You are on page 1of 1

Vosso amigo a satisfao de vossas necessidades. Ele o campo que semeais com carinho e ceifais com agradecimento.

o. vossa mesa e vossa lareira. Pois ides a ele com vossa fome e procurais em busca de paz. Quando vosso amigo expressa seu pensamento, no temais o "no" de vossa prpria opinio, nem prendais o "sim". E quando ele se cala, que vosso corao continue a ouvir seu corao, Porque na amizade, todos os desejos, ideais, esperanas, nascem e so partilhados sem palavras, numa alegria silenciosa. Quando vos separais de vosso amigo, no vos aflijais. Pois o que amais nele pode tornar-se mais claro na sua ausncia, como para o alpinista a montanha aparece mais clara, vista da plancie. E que no haja outra finalidade na amizade a no ser o amadurecimento de espirito. Pois o amor que procura outra coisa a no ser a revelao de seu prprio mistrio no amor, mas uma rede armada, e somente o inaproveitvel nela apanhado. E que o melhor de vos prprios seja para vosso amigo. Se ele deve conhecer o fluxo de vossa mar, que conhea tambm o seu refluxo. Pois, que achais seja vosso amigo para que o procureis somente a fim de matar o tempo? Procurai-o sempre com horas para viver: O papel do amigo encher vossa necessidade, no vosso vazio. E na doura da amizade, que haja risos e o partilhar dos prazeres. Pois no orvalho de pequenas coisas, o corao encontra sua manh e sente-se refrescado. "O Profeta" (trecho)