You are on page 1of 1

Entendendo os projetos demonstrativos (PDA) no âmbito das políticas públicas Andrea Yumi Sugishita Kanikadan1 e Paulo Eduardo Moruzzi

Marques2
1Programa

Interunidades em Ecologia Aplicada, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, andreak@usp.br 2Programa Interunidades em Ecologia Aplicada, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo, pmarques@esalq.usp.br

O modelo de desenvolvimento pautado estritamente no crescimento econômico vem sendo amplamente questionado nas últimas décadas, sobretudo, após as experiências neoliberais dominantes a partir dos anos 1990. De um modo geral, essa crítica baseia-se em três aspectos profundamente inter-relacionados: o econômico, com aumento das desigualdades e maior concentração do poder econômico; o ambiental, com o esgotamento de recursos naturais nãorenováveis e à degradação ambiental; e o sociocultural, que pressupõe e impõe modos de vida pouco atentos aos anseios das pessoas e aspectos socioculturais. Assim, este trabalho tem como objetivo discutir em que medida os projetos demonstrativos do Ministério do Meio Ambiente (PDA-MMA) voltados para as práticas de agroecologia deveriam tornar-se políticas públicas considerando o questionamento proposto por Pierre Muller em seu livro Les Politiques Publique de como nascem e se transformam as políticas públicas. Utilizou-se como base dois projetos vinculados ao Subprograma Projetos Demonstrativos do Ministério do Meio Ambiente (PDA-MMA). São eles: o “Protagonismo juvenil no fortalecimento das comunidades quilombolas e na promoção da palmeira juçara para produção de polpa alimentar”1, envolvendo comunidades quilombolas do município de Parati (RJ), Angra dos Reis (RJ) e Ubatuba (SP); e o “plano de estruturação da Reserva Extrativista de Mandira” 2, envolvendo uma comunidade quilombola, no Vale do Ribeira, município de Cananéia (SP). Os resultados mostram que os projetos exercem forte impacto nas comunidades pesquisadas em aspectos econômicos, sociais, ambientais e culturais, compondo atividades centrais no dia a dia das comunidades. Portanto, sua existência como política pública seria aspecto fundamental para garantir a continuidade das atividades e dessa forma a sobrevivência e desenvolvimento das comunidades. The development model guided strictly on economic growth has been widely questioned in recent decades, especially after the dominant neo-liberal experiences after 1990s. In general, this criticism is based on three deeply interrelated aspects: economic, with rising inequality and greater concentration of economic power, the environment, with the depletion of nonrenewable natural resources and environmental degradation, and sociocultural, which imposes lifestyles considering little attention to the people wishes and cultural aspects. This study aims to discuss the extent to which Demonstration Projects of the Ministry of Environment (PDA-MMA) focused on the agro-ecology practices should become public policy considering the method proposed by Pierre Muller in his book Les Politiques Publique questioning how public policies rise and transform. It was based on two projects related to the Demonstration Projects Subprogram of the Ministry of Environment (MMA-PDA). They are: "Leadership in juvenile roles on the strengthening of quilombolas communities in promoting juçara palm for pulp production", quilombolas communities surrounding the town of Parati (RJ), Angra dos Reis (RJ) and Ubatuba (SP), and "The plan for structuring the Mandira Extractive Reserve, "involving a quilombola community in the Ribeira Valley, Cananeia (SP). The results show that the projects have a strong impact in these communities on economic, social, environmental and cultural core activities comprising the day to day community. Therefore, their existence as public policy would be essential for ensuring business continuity and thus the survival and development of communities.

1 2

www.quilombocampinho.org.br; www.redejucara.org.br http://www.quilombosdoribeira.org.br/comunidades/5; e-mail: neimandira@yahoo.com.br