FICHA FORMATIVA Português 10ºano – Módulo 2 Funcionamento da língua | O texto - coesão A Coesão Ocorre quando os fragmentos de um texto estão

ligados entre si estabelecendo determinadas relações através de uma série de mecanismos que emprestam maior harmonia textual: 1.1. Mecanismos de coesão gramatical: 1.1.1. Coesão frásica: diz respeito à ordenação das palavras na frase, à concordância
das palavras em género e/ou número e à regência das preposições - são processos linguísticos que asseguram a unidade entre os diferentes elementos de uma frase simples ou de uma oração; 1.1.2.

Prof. ª Paula do Aido Almeida

Coesão interfrásica: consiste na articulação relevante e adequada de frases ou
de sequências (segmentos textuais) assegurada por marcadores discursivos que vão para além da articulação por coordenação e subordinação;

1.1.3.

Coesão temporal: sequencialização conferida de acordo com uma lógica
temporal com recurso a advérbios, grupos nominais e preposicionais bem como através da correlação adequada entre tempos verbais;

1.1.4.

Coesão referencial: faz-se com recurso a termos ou expressões que retomam o
discurso anterior ou que preparam o que se segue, recorrendo aos seguintes mecanismos, orientados por um referente:
Anáfora – os elementos retomáveis ou anafóricos (pronomes, advérbios, deíticos espaciais e temporais) encontram-se depois do antecedente/ referente: Ex. A Maria gosta de ler, mas ela só compra poesia. a. Catáfora – o antecedente de referência vem depois dos termos anafóricos na cadeia referencial: Ex. Chamou, chamou, mas ele parecia não estar lá. Ouviam-se vozes de dentro. A casa estava toda iluminada. b. c. Elipse – supressão de elementos de modo a evitar a repetição excessiva: Ex. A casa de campo está alugada e agora [-] não pode ser vendida, pois os donos [-] são pessoas de palavra.

1.2. Mecanismos de coesão lexical – ocorre através de mecanismos de: 1.2.1. Repetição 1.2.2. Substituição: - sinonímia e antonímia - hiperonímia/ hiponímia - holonímia/ meronímia

EXERCÍCIOS: vamos deter-nos agora apenas na coesão lexical e referencial

A - Coesão lexical verifica-se através do uso, por exemplo, de mecanismos de repetição, substituição e subsequente expansão lexical que tornam o texto mais harmónico, porque introduzem diversas relações de sentido entre as palavras. 1. Analisa o esquema, descortinando os significados dos diversos mecanismos subjacentes às relações semânticas que podem ocorrer entre as palavras:

Copyright 2012 © Prof.ª Paula do Aido Almeida

1

2. Expande as frases acrescentando cinco hipónimos ao hiperónimo sublinhado reestruturando-as de forma lógica: a. No Inverno, as peças de agasalho são imprescindíveis. b. No primeiro dia de escola, esqueceu-se do material escolar. 3. Expande novamente as frases de forma bem estruturada, agora com três ou quatro merónimos (as partes) dos holónimos (o todo) apresentados: a. Depois das obras, a minha casa ficou muito mais bonita. b. O peixe-palhaço é notável. 4. Assinala as repetições e reformula o texto de forma coesa:
As crias ficam indefesas quando nascem e precisam de muitos cuidados. Os animais que podem esconder crias num lugar seguro, como um ninho, têm normalmente vários filhotes. Os animais que não o podem, têm apenas um ou dois filhotes, para os poderem vigiar com atenção.

5. Observa esta imagem e constrói alguns versos assentes na dualidade de relações de sinonímia e de antonímia que um jogo poético proporciona, completando o exemplo. Usa o dicionário. O teu olhar nítido e límpido … cristalino e opaco …

Magritte, O espelho falso, 1935

Copyright 2012 © Prof.ª Paula do Aido Almeida

2

B - Coesão referencial: cadeias de referência como um conjunto de termos, expressões que remetem para o mesma entidade. 6. Lê os excertos e identifica os mecanismos estudados, sublinhando o referente e a(s) sua(s) retomas ou assinalando os casos de elipse: a. É na bolsa que os mamíferos marsupiais, como o canguru, transportam os seus bebés. Nela, as crias alimentam-se de leite. É também aí que se refugiam quando se assustam ou precisam de descansar. b. O empregado veio perguntar-lhe se o jantar não estava bom. Ele respondeu que sim e comeu umas garfadas com dificuldade. Depois, João pagou e saiu. c. Gabriel era um homem rústico de aproximadamente quarenta anos. Tinha feições grosseiras, umas sobrancelhas espessas, lábios proeminentes. Ria-se alto e falava sem parar. 7. Lê os pequenos textos observando atentamente as cadeias referenciais. Preenche os espaços dos quadros à direita:

8. Lê o excerto truncado do original de Vergílio Ferreira. Reconstitui a coesão textual:
Hoje fui ver o mar. Na realidade não ia ver o mar, mas aproveitei. E à primeira impressão eu via o mar, mas não via o mar, porque via do mar apenas a realidade imediata em ondas e espuma. Foi preciso que depois deixasse vir ao de cima o que oculto se me queria revelar. Abandonei-me ao mar e deixei.
Vergílio Ferreira, Pensar, Bertrand Ed., 1995

Copyright 2012 © Prof.ª Paula do Aido Almeida

3

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful