MOÇÃO OS

DOS

PROFESSORES

DO

AGRUPAMENTO SÃO

PEDRO DO

MAR - QUARTEIRA
ABAIXO ASSINADOS,

PROFESSORES DO

AGRUPAMENTO SÃO

PEDRO DO DE

MAR - QUARTEIRA,

REUNIDOS NO DIA VINTE E SETE DE

OUTUBRO

2008,

SOLICITAM A SUSPENSÃO DO NOVO

MODELO

DE

AVALIAÇÃO

DE

DESEMPENHO,

INTRODUZIDO PELO

DECRETO REGULAMENTAR

2/2008 . OS PROFESSORES

JUSTIFICAM ESTA SOLICITAÇÃO COM A NECESSIDADE DE RECENTRAR A SUA

ATENÇÃO NAQUELA QUE É A SUA

"PRIMEIRA

E FUNDAMENTAL MISSÃO", ENSINAR.

NÃO

QUESTIONAMOS

A

AVALIAÇÃO

DE

DESEMPENHO

COMO

INSTRUMENTO

CONDUCENTE

À

VALORIZAÇÃO DAS SUAS PRÁTICAS DOCENTES, COM RESULTADOS POSITIVOS NAS APRENDIZAGENS DOS ALUNOS DE E PROMOTOR DO DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL.

CONSIDERAMOS

QUE

A

AVALIAÇÃO

DESEMPENHO

CONSTITUI ASSUNTO DEMASIADO SÉRIO, QUE DEVE RESULTAR DE UMA

AMPLA E SÉRIA DISCUSSÃO, NÃO DEVENDO, POR ISSO, ESTAR SUSTENTADA EM ARBITRARIEDADES, DESCONFIANÇA E VAZIO DE CONTEÚDO.

ADVOGAMOS

UM MODELO DE AVALIAÇÃO RESULTANTE DE

UM AMPLO DEBATE NACIONAL ENTRE PROFESSORES, SEUS LEGÍTIMOS REPRESENTANTES E A TUTELA, CONSISTENTE, QUE MOTIVE OS PROFESSORES E FOMENTE A QUALIDADE E O PRESTÍGIO DA ESCOLA PÚBLICA.

O MODELO

DE

AVALIAÇÃO

REGULAMENTADO PELO

DECRETO REGULAMENTAR

N°.

2/2008

NÃO ASSEGURA A JUSTIÇA, A IMPARCIALIDADE E O RIGOR, NEM VALORIZA, DE FACTO, O

DESEMPENHO DOS DOCENTES.

BASTOU-NOS
EQUIDADE.

APENAS ALGUMAS SEMANAS DE AULAS, PARA QUE CONCLUÍSSEMOS QUE ESTE

MODELO NÃO É CAPAZ SEQUER DE SER INSTALADO, QUANTO MAIS APLICADO, COM UM MÍNIMO DE

NESTE

SENTIDO, PREOCUPÁMO-NOS EM DAR CUMPRIMENTO ÀS FUNÇÕES QUE NOS TÊM SIDO

ATRIBUÍDAS DE FORMA A ULTRAPASSAR AS PRINCIPAIS DIFICULDADES COM SERIEDADE E COM O MÍNIMO DE CONSEQUÊNCIAS ADVERSAS PARA TODOS.

RECONHECEMOS, 4/2008
DE

DE FORMA CLARA, PELA LEITURA E ANÁLISE DO

DECRETO REGULAMENTAR N°
DE

5

DE

FEVEREIRO

E DO

DECRETO REGULAMENTAR N° 2/2008 CCAP: «OS

10

DE JANEIRO

A IMPORTÂNCIA DE SEGUIR AS RECOMENDAÇÕES DO

INSTRUMENTOS DE REGISTO

1

SÃO ELABORADOS E APROVADOS PELO CONSELHO PEDAGÓGICO DOS AGRUPAMENTOS DE ESCOLAS OU ESCOLAS NÃO AGRUPADAS TENDO EM CONTA AS RECOMENDAÇÕES QUE FOREM FORMULADAS PELO CONSELHO CIENTÍFICO PARA A AVALIAÇÃO DE PROFESSORES».

O CCAP

RECOMENDA QUE

«O

PROGRESSO DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS NÃO SEJA

OBJECTO DE AFERIÇÃO QUANTITATIVA», SERÁ LÓGICO A SUPRESSÃO DOS DESCRITORES REFERENTES A ESTE TEMA, NA

DIMENSÃO B: «MELHORIA

DOS RESULTADOS ESCOLARES DOS ALUNOS E

REDUÇÃO DAS TAXAS DE ABANDONO ESCOLAR TENDO EM CONTA O CONTEXTO SÓCIO-EDUCATIVO».

AVERIGUOU-SE MINISTÉRIO
DA

A

MANIFESTA

INCOMPATIBILIDADE

ENTRE

AS

INFORMAÇÕES

PRESTADAS

PELO

EDUCAÇÃO

E AS ORIENTAÇÕES DO

CCAP.

ASSIM,QUESTIONAMOS: 1. QUAL 2. QUAIS
ESTÃO AS

É A LEGITIMIDADE DO

CCAP? AS CCAP,
DE

SÃO AS MEDIDAS QUE PREVALECEM?

RECOMENDAÇÕES DO DE

COMO

REFERENCIADO
DO

NO

DECRETO REGULAMENTAR N° 2/2008
DA

10

JANEIRO,
ÓRGÃOS ELAS

DIRECTRIZES

MINISTÉRIO
O

EDUCAÇÃO
DE

OU

AINDA

DE

OUTROS

EXISTENTES

COMO

CONSELHO

ESCOLAS,

DIRECTRIZES

TAMBÉM

CONTRADITÓRIAS?

3.

DEVE

RETIRAR-SE DA

DIMENSÃO B -

O

DOMÍNIO B1 «MELHORIA

DOS RESULTADOS

ESCOLARES DOS ALUNOS

CONTRIBUTO DO DOCENTE E CUMPRIMENTO DOS RESPECTIVOS

OBJECTIVOS INDIVIDUAIS» COM TODAS AS IMPLICAÇÕES DAÍ DECORRENTES?

NÃO

É LEGÍTIMO QUE A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS PROFESSORES E A SUA PROGRESSÃO NA

CARREIRA SE SUBORDINE A PARÂMETROS COMO O SUCESSO DOS ALUNOS, O ABANDONO ESCOLAR E AVALIAÇÃO ATRIBUÍDA AOS SEUS ALUNOS. RESPONSABILIDADE DO PROFESSOR.

PARÂMETROS

ESTES QUE NÃO SÃO EXCLUSIVAMENTE DA

O

HORÁRIO DE TRABALHO DOS PROFESSORES IMPOSTO PELO ESCASSO PARA RESPONDER ÀS INÚMERAS

MINISTÉRIO
E

DA

EDUCAÇÃO
QUE LHE

É

DEMASIADO

TAREFAS

FUNÇÕES

SÃO

2

ATRIBUÍDAS

OU

SOLICITADAS.

DEZ

OU

ONZE

TEMPOS

DE

TRABALHO

INDIVIDUAL

NÃO

SÃO

SUFICIENTES PARA A PLANIFICAÇÃO DE AULAS, A ANÁLISE DAS ESTRATÉGIAS MAIS ADEQUADAS, A CRIAÇÃO DE RECURSOS DIVERSIFICADOS E INOVADORES, A ELABORAÇÃO DE RECURSOS PARA OS APOIOS EDUCATIVOS E PARA OS ALUNOS QUE EXIGEM UM ENSINO DIFERENCIADO, A PREPARAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DIAGNOSTICA, FORMATIVA E SUMATIVA, A CORRECÇÃO DOS MESMOS, A REFLEXÃO SOBRE OS RESULTADOS, A REFORMULAÇÃO DE PRÁTICAS, TUDO ISTO MULTIPLICADO POR UMA MÉDIA DE CEM ALUNOS; CINCO, SEIS OU SETE TURMAS; TRÊS, QUATRO OU CINCO NÍVEIS.

PARA

ALÉM DESTAS FUNÇÕES, HÁ AINDA A PARTICIPAÇÃO NAS REUNIÕES DOS ÓRGÃOS DE GESTÃO

INTERMÉDIA SEM ESQUECER A DINAMIZAÇÃO/PARTICIPAÇÃO EM ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES E DE INTERVENÇÃO NA COMUNIDADE EDUCATIVA.

COM

QUE LEGITIMIDADE IMPÕE O

MINISTÉRIO

DA

EDUCAÇÃO

AOS PROFESSORES UMA AVALIAÇÃO

QUE LHES VAI CONSUMIR O TEMPO E A ALMA COM REUNIÕES, PAPÉIS E RELATÓRIOS, EM PREJUÍZO CLARO DA SUA VIDA PESSOAL, FAMILIAR E, SOBRETUDO, PROFISSIONAL, PORQUE, QUER QUEIRAMOS QUER NÃO, OS PRINCIPAIS LESADOS SERÃO SEMPRE OS ALUNOS.

POR

TUDO ISTO, OS PROFESSORES SIGNATÁRIOS DESTA MOÇÃO, NÃO RECONHECEM NESTE MODELO

DE AVALIAÇÃO QUALQUER EFEITO POSITIVO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO E DO SEU DESEMPENHO PROFISSIONAL.

NOME:____________________________________________________________ SITUAÇÃO PROFISSIONAL:______________________________________________

3