P. 1
chave da teosofia

chave da teosofia

|Views: 27|Likes:
Published by PEDROCIPRIANO

More info:

Published by: PEDROCIPRIANO on Mar 04, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/08/2015

pdf

text

original

P: É o que chamamos espírito, alma e homem de carne?

T: Não, essa é a antiga divisão platônica. Platão era iniciado e,

portanto, não podia entrar em detalhes proibidos; mas quem conhece a

doutrina arcaica, encontra o número sete nas várias combinações de Platão

quanto à alma e ao espírito. Considerava o homem constituído de duas partes:

uma, eterna, formada da mesma essência que o Absoluto; a outra, mortal e

corruptível, derivando suas. partes constituintes dos deuses menores

"criados". Para ele, o homem é composto de: 1.°) um corpo mortal, 2.°) um

princípio imortal, e 3.°) "uma espécie de alma mortal separada". É o que

chamamos, respectivamente, o homem físico, a alma espiritual ou espírito, e a

106

alma animal (o Nous e psiche). Esta mesma divisão foi adotada por São Paulo,

também iniciado, que defende a idéia de que existe um corpo psíquico (alma

ou corpo astral implantado no corruptível). Até mesmo Santiago (III, 15) o

confirma dizendo que a "sabedoria" (de nossa alma inferior) não vem de cima,

mas ao contrário, é terrestre, "psíquica", "demoníaca" (veja o texto grego);

enquanto que a outra Sabedoria é celeste. Isto é tão claro que Platão e mesmo

Pitágoras ao fazerem somente três "princípios", lhes dão sete funções

separadas em suas diferentes combinações; e se compararmos isto com

nossas doutrinas, ficará evidente a concordância. Vamos fazer um apanhado

destes sete aspectos por meio dos dois quadros seguintes:

QUATERNÁRIO INFERIOR

Termos Sânscritos

Significado exotérico

Explicação

a) Rupa ou Sthula-Sharida

a) Corpo físico

a) É o veículo de todos os

demais “princípios” durante a

vida.

b) Prâna

b) Vida ou principio vital

b) necessário só para a, c, d e

as funções do manas inferior,

que abrange todas as limitações

ao cérebro físico.

c) Linga Sharira

c) Corpo astral

c) O duplo, o corpo fantasma.

d) Kama Rupa

d) Centro dos desejos animais e

paixões

d) Este é o centro do homem

animal, onde se acha a linha de

demarcação que separa o

homem mortal da entidade

imortal.

107

A TRÍADE SUPERIOR IMORREDOURA

Termos Sânscritos

Significado exotérico

Explicação

e) Manas, princípio dual em

suas funções

e) Mente, inteligente; é a mente

humana superior cuja luz ou

radiação une a Mônada durante

a vida, ao homem mortal.

e) O estado futuro e o destino

kármico do homem dependem

da gravitação de manas até

embaixo (a kama-rupa, centro

das paixões animais, ou até em

cima, a Buddhi, o Ego

espiritual. Neste último caso, a

consciência mais elevada das

aspirações espirituais individuais

da mente (manas), assimilando-

se a Buddhi, são absorvidas Poe

este e formam o Ego que passa

ao estado de felicidade

devakhânica18
.

f) Buddhi

f) A Alma Espiritual

f) O veículo do Espírito puro

universal.

g) Atmã

g) O Espírito

g) A unidade com o Absoluto,

como sua radiação.

Pois bem: o que nos ensina Platão? Ele fala do homem interno,

como constituído de duas partes: uma, imutável e sempre a mesma, formada

18

No Buddhismo Esotérico de Sinnett, d, e e f são chamados respectivamente a alma animal, a
humana e a espiritual. Embora os princípios estejam numerados no buddhismo esotérico, isto,
estritamente falando, é inútil. Só a Mônada dual (Atma-Buddhi) é suscetível de ser considerada como
os dois números superiores o sexto e o sétimo). Quanto a todos os demais, como apenas aquele
“princípio” que predomina em cada homem deve considerar-se como o primeiro e o principal,
nenhuma numeração é possível. Em alguns homens é a inteligência superior (manas ou o 5º) a que
domina o resto; em outros é a alma animal (Kama-rupa) quem reina completamente, manifestando os
instintos mais bestiais.

108

da mesma substância que a Deidade; e a outra, mortal e corruptível. Essas

duas partes encontram-se em nossa tríade superior e no quaternário inferior.

Ele explica que quando a alma, psiche, "se une ao Nous (espírito ou

substância divina)19

, passa a agir de forma reta e feliz em todas as coisas";

mas que sucede o contrário quando se deixa arrebatar por anoia (a loucura, ou

alma animal irracional). Percebemos então, aqui, manas (ou a alma) em seus

dois aspectos: quando se soma à anoia (nossa kama-rupa, ou "alma animal"

no Buddhismo esotérico) vai até o seu completo aniquilamento quanto ao ego

pessoal; mas quando se une ao Nous (Atma-Buddhi), funde-se ao Ego imortal

e imorredouro, e então a consciência espiritual do que era a personalidade,

converte-se em imortal.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->