FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO

SLAP 1
Este método visa lhe proporcionar um amplo conhecimento das técnicas do contrabaixo elétrico, demonstrando de forma teórico-prática as possibilidades técnicas deste instrumento. O seu estudo deve ser feito de maneira constante, em etapas, buscando tanto o conhecimento teórico quanto o prático. Cabe a você aluno, buscar adequar-se a técnica na qual mais se identifique, não sendo portanto obrigatório de forma alguma o domínio prático de todas as técnicas demonstradas aqui, visto que este método abrange diversas variações do pizzicatto. Estude e busque sua identidade, pois isso é o mais importante em qualquer instrumento musical. PRATIQUE SEMPRE COM AUXÍLIO DE UM METRÔNOMO! Procure ler sempre os exercícios antes de escuta-los, pois assim você estará praticando também sua leitura. Preste atenção quando estiverem indicadas digitações ou dedilhados específicos, e respeite sempre o que o exercício pede. Após dominar os exercícios (sendo capaz de tocar com segurança em intensidades e velocidades diferentes) procure criar suas próprias variações. Busque sempre um professor ou um amigo baixista que tenha mais experiência para lhe auxiliar, pois assim você terá alguém para lhe avaliar e lhe orientar na direção que deve tomar nos seus estudos. Nunca desanime diante das dificuldades, pelo contrário, encare os exercícios mais difíceis como os melhores, pois vão te fazer crescer no seu instrumento. Mantenha uma rotina constante de estudos, sem exagerar e sendo objetivo sempre. Estabeleça metas para si mesmo, e, finalmente, Boa Sorte! O Slap surgiu nos anos 60, através de grandes nomes como Larry Graham e Stanley Clarke, e que se caracteriza pelo som percussivo do dedo polegar batendo e pelo indicador puxando as cordas (estalando), sendo um recurso muito utilizado pela grande maioria dos baixistas da atualidade. Com o passar dos anos, novas técnicas foram desenvolvidas, como o “Double Thumping” (movimento que utiliza o polegar subindo e descendo similar a uma palhetada), que apesar de já ter sido utilizada muitos anos antes pelo próprio Stanley Clarke e também por Abraham Laboriel, ficou popularizada por Victor Wooten, que contribuiu muito para o seu desenvolvimento. Outro nome que não poderia deixar de citar aqui pela sua contribuição no Slap é o grande Marcus Miller, que conseguiu unir de maneira única a técnica e a musicalidade. Mais recentemente, o canadense Alain Caron levou o Slap para o mundo da improvisação jazzística. Para estudarmos o Slap devemos nos preocupar primeiramente com a definição do som e com a leitura precisa dos exercícios (uma boa prática de leitura rítmica será de grande auxílio para a interpretação dos exercícios).

Copyright Francisco Falcon 2003

tomando o devido cuidado com a sonoridade. Preste bastante atenção para definir exatamente as notas tocadas. pois a qualidade do som vem da precisão e não da força. Trata-se de um conceito errado. Preste também bastante atenção nas notas ligadas. mas sem abusar !! Inicialmente vamos trabalhar apenas com colheias. Vamos também iniciar o estudo do dedo indicador (pops). toque com pressão e firmeza. Atenção para não utilizar esforço excessivo ao puxar a corda. que tocando-se em cima dos trastes obtém-se um melhor som. visto que ao tocarmos sobre os trastes. diminuindo a definição do som. Copyright Francisco Falcon 2003 . diversos harmônicos soam junto. visando melhorar a qualidade do som e a precisão do nosso movimento.FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO 1 – Polegar ( T) / Indicador (P) Vamos primeiramente trabalhar com nosso dedo polegar. as ghost notes (notas mortas) e as pausas. e não com força excessiva. ou seja. Nosso polegar deverá se posicionar quase que paralelo com as cordas. Lembre-se: toque com pressão. e o ponto de ataque ideal localiza-se exatamente após o último traste (para melhor definição do som). ao contrário do que muitos pensam. alternando notas abafadas e pops (puxadas). Procure fazer uma leitura rítmica de cada exercício antes de toca-los.

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Copyright Francisco Falcon 2003 .

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Copyright Francisco Falcon 2003 .

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Copyright Francisco Falcon 2003 .

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Exemplo 1 – Partido Alto Copyright Francisco Falcon 2003 .

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Exemplo 2 – Samba-Funk Exemplo 3 Exemplo 4 Copyright Francisco Falcon 2003 .

FRANCISCO FALCON – TÉCNICAS PARA O CONTRABAIXO Exemplo 5 Copyright Francisco Falcon 2003 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful