P. 1
avaliacao

avaliacao

|Views: 21|Likes:
Published by Jorge Pereira

More info:

Published by: Jorge Pereira on Apr 10, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/03/2013

pdf

text

original

AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO

:
UMA REFLEXÃO SEMPRE OPORTUNA

ABERTURA

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA DE TRABALHO

COMUNICADO CGEB/CIMA, de 8-12-2012

ITENS 10 e 11; INTRODUÇÃO; ITEM 2

OFÍCIO CIRCULAR GS Nº 1/2012

ASPECTOS ARROLADOS NO ITEM: 2.1. PLANEJAMENTO ESCOLAR

MOTE .

“O TRIUNFO” “TODAS AS CRIANÇAS APRENDEM” .

ELE PLANEJAVA TODAS AS SUAS BATALHAS. AINDA ASSIM. MUITO MAIS DETALHADAMENTE DO QUE QUALQUER OUTRO GENERAL.PONDERAÇÕES NAPOLEÃO DIZIA QUE NENHUMA BATALHA BEM-SUCEDIDA TINHA SEGUIDO UM PLANO PREESTABELECIDO. .

E. O GESTOR SE TORNA REFÉM DOS ACONTECIMENTOS. QUE PERMITEM A REAVALIAÇÃO DOS EVENTOS. SEM PONTOS DE CONTROLE. O GESTOR NÃO TEM COMO SABER QUAIS SÃO OS EVENTOS IMPORTANTES E QUAIS SÃO APENAS UM “RUÍDO”.PONDERAÇÕES SEM UM PLANO DE AÇÃO. .

SONDAGEM E SENSIBILIZAÇÃO EXPERIENCIANDO O PROCESSO DE LEITURA .

.OBJETIVO REFLETIR SOBRE A ASSOCIAÇÃO ENTRE A AVALIAÇÃO (subsídio) E O PLANEJAMENTO (decisão).

Leitura do texto 2. . Atividade em dupla 3. Anotar as informações relevantes para seu objetivo.COMANDA 1. que será entregue a dupla.

“Mamãe nunca está em casa na quinta-feira”. “Veja. uma vez que o encanamento arrebentara.. prata e cristais. Eles entraram pela porta lateral: Eduardo explicou que ela ficava sempre aberta para suas irmãs mais novas entrarem e saírem sem dificuldade..” Havia portas na frente . A sala de jantar. desde que meu pai mandou revestir com pedras essa parede lateral e colocou uma lareira. “Aqui é onde meu pai guarda suas coleções de selos e moedas raras”. Então. Marcos se sentiu mais confortável. Campinas. 1989) . disse Marcos. Journal of Psychology. exceto pela televisão com Atari. “É. exceto pelas três bicicletas com marcha guardadas aí. a casa mais próxima está a meio quilômetro daqui”. mas para ele era a melhor coisa do mundo. acrescentou. Pontes Editores. & Anderson. 69) (in: KLEIMAN. que estava revestido de mármore. R. porque ele ficara úmido e mofado. “Não se preocupe. O quarto de suas irmãs não era tão interessante. Altos arbustos escondiam a entrada da casa. com toda a porcelana. Taking different perspectives on a story. eu disse a você que hoje era um bom dia para brincar aqui”. que estava vazia. Eduardo Ligou o som: o barulho preocupou Marcos.Os dois garotos correram até a entrada da casa. havia três quartos no andar superior da casa. 1977. Texto e Leitor. Eduardo disse que não era para usar o lavabo. Eduardo comentou que o melhor de tudo. Eduardo mostrou a Marcos o closet de sua mãe cheio de roupas e o cofre trancado onde havia jóias. não era o lugar para brincar: os garotos foram para a cozinha onde fizeram um lanche. Eduardo começou a mostrá-la pela sala de estar. Não era tão bonito como o de seus pais. enquanto eles davam uma olhada no escritório. Estava recem-pintada como o resto do primeiro andar. “Eu não sabia que sua casa era tão grande”. A. ao observar que nenhuma casa podia ser vista em qualquer direção além do enorme jardim. Além do escritório. J. (traduzido e adaptado de Pitchert. os meninos podiam correr no jardim extremamente bem cuidado. disse Eduardo. gritou Eduardo. era que o banheiro do corredor era seu. desde que um outro fora construído no quarto de suas irmãs. disse Eduardo. Marcos queria ver a casa. atrás e uma porta na lateral que levava à garagem. mais ela está mais bonita agora.

sem informar qual era. • As duplas que tiveram o mesmo objetivo.SOCIALIZAÇÃO • Cada dupla socializará com o grupo todas as informações que acharam relevantes para o seu objetivo. . • O grupo deverá identificar pelas informações qual era o objetivo da dupla. destacar as informações que a anterior não achou relevante.

SISTEMATIZAÇÃO DA DINÂMICA • Avaliação em 03 tempos: 1 – Tempo de Admirar = Conhecer para justificar o não-sido ou Compreender para promover oportunidades? 2 – Tempo de Refletir = Corrigir tarefas ou Interpretar situações de aprendizagens? 3 – Tempo de Reconstruir = Avaliar para aprovar ou Formar para a vida? .

 Adequação à dinâmica do processo de aprendizagem.  Atividades diversificadas e diferenciadas. .  Conhecer um por um.AVALIAÇÃO FORMATIVA E MEDIADORA  Mediação como desafio e apoio adequado.  Mediar o desejo e a vontade de aprender.

ESPECIFICIDADE DA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA .

ESPECIALMENTE O QUAL CONTEMPLA AÇÕES VOLTADAS AOS PROCESSOS DE RECUPERAÇÃO.INDICATIVO 1 ATO CRÍTICO QUE NOS SUBSIDIA NA VERIFICAÇÃO DE COMO ESTAMOS CONSTRUINDO O NOSSO PLANO DE MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM DE NOSSOS ALUNOS. .

COERÊNCIA COM OS OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM PRESCRITOS NO CURRÍCULO OFICIAL E NA MATRIZ DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO SARESP.INDICATIVOS 2 e 3 AS ÁREAS DE CONHECIMENTO AVALIADAS. .

FOI PRIVILEGIADO O TRABALHO COM OS GÊNEROS TEXTUAIS: 6º ANO – EF – CONTO. 1ª SÉRIE – EM – ARTIGO DE OPINIÃO 2ª SÉRIE – EM .RESENHA .INDICATIVO 4 LÍNGUA PORTUGUESA. 7º ANO – EF – NOTÍCIA.

EM QUE OS ALUNOS DEVEM MOBILIZAR NOÇÕES E PROCEDIMENTOS MATEMÁTICOS PARA RESOLVÊ-LAS. A OPÇÃO BÁSICA FOI PELA UTILIZAÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA. .INDICATIVO 5 MATEMÁTICA.

COMUNICADO CGEB/CIMA. 8. 3. 9 . de 8-2-2012 ITENS 1. 4.

ETAPA I AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA NA PRODUÇÃO DE TEXTOS .

Cláudio Assessor de Língua Portuguesa da prefeitura de São Paulo e selecionador do Prêmio Victor Civita . porém agrupar problemas semelhantes para direcionar o planejamento de atividades capazes de corrigilos” BAZZONI.Educador Nota 10 . o objetivo não é contabilizar os erros um a um.PONDERAÇÃO "Nos diagnósticos bem feitos.

analisando. por exemplo. a posição da letra na palavra (“ç”. Proposta: Enfatize as regularidades ortográficas. nunca ocorre no início). por meio de listas. .“ÇER” Problema: Troca de letras por desconhecimento de regularidades.

presente na fala em alguns casos. . na escrita deve dar lugar a “eles procuraram”.“ELES PROCUROU” Problema: Concordância verbal. Proposta: Refletir sobre o que é considerado erro na norma culta e na linguagem falada pela comparação de textos de alunos com reportagens (“eles procurou”.

“AMANHAN” Problema: Representação da nasalização. Proposta: No caso de verbos. mostre que “am” e “na” raramente aparecem nas terminações. enfatize com listas que a terminação comum da 3ª pessoa do plural no futuro é “ão” e no pretérito é “am”. . Nas outras palavras.

pois o “gi” tem um som diferente .“SEQUINTE” Problema: Troca de consoantes. chame a atenção para a pronúncia das palavras. comentando proximidades e diferenças entre os sons (“seguinte”. Proposta: Em revisões coletivas. em vez de “sequinte” ou “seginte”.

que vem de “estar”). “estava”. é preciso memorizar a palavra e aprender que as derivações partem do mesmo radical (em vez de “tava”. Proposta: Nesses casos. .“TAVA” Problema: Inferência da fala no radical.

infinitivo ou futuro para mostrar as regularidades (“chegou”. em vez de “chego”).“CHEGO” Problema: Interferência da fala no fim de palavras. A sugestão é transcender letras de canções com verbos no passado. Proposta: Trabalhar diferenças entre a fala escrita. .

“z”. “ç”. Proposta: Revisão com destaque para as palavras grafadas erradamente. em vez de “cançada”). “c”. “x”) e faça as correções (“cansada”. Mostre uma tabela com as principais regras gramaticais de letras que representam o mesmo fonema (“s”.“CANÇADA” Problema: Troca de letras que representam o mesmo som. .

“RESSOVEU” Problema: Dificuldade com sílabas de três letras (“re-sol-veu”). . Proposta: Uma opção é destacá-las em textos e pedir que as crianças descubram o que elas têm em comum.

“DE VAGA” Problema: Segmentação Proposta: Nas revisões coletivas. . por exemplo. se grafa junto porque é um único vocábulo. destaque palavras que estejam erradamente unidas ou separadas e incentive a turma a corrigi-las percebendo a razão das canções (“devagar”.

FAZ PARTE DA APRENDIZAGEM OS EQUÍVOCOS REPRESENTAM UM INDICADOR DO RACIOCÍNIO E DO REPERTÓRIO DO ALUNO – UM CAMINHO A SER PERCORRIDO RUMO AO CONHECIMENTO. ANALISAR COMO A QUESTÃO FOI COLOCADA E INVESTIGAR O QUE O ALUNO PODE TER PENSADO NO MOMENTO AJUDA A IDENTIFICAR EM QUE CATEGORIA O ERRO SE ENCAIXA: .

CONSTRUTIVO BUSCAR ENTENDER A LÓGICA UTILIZADA. . SE UM TIPO DE RACIOCÍNIO TORNA-SE PREVISÍVEL. É POSSÍVEL ANTECIPÁ-LO.

DEVE SER PROPOSTA UMA NOVA ATIVIDADE. SE O OBJETIVO É FAZER COM QUE OS ALUNOS DOMINEM UMA ESTRATÉGIA DE RESOLUÇÃO. . DEIXANDO CLARA A NECESSIDADE DE ADOTAR UM PROCEDIMENTO ESPECÍFICO. AGORA. É PRECISO ENTENDER A ESTRATÉGIA UTILIZADA E VALORIZÁ-LA.RESULTADO DO USO DE UMA LÓGICA DIFERENTE DA PENSADA PELO PROFESSOR NESSE CASO.

É PRECISO RETROCEDER E RETOMAR O QUE NÃO FOI ENTENDIDO .CONCEITUAL NESSE CASO.

ENTÃO.POR DISTRAÇÃO É PRECISO. PEDIR MAIS CONCENTRAÇÃO NAS ATIVIDADES .

POR QUESTÃO CULTURAL DEVE-SE. PORTANTO. . CONTEXTUALIZAR O TEMA.

PONDERAÇÃO Entender as principais dificuldades dos alunos é fundamental para saber o que é mais importante ensinar. E isso deve ser feito também com as crianças que têm deficiência .

ETAPA II ESPECIFICIDADE DAS AÇÕES DE PLANEJAMENTO ESCOLAR .

OBJETIVO Sequenciar atividades. projetar um conjunto de operações contínuas e recorrentes necessárias para realizar um todo integrado .

PONDERAÇÃO Planejamento Funções da Equipe Gestora Organização Direção Controle Pessoas e Recursos Objetivos da Escola .

. Definição de planos para alcançá-los. Direção para os objetivos. Programação de atividades ORGANIZAÇÃO Recursos e atividades para atingir os objetivos.O PROCESSO ADMINISTRATIVO DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM PLANEJAMENTO Decisão sobre objetivos. CONTROLE Definição de padrões para medir desempenho. Atribuição de autoridade e responsabilidade DIREÇÃO Comunicação. corrigir desvios ou discrepâncias e garantir que o planejamento seja realizado. liderança e motivação do pessoal.

FUNÇÕES NO PROCESSO PLANEJAR • Definir objetivos • Verificar onde as coisas estão hoje ORGANIZAR • Dividir o trabalho • Agrupar as atividades em uma estrutura lógica • Designar as pessoas para execução • Alocar os recursos • Coordenar esforços DIRIGIR • Definir esforços para um propósito comum • Comunicar • Liderar • Motivar CONTROLAR • Definir os padrões de desempenho • Monitorar o desempenho • Comparar o desempenho com os padrões • Tomar a ação corretiva para assegurar os objetivos alcançados • Desenvolver premissas sobre condições futuras • Identificar meios para alcançar objetivos • Implementar os planos de ação necessária .

O PLANEJAMENTO DEFINE ONDE SE PRETENDE CHEGAR.CONCEITO NESSE SENTIDO. COMO E EM QUE SEQUÊNCIA. PLANEJAR É DEFINIR OS OBJETIVOS E ESCOLHER ANTECIPADAMENTE O MELHOR CURSO DE AÇÃO PARA ALCANÇÁ-LOS. QUANDO. . O QUE DEVE SER FEITO.

. ESTABELECE UM SISTEMA DE DECISÕES E INCLUI UMA REVISÃO PERIÓDICA DOS OBJETIVOS PARA ALIMENTAR UM NOVO CICLO DE PLANIFICAÇÃO. POLÍTICAS E DETALHA OS PLANOS PARA ALCANÇÁ-LOS.TRATA-SE DE UM PROCESSO QUE COMEÇA COM A DETERMINAÇÃO DE OBJETIVOS. DEFINE ESTRATÉGIAS.

Estabelecimento de objetivos. procedimentos (modos de execução de cada programa). A partir dos objetivos globais. 2. a escola pode fixar suas políticas (colocação dos objetivos como guias para a ação administrativa). métodos (plano para execução de tarefas) e normas (regras para cada procedimento). Resultados previamente estabelecidos. metas (alvos a atingir a curto prazo em cada segmento/ano/série/turma). que devem ser atingidos em um certo período de tempo. . Exprimem uma maneira de pensar da escola e orientam o desempenho educacional e o desempenho das partes envolvidas. Tomada de decisões as respeito das ações futuras. diretrizes (linhas mestras e genéricas de ação). programas (atividades necessárias para atingir cada meta).TRÊS FASES 1.

Produto imediato do planejamento. deverão conduzir ao alcance dos objetivos que o comandam. Nesse sentido. Todos os planos têm um propósito comum: a previsão. a programação e a coordenação de uma sequência lógica de eventos.TRÊS FASES 3. . onde e por quem. se aplicados com sucesso. quando. Elaboração de planos. os quais. ele precisa proporcionar respostas às questões: o quê. como. o plano descreve um curso de ação. constitui o evento intermediário entre o processo de planejamento e o processo de implementação do planejamento.

BOM TRABALHO A TODOS(AS)! .TRABALHO EM GRUPO DEFINA O PLANEJAMENTO E PROCEDA À ORGANIZAÇÃO (AGRUPAMENTO DAS ATIVIDADES NECESSÁRIAS) PARA REALIZAR O QUE FOI PLANEJADO.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->