You are on page 1of 16

Rodovias Brasileiras

De acordo com definições no Anexo I do Código de Trânsito, são vias rurais de rodagem pavimentadas. No Brasil corresponde a uma via de transporte interurbano de alta velocidade, que podem ou não proibir o seu uso por parte de pedestres e ciclistas, sendo de fácil identificação por sua denominação no caso de federais são chamadas pelas iniciais BR-XXX (onde XXX é o código de cada rodovia) e as estaduais de ABXX(X) (onde as letras AB representam o código do Estado brasileiro e o XXX ou XX é o código da estrada). No Brasil, houve um grande aumento na construção de rodovias mediante a criação do DNER (atual DNIT) acarretando em um grande aumento nas pavimentações. As Rodovias Federais dividem-se em: rodovias radiais com códigos do tipo BR-0x0, cuja quilometragem é iniciada a partir de Brasília; rodovias longitudinais, com códigos iniciados com BR-1xx começando a partir do litoral; rodovias transversais iniciadas com BR-2xx; rodovias diagonais iniciadas com BR-3xx e rodovias de ligação iniciadas com BR-4xx.

Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT)
O Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) é um órgão federal brasileiro vinculado ao Ministério dos Transportes. Ele é submetido ao regime autárquico comum criado pela lei 10.233 de 5 de junho de 2001 que reestruturou o sistema de transportes terrestre e aquaviário do Brasil, extinguindo o antigo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER). É o órgão responsável pela manutenção, ampliação, construção, fiscalização, e elaboração de estudos técnicos para a resolução de problemas relacionados ao Sistema Federal de Viação como também do tráfego multimodal de pessoas e bens. De acordo com a lei 10.233, o DNIT é o órgão da união competente para exercer as atribuições elencadas no art. 21 da lei 9.503/1997 (Código de Trânsito Brasileiro). Ou seja, o DNIT é o órgão executivo rodoviário da União. O rol de atribuições do DNIT, agindo como órgão rodoviário da União é extenso, sendo competente até mesmo para aplicação de multas por excesso de peso, e através de redutores eletrônicos de velocidade (lombadas eletrônicas). No dia 27 de julho de 2011 o Ministério dos Transportes informou no início da noite, por meio de nota, que o diretor de Infraestrutura Ferroviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Geraldo Lourenço de Souza Neto, pediu exoneração hoje. Segundo a nota, o pedido foi recebido pelo ministro Paulo Sérgio Passos e será encaminhado à Presidência da República. Isso foi como consequência de uma crise deflagrada no Ministério dos transportes com relação a suposto superfaturamento de obras.

.3 km 1. que têm o sentido de quilometragem do sul para o norte. CE Barra Grande. A quilometragem é medida nesse sentido. As rodovias federais radiais são aquelas que tem sua origem na rodovia DF-001 (também conhecida como Via EPCT ou Anel Viário de Brasília) e rumam em direção aos extremos do país. SP Bela Vista. Deveria ligar Brasília ao extremo norte do país. sempre nos múltiplos de dez e no sentido horário. sendo que uma delas ainda não foi construída: Identificação BR-010 BR-020 BR-030 BR-040 BR-050 BR-060 BR-070 BR-080 BR-090 Sentido norte nordeste leste sudeste sul sudoeste oeste noroeste Extremidade Belém. Foram planejadas 9 rodovias federais radiais.Tipos de Rodovias no Brasil Rodovias federais radiais O Sistema Viário Nacional classifica as rodovias federais do Brasil em 5 tipos. as rodovias radiais são identificadas pelo primeiro dígito "0".025.5 km 1. Rodovias Longitudinais Rodovia longitudinal é a denominação recebida pelas rodovias federais brasileiras que cruzam o país no sentido Norte-Sul.9 km  A '''BR-090''' é uma rodovia radial que nunca saiu do papel. BA Rio de Janeiro.954. sendo apenas idealizada no plano das Rodovias Federais Brasileiras.1 km 2.9 km 1. O sentido de quilometragem começa na DF-001 (Via EPCT) tendo o quilômetro zero de cada estado no ponto da rodovia mais próximo à capital federal.139.158. e os outros dois variam entre 10 e 90. Pelas regras de nomenclaturas das rodovias federais.317. RJ Santos. GO (projeto) Extensão 1. sendo um deles o radial.3 km 1. MS Cáceres.7 km 227.329. As únicas exceções deste caso são as BR-163 e BR-174. PA Fortaleza.0 km 1. MT Uruaçu.038.

Varia de 50 a 99 entre a Capital e o extremo oeste. Lista de rodovias transversais           BR-210 BR-222 BR-226 BR-230 BR-232 BR-235 BR-242 BR-251 BR-259 BR-262 . Lista de Rodovias Longitudinais               BR-101 BR-104 BR-110 BR-116 BR-120 BR-122 BR-135 BR-146 BR-153 BR-154 BR-155 BR-158 BR-163 BR-174 Lista de rodovias transversais Rodovia transversal é a denominação recebida pelas rodovias federais brasileiras que cruzam o país no sentido leste-oeste. A quilometragem dessas rodovias é sempre medida nesse sentido.Identificação    Nomenclatura: BR-1XX Primeiro Algarismo: 1 (um) Algarismos Restantes: A numeração varia de 00 a 50. e de 50 a 99 entre a capital e o extremo sul. no trecho que vai do extremo leste do País até Brasília. Identificação    Nomenclatura: BR-2XX Primeiro algarismo: 2 (dois) Algarismos restantes: a numeração varia de 00 a 50 no trecho que vai do extremo norte do país até Brasília.

ou uma rodovia a alguma localidade próxima. Identificação . ainda. Identificação    Nomenclatura: BR-3XX Primeiro algarismo: 3 (três) Algarismos restantes: a numeração pode variar de 01 a 99. Lista de rodovias diagonais                BR-304 BR-307 BR-308 BR-316 BR-319 BR-324 BR-356 BR-361 BR-363 BR-364 BR-369 BR-376 BR-381 BR-386 BR-393 Rodovias de ligação Rodovia de ligação é a denominação recebida pelas rodovias federais brasileiras que unem duas rodovias federais entre si. ou. que não possam ser classificadas em nenhum dos outros tipos.          BR-265 BR-267 BR-272 BR-277 BR-280 BR-282 BR-283 BR-285 BR-290 BR-293 Rodovias diagonais Rodovia diagonal é a denominação recebida pelas rodovias federais brasileiras que cruzam o país em dois modos de orientação: noroeste-sudeste ou nordeste-sudoeste. ou às fronteiras internacionais.

Em relação à largura e circulação de automóveis. guard rail. de forma que. Manutenção . que dificultam conversões ou retornos irregulares. pista múltipla. já que torna mais difícil que dois veículos colidam frontalmente em alta velocidade. inclusive. etc. uma rodovia pode ser de pista simples.se a rodovia estiver ao norte de Brasília. As rodovias de pista dupla são aquelas que possuem duas faixas de rolamento em cada direção (ou sentido) com barreira física central. muretas. o A BR-450 está totalmente localizada no Distrito Federal.: BR470. triplas.podendo haver. cada sentido de circulação possui uma pista própria. o canteiro e que possui outras barreiras meios-fios (guias). Ex. As de pista simples são aquelas em que há somente um pavimento asfáltico. pistas duplas. que é compartilhado pelos veículos nos dois sentidos de circulação (mão dupla). quádruplas. Lista das principais rodovias de ligação             BR-401 BR-459 BR-460 BR-463 BR-465 BR-469 BR-470 BR-476 BR-484 BR-488 BR-493 BR-497 Tipos de Rodovias. Essa construção permite o desenvolvimento de uma maior velocidade e também uma maior segurança. pista dupla. que é uma das causas frequentes de acidentes em rodovias de pista simples. Veículos nesse tipo de rodovia devem trafegar sempre do lado direito da pista (em relação a si).se a rodovia estiver ao sul de Brasília. As rodovias de pista múltipla são aquelas que possuem três ou mais Faixas de Rolamento em cada direção (ou sentido) . ligando Navegantes a Camaquã. porém podendo utilizar o outro lado da pista para efetuar ultrapassagens em determinadas condições.   Nomenclatura: BR-4XX Primeiro Algarismo: 4 (quatro) Algarismos restantes: A numeração pode variar de 01 a 99.. o numeração de 01 a 49 . Ex: BR408. etc. ligando Recife a Campina Grande e o numeração de 51 a 99 .

A manutenção de uma rodovia é uma operação dispendiosa.) são mantidas pelos governos dos respectivos Estados. são concedidas à exploração econômica por parte de empresas privadas. Trechos em declive ou com curvas perigosas geralmente impõem limites de velocidades de 80 km/h ou. As mesmas são chamadas concessionárias. a manutenção de rodovias é uma das atribuições de todas as esferas governamentais (federal. Nas rodovias em pista simples. obra que se torna cada vez mais comum no Brasil conforme as rodovias de pista simples se tornam insuficientes para o escoamento do tráfego rodoviário cada vez mais pesado. órgão do Governo Federal brasileiro. uma taxa de utilização aos motoristas que por ali trafegam. medida esta que serve para proteger os pedestres e animais que possam surgir. é comum haver um limite de 110 km/h para automóveis e 90 km/h para ônibus. Velocidade As rodovias brasileiras têm limites de velocidade. a velocidade máxima em geral fica entre 80 e 100 km/h. isto é. etc.: na rodovia dos Bandeirantes. RJ. Há rodovias que possuem limites de velocidade diferentes para cada tipo de veículo. muitas delas foram privatizadas. e o Brasil tem tido uma grande deterioração de suas rodovias nos últimos anos. As rodovias interestaduais ou federais (de siglas BR) são mantidas pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). 60 km/h. Esta distinção é importante devido ao desgaste maior da pavimentação por estes e também à maior dificuldade para frenagens emergenciais. Desafios . enquanto que nas rodovias em pista dupla a velocidade máxima pode chegar até 120 km/h (por ex. Frente à dificuldade dos órgãos governamentais na manutenção das rodovias. cuja manutenção cabe ao município. caminhões e demais veículos grandes (por exemplo a Rodovia Washington Luís e a Rodovia Anhanguera no trecho entre Cordeirópolis a divisa com Minas Gerais. não é permitido transitar nelas a velocidades superiores às indicadas. de acordo com as características de cada trecho. É comum também a imposição de limites de velocidade reduzidos nos perímetros urbanos de municípios pelos quais passam as rodovias. estadual e municipal). As rodovias intra-estaduais (de siglas SP. ficando responsáveis por efetuarem a manutenção das rodovias e estão autorizadas a cobrar um pedágio. Também há rodovias municipais (por exemplo as rodovias vicinais). MG. isto é. A obra que converte uma rodovia em pista simples para uma rodovia de pista dupla é chamada duplicação. isto é. o trecho de planalto da rodovia dos Imigrantes e a pista pedagiada da Rodovia Castelo Branco no Estado de São Paulo). Os limites podem variar ao longo de uma mesma rodovia. nas rodovias duplicadas do Estado de São Paulo. em alguns casos. Por exemplo.Como regra geral.

Segundo reportagem da Folha de S.[3] São Paulo possui o maior número de estradas duplicadas da América Latina e. O problema encontra-se no fato de que a população se vê obrigada a custear duplamente o serviço de recuperação das rodovias. pois frequentemente o pavimento está em ruínas ou apresenta depressões sendo necessário transitar pela contramão ou nos acostamento para utilizar as partes do asfalto que não estão danificadas. Sistema de rodoviário do estado de São Paulo O sistema de rodoviário do estado de São Paulo é o maior sistema estadual de transporte rodoviário do Brasil. estadual (22.[4] A pesquisa também apontou que das 10 melhores rodovias brasileiras. A velocidade média desenvolvida nessas estradas gira em torno dos 20 km/h. o sistema rodoviário do estado é o melhor do Brasil. Ao mesmo tempo em que desoneram os orçamentos públicos.O estado geral das rodovias brasileiras é precário. é mais baixo do que o custo para percorrer os 313 quilômetros que separam a capital paulista de Ribeirão Preto.650 km. de acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte. O estado de São Paulo concentra mais da metade das praças de pedágio do Brasil e uma nova praça de pedágio é criada a cada 40 dias.600 km). com 59. com 34. Os serviços de manutenção são lentos e as verbas geralmente são insuficientes para a conservação adequada das mesmas. Paulo. Mais de 90% da população paulista está a cerca de 5 km de uma estrada pavimentada. as concessões rodoviárias permitem um bom nível de serviço. e não há balanças para pesagem. divida em três níveis. o custo para percorrer o trajeto litorâneo de 4. onde os caminhões geralmente trafegam com carga superior a permitida. Sendo já rotineiro algumas rodovias se tornarem praticamente intransitáveis devido à falta de manutenção.[5] Os preços cobrados pelas concessionárias privadas que administram o sistema são alvos frequentes de reclamações dos motoristas.4% de suas estradas classificadas na categoria "excelente". aproximadamente.[1][2] Trata-se de uma enorme rede interligada. Ao dirigir por estradas federais.000 km) e federal (1. é bastante criticado pelo alto custo imposto aos seus usuários. Administração do sistema . já que continua pagando os mesmos impostos ao Governo (que deveriam servir para a recuperação) e se vê obrigada a pagar também pedágios às concessionárias. entretanto. ligando o Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul.050 km). é comum a prática de andar em zigue-zague. nove são paulistas.[4] O sistema rodoviário paulista.500 quilômetros da BR-101. especialmente das federais devido ao alto transito de veículos. municipal (11. Governos têm optado em transferir para a iniciativa privada a administração e conservação das principais rodovias do país.

uma autarquia estadual. Empresas privadas. DER (Departamento de Estradas de Rodagem). o governo estadual implementou um abrangente programa de concessão pública de infra-estruturas rodoviárias para gestão e exploração econômica (Programa Estadual de Desestatização). Entre as estradas concedidas estão as rodovias Anhanguera. Washington Luís e Imigrantes.500 km. controlam rodovias através de concessões feitas pelo governo estadual. Bandeirantes. A fim de implementar o Programa. como o trecho sul do Rodoanel Mário Covas. gestão e exploração das estradas paulistas dividem-se nas seguintes categorias:      DERSA (Desenvolvimento Rodoviário S. responsáveis pelas estradas vicinais. de 5 de julho de 1996. sendo que uma parte das rodovias sob a tutela do Estado começaram a ser geridas por empresas privadas. Abaixo uma lista da empresas privadas que controlam parte das rodovias paulistas:      Grupo CCR o SPVias o AutoBAn o ViaOeste o RodoAnel o NovaDutra S/A o Renovias Grupo OHL o Autovias o Centrovias o Intervias o Vianorte o Autopista Régis Bittencourt o Autopista Fernão Dias Grupo EcoRodovias o Ecovias o Ecopistas Grupo BRVias o Transbrasiliana o Via Rondon Outros grupos o Colinas o Tebe o Triângulo do Sol o Rota das Bandeiras . a rede viária foi subdividida em 12 seções. Com a lei n º 9.361. uma sociedade de economia mista.A responsabilidade pela construção. interligando 198 municípios com uma população de aproximadamente 20 milhões de habitantes (aproximadamente 50% da população do estado). responsável pelas rodovias federais não concessionadas que atravessam o Estado.). com um total de 3. Ministério dos Transportes. ligada à Secretaria de Transportes do Estado. responsável pela construção e manutenção de rodovias estaduais estratégicas. expansão. manutenção.A. Municípios.

Outra forma de cobrança do pedágio nas rodovias paulistas é o sistema de cobrança eletrônica Sem Parar. incluindo as geridas pelo DERSA. As concessões também levaram à duplicação de mais de 480 km. Transversais: consideradas no sentido leste-oeste. a descrição das rodovias: . As rodovias paulistas são as mais sofisticados e com os mais elevados padrões de segurança e de prestação de serviços da América Latina.o o o CART Rodovias do Tietê SPMar Até agosto de 2005. No quadro a seguir. As rodovias. sinalização horizontal e vertical. Rio de Janeiro. câmeras de vigilância e equipes de emergência 24 horas. O preço do pedágio. em São Paulo. Todas estradas privadas. A numeração ia de BR-8 até BR-21. A numeração ia de BR-1 até BR-6. e a construção de 110 novas estradas. varia de R$ 2.00 a R$ 11. Rodovias incompletas são quilometradas por trechos. Longitudinais: consideradas no sentido norte-sul. Todas as rodovias concedidas estão equipadas com telefones fixos de emergência a cada quilômetro. A numeração ia de BR-22 até BR-54. Através de um dispositivo eletrônico instalado no vidro dianteiro do carro a tarifa é cobrada direto da conta corrente ou do cartão de crédito do motorista. são pedagiadas. Diversas: Não possuiam direcionamento definido. eram divididas em quatro categorias:     Radiais: consideradas a partir da então Capital Federal. agilizando a passagem pela rodovia.00 para veículos leves. As rodovias transversais têm sua origem quilométrica na extremidade mais próxima de São Paulo. A numeração ia de BR-55 até BR105. que possuiam numeração sequencial. Sistema antigo de numeração das rodovias federais O primeiro sistema de numeração de rodovias federais no Brasil foi criado no final dos anos 40 e durou até 1964. fixado pela Secretaria de Estado dos Transportes. estas empresas investiram R$ 6 bilhões nas estradas. por rodovia. gerando uma receita de R$ 2 bilhões para o estado. com o objetivo de pagar pelos serviços e investimentos feitos pelas empresas nas rodovias. Estradas geridas pelo Estado (DER) normalmente não são pedagiadas. seguindo o critério geral. Origens quilométricas     As rodovias radiais têm sua origem quilométrica no marco zero (Praça da Sé).

Gurupi BRAnápolis .Rio .# Trecho Nome popular Avenida Brasil BR-101 Número atual BR.BR-39 BR.Recife .Rio .Campina Grande 10 Atalaia Washington Luís. BR-230 (Ponte Juscelino Kubitschek de Oliveira).Araguaína .João Pessoa .Belo Horizonte .Luiz Correia .Maceió 11 Aracaju .Feira 5 de Santana BRRio .São Paulo .Macau .Juazeiro BR.São Raimundo 8 Nonato .Além Paraíba .Santos .Fortaleza .Rio .Porto Alegre . União e Indústria Rio-Bahia BR-116 BR-040 e BR-135 BR-116 Rio-Bahia (Litorânea) BR-101 Rio-Santos Rodovia Belo Horizonte-Brasília - BR-101 BR-040 - - BR-110 - BR-104 BR.Rio .Campos .Rio .Joinville 6 BRBelo Horizonte .Vitória .Brasília 7 BR.Via Dutra.Feira de 13 Santana - BR-101 BR-110 BR-116 BR-153 e parte das rodovias: BR-226. BR-010.São José 14 do Rio Preto . Régis 2[1] Jaguarão Bittencourt BR.Brejo da Cruz 9 BR-23 BR.Paulo Afonso .Entroncamento (Avenida 1 Brasil) BR.Goiânia .Feira de Santana BRNatal .Icó .Salvador 12 BR.Feira de 4 Santana BR.Montes 3 Claros .Livramento Rodovia Transbrasiliana e Rodovia BelémBrasília .Areia Branca . BR-316 e BR-308 Belém .

Juazeiro 27 BR.Mato Grosso 30 BR-364 BR-174 .Divisa com 17 Venezuela Rodovia CuiabáSantarém - BR-156 BR-163 BR-174 BR.São Luís 23 BRCajazeiras . BR-242 BR.Carolina 24 - - BR-230 BRRecife .Bom Jesus 20 da Lapa BR.BRMacapá . BR-135 BR-154 - BA-156 - MA-336 - BR-222 BRJoão Pessoa .Barreiras .Picos .Campo 16 Grande BR.Barra do Corda 21 Porto Franco BRFortaleza .Cáceres .Cruz Alta 19 BR.Fronteira com o Peru BRCuiabá .Estância .Seabra .Santarém .Teresina .São Luís .Petrolândia .Porto Velho .Teresina 18 BR-8 BRGoiânia .Picos 26 BRAracaju .Salvador .Remanso 25 BRMaceió .Cruzeiro 29 do Sul .Cuiabá .Cuiabá .Belém 22 - BR-020.Anápolis .Oiapoque 15 BR.Parnamirim .Piripiri .Boa Vista .Ilha do Bananal - BR-232 BR-316 - BR-235 - BR-324.Feira de Santana 28 Barreiras .

Paranaíba - BR-050.Frutal 31 .Foz do 35 Iguaçu BR.Carazinho .Paranaguá .São Paulo .Bom Jesus 39 Araguacema BR.Ourinhos .Ilhéus .São Gabriel 37 Uruguaiana BRPelotas .Porto 34 Murtinho BR.Corumbá BR.Montes Claros .BR.Porto Alegre .Formosa 41 Cuiabá BR. BR-262 BR-374 - BR-277 - BR-282 - BR-290 - BR-293 - BR-324.Campinho . BR-235 - BR-030.Curitiba .Cuiabá São João da Barra .Seabra - BR-285 - - BR-242 BR-330 .Patos 42 de Minas .Campos BRMuriaé .São Paulo . BR-349 - BR-251 - BR-365 BRVacaria .Lajes .São Borja 43 BRXorozinho .Campo Grande .Jequié .Vitória .Bagé .São 36 Miguel do Oeste BR.Santos .Araraquara 33 .Alencar 44 BR.São Roque do Paraguaçu 45 Castro Alves .Montes Claros .Feira de Santana .Florianópolis .Araraquara BR-262 Rodovia Vital Brazil BR-356.Itaberaba BR.Ilhéus . BR-267 BR.Belo Horizonte .Uruguaiana 38 BR.Vitória da Conquista 40 Posse BR.Juiz de Fora 32 Caxambu .

Curitiba .Sul de Minas BR-354 BR.46 Bom Jesus BR.Araraquara 56 BR.Petrolina 52 BRRussas .BR-2 .BR-16 61 - BR-101 BR-401 - BR-230 .Guiana Inglesa 60 BRItaituba .Bom Jesus 47 Formosa BRPorto Seguro .Três Rios 57 Sapucaia BRResende .Governador 49 Valadares .Florianópolis .Caxambu 58 BR-349 - BR-367 - BR-259 - - - - - BR-407 - BR-405 - BR-452 Rodovia Fernão Dias BR-381 - BR-364 Rodovia Lúcio Meira BR-393 Rodovia Rio .Cabedelo 53 BRJataí .Bagé 50 Serrilhada BRPeritotó .Monte Alegre de Minas 54 BRSão Paulo .Porto 59 Alegre BRBoa Vista .Curvelo BR.Belo Horizonte 55 BRFrutal .Campinho .Curitibanos .Araçuaí 48 BR.Linhares .Barra Mansa .Bertolínea 51 BRTeresina .

Salinas .Pouso Alegre 76 .Juiz de Fora 68 BR.Guaranhuns 65 Caruaru BR.Campos do 77 Jordão .Monte Alegre de 71 Minas .BR-4 70 BR.Barreiras BREspinosa .Vale do Rio Xingu 67 BRLepoldina .Aquidauana .Poços de Caldas BR.BR-5 63 .Uberlândia .Governador Valadares .Tucano (BR-13) .Lorena .Canal de São Simão BRJataí .Poços de Caldas 75 Patos de Minas - BR-242 BR-267 BR-451 BR-342 - BR-365 - BR-158 - BR-342 - BR-419 - BR-146 BR.Itajubá .BR-14 62 - BR-101 BR.Ribeira do 66 Pombal (BR-12) - BR-420 BR-226 - BR-232 - BR-101 BRPorto Artur .Bragança .Nioaque .Jiquiriçá .Teófilo Otoni 73 BR.Caxambu - BR-459 BR-383 .Xavantina 72 BRLinhares .Currais Novos 64 BR.Bela 74 Vista BR.São Roque do Paraguaçu .Pindamonhangaba .BR-4 BRJaguaribe .Bicas .Paulo Afonso .Montes 69 Claros .BRJatobal .Itajubá .

Londrina .Cambuquira .Rio Brilhante . BR-101 - BR-475 - BR-473 - BR-471 .Chuí 92 - BR-369 BR-463 - BR-282.Além Paraíba 83 Leopoldina - BR-120 BR-116 BR.Venda das Pedras .Bagé .Aceguá 91 BRPelotas .Cruzeiro .Ponte Nova 82 .Dourados 86 Ponta Porã Rodovia NiteróiManilha - BR-492 BR-101. BR-472 BR.Lambari .Muriaé .São João Del Rey BR.Pouso 79 Alto .Areal .Tubarão 90 BRSão Gabriel .Barbacena .Blumenau .Cascavel 87 BRPapanduva .Itanhandu .Lavras 80 Nepomuceno BRIjuí .Itajaí 88 BR.Ubá .São Fidélis 84 Campos BRNiterói .Lajes .Vidinha BR.Manilha 85 BR.Itaqui 81 BR-460 - BR-459 - BR-265 - BR-277. BR-486.Leopoldina .Santiago .Joinville 89 São Francisco do Sul BRLajes .São Domingos do Prata BR.Blumenau .São 78 Lourenço BR. BR-287. RJ-104 BR-463 BROurinhos .

BR-376 - - .Cocal .Patos de 99 Minas BRSítio Campos .Sete Lagoas .Paraná BR.Júlio de Castilhos 105 Lagoa Vermelha Rodovia do Café BR-259 BR-277.Humaitá 93 BRJati .Aimorés 103 .Ponta Grossa 104 Apucarana .Lábrea . PB-214 - BR-424 BR.Colatina .Curitiba .Maringá .Corumbá de Goiás 95 Niquelândia .BRPorto Velho .Abaeté .BR-26 100 Pão de Açúcar (Pernambuco) BRSanta Cruz do Capibaribe 101 Congo Sumé BR.Garanhus .Macuraré 97 Curaçá - BR-319 - - - - - - - BR.Paulo Afonso .BR-14 .Afogados do 102 Ingazeiro - - - PE-160.BR-4 BR.João Neiva .Luzilândia 96 Urbano dos Santos BR.Manari .Sobral .BR-34 BR.Parnamirim 94 BR.