You are on page 1of 23

.

.

.

.

.

.

.

.

é claro. ao fato de ter se especializado ao longo de sua história nesse tipo de investigação. O problema é que este “macro” não se reduz a um somatório. o que poderia significar uma abordagem antropológica das eleições e do voto? Não se trata. como adverte Bastide (Bastide. 1980: 253283. é a oposição entre abordagem microscópica e macroscópica que parece determinar o modo como este debate tende a ser colocado: os antropólogos estudam o “micro” e outras ciências humanas se preocupam em dar conta do “macro”. se torne incapaz de atingir os níveis superiores. àquele desenvolvido há muito tempo pela filosofia e ciência políticas. diga-se de passagem. do mesmo modo. do desvendamento de processos fundamentais que atuam. A idéia de uma “divisão do trabalho” entre essas disciplinas. nos grandes e pequenos objetos (cf.7 Neste contexto. de um estudo meramente suplementar. como em física. assumir a forma de uma simples “miniaturização” ou “parcelização” da realidade abrangente. o “micro” não é um “macro” reduzido a dimensões que imaginamos mais fáceis de controlar e esclarecer. mas atravessam diferentes unidades sociais. se a “sociologização” da abordagem do comportamento eleitoral não se limitar a uma simples –mesmo que ampla. como na microfísica. Além de perder de vista fenômenos fundamentais.“contextualização” de ações individuais concebidas em termos lógicos e conseguir perceber como as estruturas sociais e simbólicas não apenas circunscrevem aquelas ações. uma excessiva confiança nos métodos ditos quantitativos. as variáveis que operam em um plano não são as mesmas que funcionam no outro. Neste sentido. certamente. o “marginal”. nem mesmo a um produto simples. A passagem do “macro” ao “micro” corresponde a uma efetiva mudança de nível. Trata-se na verdade de um processo de “molecularização”. Na verdade. 1979: 139). de inúmeros “micro” justapostos. uma parte dos obstáculos identificados pelo debate terá sido removida (Palmeira. passim). . uma das grandes possibilidades da antropologia é contribuir decisivamente para o mapeamento desse plano microscópico – e isso devido.tituições… -quanto seus pressupostos – racionalidade. 1992: 30). onde as últimas abordariam as grandes questões deixando aos antropólogos a tarefa de analisar o que foi por elas deixado de lado. entretanto. por definição. ou seja. Deleuze e Guattari. de modo que. foi devidamente posta em questão por Moacir Palmeira: Acredito que. indivíduos ou não. a conseqüência desta postura é. que. ideologia… . ou mesmo complementar.situam-se neste nível. incutindo-lhes significado. Esta contribuição não pode.