Cronologia da BD

Pintura rupestre

Hieróglifos egípcios.

A célebre Tapeçaria de Bayeux data de 1077. Esta notável peça conta, em 70 m de tecido, a história da invasão e conquista da Inglaterra por Guilherme "O Bastardo", duque da Normandia. 1847 Uma cena com balões. Suplemento Burlesco, Patriota #960, 19-Ago-1847.

1850 Uma narração ilustrada. Revista Popular #18, 3-Ago-1850.

1857 Uma narração ilustrada. Jornal Para Rir #2 (2ª série), 13Ago-1857.

1895 The Yellow Kid O primeiro comic nos U.S.A. Os seus verdadeiros precursores foram o suíço Rudolfe Toeffer (Histórias em Estampas, 1846-47), o alemão Wilhelm Busch (Max und Moritz, 1865) e o francês Christophe (A Família Fenouillard, 1889). Mas é somente nos finais do século XIX, com o desenvolvimento da imprensa, que surgem as primeiras bandas desenhadas completas, as BD de balões, publicadas no jornal New York World e que relatavam as aventuras de um miúdo, o Yellow Kid. 16-Fev-1896 The Yellow Kid, o primeiro comic a cores. Estas narrações foram denominadas Comics porque durante 25 anos foram essencialmente cómicas. 1904 Daily Strip Primeira tentativa de criar uma tira diária - no Chicago American. 1926 Mickey - O primeiro desenhoanimado famoso. A banda desenhada com movimento! O avô dos desenhos animados foi o inventor francês Emile Raynaud, com o seu Teatro Óptico, fundado em 1888. 1929 Tarzan O primeiro comic realista desenhado por Harold Foster.

1929 Buck Rogers O primeiro herói de ficçãociêntifica. 1934 Flash Gordon O mais famoso herói de ficçãocientifica.

1934 Mandrake O famoso herói de Lee Falk.

1936 Fantasma (The Phantom) O famoso herói de Lee Falk.

1938 Superman O mais famoso herói sobrehumano.

1943 Garth O mais famoso herói inglês.

1947 Aparecem em Itália as fotonovelas. Fotografias com balões. Tarzan de carne e osso. Adaptação de um filme ao estilo da banda desenhada.

Dan Dare Desenhos com cor de relevo

Desenhos & imagens reais.

Desenhos feitos com o auxílio de computadores. Arthur em CD-ROM Banda desenhada interactiva. BD em que um objecto se anima quando lhe clicamos com o rato. Toy Story Desenhos feitos por computadores. Adaptação do cinema à BD. Fim da BD BD, literatura, TV, e cinema convergem todos para os videogames de realidade virtual.

Ascensão e Queda
O sucesso da BD ao longo dos tempos dependeu sempre do investimento dos consumidores. Quanto mais os consumidores investiam, mais as editoras podiam aumentar a quantidade de títulos publicados. Depois, os consumidores tornavam-se mais exigentes e seleccionavam as publicações com melhor qualidade de desenho/argumento/grafismo. Até aqui tudo bem, mas os tempos mudam. Quando os consumidores começam a ter mais produtos alternativos de consumo, o dinheiro começa a desviar-se para outras coisas. A BD arrancou a sério na década de 1920 e, o seu apogeu foi na década de 1940 e 1950. Desde aí, apareceram o cinema, a TV, os discos de música, os videogames, os telemóveis e o mp3... e agora as

editoras já não têm dinheiro para investir na BD. Como produto final, emergem os jogos de realidade virtual.

A Banda Desenhada
A banda desenhada é uma narrativa por imagem que normalmente vem sempre com um texto.

A estrutura da banda desenhada:

Vinheta: é cada um dos quadradinhos que formam a tira; Tira: série de vinhetas organizadas na mesma linha horizontal;

 Prancha: é uma página de banda desenhada.
O texto que aparece normalmente na forma de legendas, cartuchos e texto escrito dentro de balões.

Legenda: é um texto do narrador que, situando-se dentro da vinheta, fornece informações auxiliares de espaço e de tempo; Cartucho: é um texto, contido numa moldura geralmente rectangular, intercalada entre as vinhetas, ou apenso a elas, que ajuda à compreensão da narrativa; Balão: é um espaço na vinheta, destacado, com o bico apontado ao emissor, que contém as falas ou pensamentos das personagens.

Pode-se encontrar vários tipos de balões: Balão de fala Balão de Balão de fala Balão de fala Balão Balão Balão musical pensamento em voz em voz exclamativo interrogativo muito alta muito baixa

Na BD pode ocorrer, ainda:

    

A cor, que transmite o estado de espírito das personagens; Os signos cinéticos, que ilustram movimentos; As onomatopeias, que reproduzem sons; As metáforas visuais, que representam ideias; Os diferentes corpos de letra mais ou menos grossos, que indicam o tom de voz ou um som mais ou menos intenso.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful