A MAIS NOVA VIVENTE Autor:- Antonio Herrero antonioherreroantonio55@gmail.

com Era ela uma promessa de vida, com muito amor concebida, estava tão dependente, mas se mostrava existir; este pinguinho de gente nesta barriga crescida desta mamãe cuidadosa, que há poucos meses estava em estado interessante. Em uma manhã radiante, no começo do dia na hora do sol nascente, ouvia se choros de nenê, que gritava incessante, estava vindo ao mundo e se mostrava bravia este projeto de vida, neste semblante inocente. Agora já está esperta, já sabe bem o que quer ninguém ouça contraria-la, que ela fica nervosinha, se esperneia e berra alto, ficando bem vermelhinha. Esta criança sapeca, malandrinha, corre pra lá e pra cá, fazendo estripulia. Gritando sorrindo alegre, quebrando os objetos por onde passa, depois sorri achando graça. Ela faz a diferença, é um projeto de gente, com este rostinho tão lindo, já sabe pedir e exigir; este pinguinho de nada é uma criança inocente. Hoje; ela quebrou um copo, derrubou o relógio no chão, pois o dedo na tomada gritou e ficou assustada, puxou o rabo do gato, bateu no focinho do cão. Pequena e levada tem apenas mais de um aninho, a poucos dias se engatinhava, se movia pelo chão. Desequilibra e cai, anda apressadinha, segura na cortina, se embaraça no tapete, se encanta com o reflexo, da tela da televisão. Agora a neném pequerrucho, esta toda perfumada, depois de um belo banhinho, vai dormir para descansar, para depois retornar as mesmas estripulias. Deitada em seu bercinho sonhando com seus anjinhos, vivendo novas emoções. Agora está tudo em silêncio, não há brinquedos jogados, nem assoalho molhado, está sossegado o gatinho, e dorme folgado o cão. A menininha traquina, não esta incomodando, depois de muito trabalho a mamãe arrumou tudo, a mofada o tapete, guardou o par de sandálias, juntou os cacos de vidros. Parece um terremoto, mas é uma bebezinha, autora desta bagunça, de tanta destruição.