You are on page 1of 2

Introduo A escolstica foi um mtodo filosfico durante a Idade Mdia que se caracterizava pela fuso do pensamento racional e da f crist.

A escolstica era um pensamento essencialmente cristo e procurava justificaes da f na doutrina ensinada pelo clero. Ou seja, a escolstica surgiu da necessidade de responder s exigncias da f. Os ensinamentos escolsticos eram ministrados, inicialmente, nas catedrais, mas, posteriormente, estenderam-se s universidades. A questo dos universais A questo dos universais um mtodo escolstico de investigao que objetiva definir uma relao entre palavras e coisas. A questo dos universais ou problema dos universais consiste na vontade de saber se as coisas realmente existem ou se so apenas palavras. Ou seja, a questo : os seres e objetos so realidades subsistentes em si ou simples concepes do nosso cotidiano? A posio realista Para os realistas, como Plato, as espcies so em certo sentido coisas. Para eles s os universais (elementos comuns pertencentes a indivduos do mesmo gnero ou espcie) eram reais, ou seja, s eles existiam verdadeiramente. A posio de Pedro Abelardo Para Abelardo as palavras so universais, mas no em seu sentido fsico (o som emitido), mas sim seu significado, ou seja, considerava o universal como o sentido das palavras. Assim, o significado dos nomes permitiria esclarecer os conceitos. Definia no como sendo meras palavras, embora no estabelecesse um saber real. A posio Nominalista Para os nominalistas os gneros ou espcies so apenas nomes, sem realidade fora do esprito ou da mente. Assim, o universal no existe por si s, mas um mero nome sem sentido concreto. Concluso A escolstica foi um meio de preservao do conhecimento, que no era compartilhado durante a Idade Mdia. Por meio dela hoje tm-se acesso as cincias desenvolvidas por filsofos durante a Era Medieval. Destaca-se na Escolstica as definies das espcies e gneros, que para alguns pensadores foram considerados meros nomes, ou seja mentira, pois se algo s um nome e no pode ser concreto, ento no existe e portanto no verdade. Ou

considerados coisas, ou seja verdade, pois tudo o que existe, concreto e portanto, verdade.