ACESSOS VASCULARES PARA HEMODIÁLISE

PermCath®.Acessos temporários: cateteres venosos centrais.  Acessos definitivos: fístula.  . prótese.

o ramo venoso se dilata e suas parades de espessam. Geralmente confeccionada no braço não dominante.  Indicada apenas para pacientes com IRC.   Após 30 dias. . Anastomose subcutânea de uma artéria com uma veia. possibilitando a inserção repetida de agulhas. no mínimo.

 .  Acesso fácil à punção.FÍSTULAS IDEAIS:  Fluxo arterial de no mínimo 300 ml/min. Posição confortável para o paciente durante a hemodiálise.

preserva um grande segmento da veia a ser puncionada. baixa morbidade.  .DENOMINAÇÕES:  Fístula radiocefálica: confeccionada no punho. fácil de ser criada.

DENOMINAÇÕES:  Fístula braquiocefálica: confeccionada no cotovelo. edema e isquemia do membro. difícil criação.  . alto fluxo.

 Fístula braquiobasílica.  . Fístula radiobasílica.DENOMINAÇÕES: Fístula ulnar-basílica.

COMPLICAÇÕES:  Fluxo baixo: causado pela obstrução parcial do ramo venoso devido fibrose secundária a múltiplas punções. desidratação.   Isquemia da mão: mais comum em diabéticos e idosos com aterosclerose com comprometimento da circulação. sensação de suor frio. dor na mão ao exercício. hipotensão grave ou hipercoagulabilidade. . Trombose: causada por baixo fluxo.

origem estafilocócica. calor e hiperemia.  . Pseudoaneurismas: extravasamento de sangue após a remoção das agulhas. inflamação no local.COMPLICAÇÕES:  Infecções: raras.

 Punção venosa: afastada 5 cm da punção venosa para evitar recirculação sanguínea. Punção arterial: afastada 3 cm da anastomose para evitar trombose da fístula. agulha arterial voltada para o membro e agulha venosa para o coração.   Pontos de punção: técnica de Buttonhole. .CUIDADOS DE ENFERMAGEM:  Assepsia da fístula antes da punção.

Utilizada como alternativa de acesso vascular quando há seguidas tentativas de confecção de fístula sem sucesso.  A mais utilizada é a de politetrafluoroetileno. de 6 mm de diâmetro. .

hipotensão grave e hipercoagulabilidade  . Quando infectado. mas também encontramos Escherichia coli.COMPLICAÇÕES:  Infecções: de origem estafilocócica. a prótese deve ser removida. Estenose e trombose: baixo fluxo da prótese. desidratação.

Locais mais comuns para a inserção co cateter duplo lúmen são: veias subclávias. IRC sem acesso permanente disponível. jugular interna e femoral.   Utilizado. principalmente. . Acesso vascular mais utilizado enquanto o acesso definitivo não estiver disponível para uso. em pacientes com IRA. pacientes com urgência dialítica e pacientes com IRC que perdem o acesso definitivo.

 .CUIDADOS:  Lavagem das vias.  Uso de anticoagulante. Retirada do anticoagulante.

e a escolha desse tipo de via de acesso se dá principalmente nos pacientes com problemas de confecção em acesso vascular. como jugular interna e subclávia  . Empregado exclusivamente em pacientes com IRC. É implantado cirurgicamente em veias de grande calibre.

Diálise para enfermagem: guia prático. M. .FERMI. 2 ed. 2011. R. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. V.