APOSTILA COM FÓRMULAS PARA FABRICAÇÃO DE TINTAS INK JET/ DESK JET PROJETOS DE DEIONIZADORES

1) FORMULAÇÕES PARA PREPARO DAS TINTAS:
Composição Química:
Lembrando o artigo do Eng. Hernán Murúa, publicado na revista na ReciclaMais Nº 12 (www.reciclamais.com), todas as tintas possuem via de regra 3 componentes principais: Veículo, aditivos e tingentes. O veículo, para as tintas que usamos, via de regra é água (deionizada ou tri-destilada). Os aditivos ou sistemas solventes guardam atrás de si seus segredos, e é com eles que as principais características da tinta são controladas. E finalmente os “tingentes”, que efetivamente dão a cor da tinta, podendo ser totalmente solúveis em água (Corantes) ou emulsões (Dispersão de pigmentos insolúveis). O correto balanceamento dos componentes são cruciais para a qualidade final das tintas.

Corante Recomendada: 81 % 5% 12 % 2% Água Deionizada Corante Dietileno Glicol Álcool Isopropílico

Corante Alternativa I 10,0 – 15,0% 6,0% 2,0% 5,0 – 1,2% 1,2 71,8 – 76,8% Corante Mowilith DM 760 Etanol Propileno Glicol Água Deionizada

Corante Alternativa II 10,0 – 15,0% 6,0% 5,0 - 1,2% 0,2% 75,8 – 80,8% Tinta pigmentada 2,5 – 5,0 % 68,5 – 66,0% 18,0% 0 – 4,6% 2,8% 3,6% Pigmento Água Deionizada Dietileno Glicol Trietanolamina N-metil–2-pirrolidone Isopropanol Corante Polivinilpirrolidone Propileno Glicol Fongrabac IG Água Deionizada

2) FORMA DE PREPARO:
Preparação de aproximadamente um litro de tinta corante da fórmula recomendada. Para as outras formulações o princípio é o mesmo. 1. Coloque em um recipiente de plástico: 810 ml de Água Deionizada Quente, 50 Gramas de Corante. Misture os dois componentes muito bem, até água quente dissolver totalmente o corante. 2. Depois, adicione 20 ml de Álcool Isopropílico. 3. Misture os três componentes até não haver resíduos e obter homogeneidade. 4. Depois dessa mistura pronta, adicione 120 ml de Dietileno Glicol. Misture novamente os componentes e deixe por cerca de 1 hora. 5. Depois teremos que filtrar essa tinta para outro recipiente. Para Filtrar use um coador de tecido com uma camada de algodão. 6. Pronto, a tinta esta pronta para o uso.

3) DETALHES IMPORTANTES:
1. O corante deve ser adicionado aos poucos (nunca de uma só vez), para não provocar a formação de grumos, o que irá dificultar na solubização. 2. A água e todos os componentes devem ser isentos de bactérias ou fungos, a fim de evitar a formação de colônias na tinta, uma vez que os pigmentos e corantes utilizados na sua maioria são orgânicos - um excelente meio de cultura. 3. A água deve ser deionizada, a fim de não interferir em nada a condutividade elétrica da tinta, além de não oferecer quaisquer pontos de nucleações de pigmentos e/ou corantes, que vão entupir o cartucho. 4. Deve-se ter filtragem para 0,05 microns, para que não haja também nucleações de futuros entupimentos.

4) DICAS PARA A FABRICAÇÃO DE TINTAS A BASE DE ÁGUA:
 Se a viscosidade da tinta for muito alta, use Amônia. Isto fará com que a tinta flua sem reduzir a intensidade de cor rapidamente. Atenção: O uso da amônia é corretivo e não deve ser uma regra,

pois o uso prolongado da amônia danifica as cabeças de impressão, principalmente de impressoras EPSON, que fica na impressora, diferente dos cartuchos HP que apenas diminuem a vida útil reduzindo o número possível de recargas.  Para melhorar a performance de secagem, utilize uma mistura 5050 de água e álcool isopropílico. Tome o máximo cuidado em não aumentar a porcentagem de álcool. Adicione aos poucos faça o teste de secagem até obter o tempo adequado.  Para aumentar o PH das tintas, utilize Amônia. Uma ou duas tampas cheias devem resolver o problema. Vale a mesma recomendação feita no início quanto ao uso da amônia.  Para Retardar a média de secagem e facilitar a limpeza da impressora, utilize Glicol Propileno. Adicione em quantidades de 1% até a impressão tornar-se limpa.  Filtros especiais para para filtragem de tinta pode se encontrar em http://www.techfilter.com.br/ são extremamente recomendáveis, pois a qualidade da tinta depende da filtragem e também do uso de corantes micro-filtrados.  A cada adição de algo à tinta, deixe misturar por alguns minutos, para que todo o produto fabricado apresente características uniformes dentro do resultado esperado.  Registre em papel ou no computador, tudo que for adicionado, bem como suas quantidades. Não confie na memória. Este procedimento pode poupar dores de cabeça e garantir a qualidade do produto final.  A validade das tintas é de 2 dois anos o chamado Off shell, tempo que a tinta fica estocada sem perder a qualidade  A forma de estocagem e armazenamento é em frascos plásticos e temperatura de ambiente normal. Proteger os frascos da incidência de calor e luz solar diretos.  Antes de comercializar seu produto, faça testes exaustivos, para poder obter uma qualidade aceitável pelo mercado. Não substitua componentes a esmo e não use produtos não adequados a fabricação de tintas para impressoras, como por exemplo corantes não específicos para tintas.  Ao manipular produtos químicos, utilize sempre equipamentos de proteção, tais como óculos, máscara facial, touca, luvas e guardapó e mantenha sempre os pés com calçados fechados. Mantenha

os produtos longe de crianças e animais. Por exemplo o Dietileno Glicol provoca a morte se ingerido. Em caso de acidentes, siga as recomendações do fabricante do produto e procure um médico. Não compre produtos químicos sem a correta identificação do fabricante sobre composição, peso, forma de armazenamento, data de validade e indicações do que deve ser feito em casos de acidentes.

5) PRODUTOS QUÍMICOS USADOS E SUAS FINALIDADES:
1. ÁGUA - Baixa a Viscosidade das tintas à base de água. Baixa também o pH. 2. GLICOL PROPÍLICO - Para retardar a média de secagem das tintas à base de água. Pode ainda ser usado para evitar a impressão suja. Deve-se adicionar em pequenas quantidades. 3. ÁLCOOL ISOPROPÍLICO (Isopropanol, 2-propanol, isopropil álcool) - Aumenta a média de secagem das tintas à base de água. Adicione em pequenas quantidades: de 1 a 4%. Deve ser armazenado em recipientes a prova de fogo e guardado em local bem ventilado. 4. TRIETANOLAMINA (Tri(2-hidroxietil)amina; TEA; Aminotrietanol etilamina; 2,2,2-Nitriloetanol) - Neutralizador, Retarda a média de secagem da tinta. Sua comercialização é controlada pelo Exército Brasileiro, por ser um precursor do agente vesicante nitrogênio mostarda. 5. N Metil-2-Pirrolidone - Dispersante e Homogenizador. 6. ETANOL (alcool etílico) – Controle do tempo de secagem da tinta.

6) FORNECEDORES
DELAWARE Rua Morretes, 376 – Porto Alegre - RS Fone: (0XX51) 3341-0812 Propileno Glicol 1L R$ 12,00 BENZOL Rua Faustolo, 1760 - Lapa 05041-001 São Paulo - SP PABX: (0xx11) 3865-3524

e-mail: benzol@benzol.com.br Glicol 1l R$ 35,00 Neutralizante 1l R$ 35,00

RUDNIK http://www.rudnik.com.br/Qualidd.htm 011 4617-8400 Glicol Quant. Mínima 215 Kg Trietanolamina Quant. Mínima 225 kg QUIMIDROL 0800 470255 ou (0xx47) 425-2696 email: televendas@quimidrol.com.br A Quimidrol possui uma linha direta para atender seus clientes, tirar suas dúvidas, fazer cotações e efetuar seus pedidos. Propileno Glicol 1 litro R$ 18,00 R$ 2,30 Kg R$ 2,50 Kg

DIETILENO GLICOL Best Química Ltda. Rua Jacuí, 475 DIADEMA - SP (11)4091-7300 Web Site: http://www.bestquimica.com.br e-mail: bestquimica@bestquimica.copm.br DIETILENO GLICOL Carbono Química Ltda. Estr. Part. Eiji Kikuti, 391 - Cooperativa SÃO BERNARDO DO CAMPO - SP (11)4393-4600 Web Site: http://www.carbono.com.br e-mail: carbono@carbono.com.br DIETILENO GLICOL PROPILENO GLICOL

COSMOQUIMICA IND. E COM. LTDA. Rua Bernardo Wrona, 389 - Limão SÃO BERNARDO DO CAMPO - SP 0800-116633 Web Site: http://www.carbono.com.br e-mail: carbono@carbono.com.br PROPILENO GLICOL

CORANTES PAINT JET DO BRASIL Ismael Cavalheiro Fone: (11) 5034 – 1332 / 9781 – 3876 e-mail: cavalheirojet@bol.com.br
  
AMARELO 250,00 O Kg, EM PÓ. RENDE EM MEDIA 20 LITROS AZUL 280,00 O Kg EM PÓ, RENDE EM MEDIA 20 LITROS MAGENTA 60,00 DÓLARES O Kg LíQUIDO SUPER MICRO FILTRADO(NA COR EXATA PARA HP OU EPSON) RENDE EM MEDIA 7 LITROS.

FSM Com. e Rep. Ltda. (Representante Comercial) R. Aristarco Nogueira, 413 - Jardim Merci – 13206-380 - Jundiaí - SP Fone/Fax: (0 xx 11) 4815-4123 e-mail: fsm@farkon.com.br CORANTES EM GERAL

OROPLAST Rua Maria Aparecida Cardia, 330 - V. Friburgo 04781-010 São Paulo – SP 011 5521-7366 Internet: http://www.oroplast.com.br/ Embalagens Plásticas diversos modelos e tamanhos. EMPLAST Internet: http://www.chempak.com.br/emplas.htm

Embalagens Plásticas diversos modelos e tamanhos.

Para outros produtos químicos e alternativas aos fornecedores acima relacionados acesse http://www.guiaquimico.com.br que é o site do

GUIA QUÍMICO, onde você encontrará uma relação completa de empresas que comercializam produtos químicos e materiais correlatos.

LEITURA RECOMENDADA:  TINTAS E VERNIZES – Universidade de Caxias do Sul  SOLVENTES – O QUE VOCÊ DEVE SABER  COMO ESCOLHER A TINTA CERTA – Cássio A Rodrigues

7) PROJETOS CASEIROS DE DEIONIZADORES
Projeto I Material necessário:  04 pedaços de cano de PVC de 75mm (Largura e altura, depende da quantidade de resina e carvão necessário).  08 End Cap (tampão de cano de PVC)  10 emendas de mangueira de aquário  Mangueirinha de aquário (tamanho depende da distância entre: filtro/torneira e filtro/recipiente)  300g de Carvão ativado (quantidade proporcional ao tamanho do cano de PVC usado para o pré filtro)  Resina mista ,Aniônica e catiônica 1Kg de cada  07 Pedaços de Perlon cortados no diâmetro do cano.  Fita veda-rosca (“firlon”)  Cola Super – Bonder  01 Bico plástico de mangueira de jardim Durepoxi  01 Vela de filtro Pozzani Onde encontrar o material: Lojas de aquário, casa de materiais de construção, jardinagem e lojas de materiais filtrantes. Montagem: Com ferro quente, fure todos os end-caps bem no meio, até passar metade das emendas de mangueira de aquário (faça passar bem justo, sem deixar folga). Vede bem com super-bonder ou cola de silicone. Monte primeiro o pré filtro de carvão ativado e a vela de filtro: Em cada End-cap preparado, coloque por dentro uma “bolachinha” de perlon, para que não passe pedaços de carvão pelos furos. Tape um dos lados do cano com um end-cap preparado (NÃO COLE OS ENDCAPS!) Se não ficar firme, use a fita veda-rosca. Encha com carvão até a boca (encha mesmo!!) e coloque o outro end-cap na outra extremidade. Pronto! Faça o mesmo com os canos para colocar a resina. Detalhe: a granulometria da resina é bem menor, portanto, capriche na rodelinha de perlon aí sim pode lacrar.(Forçadamente, SEM COLAR!!) O perlon serve para não deixar ir nem vir partículas de resina. Pegue o bico plástico de mangueira de jardim e uma emenda de mangueira de aquário, estas peças servirão para preparar o bico de mangueira para o diametro de entrada do deionisador. Ele deverá ser

“entupido” na ponta pelo durepóxi. Faça um furo na lateral (com o ferro quente), coloque e cole a emenda de mangueira. Pronto. Coloque o bico na mangueira e manda bala! Considerações Gerais:  Não cole os end-caps!  A água deve percorrer o filtro de baixo para cima, desta forma ela é forçada a passar por toda a resina  Quanto mais alto seu filtro, mas eficiente ele será. Evite usar canos de diâmetros maiores que 100mm.  Jamais deixe que a resina fique seca. Portanto, quando o filtro não estiver em uso, ambas as pontas das mangueirinhas (entrada e saída) devem ser mantidas em um nível ACIMA do compartimento da resina, deixando o filtro sempre com água.  O fluxo da água deve ser bem lento para melhorar a filtragem da água.  Faça testes sempre que possível, para poder efetuar a troca das resinas.  Este sistema pode ser “suspenso” com o uso de abraçadeiras ( fotos) ou utilizado de pé, para isto cole um pedaço de tubo na parte debaixo dos caps.  Tome cuidado para não deixar transbordando! Perdi as contas de quantas vezes larguei lá, transbordando água “boa”! Observação: O cano que usei foi de 75mm de diâmetro, 45cm de comprimento para o compartimento de resina (comprada na DESMI FILTROSSP) Coube 1Kg de resina dentro + o perlon. Procure adquirir testes de Silicato , fosfato e nitrato para poder ir monitorando a qualidade da água e ação das resinas.

Fotos do Deionizador

fotos de Christian lima

PROJETO II Rafael Augusto Gregatti - www.myreef.hpg.com.br Material necessário:  Dois pedaços de cano de PVC (medida e espessura, depende da quantidade de resina e carvão necessário)  Quatro end caps(tampão de cano de PVC)  Cinco emendas de mangueira de aquário  Mangueirinha de aquário (tamanho depende da distância entre: filtro/torneira e filtro/recipiente)  Carvão ativado(quantidade proporcional ao tamanho do cano de PVC usado para o pré filtro)  Resina mista (aniônica e catiônica)  Pedaços de Perlon(“rodelinhas” da espessura do cano)  Fita veda-rosca(“firlon”)  Cola super-bonder  Bico plástico de mangueira de jardim  Pedacinho de durepoxi Onde encontrar o material: Lojas de aquário, casa de materiais de construção e lojas de materiais filtrantes. A resina é encontrada em lojas de filtros, eu sempre compro em DESMI FILTROS DO BRASIL Como montar: Com ferro quente, fure os end-caps bem no meio, até passar metade das emendas de mangueira de aquário (faça passar bem justo, sem deixar folga). Vede bem com super-bonder ou cola de silicone. Monte primeiro o pré filtro de carvão ativado: Em cada End-cap preparado, coloque por dentro uma “bolachinha” de perlon, para que não passe pedaços de carvão pelos furos. Tape um dos lados do cano com um end-cap preparado(NÃO COLE OS END-CAPS!) Se não ficar firme, use a fita veda-rosca. Encha com carvão até a boca(encha mesmo!!) e coloque o outro endcap na outra extremidade. Pronto! Faça o mesmo com o cano maior para colocar a resina... Detalhe: a granulometria da resina é bem menor, portanto, capriche na rodelinha de perlon aí sim pode lacrar...(Forçadamente, SEM COLAR!!) O perlon serve para não deixar ir nem vir partículas de resina... Pegue uma emenda de mangueira, ela servirá para preparar o bico de mangueira de plástico. Ele deverá ser “entupido” na ponta pelo

durepóxi. Faça um furo na lateral (com o ferro quente), coloque e cole a emenda de mangueira. Pronto. Coloque o bico na mangueira e manda bala!

Considerações:  Não cole os end-caps!  A água deve percorrer o filtro de baixo para cima, desta forma ela é forçada a passar por toda a resina  Quanto mais alto seu filtro, mas eficiente ele será. Evite usar canos de espessuras maiores que 100mm.  Jamais deixe que a resina fique seca. Portanto, quando o filtro não estiver em uso, ambas as pontas das mangueirinhas(entrada e saída) devem ser mantidas em um nível ACIMA do compartimento da resina, deixando o filtro sempre com água.  O fluxo da água deve ser bem lento para melhorar a filtragem da água.  Tome cuidado para não deixar transbordando! Perdi as contas de quantas vezes larguei lá, transbordando água “boa”! Observação: O cano que usei foi de 5cm de diâmetro, 45cm de comprimento para o compartimento de resina (comprada na DESMI FILTROSSP) e 20cm para o pré-filtro... Coube 500g de resina dentro. Carvão usado foi Aquafauna. Ele está “amarrado” na grade da janela da cozinha, onde o bico vai direto da torneira). Gastei menos de vinte reais(dez reais foi da resina) e vale a pena. Esse foi apenas um teste. O próximo será bem maior!!
01 - Mangueira de aquário ou silicone 02 - Cano de PVC 03 - End cap 04 - Emenda de mangueira 05 - Carvão ativado 06 - Resina deionizadora 07 - Recipiente 08 - Torneira

8) COMPARAÇÃO ENTRE TINTAS PIGMENTADAS E NÃO PIGMENTADAS
Introdução:

FONTE: http://www.inkpress.com.br/art.htm

As tintas para impressão a jato de tinta para as máquinas SOHO são, por diversas razões, como a baixa toxicidade e a não flamabilidade, constituidas basicamente por água, co-solventes, aditivos e material corante. Enquanto que a composição de líquidos é amplamente variável tanto em tipo quanto em proporção, para o material corante há apenas dois extremos para escolha, os pigmentos ou os corantes. Iremos expor as características principais de ambos e discutir sobre o sangramento entre cores e pretos. Características Principais de Tintas para Impressoras de Jato: As impressoras de jato de tinta SOHO funcionam segundo o princípio DOD (Drop on Demand, Gotejamento à Solicitação) onde o jato de tinta é ejetado por esforço piezoelétrico ou termodinâmico quando há uma solicitação na forma de um pulso elétrico. Para estas máquinas as características principais de qualificação podem ser divididas em quatro grupos(1) :
Item Segurança Confiabilidade Aspecto Secagem

característica Atóxico Não Inflamável

Gota constante Uso contínuo e intermitente Estabilidade Química

Coloração Resolução

Taxa elevada

obtenção

Seleção de componentes não inflamáveis e atóxicos

Balanceamento e seleção de cosolventes e corantes

Balanceamento de Balanceamento propriedades físico- de propriedades químicas tinta/papel

Caracterizando tintas segundo estes critérios podemos compara-las e decidir sobre a sua adequabilidade a um dado uso. Comportamento de dispersão: A característica que define uma molécula corante como pigmento não é o seu tamanho, é a sua solubilidade no meio em que é exposto. Um corante verdadeiro é solúvel no meio sendo mantido disperso em uma solução monofásica com pouca tendência de aglomeração. Um pigmento não é solúvel no meio devendo sua sustentação a forças brownianas e à interação com um dispersante, formando uma dispersão homogênea e apresentando maior tendência à aglomeração. Essa

tendência à aglomeração leva a um aumento no tamanho das partículas presentes assim normalmente as partículas de pigmento são maiores (50 a 100 nm) que as partículas de corantes (menores que 50 nm)(2). Isto pode acarretar na necessidade de maiores cuidados na filtração e no armazenamento de tintas pigmentadas. Diferenças de Comportamento: O objetivo da Hewlett-Packard com a introdução de pigmentos em suas tintas pretas era apenas obter maior resistência à luz (lightfastness) e à água (waterfastness) (3). Como vantagens adicionais aparentemente podiam ser contadas um melhor espalhamento de gotas, uma secagem mais rápida(4) e uma maior nitidez de contorno(5). Em nenhum momento encontra-se na literatura referências ao melhor comportamento frente a mistura com cores (menores sangramentos) e são ligeiras as citações de pretos mais profundos. Em contrapartida as tintas pigmentadas apresentam menor estabilidade, ocasionando entupimento com maior facilidade e cores menos vibrantes levando a um preto menos profundo(6). Comparação qualitativa: Na tabela abaixo temos a comparação entre propriedades de tintas pigmentadas e não pigmentadas comuns. Tabela I : Comparação entre Tintas
Imagem ID Pigmentada Não Pigmentada I S Hue I S IS S I Resistência WF S I LF S I Estabilidade TS S I OS S I Confiabilidade -------------------I S

Notas:
       

S= superior, I= inferior. ID: Densidade de imagem. Hue: Contraste; IS: Nitidez, quanto menor o sangramento entre cores mais nítida a imagem WF: Resistência à água; LF: Resistência à luz

TS: Estabilidade térmica; OS: Estabilidade oxidativa.

Cores A gama de cores de um jogo de tintas primárias é definido pelo maior contraste de cada cor. Por outro lado quanto maior o contraste menor a resistência à luz. Como a gama é normalmente o mais importante para tintas coloridas, as tintas não pigmentadas, são usualmente as mais indicadas(1). Pretos Para as tintas pretas as propriedades de resistência e estabilidade podem ser consideradas tão importantes quanto as de imagem e confiabilidade deixando a escolha entre tipo de material corante antes como uma diferença de conceituação entre fabricantes. Além disso temse notado o aparecimento de tintas pigmentadas de elevada estabilidade e alta densidade de imagem enquanto as tintas não pigmentadas vem experimentando um aumento em sua nitidez, resistência à água e estabilidade térmica. Secagem, Nitidez e Sangramento A secagem de uma tinta para jato ocorre pela soma da evaporação de solventes e pela penetração pelo papel, como vemos(7)

Quanto mais poroso o meio, mais rápida é a secagem, contudo, também o espalhamento lateral será maior, diminuindo a nitidez. Nas tintas pigmentadas a penetração do líquido ocasiona a deposição do pigmento, aumentando a nitidez. Este depósito é de difícil resuspensão levando a uma maior resistência à água. Por outro lado como a molécula de pigmento é muito mais simples que a de corante ela esta menos sujeita ao ataque dos raios luminosos e à decomposição térmica. Nas tintas não pigmentadas estas propriedades não podem ser atingidas através do material corante, contudo elas podem ser aproximadas pelo uso de composições balanceadas e aditivos adequados, até mesmo o sangramento pode ser controlado pela adequada seleção não apenas da tinta preta como também da tinta colorida. É exatamente isto que fabricantes como a Seiko - Epson ou a

Canon fazem em suas máquinas. É a omissão do raciocínio acima que baseia a maioria das idéias relativas à superioridade das tintas pigmentadas. Conclusão Fez-se um resumo das características de tintas pigmentadas e não pigmentadas explicando-se brevemente a razão para a diferença entre estes sistemas de tingimento. Concluiu-se que não é apenas o material corante que determina as propriedades das tintas e portanto que a seleção de um sistema de tingimento depende antes de um balanço entre as propriedades desejadas e o pacote de tintas, podendo ser otimizada por cada fabricante.
Referências:
1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. Big Moment Writing Company consulting material on Ink Jet Printing ‘Ink Jet Printers Tutor’ PC Magazine 09/03/99 iss. ‘Laser-Comparable Inkjet Text Printing’ Jaime H. Bohórquez et al. HP Disclousure Journal Feb. 1994 Ink Jet Book Vol IV U.S. Pat. 5,662,734 ª Crystal Pro Ink Brochure ‘Progress and Trends in Ink-jet Printing Technology’ Hue P. Le JIST Vol. 42 #1 Jan./Feb. 1998

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful