (vespertina) de 6 de fevereiro de 2008. arcebispos e bispos. condenando o erro protestante. porque assim recebeu o ensino dos Apóstolos. A Igreja católica sempre ensinou e sempre ensinará que há sete sacramentos. nem mais. São.com um momento de oração na igreja de Santo Anselmo e uma procissão penitencial para a basílica de Santa Sabina. com a participação de cardeais. Júlio Maria "Luz nas Trevas". pronunciando uma destas duas exortações: «Converte-te e crê no Evangelho» ou «Recorda que és pó e em pó te converterás». tanto pela Tradição. Três argumentos temos às mãos para provar a tese dos sete sacramentos.COMO PROVAR A EXISTÊNCIA DOS SETE SACRAMENTOS? Autor: Pe. é quem impõe por sua vez as Cinzas sobre a cabeça do Papa. Nunca houve discussão a este respeito na Igreja. e assim o vai transmitindo aos séculos. da qual é titular –há doze anos – o cardeal Tomko. e por isso. pois. e todos três são irrefutáveis: 86 . sete os sacramentos. ENTENDENDO OS SACRAMENTOS . As duas são difíceis de dizer ao Papa. 1955. religiosos e fiéis. O Santo Padre presidirá a Santa Missa com o rito de bênção e imposição das Cinzas na basílica da colina romana do Advento. contra os protestantes que nunca estiveram de acordo entre si sobre este ponto. embora não encontremos nos primeiros séculos a enumeração metódica que hoje empregamos na citação dos sacramentos. definido pelo Concílio de Trento. como pelo Evangelho. Fonte: Frente Universitária Lepanto É um dogma. que existem os sacramentos e que são em número de sete. nem menos.

recebidos da Igreja Romana. Propagação para perpetuar-se. a idade madura e a velhice. conservação e prosperidade espiritual. nascer. refazer-se nos achaques da velhice. como os monofisitas e os nestorianos. quer do corpo inteiro da Igreja. alimentar-se. se houvesse mais. b) O Bom-senso É apenas argumento de conveniência. todas as necessidades estão preenchidas. os dois últimos para o governo e a multiplicação da Igreja. 3o. quando até mesmos os hereges. 2o. Os sete sacramentos são. deste modo. Na ordem natural. Tal é a ordem natural. Não se pode negar que a analogia é admirável e estabelece que deve haver sete sacramentos. Autoridade para governar. Santo tomas explica admiravelmente esta analogia.a) A crença dos séculos b) O bom-senso c) O Evangelho A) Crença Secular O primeiro argumento da crença popular desta verdade parece remontar ao século V. a juventude. faltaria qualquer coisa. 5o. aceitavam o número dos sete sacramentos. é certo.. Os sete sacramentos reunidos são necessários e bastam para a vida. quer de cada membro em particular. mas este argumento tem o seu valor pela analogia perfeita que estabelece entre as leis da vida natural e as leis da vida sobrenatural. como outros tantos socorros. 7o. O batismo é o nascimento da graça A crisma é o desenvolvimento da graça A eucaristia é o alimento da alma A penitência é a cura das fraquezas da alma A extrema-unção é o restabelecimento das forças espirituais A ordem gera a autoridade sacerdotal O matrimônio assegura a propagação dos católicos e das suas doutrinas. Temos os mesmos elementos na ordem espiritual: 1o. Os cinco primeiros são estabelecidos para o aperfeiçoamento pessoal. Se houvesse menos. é preciso: 1o. para a infância. dispostos ao longo do caminho da vida. 87 . 4o. fortificar-se. 6o. Em textos deles é explícito o número de sete sacramentos. 5o. haveria um supérfluo. 4o. Para o aperfeiçoamento moral a humanidade carece de: 1o. 2o. 3o. 2o. para as duas principais "carreiras" que se oferecem: sacerdócio e casamento. para o aperfeiçoamento pessoal. curar-se na enfermidade.

discípulos de João e a "eles impôs as mãos. 61). Paulo imporia as mãos sobre quem já era batizado se a Crisma não fosse um sacramento que confirmasse o Batismo. disse Ananias a Saulo (At 22. completando os dons do Espírito Santo? Segundo estes textos.19). disse Jesus a Nicodemos. para que o Espírito Santo baixasse sobre eles" (At 19. mas vai enumerando todos os sete. Paulo. o mesmo protestante acredita na Santíssima Trindade e Nosso Senhor nunca falou o número três para designar esse mistério. 38-41). vindo a Éfeso. 16). quem não renascer da água e do Espírito Santo. Filho e Espírito Santo". e Paulo de outro. Os apóstolos Pedro e João. Todavia. Três mil pessoas receberam o batismo das mãos de S. apenas disse: "Pai. ensinai todas as gentes. instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo. Os Apóstolos administravam o batismo a todos os que desejavam alistar-se na religião nova. e recebiam estes o Espírito Santo (At 8. Estarão expressos no Evangelho os sete sacramentos? Perfeitamente! O que o protestante não consegue entender é que Nosso Senhor não citou o número de 7. disse Jesus a seus discípulos. O Evangelho não fala de sete sacramentos. será salvo". S. não pode entrar no reino de Deus" (Jo 3. e do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28. Do mesmo modo. Pedro. A Crisma Os atos dos apóstolos provam que o seu rito exterior consiste na imposição das mãos. no dia de pentecostes (At 2. o último argumento deve ser o mais decisivo. em nome de Jesus Cristo. diferente do batismo que utiliza a água.c) O Evangelho Para o protestante. enviados a Samaria. compreende-se claramente que Pedro e João de um lado. "O que crer e for batizado. pela imposição das mãos 88 . 5). deram o Espírito Santo. "Ide. batizou. O Batismo: Sua instituição e preceito estão positivamente marcados nos seguintes textos: "Em verdade vos digo. 1-6). escravo da letra da bíblia. batizando-as. promete o Salvador (Mc 16. em nome do Padre. Para que S. "Recebe o batismo e lava os teus pecados". "punham as mãos sobre os que tinham sido batizados". 12-17). mas citou os sacramentos.

uma tal prática seria ridícula. e designa a presença real e substancial de Jesus Cristo sob as aparências de pão e vinho. falando a primeira vez deste grande sacramento: "Eu sou o pão da vida. não tereis a vida em vós. Eu sou o pão vivo. Essa presença não foi contestada nem mesmo por Lutero.Ora. cada vez mais positivo e mais claro: "Se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue. dist. art. ele diz: "Eu quereria que alguém fosse assaz hábil para persuadir-me de que na Eucaristia não se contém senão pão e vinho: esse me prestaria um grande serviço. O que comer a minha carne e beber o meu sangue terá a vida eterna. Eis. e não vejo nenhum meio de sair daí. 48-52). Que clareza nessas palavras! Que quer dizer isso: "Eu sou o pão vivo . João. Em carta a seu amigo Argentino (De euch. e o pão que eu darei é a minha carne. e o meu sangue é verdadeiramente bebida. É ou não é a carne de Cristo? É ou não é Cristo que será o pão que deve ser comido? Será que Deus não saberia se expressar direito se desejasse fazer uma simples alegoria? E não é só isso! Nosso Senhor continua. os termos de que Jesus Cristo se serviu. se eles o fizessem fora da vontade e das prescrições do Mestre. O texto do Evangelho é claro demais". fica em mim e eu nele. A Crisma é. I.. O que come a minha carne e bebe o meu sangue.. O que me come.. Porque a minha carne é verdadeiramente comida. para a vida do mundo" (Jo 6. em S.) falando sobre o texto evangélico "Isto é o meu corpo". Este é o pão que desce do céu. vossos pais comeram o maná no deserto e morreram. 89 . viverá por mim. um sacramento instituído por Nosso Senhor. pois.o pão que eu darei é a minha carne". viverá eternamente. que desci do céu. Este é o pão que desceu do céu.. A Eucaristia A palavra "Eucaristia" provém de duas palavras gregas "eu-cháris": "ação de graça". Eu tenho trabalhado nessa questão a suar. Se alguém comer deste pão. porém confesso que estou encadeado. para que o que dele comer não morra.

e quem comer desta carne "viverá eternamente". Eis um trecho claríssimo. Cristo repete: "O que come a minha carne. Este vinho não é o teu sangue. o protestante nega as palavras de Cristo.. Cristo afirma.59). não comemos a ti.. porque eu não o quero.. viverá eternamente!" (Jo 6.. que não deixa margem à dúvidas. minha carne é verdadeiramente comida". reafirma. uma simples lembrança!. O protestante objeta: Não. este pão não é tua carne! Cristo completa: "O que me come. A posição dos protestantes é a posição que tomaram os fariseus: 90 . De tudo que afirmas. sem deixar subsistir a mais leve hesitação.que seu sangue é uma "bebida" . viverá por mim. Nosso Senhor afirma categoricamente: ". dada aos homens para remissão dos pecados. senhor.O que come este pão. é uma ceia." O protestante insiste: Não. Teu corpo não é comida.que seu corpo é uma "comida" .que é um pão celeste que dá a vida eterna. é um pedaço de pão! Cristo ajunta: "Minha carne é verdadeiramente comida".. O protestante discorda: Não.. E tudo isso é positivo. é simplesmente um pedaço de pão!. O protestante exclama: Não. nada é verdade. repete. e explica que o pão que ele vai dar é o "seu próprio corpo" . repetido mais de 50 vezes. senhor. Ao negar a presença eucarística. Este pão não é o teu corpo.. fica em mim". senhor. senhor. Teu sangue não é bebida.... Cristo diz: "Este é o meu corpo". não é a tua carne. 54 . é para ser comida. É impossível negar algo tão claro: a carne de Cristo. Este pão do céu não existe.

apenas para prometer-nos um "pedaço de pão". fala-se com mais coração e com mais firmeza.Fazei isto em memória de mim" (Lc 22. dissipa o equívoco e explica que é simbólico o que Ele acaba de dizer."Como pode este dar-nos a sua carne a comer?" (Jo 6. porque. É a cena da promessa da eucaristia. Que fará Jesus. que retire-se com os outros! A verdade é essa e não muda. O dia escolhido é a véspera da morte do Messias. impacientemente desejado (Lc 22. examinemos a instituição da Eucaristia. Em meio das ternuras lacerantes do adeus. E S. 15). 67). estando para morrer. que será derramado por muitos. para quem havemos de ir? Tu tens as palavras de vida eterna. quem pode ouvir uma tal linguagem!" (Jo 6. 68). para a remissão do pecado" (Mt 26. 67-70). Neste momento. porque isto é o meu sangue do novo testamento. e deu-o a seus discípulos. Jesus tomou o pão. num tom que não admite réplica. E nós cremos e conhecemos que tu és Cristo. 27-28) 91 . 53). Retiram-se murmurando: "É duro demais. o Filho de Deus" (Jo 6. para que não se perdessem os que se retiravam? Não! Vira-se para seus Apóstolos e. que é dado por vós . Agora. "E tomando o cálice. que acreditavam e amavam mesmo sem entender! Aos protestantes. isto é o meu corpo. não se estará mais para explicar ou interpretar as próprias palavras. e o deu a eles. pois. dizendo: Bebei deste todos. deu graças. eis que se passa: "Quando estavam ceando. 19). 12). que devemos comer em sua lembrança? Seria impossível. benzeu-o e partiu-o. que ia sendo preparada por Nosso Senhor em seus Apóstolos. É como se afirmasse: quem não desejar aceitar a verdade. utilizando palavras tão majestosas e escandalizando a tantos incrédulos. dizendo: Tomai e comei. pergunta: "E vós também quereis abandonar-me?" (Jo 6. num festim preparado com solenidade (Lc 22. cabe uma pergunta muito objetiva: Seria possível Cristo ser tão solene e tão claro. Pedro lança este sublime brado de fé: "Senhor. deixando aqueles que se amam. neste momento onde.

somos culpados do corpo de Jesus Cristo. Ora. qualquer que comer este pão ou beber o cálice indignamente. não discernindo o corpo do Senhor. quem não discerne o corpo de Cristo de um vulgar pedaço de pão. 23 30). 23 .. anunciais a morte do Senhor. como e bebe para si mesmo sua própria condenação. tão antigo como o grego. Porque o que come e bebe indignamente. todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice. comei: isto é o meu corpo que será entregue por vós. 27) . estás curada!" E ela fica curada. "Isso é meu corpo!" E esse é o corpo do Cristo. Ou seja. inequivocamente. Paulo diz. pode ser um crime. depois de cear. o homem a si mesmo. come a sua própria condenação. sai do sepulcro!" E Lázaro sai imediatamente. será culpado do corpo e do sangue do Senhor. E tendo dado graças. o mesmo que é dado por vós .e ainda no mesmo sentido: "O que come indignamente. dizendo: Esta é a nova aliança no meu sangue. "Mulher. indignamente. que. S. até que venha. Paulo. Paulo afirma que. Redentor nosso. Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem (o sono da morte)" (I Cor 11. e come este pão indignamente. o sangue derramado por vós em remissão dos pecados".30): "Eu recebi do Senhor. fazei isto. como é que alguém pode ser culpado do corpo de Cristo se este corpo não estiver no pão que come? Comer um pedaço de trigo. sem devoção e com a alma manchada. será culpado do corpo do Senhor" (1 Cor 11. diz-se: O que se nos dá "é o próprio corpo de Jesus. seu próprio sangue". meu próprio corpo. na sua epístola aos Coríntios (11. Portanto.. 29). comungando indignamente. tomou o cálice. pelo Messias. na noite em que foi traído. Não há outro sentido possível nesses textos.. 92 .Que magnífica simplicidade e previsão nos termos! O original grego é mais forte ainda: "Isto é o meu corpo. que derramou seu sangue na Cruz por nossos pecados. fazei isto em memória de mim. pois. Examine-se. meu próprio sangue da nova aliança. S. E S. o qual a vítima "come sua própria condenação"? É ridículo! Aliás. É a presença real afirmada. Que precisão nas palavras e que autoridade! Quanto poder nestas palavras: "Lázaro.. Do mesmo modo. tomou o pão. o que S.. Paulo afirma acaba condenando o protestantismo: É culpado do corpo do Senhor e come sua própria condenação. E no texto siríaco. o partiu e disse: Tomai. com esta lógica que lhe é peculiar: "Quem comer este pão .Isto é meu sangue. não discernindo o corpo do Senhor" (1 Cor 11.. feito no tempo dos Apóstolos.

Eis a verdade irrefutável da Eucaristia. Confissão A confissão consiste em um sacramento instituído por Jesus Cristo no qual o sacerdote perdoa os pecados cometidos depois do batismo. Sobre o sacramento da Confissão, devemos analisar o seguinte: 1) Os homens pecam 2) É necessário obter o perdão desses pecados 3) Nosso Senhor instituiu um sacramento para a remissão dos pecados 4)) A confissão deve ser feita a um Padre. 5) Diferença entre "atrição" e "contrição" 6) O que é necessário para ser eficaz uma confissão? Vamos às respostas. 1) Os homens pecam: Diz a Sagrada Escritura: "O justo cai sete vezes por dia" (Prov 24, 16). E se o próprio justo cai sete vezes, que será do pobre que não é justo? "Não há homem que não peque" (Ecl 7, 21). "Aquele que diz que não tem pecado faz Deus mentiroso" (1 Jo 1, 10). O "Livre Arbítrio" humano permite ao homem realizar atos contrários ao seu criador. 2) É necessário obter o perdão desses pecados "Nesta porta do Senhor, só o justo pode entrar" (Sl 117, 20). "Não sabeis que os pecadores não possuirão o reino de Deus?" (1 Cor 6, 9). Portanto, para entrar no Reino de Deus, é necessário obter o perdão dos pecados. 3) Nosso Senhor instituiu um sacramento. Qual é o meio que existe para alcançar o perdão dos pecados? Nos diz S. João: "Se confessarmos os nossos pecados, diz o Apóstolos, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e purificar-nos de toda injustiça" (1 Jo 1, 8). Todavia, "aquele que esconde os seus crimes não será purificado; aquele, ao contrário, que se confessar e deixar seus crimes, alcançará a misericórdia" (Prov. 38, 13). "Não vos demoreis no erro dos ímpios, mas confessai-vos antes de morrer" (Ecl 17, 26). A confissão não é nova, já existia no Antigo Testamento, mas foi elevada à dignidade de Sacramento por Nosso Senhor, que conhecia a fraqueza humana e desejava salvar seus filhos.

93

No dia da ressurreição, como para significar que a confissão é uma espécie de ressurreição espiritual do pecador, "apareceu no meio dos apóstolos... e, mostrando-lhes as mãos e seu lado... lhes disse: A paz esteja convosco. Assim como meu Pai me enviou, eu vos envio a vós. ... soprando sobre eles: recebei o Espírito Santo... Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 21, 21 - 23). O mesmo texto encontra-se em S. Mateus (Mt 28, 20). Como tudo é claro! Nosso Senhor tinha o poder de perdoar os pecados, como se desprende de S. Mateus (Mt 9, 2-7). Ele transmite esse poder aos seus Apóstolos dizendo: "assim como o Pai me enviou", isto é, com o poder de perdoar os pecados, "assim eu vos envio a vós", ou seja, dotados do mesmo poder. E para dissipar qualquer dúvida, continua: "soprando sobre eles: Recebei o Espírito Santo..." como se dissesse: Recebei um poder divino... só Deus pode perdoar pecados: pois bem... "Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 21, 21 - 23). A conclusão é rigorosa: Cristo podia perdoar os pecados. Ele comunicou este poder aos Apóstolos e por eles aos sucessores dos Apóstolos: pois a Igreja é uma sociedade "que deve durar até o fim do mundo" (Mt 28, 20). O livro dos Atos dos Apóstolos refere que quem se convertia "vinha fazer a confissão das suas culpas" (At 19, 18). Aqui nós começamos a refutar uma argumentação dos protestantes: cada um se confessa diretamente com Deus. 4) A confissão deve ser feita a um padre. Pelo próprio livro dos Atos dos Apóstolos, quando se afirma que o convertido "vinha fazer a confissão", fica claro que era necessário um deslocamento da pessoa para realizar a confissão junto aos Apóstolos, pois o verbo "vir" é usado por quem recebe a visita do penitente. Se a confissão fosse direta com Deus, bastaria pedir perdão de seus pecados, sem precisar 'ir' até a Igreja. Aliás, S. Tiago é explícito a esse respeito: "confessai os vossos pecados uns aos outros, diz ele, e orai uns pelos outros, a fim de que sejais salvos" (Tgo 5, 16). Isto é, confessai vossos pecados a um homem, que tenha recebido o poder de perdoá-los. De qualquer forma, a instituição do Sacramento deixa claro o poder que Nosso Senhor conferiu à sua Igreja.

94

Sem a vontade de se confessar com um outro homem, o pecador demonstra que seu arrependimento não é profundo, pois ele não se envergonha mais de ofender a Deus do que de expor sua honra. No fundo, ama a si mesmo mais do que a Deus e pode estar cometer um outro pecado, ainda mais grave, contra o primeiro mandamento: Amar a Deus sobre todas as coisas. Mas, em não existindo um Padre, como confessar-se? E como ficam os homens no Antigo Testamento? 5) Contrição e Atrição A Contrição consiste em pedir o perdão de seus pecados por amor de Deus. A atrição, por sua vez, consiste em pedir o perdão dos pecados por temor do inferno. A primeira, contrição (chamada de contrição perfeita), apaga os pecados da pessoa antes mesmo da confissão. Todavia, só é verdadeira se há a disposição de se confessar com um padre. Foi desta forma que se salvaram os justos do Antigo Testamento. A atrição só é válida através do sacramento da confissão, o qual é eficaz mesmo se há apenas "medo do inferno". Ninguém duvida de que o sincero arrependimento dos pecados, com firme propósito de não pecar mais, e satisfação feita a Deus e aos prejudicados, eram, no Antigo Testamento, condições necessárias e suficientes para obter o perdão de Deus. O mesmo vale ainda hoje para todos os que desconhecem Nosso Senhor Jesus Cristo e seu Evangelho (desde que sigam a Lei Natural) e para os que não têm como se confessar (desde que tenham um ato de contrição perfeita). Mas quem, em seu orgulho, não acredita nas palavras de Cristo Ressuscitado, com as quais ele instituiu o sacramento da penitência, e por isso não quer se confessar, não receberá o perdão, pois não ama à Deus verdadeiramente. Cada pecado é um ato de orgulho e desobediência contra Deus. Por isso "Cristo se humilhou e tornou-se obediente até a morte, e morte na Cruz" (Flp 2, 8) para expiar o orgulho e a desobediência dos nossos pecados, e nos merecer o perdão. Por isso ele exige de nós este ato de humildade e de obediência, na Confissão sacramental, na qual confessamos os nossos pecados diante do seu representante, legitimamente ordenado. E, conforme a sua promessa: "Quem se humilha, será exaltado, e quem se exalta, será humilhado" (Lc 18, 14). Alguns protestantes aliciam os católicos para sua seita com a promessa de que,

95

Ele é fiel e justo. como para a Crisma. taxamo-Lo de mentiroso. concluem que não haveria necessidade de confissão. e a sua palavra não está em nós". A instituição da extrema-unção decorre destas palavras de S. Nunca o Apóstolo teria prometido tais efeitos a uma unção. todos os homens necessitam de misericórdia divina.. e os sinceros seguidores da Bíblia recebem-na. e a graça de fazê-lo santamente. estariam livres de qualquer pecado e nem poderiam mais pecar! Conseqüentemente.. Todavia. e os curavam" (Mc 6. 6) O que é necessário para ser eficaz uma confissão? a) exame de consciência b) ter arrependimento (atrição ou contrição) c) propósito de não recair no pecado e de evitar as circunstâncias que o favoreçam d) confessar-se sem omitir nada e) cumprir a penitência estabelecida pelo confessor Ver ainda "penas temporais" e "indulgências" A Extrema-Unção É o quinto sacramento instituído por Jesus Cristo. nos transmite apenas o rito exterior e o efeito produzido. agradecidos. A Sagrada Escritura. A Ordem A Ordem é o sacramento que dá o poder de desempenhar as funções eclesiásticas. enganamo-nos a nós mesmos. 96 . ungindo-o com óleo. é a ordem do Senhor. basta confrontar essa passagem com outra. A extrema-unção é. 14-15). e estes façam oração sobre ele. Portanto. sem firmar-se na autoridade divina da instituição deste sacramento. ou ministros de Deus. 8-10). 13). para perceber que a conclusão é precipitada: "Se dissermos que não temos pecado algum. Eis um fato. Em outros termos. e nos perdoa os nossos pecados. é o sacramento que faz os sacerdotes. Muitos textos da Sagrada Escritura provam a existência do sacerdócio e indicam o rito de ordenação sacerdotal. do próprio João Apóstolos (1 Jo 1. Tiago: "Está entre vós alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja. no sacramento da Confissão. em nome do Senhor. verdadeiramente um sacramento. Se confessarmos os nossos pecados. Apóiam esta afirmação nas palavras bíblicas de (1 Jo 3. 6 e 9). e nos purifica de toda a iniqüidade. sem que saibamos em que época o instituiu.depois do batismo (pela imersão). Se dissermos que não temos pecado. pois. e se estiver em algum pecado ser-lhe-á perdoado" (Tgo 5. O Evangelho diz que "à ordem do Senhor. os apóstolos expeliam muitos demônios e ungiam com óleo a muitos enfermos. E o Senhor o aliviará. na enfermidade. e a verdade não está em nós.

e dá a si os poderes que julga ter. É a ordem de reproduzir o que ele tinha feito: mudar o pão em seu corpo e o vinho em seu sangue divino b) Perdoar os pecados: Os pecados serão perdoados aos que vós os perdoardes (Jo 20. representados pelos primeiros sacerdotes. Quanto ao rito de ordenação. diz Ele (Jo 15. E por onde Paulo e Barnabé passavam. te admoesto que reanimes a graça de Deus. 28). que recebestes pela imposição de minhas mãos" (2 Tim 1. S. Aos discípulos eleitos. "ordenavam sacerdotes para cada Igreja" (At 14. Paulo escreve: "Não desprezes a graça que há em ti e te foi dada por profecia pela imposição das mãos do presbitério" (1 Tim 4. pregando o Evangelho a todas as criaturas (Mc 16. chamados apóstolos. 23). nomeia-se. 19). não é menos claramente indicado: Consiste ela na imposição das mãos. sem que tenha sido investido do sacramento instituído por Deus para a escolha de seus ministros. claramente. "Por este motivo. Paulo foi o principal ministro. 22).Lemos de fato que Nosso Senhor fez uma seleção entre os discípulos: "Não fostes vós que me escolhestes. o divino Mestre confia as quatro atribuições particulares do sacerdócio: a) Oferecer o santo sacrifício: "Fazei isto em memória de mim" (Lc 22. Que diferença para o pastor protestante. (vide a página sobre o Papado). O Matrimônio É o último na série dos sacramentos. que foram os apóstolos (vide Sucessão Apostólica). de que S. 15). 14). sob a autoridade de um Papa.. que iam assim distribuindo pela imposição das mãos. ele mesmo se escolhe. 16). e esta investidura é o sacramento da Ordem. c) Pregar o Evangelho: Ide no mundo inteiro. Ele mesmo se investe de um poder que não recebeu de ninguém. O exemplo dos apóstolos nos mostra a transmissão dos poderes sacerdotais pela ordenação. que os apóstolos tinham recebido de Nosso Senhor a divina investidura de poderes. 97 . d) Governar a Igreja: O Espírito Santo constituiu os bispos para governarem a Igreja de Deus (At 20. 6). mas fui eu que vos escolhi". Tudo isso prova. como se vê claramente na segunda epístola dirigida ao mesmo discípulo. Eis os poderes dados por Nosso Senhor Jesus Cristo a seus ministros ou sacerdotes.. diz ele. Chama-se presbitério a reunião dos bispos e padres que concorreram para a ordenação de Timóteo.

formando uma união santa. e promulgado por S. nem tudo está na Bíblia. João: "Há ainda muitas coisas feitas por Jesus. Outros. defendem que só os adultos podem ser batizados. Isso é grande. A pergunta deveria ser inversa: Onde estão as provas bíblicas para a afirmação de que apenas os adultos devem ser batizados? 98 . como é "santa a união do Cristo com a sua Igreja" (Ef 5. creio que este mundo não poderia conter os livros que se deveriam escrever" (Jo 21. Ou seja. O rito externo foi indicado por S. Ou seja. O Batismo de Crianças e o Batismo de Adultos Muitos protestantes costuma argumentar que o Batismo de Crianças não aparece na Bíblia. 32). 25). em relação a Cristo. 6). Interrogado a respeito do divórcio. diz S. que deve mantê-lo na sua unidade e indissolubilidade. Paulo (Ef 5. Pouco importa o tempo e o lugar. 25-33). Como conclusão. se se escrevessem uma por uma. Deus uniu os noivos! Este mistério.25).O casamento que era antes de Jesus Cristo mero contrato. ou sacramento. porque é instituição divina. é um verdadeiro sacramento da nova lei. pensam os teólogos que foi nas bodas de Caná. Eles que. as quais. Cristo responde que não era lícito por nenhum motivo. 6). o fato de não estar na Bíblia não prova que não se deva batizar crianças. é grande em relação a Cristo e à Igreja. grande em relação à Igreja. na epístola aos efésios (5. preferem a obra humana à instituição divina: "Não separe o homem o que Deus ajuntou" (Mt 19. É mais uma bomba que pegam os nossos amigos protestantes. que nem o direito de separar-se tem o homem e a mulher. rejeitando o sacramento. 3-5). em ordem aos fins do casamento. como afirma S. Primeiramente. ainda. pensam que foi instituído depois da ressurreição. o certo é que o matrimônio foi por Nosso Senhor elevado à dignidade de sacramento. exceto o caso de adultério (Mt 19. Outros pensam que foi na ocasião em que o Salvador restaurou a unidade e a indissolubilidade primitivas. como resulta positiva e irrefutavelmente da Sagrada Escritura: "Não separe o homem o que Deus ajuntou" (Mt 19. Paulo: é a mútua tradição e aceitação do direito sobre os corpos. Paulo. Não sabemos exatamente o tempo nem o lugar em que Jesus Cristo instituiu este sacramento. para contentar-se unicamente com o contrato civil.

16). ad Rom. vamos provar que Deus deseja o batismo das crianças.19). Ora. 31033). O manual dos Apóstolos. livro 2) Na "Nova e Eterna Aliança". (Adv. os jovens e os velhos". 10-11) e (Lev. os meninos. a família de Estéfanas (1Cor 1. 35. 8). segundo a importância que é o sacramento do "Batismo". inclusive as crianças (que geralmente não faltavam). nos campos e na vinha. escreve: "Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças". (Carta a Fido). 19. sem exigir deles uma fé adulta e livre escolha. A Sagrada Escritura menciona vários personagens pagãos que professaram a fé cristã e se fizeram batizar "com toda a sua casa". Não semear e colher nada.44. 99 . Não semear diferentes espécies no mesmo campo (Lev. Cipriano.255): "A Igreja recebeu dos Apóstolos a tradição de dar batismo também aos recémnascidos". em grego) tinha sentido amplo e enfático na Antigüidade: designava o chefe de família com todos os seus domésticos.47s). a negociante Lídia de Filipos (At 16. 25 3-5). 9). (Epist.Agora. não pode entrar no Reino de Deus". Não comer os frutos das árvores nos primeiros três anos (Lev 19. como ficariam certas normas do Antigo Testamento que não foram abolidas no Novo. 1s. proteção. 23. quanto mais seriam pelo bem espiritual. Livro 5. Haer. 14s). no ano sabático (Ex. Crispo de Corinto (At 18.3). o carcereiro de Filipos (At 16. então não seria lógico recusar o batismo às crianças dos pais cristãos. 23-25). pois "quem não renascer da água e do Espírito Santo. Desde o início da Igreja. depois. amparo etc de seus filhos. era costume dos apóstolos batizarem as crianças. educação. Assim se expressa Orígenes (185 . E. Ou seja. A expressão "casa" ("domus". em 258. como rito de entrada para o povo escolhido de Deus. os apóstolos batizavam os recém-nascidos. o batismo substitui a circuncisão da "Antiga Aliança". se os pais são responsáveis perante Deus pelo sustento. Santo Irineu.24. visto que se eles tivessem que seguir tudo o que a Bíblia ordena. se o próprio Deus ordenou a Abraão circuncidar os meninos já no 8o dia depois do nascimento. afirma: "Jesus veio salvar a todos os que através dele nasceram de novo de Deus: os recém-nascidos. E S. prescreve o batismo para crianças. Assim o centurião romano Cornélio (At 10. mas pela Igreja que eles rejeitam? Exemplos: Não acender fogo (para cozinhar) em nenhuma moradia no sábado (Ex. em latim. por causa de tais exigências. "oikos". também conhecido como 'didaqué'. A posição protestante é insustentável. que viveu entre 140 a 204.

Canais estabelecidos por Jesus Cristo. 1955. Vejamos esta necessidade. neste sentido. Deus instituiu meios particulares para comunicar-nos as suas graças. Os sacramentos tornam-se. para que a graça abunde? De modo nenhum" (6. 114): "Permaneceremos no pecado. mas além desta ação imediata de Deus sobre a alma. Deve haver união completa. Paulo (Rom. É a seiva desta graça que deve circular em nós: "Nós somos os ramos. esta graça é o dom de Deus. Para comunicar-nos a sua vida. meios obrigados. pois. 4-5). além do meio da oração.ENTENDENDO OS SACRAMENTOS . e portanto necessários.O QUE É A GRAÇA E A NECESSIDADE DOS SACRAMENTOS? Autor: Pe. 100 . pois não estais debaixo da lei.. Há. como há união completa entre o tronco e os ramos. 6. "Ora. Cristo é o tronco" (Jo 15. "O pecado não terá domínio sobre vós. se já morremos com Cristo. Júlio Maria "Luz nas Trevas". Fonte: Frente Universitária Lepanto A graça em seu princípio é. pela oração. íntima entre os meios de transmissão da graça e a alma que recebe esta graça. duas vidas em nós: a vida do pecado e a da graça. podia produzir este efeito. ele o faz às vezes. pois. mas debaixo da graça" (14).. está admiravelmente descrita por S. indispensáveis: estes meios são os sacramentos. diz Santo Tomás. Na oração e nas boas obras esta união completa não existe. Ora. Deus podia agir imediatamente sobre a nossa alma. A simples elevação dos nossos corações. 1). Deve haver outro meio e este meio são os sacramentos. cremos que também com ele viveremos" (8). proveniente dos méritos de Jesus Cristo. os canais transmissores da graça divina às almas. como veremos. a vida de Deus em nós: "Participatio quaedam naturae divinae".

Júlio Maria "Luz nas Trevas". Querendo ou não. testemunhando que a graça está na alma. que provém à vontade. é sua seiva. A graça. Não há nada de duro na santa violência com que Deus nos atrai. sem o poder de infundi-la.. ou a vida da carne que é o vício. 22). E esta outra: "Uma vez levantado da terra. Aquele que a nossa razão devia amar acima de tudo: Deus.. de fato.. 1955. para transmitir-nos a graça divina. Para provar irrefutavelmente a necessidade dos sacramentos. Os sacramentos são. é preciso recorrer à sublime doutrina da graça. se Aquele que me enviou não o atrair" (Jo 8. atrairei tudo a mim .omnia traham ad meipsum" (Jo 12. como por instinto. Esta palavra é admirável: a graça é um verdadeiro poder atrativo. a atrai por deleitação interior.. tudo é suave e benfazejo" (Sermo 133. a salvação ou a perdição. Verdade que os protestantes não negam em seu princípio. é tudo na religião católica. como meio de salvação. os merecimentos de Jesus Cristo.ENTENDENDO OS SACRAMENTOS . os canais. XI). Fonte: Frente Universitária Lepanto Os protestantes ensinam que os sacramentos são meras cerimônias exteriores. todos os homens devem viver da graça ou se perderão eternamente. 32).OS SACRAMENTOS SÃO MERAS REPRESENTAÇÕES EXTERIORES? Autor: Pe. e faz amar. Santo Agostinho define a graça da seguinte forma: "A graça é como o prazer que nos atrai. que a teologia define "um dom sobrenatural de Deus". 101 . os meios. mas em seus meios. por causa dos méritos de Jesus Cristo. Ou escolhem a vida de Cristo que é a graça. a sua alavanca. ou da nossa vida sobrenatural. cap. entretanto ele é a expressão da palavra de Nosso Senhor: Ninguém pode vir a mim. Este termo "atrativo" parece novo em teologia. a estimula e leva a Deus. E um erro fundamental e grosseiro. o seu sopro.

distribuir-nos os efeitos e méritos da redenção que Jesus Cristo mereceu por nós. isto é. Deve ser "sensível" porque se não pudéssemos percebê-lo. da matéria empregada e das palavras pronunciadas pelo ministro do sacramento. compreender bem o que é um sacramento. na cruz. dissipam-se todos os erros. b) Deve ser "instituído por Jesus Cristo". instituiu pessoalmente os sete sacramentos. durante a sua vida mortal. 1955. como.. Os sacramentos comunicam esta graça. deixando apenas à Igreja o cuidado de estabelecer ritos secundários. donde vem e para que serve. Isto é. perante a exposição clara da verdade. instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo. porque só Deus pode ligar um sinal visível a faculdade de produzir a graça. Fonte: Frente Universitária Lepanto O que é um sacramento? Procuremos.O QUE SÃO OS SACRAMENTOS? Autor: Pe. independente das disposições daquele que os administra ou recebe. Nosso Senhor. das "boas obras" e dos "sacramentais". Esta qualidade. realçá-los com cerimônias. Júlio Maria "Luz nas Trevas". Esta simples noção fará cair já a maior parte das objeções. representativo da natureza da graça produzida.ENTENDENDO OS SACRAMENTOS . que tiram a sua eficácia "ex opere operantis" das disposições do sujeito. deixaria de ser um sinal. distingue os sacramentos da "oração". "por virtude própria". chamada pela teologia "ex opere operato". 102 . sem tocar-lhe na substância.." Desta definição resulta que três coisas são exigidas para constituir um sacramento: a) "Um sinal sensível". para produzir a graça em nossas almas e santificá-las. em primeiro lugar. c) "Para produzir a graça". Este sinal sensível consta sempre de "matéria" e de "forma". O catecismo diz que "sacramento é um sinal sensível.

Na Epístola aos Romanos (6. e o repete em diversas outras passagens. «nada». ENQUANTO CABEÇA DA IGREJA Autor: Garrigou-Lagrange. 3. 27). O que permanece em mim e eu nele. Contra o que pensavam os semipelagianos. Noutra parte. Que é. ou seja. Semelhantemente. nenhum ato meritório de vida eterna. Conseqüências práticas e aplicação às diversas virtudes em particular. P. nada podeis fazer» (Jo 15. expressa o mesmo valendo-se de outra figura: «vós sois o corpo de Cristo e membros unidos a membro» (1 Cor 12. O Testemunho de Cristo e de São Paulo. 5). a vida de Cristo em nós. afirma que pelo batismo «fomos sepultados com Ele a fim de morrer para o pecado».permanencia.htm A VIDA DE CRISTO EM NÓS.br/revista/teologia/garrigou24. esse dá muito fruto. 16). o mesmo initium fidei é da graça que provém de Cristo. 4). em linhas gerais. 1. ENQUANTO CABEÇA DA IGREJA SEU ASPECTO ESPIRITUAL Garrigou-Lagrange. porque. diz S. por conseguinte.A VIDA DE CRISTO EM NÓS. Por isso. sem mim. Nosso Senhor disse: «Eu sou a videira e vós as varas. também o são os ramos» (11. Fonte: http://www. nenhum ato salutar e. O. 103 . morremos e ressuscitamos com Ele.org. O. 5): «nos tornamos uma mesma planta com Cristo». Paulo (Rm 6. Trataremos: 1. que é como que a raiz santa. O Testemunho de Cristo e de São Paulo 2. e «se é santa a raiz. P.

É absolutamente necessário despojar-se do velho homem. João Batista: «Convém que ele cresça e que eu diminua» (Jo 3. como membros que se ligam à cabeça. de maneira que as palavras do Evangelho venham a ser para vós. 2. em linhas gerais. como cabeça da Igreja. todas e cada uma das graças. da confiança e do amor de Cristo. ele vos ensinará todas as coisas. instrumentos separados. a vida de Cristo em nós. intercede ainda agora. de sentir. 30). vos sugerirá tudo que eu vos disse. pois Cristo quer viver neles. com seus desejos desordenados. o viver é Cristo» (Gl 3. agir e sofrer em mim». sejam eficazes. é preciso como que perder a personalidade própria. piedade. Paulo: «Para mim. paulatinamente compreenderemos as palavras de S. Ademais. o espírito de Cristo se substitui ao nosso próprio. a quem o Pai enviará em meu nome. para os estudiosos. e porque os santos vivem da fé. baixos.também diz S. a milícia ou os exercícios militares. mesquinhos. E o próprio Cristo diz: «Mas o Consolador. como a mão que opera movida e dirigida pela cabeça. perder no bom sentido. nosso espírito próprio é um determinado modo de pensar. rezar. 20). Que é que se requer. mas é Cristo que vive em mim» (2. pouco a pouco. Se assim fizermos. Da parte de Cristo. sobretudo. Comenta S. Ou seja. 8. no céu. O testemunho de Cristo e de São Paulo é manifesto. o Espírito Santo. Ora. amar. que recebemos ou viremos a receber. e repetir freqüentemente para si mesmo: «Cristo quer viver em mim. espontaneamente sepultaremos o velho homem. fortaleza e do temor. Em sentido moral. agir com Cristo e em Cristo. «palavras de vida eterna» porque «são espírito e vida». é preciso pensar. e vos recordará tudo o que vos tenho dito» (Jo 14. cf. para os militares. satisfez outrora e mereceu. na produção da graça. para viver em Cristo. de julgar. para abrigar em nossos corações os mesmos desejos de Cristo. Ele. é instrumento unido à divindade. Que é. enquanto são os sacramentos. o viver é Cristo. Então. por nós e é causa instrumental física de todas e de cada uma das graças que recebemos. é preciso guardar esta verdade na memória. conselho. Assim. para os santos. sua vida é a caça. já não eu. o estudo. Ou seja: pelos dons de sabedoria. sobretudo nessas palavras da Epístola aos Gálatas: «E vivo. a. para os católicos e. 26). 62. sejam suficientes. q. para esta vida de Cristo em nós? Em primeiro lugar. de condigno. inteligência. 27). 5 e q. da nossa parte. 104 . Tomás: para os caçadores. desejar. III. ciência.

S. 20). na ordem prática. que só se completa quando se precipita no mar. como S. todos os santos que. Por exemplo. Se verdadeiramente tomássemos este caminho. como diz S. Francisco. de alguma maneira. Assim o fizeram S. das idéias da nossa geração e da nossa região. sentir. Só os santos compreenderam perfeitamente que nossa personalidade moral não se completa perfeitamente caso não se perder. assim. Domingo. Devemos abandonar o velho homem. chegaram à santa liberdade dos filhos de Deus. fizeram-se servos de Deus em sentido pleno. descendo à nossa vida inferior. coração de Cristo». Rm 13. tornou-se o Doutor comum da Igreja. jamais falando de si mesmo. por seu modo de pensar. recebidos pela fé. já não eu. assim como. bastante limitada e superficial. o mesmo ocorre. assim como o rio. que supera em muito a personalidade própria natural. se prolongue em nós. e «revestirmo-nos do homem novo». Cristo verdadeiramente viverá em nós.de amar. mas nossa alma abandonaria a si mesma para viver esquecida de si própria. na pessoa do Cristo. é preciso compreender de modo reto e pleno: isto não significa que Cristo deva diminuir-se. por este meio. Vicente de Paula. Bento. julgar. agir e sofrer. os santos substituíram seus próprios juízos e idéias pelos juízos de Cristo. então. substituíram sua própria vontade. que depende materialmente de nosso temperamento físico. sua ação pessoal. S. Os santos chegaram a uma impessoalidade superior. com muitos santos nos quais aparece de modo eminente a vida de Cristo. et tu moriaris» [Permita que eu viva em ti. 27. 105 . Então entenderíamos as palavras que Cristo disse a muitos santos: «permitte mihi in te vivere. para que Ele viva em nós sua vida superior. escrevendo obras sempre objetivas. Por isso. mas que devemos nos oferecer a Ele. o viver é Cristo». e que tu morras a ti mesmo]. quando rezamos. Este espírito próprio tem de ser paulatinamente substituído pelo espírito de Cristo. Revestirmo-nos de Cristo. de algum modo. que vale para os fiéis. Paulo (Gl 3. Daí. amar. de querer e de sofrer. pela vontade santíssima de Cristo. mas é Cristo que vive em mim» (Gl 2. para que ela. do influxo das coisas exteriores. pela sua ação santificadora. No entanto. como a mão que serve à nossa vontade. João Crisóstomo: «Coração de Paulo. João Maria Vianney. não apenas seríamos melhores. devemos nos recolher sob a grande oração de Cristo. é uma certa mentalidade especial. S. Santo Tomás. Paulo poder dizer: «E vivo. continue em nós. 14). da nossa herança. isto é. Ef 4. S. 24. vida que nos supera imensamente. Isto. vale ainda mais para os sacerdotes. nestes santos verifica-se plenamente estas palavras: «para mim. na ordem especulativa. E S.

E. oferece a Deus os atos do Menino Jesus. «Até agora não pedistes nada em meu nome. da Encarnação. principalmente as que meditamos no santo Rosário e na Via Crucis. 24). principalmente durante a Missa. eu a farei» (Jo 14. Então. compreende as palavras ditas aos Apóstolos: «tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome. oferecendo. ó Senhor do céu e da terra. começa a desprezar a si mesma. A alma. derivam-se muitas aplicação com respeito à oração.3. Do mesmo modo. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome. dirige-se também à Santíssima Virgem. e pelo universal benefício da Criação. 13). Conseqüências práticas e aplicação às diversas virtudes em particular. humildade. caridade fraterna. conforme seus interesses próprios. diz com Cristo: «Vos dou graças. é reparadora. pelos benefícios particulares. A irradiação da contemplação e do amor do Salvador é uma realidade nesta alma. mas de muitas. para que o Pai seja glorificado no Filho. no presente e no futuro. esperança. mas sua oração torna-se a oração de Cristo. pedi e recebereis. e compreende melhor as riquezas que encerra a maternidade espiritual de Maria com respeito a todos que buscam a salvação. os atos de sua vida dolorosa e os de sua vida gloriosa e eucarística. eu o farei. então. Cristo vive verdadeiramente nela. Com Respeito à humildade: A alma começa a aborrecer a vida demasiado pessoal. em nome de Cristo. de inúmeras pessoas. Disso. Então. da elevação da vida à ordem da graça. da Redenção. de modo demasiado limitado. não apenas de algumas. ao ver os pequeninos recebendo o pão espiritual. como em nome de Cristo. amor de Deus e aceitação das cruzes. que se estende e continua nela mesma. 106 . já não reza como antes. fé. Então. então. ao comparar-se com Cristo. Durante a visita ao Santíssimo Sacramento. Com Respeito à oração: A alma. adora em nome de Cristo. a alma consegue continuar mais facilmente sua oração por todo o dia. da Eucaristia. a alma que segue esta via. as obras do Salvador. pela generosa aceitação dos sofrimentos e dá graças. pede em nome do Salvador a conversão. em nome de Jesus. para que o vosso gozo seja completo» (Jo 16. a qualquer hora. nela encontra sua Mãe em sentido pleno. porque revelastes estes mistérios aos pequeninos».

Ama também aos velhos abandonados. assim como em qualquer florzinha silvestre encontramos alguma beleza. são tuas. para que melhor ressalte. compreende muito mais o valor da Missa. estreito. E em tudo se pergunta: Que pensa Jesus sobre isso? Assim. melhor se compreende estas palavras: «Permita que eu viva em ti. inferior. da absolvição sacramental.Compreende melhor que todo pensamento excessivamente pessoal é limitado. das palavras de Cristo. e não para o corpo. Do mesmo modo. Esta alma diz a si mesma: «Cristo vê este bem superior». Com respeito à Confiança: A alma aumenta sua confiança. por isso. se quisessem viver ordenadas para si mesmas. encontra em quase todos algo de belo e digno de imitação. a grandeza de Cristo. A alma termina por ter suas virtudes. O que parece grandioso aos soberbos e ambiciosos. da Comunhão. e que tu morras a ti mesmo» e estas outras: «Tua pobreza é extrema. que impede a vida de Cristo em nós. são como que propriedade pessoal tua. que costumam ser mais sábios. pois Cristo lhe comunica a sua própria. Com respeito à Fé: A fé desta alma é cada vez mais ilustrada pelos dons e torna-se mais penetrante e saborosa. assim como as mãos impediriam a vida do corpo. Os ama de modo semelhante ao que Cristo os amou. que deve viver em nós. para viver da fé. muito limitadas. Por isso. por sua inocência. Ela mesma tem um certo pressentimento deles. a ela parece um nada. por ter renunciado a sua própria glória. e as crianças. Com respeito à caridade fraterna: A alma cristã considera as demais pessoas como as consideraria o próprio Cristo e. Renuncia a eles. começa a aborrecer o amor próprio. Vê as coisas mais diversas com os olhos de Cristo. Donde. esta alma começa a gostar das humilhações e aceitar o desprezo sem muita tristeza. Ama sobretudo os pobres. por oposição. como coisa de pouco valor e começa a amar. as imensas perfeições do mesmo Cristo. que «são espírito e vida». melhor compreende o sentido espiritual dos acontecimentos quotidianos e para quais bens superiores Deus permite o mal. mas eu sou rico e minhas riquezas te bastam». 107 . Assim. Crê que aquilo que nela é defeituoso deve ser notado. que são os membros dolorosos de Cristo. oposto à santa liberdade dos filhos de Deus. como um bem seu.

ama-se a si mesma e ao próximo. o mein Herr und mein Gott. É um amor que começa por causar na alma um certo êxtase espiritual. de suas próprias forças. Tende confiança. Que é como se dissesse: «Venci o pecado. tirai-me de tudo o que me impede de me aproximar de vós. 10). para mais glorificar a Deus estando cheia de paz e de alegria. was mich hindert zu Dir. a alma chega à uma generosa aceitação da cruz que é permitida por Deus para que se trabalhe mais eficazmente pela salvação das almas. dai-me tudo o que me conduza a vós. a paz do mundo é impossível. a morte. ama a Deus verdadeiramente e. Enquanto o homem natural pensa quase sempre em si mesmo e em seus próprios interesses. quando as dificuldades eram maiores: «De mim desespero. ainda que de modo confuso. nimm alles von mir. Bento José Labré e ocorre ainda hoje com muitos outros. toda esperança perco. e. apóstolo da Sardenha. prevendo suas dores futuras. está na via do perfeito abandono de si nas mãos de Deus. Com respeito à aceitação da cruz: Por fim. é porque Deus. gib alles mir. por inteiro. que sofrem dia e noite sem gemer. com Cristo. was mich fördert zu Dir. guarda as palavras do Salvador: «Eu venci o mundo». então sou forte» (2 Cor 12. mas. porque é como o amor de Cristo transfundido na alma de quem dele vive. no mesmo Deus. só em Deus confio». a alma espiritual pensa quase sempre em Deus. ao menos no mais fundo de sua alma. É então que a alma começa a confiar-se inteiramente a Deus. Com S. não corporal.Em sua memória. é como que transportada a Deus. oferecem suas dores para a conversão dos pecadores. mas é então que mais espera em Deus. me entregue a vós]. o mein Herr und mein Gott. nimm mich mir und gib mich ganz zu eigen Dir!» [Deus meu e Senhor meu. Paulo dirá: «Quando estou fraco. tal como S. Assim se cumpre o que pedia o Beato Nicolau von Flue: «O Mein Herr und mein Gott. É o que ocorre com os santos enfermos. Felipe Neri: «Quando desconfio de mim mesmo é que mais confio na graça de Deus». privai-me de mim mesmo e concedei-me que. Assim trabalhava S. Com respeito ao Amor de Deus: Aumenta muito notavelmente o amor de Deus. pelo qual a alma que ama a Deus sai fora de si. É o que ocorreu com muitos santos pobres. se estes não se converterem. Se algumas almas generosas são movidas a se oferecer a Deus como vítima.» Esta alma pode desesperar de si mesma. o demônio. dizia. João Batista Mazella. dá a elas a inspiração de assim se 108 .

oferecerem. Daí que o mesmo Cristo as conforta como se fora Ele mesmo que nelas sofresse. Neste sentido, Cristo prolonga sua agonia até o fim do mundo.

Assim, Cristo foi a fortaleza dos mártires, sofrendo neles pelos três primeiros séculos da Igreja.

Por isso, com esse espírito, muitas almas rezam assim: «Senhor, nesta hora de crise mundial, em que se difunde o espírito da soberba, negando toda a religião e até a existência de Deus, dai-me uma inteligência mais profunda do mistério da Encarnação redentora e do vosso santo aniquilamento na Paixão; dai-me o desejo de participar das vossas humilhações e dores, na medida desejada pela Providência para mim; e fazei que neste desejo encontre paz, fortaleza e a mesma alegria, conforme o vosso beneplácito, para erguer o meu espírito e a confiança dos demais».

Isto vale para os fiéis que aspiram à santidade e, mais ainda, para os sacerdotes, que, em virtude de sua ordenação, devem especialmente tender à perfeição cristã, para que possam santificar os fiéis, sobretudo nos gravíssimos erros e extravios da hora presente, e para poder conduzir de novo à verdade e à vida cristã a quantos as tenham abandonado.

(Tradução: Permanência. extr. de "De unione sacerdotis cum Christo sacerdote et victima" )

109

O SACRAMENTO DA EXTREMA - UNÇÃO PODE SER DADO AOS NÃO CATÓLICOS?
Autor: André Palma Fonte: www.montfort.org.br Nome: Eduardo Enviada em: 13/05/2005 Local: Recife - PE, Idade: 26 anos Escolaridade: 2.o grau concluído Profissão: Autônomo Eu gostaria de saber se só os católicos é q podem receber o sacramento da extrema unção. Se na minha família tiver alguém q não seja da nossa fé católica, ela pode receber o sacramento por iniciativa nossa e sem vontade dela no caso dela estar inconciente e doente numa cama? --------------------------------------------Prezado Eduardo, Salve Maria! Os Sacramentos têm por finalidade dar ou aumentar a graça em nós. Os Sacramentos do Batismo e da Confissão nos dão a graça, por isso são também

110

chamados Sacramentos de Mortos. Porque foram instituídos para restituir a vida da graça às almas mortas pelo pecado. Os outros cinco sacramentos chamam-se Sacramentos de Vivos, porque aqueles que o recebem, devem estar isentos de pecado mortal, quer dizer, já vivos pela graça santificante. O Sacramento da Extrema-Unção tem por finalidade o alívio espiritual e também temporal dos enfermos em perigo de vida. Por ser um sacramento de vivos, a principal disposição para recebê-lo é estar em estado de graça. Portanto, àqueles que não foram batizados, ou seja, os não católicos não podem receber este sacramento. Os católicos, contudo, devem pedir – se possível – por si mesmos os confortos da Religião, acompanhado de gratidão para com Deus, lembrando de confessar-se antes. In corde Iesu et Mariae, André Palma.

COMENTÁRIOS SACRAMENTUM CARITATIS

Autor: Francisco Dockhorn Francisco Dockhorn. Apostolado Veritatis Splendor: Alguns comentários sobre a Sacramentum Caritatis. Disponível em http://www.veritatis.com.br/article/4204. Desde 9/4/2007.

Gostaria de comentar rapidamente alguns trechos da recente Exortação Apostólica Sacramentum Caritatis, do Santo Padre Bento XVI, relacionadas à Sagrada Liturgia, e que tem gerado algumas controvérsias.

Antes de tudo, é importante observar que o documento não trás nenhuma novidade, e é basicamente repetição e atualização daquilo que é o ensinamento do Sagrado Magistério da Igreja e que está em outros documentos. Sobretudo:

- a afirmação da Presença Real de Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento;

111

dos pontos controversos: 1." (n. 112 . 62) Se disse na imprensa que o Santo Padre determinou que a Santa Missa voltará a ser celebrada exclusivamente em latim.a importância da adoração eucarística dentro e fora da Santa Missa. é bom que tais celebrações sejam em língua latina.. agora. isso o próprio Concílio Vaticano II afirma. determinadas partes da liturgia. e que devem justamente ser valorizadas. . penso neste momento. A nível geral. em particular. entoadas algumas partes em canto gregoriano. cada vez mais frequentes hoje. Não é verdade! Que o latim continue sendo língua oficial da Sagrada Liturgia e mantenha o seu valor ao dar solenidade às celebrações. bem como para usar textos latinos e entoar o canto gregoriano. a homilia e a oração dos fiéis. peço que os futuros sacerdotes sejam preparados. A fim de exprimir melhor a unidade e a universalidade da Igreja. em gregoriano. nem se transcure a possibilidade de formar os próprios fiéis para saberem. em latim. sejam igualmente recitadas em latim as orações mais conhecidas (183) da tradição da Igreja e. quero recomendar o que foi sugerido pelo Sínodo dos Bispos.o caráter sacrifical da Santa Missa (renovação do Sacrifício da cruz). eventualmente. para compreender e celebrar a Santa Missa em latim. Falo. Latim Diz a Exortação: "O que acabo de afirmar não deve. ofuscar o valor destas grandes liturgias. desde o tempo do seminário. às celebrações que têm lugar durante encontros internacionais. em sintonia com as directrizes do Concílio Vaticano II: exceptuando as leituras. as orações mais comuns e cantarem. porém.

Vamos a um exemplo concreto: Na aplicação da Reforma Litúrgica pós-Concílio Vaticano II. Isso sem sombra de dúvida foi um abuso. pois ele continua sendo a língua oficial da Sagrada Liturgia e mantêm o seu valor solene. prefeito da Congregação dos Ritos e Disciplina dos Sacramentos.Pedir que se estude o latim nos seminários. se utilizado por razões justas e com 113 . por exemplo. isso não significa que o uso do vernáculo (língua de cada povo) seja ruim em si mesmo. . embora admita que tenha havido abusos.Que os sacerdotes e fiéis sejam formados para poderem participar do rito em latim. embora continue sendo o latim a língua oficial. Para favorecê-la. ao: . a qual vive e celebra o mesmo mistério de Cristo em situações culturais diferentes. Porém. o latim na prática foi extinto. agora na Exortação. A verdade é que o Santo Padre deu. 54) O Santo Padre aqui incentiva o processo de inculturação na Sagrada Liturgia. sugeriu no ano passado que cada grande paróquia tivesse a Santa Missa celebrada em latim uma vez por semana. podem ter lugar algumas adaptações apropriadas aos respectivos contextos e às diversas culturas. várias vezes foi sublinhada a importância da participação ativa dos fiéis no sacrifício eucarístico. . e por isso mesmo é sempre lícito celebrar em latim (como atesta a Instrução Redemptionis Sacramentum). Inculturação "Partindo fundamentalmente de quanto afirmou o Concílio Vaticano II." (n. o fato de ter havido alguns abusos não turba a clareza deste princípio. O Cardeal Arinze. que deve ser mantido segundo as necessidades reais da Igreja. 2. em muitos lugares como aqui no Brasil. um passo à mais para que haja entre os fiéis um revalorização do latim. ele é lícito e pode ser muito bom.Recomendar que se celebre em latim em encontros internacionais.Permitiu-se que se celebre em vernáculo (na língua de cada povo).

Porém. O próprio Santo Padre escreveu no seu livro "O Sal da Terra" que não seria viável hoje que a Sagrada Liturgia fosse celebrada exclusivamente em latim. embora tenha havido também muitos abusos. Canto gregoriano O texto da Exortação: "Enfim.O Sínodo dos Bispos pôde avaliar o acolhimento que a mesma teve depois da assembléia conciliar. Esta é. expressa na Encíclica Ecclesia de Eucharistia. e o fato de ele ver a reforma litúrgica como positiva em seu conjunto NÃO significa que ele NÃO seja favorável à "reforma da reforma". que contém riquezas ainda não plenamente exploradas. desejo – como foi pedido pelos padres sinodais – que se valorize adequadamente o canto gregoriano. a reforma litúrgica atuada a partir do Concílio Ecumênico Vaticano II. Aqui vale o mesmo princípio da inculturação: que se utilize as concessões quando houver razões justas e com discernimento. visando à correção dos abusos litúrgicos. as dificuldades e alguns abusos assinalados não podem ofuscar a excelência e a validade da referida renovação litúrgica." (n. Reforma Litúrgica pós-Concílio Vaticano II Continua o documento: "De modo particular. pois seria um elemento de muita estranheza. na vida da Igreja." (n. 3. 3) Aqui se evidencia a posição do Santo Padre sobre a reforma litúrgica que aconteceu depois do Concílio Vaticano II: foi positiva em seu conjunto. como lá se disse. creio que não há porque se surpreender: o fato do Santo Padre ser favorável à "reforma da reforma" NÃO significa que ele NÃO veja a reforma litúrgica como positiva em seu conjunto. Alguns se surpreenderam com o Santo Padre ter colocado a reforma litúrgica como positiva em seu conjunto. unificando os Ritos pós-concílio Vaticano II e de S. Pio V em um rito só. por saberem da sua posição à que haja uma nova reforma litúrgica (a "reforma da reforma". os padres sinodais reconheceram e reafirmaram o benéfico influxo que teve. aliás. embora tendo em conta as distintas orientações e as diferentes e amplamente louváveis tradições. como canto próprio da liturgia romana. baseado na tradição do rito antigo com a inserção dos elementos que no rito novo "passaram bem na prova" – a terminologia é dele).um discernimento adequado. inúmeros foram os elogios. a mesma posição do saudoso Papa João Paulo. Temos de distinguir as coisas! 114 . 4. posição que ele tem desde o tempo em que era Prefeito da Sagrada Congregação para Doutrina da Fé e expressa em vários de seus escritos. 42) Aqui o Santo Padre exalta a supremacia do canto gregoriano sobre os demais gêneros de canto litúrgico – embora o canto popular também seja lícito.

era o batismo. Quem vai a Roma atrás de atrações turísticas quase certamente vai querer conhecer as catacumbas. como já vimos. Apostolado Veritatis Splendor: Vida de fé e sacramentos. Disponível em http://www..veritatis. Nessas galerias subterrâneas gerações de fiéis oraram pelos seus entes queridos.com.VIDA DE FÉ E SACRAMENTOS Autor: ---.br/article/648. Nas suas paredes existem várias pinturas relembrando cenas bíblicas: Moisés batendo no rochedo. cemitérios subterrâneos na periferia da cidade antiga. Jonas saindo das entranhas do peixe ou o Bom Pastor. 115 . Lá os cristãos enterravam seus mortos. Desde 20/6/2001. Daniel na cova dos leões. geralmente ministrado para adultos (só quando o cristianismo se tornar religião majoritária a prática do batismo de crianças será a praxe comum). O rito de iniciação cristã..

deixando os fiéis em pecado 116 . Eucaristia é uma palavra grega que quer dizer "ação de graças". herdado dos judeus. recebiam o batismo nas correntezas de algum rio. os estrangeiros e encarcerados. Os fiéis mais generosos entregavam suas doações ao presidente.e é usado a partir do século IV). na hora sexta e na nona. e iniciava a distribuição da Eucaristia. A penitência era algo levado muito a sério. quando se fazia alguma ação especial. Havia também o costume. como se faz hoje em dia em nossas igrejas. E. Todos os domingos os cristãos se reuniam na casa de alguém . da luxúria. o vinho e a água. é o fim". que as dividia entre os orfãos. de rezar na hora terceira.. hinos. Rezava-se o Pai Nosso. O presidente então dizia preces e ações de graças. na hora de dormir. ao levantar."ite missa est". erguendo-se as mãos e voltando-se para o Oriente. os fiéis se dirigiam às catacumbas. era utilizada uma piscina. Em seguida o presidente exortava a assembléia. Pouco a pouco começa a se organizar um ciclo litúrgico. as viúvas. enquanto se trabalhava ou antes de sair para visitar alguém. aumentavam os casos de fiéis que cediam às tentações da cobiça.podia ser a casa de um rico convertido para celebrar a Santa Missa (o termo missa parece ser oriundo do latim . Os que eram aprovados. a carne e o sangue de Jesus Cristo. com base na Palavra proclamada. os fiéis faziam suas preces e ofertavam no altar o pão. "ide. da apostasia. A primeira recusava o perdão em todos os casos.Os conversos tinham um período de preparação. os doentes. Orava-se antes das refeições. No século II duas correntes se enfrentam: uma mais rigorista e outra mais tolerante. Jesus era o centro da fé. durante o qual se preparavam para receber este sacramento. o catecumenato. prostrando-se. Ao receber o batismo o fiel já pode se aproximar da eucaristia. Em tempos de perseguição ou no aniversário de morte de um mártir. No segundo século a festa da Páscoa era comemorada anualmente.. Quando não houvesse rio. onde era mais seguro. Os diáconos levavam parte do alimento consagrado para os ausentes. como o Magnificat e o Benedictus. Faziam-se leituras do Antigo Testamento ou das cartas dos apóstolos. Quem pecasse gravemente depois do batismo podia não mais voltar para a comunhão da Igreja. na falta de uma piscina. batizava-se derramando a água sobre a fronte. Orava-se várias vezes ao dia. À medida que o cristianismo crescia em número. ajoelhando-se. dizia o diácono. além de orações espontâneas. salmos extraídos das Escrituras. Após esta "homilia". repetia as palavras de Jesus na última ceia (consagrando o pão e o vinho). despedindo os fiéis .

todos os fiéis tinham consciência de pertencerem à grande Igreja. Mesmo assim. Aniceto. Higino. Alexandre.Atestação claríssima do batismo de crianças. Apesar deste caráter sobrenatural. Pio. Embora houvesse várias igrejas espalhadas pelo orbe. ora-se sobre a água que vai ser usada no batismo. Apostolado Veritatis Splendor: Os Sacramentos no Século III. o cristão em pecado grave era obrigado a oferecer algum tipo de reparação para a Igreja. Sóter. No fim do século II. a eucaristia. mergulhando-o a cada resposta afirmativa.com. diz a epístola a Diogneto. consagrado pelo bispo.. não havia nenhuma cerimônia litúrgica especial para o casamento. O poder de perdoar.grave entregues à própria sorte. a Igreja de Jesus Cristo. Vejamos como era: Batismo . "Os cristãos se casam como todo mundo". O aborto e o abandono de crianças. eram totalmente condenados. no Filho e no Espírito Santo (profissão de fé já parecida com o símbolo apostólico atual). na água. era indissolúvel. Logo ao amanhecer. Sobre a liturgia deste período. práticas comuns entre os pagãos. Durante algum tempo era excluído da liturgia eucarística e precisava fazer jejuns. Os que renunciam são ungidos com o óleo do exorcismo. Depois. O casamento era vivido pelos cristãos com um sentido inteiramente novo. Da maior parte dos papas deste século não restou senão o nome (Evaristo. fala sobre o batismo. submeter-se a severas mortificações até o dia em que o bispo lhe concederia a absolvição. em sua Tradição Apostólica. 117 . no entanto. Sixto. era amplamente reconhecido e aos poucos ia ganhando maior destaque. Para eles a relação entre marido e mulher devia refletir a relação entre Cristo e a Igreja.. temos várias fontes. OS SACRAMENTOS NO SÉCULO III Autor: ---. O matrimônio. Desde 20/6/2001. era usado com muito critério naqueles tempos.. o primado da Igreja de Roma e do seu bispo. aquele que batiza pergunta ao catecúmeno se este crê no Pai.veritatis. Eleutério. O sacerdote ordena a cada um dos catecúmenos que renuncie a Satanás.). Disponível em http://www. o Sucessor de Pedro. dar esmolas. Hipólito.. Telésforo.br/article/660. concedido a Pedro e aos demais apóstolos. para os seguidores de Jesus. O casamento era um sacramento no qual o mistério do amor humano era assumido e elevado pela graça. a ordenação.

O clero compreende sete classes: bispos. Invoca o Espírito Santo sobre a oblação e repete as palavras de Jesus na última ceia.Os diáconos apresentam a oblação ao bispo. impõe as mãos sobre o que está sendo ordenado e faz uma oração. ligar e desligar.É digno e justo".Demos graças ao Senhor. os neófitos são ungidos com o óleo de ação de graças. dirigir a comunidade.A penitência é pública. não é rígida. Pede para o novo bispo o poder sacerdotal. e a reparação depende da gravidade do pecado cometido. Todos se vestem e se dirigem para a igreja. com o presbitério: "O Senhor esteja convosco". A Didascália. escolhido por todos. . Todos ficam em oração pedindo a descida do Espírito Santo. o povo se reúne com o presbitério e outros bispos presentes. O que foi marcado responde: "E com o teu espírito". perdoar os pecados. Um dos bispos. Esta divisão.Quando saem da água. O bispo prossegue dando graças a Deus e lembrando os feitos da História da Salvação (oração eucarística). Feita a escolha. e não exclui a possibilidade de uma pessoa desempenhar mais de uma função. Ordenação . exorcistas e ostiários. subdiáconos. porém. . A assembléia responde: "E com teu espírito". o bispo lhe dá um beijo e diz: "O Senhor esteja contigo". Depois de marcar o neófito na testa. documento dos primeiros decênios do século III prescreve um jejum de seis dias antes da Páscoa. pastorear com sabedoria e pureza o rebanho que lhe é confiado. lembrando os sacerdotes da antiga Aliança e pedindo a vinda do Espírito Santo.O bispo deve ser irrepreensível e é eleito pela comunidade.Nós os temos voltados para o Senhor. Penitência . acólitos. 118 . "Elevai vossos corações. enquanto o presbitério fica imóvel. Eucaristia . Todos tomam parte na assembléia depois que recebem o sacramento da Confirmação. que impõe as mãos sobre ela e diz. leitores. diáconos. Os bispos impõem as mãos sobre aquele que vai ser ordenado. onde recebem a imposição de mãos do bispo e são ungidos (Crisma). o poder de oferecer a eucaristia. .

portanto. mas um ritual no qual o pão e o vinho são transformados em carne e sangue literais de Cristo. isto é. Roma 119 . A missa não é. Cristo é oferecido supostamente cada vez que a missa é celebrada. que então são oferecidos como um sacrifício verdadeiro.montfort. diariamente em milhares de igrejas católicas romana de todo o mundo.org. que é na realidade uma recrucificação de Nosso Senhor muitas e muitas vezes.JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA? Autor: Marcos Libório Fonte: www. de um modo incruento.br Nome: David Enviada em: 05/01/2001 Local: Fortaleza . Defende também que este sacrifício é exatamente tão eficaz para tirar o pecado como foi o sacrifício no Calvário. A única diferença é no modo pelo qual são feitos. Religião: Protestante Idade: 30 anos Escolaridade: Superior concluído A Missa é um sacrifício igual ao do Calvário? A Igreja de Roma defende que a missa é uma continuação do sacrifício que Cristo realizou no Calvário.CE. um memorial.

Essa doutrina da missa baseia-se na pressuposição de que as palavras de Cristo "Este é o meu Corpo". isto é. O fato de que na ceia do Senhor os elementos são comidos é prova implícita de que jamais deveria ser considerado como um sacrifício. Mas. Ale disso os apóstolos não podiam lembrar de alguém que estava PRESENTE. tornam claro que Ele falou em termo figurativo. como um homem vivo. As palavras de Jesus "Fazei isso em memória de mim". uma oferta pelo pecado NUNCA PODERIA SER COMIDA. nunca como sacrifício. nem sofrimento e nem sangue. até que ele venha" (I Cor. E Paulo cita Jesus dizendo: "Este cálice é o novo pacto no meu sangue. serem aceitas no sentido literal? Na ocasião em que estas palavras foram anunciadas. "Este é o meu sangue" (Mt 26:26-28) devem ser entendidas literalmente. Não há nenhum Cristo real na missa. O escritor do livro de Hebreus diz: "e sem derramamento de sangue não há remissão" de pecados (Hebreus 9:22). mostram que a ceia do Senhor não foi algum tipo de operação mágica. Em outras ocasiões Ele disse: "Eu sou a Porta"(João 10:7). no entanto não queria dizer uma porta literal de madeira com dobradiças. Na verdade. Nesta passagem ele usou uma figura de linguagem dupla. (I João 1:7). pois sacrifica o verdadeiro Cristo sobre o altar e o apresenta como o Salvador dos fiéis e para livramento das almas do purgatório. Da mesma forma "Este é o meu corpo" e "Este é o meu sangue".. No sacrifício da missa o sacerdote torna-se "alter Christus". Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor. declarado como o pão foi declarado seu corpo.reivindica assim continuar com um ato que foi completado cerca de dois mil anos atrás. O cálice representa o vinho e o vinho é chamado de nova aliança. A igreja romana ensina que Cristo. em Seu Corpo. na forma de "hóstia" (pão consagrado).. e João nos diz que "O sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado". 11:25-26). no entanto não queria dizer que era um pé de uva literalmente falando. É extremamente irracional entender essas expressões literalmente e as outras figuradamente. A crucificação ainda não tinha acontecido. O cálice não era literalmente a nova aliança. Além disso. estas coisas poderiam simbolizar o Seu corpo partido e o Seu sangue derramado. Considerando que não existe confessadamente nenhum sangue na missa. No Novo Testamento a ordenança da ceia do Senhor sempre é apresentada como ordenança. todas as vezes que o beberdes. e Ele estava sentado à mesa. As narrativas da instituição da ceia do Senhor. outro Cristo. em sua ausência. Outra vez falou: "Eu sou a videira" (João 15:5). E um sacrifício sem derramamento de sangue não tem efeito. embora ficasse tão definidamente. segundo a lei do Levítico. Jesus disse: "Este é o cálice da Nova Aliança do meu sangue" (Lucas 22:20). nos evangelhos e na carta de Paulo aos coríntios. O chamado sacrifício da missa certamente não é o mesmo do Calvário. no futuro. ela simplesmente não pode ser um sacrifício pelo pecado. fazei isto. em memória de mim. É claro que nenhuma dessas expressões deve ser tomada literalmente.. está sobre o altar. mas principalmente um memorial. Eles comeram a ceia do Senhor antes da crucificação. como poderiam as palavras de Cristo "Este é o Meu Corpo" e "Este é o Meu Sangue". Uma outra prova mais importante de que o pão e o vinho não se transformam literal 120 . não deve se entender literalmente. como os romanistas dizem que Cristo está presente na missa. o pão e o vinho estavam sobre a mesa diante dele..

o mesmo cheiro. A igreja romana afirma que na missa não há transformação visível no pão e no vinho. feita uma vez para sempre." "É nessa vontade dele que temos sido santificados pela oferta do corpo de Jesus Cristo. Mas. então o culto dele não passa de idolatria. quando se ofereceu a si mesmo. como os sumos sacerdotes. O SACRIFÍCIO DE CRISTO Que o Sacrifício de Cristo no Calvário foi completo nessa oferta única e que ele nunca foi repetido ficou claramente exposto nas Escrituras. Está implicitamente evidente que os atributos da carne e do sangue não estão ali realmente. uma vez por todas. 12:16). Ora. ou finalidade. Ele nunca desce daquele lugar exaltado para ser um outro sacrifício sobre os altares de Roma ou qualquer outro. esse passa a se chamar "hóstia" e é adorado como se fosse Deus. Por causa disto. até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. contra aquela alma porei o meu rosto. E se a alma e a divindade de Cristo não estão presentes. abominável a qualquer pessoa com o juízo são e o era especialmente para os judeus. o mesmo peso e as mesmas dimensões. assentou-se para sempre à direita de Deus. e depois pelos do povo. É impossível que os atributos ou prpriedades sensíveis do pão e do vinho permaneçam se a substância foi mudada. Comer e beber sangue humano é coisa repulsiva. a mesma cor. "que não necessita. Quando o sacerdote romano consagra o pão. porque isto fez ele. Paulo diz que "Cristo ressucitado dentre os mortos já não morre" (Rm 6:9). Essa prática é contrária às Escrituras e ao senso comum. um único sacrifício pelos pecados"(10:12). para refutar essa doutrina. Somos informados que Cristo assentou-se como prova de que a Sua obra está concluída. e a extirparei do seu povo.e verdadeiramente em carne e sangue de Cristo é a seguinte: a interpretação literal torna o sacramento em uma forma de canibalismo. 121 . que continuam tendo as mesmas propriedades: O mesmo gosto. Graças a Deus que podemos olhar para trás para o que o nosso Senhor fez no Calvário e saber que Ele completou o sacrifício pelos pecados uma vez por todas. contendo a idéia de inteireza. Bastaria. ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles. que nunca podem tirar pecados. para sempre. se a doutrina da transubstanciação é falsa. que comer algum sangue. O canibalismo é exatamente isto. é absurdo dizer que qualquer alteração se efetuou. A linguagem é perfeita "Jesus porém. primeiramente por seus próprios pecados. Pois com uma só oferta tem aperfeiçoado para sempre os que estão sendo santificados. comer carne humana.17:10) "tão-somente não comerás do sangue. Ela constituiu um acontecimento histórico que jamais foi repetido e que realmente não pode ser repetido. "qualquer homem da casa de Israel. mas este. daí por diante esperando. e que a nossa salvação não depende do capricho ou decreto arbitrário de qualquer sacerdote ou igreja. Mas. Tinha as propriedades do vinho. de oferecer cada dia sacrifícios. sobre a terra o derramarás como água" (Deut. destacar a impossibilidade que envolve. e que impossibilita repetição. A obra de Cristo na cruz foi perfeita e decisiva." (Lev. todo sacerdote se apresenta dia após dia. havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados. Quando Jesus transformou água em vinho em Cana da Galiléia não havia dúvida de que era vinho. ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios. então a hóstia não é mais o corpo de Cristo e sim um pedaço de pão comum. considerando que o pão e o vinho na eucaristia não possuem os atributos da carne e do sangue." (Hebreus 10:10-14) Observe que nesses versículos aparece a declaração "uma vez por todas". tendo oferecido.

magia e canibalismo. que escrevia já naqueles tempos tristes páginas da polêmica religiosa no Brasil. pois é uma negação da eficácia do sacrifício expiador de Jesus Cristo no Calvário e de que Sua obra ficou inacabada. para que se dissipem logo as dúvidas sobre o caráter desse novo David. o partiu. tudo nos levava a crer que. e dando graças. a si mesmo o homem. o trecho completo. em sua exposição teológica sobre o ato sublime de Cristo na Última Ceia: "Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei a vós. Porque aquele que o come e bebe indignamente. não distinguindo o corpo do Senhor. que o Senhor Jesus. O tropeço foi o alerta de que o oponente havia novamente apelado para armas menos nobres. isto é o meu corpo. fazei isto em memória de mim. teríamos um debate de alto nível. 122 . na noite em que foi entregue. todas as vezes que o beberdes. come e bebe para si a condenação.Qualquer presunção de uma oferta contínua pelo pecado é mais do que inútil. Porém cedo encontramos um tropeço definitivo. e sua carta tornou-se confusa. E o senhor prossegue com uma explicação confusa sobre um duplo sentido figurado. A apresentação da doutrina católica da missa que o senhor se propunha impugnar. que ao invés de proclamar de forma sublime a palavra de Deus nas Escrituras. sem a quebra do raciocínio imposta ao trecho de São Paulo (na 1a carta aos Corintios XI. 11:25-26). de forma clara (aliás. igualando-se aos seus pares no que os polemistas católicos do começo do século chamavam de protestantismo tupiniquim. a esconde e a adultera quando ela não lhe convém. Vamos aos centro do problema: Cristo está presente ou não na Missa. em memória de mim. fazei isto." Omitidor David. que tem invariavelmente acusações infundadas. parecendo ter vindo de um ex-padre). agora sim. que parece mais atrapalhar do que ajudar sua refutação. pois. 23-29). e disse: recebei e comei. Deus te abençoe. os argumentos ordenados e as citações bíblicas embasando suas conclusões. com referência à Missa!). parecendo que a falta de sinceridade afetou sua capacidade de articular o pensamento (o senhor chegou a falar em milagre impossível. tomou o pão. Com o tropeço veio a queda. Confesso que ficamos a princípio contentes com seu e-mail. e assim coma deste pão e beba deste cálice. renovando de forma incruenta o Sacrifício da Cruz? O senhor argumenta contra. Vejamo-lo: > > "Este cálice é o novo pacto no meu sangue. Citemos porém. que será entregue por vós. falhas de lógica e português sofrível. clara até demais. Começamos nossa resposta citando o trecho por você omitido. que pela primeira vez parecia romper com o método apaixonado de debate protestante. como o rei homônimo. Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor. que pôs fim à nossa expectativa. e nos cita o trecho de São Paulo explicando o sentido das palavras de Cristo na última ceia. agora. até que ele venha" (I Cor. David Examine-se.

enganando-se e enganando outros. se vê apenas PÃO? Como explicar esse milagre. Segurando o pão. David. sem a luz da fé? Ou sua seita é uma das de último tipo.Igualmente depois de ter ceado. se a missa fosse simplesmente celebração da memória? Como poderia comer e beber a própria condenação quem. senhor David. que dizer a respeito desse trecho propositadamente esquecido? Por que omitir a doutrina fundamental da explicação de São Paulo. (tomou) o cálice. Aliás." Onde falham os sentidos. é a fé que sustenta. que os protestantes como o senhor -se gabam de ler e conhecer o tempo todo. leia o belíssimo "Adoro Te Devote" de São Tomás: "Visus. Note bem: Cristo pega o pão e diz "Isto" . São Paulo não está ensinando nenhuma novidade. com o pão sobre a mesa. e continuar celebrando apenas o memorial de Cristo. Portanto todo aquele que comer este pão ou beber este vinho indignamente. mais duas inverdades em sua carta: o senhor disse que Cristo pronunciou as frases com o pão e o vinho à mesa. ou um surdo ouvir. porque Cristo não pode enganar-nos e nem enganar-Se. temos que aceitar como artigo de fé.HIC. e tomando o cálice disse: "Este é o cálice de meu sangue"." então. E não se pode calar a voz de Deus. dizendo: este cálice. e comendo PÃO e VINHO. Examine-se. O problema é que Cristo ensinou de forma diversa. disse "Este" HIC . não distinguisse o CORPO DO SENHOR? Como poderia alguém distinguir o CORPO do PÃO. Não foi assim. a si mesmo o homem. Tatus Gustus in te fallitur. e. aquele que não distingue o PÃO e o VINHO do CORPO DO SENHOR? Como alguém poderia ser réu do CORPO e do SANGUE. não distinguindo o corpo do Senhor. Toma o cálice e diz "Este". come e bebe para si a condenação. Porque aquele que o come e bebe indignamente. e que a Igreja em Corinto estava 123 . e assim coma deste pão e beba deste cálice. sr. não há dúvida. expressa nas Escrituras. anunciareis a morte do Senhor. e até que Cristo é Deus? Não há resposta. até que ele venha. Está implicitamente evidente que os atributos da carne e do sangue não estão ali realmente.é o meu corpo. Aliás. pois conforme suas palavras: "É impossível que os atributos ou propriedades sensíveis do pão e do vinho permaneçam se a substância foi mudada. embora isso esteja acima de nossa inteligência. o senhor pode explicar como um cego pôde ver. Cristo disse "Isto é o meu corpo". está apenas concluindo e explicitando o que todos já sabiam e praticavam. onde ele diz que será réu do CORPO e do SANGUE. Não é honesto omitir e eliminar o que o contraria no texto da Escritura. sed auditor solo tuto creditur. não é omitidor David? Mais fácil foi para o senhor cortar a parte que o incomodava. pois deixaria dúvida se ele estaria falando do seu corpo ou do pão. tendo tomado em suas santas e veneráveis mãos o pão. que negam todos os milagres narrados nos Evangelhos. com Pão e Vinho. será réu do corpo e do sangue do Senhor. pois. vendo PÃO e VINHO. Daí vai uma grande diferença dizer que Cristo. é o novo testamento no meu sangue. Aliás. ou um morto ressuscitar." A respeito disso. fazei isto em memória de mim todas as vezes que o beberdes.HOC. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice. e falando "Isto". e acusando a Igreja de Cristo de idolatria.

será réu do Corpo e do Sangue. porque como David. se fosse possível uma mesma vítima ser oferecida diversas vezes. e ainda "quem não come minha carne e não bebe meu sangue não terá a vida eterna" (São João. O David que demonstra grande conhecimento dos sacrifícios antigos há de concordar que. não distingue o CORPO DO SENHOR. é por isso que Nosso Senhor nos deixou a mais elevada das orações . VI. Por que então se escandalizaram o judeus. Com os trechos de São Paulo citados por David para provar que o sacrifício foi único está perfeitamente conforme a doutrina católica. temos o mesmo sacrifício. e todas as orações 124 . que variam conforme nosso sacrifício (negado por Lutero) e disposição pessoais. como já vimos no trecho que o senhor "esqueceu" de citar. É por isso que tudo na missa lembra a Paixão de Cristo. e portanto a mesma Santa Ceia e o Calvário. pois a vítima e o sacerdote de novo são uma única pessoa: Cristo. não tereis a vida em vós. Por fim. na hóstia consagrada. O Sacrifício de Cristo na Cruz foi completo. Na cruz. a mesma vítima é oferecida todas as vezes de forma incruenta. repetindo-se o ato cruento da Cruz. juntando os poucos merecimentos dos homens ao merecimento infinito de Cristo na Cruz e os apresenta a Deus. na Missa. temos de novo o mesmo e único sacrifício. Os judeus se escandalizavam com isso: "disputavam. Alma e Divindade. é evidente! Porém não o foi a aplicação de seus méritos. É evidente que o senhor não aceita isso. e onde os fiéis recebem como alimento espiritual o mesmo Cristo vivo e verdadeiro." (São João. então o que Cristo fez na Última Ceia foi mais do que uma refeição. temos o que. VI. VI. 59). Sangue. e não beberdes o seu sangue. No caso de Cristo. Se o pão é corpo e o vinho é sangue. pouco sincero David. pois entre si os judeus. e que deve ser feita necessariamente no tempo. assim como se escandaliza o novo David? A continuação do Evangelho nos diz ainda que vários discípulos deixaram Nosso Senhor. Entretanto. o sacrifício envolve a destruição da vítima (holocausto). 41).A Santa Missa . que continuamente ensinou que "minha carne é verdadeira comida e meu sangue verdadeira bebida" (São João. senhor David. pois a vítima e o sacerdote são sempre Cristo. dizendo: como pode este dar-nos a comer a sua carne? E Jesus disse-lhes: em verdade. onde a vítima e o sacerdote eram a mesma pessoa: Cristo. e o padre que age in persona Christi). Portanto. pois a vítima seria sempre a mesma. porém é a conclusão obrigatória dos atos de Cristo. Estaria Cristo falando em linguagem figurada? Não. Todas as missas celebradas até o final dos tempos constituem UM SÓ SACRIFÍCIO. em verdade vos digo: se não comerdes a carne do filho do homem.onde o padre In Persona Christi renova o sacrifício do Calvário. 53-56). foi um ritual de sacrifício.descuidando. em caráter impetratório e propiciatório. David? A mesma vítima e sacerdote (Cristo. o que tornava impossível repetir os sacrifícios antigos. e Pedro toma a frente (sempre Pedro) para defender o mestre. em Corpo. não poderíamos dizer que houve sacrifícios diversos. porém. como nos diz São Paulo. E todo aquele que não distingue Cristo do Pão e do vinho.

. Pelo seu linguajar. Somente com a morte de Cristo o perdão foi consumado aos homens. e comendo PÃO e VINHO. Se valesse para a Ceia moderna. Fica tranquilo. veja que "fazei isto em memória de mim" e "anunciareis a morte do Senhor... do amanhecer ao entardecer será oferecida a hóstia pura e imaculada. não distinguisse o CORPO DO SENHOR?" 125 ... pela intercessão de Nossa Senhora. com ele e nele (per ipsum.. se fosse simplesmente celebração da memória?" Com a mesma facilidade que vcs pregam que seria redimido dos pecados ANTES MESMO de Jesus ser morto na cruz. 10).... pois é por ele. reconheço um "autêntico" cristão. etc. não. com rápidas respostas : "Como alguém poderia ser réu do CORPO e do SANGUE.. diz que sigo uma "seita". discute "meu caráter". et cum ipsum et in ipso) que tudo podemos e tudo fazemos.. 4) Sua perguntas. vc nem me conhece mas me chama de "omitidor". Nada ali fala em mutação da matéria ou perdão de pecados. Sobre a montanha de argumentos que vc colocou. que o faça mais sincero e reconheça na Santa Igreja Católica a única esposa de Cristo.. omitidor David. subscrevemo-nos rogando a Deus Nosso Senhor.. risos. In Iesu et Maria Marcos Libório Fernandes Topo Omitidor David ataca a doutrina da presença real de Cristo na Eucaristia Prezado Irmão Marcos Libório. as verdadeiras funções da Ceia estão bem claras. 3) "E então. estou acostumado com isso por parte dos católicos pertencentes à "verdadeira esposa de Cristo"..." (Malaquias I.... além de combater desesperadamente o protestantismo. profetizado por Malaquias: "..". isso foi acréscimo por sua conta. que acolheu docemente as palavras divinas e renova diariamente o Sacrifício perfeito da Cruz. "Como poderia comer e beber a própria condenação quem. não me sinto atingido por isso... que dizer a respeito desse trecho que citei e propositadamente esquecido?" Eu tenho a dizer "Obrigado" por reforçar a minha linha interpretativa: "Memória de mim" e "anunciar a morte do Senhor".. eu não citei porque elas já AFRONTAM DIRETAMENTE seu dogma. até que ele venha" somente confirmam a finalidade MEMORIATIVA da Ceia. e isso não aconteceu. vendo PÃO e VINHO.terminam em nome do Senhor : " Per Dominum nostrum Jesum Cristum. Esperando tê-lo respondido.. deveria valer também para a primeira de todas. posso resumi-los da seguinte forma: 1) Aplicação semântica do verbo SER: Sem cabimento basear doutrina num verbo que é concomitantemente usado para outros meios que não a identidade plena. 2) Sobre o texto de Paulo..

Só que em nenhum momento a Ceia é tratada como um milagre na Bíblia.aliás. cego até os 9 anos de idade. doentes e até mortos. santos. curado pelo poder de Deus em minha congregação). etc) . autoridade contra demônios e estou cheio de vida espiritual. quer dizer presença de pecado consciente. não dependemos de imagens. mas Deus agiu NA MATÉRIA. tal como o fez no nosso irmão Ezequias. se fosse esse o caso. Ou seja.. conforme Colossenses 2:9 e portanto não podia tal corpo ser repartido materialmente ou milagrosamente. etc para exercício de fé em Jesus. Desfruto de boa saúde. quem lhe disse que eu não responderia ? 126 . Pelo poder de Deus um sistema óptico foi corrigido (pode ser nervo.A resposta está no texto: "indignamente". estou postando a resposta... o corpo de Cristo encerrava a completa DIVINDADE. como ocorreu com 6 pessoas na última conferência pentecostal que participou. "Aliás. Só não vi ainda um morto ressuscitar. o senhor pode explicar como um cego pôde ver. Quer dizer INABILIDADE ou IMCOMPETÊNCIA. é a fé que sustenta". estribo. mas sei que Deus pode fazer isso tranquilamente. Percebe como vc ANULA o cristianismo com uma crença incoerente ? "Não há resposta. Paulo advertia aos corintios para participarem da Ceia com as vidas retas diante de Deus. uma das quais SURDA DE NASCENÇA. transubstanciação. se vê apenas PÃO?" Risos. bentinhos. não é David?" Ué.. evangélicos. senhor David. ou um morto ressuscitar. Quer ver a contra-prova ? O que acontecia aos que assim não o fizessem ? A resposta não foi "os pecados não seriam perdoados". Mesmo porque. Participo da Ceia do Senhor há mais de 20 anos. que. etc. tímpano ou ligação nervosa restabelecida. "Como poderia alguém distinguir o CORPO do PÃO. Nem precisaria ter nascido de mulher. Sim.. à luz da Bíblia.. E a palavra indigno não quer dizer "ignorância" ou "heresia". Um surdo pode ter tido seu sistema auditivo restaurado pelo Criador sem delongas (martelo. Comigo sua regra "não pegou". córnea. sem a luz da fé?" Claro que sim. por isso. nós. ou um surdo ouvir. humor vítreo.. Mas sim que haveria consequências espirituais de uma vida atrapalhada: fracos. me diga UM CATÓLICO que consiga diferenciar visivelmente o pão de um corpo humano ou vice-versa na Eucaristia! Quer fazer o favor de se auto-apunhalar ? Quem tem que defender o caráter memorial sou EU e não VC ! "Onde falham os sentidos. com dons dados por Deus..

Ou o verbo é definitivo para TODAS AS SITUAÇÕES ou vcs não podem forçar a barra SOMENTE NO CASO DA TRANSUBSTANCIAÇÃO. Aliás. por que a Bíblia diz que o Cordeiro foi morto ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO e ainda assim precisou vir ao mundo na Plenitude dos Tempos ? Deus posiciona os eventos NO TEMPO DETERMINADO e se vc quer pesquisar um pouco. por favor. 127 .. ETC). "palavras divinas e renova diariamente o Sacrifício perfeito da Cruz através dlo sacerdote eterno segundo Melquizedeque e profetizado por Malaquias: ". o fato é que afirmam que o sacrifício É REPETITIVO. do amanhecer ao entardecer será oferecida a hóstia pura e imaculada. Os homens repetem seus erros e ações. de "tão evidentes" que eram.. diz o Senhor dos Exércitos" Pelo que se vê ali. Afinal.. E caem na contradição temporal. porque Cristo não pode enganar-nos e nem enganar-Se... etc." (Malaquias I. porque o meu nome será grande entre as nações. usava até pronomes PESSOAIS. procure na Bíblia se houve algum feito de Deus no mundo que precisou ser REPETIDO. e ainda por cima está errado: "Mas desde o nascente do sol até o poente do sol será grande entre as nações o MEU NOME. pela TEMPORALIDADE e pela DUALIDADE DE SACRIFÍCIO." Por favor. se Deus precisa dessas "atualizações". o sacríficio não é DO SENHOR. mas é PARA O SENHOR. 10). viu ? Se precisou ser definido somente mediante uma decisão séculos depois é porque não era tão patente como vcs afirmam."O problema é que Cristo ensinou de forma diversa. como Ele morrer de novo ? Que seja de morte incruenta ou qualquer outro termo que seja escolhido por vocês. Vós.. não adianta ficar dizendo que isso veio dos apóstolos. quando fizer referências à Bíblia.. Não colou. E. o absurdo prevalece: se houve o sacrifício UMA ÚNICA VEZ. Sobre a escapatória dizendo que a vítima é a mesma. Ela é que torna a Bíblia incoerente.. Tu. Vc nunca encontrará isso. E o incenso ? Esqueceram na celebração da missa ? Se for para mudar a oblação para "óstia". temos que aceitar como artigo de fé. muito mais diretos que pronomes demonstrativos. conforme falamos. etc. por isso nego a transubstanciação.. e em todo o lugar se oferecerá AO MEU NOME incenso e uma oblação pura. Mas ela sempre será DÚBIA. pois a mesma expressão foi usada para outros fins. quando Jesus falava nas outras ocasiões. que o dogma da transubstanciação é bem depois disso. embora isso esteja acima de nossa inteligência. Deus nunca repete ou refaz algo que já fez. ( Eu. não coloque versículos errados. e. para o que vc quer mudar o "incenso" ? Vc Marcos Libório pode de todas as formas possíveis e imagináveis querer confirmar sua única sustentação da transubstanciação (o verbo SER na frase de Jesus)." Realmente não aceito contradição bíblica. O que vc queria citar está em Malaquias 1:11. como tem dogmas que só vieram a existir no século XX... Sua explicação envolvendo pronomes demonstrativos foi muito ruinzinha..

com características de PERDOAR PECADOS. falando sobre Pedobatimso. por serem todas inoportunas. não se define a transubstanciação.. não cabe comentário. E. Eu não estou falando de comemoração como as de datas cívicas (isso vale para o caráter memorial que EU defendo. sem exagero algum. Até que me provem o contrário. Como não temos mais testemunho pessoal dos primeiros cristãos... vcs ainda não esclareceram como o "sacrifício da missa podia ser atualizado" mesmo antes da morte de Cristo. 128 .para que isso se torne argumento. bastava lembrar que a LIBERTAÇÃO já havia sido feita. no dia que vc me apresentar MANUSCRITO APÓSTOLICO.. mas com efeito de perdão somente após a crucificação ? Quanto às demais ofensas e argumentos.Mas. Não adianta . antes mesmo da morte de Cristo. e que agora eram todos livres. a forma ESTI foi usada também para simbolismo. há muito tempo atrás. porque o escritor aos Hebreus diz que os fiéis do passado NÃO ALCANÇARAM A PROMESSA antes da morte do Senhor (Hebreus 11:39. por mais rodeios que sejam feitos. Transubstanciação. tinha cristão acreditando que Jesus não podia ser Deus encarnado. etc (já que a lista de dogmas é enorme) eu darei um crédito às suas crenças. mesmo que o tal dogma seja contrário à Bíblia ou nem seja mencionado nela. O problema é que essa sua suposta "transformação" é virtual.. E por aí vai. No início da igreja. eles não eram obrigados a voltar à escravidão no Egito e saírem de novo com braço forte do Senhor. mas sim me referindo ao fato que alguns elementos DISTINTOS poderiam ter se tornado o próprio corpo de Cristo. pode ser de qualquer um deles. Tudo o que precisa de DOGMA CATÓLICO ao longo dos anos a desculpa é sempre a mesma "TODOS acreditavam assim no início". A partir do que está escrito. Nenhum católico enxerga nada diferente. os elementos continuam sendo somente VINHO e PÃO." Justamente por ser memorial. seria um autêntico milagre ! E os milagres operados por Jesus NA MATÉRIA eram todos visíveis. ou a própria instituição de papa. Percebem ? Trago aqui Duas perguntas distintas : aqueles elementos PERDOARAM os pecados dos discípulos ? Ou não ? 1) Caso sim : como poderia ser efetuado o efeito do derramamento de sangue sem que o Cordeiro houvesse sido imolado ? Criaram OUTRO MEIO DE PERDÃO além do sacrifício de Cristo ? Se isso era possível.. independente de existir SEMANEI.40)? 2) Caso não: por que se baseiam nas palavras INSTANTÂNEAS de Cristo para formalizar a transubstanciação. No primeiro século. que. mas era reviver o passado.. tinha cristão acreditando até que Jesus iria voltar no ano 100. Mesmo que se diga que o memorial para eles não era mera recordação do passado.. Infalibilidade papal. Evangelistas e São Paulo escreveram em grego. usando a forma verbal ESTI (=É) e não SEMANEI (=significa)" . e não "implícitos". não vcs!). fico com a Bíblia.

Torquato. Montezuma. Mesmo apontar com o dedo não quer dizer identidade plena ou mudança de matéria. como o irmão afirma) de perdão de pecados instituídos por Jesus. Hitler.. para 129 . Ele tinha em vista o breve derramento de Seu Precioso Sangue. W.. eu pergunto: Quando esse sangue foi de fato derramado? Acaso não foi no exato momento em que o Senhor pronunciou essas palavras. tinham famílias. ainda mais ministrada por homens como nós. eu não caio nessa ! Do mesmo jeito que fixou em Pedro e falou "Para trás de mim.. Os pais da Igreja não eram todos celibatários. que haveria de seguir. E se não o fez antes. não? "Transubstanciados" porque Jesus indicou. o monasticismo. O dogma papal a respeito. no momento em que o Senhor instituiu a Eucaristia. Lutero. século X. seja o apostólico. assim como o Sacramento da Confissão. Resumindo: uma falsa propositura ! Os Sacramentos da Eucaristia. Z. Historicamente. Y. séculos depois. etc. ao qual Deus propôs para PROPICIAÇÃO PELA FÉ NO SEU SANGUE. Cirineu. etc. algumas horas após? Daí. para pecados veniais. para permitir a reconciliação da Humanidade com Deus. o de Nicéia. Os dogmas começaram a surgir no melhor estilo "Decreto-Lei" após a fundação da denominação romana pelo soberano pagão Constantino. sendo JUSTIFICADOS gratuitamente pela sua graça. Dagoberto.. para pecados mortais. "Como quer que seja. não tem como fazer depois." Eis o meio instituído: "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de DEUS.. NUNCA GERARAM DOGMAS. vc criou nova Teologia. em função do Sacrifício de Cristo. Joões e Marias teríamos. mas no futuro. apresentava crença nessa transformação física.. mas não a Bíblica. todos os DOGMAS surgiram para IMPLANTAR conceitos novos. logo no início da Igreja Cristã. Satanás !" Está chamando seu "papa" de diabo ? Do mesmo jeito que disse de Herodes: "Ide dizer a ESSA raposa que hoje e amanhã curo enfermos e expulso demônios" O rei virou canídeo ? Do mesmo jeito que apontou para uma multidão e disse: "Eis AQUI minha mãe e meus irmãos!" Quantos Tiagos.Enquanto me mostrar doutrina de Irineu. Nenhum gesto consagraria a transubstanciação.. são OS MEIOS (não "outro" meio.. Em Diversos debates contra o agnosticismo e o unitarismo. Porque não constava então dos credos iniciais ? Nenhum." A Ceia não perdoou pecado algum dos discípulos antes do véu do Templo se rasgar. pela REDENÇÃO que há em Cristo Jesus. Só um exemplo. Você confirma aqui que houve "transubstanciação" em carne e sangue do Senhor ali ? E que houve PERDÃO DOS PECADOS mesmo sem a morte do Cordeiro ? Vc está dizendo que pode haver PERDÃO DE PECADOS SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE ? Parabéns. TRANSFORMOU em prática isso.

O resto. conforme proposição romanista. portanto nem havia dado o brado "Está consumado!". ensinar aos hebreus que o momento de se alcançar as promessa teria que ser necessariamente no preciso segundo depois que o Senhor expirou. para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados Vê-se que o Apóstolo Paulo não tencionou. O trecho bíblico de Hebreus 11. ANTES DA CELEBRAÇÃO DA MISSA O POVO JÁ FICA PERDOADO ? Meu Corpo Verdadeira Comida! Me ajude... ou prova em contrário.demonstrar sua justiça pela REMISSÃO DOS PECADOS DANTES COMETIDOS. no âmbito bíblico. Se a transubstanciação fosse doutrina correta.todos estes. teologicamente. Duas coisas sobre o Dogma da Transubstanciação não consigo entender. todo mundo estará autorizado a dizer que Jesus mentiu ao já afirmar de antemão "ISTO É O MEU CORPO" e "ISTO É O MEU SANGUE". os elementos pão e vinho já teriam se tornado "carne e sangue" do Salvador antes mesmo dele concretizar sua morte. pois este compêndio anterior apresentaria OBRIGATORIAMENTE os mesmos efeitos ou NÃO SERIA LITERALMENTE A CARNE E O SANGUE DO SENHOR. Cientificamente. Pois. Eu já localizei e destaquei a palavra FÉ NO SANGUE. fica pela sua imaginação. e o OINOS fisicamente OINOS. e vou lhe provar COM SUA PRÓPRIA RESPOSTA. Decidam-se. não alcançaram a promessa: Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito. como vc define a palavra VERDADE e a palavra VERDADEIRA.. Ou seja. Se alguém me disser que a transubstanciação só começou a ocorrer DEPOIS da morte da Cruz. a única "verdade verdadeira" é que o pão continua fisicamente pão. 130 . além de todos os outros apresentados pelo Marco Libório : 1) TEMPORALIDADE . cronologicamente. os discípulos já estariam salvos ANTES de Cristo morrer. de forma alguma. 39-40. teólogo romanista. hein ? E.quando Jesus realizou a Santa Ceia. logicamente." Então vc está querendo dizer que em todos os sacrifícios dos tempos antigos. por favor: Ou seu dogma é ADAPTÁVEL AO TEMPO (deixando de ser verdadeiro enquanto dogma) ou em sua doutrina CRISTO pode MENTIR. tendo tido testemunho pela fé. ANTES DO CORDEIRO MORRER O POVO JÁ ESTAVA PERDOADO ? Tá mal. Se não se aceita que a Santa Ceia é apenas um MEMORIAL sobre a obra no Calvário. Ele nem havia morrido na cruz ainda. a TRANSUBSTANCIAÇÃO é um ENGODO. não tendo poder salvífico ou remissório em si mesma. supondo que seu dogma fosse correto. que ambas NÃO SIGNIFICAM IDENTIDADE PLENA. Por enquanto. sob a paciência de Deus" Romanos 3:23-26 Localize para mim as palavras "sacramento" ou "eucarisitia" ou "confissão" ali. o sacrifício na Cruz se tornou nulo.

. não.. "Mãe de meu Senhor" (São Lucas..28 -"Assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez. Com a palavra. 2) Se nas missas verdadeiramente Cristo "nasce" e "morre". oferecendo-se uma vez. os romanistas. visto que não respondeu nada).. V. sim. Mas. Infelizmente. e passou-nos desapercebida a imprecisão na hora de revisar. Que nossos leitores julguem quem falou e agiu de forma cristã. como era de nossa vontade. para que não caiais em condenação. as múltiplas obrigações que temos nos impediram de preparar antes a merecida resposta. 43) Realmente ficamos surpresos com sua resposta (digo melhor. além disso. Certamente. se bem que mais confuso. A revisão menos cuidadosa não esperava encontrar pela frente o rigoroso David. David não gostou do título. para sermos reconhecidos como verdadeiros cristãos." (Epístola de São Tiago. David chamou-nos depreciativamente de "teólogos romanistas". vindo depois o juízo. I. 12). 131 . dizendo que julgamos sem o conhecer. com sua repetição. aparecerá segunda vez sem pecado aos que o esperam para a salvação" bem como HEBREUS 10:10 . OMITIDOR. Isso é um pedido de explicação para ambos os tópicos. ou se foram as verdades que incomodaram tanto o David. pois não esperávamos que alguém que tivesse omitido e distorcido tanto a palavra de Deus nas Escrituras voltasse à carga. melindrou-se. David Omitidor David. quero lógica e hermenêutica como ingredientes das respostas. E mais desafiador. devemos dizer a verdade.. pelo "linguajar" (sic). para tirar os pecados de muitos. E é o nosso "linguajar" que não é cristão? Primeira surpresa.). mas contraditoriamente julgou-nos. como fica vossa interpretação de Hebreus 9:27. assim também Cristo. O omitidor não perde uma chance de omitir. disse São Tiago: "Mas seja a vossa palavra: Sim. e principalmente. *** Apressamo-nos a reconhecer nossa imprecisão ao citar o profeta Malaquias: havíamos inicialmente citado de memória.. abreviado. fomos tratados de vc (assim mesmo. não. nem que sejam algumas letras. Pensem antes.. ou seja."Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo.Qualquer coisa que me falem pode incorrer em uma ou outra situação. feita uma vez".. E também se foi o nosso modo de falar. Do falar do verdadeiro cristão. Mas ainda.. David voltou mais rigoroso.. conforme doutrina decorrente da transubstanciação. salve Maria. o que em nosso "linguajar" ofendeu David? Chamamo-lo de "senhor".

40).o espírito. Buenos Aires. Porque desde o nascer do sol até ao poente. 6-7. Pergunta. puro." (Profecia de Malaquias. que é oferecido em todo lugar. que não participe convosco até que tenha se reconciliado.. ou "Doutrina dos doze Apóstolos". das mãos dos sacerdotes levitas. Seria melhor para eles que praticassem a caridade. concordamos que é de Cristo. HÓSTIA pura... como "corrigiu" apressadamente o omitidor. porque o meu nome é grande entre as nações. e não somente o 11.) pois eu sou o grande Rei. (O trecho compreende os versículos 10 e 11.. diz o Senhor dos exércitos. sobre o caráter propiciatório. Quem tiver alguma diferença com seu amigo.. Mas se não citamos literalmente.é tudo para o protestante.. se o Calvário foi em um só lugar. Ed..que mata -. mas primeiro confessem suas faltas. I. Desclée de Brouwer. puro. e desde o nascer do sol até o poente. na Gólgota. 10-11). diz o Senhor dos Exércitos. que exprime de forma belíssima a profecia sobre a Santa Missa. e não apenas memorial da eucaristia. que negam o dom de Deus. Estes." (Malaquias. usemos de rigor. para depois ressuscitar. ressuscitou. Pois esta é a oferta da qual o Senhor disse: "em todo lugar se sacrifica e se oferece ao meu nome uma oblação pura. com São João ainda vivo!) Respondemos ainda com Santo Inácio Mártir. 11-14)". Dedebec. 1949. Deus não aceitaria mais as ofertas judaicas. I. encontram a morte na mesma contestação deles. citado por Maurice Brillant. V." (Ad. em nome de Deus? Não é nenhum sacrifício de animais. A oblação pura.) O meu afeto não está em vós. e em uma só hora? Respondemos com a Didakê: "Reuni-vos no dia do Senhor. que vivifica: o profeta Malaquias fala sobre um novo sacrifício. e façam a partilha do pão e ofereçam a Eucaristia. nem eu aceitarei oferenda alguma da vossa mão. (."Eucaristia". e "esqueceu" de explicar seu sentido -. Citemo-la novamente: "(. 23-24). e o meu nome é temido entre as nações. David: qual é o novo sacrifício (único).que exige "lógica e hermenêutica" em nossa resposta. o meu nome é grande entre as nações. Bispo de Antioquia (entre 69 e 107). e em todo lugar se sacrifica e se oferece ao meu nome uma oblação pura. Se é rigor que quer. para que seu sacrifício seja puro. que seria oferecido. Smyrnaeos. pág. a qual padeceu pelos nossos pecados e a qual o Pai. atacando os hereges docetas: "Ficam longe da Eucaristia e da oração. pois a letra -. Jesus Cristo. na sua bondade. A Didakê. pois o profeta diz que Deus não aceitaria mais as ofertas das mãos dos sacerdotes de seu povo. diz o Senhor dos exércitos. é o escrito mais antigo que se conserva dos tempos apostólicos (estima-se que tenha sido escrito entre 70 e 90.). porque eram apenas símbolo desta oblação pura. mas como explicar que seja em todo lugar. David limitou-se a "consertar" a citação com todas as letras que faltavam. citamos corretamente a idéia do texto.. 132 . para evitar a profanação de seu sacrifício. porque não querem reconhecer que a Eucaristia É A CARNE DO NOSSO SALVADOR. (Mateus.

e meus caros servidores. uma só eucaristia! Discípulo de São Pedro e São Paulo. segundo a ordem de Melquisedec". Isto irá assegurar que todo o seu proceder está de acordo com a vontade de Deus. E. porque era sacerdote do Deus altíssimo.. *** Convém comentar aqui também a referência curiosa a Melquisedec. diz: "Assegurem. e sacerdote que oferece sacrifício com PÃO e VINHO. o rei da paz.) Como não temos mais testemunho pessoal dos primeiros cristãos. na epístola aos Filadelfos. Um só Corpo. que se observe uma Eucaristia comum. e apenas um altar de sacrifício . Bispo Católico. prestavam involuntariamente um serviço à verdade.. (Salmo CIX. por cuja proteção os inimigos estão nas tuas mãos. dizendo que Cristo teria tido apenas aparência humana. que irá oferecer o sacrifício perfeito com pão e vinho na Santa Ceia. ao rejeitarem a eucaristia porque era o corpo De Nosso Senhor. David desafiou em seu email: "(. trazendo pão e vinho. 4). rei da paz). um clérigo. os diáconos. um só sacrifício. falando sobre Pedobatimso (sic). David? A Didakê e Santo Inácio de Antioquia são ambos da época apostólica. rei de Salém. pode ser de qualquer um deles. 133 . conforme sua belíssima expressão: "trigo de Cristo. que padeceu. que criou o céu e a terra. XIV. e apenas um cálice de união com seu Sangue. portanto. portanto. Nos diz o belíssimo Salmo 109 que Cristo foi prefigurado por este sacerdote:"Tu és sacerdote eternamente.assim como há um bispo. e bendito seja o o Deus Altíssimo." (carta aos Filadelfos IV . consumação do mesmo e único sacrifício. que será pronunciado onze séculos depois! E o mesmo Inácio.Os docetas negavam a realidade da carne de Cristo. confirmam a crença da presença real do corpo e do sangue de Cristo. mas o que diz é extremamente interessante: "E Melquisedec. que ressuscitou. pois há apenas um Corpo de Nosso Senhor. Infalibilidade papal. Perfeita figura de Cristo. rei de Salém (ou seja. na Epístola aos Hebreus (capítulo VII). o sacerdote eterno.ano 110). Os hereges docetas. Transubstanciação. fico com a Bíblia. prenúncio da Cruz. no dia que vc (sic) me apresentar MANUSCRITO APÓSTOLICO." Há documentos falando também dos outros dogmas. segundo as Escrituras. mas como a questão é sobre a eucaristia. Daí a insistência de Santo Inácio na realidade da carne de Nosso Senhor. etc (já que a lista de dogmas é enorme) eu darei um crédito às suas crenças.. o abençoou e lhe disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo. Santo Inácio foi martirizado e se tornou. moído nos dentes das feras". que lhe parecem estes. um só cálice do sangue. já no início da era cristã." (Gênesis. pois. São Paulo retoma a mesma verdade. 18-20) Melquisedec é. defende o dogma. no primeiro século! E Santo Inácio. E quem foi Melquisedec? A Bíblia nos diz pouco sobre ele. e que está presente na Eucaristia. e POR ISSO não aceitavam a eucaristia.. ou a própria instituição de papa. E (Abrão) deulhe o dízimo de tudo.

Evangelistas e São Paulo escreveram em grego. em tom gramatical.. Que confusão! Mas tem mais: >>"Vc Marcos Libório pode de todas as formas possíveis e imagináveis querer confirmar sua única sustentação da transubstanciação (o verbo SER na frase de Jesus).. quando Judas traz os guardas que vão prendê-lo. identificando-se com Deus Pai.. Para o omitidor. aliás. Nós ficamos com as Escrituras.verbo de ligação . a figura de Cristo. Verbo SER. a forma ESTI foi usada também para simbolismo. se existe um verbo que liga o sujeito ao predicado . Deus. pão e vinho só servem para ceia.. quando se revela a Moisés. *** E o mesmo David. usado por Cristo na instituição da Eucaristia. na rocambolesca tentativa de explicação: >>"1) Aplicação semântica do verbo SER (sic): Sem cabimento basear doutrina num verbo que é concomitantemente (sic) usado para outros meios que não a identidade plena" (sic). independente de existir SEMANEI. E perdido no meio das idéias confusamente espalhadas pela mensagem. Também. 134 . o omitidor David irá negar que pão e vinho sejam compatíveis com sacrifício. oferece um sacrifício de pão e vinho. Em filosofia.este é o verbo ser. nem se dando ao trabalho de nos mostrar onde está o (suposto) erro de nossa defesa. ou seja."Ego sum" (São João. 14)." Única sustentação? Apesar de bastante importante. Disse ele. Cristo. no entanto. basta dizer que não concorda e pronto. mas o SER.. diz em resposta a seus inimigos: "Eu SOU" . manteve o sentido principal.. e o Calvário o sacrifício. não gosta de ser contrariado. demos várias outras provas da presença real de Cristo. Deus É O SER por excelência.para que isso se torne argumento. Para as Escrituras." Ora. o omitidor.No decorrer de sua mensagem. Deus É. Para o omitidor.. mais esta infeliz frase: >>"Não adianta . Assim foi com o verbo SER. e não um símbolo. Mas ela sempre será DÚBIA. Com o passar do tempo o verbo existir foi sendo aplicado nesta acepção. um significado.. III. não para sacrifícios. Deus não virá a ser e nem foi: simplesmente. diz: "Eu sou aquele que É" (Êxodo. sendo que entre eles não há nenhuma relação. para ele. pois a mesma expressão foi usada para outros fins. o sacerdote Melquisedec... a Santa Ceia foi uma refeição. O SER é propriamente aquele que tem A EXISTÊNCIA. usando a forma verbal ESTI (=É) e não SEMANEI (=significa)" . David. conforme falamos. Até que me provem o contrário.

. mas porta em sentido figurado. e que o vinho era REALMENTE seu sangue. deveria usar (como de fato usou) o verbo SER. 5-6). pois se o seguirmos. Portanto. E foi exatamente isso o que fizeram as seitas mais "avançadas" que a Davidiana. (S. no entanto não queria dizer uma porta literal de madeira com dobradiças. E o Evangelista nos diz que os guardas caíram por terra (porque perceberam que Cristo se revelava Deus... o verbo "ser" tem outro sentido. todos concordam. SER: "No princípio ERA o verbo. e Verbo estava com Deus. que o verbo ser possa ser usado figuradamente em alguns casos. é "anular o cristianismo". apenas usando o verbo SER. como a seita Davidiana. mais simples do verbo SER. etc.. mas também literária e gramatical. que está em sentido figurado. 1) Que verbo.. Mas os protestantes alegam que.. Dizer que o verbo ser foi aqui usado em sentido analógico.". no início do Evangelho de São João. e caminho por analogia. Aplicando ao David uma de suas próprias frases de efeito. de sua primeira mensagem: >>"Eu sou a Porta"(João 10:7). ao invés de usar o verbo "significa" (semanei. David? SER! Negar o sentido principal. aniquila a comparação. mas aqui o sentido figurado é da porta. Portanto a confusão Davidiana não é apenas teológica. imediato.. o de significar. porque em ambas se usa o verbo ser. E olhem que este é o mesmo David que exigiu "lógica e hermenêutica" 135 . e NÃO do verbo SER! Cristo é de fato a porta. como fez David. negando a existência de Deus. e o Verbo ERA DEUS". I. que Deus É o ser por excelência. não poderíamos dizer: Esse livro é a Bíblia! É isso que fez David com sua gramática reformadora. em grego) que ele "provou" terem usado os evangelistas em sentido figurado. o Verbo de Deus . chegaremos ao Pai! Assim também como a videira. João.. em grego).Cristo . de novo.. e que as frases ficariam portanto: "Cristo significa a porta" e "Cristo significa a videira" só é possível em cabeça Davidiana! Dizer que é o verbo ser.).identifica-se com Deus Pai através da palavra. e quem não está a ela ligado secará fatalmente. negando a divindade de Cristo. David. Verbo SER. e da videira. Vejamos os exemplos dados pelo David. se Cristo queria dizer que o pão (isto) era REALMENTE (e não simbolicamente) seu corpo. É o que David quis dizer quando aludiu aos sentidos de "ser" (esti.XVIII. Ora.. E ainda.. conduz à negação das verdades mais fundamentais das Escrituras: que Cristo É Deus. assim como é caminho. no entanto não queria dizer que era um pé de uva literalmente falando. Outra vez falou: "Eu sou a videira" (João 15:5). que dá vida aos frutos que produzem o vinho. simbolizar. e não os substantivos. Por exemplo. E é anular qualquer possibilidade de emitir um juízo. em algumas situações. torna as frases sem sentido! O omitidor David não sabe distinguir entre uma metáfora e uma simples identificação.

Aliás. David nos dá um atestado de incompetência... Nada ali fala em mutação da matéria ou perdão de pecados. como mostraremos. em memória de mim." Talvez se não tivéssemos as mensagens anteriores. negando a omissão: >>"2) Sobre o texto de Paulo. alguns protestantes do começo do século XX. contra este último subterfúgio. se essa fosse a intenção do divino Mestre! Os protestantes. conforme desmascaramos em nossa primeira resposta. até que ele venha" 136 . provou que haveria quase 40 formas de dizer "significa" ou "simboliza" em aramaico.. Porém.. E para encerrar este assunto. Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor. todas as vezes que o beberdes. diziam que Cristo usou o verbo ser porque em aramaico (língua que Nosso Senhor falava) não há como dizer representa. numa discussão aberta. até que ele venha" somente confirmam a finalidade MEMORIATIVA (sic) da Ceia.. O mais impressionante na resposta de David é que ele não reconhece que omitiu o trecho de São Paulo. que devem ser a maioria na seita pentecostal Davidiana. fazendo de conta que não omitiu nada. desistiram de mais essa mentira. um ex-protestante convertido. as verdadeiras funções da Ceia estão bem claras.. E ainda..... E citamos o trecho de São Paulo "esquecido" por David. este expediente de David.. significa.. fazei isto. ou se fosse um debate privado.." (o negrito é nosso). apelar para um sentido oculto ou impossível numa língua de difícil acesso à maioria das pessoas é um expediente bastante comum entre os filhos da reforma. além da confissão da culpa! Relembremos o que o omitidor escreveu na primeira mensagem.. Disse ele. Engana principalmente os mais humildes. como último recurso. Afrontam diretamente o conceito de inteligência que tínhamos de David. o cardeal Wiseman. então. poderia ter funcionado. etc.na resposta. isso foi acréscimo por sua conta. veja que "fazei isto em memória de mim" e "anunciareis a morte do Senhor. Porém.. quando o acusamos de omitir o texto: >>"Eu tenho a dizer "Obrigado" por reforçar a minha linha interpretativa: "Memória de mim" e "anunciar a morte do Senhor". contendo as expressões "réu do corpo e do sangue" e "não distinguindo o corpo do senhor".. em que os leitores tem acesso aos textos e aos argumentos de parte a parte. na coluna da direita: Omissão de David >>"E Paulo cita Jesus dizendo: "Este cálice é o novo pacto no meu sangue. eu não citei porque elas já AFRONTAM DIRETAMENTE seu dogma. na coluna da esquerda.

e diz que não omitiu nada! Segunda grande surpresa. de que "até que ele venha" quer dizer que Cristo não se fará presente de nenhuma forma. come e bebe para si a condenação. Ora. Igualmente depois de ter ceado.. Examine-se. e NÓS viremos a ele e faremos nele morada (S. dizendo: este cálice. fazei isto em memória de mim. de forma alguma! E ninguém ousou assim. o trecho que contém as expressões "Memória de mim" e "anunciando a morte do Senhor. é o novo testamento no meu sangue. 23)". João. 23-29).. a si mesmo o homem. no final do mundo. e meu Pai o amará. E muitas 137 . e contém as expressões supracitadas: "réu do corpo e do sangue" e "não distinguindo o corpo do senhor". Portanto todo aquele que comer este pão ou beber este vinho indignamente. e disse: recebei e comei. quando este ainda o perseguia: "Eu sou Jesus. XIV. como explicar a passagem: "Se algum me ama. esta frase não se refere ao SEGUNDO ADVENTO DE CRISTO. porque é muito fácil provar o absurdo de tal interpretação! Se Cristo só virá no fim do mundo.) "Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei a vós.. XXVI. David repete a omissão. não distinguindo o corpo do Senhor.(. agora. quando Nosso Senhor voltará de forma VISÍVEL... que o Senhor Jesus. até que ele venha" já estava na primeira citação de David (versículos 25-26). guardará a minha palavra. e portanto não estaria na hóstia consagrada. E depois ele se enfeza com o título. a expressão "até que ele venha" . Tratemos primeiro das duas expressões que David diz "afrontarem diretamente" o dogma da transubstanciação. desmascarado pela segunda vez. fazei isto em memória de mim todas as vezes que o beberdes. E também." Portanto. será réu do corpo e do sangue do Senhor. Para os Davidianos Cristo não vem aos homens nunca. anunciareis a morte do Senhor. 15). e dando graças. pois. até que ele venha. Para os Davidianos. Porque aquele que o come e bebe indignamente. Nossa Citação na Resposta Citemos porém. até o século XIX ninguém se atrevera dar a interpretação Davidiana. tomou o pão. o partiu. na noite em que foi entregue. Primeiro. 11:25-26). (tomou) o cálice. de novo numa omissão. e assim coma deste pão e beba deste cálice. o trecho que acusamos de omissão compreende os versículos 27 a 29. a quem tu persegues" (Atos. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice.. Este é o estilo omitidor de David. o trecho completo. que será entregue por vós.(I Cor. sem a quebra do raciocínio imposta ao trecho de São Paulo (na 1a carta aos Corintios XI. isto é o meu corpo. como explicar que Cristo apareceu e falou com São Paulo.

. A segunda expressão que "afronta diretamente" o dogma católico. para o ato ensinado por Cristo. 138 .O Calvário até que ele venha . numa ceia. A segunda expressão de S. a ação que deve ser executada.. Anunciar a morte.A CEIA. Cristo disse: Fazei "isto" em minha memória. como ensina a doutrina católica: A Missa .e no lugar de vinho. E além disso. O "isto". não alegre e festivo. que David procura negar de todo jeito. ao invés de pão.que foi entregue . Mas como é que se anuncia a MORTE durante a celebração de uma CEIA. mas real. não é memorial. Eis o primeiro argumento que "afronta diretamente" o dogma católico. e tendo.como a Santa Ceia .. é "memória de mim". na Missa. Fazei apenas uma ceia em minha memória. relembrar alegremente a reunião de Cristo com os Apóstolos. Diferença sutil. como quer defender o omitidor.. é o que ensinou Cristo. no trecho imediatamente anterior. que supostamente deveria ser festiva? A ceia deveria celebrar.como fazemos nós.anunciareis a morte do Senhor . Consagreis como eu fiz..que foi derramado . realmente. confiando-lhe a educação dos filhos: .até o final do mundo. Fica ainda mais claro com um exemplo: Se um homem que está próximo da morte e diz à sua esposa.) em todo lugar se sacrifica e se oferece a Deus uma oblação pura. pois não estarei presente visivelmente. David faz parecer que Cristo disse: Celebrai minha memória. onde o pão e o vinho se tornam corpo e sangue de Cristo . como diz São Paulo. o que de forma alguma significa que Cristo esteja presente somente em memória. segundo a seita Davidiana. Cristo mandou que se fizesse o sacrifício em sua memória.desde o nascer do sol até o poente (.. E porque em memória? Porque não veremos Cristo até o final do mundo.renovação do Calvário . Paulo.educai nossos filhos em minha memória. E o que Cristo fez foi transformar pão e vinho em Seu corpo e sangue. como se pode anunciar a morte de alguém com pão e vinho. explicita o que se deve fazer até que Cristo venha: "anunciareis a morte do senhor". que só ocorreu no dia seguinte. diz o apóstolo. o SANGUE . e não a morte. o Calvário e a Missa. o CORPO . e não celebrar uma ceia comemorativa.é o anúncio da morte de Cristo . o que é falso.. Desloca o caráter memorial da lembrança de Cristo. católicos. Fica de novo evidente a relação entre a Ceia..outras passagens. A expressão significa que a cerimônia é para ser feita pelos Apóstolos e sucessores como recordação do que Cristo fez. Ou. e que revela a malícia dos hereges. em minha memória. Mas o texto é inequívoco: Toda vez que fizerdes isto . como quer fazer crer o omitidor. como dizem os protestantes? Só faz sentido anunciar a morte num ritual solene e grave. reduzido a pó.até que ele venha . "até que ele venha".

Mas David sabe o que está dizendo? Ele sabe o que é hermenêutica? Ele quer hermenêutica ou exegese? Duvidamos que ele saiba a diferença entre elas. pois afinal estamos respondendo sob o rigor que ele pediu. David rejeitou a doutrina e a interpretação dos Padres. e certamente desconhece aquela.e explicações da doutrina católica . primeiro. De igual maneira. que retomaremos. O homem. que não estará mais presente VISIVELMENTE. São João Crisóstomo.. Daqui em diante dividiremos nossa resposta em análise das citações bíblicas hermenêutica .a educação . com os tratados de Tertuliano.. ao contrário do que David proclamou como sendo expressões a seu favor. esta ciência da interpretação só se desenvolveu mais formalmente a partir do século III. pede (e mesmo institui. e nada dos Padres da Igreja. David exigiu o uso da hermenêutica nas respostas.e não simplesmente lembrar-se do pedido do marido. por exemplo. Cristo. São Jerônimo e Santo Agostinho. procuramos responder às acusações e ofensas de David utilizando três passagens bíblicas. Duvidamos que ele saiba. cai por terra. *** Em nossa primeira mensagem. ordena) que sua esposa (a Igreja) perpetue a Missa em sua memória.lógica.em lembrança ao esposo falecido. hermenêutica e lógica são as regras para bem interpretar e pensar. aprofundando: 1. pela figura dos pães multiplicados. onde o desenrolar da cena mostra a verdade eucarística. Então. muito embora não tenho usado esta. 139 ... Porém. que não estará mais presente. pede à esposa que continue a educação dos filhos em sua lembrança. Concedamos por um instante que seja hermenêutica o que quer o omitidor. Ou seja. Clemente de Alexandria. assim como a lógica está para o raciocínio. e depois. o segundo argumento que "afronta diretamente" a presença real na eucaristia. mas quer que usemos as regras de interpretação feitas pelos mesmos padres? Deixemos ao omitidor esta explicação embaraçosa. com Cristo se definindo ele próprio o pão que desceu do céu. mais uma vez confirmam a doutrina católica. E. Fica evidente a distinção entre o caráter memorial do ATO e o caráter memorial da PESSOA que mandou perpetuar aquele ato. que a hermenêutica está para a exegese. *** David exigiu que respondêssemos usando "hermenêutica e lógica". O capítulo VI do Evangelho de São João. Ela deve continuar algo real . Hermenêutica Em primeiro lugar. para citar apenas alguns.Que devemos entender por isso? Que a esposa deve de fato educar os filhos embora esteja agora sozinha . E David disse só aceitaria documentos dos tempos "apostólicos". enquanto exegese e raciocínio são as aplicações das regras em cada caso específico.

omitido desonestamente: "Portanto todo aquele que comer este pão ou beber este vinho indignamente. Pois.. pois. ou prova em contrário. pois deve-lhe causar horror a lembrança que fazemos do trecho de São Paulo. O resto. Inovou também ao dar uma nova definição ao adjetivo "Verdadeiro".. Somente com a morte de Cristo o perdão foi consumado aos homens. Por enquanto. As passagens da própria Santa Ceia. e o OINOS (sic) fisicamente OINOS. e isso não aconteceu. de forma inequívoca e insofismável a verdade sublime da Santa Ceia: que o pão é o Corpo de Cristo e o vinho é o Sangue de Cristo.. em que São Paulo nos dá. a si mesmo o homem. Da passagem de São Paulo. teólogo romanista (sic). 3. 2. já tratamos alguns pontos acima. sua carne e seu sangue. fica pela sua imaginação. e David 140 . David se limitou a dizer: >>"Meu Corpo Verdadeira Comida! Me ajude. relatadas pelos outros três Evangelistas.. e vou lhe provar COM SUA PRÓPRIA RESPOSTA. ao omitir sua própria resposta. Se valesse para a Ceia moderna. David... quando perguntamos como explicar ser possível alguém ser réu do corpo e do sangue. não fosse tão forte nele o omitir! Dos textos dos três Evangelistas . Disse David. e os pronomes demonstrativos não demonstram. a única "verdade verdadeira" é que o pão continua fisicamente pão. que para ele não mais significa "de verdade". come e bebe para si a condenação. David preferiu as respostas rápidas.E por fim que este pão é na verdade seu corpo. deveria valer também para a primeira de todas. será réu do corpo e do sangue do Senhor. não distinguindo o corpo do Senhor". da qual trataremos mais adiante. pois não fizemos nenhuma asserção sem base. com minha própria resposta.. ainda nos atribui uma interpretação incorreta do sacramento. Do trecho do Evangelho de São João. esqueceu de colocar a explicação. E São Paulo fala claramente em culpa. porque não quer ficar diante da citação bíblica muito tempo. que ambas NÃO SIGNIFICAM IDENTIDADE PLENA. David se limitou a ensinar sua nova gramática." Ou seja: Faço afirmações gratuitas porque vocês fizeram! Que lisura! Além de nos acusar injustamente. como vc (sic) define a palavra VERDADE e a palavra VERDADEIRA. no afã de atacar o "teólogo romanista". que ele certamente iria provar. onde o verbo ser não é (conforme já refutamos longamente). no âmbito bíblico." E procurei em vão a prova de que "Verdade" e "Verdadeira" não definem a realidade de que o corpo de Cristo é DE FATO comida. se a eucaristia fosse simplesmente celebração da memória: >> "Com a mesma facilidade que vcs (sic) pregam que seria redimido dos pecados ANTES MESMO de Jesus ser morto na cruz. e assim coma deste pão e beba deste cálice. O capítulo XI da 1a Epístola aos Coríntios (versículos 23 a 29). em ser réu do CORPO e do SANGUE... mas qualquer outra coisa. Examine-se. Porque aquele que o come e bebe indignamente. e inovou..

" Minha Regra? Mas a regra é de São Paulo! (I Corintios. É claro que o indignamente mostra que para tomar a sagrada eucaristia. e também: " Porque de nada me sinto culpado. sangue. o Senhor é quem me julga.. com dons dados por Deus. E David diz ser O justo! Contra-prova? Deixemos os delírios de lado e comentemos os fatos. Ora. quer dizer presença de pecado consciente.divaga. Quer ver a contra-prova ? O que acontecia aos que assim não o fizessem ? A resposta não foi "os pecados não seriam perdoados". pela teologia Davidiana o pão consagrado não é apenas pão. Ou seja. plenitude de vida espiritual? Mas que presunção. os coríntios repreendidos por São Paulo deveriam ter uma vida reta. e não distinguisse o corpo de Cristo. IV. XI. pois. E a palavra indigno não quer dizer "ignorância" ou "heresia". doentes e até mortos. que. somente com pão. veja não caia. autoridade contra demônios.. David então disse: >>"A resposta está no texto: "indignamente". 30) Boa saúde. que o corpo esteja realmente presente. que. autoridade contra demônios (sic) e estou cheio de vida espiritual (sic). ficou sem resposta: perguntei como poderia se condenar alguém que comesse pão e vinho. (sic) Comigo sua regra "não pegou". não há dúvida. alma e divindade. e então cada um receberá de Deus o louvor. pois para receber o próprio Cristo em carne. Pelo que não julgueis antes do tempo. Mas sim que haveria consequências espirituais de uma vida atrapalhada: fracos. não pode haver culpa! Pior ainda quando perguntamos como poderia comer e beber a própria condenação quem. Paulo advertia aos corintios para participarem da Ceia com as vidas retas diante de Deus. 12). pois pecado e santidade não podem compartilhar a mesma morada. é preciso estar em estado de graça. Mas não foi esta a pergunta. vendo pão e vinho. X. não distinguisse o corpo do senhor. apenas 141 . David não respondeu. humilde David! São Paulo fala o contrário: "Aquele. mas nem por isso me dou por justificado. pode alguém ter culpa sobre um CORPO! Não há escapatória. porque não há resposta: sem corpo. para variar. para ser réu do corpo é preciso que haja o corpo." (I Corintios. Que o indignamente significa pureza da alma. e o vinho. Desfruto de boa saúde. mas ainda descobrirá os desígnios dos corações. à luz da Bíblia. até que venha o Senhor. não explicando como sendo apenas PÃO. o qual não só porá às claras o que se acha escondido nas trevas. Quer dizer INABILIDADE ou IMCOMPETÊNCIA (sic). (I Corintios. e não apenas em símbolo. Participo da Ceia do Senhor há mais de 20 anos. e comendo pão e vinho. que crê estar de pé. 4-5).

montfort..vinho? Então porque a condenação. sem o auxílio dos sentidos.org. precedida do deboche..br 142 . Mas o desastre mesmo vem quando o omitidor David destaca o trecho da pergunta anterior (Como poderia alguém distinguir o corpo do pão. se vê apenas pão?) que ficara sem resposta. é como distinguir. impossível através dos sentidos! Como se dá. com sua demonstração de ignorância! É evidente que o corpo e o sangue de Cristo na eucaristia não são distinguíveis pelos sentidos. para aqueles que não fizessem a distinção do corpo? Nova pergunta sem resposta. Esta é a nossa posição. ó omitidor David. me diga UM CATÓLICO que consiga diferenciar visivelmente o pão de um corpo humano ou vice-versa na Eucaristia! Quer fazer o favor de se auto-apunhalar ? Quem tem que defender o caráter memorial sou EU e não VC (sic)!" Ficamos pasmos... que contraria sua absurda acusação de canibalismo no primeiro ataque! Graças a Deus o omitidor recuou neste ponto. que mostra como a fé sustenta os sentidos. que falham ao reconhecer o corpo de Cristo. porém. O que perguntamos.. o sangue de vinho! E o fato aqui é: a distinção é necessária. é a doutrina da Igreja. então.PARTE II Autor: Marcos Libório Fonte: www. e nos deu a seguinte pérola. "cristão" Davidiano: >>"Risos.. o corpo de pão. e é evidente a pergunta. tal distinção? JESUS CRISTO ESTÁ NA EUCARISTIA? . Por isso citei o "Adoro te devote" de São Tomás.

com sua demonstração de ignorância! É evidente que o corpo e o sangue de Cristo na eucaristia não são distinguíveis pelos sentidos. quando Cristo multiplica os pães: "Estava perto a Páscoa. do pão. então. precedida do deboche. ó omitidor David.. alimento corporal. A preocupação do evangelista aqui é mostrar a relação entre o pão multiplicado. aparentemente desnecessária. dia da festa dos judeus" (S. é que haja a distinção. o corpo de pão. e nos deu a seguinte pérola. que podemos dividir em quatro partes: Na primeira (versículos 1 a 25). já que David tanta dificuldade em reconhecer: é pela fé que se distingue o corpo do senhor presente realmente. me diga UM CATÓLICO que consiga diferenciar visivelmente o pão de um corpo humano ou vice-versa na Eucaristia! Quer fazer o favor de se autoapunhalar ? Quem tem que defender o caráter memorial sou EU e não VC (sic)!" Ficamos pasmos. sem o auxílio dos sentidos. VI. tal distinção? Respondamos. e o mesmo com o Sangue em relação ao vinho. 4).CE. é a doutrina da Igreja. Os judeus procuram então fazê-lo rei.... que falham ao reconhecer o corpo de Cristo. Por isso citei o "Adoro te devote" de São Tomás. Cristo mostra de forma prodigiosa como nos dará o alimento celeste. é como distinguir. Religião: Protestante Idade: 30 anos Escolaridade: Superior concluído Mas o desastre mesmo vem quando o omitidor David destaca o trecho da pergunta anterior (Como poderia alguém distinguir o corpo do pão. e é evidente a pergunta. *** Comecemos a análise bíblica pelo capítulo VI do Evangelho de São João. Esta é a nossa posição. O que é absolutamente necessário. que mostra como a fé sustenta os sentidos. se vê apenas pão?) que ficara sem resposta. assim como o ramo Davidiano pentecostal! Pois participar da eucaristia sem distinguir o pão do corpo leva à condenação! Claríssimo o texto. Pelo menos para as almas sinceras. impossível através dos sentidos! Como se dá. repitamos. na figura da multiplicação dos pães.Nome: David Enviada em: 05/01/2001 Local: Fortaleza . e Cristo foge. porém. que contraria sua absurda acusação de canibalismo no primeiro ataque! Graças a Deus o omitidor recuou neste ponto. que é dado como 143 . o sangue de vinho! E o fato aqui é: a distinção é necessária. pois São Paulo está atacando os coríntios porque transformaram a missa numa refeição. "cristão" Davidiano: >>"Risos. e mais clara ainda a pergunta. João. Note-se que São João faz uma referência curiosa. Claríssima a verdade da presença real de Nosso Senhor Jesus Cristo. O que perguntamos.

sendo Mestre como era. 29). João. na qual se sacrifica o cordeiro sem mancha. que lhes seria alimento espiritual. (versículos 26 a 47). vida que será conseguida por seus méritos na cruz. e diz que é necessário que os judeus comam esse novo pão.alimento a todos. XVI. VI. Como não podia deixar de ocorrer. VI. ora. VI. pode dar-se em alimento. pois ninguém entendeu em sentido figurado. começam a se escandalizar: "Disputavam entre si os judeus dizendo: Como pode Este nos dar a comer a sua carne?" (S. assim como o maná. que não entendera o sentido do nascer de novo do batismo (S. o que mostra que Cristo falava claramente. Assim fez Jesus com Nicodemos. e o que crê em mim não terá jamais sede". acreditar no que diz Cristo! E Jesus irá explicar então em que consiste este alimento. Cristo começa a explicitar a doutrina eucarística. 35). esta mesma relação será feita na Santa Ceia relatada pelos demais evangelistas. Na terceira parte. e os judeus novamente murmuram por não compreender a divindade de Cristo. como o moderno David. 54). 48-50). 51-52). pois Cristo é homem. feito de carne? "Eu sou o pão que desci do céu. ou seja. invisível. Nicodemos pensa que teríamos que voltar ao seio materno. que os judeus entendem novamente no sentido material. assim como os seus pais comeram o maná no deserto. Não só Cristo usa a palavra comer. VI. como algo que lhes livraria da morte corporal. VI. Cristo. Cristo exorta então o povo a trabalhar para conseguir este alimento superior. para receber o alimento prefigurado materialmente na multiplicação dos pães. quando Cristo os mandava guardar do fermento dos fariseus e saduceus. como compara-se a um alimento real. (versículos 48 a 59). os judeus. para pagar os pecados na Páscoa. Mateus. e ainda "O que come deste pão viverá eternamente" (S. João. que haviam buscado Cristo pelo alimento material. VI. Cristo busca elevar a mentalidade daquele povo que só via o milagre visível. o maná. então. e procuram saber o que fazer para conseguí-lo. Ora. João. Assim também Cristo corrige os Apóstolos." (S. Cristo lhe explica o batismo. "A obra de Deus é esta que creais n´Aquele que Ele enviou" (S. 59). como na multiplicação dos pães. III. (S. Cristo diz literalmente que o pão é a sua carne! E novamente Nosso Senhor irá salientar a íntima relação entre o Calvário e a Eucaristia. 53). E que pão é esse que deveriam comer os judeus. e o pão que eu darei é minha carne. não tereis vida em vós" (S. ao dizer que o pão é para dar vida aos homens. João. e a Páscoa. comparando-se ao maná. João. o que vem a mim não terá jamais fome. para um milagre superior. 5- 144 . o pão que veio do céu: "Eu sou o pão da vida. VI. que era de fato comido pelos judeus no êxodo. que obra material para conseguir tão elevado prodígio. Na segunda parte. (S. após a preparação anterior. multiplicando seu corpo sem dividir-se. Se qualquer comer deste pão viverá eternamente. caso os judeus tivessem entendido mal. (S. 5-8). João. pão que será dado na última ceia: "Se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue. é preciso ter fé. que pensavam materialmente. responde ser necessário crer nas Suas palavras. Pode dar-se em sacrifício. João. o normal seria Cristo explicar. por ignorar que veio do céu. Cristo tudo pode. João. para ser a vida do mundo.

e o Mestre então fala abertamente que seu amigo estava morto. 59). 145 . 13-14). não tereis vida em vós. E ainda." (S. ouvindo isso. mostrando como esse alimento espiritual é fonte de vida. e eu o ressuscitarei no último dia. VI. os Apóstolos disseram que não haviam trazido pão. vemos a reação dos discípulos de Jesus. não só é possível. 54). João. esse mesmo também viverá por mim. E de novo a afirmação de que se deve. 61). devorar: "O que come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna.: "Porque a minha carne é verdadeira comida e meu sangue verdadeira bebida. como bom Mestre. disseram: Duro é este discurso. Cristo vai explicando os efeitos do alimento que nos dará. João. Cristo insiste na realidade deste ato. para não deixar dúvida sobre esta verdade. Os judeus perguntaram de que forma poderia se dar aquilo. lemos: "Aqui está o pão que desceu do céu. (versículos 60 a 72). os esclareceria. Na quarta parte. para que ninguém tivesse dúvida: "Assim como o Pai que é vivo me enviou e eu vivo pelo Pai. esse fica em mim e eu nele. João. VI. porque para ele "verdadeira" não significa "de verdade". João. de agora em diante usará o correspondente ao verbo TRÓGO. mas Cristo disse que dormia. David certamente não terá dificuldade em reconhecer o verbo grego. Cristo irá insistir no que disse seis vezes. mas reafirma. o versículo que David não gostou. mastigar. João." (S.. VI. e além de afirmar a interpretação literal que surpreendera os judeus. em que Cristo promete o seu corpo e seu sangue sob as espécies de pão e vinho: "O que come a minha carne e bebe o meu sangue. mas é obrigatório! Não os corrige. que morrera. pois. mas aprofunda o que dissera. Também no caso de Lázaro. E ainda. Cristo explica que o fermento é a doutrina dos fariseus e saduceus. de seus discípulos. Os Apóstolos então não compreenderam porque Cristo tinha de despertá-lo. E mais. nos versículos seguintes! Assim. Também no versículo seguinte. pois se até agora Cristo usara o correspondente ao verbo grego PHAGEIN para significar o "comer". assim o que me come a mim. VI. João. Cristo falou sobre comer sua carne e beber seu sangue de forma literal. XI. para que não houvesse dúvida que falava literalmente. Ele. diante dos judeus atônitos diante de tal revelação. VI." (S. VI. O que come deste pão viverá eternamente. 58). que novamente confirmam a clareza do discurso de Cristo: "Muitos." (S.12). Cristo não os corrige. comer o pão. e quem o pode ouvir?" (S. em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do Homem e beberdes o seu sangue. João. 56). João. (S. que irá produzir a união mais profunda com Ele. No entanto. já que "mostrou" ser conhecedor também desta língua: TRÓGO quer dizer comer. pois Cristo compara-se diretamente com o maná. quebrar com os dentes os alimentos mais duros. que veio do céu. seguidas vezes." (S. diante da interpretação literal do povo assombrado por verdade tão impressionante. 55).." (S. de fato. pois evidente que se o povo e os discípulos tinham entendido mal o que Cristo ensinara. conforme já citamos: "Em verdade. tragar. VI. Era. E nos versículo seguintes. e não em figuras. ainda com mais ênfase. e que era comido pelos judeus. 57). Não como os vossos pais que comeram o maná e morreram.

Os protestantes se aproveitam deste trecho para tentar impugnar a verdade sobre a presença real. João. e neste sentido diz que a carne de nada aproveita. pois entenderam perfeitamente o que Cristo dissera. os judeus se escandalizaram. Nada mais natural. ou seja. que os afastará do divino Mestre: "Isso escandaliza-vos? Pois que será se vós virdes subir o Filho do Homem onde Ele primeiro estava?" (S. João. VI. Nosso Senhor já elimina a possibilidade de que teriam que comer a carne humana. João. desrespeitosa e blasfema para com Nosso Senhor. e assim como o omitidor David. Não como a de um animal morto. literalmente. João. Cristo falou literalmente. VI. 58). sob as espécies do pão e do vinho. assim o que me come a mim. não era para comerem a carne e beberem o sangue literalmente. que ao tentar desesperadamente negar uma verdade claríssima. VI. Cristo confirmará que a carne morta não tem serventia. pois diz Cristo: "O espírito é o que vivifica. esse mesmo também viverá por mim" (S. como lemos a seguir: "Desde então tornaram atrás muitos de seus discípulos e já não andavam com Ele. I. Faltou-lhes a fé. me enviou e eu vivo pelo Pai. Não diz ainda como se fará isso. e não sob as espécies de pão e vinho da eucaristia. Cristo fala que a carne não deve ser comida como entenderam os judeus. João. ofendem Nosso Salvador e se contradizem com o resto da Escritura. pois só entendem materialmente. as palavras que eu vos disse são espírito e vida" (S. Por isso disse Jesus aos doze: Quereis vós outros também retirar-vos?" (S. 62-63). pois é o espírito que vivifica. como irá esclarecer na Santa Ceia. 146 . o que dizer da divindade de Cristo? O Salvador novamente mostra que a fé é o dom que devemos ter para receber o alimento da vida eterna. Não é raro encontrar interpretações protestantes caolhas como essa. pois a carne de Jesus é que permitiu a redenção. SUA CARNE de nada aproveita! Tal interpretação é absurda. a carne de nada aproveita. como a de um animal morto. Cristo irá dizer que seu corpo não é para ser comido da forma que os judeus entenderam. estes sim. vivos substancialmente na eucaristia. pois o "Verbo se fez carne e habitou entre nós" (S. e acharam esta verdade muito dura. dado o contexto. mas. Os protestantes dizem então que com isso Cristo anulou tudo que havia dito anteriormente.Vários discípulos então rejeitaram seu discurso. para provar a fé dos seus discípulos. E David diz que Cristo falava figuradamente? Não há dúvida sobre o que Cristo ensinou aqui! A falha dos discípulos é querer entender que o comer a carne e beber o sangue se dariam. VI. e por isso de nada aproveita aquele que comer a carne humana. Embora não revele como se comerá sua carne. 64). Cristo então ensina que devemos comer sua carne e seu sangue. pois dissera: "Assim como o Pai que é vivo. Se eles não podiam crer nestas verdades. mas para os judeus isso é duro demais. No versículo seguinte. não têm a verdadeira fé. 14). 67-68). E de fato muitos se afastam. pois afinal.

após esta verdade ter sido anunciada por Nosso Senhor com tanta clareza e insistência. O seu desempenho em figuras de linguagem também é decepcionante. deu graças e deu-lho 147 . E é Pedro. tomou Jesus o pão e o benzeu. 69-70)." "E tomando o cálice. onde deveriam preparar a páscoa. dizendo que o milagre visível foi apenas uma figura do verdadeiro milagre. para lhes prover todas as necessidades materiais. e queriam fazer de Cristo um rei. de verdade. do pão que dá a vida. ficando então com Cristo. não sabendo distinguir linguagem metafórica da afirmação pura e simples. Aqueles. Mas quando colocadas dentro do contexto da pregação de Cristo sobre esta verdade sublime. para quem havemos nós de ir? Tu tens palavras de vida eterna. que tinham permanecido com Pedro o haviam feito somente pela fé. quem confirma a fé deles e a confiança nas palavras do divino Mestre. e que para isso eles deveriam crer que era preciso comer Sua carne e beber Seu sangue. assim como é dura para o protestante David. e que se decepcionaram. na cruz e na Santa Missa. David limitou-se a praticar sua novíssima gramática. Mateus. mas confiavam em Jesus. e como vimos em São João. O divino mestre manda que os Apóstolos se dirijam à cidade e sigam o homem com a bilha de água. e que na casa que ele entrasse. E então Cristo lhes prova. Filho de Deus" (S. há dois mil anos. depois de celebrar a páscoa judaica pela última vez: S. porém. Claro também é de que lado ficam os que estão com Cristo. como vimos. O omitidor David foi-se com os judeus que acharam dura aquela verdade. são irrefutáveis: Cristo prometera sua carne e seu sangue em alimento. e por isso com Cristo. As narrações da Santa Ceia feitas pelos três Evangelistas são probatórias em si mesmas. e partiu-o e deu-o aos seus discípulos e disse: Tomai e comei. que o verbo "ser" não "é". vinte séculos depois. ISTO É O MEU CORPO. católicos.E se foram os que não tinham fé. eles. ficamos com Pedro. E o que fizeram os verdadeiros seguidores de Cristo. Só uma má fé enorme pode negar a presença real de Cristo na eucaristia. se foram. Havia pelo menos um ano que seguiam o mestre sem saber como se daria aquela promessa. quando Ele desafiou sua fé. João. pois aquela era uma verdade muito dura. E como não estavam ali senão para o que era visível e útil para esta vida. Tal gramática postula. na eucaristia. *** Da citação dos Evangelistas sobre a última ceia. que é de todo estranha. como o protestante David quer. encontrariam a sala ornada e espaçosa. que já tinham visto o milagre visível da multiplicação dos pães. e os pronomes demonstrativos não demonstram. dizendo para eles se retirarem também. ceando. e claro é que estão contra ele os que querem só o milagre visível. os que têm fé. pois não receberam nenhuma cura ou alimento visível. VI. muitos escandalizaram-se e abandonaram o divino mestre. Nós. XXVI (26-28): "Estando. Os Evangelistas então contam como Cristo celebrou a nova páscoa. em nome dos Apóstolos. no entanto. e nós temos crido e conhecido que tu és o Cristo. caso duvidassem: "Senhor.

Marcos. ou ao menos se surpreendido. comungando pela primeira vez o CORPO. lho deu: e todos beberam dele. para que Cristo. impossível. Claríssima sua conveniência. nem a idolatria (sic) que o mesmo David tentou desesperadamente provar no segundo. com Pedro! Claríssimas as palavras. ALMA e DIVINDADE de Jesus sob as espécies do pão e vinho. e disse: Tomai. alguém dentre eles deveria ter dúvida sobre a verdadeira mensagem do mestre." S. mas agora tão doce para os que ficarem junto ao mestre. como na passagem de S." Ora. Somente distorcendo as passagens como fez David. O apóstolo São Paulo repete a cena narrada pelos Evangelistas. e os Apóstolos não têm dúvida! Se Cristo tivesse falado figuradamente. que TODOS ENTENDERAM LITERALMENTE! E todos os Apóstolos obedecem ao mestre. sem o canibalismo (sic) que a teologia Davidiana acusou no primeiro e-mail. depois de cear. *** A terceira citação. dizendo que o pão e o vinho estavam sobre a mesa no momento da consagração. Repitamos ainda uma vez a citação. que está no capítulo XI da 1a Epístola aos Coríntios (versículos 23-29). SANGUE. como delirou o omitidor David." "E tendo tomado o cálice. é possível esconder dos seus pobres seguidores a verdade que Cristo revelou aos que têm fé. Algum Apóstolo deveria ter perguntado o verdadeiro sentido. XXII (23-25): "Também depois de tomar o pão deu graças e partiu-o e deulho. Mas. de um modo que PODIAM SER COMIDOS! Coloquemo-nos no lugar dos Apóstolos e experimentemos a sua santa alegria ao ouvir de Jesus como se daria aquela obrigação tão terrível para os que não tiveram fé. depois de o benzer." "Porque este é o meu SANGUE do novo testamento. ou seja. ao contrário. nenhuma surpresa de nenhum Apóstolo. de novo de forma inequívoca sobre a verdade sublime da Santa Ceia: que o pão é o Corpo de Cristo e o vinho é o Sangue de Cristo.dizendo: Bebei dele todos. que será derramado por muitos. fazei isto em memória de mim. e. partiu-o e deu-lho. COMO SEMPRE FAZIA. dizendo: Este cálice é o novo testamento em MEU SANGUE. ISTO É O MEU CORPO. Claríssima também a referência à Cristo alimento real. para remissão dos pecados. sob a forma de pão e vinho. já a discutimos bastante. para que se possa apreciar a força da argumentação paulina: 148 . anunciada que fora na multiplicação dos pães. pois era uma verdade "verdadeira" tão evidente. não vemos nenhum pedido de explicação. João. depois que deu graças. dizendo: ISTO É O MEU CORPO que se dá por vós. O Mestre nos apresenta seu corpo e sangue. momentos antes da separação de Cristo e dos Apóstolos. que será derramado por vós. que será derramado por muitos. Lucas. tão clara." "Tomou também da mesma sorte o cálice. tomou Jesus o pão. mais claro. pois suas palavras são diretas. lhes explicasse o que dissera." S. e que são retos de coração." "E Jesus lhes disse: ESTE É O MEU SANGUE do novo testamento. que DEVIAM SER COMIDOS. XIV (22-24): "E quando eles estavam comendo.

mas que Cristo ensinou aos Apóstolos como fazer a cerimônia de transubstanciação do pão e do vinho em seu corpo e sangue. supondo que seu dogma fosse correto. ANTES DO CORDEIRO MORRER O POVO JÁ ESTAVA PERDOADO ? Tá mal. Desafiamos o omitidor David a provar o contrário e ele fugiu da questão. e por isso ele não admite que tenha ocorrido antes do calvário. 149 . Porque aquele que o come e bebe indignamente.. e disse: recebei e comei. no fim do mundo. de modo análogo. come e bebe para si a condenação. Porém. David repete o tempo todo que a eucaristia teria como efeito o apagar os pecados. o partiu. é o novo testamento no meu sangue. anunciareis a morte do Senhor. até que ele venha. quando Cristo fala em memorial. é antibíblica. o que a Igreja ensina. tomou o pão. Igualmente depois de ter ceado. Conforme já foi mostrado. a expressão "até que ele venha" se refere ao segundo advento de Cristo. O que ainda falta explicar dessa passagem é a confusão do omitidor sobre os efeitos deste sacramento: para ele." Como os Evangelistas. a si mesmo o homem. fazei isto em memória de mim todas as vezes que o beberdes."Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei a vós. (tomou) o cálice. dizendo: este cálice. São Paulo está exatamente criticando os coríntios por transformarem a missa em ceia. Examine-se. que o Senhor Jesus. que nos leva ao céu através do aumento da graça santificante. fazei isto em memória de mim. a eucaristia apaga o pecado. e dando graças. Ele se refere à Sua presença visível e não à presença real. ANTES DA CELEBRAÇÃO DA MISSA O POVO JÁ FICA PERDOADO ?" Esta é a teologia Davidiana. Citemos apenas alguns exemplos: "Você confirma aqui que houve "transubstanciação" em carne e sangue do Senhor ali ? E que houve PERDÃO DOS PECADOS mesmo sem a morte do Cordeiro ?" E ainda: "Vc está dizendo que pode haver PERDÃO DE PECADOS SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE ?" E também: "Então vc está querendo dizer que em todos os sacrifícios dos tempos antigos. que será entregue por vós. para refutar a noção Davidiana sobre o caráter memorial da Santa Ceia. e o que vemos em São Paulo não corresponde à teologia Davidiana. na noite em que foi entregue. e. isto é o meu corpo. que nos torna cada vez mais parecidos com Deus. que mais uma vez. pois não distingui-los leva à condenação. pois. em sua memória. Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice.. A Igreja ensina que o sacramento da eucaristia é alimento espiritual. São Paulo mostra como a Santa Ceia não foi simplesmente uma refeição. São Paulo mostra a realidade do corpo no pão e do sangue no vinho. Também. não distinguindo o corpo do Senhor. Portanto todo aquele que comer este pão ou beber este vinho indignamente. e assim coma deste pão e beba deste cálice. portanto unidos a Ele. será réu do corpo e do sangue do Senhor. hein ? (sic) E.

Nem lógica tem o omitidor David e muito menos hermenêutica." Presença de pecado consciente. volume IX. 39-40. David. que. e o evangelista nos diz que o demônio se apossou dele imediatamente (São João.No entanto. questão LXXIX. pois "o que me come a mim.. agora mais próxima da verdadeira. nem os Patriarcas e Profetas. faça direito. O mesmo David que insistiu -. em sua tentativa de explicação: "A resposta está no texto: "indignamente". 150 . a doutrina do omitidor se revela contraditória e antibíblica. 27)... não alcançaram a promessa: Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito.. porque o escritor aos Hebreus diz que os fiéis do passado NÃO ALCANÇARAM A PROMESSA antes da morte do Senhor (Hebreus 11:39. VI.. como ensina São Tomás. VI.. principalmente. reconhece que a eucaristia NÃO PODE SER TOMADA POR QUEM ESTÁ EM PECADO! Vemos as conseqüências terríveis de tal ousadia quando Judas toma a comunhão em pecado. pois foi assim que ensinou Cristo.. João. David! Eu localizei e destaquei "não receberam o objeto da promessa". quer dizer presença de pecado consciente. pois "este é o pão que desceu dos céus. porém com a mesma interpretação tendenciosa envolvendo a morte de Cristo: >>"O trecho bíblico de Hebreus 11. pois "quem comer este pão terá a vida eterna" (S. nenhuma! Portanto.. (Suma Teológica. não mude o sentido da citação! Diz o Apóstolo: "E todos estes. Mas se não podemos receber a eucaristia em pecado. pois disse. não obtivessem a perfeição da felicidade. encontramos novamente a citação. Quer dizer INABILIDADE ou IMCOMPETÊNCIA. João. a Eucaristia é um Sacramento que confere a graça e nos leva a uma união mais estreita com Deus." (Epístola aos Hebreus. E a palavra indigno não quer dizer "ignorância" ou "heresia".que a eucaristia é para PAGAR O PECADO. 58). XI. Pobre do David e de sua teologia claudicante.40)?" Por favor. São Paulo diz que aquele que recebe a comunhão indignamente é réu do corpo e do sangue. XIII. que você inventou. não receberam o objeto da promessa. sem nós. quando citar as Escrituras.até demais -. perdida entre outros assuntos. E agora vejamos como o omitidor se entusiasmou com sua própria eloqüência e citou a carta aos Hebreus de forma ERRADA: >>" Se isso era possível (outro meio de perdão).todos estes. artigos 1 a 8). VI. nem os Apóstolos. tendo Deus disposto alguma coisa melhor para nós. João. 52). e para atingirmos a glória da vida eterna. para nos fortificar contra o pecado futuro. E que o indignamente significa em estado de pecado. qual a finalidade da eucaristia? Pela lógica e hermenêutica Davidiana. e assim como São Paulo e os Evangelistas. louvados (por Deus) com o testemunho prestado à sua fé. e.. assim como a Igreja. tendo tido testemunho pela fé. para que todo o que dele comer não morra" (S. à luz da Bíblia. a fim de que eles. nem David tem dúvida. para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados. 50). que mostra que ninguém foi perdoado do pecado original antes da consumação do sacrifício. No final da carta. e pela teologia Davidiana a eucaristia serve para perdoar o pecado. Pelo contrário. 39-40) Localize as palavras "antes da morte do senhor". esse mesmo também viverá por mim" (S. mais uma vez.

assim como a Santíssima Trindade. etc. Mas para aqueles que abandonaram o divino mestre. concordes com a inteligência. se Deus precisa dessas "atualizações". O problema de David é de entendimento também! Entender como é possível o milagre. Entender como é possível Cristo dar-se em alimento. e porque estas verdades estão acima da inteligência. David. assim como a divindade de Cristo. faz uma interpretação estranhíssima: ninguém discutiu em que momento se daria o cumprimento das promessas. E caem na contradição temporal. como Ele morrer de novo ? Que seja de morte incruenta ou qualquer outro termo que seja escolhido por vocês. e a questão da REPETIÇÃO." Sobre a escapatória dizendo que a vítima é a mesma. Nós dois concordamos que Deus prometera o Salvador desde o começo do mundo. para não deixar dúvida que a dificuldade em aceitar a doutrina católica é porque ele não a entende. que foram repetidas pelo omitidor várias vezes. o fato é que afirmam que o sacrifício É REPETITIVO. pela TEMPORALIDADE e pela DUALIDADE DE SACRIFÍCIO. ensinar aos hebreus que o momento de se alcançar as promessa teria que ser necessariamente no preciso segundo depois que o Senhor expirou. por isso nego a transubstanciação. não para aqueles que estão unidos a Cristo pela fé... Seria melhor concentrar-se nas citações corretas. nas quais ele insistiu várias vezes: >>"Realmente não aceito contradição bíblica. Eis o problema de David. pois isso não vem ao caso. Lógica Na segunda parte de nossa resposta.. E David não entende por dois motivos: por causa de sua falta de fé." O problema crucial para David é a questão do TEMPO. o absurdo prevalece: se houve o sacrifício UMA ÚNICA VEZ. e em responder os argumentos dos quais fugiu. E não são muitas. pois estes não precisam. assim também como os milagres visíveis. Entender como Cristo ter dado poder aos Apóstolos para perpetuarem seu sacrifício na Santa Missa. E responderemos. Ela é que torna a Bíblia incoerente.. não viveram até o advento de Cristo. Responder o que não perguntamos parece perda de tempo.Vê-se que o Apóstolo Paulo não tencionou. O problema de David não é só de fé. buscamos reunir todas as dúvidas que David levantou sobre a possibilidade da realização da Missa e da transubstanciação como verdades. de forma alguma.. que ele não tem. porque "esta verdade é muito dura. com PEDRO." E se agora David se emendou na citação. por que a Bíblia diz que o Cordeiro foi morto ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO e ainda assim precisou vir ao mundo na Plenitude dos Tempos ? 151 .. e que todos aqueles que São Paulo cita do Antigo Testamento.

Deus nunca repete ou refaz algo que já fez. Portanto. pois este compêndio anterior apresentaria OBRIGATORIAMENTE os mesmos efeitos ou NÃO SERIA LITERALMENTE A CARNE E O SANGUE DO SENHOR. por que a Bíblia 152 . assim também Cristo.quando Jesus realizou a Santa Ceia. pois São Paulo explica claramente que isso é impossível através da eucaristia. Se a transubstanciação fosse doutrina correta. Ele nem havia morrido na cruz ainda. Vc nunca encontrará isso. mas com efeito de perdão somente após a crucificação ?" Já mostramos como a finalidade da eucaristia não é a remissão dos pecados.. feita uma vez". os discípulos já estariam salvos ANTES de Cristo morrer.. oferecendo-se uma vez. aparecerá segunda vez sem pecado aos que o esperam para a salvação" bem como HEBREUS 10:10 . por favor: Ou seu dogma é ADAPTÁVEL AO TEMPO (deixando de ser verdadeiro enquanto dogma) ou em sua doutrina CRISTO pode MENTIR. Ou seja." E mais uma vez: >>"Trago aqui Duas perguntas distintas : aqueles elementos PERDOARAM os pecados dos discípulos ? Ou não ? 1) Caso sim : como poderia ser efetuado o efeito do derramamento de sangue sem que o Cordeiro houvesse sido imolado ? Criaram OUTRO MEIO DE PERDÃO além do sacrifício de Cristo ? Se isso era possível. Decidam-se. Pensem antes. Os homens repetem seus erros e ações. vindo depois o juízo. porque o escritor aos Hebreus diz que os fiéis do passado NÃO ALCANÇARAM A PROMESSA antes da morte do Senhor (Hebreus 11:39. Se não se aceita que a Santa Ceia é apenas um MEMORIAL sobre a obra no Calvário. Qualquer coisa que me falem pode incorrer em uma ou outra situação. E ainda: >> "1) TEMPORALIDADE . O que se deve notar na resposta Davidiana são as suas contradições: destaquemos do seu texto outra delas: ". todo mundo estará autorizado a dizer que Jesus mentiu ao já afirmar de antemão "ISTO É O MEU CORPO" e "ISTO É O MEU SANGUE". se Deus precisa dessas "atualizações". portanto nem havia dado o brado "Está consumado!". conforme doutrina decorrente da transubstanciação."Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo. 2) Se nas missas verdadeiramente Cristo "nasce" e "morre". os elementos pão e vinho já teriam se tornado "carne e sangue" do Salvador antes mesmo dele concretizar sua morte. não tendo poder salvífico ou remissório em si mesma. para tirar os pecados de muitos. Se alguém me disser que a transubstanciação só começou a ocorrer DEPOIS da morte da Cruz..Deus posiciona os eventos NO TEMPO DETERMINADO e se vc quer pesquisar um pouco.28 -"Assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez. esse ponto já está bem respondido. procure na Bíblia se houve algum feito de Deus no mundo que precisou ser REPETIDO. conforme proposição romanista. como fica vossa interpretação de Hebreus 9:27. o sacrifício na Cruz se tornou nulo.40)? 2) Caso não: por que se baseiam nas palavras INSTANTÂNEAS de Cristo para formalizar a transubstanciação..

. para que eles sem nós não fossem aperfeiçoados. Não é rigor que devemos ter." (Hebreus 11. se a oferta e a imolação. não alcançaram a promessa: Provendo Deus alguma coisa melhor a nosso respeito. que ele foi manifestado para abolir o pecado com seu próprio sacrifício" (Hebreus. foi uma só vez. é que Deus passou a prometer aos patriarcas o Salvador. o que dá unidade ao sacrifício não é sua simultaneidade no 153 . através da Santa Missa. De fato. Mas ele acabara de afirmar que o Cordeiro foi morto duas vezes.Vc nunca encontrará isso.. e portanto ainda não cabia reparação. Somente após a queda original. pelas promessas feitas por Deus a seu povo. O grande exegeta David usou a expressão "o Cordeiro foi morto ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO". não deturpe o sentido! É impossível que a promessa de Deus . se Cristo foi imolado somente na plenitude dos tempos. antibíblica! Explicaremos o que David citou contra si próprio. falando do sacrifício único de Cristo: "E não foi por oferecer-se a si mesmo reiteradas vezes. que será renovado até o final do mundo. como acabamos de ver.constituem o mesmo e único sacrifício.o OFERECIMENTO e a IMOLAÇÃO . Então. Esses dois atos . e no entanto não existe isto na Bíblia! Não é a toa que o omitidor omitiu a citação. podem ser considerados UM. séculos depois. IX. Cristo foi OFERECIDO em sacrifício desde o princípio da humanidade. uma vez "antes da fundação do mundo" (SIC!). SEPARADOS NO TEMPO." David nos desafia a achar algo que Deus precisou repetir. que não admite a tal "contradição da temporalidade e dualidade de sacrifício"! Mas é exatamente o que ele acabou de dizer. de São Paulo aos Hebreus. outra. e como o sacrifício de Cristo é único. é porque não houve esse duplo sacrifício que David insiste em nos acusar. sem dar a citação. por favor cite corretamente.diz que o Cordeiro foi morto ANTES DA FUNDAÇÃO DO MUNDO e ainda assim precisou vir ao mundo na Plenitude dos Tempos ? Deus posiciona os eventos NO TEMPO DETERMINADO e se vc quer pesquisar um pouco. Pois. Primeiro. na plenitude dos tempos! E logo ele. no fim dos tempos. quando fizer uma citação bíblica. procure na Bíblia se houve algum feito de Deus no mundo que precisou ser REPETIDO. e a IMOLAÇÃO no Calvário se deu somente na plenitude dos tempos. e principalmente. está na própria citação que David fez de S. tendo tido testemunho pela fé. pois o pecado ainda não havia sido cometido por Adão. Pois o OFERECIMENTO do Salvador foi feito desde os primórdios.e não o sacrifício de Cristo .tenha sido feita ANTES da fundação do mundo. que todos os homens esperavam. mas a OFERTA do início do mundo é UNA com a IMOLAÇÃO na cruz. ele teria precisado sofrer repetidas vezes desde a fundação do mundo . David? Explique-nos esta citação sem referência e completamente errada. Ora. neste caso. 25-26) David. cumprindo a promessa. como o sumo sacerdote que entra todos os anos no santuário com sangue estranho. Paulo: "E todos estes. DESDE a fundação do mundo. Vejamos o trecho verdadeiro.. dizendo que era bíblica. 39-40) A promessa era do Salvador. e ainda dizer mal! Pois sua citação não é bíblica..

do qual os antigos eram apenas figura. dizemos que o sacrifício é o mesmo. o sacrifício propriamente dito (imolação). não são três sacrifícios diferentes. Com o sacrifício tornamo-nos aptos a receber os favores de Deus. para que Ele aceite o sacrifício que será realizado. mas a identidade plena da VÍTIMA. consistem em: Ofertar a Deus algo precioso. que embora sejam distintas. Normalmente. se estiverem separadas no tempo. da destruição da vítima. Após o holocausto. Mas se as três partes não podem prescindir umas das outras. pois sem apresentação e sacrifício. E no que consistiam esses sacrifícios antigos? Podemos dividi-los em três partes. Notemos que estas três partes não podem ser separadas para constituir isoladamente um sacrifício. puro. Tomemos o seguinte exemplo: um sacerdote oferece um novilho perfeito. Passado algum tempo. também não podem constituir três sacrifícios separados. e em reparação por nossos pecados. a vítima é apresentada e oferecida a Deus. Mesmo que um sacerdote matasse um boi e aspergisse o seu sangue sobre o povo. aplaca-se a ira de Deus. na oferta e na imolação. e se digne perdoar os pecados dos homens através do sacrifício desta vítima. Igualmente a aplicação dos méritos não é possível sem as anteriores. e os sacrifícios pelo pecado em geral. e não se pode dizer que houve sacrifício ainda. Uma vez terminado o sacrifício. pois só com o ofertório. não há mérito.o holocausto. uma nação inimiga invade o país e obriga os homens a tomarem em armas. pois vítima e sacerdote são os mesmos. em solenes e demoradas cerimônias. o sacrifício não se consumou. e paga-se a dívida que se tem com o Criador. Aplicar aos homens os méritos deste sacrifício. pois a vítima deve ser primeiro apresentada e aceita por Deus. nos sacrifícios judaicos. e do qual nos privamos em reconhecimento ao Seu domínio sobre todas as coisas. e com isso pagar a Deus o que lhe é de direito. nem que os pecados tenham sido perdoados. o sacrifício antigo. os sacrifícios antigos dariam lugar a um sacrifício novo. mas um só e mesmo sacrifício: temos a oferta da vítima. com o sacrifício. Destruir a oferta. Também não se pode sacrificar o que não foi oferecido. o inimigo é vencido.tempo. interrompendo a cerimônia. Portanto. mas alguns momentos antes do sacrifício da vítima. Um exemplo deixará esta verdade mais clara. seu ato não seria meritório. Como sabemos pela citação do profeta Malaquias. Na imolação. O sacrifício é impetratório. ocorre novamente da nação ser 154 . Podemos dizer que o sacrifício é outro? Certamente que não. o sacerdote aplica aos homens os méritos advindos deste sacrifício. e a mesma oblação é retomada. a vítima. pois não houve sacrifício. A vítima foi temporariamente poupada. há a destruição da vítima por completo. pelo mesmo sacerdote e com a mesma vítima já oferecida. e a aplicação dos méritos do sacrifício: No ofertório. o sacrifício é propiciatório. Se temos sempre a mesma vítima. como soberano. com o derramamento de sangue . era pela aspersão do sangue da vítima (um animal) sobre o povo.

Cristo. Assim. a primeira como parte do ofertório e o segundo como imolação. porém sem que os méritos do sacrifício tenham sido aplicados ao povo. e o novo inimigo é derrotado. e depois teve seu sangue aspergido no povo. no que se refere ao reconhecimento de Deus soberano e no pagamento pelos pecados. a Santa Ceia e o Calvário. pois não houve outro sacrifício. que foi imolado somente na plenitude dos tempos. O sacrifício não se consumou até que Cristo morresse na cruz. as duas primeiras partes do sacrifício. que é a terceira parte do 155 . nem mesmo na última ceia. o sacrifício da vítima já está completo. continuou-se o primeiro. Cristo. retomam-se as cerimônias do sacrifício primeiro. eis os três elementos essenciais do sacrifício. a grande dificuldade é com a terceira parte do sacrifício. Mais algum tempo. o sacrifício é um só. e a ira divina aplacada. morrendo apenas uma vez. são as duas primeiras partes de um sacrifício único! Até aqui o omitidor David talvez concorde. e ainda. o sacrifício de Cristo foi único. sendo que a imolação da vítima já ter se consumado. sim. Assim como o de Cristo. e agora o sangue da vítima. foi este último ato um novo sacrifício? Claro que não. pois. ao contrário dos sacrifícios da antiga lei. pois a mesma vítima que foi oferecida foi imolada. Paulo. e novamente o sacrifício é interrompido. Os judeus podiam sacrificar no tempo. Como diz S. Nesse sentido. oferecido desde o início da humanidade. com alguma reserva. para opor à idéia de imolação repetida dos sacerdotes levitas. Foi desta vez o sacrifício completo? No que se refere ao holocausto. e o motivo já está claro: o elemento comum nas três partes fundamentais do sacrifício é a vítima. que embora possam estar separados no tempo. Embora haja separação temporal entre os três atos. Sendo. ou apenas foram aplicados os méritos da vítima original? Certamente este último. Logicamente desde que se aceite este pagamento através do Batismo. a aplicação dos méritos. Matou-se outra vítima. e nesse sentido é que fala continuamente São Paulo. completando a oblação. Mas não no que se refere à aplicação do sangue da vítima para pagar os pecados do povo. Perguntamos novamente. Mas falta a aplicação dos méritos a cada homem. paga. que fôra conservado após o sacrifício é finalmente aspergido sobre o povo. e aplicar os méritos dos sacrifícios também no tempo. porém. Ainda falta a aplicação dos méritos para completar o sacrifício. foi oferecido. que é a parte devida a Deus. de fato. os pecados de todos. principalmente o pecado original. nas promessas divinas. vítima inocente.invadida. imolação e aplicação dos méritos. e sendo sempre Cristo a mesma e única vítima. o mesmo e único sacerdote. porém. principalmente aos Hebreus. por outros inimigos. satisfazendo plenamente as duas primeiras partes da oblação. Portanto. Ofertório. unem-se pela mesma e única vítima. não tem cabimento o omitidor David dizer que o pecado foi perdoado antes do Calvário.

Ou o verbo é definitivo para TODAS AS SITUAÇÕES ou vcs não podem forçar a barra (sic) SOMENTE NO CASO DA TRANSUBSTANCIAÇÃO. dizendo as palavras da consagração. e o sacerdote. A Missa é. o padre. cap. cap. a quem se devem aplicar os méritos. no tempo. Como vimos. portanto. XXVI. foi "muito ruinzinha. Mateus. O omitidor David. in persona Christi. S. renovando incruentamente em todo lugar. pois a vítima é o Agnus Dei. sobe ao altar de Deus e oferece Nosso Senhor como vítima. ETC). que é a terceira parte do sacrifício. como um homem vivo. o Sacerdote Eterno. sem repetir o Calvário." Em primeiro lugar. além de teólogo e protestante zangado. mas aplica seus méritos a cada homem. e partiu. e que se deve fazer necessariamente no tempo. Afinal. que para ele. Não colou (sic). do nascer do sol até o poente. XIV. repreendemos o omitidor porque em todas as passagens sobre a instituição da Eucaristia (em S. se diz que Cristo TOMOU O PÃO EM SUAS MÃOS. e. portanto a terceira parte do sacrifício ÚNICO. como até o omitidor concorda. cap. S. cap. pois sendo incruento. E vê apenas um sacerdote. XXII. e a todos os homens. Pois os homens. é o Sacerdos in aeternum secundum ordinem Melquisedech. ( Eu. o que dá unidade ao sacrifício é a vítima. em quem pôs sua complacência. Tu. Marcos. que renova. que Cristo instituiu para aplicação dos méritos da Cruz. para aplicação dos méritos do Calvário. porque o senhor dos Exércitos é grande entre as nações. E a vítima e o sacerdote não são senão seu Filho bem amado. Cristo. benzeu (deu graças).sacrifício. Cristo deixou a Missa. Assim também o fez com o cálice. nascem no tempo! Como aplicar os méritos de Cristo sem sacrificar outra vítima. E David disse: "o pão e o vinho estavam sobre a mesa diante dele"! 156 . Não é repetição. o Cordeiro de Deus. Vós. e não o tempo decorrido. Não é outro sacrifício. não repete o sofrimento da vítima. vê apenas uma vítima. pois para Deus não há tempo: Todas as Missas unidas ao Calvário e ao oferecimento de Cristo. serem aceitas no sentido literal? Na ocasião em que estas palavras foram anunciadas. usava até pronomes PESSOAIS. em Seu Corpo. não gostou também de nossa explicação envolvendo pronomes demonstrativos. XI). citamos o uso indevido dos demonstrativos por causa de uma inverdade (e não omissão!) de David. E quando Deus olha para esse sacrifício único. E na Missa. quando Jesus falava nas outras ocasiões. sem repetir o sacrifício? Para a aplicação dos méritos. aparecem diante de Deus como um único sacrifício. e Ele estava sentado à mesa. Lucas. e Coríntios." Ora. que disse na sua primeira mensagem: "Na verdade. vítima inocente desde o início do mundo. posando novamente de gramático. muito mais diretos que pronomes demonstrativos. a cada um. como poderiam as palavras de Cristo "Este é o Meu Corpo" e "Este é o Meu Sangue". e não vários. pois Cristo não sofre. e não várias. o pão e o vinho estavam sobre a mesa diante dele.

" Examinemos o raciocínio Davidiano. David que faça a escolha! Completei o raciocínio com a troca dos pronomes (ISTO por ESTE). por quê excluir a transubstanciação? O milagre da transubstanciação. e não ao seu corpo. como a cura do cego. sendo milagre invisível na matéria."" E mais uma vez o David se lançou febrilmente a "provar" o que supôs termos atacado. sem exagero algum. dizendo que o ISTO mostra de forma inequívoca que Cristo se referia ao Pão. Mas e quanto às premissas? Analisemos: a premissa maior afirma que todo milagre de Cristo na matéria é visível. é preciso percorrer todo Evangelho e encontrar só milagres visíveis na matéria.. Nenhum gesto consagraria a transubstanciação. As traduções protestantes da Bíblia costumam ter o ESTE. Diz ele: Todo milagre operado por Jesus na matéria é visível.. para poder montar uma regra que eliminasse a realidade da transubstanciação! A isso damos o nome de sofisma. *** David inovou também no conceito de milagre. 157 . Como não entendeu o argumento. que enfraquece a idéia da presença real. Ora. não se define a transubstanciação.Só há duas possibilidades: ou David mentiu. portanto a premissa maior é falsa. Joões e Marias teríamos. e portanto. Mentiroso ou ignorante. seria um autêntico milagre ! E os milagres operados por Jesus NA MATÉRIA eram todos visíveis. para elaborar esta afirmação geral. A conclusão parece boa. é invisível! Se a premissa maior contém todos os milagres operados por Cristo na matéria. que é um verdadeiro milagre na matéria. ou David ignora as quatro passagens. Vejamos o que disse ele: "A partir do que está escrito. folheando os Evangelhos vemos que a transubstanciação. A transubstanciação é invisível. ainda que fosse único. a transubstanciação não é milagre. é impossível. que. Para nossas considerações não se dignou traçar nenhum comentário. do coxo e outros. contradiz a tese Davidiana. Satanás !" Está chamando seu "papa" de diabo ? Do mesmo jeito que disse de Herodes: "Ide dizer a ESSA raposa que hoje e amanhã curo enfermos e expulso demônios" O rei virou canídeo ? Do mesmo jeito que apontou para uma multidão e disse: "Eis AQUI minha mãe e meus irmãos!" Quantos Tiagos.. Logo. falsearia a conclusão. Um único milagre invisível anularia a universalidade da premissa.. despejou uma lista de citações... e não "implícitos". O que fez David? Separou a exceção. apesar da maioria dos milagres operados por Cristo serem visíveis. do surdo. com as quais ele acha que prova sua "tese" da inutilidade dos demonstrativos: "Do mesmo jeito que fixou em Pedro e falou: "Para trás de mim. anulando a conclusão. E. Assim sendo. Mesmo apontar com o dedo não quer dizer identidade plena ou mudança de matéria. não ? "Transubstanciados" porque Jesus indicou.

mesmo quando Cristo faz milagres visíveis. e montássemos o esquema lógico Davidiano. e. A passagem mais significativa é essa. o apóstolo das gentes escreveu a três pessoas em particular . E. a epístola a Tito não foi escrita por São Paulo. E como uma das premissas é falsa. não! Pela lógica Davidiana. Com esse expediente. e invisíveis. o protestante não seria protestante. disse ao paralítico: Filho. o que vemos no Evangelho em relação aos milagres é bem diferente da exegese e da lógica Davidianas: existem milagres visíveis (ou mais propriamente falando. e encontro um que não seja. sensíveis). O omitidor David mostrou-se bem desonesto. ainda mais de quem nos exigiu lógica. ou dizer: Levanta-te e caminha? Pois. de São Mateus: "E eis que lhe apresentaram um paralítico que jazia no leito. assim quando cura o cego e o surdo e o coxo. teus pecados são-te perdoados. Logo. que respeita a lógica. que nem todos os protestantes são desonestos. O conjunto dos milagres de Cristo inclui a transubstanciação. sendo que os últimos são sempre superiores aos primeiros! Em todo Evangelho. que todas as epístolas paulinas foram escritas a Igrejas e não a pessoas. toma o teu 158 . teríamos o seguinte: Todas as epístolas de S.. falsa é a conclusão. Menos para David. tendo Jesus visto seus pensamentos. é que minha premissa maior é falha. no universo da premissa maior. e nossa claudicância na pratica da lei de Deus. A Epístola a Tito não foi escrita para uma Igreja. para que saibais que o Filho do homem tem poder sobre a terra de perdoar pecados: Levanta-te. qual é a conclusão? Para uma pessoa normal.. vendo Jesus a fé que eles tinham. disse: Porque pensais mal nos vossos corações? Que coisa é mais fácil dizer: São-te perdoados os teus pecados.Timóteo. portanto o raciocínio é falso. E. porque honesto! Nada mais simples. antes de definir o universo. Se disséssemos. é possível "provar" qualquer coisa. Cristo deixa claro que são superiores aos visíveis. ou seja. Aqui facilmente detectamos o erro: embora a maioria das cartas de São Paulo tenha sido dirigida a Igrejas. Se digo que todos os protestantes são desonestos quando atacam a Igreja Católica. pois encontrei um elemento que anula a universalidade da premissa. Para David. disse então ao paralítico. nada mais lógico. David. é para ensinar verdades mais elevadas. E logo alguns dos escribas disseram dentro de si: Este blasfema. quer dizer que veio para curar nossa cegueira e surdez para as verdades divinas.. ao retirar o milagre invisível do conjunto dos milagres.Pouco honesto. Faltou considerá-las. Tito e Filemón.. Porém ao fazer milagres invisíveis. Mas na verdade. por exemplo. tem confiança. Paulo foram escritas para Igrejas.

e vai para tua casa. sem anulá-lo. os milagres visíveis. mas só falam em milagres visíveis: "(. e que agora eram todos livres. que tem os olhos da fé para aceitar as verdades mais elevadas.. tímpano ou ligação nervosa restabelecida.leito.. bentinhos. curado pelo poder de Deus em minha congregação). IX... contradizendo-se: "Sim.)" Já os milagres invisíveis.. 18) *** Outra tentativa frustrada de David foi dizer que a páscoa dos judeus também era um memorial. cego até os 9 anos de idade. evangélicos. a cura do paralítico." (II Corintios. santos. anulava a libertação. Pelo poder de Deus um sistema óptico foi corrigido (pode ser nervo. são para os católicos. são para os que acreditam. o perdão dos pecados. mas Deus agiu NA MATÉRIA. não dependemos de imagens... etc para exercício de fé em Jesus.). por isso. A Santa Ceia foi a instituição da Missa. estribo. tal como o fez no nosso irmão Ezequias. materiais. David confunde os milagres feitos para convencer os judeus e pagãos sobre a divindade de Cristo (obviamente sensíveis). transubstanciação. O cordeiro pascal." Os protestantes não precisam de nada material. e as que se não vêem são eternas. etc. impossível. eles não eram obrigados a voltar à escravidão no Egito e saírem de novo com braço forte do Senhor. O omitidor David negou que a transubstanciação pudesse ser antes do Calvário. E ele levantou-se e foi para sua casa. etc) (. bastava lembrar que a LIBERTAÇÃO já havia sido feita. Como mostramos que a eucaristia não visa perdoar os pecados. Apesar dele tentar negar. preparado na véspera da libertação do Egito." Mas vejamos que paralelo inegável. O maior milagre. Os judeus também irão repetir uma cerimônia que aconteceu propriamente ANTES do fato comemorado.. com aqueles feitos para os cristãos. pois teria anulado este último. 27) Mais claro. humor vítreo." (São Mateus. se considerássemos que na Santa Ceia os pecados já haviam sido pagos. que exigem a adesão da inteligência pela fé. O símbolo visível. córnea.. e servem para converter aqueles que não têm fé. é perfeitamente correto afirmar que a primeira Missa ocorreu antes do Calvário. há muito tempo atrás.. e que seria repetido nos anos seguintes. e nada mais conveniente para provar esta verdade que a comparação com a páscoa judaica. nós. e que "Justamente por ser memorial.(sic) E ainda: "Um surdo pode ter tido seu sistema auditivo restaurado pelo Criador sem delongas (martelo. IV. omitidor David? Evidente que não! 159 . Portanto. são simplesmente símbolo dos espirituais. Concluindo com São Paulo:" Porque as coisas que se vêem são passageiras. para convencer os incrédulos (o milagre visível). São os únicos milagres que o omitidor David reconhece. do Sacerdócio Católico e da Eucaristia.

teólogo David? É claro que não! Os judeus só foram libertados no dia seguinte.. por acaso este cerimonial libertou os judeus antes da hora. Celebremos pois (. *** David nos mandou "auto-apunhalar" (sic) quando achou que dávamos um argumento a seu favor..) com os ázimos da sinceridade e da verdade" (I Corintios V. nosso cordeiro pascal. realizando a figura da páscoa judaica. Mas os judeus não deixaram de celebrar sua última refeição no Egito. última refeição na terra da escravidão do demônio. embora tenha sido antes da libertação. quando o Egito em prantos pelos seus primogênitos resolveu atender o mandado de Deus pela boca de seu profeta Moisés.O cordeiro sem manchas preparado para ser comido como quem está de partida. ou seja. e a Santa Ceia. se comia a carne do cordeiro e pão ázimo sem. antes da libertação. menos para o omitidor. que por fim pergunta: "E (você confirma) que houve PERDÃO DOS PECADOS mesmo sem a morte do Cordeiro ? Vc está dizendo que pode haver PERDÃO DE PECADOS SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE ?" Confirmamos que a eucaristia foi instituída na véspera do calvário. E neste memorial se fazia exatamente o mesmo sacrifício do cordeiro que havia sido feita no Egito. terra de Escravidão. foi imolado. Note bem. porém repetir o sofrimento de Cristo (incruento). a última ceia dos judeus." 160 . David. cujo sangue marcou o frontispício das casas que deviam ser preservadas do anjo exterminador. onde se comia a carne do cordeiro e pão ázimo. tinha cristão acreditando que Jesus não podia ser Deus encarnado. e deixou finalmente o povo eleito ir embora. No primeiro século. porém tornar a repetir o sofrimento (incruento). e libertasse toda a humanidade da mesma escravidão.. ao acusar os hereges do início do cristianismo por sua interpretação heterodoxa das Escrituras: "No início da igreja. E por aí vai.. sem anular esta! Ora. e se come a carne do verdadeiro cordeiro sob a espécie de pão (e do vinho) sem. Claríssimo. pois não entendeu a pergunta. antes que o cordeiro de Deus imolado pagasse na cruz pelos pecados. 78) Resumindo: A páscoa judaica comemorava a passagem do anjo (daí páscoa) com uma cerimônia que ocorreu antes do fato comemorado. Mas acabou fazendo exatamente o que condenou erradamente em nós. se celebra com uma cerimônia que ocorreu antes do fato comemorado (morte na cruz). E neste memorial se faz exatamente o mesmo sacrifício do verdadeiro cordeiro Cristo. não é a Santa Ceia a realização perfeita da figura do cordeiro pascal? Por isso diz o Apóstolo: "Porquanto Cristo. Na páscoa cristã (e também em cada Missa). tinha cristão acreditando até que Jesus iria voltar no ano 100. e que também não anulava a libertação no dia seguinte.

segundo esta exigência Davidiana. no século XI atacou a presença real. e David nos dá um argumento? Esses que você chama de "cristãos" eram hereges. e só o teólogo David sabe o que está lendo. O que a Igreja sabiamente classificou como sacramento. desde o começo. Cirineu. Y. buscavam de toda maneira destruir pelos sofismas e omissões. mesmo não compartilhando dos dogmas da Igreja após o século XI. David. não distinguindo entre batismo. David? E a cismática Igreja Ortodoxa. como vimos anteriormente. Retomando a surrada lista protestante de "invenções" da Igreja ao longo do tempo. Francamente. Se o dogma surgiu só no século XII. Para impugnar este argumento. Ora. que a exemplo desse David omitidor.. a seguir. pergunta porque a transubstanciação não constava dos credos. Daremos. as verdades que estão no credo foram aquelas impugnadas pelos hereges da época.Mas é exatamente o delirante livre exame que leva à heresia Davidiana. confissão ou eucaristia. pode ser comparado a ele na exegese bíblica. Montezuma. que David confunde o tempo todo. Nenhum padre da Igreja. Lutero.. combatidos pela ortodoxia católica dos Santos Padres! Este argumento é nosso. o testemunho dos Santos Padres confirmando que toda cristandade. Dagoberto. século X. manteve a presença real como doutrina. tinha a mesma doutrina sobre a transubstanciação *** O omitidor também se recusou a aceitar qualquer testemunho que não fosse do tempo dos Apóstolos. *** O omitidor David tenta ainda desesperadamente procurar motivo para impugnar a verdade católica. Prova disso é que Berengário.. mas seu esforço é vão. e que levou a todas as heresias da história. Disse ele: "Enquanto me mostrar doutrina de Irineu. estaríamos concedendo que ninguém em 2000 anos de cristianismo teve uma idéia exata do que Cristo efetuou na Santa Ceia. Se não havia dogma. Além do mais. mas de forma nenhuma para inventá-la da noite para o dia. o que prova que essa verdade é anterior à promulgação do dogma da presença real.. foi porque se tornou conveniente para afirmar a verdade desta augusta doutrina. se aceitássemos esta exigência. não precisa constar do Símbolo dos Apóstolos. para pagar os pecados. etc. como esse herege foi condenado. Hitler. nenhum doutor. Torquato... eu não caio nessa !"(sic) 161 . como se ele aceitasse o credo integralmente. e foi obrigado a se retratar publicamente.. que se separou desgraçadamente da Igreja de Cristo por volta do ano 1000. que estamos combatendo. pois foi instituído desta forma por Cristo. Z. pois somente os Apóstolos sabiam o que estavam escrevendo. W. basta notar que a eucaristia pertence aos sacramentos..

ainda mais claramente. quem ousará jamais duvidar? Havendo Cristo declarado e dito: Este é o meu sangue." São Cipriano.. senão que em todo lugar se ofereceria um sacrifício puro e que seu nome seria glorificado entre as nações.. Temamos. assim também o alimento feito eucaristia (. Assim nos ensinaram. em seu monumental "Contra as heresias". é evidente que possuem a vida quem toca o corpo de Cristo e recebem a eucaristia. Já o havia prefigurado Malaquias ao dizer: Porque desde o nascer do sol. pois não é um homem. São Cirilo de Alexandria. para citar apenas alguns. aquele que faz as ofertas se converterem em corpo e sangue de Nosso Senhor. e depois de São Justino. Cipriano. (. Coincidência que aqueles que defendiam a ortodoxia fossem todos a favor da transubstanciação? São Justino. comparando a eucaristia ao pão nosso de cada dia do "Pai Nosso". O mesmo Cristo que em outros tempos dispôs a mesa do Cenáculo.. após descrever a missa do século II tal qual a conhecemos hoje.Ora.) é a carne e o sangue de Jesus encarnado. ele despreza nada menos que os grandes defensores da verdade durante o ataque das heresias mais terríveis: São Justino. mystag. 65-67. Pois não tomamos estas coisas como pão ou bebida comuns. Santo Agostinho. desprezar 2000 anos de interpretação das Escrituras não é pouco! E ainda mais. sacrifício que a Igreja recebeu dos Apóstolos. senão Cristo mesmo. teve carne e sangue para salvar-nos. pois. Todos estes santos homens defenderam a fé contra as heresias de sua época. nos relegou este testemunho: "Posto que Cristo disse que aquele que comer deste pão viveria eternamente. tirando os exageros de David na lista de intérpretes. quem ousará jamais dizer que não é esse seu sangue?" (Cirilo de Jerusalém. e que se oferece em todos os lugares da terra ao Deus que se nos dá em alimento como primícia dos favores que Ele nos concede no Novo Testamento. a eucaristia diária. que parecia falar para os Davids omitidores do século XX. como prenda cotidiana de nossa perseverança na vida de Cristo.) Santo Irineu." (S. pedimos o pão de cada dia. 2401) São João Crisóstomo. São Cipriano. discípulo de São Policarpo. na Apologia." (Primeiro livro das Apologias de S. pag. Catech.. 18) São Cirilo de Jerusalém. O que equivale dizer com toda clareza que o povo primeiramente eleito (os judeus) não havia mais de oferecer sacrifícios. referindo-se ao pão: Isto é o meu corpo. 162 .) (Malaquias.. feito carne pela palavra de Deus. São João Crisóstomo. "Aqui está Cristo presente. quer dizer. diz sobre a comunhão: "Designamos este alimento eucaristia. LXXXVI. Santo Ambrósio. Da oração dominical. comprometer nossa saúde se nos separarmos do corpo de Cristo. sem que creia na verdade de nossa doutrina. Justino. Aqui está o bispo que O representa. se exprimia desta forma: "Havendo Cristo declarado e dito. senão. Santo Irineu. Assim. 11). diz estas palavras interessantíssimas: "(Nosso Senhor) nos ensinou também que há um novo sacrifício da nova aliança. que assim como Jesus Cristo. e que pronunciou as palavras que bem sabeis. e todos defendem a transubstanciação como verdade de fé. e viva conforme os ensinamentos de Cristo. que já tenha recebido o batismo de remissão dos pecados e do novo nascimento. certamente. A ninguém é permitido dele participar. pois. I. para nós crucificado. tem disposto esta para vós. São Cirilo de Jerusalém.

Hugo de São Vítor. Sermo VI. pois vi que com isso podia dar o maior golpe contra o Papado. 1958. é a recusa Davidiana de aceitar até Lutero! E por que será.) Porque o Senhor disse mostrando os elementos: Isto é meu corpo. De sacramento altaris ad infantes. 1949) Nem é preciso mencionar os escolásticos. a verdadeira carne de Cristo." (Cirilo de Alexandria." (Agostinho. tivesse provado que no Sacramento só havia pão e vinho. In Math. senão para que saibas com toda segurança que. há cinco anos. e que ao comungar delas recebemos a virtude vivificante e santificadora de Cristo.. nessa confissão aos cristãos de Estrasburgo: "Confesso que o dr. mas era obrigado a admitir. XXVI.. Também havia dois que eram mais hábeis que o dr. Ed. a mesma que foi crucificada e fechada no sepulcro. II-576 e segs. I. contrariando a tese Davidiana dos demonstrativos que não demonstram: "(. pág. diz o bispo. pelo inefável poder de Deus onipotente.. João Crisóstomo. 448) ) Lutero também não admitia a transubstanciação pelas palavras do padre. O texto é tão majestoso que com palavras não se deixa tirar da mente.) (Todas as citações acima são conforme Maurice Brillant. Desclée de Brouwer. e que já não havia apenas pão e vinho no sacramento. Karlstadt e que não martirizavam tanto as palavras segundo seu próprio parecer. À palavra do sacerdote. eis aqui o corpo e sangue de Cristo. e dizer que eles também foram unânimes na adesão e defesa desta verdade."Eucaristia". forte mentira" ("bold. pelo "texto majestoso". Dedebec. Se Lutero se sentia preso. Comment.mas o poder e a graça de Deus são o que produzem a transformação. que Cristo estava realmente presente no altar. A legítima interpretação da Bíblia. por algum compromisso ínfimo com a verdade. as oblações são transformadas real e verdadeiramente no corpo e sangue de Cristo. é porque é preciso muita má fé para 163 . o mesmo Lutero que dizia que os fins justificavam uma mentira. 52) Santo Agostinho. se o ex-monge foi precursor do omitidor David na luta contra Roma? A explicação é dada pelo próprio Lutero." (De Wette." (Ambrósio. citado em Lúcio Navarro. a quem freqüentemente os hereges modernos recorrem na tentativa de desvirtuar suas palavras. Naquela ocasião tive grandes vexames e lutei e torci por encontrar uma saída. e Este é o meu sangue. 27) Santo Ambrósio. tireis a palavra e não haverá mais que pão e vinho. Campanha de instrução religiosa Brasil-Portugal. 6) São Cirilo de Alexandria. O que é curioso e digno de nota. explicava assim a eucaristia aos recém batizados: "Tal é a eficácia das orações que vais escutar." (S. não encontro saída. e esta palavra transforma as ofertas. In proditionem Judae hom. é o corpo nascido da Virgem: porquê buscar aqui na ordem da natureza o corpo de Cristo... Santo Alberto Magno. São Boaventura.. Mas estou preso. Isto é o meu corpo. uma "atrevida. Este é em verdade o sacramento desta carne. Buenos Aires. para que não imagineis que o que ali aparece é uma figura. lusty lie") conforme suas palavras. se.. como Cristo ensinou. Karlstadt ou qualquer outro me teria prestado um grande serviço. mostrando a realidade e a transcendência desta verdade: "O que fazemos nós. quando Jesus nosso Senhor nasceu da Virgem fora da ordem natural? (O que fazemos) é. portanto. São Tomás. De mysteriis.

pois se trata de carne e sangue verdadeiros. também não foi encontrada nenhuma substância que preservasse artificialmente a carne e o sangue. mostrando abertamente a relação da Ceia com a Cruz. explicação esta baseada na lógica e na hermenêutica. e do Papa. *** Vimos ao longo de nossa resposta como Cristo prometeu claramente a eucaristia (e a aceitaram aqueles que tinham fé). 179) *** David terminou sua resposta com a seguinte conclusão: "Cientificamente. na narração da Santa Ceia feita pelos Evangelistas. conforme provamos. e da responsabilidade em comungar em estado de graça. logicamente. decorridos já 1200 anos! Mesmo a ciência atéia. Werke. em pleno século XXI foi capaz de dar a verdadeira interpretação dos Evangelhos. refutando um a um os argumentos do omitidor David. dos padres da Igreja. Kritische Gesamtausgabe. cronologicamente. Mas todos erraram. citado pelo Pe. Vimos isso detalhadamente em São João. Weimar. senhor David. Ed. 317. minha doutrina é tal que só ela engrandece a graça e a glória de Deus e condena a justiça de todos os homens na sua sabedoria" (Lutero. Martin Luthers. Abteilung. a reforma e a civilização. a TRANSUBSTANCIAÇÃO é um ENGODO. é claro.. que curiosamente o protestante David citou bem pouco. que todos sempre acreditaram. Leonel Franca em A Igreja.. lógica. ao analisar as relíquias. Nesta cidade da Itália. Agir. e o sangue tem o frescor comparável ao tirado de uma pessoa no mesmo dia. e de um ser humano. Isto é milagre.. teologicamente. pag. a carne é do coração (miocárdio)! Carne e sangue são ambos tipo AB. Mas é antes uma verdade bíblica e principalmente EVANGÉLICA. Repetiu-a pela história através dos discípulos. Também como a revelou aos Apóstolos. com a promulgação do dogma. se lembrarmos dos milagres eucarísticos. E como Cristo confirmou pela pena de São Paulo esta verdade suprema. Pedro e Apolo e até um anjo do céu ensinem o contrário. e só o omitidor David. a transubstanciação é uma realidade teológica. 3. através de uma inegável defesa teológica da presença do corpo." (SIC) Ora. XXX. Agostinho e os outros doutores. o pão e o vinho se transformaram durante a missa em corpo e sangue de Cristo visivelmente. 164 . cronológica e até científica. poderia muito bem ser o autor desta outra frase do rebelde alemão: "Muito embora a Igreja. mantendo-se até hoje intactos. em D.negar esta verdade católica. reconheceu que o fenômeno não têm explicação. principalmente o de Lanciano no século VIII. e mandando que fizessem como ele. E se ele diverge de Lutero quanto à presença real..

montfort. não adianta quer ser batizado novamente na igreja evangélica.. Então um pastor evangélico poderia presidir o casamento.br Nome: D. E vice-versa. Pelo que já estudei existem exegetas que dizem que se duas pessoas se casaram por amor.. Portanto depois que vc foi batizado. Enviada em: 10/12/2003 Local: Planaltina Religião: Católica Idade: 36 anos Escolaridade: Pós-graduação concluída vi uma palestra de um amigo. não deveriam se separar. Em que não é considerado necessário o padre para esta consideração. em que ele dizia que os evangélicos não tem a graça de serem salvos pelos sacramentos instituidos por Jesus Cristo. Então eu pergunto: Por que então que a igreja católica diz que só existe um batismo. pois o que Deus uniu (o que o Espírito Santo uniu) é aquele amor que gerou a união. Já que também o casamento religioso com alianças e tudo não tem nem 500 anos que foi criado. Somente a Igreja Catolica.O PROTESTANTISMO E OS SACRAMENTOS Autor: Marcos Libório Fonte: www.org. mesmo sem o sacramento. E o sacramento do casamento. 165 .

43) Os sacramentos de Cristo são os sacramentos da Igreja Católica! Quem faz distinção entre Cristo e sua Igreja incorre em grave erro.Por favor me explique estas coisas. D. Porém. Mateus. pois apesar de válidos. condenado expressamente no Evangelho: "Foi também dito [aos antigos]: Todo aquele que rejeitar sua mulher. Maridos. Assim os maridos devem amar as suas mulheres. Lucas. pois as seitas protestantes não fazem o que o Cristo ensinou. sem mácula. conseqüentemente permitindo o divórcio. senão em caso de grave necessidade. V. assim como a Igreja é submissa a Cristo. incorrendo portanto. "Mãe de meu Senhor" (S. e visa a 166 . salve Maria. como ao Senhor. são ilícitos. Sendo a Igreja Católica a Igreja de Cristo. seu corpo. mas não terão recebido o sacramento. e a verdade confiada aos Apóstolos para sua expansão e continuidade. o padre abençoa o casamento e lhe confere a graça sacramental. A paixão é passageira. 32) Alguns sacramentos dos hereges e cismáticos são válidos. os noivos estarão casados pela lei natural. Pois o verdadeiro amor é o querer o bem do outro. para santificá-la. Ora. são palavras da verdade. como o Batismo. Eu. pois só há uma Igreja esposa de Cristo. " (S. e todo aquele que desposa uma mulher rejeitada comete um adultério. pois o marido é o chefe da mulher. sem ruga. a faz tornar-se adúltera. somente ela tem os meios de salvação instituídos por Cristo. amai as vossas mulheres. O casamento representa a união de Cristo com sua Igreja. não se pode nunca receber a "benção" nupcial de um "pastor" protestante.. 22-28) Daí o marido só poder ter uma esposa. Pois o que se chama hoje de "amor" é na verdade paixão. e não o verdadeiro amor. Um casamento "por amor" só pode acabar em divórcio. Se não se casarem na Igreja. " (Efésios. assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos. O casamento é celebrado pelos noivos. Mas não se deve pretender substituir nunca os sacramentos da Igreja por esses outros. como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. ama-se a si mesmo. como a seu próprio corpo. porém. 5. mas santa e irrepreensível. como Cristo é o chefe da Igreja. em pecado. Daí a mulher vestir-se essa única vez na Igreja como sacerdotisa. vos digo: todo aquele que rejeita sua mulher. daí seu caráter santo. e não pelo sacerdote. porque mantiveram a matéria e a forma e a intenção da santa Igreja. Como soam estranhas essas palavras no mundo de hoje! Porém. dê-lhe carta de divórcio. I. No caso do Matrimônio.. atração física. da qual ele é o Salvador. a não ser que se trate de matrimônio falso. Assim. RESPOSTA Prezada D. sem qualquer outro defeito semelhante. o Sacramento do Matrimônio só produz efeito na Igreja Católica. como salienta o Apóstolo: "As mulheres sejam submissas a seus maridos. Quem ama a sua mulher. purificando-a pela água do batismo com a palavra. para apresentá-la a si mesmo toda gloriosa.

Quando um cônjuge não satisfaz mais o outro. A ajuda mútua entre os cônjuges é finalidade secundária. +Pax Primeiramente quero das o parabéns por esse site. condenados pela Igreja) nem os eliminando (pelo aborto criminoso). a finalidade número um do casamento. sem padre nem ninguém mais por perto. separa-se e busca novas . é claro que podem se casar. (digo falso pastores.núpcias.SP.montfort. E tendo casado nessas condições. que muitas vezes por falta do saber .satisfação do bem próprio. pois estamos respondendo apenas em tese . O principal sacrifício que se espera dos casais é que aceitem os filhos que Deus lhes dá. para povoarem o céu. 167 . pois eles se denominam como pastores) e sendo levados pelos apelos de algumas seitas. O verdadeiro amor exige o sacrifício. estão casados. os noivos podem se casar sem a benção do padre.. ainda não tive a oportunidade de escruta-lo todo. Num caso extremo. E venho humildemente pedir que ilumine minha ignorância. A procriação é. Assim. despedimo-nos. não os evitando (pelos métodos artificiais.deve-se consultar um padre. Religião: Católica Idade: 28 anos Escolaridade: Superior incompleto Caríssimo amigo Orlando Fedeli. que logo também passarão..e pecaminosas . Esperando tê-la respondido. gostaria de saber o porque do cisma da Igreja Católica Ortodoxa com a nossa Igreja Católica Romana.br Nome: Michela Enviada em: 12/11/2001 Local: São Paulo . portanto. novos "amores".org. pois são eles os sacerdotes do sacramento.mas é difícil que num mundo "globalizado" como o de hoje não seja possível a um casal encontrar um padre que faça o casamento. mas os criando na lei de Deus e da Igreja. e o casamento é um direito natural do homem. principalmente nos momentos mais difíceis. In corde Iesu et Mariae Marcos Libório LIÇÕES SUPLEMENTARES SOBRE A EUCARISTIA NA IGREJA ORTODOXA E SUA VALIDADE Autor: Orlando Fedeli Fonte: www. se dois noivos se encontram numa ilha deserta. Casos menos extremos que esse devem ser analisados pela Igreja . exercendo seu direito natural. são enganadas pelos "falsos pastores". não podendo mais haver separação. Um outro sacrifício é que os cônjuges se apóiem mutuamente. pois muitos são cegos pela ignorância e precisam se orientados e principalmente os católicos. mas o pouco que vi já é louvável.

aí sim. o da infalibilidade papal. Muito obrigado por suas elogiosas palavras. E te faço uma pergunta: Se há possibilidades de um dia ser Una novamente com a Igreja Católica Romana? Gostaria de saber também se eu por algum motivo ir a uma Missa em alguma igreja ortodoxa. rogando a Ele pelo povo. Reze a Deus Nosso Senhor que nos mantenha fiéis à Santa Igreja defendendo sempre a sua doutrina. mas quero que o sentido de sagrado seja suscitado novamente nos corações de nossos fieis. deve liderá-los. De fato. uma comissão de professores e de alunos vá falar com o Diretor. na medida que as informações aparecem sobre seus ritos e o seus dogmas de fé. Aquele que vai falar em nome da Comissão dirige-se ao Diretor. com todas a honra. Atenciosamente. se eu estiver errada). Normalmente. o Vaticano exigisse mais de nosso sacerdotes (me corrija se nesse ponto. em nome de Deus. salve Maria. agradecendo a sua atenção e paciência comigo. no século XI. Michela Prezada Michela. Quando o Padre fala ao povo. num colégio. Normalmente o Cisma leva à heresia. que. os cismáticos orientais cairam em várias heresias como a negação de que o Espírito Santo procede do Pai e do Filho. caso não haja a possibilidade de receber os sacramentos de um padre católico. porque se ele os representa. Depois. e 168 . A Igreja Oriental Cismática separou-se da Igreja Católica. A Santa Sé tem procurado coibir os abusos que se tem verificado em matéria de liturgia. ou o abençoa. e não para o povo. são celebradas na Igreja Oriental. proclamada em 1870. Os cismáticos dizem que o Espírito Santo procede só do Pai. de fato. embora os cismáticos realmente consagrem a hóstia. Essa foi a escusa para a sua rebelião. mas vou me encerrar por aqui. são as Missas. O Cardeal Ratzinger. só se podem receber os sacramentos deles. Quanto às Missas deles. pedindo algo. elas são muito solenes. eles não aceitaram os dogmas que a Igreja veio a proclamar após a separação deles. sempre proibiu que se comungasse nelas. pois no meu ponto de vista isso está se perdendo nos católicos romanos. sendo católica romana? Não posso de deixar dizer que me atrai. o padre deve voltar-se para o povo. dando as costas para os demais mebros da Comissão. como. mostra que foi um erro fazer a Missa ser rezada com o padre voltado para o povo. em seu último livro sobre Liturgia. com o tempo. Imagine você. por exemplo. pois recusou a obediência ao Papa. em perigo de morte. é claro não quero que voltem a rezar em latim e nem de costas para os fieis. é normal que o padre esteja voltado para Deus.Tenho estudado. Quando o Padre fala com Deus. posso comungar. no passado. O Patriarca de Constantinopla pretendia que a chefia da Igreja deveria estar com o Bispo da capital do Império. Gostaria que nesse sentido. que era então Constantinopla. mas a Igreja. Tenho um monte de outras questões sobre esse assunto.

o grau concluído Caro Profº Orlando Uma vez me disseram que a eucaristia celebrada na Igreja ortodoxa é verdadeiramente o corpo e o sangue de Cristo assim como na Igreja Católica Apostólica Romana e que existem outras Igrejas Apostólicas com o nome de Melquita e Maronita. Haveria ainda muitas outras razões para justificar o uso do latim.falar em nome deles. Quem reza a Missa é o sacerdote. semper. pedindo pelo povo. Desejo muito que o senhor me esclareça. e não para o povo. E isto é falso.montfort. Deve então estar voltado para Deus. Pois quando me converti ao catolicismo. sempre a Igreja preconizou que se usasse o latim.br Nome: Willian Enviada em: 01/01/2004 Local: Volta Redonda . porque dizem eles que quem reza a Missa é o povo. na Missa.org. Escreva-nos sempre. Orlando Fedeli. PODE O CATÓLICO COMUNGAR O CORPO E SANGUE DE CRISTO NA IGREJA ORTODOXA??? Autor: André Bortolato Fonte: www. In Corde Jesu. Religião: Católica Idade: 21 anos Escolaridade: 2. eu acreditava que a Igreja de Roma era a única autêntica. e não a língua vulgar.RJ. porque o latim preservava melhor a doutrina (visto que sendo uma língua morta. Foram os hereges que sempre pediram que a Missa fosse na lingua do povo. voltado para o Diretor. não variava). Quanto à língua. Assim também o Padre: ele fala in persona Christi. a Deus. 169 . O povo apenas participa do sacrifício.

Depois. era apenas cismática. Quanto ao rito mosárabe. os fiéis católicos. note que a última encíclica do Papa . "Por isso. Quanto à eucaristia em particular. após o cisma do oriente. André Bortolato 170 . É a questão famosa do Filioque). e inicialmente. Pio V no séc. Enquanto os melquitas estiverem unidos ao Papa e seguirem a sucessão apostólica pela imposição das mãos serão ritos válidos e lícitos.. Esperando tê-lo respondido. Quanto ao ritos melquita. existem outras igrejas apostólicas? A igreja ortodoxa tem sacramentos válidos? Um abraço e que Nossa Senhora o proteja. embora ilícitos pelo cisma. começou como Igreja Cismática -diversamente dos protestantes. Isto significa que um católico não pode comungar numa Igreja Ortodoxa. In Corde Jesu. para não dar o seu aval a ambigüidades sobre a natureza da Eucaristia e.. o que significa que seus sacramentos são válidos. XVI. Salve Maria! Em primeiro lugar gostaríamos de agradecer sua consulta ao site Montfort! A chamada Igreja Ortodoxa -. A Igreja Ortodoxa se separou da obediência ao Papa.que. rito muito antigo da Igreja Oriental. a infalibilidade do Papa e os dogmas marianos proclamados pela Igreja. faltar à sua obrigação de testemunhar com clareza a verdade.Ecclesia de Eucharistia . conseqüentemente.".Isso causou em mim uma dúvida: professor. foi suprimido pela codificação do Missal de S. (. negou ou recusou vários dogmas como a processão do Espírito Santo do Pai e do Filho (os cismáticos afirmam que o Espírito Santo procede apenas do Pai e não do Filho.trata exatamente da licitude dos católicos receberem a comunhão em outras religiões ditas cristãs e vice-versa. rito espanhol. na verdade. me esclareça. segue a mesma regra. tem sucessão apostólica. RESPOSTA Prezado Willian.) devem abster-se de participar na comunhão distribuída nas suas celebrações (dos "irmãos separados").

br Por que alguns sacramentos são obrigatórios e outros são facultativos? Por que alguns podem ser repetidos e outros não podem? Os sacramentos do batismo.seja excomungado [cfr. após o batismo . 'justificadora' ou 'habitual' . e disser que somente está nele como sinal. nos faz penetrar na vida eterna.veritatis. e por conseguinte o Cristo todo. Diz o Catecismo de Trento sobre a Eucaristia : . 171 .883. quando presentes. apagando a culpa original . na idade da razão . da confissão. Cân. da eucaristia e da confirmação são sacramentos obrigatórios para todos os cristãos. com o batismo nossa alma recebe a chamada 'graça santificante' . Se alguém negar que no Santíssimo Sacramento da Eucaristia está contido verdadeira. A eucaristia .por seu turno. O batismo nos faz nascer para a vida sobrenatural . e após a confissão dos pecados graves e mortais.com. o corpo e sangue juntamente com a alma e divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo. bem como os pecados pessoais . Só podemos comungar sem o pecado original e sem a presença do pecado mortal . figura ou virtude . l. nela acolhemos o corpo e o sangue . portanto . real e substancialmente. a divindade e humanidade real do Cristo. só podemos comungar .SACRAMENTOS DA IGREJA Autor: Prof Everton Jobim Fonte: http://www.

não teríamos ministros da eucaristia e da confissão . Por isso não podem ser repetidos.portanto.A necessidade da confissão depende dos nossos pecados. . principalmente na época da Quaresma . A eucaristia. pelos méritos eternos e infinitos do sacerdócio do Cristo. mas a Igreja preceitua a confissão .Casais divorciados e recasados não podem receber a eucaristia. .tampouco.ao menos. pela misericórdia infinita de Deus. nem . comungar regularmente. Santificam fatos específicos da vida humana.Padres casados não podem ministrar os sacramentos. é um sacramento necessário para quem se encontra em estado grave de saúde. a unção dos enfermos e a confissão são passíveis de serem repetidos porque expressam a graça no seu caráter universal . Evidentemente que . -----------------------------------------------------------------------Informações importantes: . para o recebimento da primeira comunhão necessitamos da confissão. e não poderíamos vir ao mundo . é permitido o divórcio aos cristãos .de forma indireta. Devemos . Os sacramentos da ordem e do matrimônio. relacionados a um caráter específico da graça.Os noivos e os candidatos a padrinhos de casamento e batismo. A possibilidade do arrependimento e da reconciliação no sacramento da penitência é aberta aos homens até o último momento de suas vidas . necessitamos do batismo . os sacramentos da ordem e do matrimônio são também necessários para todos os homens . são opções de vida . . e a unção dos enfermos. pois sem padres ou sem matrimônios. O matrimônio válido só pode ser realizado novamente para quem se tornou viúvo. . O Cristo ordenou que repetíssemos esse gesto de consagração até a Segunda Vinda. sob as leis de Deus. e sempre nos casos de pecado grave.Os pecados veniais são perdoados mesmo fora do sacramento da confissão.Não podemos nascer duas vezes com uma alma sem o pecado original . em uniões matrimoniais regulares . 172 . a confirmação e a ordem são gestos únicos e definitivos . uma vez ao ano.em batismos sucessivos . ou ser 'confirmado' duas vezes no sacramento da crisma.Para recebermos a eucaristia . . o matrimônio.n° 874 e 876]. . O batismo. necessitam ser crismados.O sacramento da ordem e da confirmação são privativos dos bispos.aberta a todos os cristãos já batizados .

objetivando capacitar o homem a desejar e fazer a vontade divina . recebendo outras graças em ações específicas desejadas por Deus (Fp. A Graça é transmitida através dos sacramentos . II Co.com. 20:24. Os sacramentos são transmissores da graça. estabelecidos pelo Cristo e confiados à 173 .1:9.13:21.1:18. a redenção e o chamado de Deus A Graça é o poder de Deus que provem imerecidamente em face das ações humanas . Tg.26:12. sinais sensíveis da graça divina que representam . Jr. ou sem os sacramentos .10:23.15:10). I Co. mas sempre por iniciativa de Deus . Hb.veritatis.br A Graça . Is. Ico.3:5. Pv.1:4. através da Pessoa do Cristo e da Sua obra de redenção perfeita e eterna . Atos santificantes . para a purificação do pecado original . fonte original de todas as graças e santidade.A GRAÇA SANTIFICANTE E A GRAÇA ATUAL Autor: Prof Everton Jobim Fonte: http://www.16:9.2:13. II Tm. confiada à Igreja .5.

todos os sacramentos foram instiutidos por Deus . deve . criando uma nova natureza espiritual. O homem não pode retirar a exclusividade de Deus no exercício desse atributo . vivendo o homem apartado e protegido do pecado e das tentações (5) O homem deve crer no poder da misericórdia divina infinita e na sua condição de amizade e graça com Deus .Como dito . E o livre-arbítrio do homem participa ativamente desse chamado (3) O homem precisa da graça atual para fazer a obra espiritualmente boa. A Graça Santificante pode ser aumentada . a vida divina torna-se presente em nossas almas e intensifica-se. Quem opera nos sacramentos é o Espírito Santo através de Seus ministros. bem como a justiça e a caridade .Através deles . E o homem precisa das graças atuais dos sacramentos para viver sob as leis de Deus plenamente (4) A Graça habitual é infundida na alma humana . mediande a realização das boas obras e com a obediência às leis de Deus e às leis da Igreja. como instrumentos para a comunicação e a perpetuação da graça original depositada em Sua Igreja . através da ação do Espírito Santo de Deus . durante sua vida terrena.perpetuando a missão salvífica e o sacerdócio do Cristo entre os homens. Porém . após a ascensão definitiva ao céu.autoridade da Igreja. mesmo com as restrições decorrentes da queda original (1) Sem a Graça. não há obra válida para a salvação . por outro lado . Todos os sete sacramentos foram instituídos por Jesus Cristo.Santificando aspectos específicos da vida humana. e não duvidar dela . e todos transmitem a graça. para a obtenção da Graça habitual. pois a razão natural é suficiente para tal .e considerar-se salvo antes do Juízo (6) 174 . Os homens não necessitam da graça para conhecer a verdade natural . saber que só Deus tem a certeza da nossa eleição e da nossa presença nesse estado de graça. toda boa obra necessita da graça de Deus para ser considerada como critério em nosso julgamento e salvação (2) A Graça atual é necessária .

consequentemente . por seu turno .1:9. Lc. Rm.8:30.redenção perfeita e eterna (1 Pedro 1:17) Viver a fé e viver sob a graça . Gl. a natureza huamana é permanentemente culpada e só Deus pode nos resgatar . Ef. IITs. e . enquanto pecadores! Os calvinistas afirmam que a graça é irrecusável para os eleitos . Existem graves divergências no âmbito protestante sobre a redenção. porque a fé necessariamente deve conduzir à realização das boas obras (Tiago 2:14 2:22. Recebemos uma nova alma e um novo coração transformados pela graça divina .5:10). Somos parte do Corpo de Cristo e devemos realizar as obras dignas do Filho de Deus (2 Pedro 1:4) Nossas obras somente são boas porque realizadas em conformidade com a vontade de Deus .5:32. o ato da graça . Uma boa obra de um ateu não é completamente boa .as boas obras não afetam a nossa justificação para ambos.1:9. sendo que as nossas faltas posteriores podem matar a graça batismal em nossas almas.tanto no âmbito propriamente da Igreja .11:28.1:15.Cristo opera em nós . Gálatas 2:16. quanto no âmbito da sociedade civil . IITm. Com o pecado mortal perdemos a graça habitual e não a fé Portanto . Deus convida os homens.2:12.2:14.4:1. Romanos 10:9) .4:4. não obstante . para o bem de todos . a viverem os dons que possuem na constituição do seu ser .Para eles. Somos salvos pela graça de Deus e pela fé . a obra de Deus. Ipe.26. podemos crescer na justiça e na caridade mediante a realização das boas obras. através de Sua Palavra. IPe. na redenção operada a nosso favor . podemos contribuir para a nossa salvação e podemos impossibilitá-la definitivamente. e os luteranos afirmam que a graça pode ser rejeitada . a aceitarem pela fé . (ICo. A fé de um cristão que não se materializa em obras é débil .2:39. ICo. no catolicismo .batizados e vivos sob a graça . sem a graça . mediante o qual .7:37. As boas obras que somos convidados a realizar e que contam como critério para o nosso julgamento são possibilitadas aos homens pelos méritos e pela satisfação vicária do Cristo .por quem vive sob a graça .7:15. é igualmente insuficiente para a libertação do pecado. ITs. nem as obras de reparação penitente da culpas pessoais. a graça jusificadora apaga completamente o pecado original . a salvação proporcionada por Cristo .2:9. At.5:10. Jo. Na concepção católica .e permite que partilhemos os méritos sobrenaturais das boas obras. E a boa obra natural .A vocação ou chamada é . 2:26 ) Os protestantes não aceitam que as obras tenham valor como mérito em nosso julgamento.1:24. permanentemente .porque falta-lhe a amizade com Deus. fundamentalmente (Romanos 3:28 . é realizar . 175 . Mt.

2. e enfim. Cân. sem a graça divina [merecida] por Jesus Cristo . Deus é livre para distribuir desigualmente a Sua graça. n° 797].o pecado comum ao gênero humano e os pecados pessoais . ainda que penosamente e com dificuldades . Ninguém pode merecer por si só a primeira Graça atual. 812.que nos faz . como se pelo livre arbítrio. esperar e amar ou arrepender-se como convém para lhe ser conferida a graça da Justificação . 1. 814. pode o homem crer. 816. Se alguém disser que sem a inspiração preveniente do Espírito Santo e sem o seu auxílio. depois do pecado de Adão. Se alguém disser que o livre arbítrio do homem. agradáveis aos olhos de Deus e também eternamente gratos ao Cristo por ter derramado seu sangue redentor por nós. sem a graça.não obstante . portanto . ou que é coisa só de título. 813. ou segundo a doutrina da Lei.seja excomungado. Se alguém disser que o livre arbítrio do homem. A distribuição da Graça e da Justiça de Deus ---------------------------------------------A graça e a justiça de Deus são iguais em salvar e apagar os nossos pecados .seja excomungado [cfr. Ele não nos pode cobrar coisas impossíveis. mas se porta como uma coisa inanimada. após a primeira graça recebida. Deus oferece a graça necessária para cada dever e para cada obra de seus filhos . em nada coopera para se preparar e se dispor a receber a graça da justificação . Cân. ou se extinguiu. Se alguém disser que a graça divina [merecida] por Jesus Cristo é dada somente para que o homem possa viver mais facilmente justificado e para mais facilmente merecer a vida eterna. n° 793 s]. perfeitamente inativa e meramente passiva .posto que ele consinta em que Deus o excite e o chame . Se alguém disser que não está no poder do homem tornar os seus 176 .e que ele não pode discordar. 4. movido e excitado por Deus. se perdeu. pudesse conseguir uma e outra coisa. às nossas obras e à nossa cooperação . conforme a medida que o Espírito Santo distribui a cada um como ele quer "(1 Cor 12.seja excomungado [cfr. n° 793 e 797]. 3. uma ficção introduzida na Igreja por Satanás . n° 795 e 809]. cada qual a sua. titulo sem realidade. mesmo se quiser. e também corresponde à nossa fé . Cân. 5. n° 797]. ou antes. 11) Diz o Concílio de Trento sobre a Graça da Justificação Catecismo do Concílio de Trento Sessão VI Decreto sobre a justificação Cânones sobre a justificação Cânones sobre a justificação 811. feitas ou segundo as forças da natureza. 6. Cân. Cân. 815.seja excomungado [cfr. Cân.seja excomungado [cfr. Se alguém disser que o homem pode ser justificado perante Deus pelas suas obras. Deus distribui desigualmente sua graça e os nossos dons . Assim diz o apóstolo Paulo : "Pois recebemos em nós a justiça. [cfr.

e que por isso merece penas eternas.) 827. 22. 23. 833. ou que os dez mandamentos de modo algum pertencem aos cristãos seja excomungado [cfr. Cân. Cân. Se alguém disser que o homem. mas livres. 26. por mais perfeito que seja. Cân.seja excomungado.seja excomungado [cfr. 20.caminhos maus. Cân. 17. durante toda a vida. perseverar na justiça recebida. 19. 817. mas não recebem a graça. não se condenando [porém] somente porque Deus não imputa aquelas boas obras para a condenação . como a Igreja ensina a respeito da Bem-aventurada Virgem seja excomungado [cfr. uma vez justificado. n° 800]. perseverar . Se alguém disser que todas as obras que são feitas antes da justificação. tanto mais gravemente peca . não está obrigado à observância dos mandamentos de Deus e da Igreja. 828. mas que Deus faz tanto as obras más como as boas. Cân.seja excomungado [cfr. e que todas as demais coisas são indiferentes. 831. ou que. sem uma prerrogativa especial concedida por Deus. Se alguém disser que Jesus Cristo foi dado por Deus aos homens [só] como Redentor em quem devem crer. n° 804]. Se alguém disser que o homem justificado. 829. sim. não pode mais pecar nem perder a graça. 836. nem mandadas nem proibidas. 25. de sorte que não é menos obra sua a própria traição de Judas do que a vocação de Paulo .seja excomungado. mas somente a crer.seja excomungado. não só enquanto Deus as permite. mas que as boas obras somente são frutos e sinais da justificação que se alcançou. 830. 835. evitar todos os pecados. Cân. com este auxílio. Cân. n° 797]. com quanto maior veemência alguém se esforça em se dispor para a graça. n° 805 e 810].seja excomungado [cfr. n° 804 e 806]. visto estarem pelo poder divino predestinados para o mal . e que todos os outros que são chamados. sem especial auxílio de Deus. Se alguém disser que o justo peca em qualquer obra boa. 7. 834. são verdadeiramente pecados ou merecera o ódio de Deus. ou. e não também como Legislador a quem devem obedecer . Se alguém disser que o justificado pode. como se o Evangelho fosse uma simples e absoluta promessa de vida eterna. e que por isso aquele que cai e peca nunca foi verdadeiramente justificado. mas [as faz] em sentido próprio e pleno. pelo contrário. e que não é causa do aumento da mesma .seja excomungado [cfr.seja excomungado [cfr. Cân. sem condição de observar os mandamentos . 18. 24. Se alguém disser que também ao homem justificado e constituído em graça é impossível observar os preceitos de Deus .seja excomungado [cfr. Cân. (. n° 803]. n° 804]. são-no. que o homem pode. ao menos venialmente. 832. Se alguém disser que no Evangelho não há nada de preceito senão a fé. ou (o que é mais intolerável ainda) mortalmente. 21. ou que ele não pode. Se alguém disser que os justos não devem esperar de Deus a 177 .. Se alguém disser que a justiça recebida não se conserva nem tão pouco se aumenta diante de Deus pelas boas obras. de qualquer modo que se façam. Cân. Cân.. Se alguém disser que a graça da justificação só se dá aos predestinados para a vida. também os veniais. n° 804].

ou que a fé que permanece. 824. n° 807]. n. 16 (Denz. Sess. 839. se perde a graça uma vez recebida . Se alguém disser que as boas obras do homem justificado de tal modo são dons de Deus. n° 808]. n" 803 e 809 s]. Cân. se derrogam de algum modo a glória de Deus. no purgatório. VI. n. 832). n. 821).. n. n. 14. é de tal modo perdoada a ofensa e desfeita e abolida a obrigação à pena eterna. n° 807]. 841. ou os merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo. 837. mas só pela fé.seja excomungado [cfr. cânone I . Concílio de Trento. Cân. embora grave e enorme. Se alguém disser que não há pecado mortal algum.seja excomungado [cfr. Se alguém disser que o homem justificado peca quando faz boas obras em consideração ao prêmio eterno .. Sess. 826). que não são também méritos do homem justificado.retribuição eterna pelas boas obras feitas em Deus. n° 810]. 179). n" 804]. n° 809]. Concílio de Trento. (4) II Concílio de Orange. 31. II Concílio de Orange.. 182). n. se perseverarem até ao fim. 30. Concílio de Trento.. 842. cânone 11 (Denz. não é verdadeira fé. como a Santa Romana e Universal Igreja. Referências : (1) Concílio Vaticano I. Sess. Se alguém disser que com esta doutrina católica da justificação. obrando bem e observando os preceitos divinos . com as boas obras que faz com a graça de Deus e merecimento de Cristo (do qual é membro vivo) não merece verdadeiramente o aumento da graça. 823. 834) (6)Concílio de Trento. Cânone 10 (Denz. Sess.. Cân.seja excomungado [cfr. (2) II Concílio de Orange. Concílio de Vienna (contra errores Ioannes Olivi) (Denz. 32. sem o sacramento da Penitência.. n. 826. 483). Sessão III. n. que não lhe fica obrigação alguma de pena temporal a pagar. antes que lhe possam ser abertas as portas para o reino dos céus . 840.seja excomungado [cfr. (5) Concílio de Trento. 797) e cânone 3 (Denz. Se alguém disser que a todo pecador penitente... V. n.. embora não seja viva.capítulo 5 (Denz. 180). cânones 3 e 6 (Denz.seja excomungado [cfr. tem até o presente professado.seja excomungado [cfr. pela misericórdia do mesmo Senhor e merecimentos de Jesus Cristo. VI. VI. 27. Cân. Concílio de Trento. 843. VI. VI. (3) II Concílio de Orange. Concílio de Trento.seja excomungado [cfr. Se alguém disser que ao perder-se a graça pelo pecado. 813). capítulo 9 e cânones 13. Se alguém disser que não pode levantar-se com o auxílio da graça de Deus aquele que caiu depois do Batismo. 28. capítulo 2. Sess. cânones 16 e22 (Denz. 176. que recebeu a graça da justificação. Sess. cânone 9 (Denz. observado e ensinado . capítulo 7 e cânone 24 (Denz. n. cânone 2 . n° 808]. n.. 809). 183).VI. 799. exceto o de infidelidade.seja excomungado [cfr. ou que por nenhum outro pecado.. 802. VI. que pode novamente levantar-se e recuperar a justiça perdida. ou. n. a não ser pelo de infidelidade. 29. cânone 7 (Denz. capítulo 16(Denz. seja neste mundo ou no outro. 838. Cân. Cân. ou que este homem justificado. ou que aquele que tem a fé sem a caridade não é cristão . 33. a vida eterna e (se morrer em graça) a consecução da mesma vida eterna bem como o aumento da glória . simultaneamente se perde também a fé.. e não se esclarece a verdade da nossa fé e enfim a glória de Deus e de Jesus Cristo . 178 . instituída por Cristo Nosso Senhor e por seus Apóstolos. Cân. expressa no presente decreto pelo santo Concílio. Sess.

o capítulo terceiro trata da apostolicidade da Eucaristia e da Igreja. A Eucaristia que a Igreja celebra e da qual se alimenta foi confiada por Jesus aos Apóstolos. somos um só corpo.44). A Eucaristia expressa a unidade da Igreja. Nesta encíclica. de 179 . pelo menos. Ela não pode ser substituída por celebrações ecumênicas da Palavra. a encíclica tira diversas conseqüências de natureza pastoral. foram constituídos seus colaboradores. a qual não pode prescindir da verdade (cf. A Eucaristia não pode ser concelebrada por aqueles que não comungam a mesma fé no mistério eucarístico professado pela Igreja.com. o Papa apresenta a doutrina sobre o mistério eucarístico recebida dos Apóstolos. que somos os seus membros. a celebração não seria uma linguagem autêntica. exige para ser celebrada um contexto de integridade dos laços. é componente essencial da natureza da Eucaristia. a Igreja a celebra. Encíclica é uma carta de caráter solene e oficial.br No dia 17 de abril. Assim. Finalmente. de que fala Paulo. conservada e desenvolvida com fidelidade pelo magistério da Igreja. e por aqueles que. a encíclica insiste sobre a celebração dominical da Eucaristia.veritatis. os bispos. sem a celebração dominical da Eucaristia. dirigida pelo Sucessor de Pedro a toda a Igreja. Daria margem a ambigüidades sobre a própria natureza da Eucaristia. é a Igreja. a Igreja que vive da Eucaristia. pois. Creio que. A Eucaristia alimenta a vida e unidade da Igreja. a Eucaristia tem um aspecto pedagógico: educa para a unidade. João Paulo II assinou sua encíclica Ecclesia de Eucharistia. Por isso mesmo. "Já que há um só pão. É presidida pelos sucessores dos apóstolos. n.A EUCARISTIA E A UNIDADE DA IGREJA Autor: CNBB/Dom Benedito Beni dos Santos Fonte: http://www. inclusive externos. nós. visto que todos participamos desse único pão" (1 Cor 10. Por isso. Este corpo. De acordo com a fé dos apóstolos. nos esqueceríamos de que existe a Igreja ou. como suprema manifestação sacramental da comunhão da Igreja. Simplesmente ocultaria a divisão. pelo sacramento da ordem. Neste caso. inclusive no campo do ecumenismo. Deste ensinamento. em vez de ajudar. "A Eucaristia. A apostolicidade. acabaria prejudicando a construção da unidade.17). embora muitos.

tudo aquilo que é fundamental para a vida . na obediência aos legítimos pastores. habitação . Como recorda a encíclica. Por fim. compromisso com o amor. educação. pois. Elas estavam em contraste com a Ceia do Senhor que celebrava. 20). Quem participa da Eucaristia deve assumir a responsabilidade para com a vida humana desde sua origem. a Eucaristia é uma realização concreta e plena de sua palavra: "Eu estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos". Seja a vida que nasce plena e forte. Recorda ainda a admoestação de Agostinho: "quem recebe o sacramento da unidade. veste. até o seu fim natural. 180 . Na exortação apostólica Christifideles Laici. o Papa recorda que não passa de hipocrisia defender condições de vida digna para todos. Antes de tudo. 40) A Ecclesia de Eucharistia está em continuidade com a encíclica sobre o mistério eucarístico. Participar. sem conservar o vínculo da paz. como o direito à habitação. (Mt 28. no mundo e em cada um de nós. sucessores dos Apóstolos.alimento. isto é. mesmo que pobre e fraca. saúde. à saúde. não recebe um sacramento para seu benefício. e . 38). Oportunamente. João Paulo II recorda o aspecto ético da celebração da Eucaristia. compartilhado. A Eucaristia condensa e expressa o amor de Cristo levado ao extremo. Implica o compromisso com a construção de uma sociedade. Afirma que todos aqueles que participam da Eucaristia devem assumir um tríplice compromisso. Cristo inaugurou um novo modo de estar presente na Igreja. 17-34). ao mesmo tempo. no ventre materno. da vida em plenitude. A Eucaristia é também o sacramento do Pão dividido. mas antes uma condenação" (n.comunhão" (n. onde o "pão".não falte a ninguém. 1 Cor 11. Com a instituição da Eucaristia. na celebração dos mesmos sacramentos. da Eucaristia implica o compromisso de gastar a própria vida no serviço e na dedicação aos irmãos. dirigida aos bispos em 1980. não respeitar a vida que surge no seio materno. a encíclica recorda as admoestações de São Paulo com relação às divisões na comunidade de Corinto (cf. Nela. à educação. seja a vida que nasce frágil e pobre. a Eucaristia é a celebração da páscoa de Cristo. Comunhão na mesma fé.

Tratados 23... • "Porque eles com bastante entusiasmo ensinavam.3. 200 dC). e por seu privado sacramento restaura os penitentes" (Afrate o Persa. 244 dC). como provam os textos patrísticos abaixo. 345 dC). 'Está alguém doente entre vós?' está dito 'que chame os mais velhos da Igreja. assim concedei que ele possa dar fortaleza a todos os que dele se valem e saúde a todos o que o usam" (Hipólito de Roma.(se permitisse) que as mãos dos arianos fossem colocadas sobre sua cabeça" (Atanásio. E a prece da fé salvará o doente. alguém está enfermo. Homilia sobre os Levíticos 2. que podia ser até mesmo o batismo" (Tertuliano. para realizar curas. ungindo-o com óleo em nome do Senhor. para uma medicina de vida e 181 . Tradução: José Fernandes Vidal Fonte: http://www. • "O enfermo considerava uma calamidade mais terrível do que a própria doença. Nesse caso deve ser realizado o que também o Apóstolo Tiago diz: 'Se.'" (Orígenes.. para boa graça e remissão dos pecados. reis e profetas se tornam perfeitos. mas depois também. sacerdotes e profetas.VV. Prescrições 49. concedendo a todos os que são ungidos e por ele recebem a santificação. aqueles que estão também com setenta anos.veritatis. um dos sete sacramentos da Igreja. • "Porque não somente no tempo da conversão. • "Além disso. • "Este óleo. Sobre o Sacerdócio 3. se bem que arduamente e sofridamente. ele ilumina a escuridão (na confirmação).6. e que esses orem sobre ele. e o Senhor o levantará: e se ele cometeu pecados.2. 341 dC).4.. esses lhe serão perdoados'" (João Crisóstomo.. ~215 dC). 386 dC). discutiam.SOBRE O SACRAMENTO DA UNÇÃO DOS ENFERMOS Autor: AA.com. pois. e se ele está em pecados. desde o princípio.. como quando ungistes os reis. e a oração da fé salvará o enfermo.. eles têm autoridade para perdoar os pecados. Tradição Apostólica 5.. esses lhe serão perdoados.br A unção dos enfermos (também chamada de "extrema-unção") é. determinavam o exorcismo. ungindo-o com óleo em nome do Senhor. Epístola Encíclica. unge os enfermos. que chame o presbítero da Igreja para impor as mãos sobre ele. • "Sobre o sacramento da vida. • "Ó Deus que santificastes este óleo. pelo qual (=batismo) os sacerdotes cristãos (na ordenação).

corpo . o Senhor o reerguerá.' .espírito.salvação.1. que humildemente e com fé peça aos presbíteros a unção abençoada.não há dúvida de que o ungido deve ser interpretado ou compreendido como enfermo da fé. 542 dC). • "Deve-se chamar um padre que. para a perfeita consolidação" (Serapião de Thuis. outro confirmava" (Efraim.8. 182 . é uma espécie de sacramento" (papa Inocêncio (401-416 dC). então. Culto e Adoração 6. um soprava sobre ele. de modo que o que foi escrito possa lhe ser frutuoso: 'Está alguém entre vós enfermo? Que lhe tragam os presbíteros.. que pode ser ungido com o santo óleo do crisma. para ungir seu corpo. Sermões 13.. que diferença faz se o sacerdote diz que esse poder é dado a eles na penitência ou no batismo? Em ambos o mistério é um" (Ambrósio. e o Senhor o soerguerá. chama os sacerdotes. • "Por que. 350 dC). • "Que aquele que está doente receba o Corpo e Sangue de Cristo..'Se alguém entre vós está doente. e a prece da fé salvará o enfermo.. Homilia 46. se acaso alguma pessoa enferma se recupera? Por que assumis que alguém possa ser purificado por vós da sujeira do demônio? Por que batizais se os pecados não podem ser remidos pelo homem? Se o batismo é seguramente a remissão de todos os pecados. esses serão perdoados'" (Cirilo de Alexandria. Complicações.3. • "Se alguma parte de teu corpo está sofrendo. Anáfora 29.. 390 dC).36. e se estiver em pecados. esses lhes serão perdoados'" (César de Arles.. E a oração da fé salvará o doente. recorda-te também das Escrituras Inspiradas: 'Alguém entre vós está doente? Chama o presbítero da Igreja e deixa-o orar sobre ele. impondes as mãos e acreditais que isso tenha efeito de bênção. 373 dC). . para saúde e bem estar da alma. 412 dC). 416 dC). A Decêncio 25. pela prece da fé e a unção do santo óleo que comunica. • "Na epístola do santo Apóstolo Tiago.8. que esses orem sobre ele. ungindo-o com óleo... salvará aquele que está doente [por causa de um grande ferimento ou por uma doença]" (Cassiodoro. A Penitência I. • "Rezavam sobre ele.11. ungindo-o com óleo no nome do Senhor. e se ele está em pecados. 570 dC).

38-39) • "E uma certa mulher chamada Lídia. para perdão dos pecados. e a todos que estão longe . Esta novidade foi introduzida pelos Anabatistas. Presbiterianos. E. e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia. E recebereis o dom do Espírito Santo. em latim. A palavra "casa" ("domus". Note que os primeros protestantes (Luteranos. • "Disse-lhes Pedro: 'Arrependei-vos. ela e a sua casa rogou-nos 183 . e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo.O BATISMO DE CRIANÇAS Autor: Alessandro Ricardo Lima Fonte: http://www. porque o Reino de Deus é daqueles que se parecem com elas" (Lc 18:16). inclusive as crianças. guardam até hoje o batismo de crianças. "oikos".veritatis. em grego) designava o chefe de família com todos os seus domésticos. e que servia a Deus. vendedora de púrpura. A promessa diz respeito a vós. da cidade de Tiatira. a vossos filhos. O Protestantismo durante a Reforma no século XV inventou que o Batismo não pode ser ministrado às crianças." (Atos 2. A Sagrada Escritura A Sagrada Escritura cita vários exemplos de pagãos que professaram a fé cristã e que foram batizados "com toda a sua casa".a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar'. nos ouvia. depois que foi batizada. Calvinista e Anglicanos).com.br/ "Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais.

dizendo: 'Se haveis julgado que eu seja fiel ao Senhor." (At 16:14-15) • "Tomando-os o carcereiro consigo naquela mesma noite. não sei se batizei algum outro. creu no Senhor. a saber. pois a lei mosaica ainda valia e o batismo ainda não. Por isto. ouvindo-o." (At 16:33) • "Crispo. Só que se esquecem que o Batismo faz parte do ministério de Jesus. nos regenerando. entrai em minha casa. a circuncisão de Cristo. e ficai ali'. Jesus foi apresentado no tempo quando criança. era realizado também nas crianças. Mt 26:61)." (At 18:8) • "Batizei também a família de Estéfanas. lavou-lhes os vergões. E nos constrangeu a isso. as crianças também devem ser batizadas. e por isto eles apresentam suas crianças no altar e batizam os adultos. e muitos dos coríntios." (1Cor 1:16) Argumentos Protestantes Os protestantes costumam argumentar dizendo que Jesus foi apresentado no tempo quando criança e somente foi batizado na idade adulta. principal da sinagoga. nele também ressurgistes pela fé no poder de Deus. foi substituída pela Batismo (Sinal da Nova Aliança). A circuncisão (sinal da Antiga Aliança). inclusive as crianças: • "Pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Rm 3:23) 184 . Por isto. além destes." (Col 2:11-12) Através do batismo o Espírito Santo nos dá um novo nascimento. tendo sido sepultados com ele no batismo. "Todos pecaram" em razão do pecado de Adão. então logo foi batizado. com toda a sua casa. A circuncisão que era o sinal da iniciação do Judeu na vida religiosa. que o ressuscitou dentre os mortos. ele e todos os seus. que se iniciou com 30 anos. Como Jesus poderia ser batizado quando criança se ainda seu ministério nem havia iniciado? Os ritos da lei mosaica só deixariam de valer após a ressurreição de Cristo (cf. Desta forma o batismo também pode ser ministrado às crianças: • "Nele também fostes circuncidados com a circuncisão não feita por mãos no despojar do corpo da carne. creram e foram batizados. pois já nascem pecadores.

tu me tiraste do ventre. porque todos pecaram. O mesmo acontece com o batismo. melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma grande pedra de moinho. Exclamou ela em alta voz: 'Bendita és tu entre as mulheres. a criancinha saltou de alegria no meu ventre." (Sl 51:5) Outro argumento protestante é que as crianças não podem crer. como por um homem entrou o pecado no mundo. e em pecado me concebeu a minha mãe. estando eu ainda aos seios de minha mãe. tu és o meu Deus desde o ventre da minha mãe." (Sl 22:9-10) Testemunhos Primitivos Nosso Senhor Jesus Cristo garantiu que a Igreja nunca pregaria o erro (cf. e fosse lançado ao mar" (Mc 9:42) • "Ao ouvir Isabel a saudação de Maria. dizendo que a Igreja modificou a 185 . e Isabel foi cheia do Espírito Santo. Por acaso se um filho de um protestante estiver doente. e que o batismo deve ser um ato consciente de quem está sendo batizado.'" (Lc 1:41-44) • "Contudo." (Rm 5:12) • "Certamente em iniqüidade fui formado. Como já dissemos em artigo anterior. vamos mostrar pela Sagrada Escritura que as crianças podem crer: • "E quem escandalizar a um destes pequeninos que crêem em mim. Mas de qualquer forma. e pelo pecado a morte. assim também a morte passou a todos os homens. tu me preservaste. Mt 28:20). seu pai vai esperar que ele cresça para escolher tomar a vacina. o batismo regenera o homem. Sobre ti fui lançado desde a madre. e garantiu a Sua Assistência Divina à Igreja todos os dias até o final dos tempos (cf. Para desmentir o que os protestantes pregam. De onde me provém que me venha visitar a mãe do meu Senhor? Ao chegar-me aos ouvidos a voz da tua saudação. ou vai lhe dar a vacina? Todo bom pai faria daria logo a vacina. e bendito o fruto do teu ventre. Mt 16:18). a criancinha saltou no seu ventre.• "Pelo que.

16). Os apóstolos. cf. transcreveremos abaixo alguns dos testemunhos primitivos. torna-se um bebê para um bebê.Comentários sobre a Epístola aos Romanos 5:9) • "Do batismo e da graça não devemos afastar as crianças" (São Cipriano. ele passa através de toda idade.. Somente o Papa possui a autoridade para ligar e desligar (na terra e no céu. uma criança para as crianças. seja em situação constante. santificando os bebês. É através do batismo que temos nossa primeira experiência com Jesus. Se não. ele pode ser o mestre perfeito em todas as coisas. que deviam ser lavadas pela água e pelo Espírito" (Orígenes.doutrina. e se elas podem falar. mas se a água é escassa. crianças.Contra Heresias II. Mt 16:19). Ninguém deve ser privado desta graça. ou apostatou. jovens e adultos. perfeito não somente manifestando a verdade. batize-se primeiro as crianças. • "Onde não há escassez de água. perfeito também com respeito a cada idade" (Santo Irineu. ano 248 .(e assim por diante).22. então se use qualquer água disponível. O batismo deve ser principalmente ministrado para as crianças. seja em determinadas ocasiões. Conclusão O batismo é uma graça regenerativa para a vida humana. a água corrente deve passar pela fonte batismal ou ser derramada por cima. isto é. ano 189 . Fora isto. santificando-as nessa idade. deixe-as falar.. • "A Igreja recebeu dos apóstolos a tradição de dar Batismo mesmo às crianças. que seus pais ou outros parentes falem por elas" (Hipólito. aos quais foi dado os segredos dos divinos sacramentos sabiam que havia em cada pessoa inclinações inatas do pecado (original).4). Creio que Jesus está fazendo o seguinte apelo aos protestantes: "Deixai vir a mim as criancinhas e não as impeçais" (Lc 18:16). ano 215 Tradição Apostólica 21. ano 248 Carta a Fido). Dispa-selhes de suas roupas. ninguém tem o direito de negar esta graça às crianças. a todos que através dele são renascidos em Deus: bebês. 186 . Portanto. que provam que a Igreja ensina hoje o mesmo que ensinava nos tempos mais remotos do cristianismo: • "Ele (Jesus) veio para salvar a todos através dele mesmo. E esta sempre foi a prática da Igreja.

com. 1Cor 3.br/ [.20). escolheu doze apóstolos. dentre todos os que o seguiam (multidões!).14. Ap.. é o novo Povo de Deus (como Deus não volta atrás. 2.A CONFISSÃO DOS PECADOS ENSINADA NA BÍBLIA Autor: Prof.veritatis. Carlos Ramalhete Fonte: http://www. fundada sobre os apóstolos (Cf. 21.. Este número corresponde ao número de tribos de Israel. A Igreja. embora 187 .10 e Ef.]Jesus. a Antiga Aliança continua válida. Povo de Deus.

a quem Cristo deu o poder de ligar e desligar (expressões rabínicas significando estabelecer a verdadeira exegese de um texto bíblico que diga respeito a direitos e deveres). nestorianos e outros frequentemente apresentam erros graves de doutrina. por que nós precisaríamos menos do perdão dos pecados que a gente daquele tempo? É por isso que este poder foi transmitido aos sucessores dos Apóstolos. como os coptas ou os nestorianos da Índia. a quem Jesus entregou as chaves do Céu e a missão de apascentar o Seu rebanho. e apenas a eles. O objetivo é evitar escândalos causados por pessoas despreparadas. Desde então a Igreja tem ciosamente guardado a doutrina de Cristo e ministrado os Sacramentos por Ele instituídos como meios para nossa salvação. Jesus deu o poder de perdoar os pecados (Jo 20.14). Note que ele deu este poder apenas aos apóstolos.22). Não faria sentido dar este poder se isto não fosse necessário. O próprio São Paulo nos lembra da necessidade e da origem deste sacramento (2Cor 5. que ordenou seus primeiros bispos e deu a eles o poder de perdoar os pecados. que seguiram a transmiti-los. A Igreja tem a sucessão de São Pedro. ainda que o valor do Sacramento independa da santidade pessoal do sacerdote (Rom 5.18). a Confissão é por eles considerada necessária.2123). Apostolado Veritatis Splendor: "IGREJA CATÓLICA E AS INDULGÊNCIAS O CÉU EM LIQUIDAÇÃO" . que não abraçam a graça a eles conferida pelo Sacramento da Ordem (1Tm 4. O poder de perdoar os pecados. ATAQUE PROTESTANTE A TRANSFORMAÇÃO DO PÃO E VINHO NO CORPO E SANGUE DE CRISTO! Autor: Alessandro Lima Alessandro Lima. porém. Os coptas. Mas mesmo assim. Disponível em 188 . A estes doze. não deve ser conferido a qualquer um (1Tm 5. Os nestorianos da Índia seguem a sucessão apostólica de São Tomé. Note que igrejas autocéfalas. apresentam praticamente da mesma forma o Sacramento da Reconciliação.incompleta. por não se terem mantido sob Pedro. e o fez depois de Sua Ressurreição.11). Afinal.I. para os judeus). Chamo à atenção estas igrejas porque separaram-se da Igreja há muito tempo. Mas não faria sentido que este poder acabasse na geração dos apóstolos.

se ela assim o diz. é mágica. Bebei dele todos. a estas questões. Esta senhora diz-se "pesquisadora de religião". E outras coisas mais. isto é o meu corpo.br/article/2607. na tomada de Jerusalém. nas linhas abaixo rebatermos. individualmente. a transubstanciação da ceia eucaristia da missa não salva. em suas pesquisas.. como se verá no texto que refutaremos abaixo.. sangue. destilando ódio contra o catolicismo. um texto desta senhora que visa solapar a fé católica no sacramento da eucaristia. é contra a Bíblia. Como de praxe. vai para o inferno. em azul. é blasfêmia de contínuo matar Jesus em re-sacrifício..veritatis.após a bênção miraculosa do padre. não tem condições de guardar. conforme João 15:1 . odiando o objeto de seu estudo. na qual muitos "milagres" 189 .. No Velho Testamento. quem somos nós para negá-lo? No entanto. Que ele é uma videira. trouxeram-lhe água de Belém. segundo o Concílio de Trento. teremos obrigação de dizer que ele é uma porta. Porque isto é o meu sangue". pois a Bíblia proíbe qualquer tipo de canibalismo. por mais que ela "pesquise". . transforma-se no corpo. que cada leitor responda. Ainda mais a missa por mortos. Pergunto: como dar o devido crédito à uma pesquisadora de religião que desconhece os fundamentos da mais importante religião da história? Qual a profundidade e seriedade de suas pesquisas? Como entender o trabalho de um pesquisador que. Desde 8/3/2004. ponto por ponto. sua cidade natal. ele recusou-se a bebêla. continua desconhecendo os pontos mais básicos do catolicismo.. o texto original segue em preto. portanto. e. Este é um dogma de fé e quem nele não crê. A nós caberá. portanto não iria mandar que o comessem. visto como a Igreja de Roma afirma que tem nas mãos as chaves do portão do céu.."O deus hóstia é idolatria.com. Só que Jesus pronunciou estas palavras quando ainda se encontrava vivo. Como a religião católica veio da misteriosa Babilônia. é comer carne e sangue humanos. A nossa resposta. Se tomarmos esta afirmação de Jesus ao pé da letra. apesar da sede que sentia. A ACUSAÇÃO: Ataque de Mary Schultze Contra a Transubstanciação São bastante conhecidos os textos de uma senhora chamada Mary Schultze que. Esta afirmação absurda foi tirada de Mateus 26:26-28: "Tomai." -----------------Você crê na Transubstanciação? A Igreja de Roma afirma que o pão ..http://www. um mínimo de distanciamento crítico em relação ao objeto pesquisado? Bem. dizendo: "Beberia eu o sangue dos homens que foram com risco de sua vida?" Davi se referia à água de Belém ou literalmente ao sangue dos seus homens? (2 Samuel 23:17).ou hóstia .. é excomungado e. E ainda o fez para os judeus que pediam sinais. quando alguns soldados do exército de Davi. alma e divindade de Jesus Cristo. conforme João 10:9. comei. circulam por todo o país.

com os pés tropeçando na negra batina com odor de ácido butírico. quando ia comer o primeiro pedaço de pão. acho que não preciso avisar-lhe que coloquei uma boa quantidade de arsênico na massa do pão. para aquela senhora.eram praticados para enganar o povo. para jamais regressar àquele lar verdadeiramente cristão. relutando. segundo a sua garantia. até que o marido resolveu pedir a ajuda do seu confessor. No poema ele conta que uma jovem senhora protestante era casada com um católico e o marido vivia implorando que ela abjurasse a sua fé e se tornasse católica. Tudo é feito na base da conveniência. porque na hora da morte.. Um poeta americano escreveu belo poema inspirado na realidade a respeito da transubstanciação. Pronunciou as palavras misteriosas. o tempo todo. pois era uma profunda conhecedora da Bíblia (Antigamente os protestantes costumavam ler a Bíblia. a moça lhe disse: "Reverendo. Foi aí que o marido se converteu. ao ver que nem mesmo o padre acreditava naquilo que pregava. os padres costumam usar esses artifícios para enganar a boa fé dos católicos e mantê-los amarrados à Igreja Católica. O católico pode pecar à vontade. olhou aquele pão moreno e fofo colocado num lindo prato de porcelana alemã e foi logo afirmando: "tenho o poder de transformar este pão no corpo e este vinho no sangue de Jesus Cristo". o pão e o vinho se transformaram em nova substância. O padre não se rendeu às citações bíblicas. que havia aprendido a interpretar do ponto de vista alegórico. Esta idéia genial tem rendido ao Vaticano alguns bilhões anuais de dólares e por isso a Igreja de Roma não muda seus dogmas. já que. conforme o testemunho de muitos ex-padres. Aliás. restando-lhe apenas uma temporada secular de veraneio no Purgatório. não é?" O padre empalideceu. A moça obedeceu e quando o padre chegou. se ele for devoto de Nossa Senhora do Carmo e rezar o terço todo dia. engasgou-se e gritou: "maldita seja esta casa!".. depois dos "Últimos Ritos" ou "Extrema Unção". Depois ele entra nos escritos platônicos alexandrinos de Clemente e Orígenes (de Alexandria). quando isso convinha à Igreja. 190 . A primeira coisa que um seminarista católico estuda é a filosofia grega. para o dia seguinte. Hoje preferem ver televisão e já não têm base para protestar contra os dogmas heréticos de Roma). Este veio jantar com o casal e pregou o "evangelho católico" (que Paulo chama de ´outro evangelho´. em frente da moça e do seu marido católico. enchendo os cofres do Vaticano (que já têm dinheiro saindo pelo ladrão) e a alma só sairá do Purgatório quando a família do morto mandar celebrar uma centena de missas. todo cheio de empáfia. e pediu que a jovem senhora preparasse um belo pão e conseguisse uma boa garrafa de vinho. a "Virgem Santíssima" irá tirá-lo de lá. todos os seus pecados serão perdoados pelo padre. Entretanto. achando que tinha tanto poder que até Cristo lhe obedecia as ordens. (O que me intriga é que o Purgatório fica no além e lá não deve haver calendário!). E garantiu-lhe que ele voltaria àquela casa e faria o milagre da transubstanciação. Assim mesmo. Uma vez no Purgatório. nenhum sacerdote católico crê realmente no que prega. fazendo-os crer que ela é "a única igreja verdadeira e que fora dela não há salvação". Saiu bufando de raiva e correndo. no primeiro sábado. Mesmo porque não lhe faria mal algum. A moça ia relutando. muitas missas são rezadas pelo defunto. que ia refutando-o.

sem receio. quando a Bíblia o condena veementemente na Carta aos Hebreus? Você crê na fábula do Purgatório. De posse dos manuscritos corrompidos do Novo Testamento.Tudo é alegórico e ao pé da letra só tomam realmente o que lhes interessa. pode-se concluir. Afinal. o espetáculo começou muito mal. eu. a fundo. mesmo sabendo que muitos deles foram corruptos. não tem qualquer condição de entender. para que saber a opinião de alguém sobre um assunto que este alguém desconhece solenemente? Qual a serventia desta opinião? Rigorosamente nenhuma. o tempo todo. Com toda a sinceridade. como pode ouvir e responder as orações de quase um bilhão de católicos. milhões de almas para o inferno. é mais do que sabido que a Missa não é. ainda crê nas baboseiras religiosas pregadas pela sua Igreja? Você crê no sacrifício da missa. por tabela. no mundo inteiro. quando a Bíblia afirma que "Todos pecaram e carecem da glória de Deus"? (Romanos 3:23) E quando a própria Maria se confessa "pecadora necessitada de um Salvador"? (Lucas 1:47) Você crê que Maria pode ser Mediadora/ Intercessora. mas a renovação do único e irreptível sacrifício ofertado por Ele no Calvário. enquanto é tempo. Por causa da sua preguiça de raciocinar. Quanto aos papas. Afinal de contas. após este singelo parágrafo. enquanto leitor. a transubstanciação. imorais e até se combatiam uns aos outros? Você crê no dogma da Imaculada Conceição (de Maria). meu amigo católico. a Igreja de Roma inventa as suas tradições e os seus dogmas e fica enviando.o céu ou o inferno? (Lucas 16:19-31). esses nem seguem "via Sedex". E você. se Maria não é Deus. Somente segui lendo o texto porque coube a mim refutá-lo. "via Sedex". no caso. com o comandante Satã na direção. A RESPOSTA Como diria um famosíssimo locutor esportivo de São Paulo: abrem-se as cortinas e começa o espetáculo! Ocorre que. O jogador principal pisou na bola e tropeçou nas próprias meias desde o começo. homem"? (1Timóteo 2:5) Ora. pois este sistema ainda é demorado demais para eles. quando a Bíblia afirma que "Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens . quando Jesus afirmou textualmente que existem apenas dois lugares para onde se vai depois da morte . meu amigo. Você conhece bem as palavras de Jesus? Anote bem esta verdade: Religião. um "resacrifício" de Jesus.. você pode acabar indo para o inferno! Jesus disse que todos nós seremos julgados no último dia pela palavra que Ele nos falou (João 12:48). e nem pretende ser. Apenas por isto. Você crê na infalibilidade dos papas. e chegam mais que depressa no seu reino de trevas.Cristo Jesus.. em todas a as línguas e dialetos? Pare e pense. perversos. Todos viajam de espaço-nave. só mesmo a da Bíblia! O resto é papo furado. 191 . não seguiria lendo o texto. que a pesquisadora não entende patavinas acerca da missa e.

a verdadeira doutrina católica. são Corpo. Mas. que é a CARNE de Jesus Cristo. Alma e Divindade de Jesus Cristo. carne que sofreu para nossos pecados e que o Pai. desde já. Jo 6.. A dificuldade por ela apresentada em aceitar a verdade da transubstanciação. a doutrina da transubstanciação não foi retirada apenas de Mt 26. Nossa "pesquisadora de religião". nossa pesquisadora usa o termo "transformação".. Sangue. como tal. com certeza. voluntariamente. 23-28. e como bebida eu desejo SEU SANGUE. 192 . Podemos ver que. do Corpo de Cristo (que é a Igreja Católica) e. conhecendo a verdadeira doutrina católica acerca da transubstanciação não aderir à mesma. com certeza. Ao contrário do que disse a nossa pesquisadora. não passa de um gnosticismo muito mal disfarçado. é de uma impropriedade notável a afirmação de que uma suposta "benção miraculosa do padre" é que operaria tal "transformação". Aliás. 19. de Mc 14. ressuscitou. A afirmação de que o pão "transforma-se" no Corpo. Lc 22. os acidentes pão e vinho permanecem. Igualmente.Comecemos. nem pelos prazeres desta vida. A afirmação no final do parágrafo (descontando-se o estilo pouco agradável da nossa interlocutora) pode ser entendida como correta. mostrando todo o despreparo da auto-intitulada "pesquisadora de religião". com a consagração. (Carta para os de Esmírnia 7:1) Pois é.. pelo que as espécies eucarísticas seguem possuindo todas as propriedades químicas de pão e de vinho. (Santo Inácio de Antioquia. como tudo o que é católico é demoníaco. a doutrina por ela chamada de "absurda" é uma das mais forte e claramente ensinadas na Bíblia que ela diz seguir. que era da descendência de David. 48-58. porque eles não confessam que a eucaristia É A CARNE DE NOSSO SALVADOR Jesus Cristo. É um mero detalhe sobre o qual. nem de longe. o Espírito Santo de Deus (e não o padre) modifica a substância do pão e do vinho. que é amor incorruptível. Alma e Divindade de Jesus Cristo é. e para falar muito pouco. O que ocorre é que. 1 Co 11. Sangue. no fundo. igualmente. Esta diferenciação entre "substância" e "acidente" é de fundamental importância para a correta compreensão do sacramento da eucaristia. muito embora este termo não expresse. Santo Inácio foi direto ao ponto fraco da "teologia" da pesquisadora de religião. não pode salvar-se. prefere o termo "transformação" porque (como se verá mais abaixo) o estudo e a compreensão de filosofia é algo típico de padres católicos. bastante imprópria. 22-24. Carta para Romanos 7:3) Eles [isto é os gnósticos] se privam da eucaristia e da oração.. e em essência. aparta-se. em sua bondade. desde o primeiro século.20. embora nunca a tenha visto. esta doutrina "absurda" é a fé unânime e retumbante de todos os verdadeiros cristãos. diga-se de passagem. De fato quem. que doravante. ela passará por cima. Apenas à guisa de exemplo: Eu não tenho gosto por comida corruptível. Eu desejo o Pão de Deus. 26-28. E. no mínimo. Ou seja. No entanto.

levado à sério. e pela mudança da qual nosso corpo e nosso sangue se nutrem.C. e está assim vivendo como Cristo ordenou. nosso Salvador. estaríamos enganados até hoje. acabaria por obscurecê-la.. Acrescente-se a este ponto. e que se lavou nas águas da remissão dos pecados e da regeneração [Batismo]. ou.) Nós chamamos esta comida Eucaristia. pobres católicos. com todo o respeito. se nossa pesquisadora. encarnou-se pela palavra do Senhor. na Bíblia. em 1 Co 11. A afirmação de que a religião católica veio da "misteriosa Babilônia" é tão incompreensível que evitarei fazer maiores comentários. Mary Schultze para afirmar as origens babilônicas do catolicismo não se sabe. 100 . estivesse correta. uma vez que Jesus Cristo. comem de um pãozinho qualquer e bebem de um simples vinho. então. nós. De que fontes gozaria a Sra. (Primeirar Apologia 66) (Dialogo com Trifão 41) Este. Não existe utilidade em uma metáfora nas frases "isto é o meu Corpo" e "isto é o meu Sangue". quando muito. que. mesmo. sem discernimento. o fato de que São Paulo. que elucida e exemplifica a doutrina que se deseja revelar. Já a afirmação da nossa pesquisadora é de uma estranheza absoluta. O MÁRTIR (C. exceto o que crê que nosso ensino é a verdade. Pois não a recebemos como comida ou bebida comuns. Ele está usando de uma metáfora útil. Nos relatos da instituição da Eucaristia.165 D. JUSTINO. é um dos mais tolos argumentos amiúde utilizados pelos protestantes para tentar negar a doutrina da transubstanciação. tornando-a simples de se entender. até hoje (pelo menos até onde eu saiba) nenhum cristão jamais tais expressões em um sentido literal. 29 afirma para que todas as pesquisadoras de todos os tempos pudessem entender: "aquele que come e bebe sem discernir o Corpo come e bebe a sua própria condenação. uma passagem é literal e quando a mesma é alegórica. Toda e qualquer pesquisa séria acerca da história do cristianismo leva à conclusão inexorável de ser a Igreja Católica a continuação natural da primeira comunidade cristã surgida em Jerusalém segundo a narrativa de At 2. são o Corpo e o Sangue do mesmo Jesus que se encarnou. O uso de uma metáfora. Até porque. a afirmação de que a Igreja Católica usa de artifícios para manter 193 . Tanto é assim que. Mesmo os mais desvairados protestantes. a comida que se fez eucaristia pela oração eucarística por Ele mesmo ensinada.Prossigamos nossos exemplos: ST. Tanto é assim. quando afirma serem os seus discípulos ovelhas. ao invés de facilitar a transmissão da idéia.. mas. Quando Jesus afirma ser uma porta. tentam lançar a esparrela de que o catolicismo teria surgido sob a batuta constantiniana (algo absolutamente pueril e sem sentido). Da mesma forma. conforme nos ensinaram. recebendo carne e sangue para a nossa salvação. ou uma videira. jamais seríamos capazes de afirmarmos quando." Resta a ela explicar qual o motivo de tão severa condenação para aqueles que. a situação é diametralmente oposta. e ninguém a mais é permitido dela participar. Bastaria Jesus ter dito "isto representa meu Corpo" e "isto representa o meu Sangue".

Portanto. houvesse ela "pesquisado" um pouquinho melhor e saberia que o próprio Lutero já afirmava: "peca fortemente. saberia que a Igreja ensina a necessidade de perseverar nas boas obras pois.. A Sra. Ao que tudo indica. Ora. não existe tempo nem espaço. adota a teoria do "liberou geral" em matéria de salvação! Acho que. Feito tal ato de fé (e aí sim!) o cristão está liberado para fazer as maiores barbaridades. no céu. Deus pode (e 194 . Portanto. Pergunta-se: esta atitude parece ser a de uma instituição ávida por enganar os seus fiéis? Compare-se com o que vemos. Não se intriga acerca de como pôde o Pai marcar um tempo para o nascimento do Messias. Contudo. nos programas protestantes de rádio e televisão." E ela acusando o catolicismo deste desvirtuamento. se existe uma religião na qual o homem não pode recalcitrar no pecado. justamente para atrair fiéis. é óbvio que. resta comentar a risível declaração de que o católico pode pecar à vontade. milagres já foram armados e arranjados.seus fiéis amarrados às suas colunas peca pela inverossimilhança. crê mais fortemente ainda. usa de cautela. qualquer um pode perder a graça da salvação. Aliás. Se assim o faz. Mary Schultze se intriga acerca de como poderia a Virgem Santíssima buscar uma alma padecente ao primeiro sábado após sua passagem se. não se pode dizer do protestantismo que. Pergunto: em que ramo do cristianismo a enganação realmente ocorre? A Sra. ela somente se intriga acerca do que lhe interessa. Aliás. ela não se intriga sobre como pôde o Pai ter marcado um dia e uma hora para julgar o mundo. ao que tudo indica. até o último momento. é o único e verdadeiro motivo pelo qual o protestantismo cresce no Brasil. é para evitar enganos justamente entre o povo mais simples e mais afeito a este tipo de erro. o protestantismo é que. E esta embromação. diariamente. visto que a salvação está garantida. sem qualquer cuidado em maiores averiguações. embora não esteja sujeito a esta limitação.). implicitamente. Mary Schultze deveria "pesquisar" a embromação que. francamente. para nós.. sempre que. em nossa realidade. ocorre em muitas igrejolas de beira de esquina. no além (segundo ela). Curiosamente. diariamente. algo sobrenatural ocorreu. de fato. tal religião é a católica! O mesmo. nem de como pôde o Pai marcar datas em diversas profecias bíblicas. que faz a Igreja? Investiga. exige comprovações científicas de que. Ora. verdadeiramente. se conhecesse. E Deus se revela para nós. onde tudo é marcado pelo tempo e pelo espaço. em geral.. estas duas realidades existem. não existe calendário (é cada uma que temos de responder. vejam só.. surge um relato de um suposto milagre ou de uma suposta aparição. Qualquer espirro é dado como milagre e decantado aos sete ventos. pois.. em meios católicos. diga-se de passagem. contudo. Por fim. Portanto. prega a salvação eterna de todos os que aceitaram a Jesus como salvador pessoal. não conhece patavinas acerca do catolicismo. em alguns casos. Nossa pesquisadora.. mais uma vez este detalhe escapou à nossa pesquisadora. contudo. Ora.

. usar de honestidade em nossas argumentações. o pão é sempre ázimo sob pena de ilicitude do sacramento)." Ou ela é capaz de provar. Portanto. apenas. permanecendo mortal. mas o Espírito Santo que desce sob as espécies. O que. não é de observância obrigatória para todos os fiéis. a fundo. E. O texto acima é tão incongruente que fica até difícil comentá-lo. Precisamos. E. apenas de um poema. é rigorosamente impossível. sendo que. por fim (e isto é o mais importante) pelo fato de que o que se "transforma" no Corpo de Jesus Cristo é. que. o ministro do sacramento. O Padre é. Com relação ao escapulário do Carmo. com isto.quero ver nossa pesquisadora dizer que Ele não o pode!) sentir o passar do tempo e medir a variação de espaço. se Ele pôde marcar um dia e uma hora para julgar a humanidade. ter contribuído para amenizar a "intriga" que sente nossa pesquisadora acerca desta assunto. pelo fato do pão ser moreno e fofo (nos cultos católicos. apenas. Portanto. Como disse a Sra. a água e a farinha de trigo amalgamadas. Primeiramente. então. usando o escapulário. A autora de afirmação tão estapafúrdia deveria. Ficaremos aguardando surgirem as provas desta acusação. isto é. pelo fato do Padre ter afirmado possuir um "poder" de transformar o pão fofo no Corpo e o vinho no Sangue de Jesus Cristo. Ele pode. a acusação feita ou então nós é que podemos. se alguém colocar arsênico (ou qualquer outra substância) no meio da massa do pão eucarístico. aliás. desconsiderar tais acusações e tomálas por conta de nada. Eu gostaria que a Sra. que revela o desconhecimento do "poeta" acerca do verdadeiro catolicismo. em segundo lugar. A receita começa a desandar com a afirmação gratuita de que "nenhum sacerdote católico crê no que prega". a salvação de uma alma no purgatório não depende da quantidade de missas rezadas em intenção de sua alma.. embora não contradiga a fé católica. realmente. trata-se. Ao contrário do que supõe nossa pesquisadora. provar que conhece. Espero. convenhamos. parece que nossa pesquisadora desconhece estes rudimentos. sua salvação final está garantida. pelo que teria feito muito bem o padre em não comer do pão consagrado se a estória fosse verdadeira. 195 . quem realiza a transubstanciação não é o padre. o pão. Maria o retirará do purgatório no primeiro sábado após a sua morte. marcar um dia e uma hora para enviar Nossa Senhora ao purgatório resgatar uma alma padecente. detalhadamente. Poema. esta substância não se muda no Corpo de Jesus Cristo. Novamente. Mary Schultze. Mary Schultze tornasse público os dados e as fontes de que dispõe para fazer a afirmação de que as missas rezadas pelas almas padecentes têm rendido ao Vaticano "alguns bilhões de dólares anuais. a graça dada aos que o usam teria sido uma revelação particular. sem qualquer dor na consciência. permanecendo intacta. no caso. contudo. igualmente. os mais íntimos sentimentos de todos os sacerdotes católicos do mundo. Traduzindo em miúdos: ninguém é obrigado a acreditar que. Ainda que jamais alguém se lembre desta alma.

para rebatê-la. ao morrer. no campo da semântica. e quais provas ela teria de que os mesmo foram. do cristianismo. ela sabe muito bem o que se passa no inferno (caso em que ela deve mostrar as suas fontes). Será que. Mary Schultze. onde estão. Agora. Com isto. O leitor. verdadeiramente. ela não vale nada. ao próprio Deus. pelo que. E os recalcitrantes que provem o contrário! Ela poderia ter parado por aí. depois de algo tão destemperado. citando certos "manuscritos corrompidos do Novo Testamento". Será que ela conversa. esta afirmação revela a mais absoluta falta de senso cristão que circunda os escritos desta pesquisadora. corrompidos (por quem. por definição. e não inventado.. que cada um dê. então. uma vez que. apenas.A gratuidade desta afirmação é tão berrante que. Nós também não podemos provar a validade desta assertiva. Das duas uma: ou ela fala do que não sabe (e. Como desgraça pouca é bobagem. com o "cramunhão"? Por fim. O primeiro. ela comete dois pecados de uma só vez. A história mostra. neste caso. O segundo pecado ela cometeu no campo da história. tudo o que ela diz deve ser levado em conta de coisa nenhuma). como. ou. com clareza mediana. desafio a pesquisadora a provar que a Carta aos Hebreus condena o sacrifício da Missa. Afinal de contas. Seguindo em sua verborragia pomposa. Mary Schultze???? Francamente. aos escritos dela. pela Igreja. ela se julga no direito de condenar as almas dos católicos à perdição eterna. nestes dois mil anos fizeram. possuídos. segundo ela. às vezes. confira a citação feita por nossa pesquisadora. ninguém sabe ao certo. Respondo por mim: eu creio em tudo aquilo que ensina a Santa Igreja Católica. Mas. Ninguém "inventa" uma tradição. porém desprovida de qualquer seriedade. Quem sabe ela não o tenta? As coisas. com um estilo bastante peculiar. como parece que a pesquisadora adora afirmações gratuitas. saiu-se com mais uma: a Igreja Católica manda milhões de almas para o inferno. "tradição" é algo recebido. posso citar aqueles que estão do meu lado: todos os grandes teólogos. que já teria ido longe demais. afirmou que a Igreja "inventa" suas tradições. quando. eu deverei prestar contas à Sra. diariamente. pois algo só é tradicional se provado pelo tempo. por favor. para que qualquer pesquisador pesquise à vontade. poderíamos nos limitar a uma outra afirmação gratuita: todo sacerdote católico crê no que prega. que os dogmas católicos são seguidos e acatados desde o primórdio do cristianismo. a pesquisadora. ao que tudo indica. Que manuscritos são estes. se a pesquisadora quiser. onde e para quê?). e.. o valor que quiser. poder este que cabe. tornam-se tão absurdas que começam a beirar o risível. tal como a da Sra. 196 . a pesquisadora saiu-se com outra pérola. doutores e santos que. e todos os papas estão fadados à condenação. a viga mestra da humanidade.

ao menos. conforme o próprio Jesus ensinou: o demônio é o pai da mentira. quando se manifesta solenemente acerca de um ponto de fé ou de doutrina. Lutero pensava exatamente assim.Trata-se da parábola do pobre Lázaro. 23 comporta. em todo o trecho. a Imaculada Conceição de Maria. confiabilidade e infalibilidade idênticas à da Bíblia) afirma. a própria Bíblia ensina que Jesus foi. Relativamente à afirmação de que Maria se confessou pecadora e necessitada de um Salvador. nem com o inferno. nesta esteira. ela citou uma passagem que: a) não afirma que só existe o céu e o inferno. Mary Schultze ao escrecer estas linhas. 23. Traduzindo em miúdos: para provar que somente existe o céu e o inferno (e. se comporta uma. Com o trecho acima. dizendo-se pesquisador de religião. Assim. o céu e o inferno. Mary Schultze provou-se desqualificada para debater sobre o catolicismo. comportar duas. não tem como conhecer o catolicismo. perfeitamente.. b) afirma que. Tomada ao pé da letra. Vá entender. Qualquer pessoa que desconhece o verdadeiro significado do dogma da infalibilidade papal. 197 . não erra). Jesus jamais afirma que existe. a regra de Rm 3. A primeira e mais contundente delas: ela jamais se confessou pecadora! Desafiamos esta senhora a transcrever um trecho bíblico em que Maria afirme algo do tipo: "sou pecadora". o espírito de enganação e de mentira que moveu a Sra. apenas do Seio de Abraão. local intermediário e que não se confunde nem com o céu. O absurdo da história é que Jesus fala. Textos deste jaez. semelhante a nós. somente. mas pode pecar. que não existe o purgatório). A Tradição da Igreja (de exatidão. Enfim. No entanto. não existem! Esta afirmação (principalmente quando posta entre aspas.. c) não afirma que não exista o purgatório. ao afirmar que todos pecaram. E. 23. Portanto. simplesmente. existe o Seio de Abraão. ela sequer sabe o que é e significa o dogma da infalibilidade papal (em resumo: o Papa. põe-se a comentar o catolicismo (que. teríamos que chegar à conclusão que Jesus Cristo também pecou. O Papa é infalível. se a Bíblia pode estabelecer uma exceção à regra de Rm 3. dando a entender que se está citando. previamente. pode. e. supõe-se. como no caso. E. Aliás. simplesmente. Afinal. uma lástima. textualmente. a Sra. desde o princípio. pesquisado por quem o está comentando). estabelece uma regra sem estabelecer qualquer exceção. teria sido. Afinal. visto que a definição de parte substanciosa do que é e do que deixa de ser doutrina católica passa por este dogma. ou "cometi vários pecados". literalmente um texto bíblico) revela a má-fé. temos duas observações a fazer. Este desconhecimento é im perdoável em quem. além do céu e do inferno. exceto quanto ao pecado. a letra de Rm 3. uma exceção. em tudo. a Tradição (com a mesma autoridade) também o pode.

depois de muito pensar. se nem a Bíblia. Importam argumentos e contra-argumentos. o profundo desconhecimento da autora acerca do catolicismo. Bem. Os maiores pensadores da humanidade. cremos. donde se conclui que a preguiça de raciocinar é muito maior no lado de lá do que no de cá. Bastaria uma "pesquisa" meio centímetro mais aprofundada. não posso deixar de imaginar este vômito do Demônio contra àquela que deu à luz o Varão que irá. não orariam uns pelos outros. de que Maria "confessou-se pecadora". na área de apologética. 15: "A Serpente vomitou contra a Mulher um rio de água. tornaram-se católicos. Mary Schultze) de que "existe apenas um intercessor entre Deus e os homens: Jesus Cristo". usualmente. as secções "Imagens e Santos" e "Maria Santíssima"). e que. nos ilumine a todos. nem a "praxis" universalmente aceita pelos cristãos (inclusive pelos próprios protestantes) são capazes de convencer a nossa pesquisadora. diretamente. acesse. O próprio Deus. Com relação a esta questão. Deus. e nossa pesquisadora não teria cometido tal gafe. Apenas gostaríamos de ressaltar que a própria Bíblia nos dá conta da intercessão dos santos. há algo de demoníaco em todos os ataques repletos de ódio que os protestantes fazem em relação à Virgem Maria. sequer os protestantes levam a sério a assertiva (citada pela Sra. Portanto. Que Deus. antecipou a salvação à Maria. com vários textos que rebatem argumentos tão pueris (o leitor interessado. no fundo." Ao ler a falsa afirmação. quem sou eu para fazê-lo? Limito-me a estas poucas palavras. referindo-se à Maria). no mérito da questão. E. rebatemos todos os argumento apresentados neste texto. nem a Tradição. católicos. E o foi antecipadamente. por parte da autora destas linhas. A Igreja jamais ensinou que Maria não foi salva por Jesus. ainda. desde o princípio da Bíblia. Já a afirmação de Maria ter-se confessado "necessitada de um Salvador" pode ser levada à sério. tendo em vista os méritos de Seu Filho. nós. Aliás. estamos muito tranqüilos. pela intersecção da Virgem. são os protestantes que. com relação à "preguiça de raciocinar". Mas isto não importa. já afirmara que poria uma inimizade entre o demônio e a Mulher (evidentemente. novamente. reger todas as nações da Terra. muito embora a mesma reflita. que os primeiros cristãos (desde o primeiro século) criam na mesma. fato dramaticamente descrito também em Ap 12. que. uma vez que contamos. Ela o foi. tornou-se um recipiente digno para àquele que iria santificar todo o mundo. 198 . Se a aceitassem.De fato. para fazê-la submergir. nos escrevem cartas repletas de contradições e de subjetivismos. não entraremos. no próprio VS. nascendo imaculada.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->