P. 1
bio aula 05

bio aula 05

|Views: 1|Likes:

More info:

Published by: Thiago Abreu da Silva on Apr 22, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/07/2014

pdf

text

original

Ambientes de Sedimentação

Prof. Dr. Renato Pirani Ghilardi Dept. Ciências Biológicas UNESP/Bauru - SP

FLUVIAL Configuração e velocidade dos rios depende de: Topografia, regime pluviométrico, constituição litológica e o estado erosivo do rio Corredeiras- causadas por desníveis aumentando velocidade do rio

FLUVIAL

Eixo do rio- região de maior velocidade do rio.

FLUVIAL Erosão Fluvial Montante. -formação de vales em V .região de maior erosão devido aos sedimentos.

diminuição velocidade -deposição de fragmentos maiores -formação de vales em V mais abertos .menor declividade.FLUVIAL Erosão Fluvial Região mediana.

FLUVIAL Erosão Fluvial Jusante. formação de Deltas .encontro com o mar.

FLUVIAL

Padrões de Drenagem: -Dendrítico -Paralelo (declividade acentuada) -Radial (cones vulcânicos) -Treliça (tributários paralelos entre si)

FLUVIAL

FLUVIAL

Drenagem em relação ao substrato: -Conseqüente –correm na declividade do terreno -Subseqüente- curso controlado por descontinuidades do substrato -Obseqüente- correm em sentido oposto à declividade)

FLUVIAL Morfologia de rios -retilínio -meandrante -anastomosado -entrelaçado .

FLUVIAL .

FLUVIAL .

FLUVIAL Fases de um rio Fase juvenil: excesso de energia. erodindo em profundidade Fase madura: energia suficiente apenas para transporte Fase senil: deposição de detritos mais grossos fazendo o vale se alargar formando uma planície onde o rio meandra Rejuvenescimento: aumento da pluviosidade ou soerguimento a jusante. .

FLUVIAL Transporte de sedimentos a) b) c) d) solução em suspensão arrastamento saltos .

FLUVIAL Sedimentação -Depósitos de Piemonte (leques aluviais) -Canal Fluvial -Dique Marginal -Barra de Meandro -Meandro Abandonado -Dique rompido -Planície de Inundação .

FLUVIAL .

FLUVIAL Estruturas -Gretas de Contração .

FLUVIAL Estruturas -Marcas Onduladas .

FLUVIAL Estruturas -Estratificação Cruzada .

DESÉRTICO Áreas onde a evaporação é maior que precipitação Regiões subtropicais de alta pressão .

DESÉRTICO Áridas (100mm) a semi-áridas (500mm) Camadas de sais na crosta – verniz-do-deserto (Chile) .

DESÉRTICO Regiões do Deserto a) Deserto Rochoso (Hamada)superfície rochosa exposta pela ação do vento .

DESÉRTICO Regiões do Deserto b) Deserto Pedregoso (Reg)fragmentos heterogêneos de rochas .

DESÉRTICO Regiões do Deserto c) Erg .

DESÉRTICO Regiões do Deserto d) Oasis .

DESÉRTICO Regiões do Deserto d) Oasis .

DESÉRTICO Regiões do Deserto e) Sabkha .

DESÉRTICO Regiões do Deserto e) Sabkha .

DESÉRTICO Regiões do Deserto f) Wadi .

Corrasão.rebaixamento do terreno .impacto de partículas em rochas. polindo-as .DESÉRTICO Transporte Eólico Erosão: –Deflação.

Saltacional .DESÉRTICO Transporte Eólico Transporte: Suspensão. Rolamento.

DUNAS Elevação deforma regular com características resultantes de deposição contínua de partículas transportadas pelo vento .

DUNAS Pode ser formada por acúmulo (verdadeiras) ou por obstáculos (falsas) .

DUNAS Tipos -Barcana.Lua crescente .

DUNAS Tipos -Seif (Longitudinal) .

DUNAS Tipos -Transversal .

DUNAS Tipos -Estrela .

DUNAS Feições -Grãos foscos (não polidos) -Marcas Onduladas -Boa seleção e arredondamento .

DUNAS Estrutura -Estratificação Cruzada .

em parte sub-aquosos. em parte subaéreos depositados em um corpo de água (lago ou mar). primariamente pela ação de um rio .DELTAS Depósitos sedimentares contínuos.

DELTAS Seqüência -Exposição de fluxo confinado -Mudanças hidrostáticas (abertura no confinamento) -Deposição (pode sofrer ação de processos marinhos) -Formação de Deltas .

DELTAS .

DELTAS Fatores Controladores -regime do rio -processos costeiros -tectônica -fatores climáticos .

DELTAS Sub-ambientes -Planície Deltáica -Frente Deltáica -Pró-Delta .

DELTAS Classificação Morfológicos -Lobado -Alongado -Em cúspide -Franja .

DELTAS Classificação Genética -altamente construtivos (lobado e alongado) -altamente destrutivos (cúspide e franja) .

GLACIAL -Gelo agente erosivo muito forte -Áreas: regiões polares e montanhas com grande altitude (degelo menor que precipitação) -Linha de neve: posição altimétrica em relação à altitude -Neve: formada pela cristalização do vapor de água no interior ou um pouco abaixo das nuvens -Ocorre em todas as latitudes .

onde a precipitação de neve é maior que o degelo .GLACIAL Geleiras grandes e duradouras massas de gelo formadas nas regiões continentais.

GLACIAL Tipos Alpino (geleira de vale).acúmulo maior de gelo nos vales das montanhas .formação de circos glaciais .

decorrente das altas latitudes nunataks.áreas mais montanhosas .GLACIAL Tipos Continental (Inlandsis).

áreas mais montanhosas .decorrente das altas latitudes nunataks.GLACIAL Tipos Continental (Inlandsis).

GLACIAL Icebergs.desprendimentos das geleiras podem causar maremotos. principalmente em Fiordes maior de 75m de altura -9X mais para o interior) e 600 de comprimento .

GLACIAL Icebergs.desprendimentos das geleiras podem causar maremotos. principalmente em Fiordes maior de 75m de altura .

GLACIAL Tipos Piemonte.formada em região montanhosa mas que se espalha em grande área ao redor da montanha .

GLACIAL Movimentação de geleiras Alguns metros por ano Fenômeno do regelo (pressão e temperatura formando água) Plasticidade do gelo A movimentação se dá em maior velocidade fora das áreas de atrito Formação de fendas Formação de estratificação .

GLACIAL Ablação fenômeno de degelo da parte superficial das geleiras formando os firns (limite entre área de degelo e área de gelo constante) .

basais e centrais) . frontais.GLACIAL Erosão do gelo Morena: acúmulo de detritos (laterais.

GLACIAL Erosão do gelo Gletscherschliff Polimento de rochas (se abaulada recebe o nome de Moutonnée) .

GLACIAL Erosão do gelo Gletscherschliff Polimento de rochas (se abaulada recebe o nome de Moutonnée) .

GLACIAL Erosão do gelo -Formação de estrias (fragmentos maiores de rocha sulcando a rocha) -Próprios seixos podem se erodir formando padrões característicos (facetados e polidos) .

.GLACIAL Erosão do gelo -Vales em “U” contrastando com vales fluviais.

fendas iniciais separando o gelo da parte rochosa .GLACIAL Erosão do gelo -Bergschrund.

rocha formada pelo acúmulo de detritos carreados pela geleira (quando não consolidado recebe o nome de Till) .GLACIAL DEPÓSITOS GLACIAIS .estrias nos seixos (facetados e não esféricos) Tilito.total ausência de alteração química por intemperismo .

sedimentação em lagos glaciais Ritmitos formados pela alternância de sedimentos claros e escuros .GLACIAL DEPÓSITOS GLACIAIS Varvitos.

600Ma.GLACIAL TEORIAS SOBRE A GLACIAÇÃO Três de grande monta (Pré-Cambriano. 13 mil anos) Sem ciclicidade ocupando 30% da área continental atual . Pleistoceno. Paleozóico superior. 200Ma.

GLACIAL a) argumentos geográficos -fenômenos atmosféricos e oceânicos devido a movimentação dos continentes -Cenozóico disposição igual a atual b) argumentos geofísicos -grandes massas continentais permitiriam a maior dispersão das geleiras c) argumentos astronômicos -variações no movimento da Terra em relação ao Sol -sincronismo entre hemisférios. fato não observável d) argumentos cósmicos -nuvens cósmicas eventuais dispersando os raios solares .

GLACIAL TEORIA SNOW-BALL -surgimento repentino dos táxons em decorrência de um planeta coberto por gelo .

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->