You are on page 1of 6

OSTENSIVO CAPÍTULO 3

CAAML - 3002

COMUNICAÇÕES INTERIORES PROCEDIMENTO OPERATIVO - 0102 3.1 - GENERALIDADES O presente procedimento apresenta os principais aspectos envolvidos na utilização do fonoclama a bordo dos navios da Esquadra, bem como lista os toques, sinais e mensagens usualmente empregados neste circuito. Os procedimentos para os demais circuitos de comunicações interiores estão previstos na Publicação CAAML-1222. 3.2 - O FONOCLAMA O circuito de fonoclama destina-se à disseminação de sinais de alarme e ordens de rotina. Também é utilizado para a disseminação de informações de caráter geral sem, no entanto, saturar o circuito, o que poderá depreciar a importância das mensagens. O fonoclama pode ainda, ser empregado como circuito alternativo para a disseminação de ordens, em substituição a outros circuitos de comunicações interiores; ou mesmo para comunicações exteriores, na transmissão de mensagens para embarcações próximas. Eventualmente, para o bom andamento do serviço, pode ser empregado para chamadas individuais; nesse caso, só deve ser empregado em casos de urgência e após esgotados os demais recursos para a localização do pessoal. Os oficiais deverão ser chamados pela função exercida e as praças, pelo número de bordo (exceto o Mestre do Navio, que é chamado pela expressão “Sr. Mestre do Navio”). 3.3 - UTILIZAÇÃO Os transmissores de fonoclama possuem, normalmente, chaves seletoras que permitem a disseminação de mensagens para todo o navio ou apenas para setores específicos, como conveses abertos, compartimentos de oficiais, praças de máquinas, etc. Essas chaves devem ser utilizadas sempre que aplicável, a fim de evitar que sejam transmitidas, para um setor do navio, mensagens que não sejam do interesse do pessoal que ali guarnece ou habita. O fonoclama é operado, dependendo da classe de navio, através de unidades remotas em um ou mais dos seguintes compartimentos: Portaló, Passadiço, Centro de Controle da Máquina (CCM), Centro de Operações de Combate (COC), Central de CAv, Abrigo do Comando, entre outros. Em regime de porto, somente a unidade remota situada nas proximidades do portaló é utilizada, ficando a do passadiço apenas para os sinais referentes ao Cerimonial da Bandeira. OSTENSIVO 3-1 REV.1

OSTENSIVO CAAML - 3002 Em regime de viagem, as mensagens relacionadas com as fainas e exercícios do navio são transmitidas do Passadiço; as transmissões do portaló limitam-se àquelas ligadas ao cumprimento da rotina; enquanto a unidade remota do CCM ou Central do CAv é empregada para a transmissão das mensagens de emergência ligadas à Máquina e ao CAv. A unidade remota do COC é utilizada para a disseminação de alarmes, alteração em Planos de CONSET e informações sobre o andamento do combate, sob o controle do avaliador. O uso do fonoclama é controlado, no porto, pelo Oficial de Serviço para a execução dos toques de rotina, sinais horários (com o sino) e toques especiais; e, em viagem, pelo Oficial de Quarto no passadiço. Na presença de ameaça submarina ou de minas (em canal varrido), o fonoclama deve ter sua utilização restringida, conforme o previsto na condição de navio silencioso adotada nessas situações. 3.4 - PROCEDIMENTOS Toda ordem ou informação transmitida pelo circuito de fonoclama deve ser precedida pelo nome do navio. Exemplo: “Constituição” (pausa) “Sr. Comandante para bordo”. Sempre que aplicável, são utilizados os toques previstos na Ordenança de Apitos, que preterem as mensagens em linguagem clara. Os toques transmitidos segundo a Ordenança de Apitos e os sinais de alarme não devem ser interpretados, podendo, entretanto, ser complementados. Exemplos: “Jaceguai” (pausa) (toque de parada); “União” (pausa) (toque de faxina) “exceto para quem fez o quarto de zero hora às quatro”. As mensagens transmitidas por fonoclama devem ser claras, concisas e precisas. É recomendável que os textos longos sejam previamente escritos, a fim de evitar erros ou hesitações. As mensagens de exercício são precedidas pela expressão “ISTO É UM EXERCÍCIO” e as relacionadas a eventos reais NÃO UTILIZAM expressões “isto não é um exercício” ou “real”. Diariamente, os alarmes existentes associados ao sistema de fonoclama de bordo (geral, químico, colisão) devem ser acionados para teste.

OSTENSIVO

3-2

REV.1

OSTENSIVO 3.5 - MENSAGENS PADRONIZADAS pronto uso, cartões padronizados nas seguintes cores: a) vermelho para disseminação de fainas de emergência; b) amarelo para informações de perigo; e c) branco para o guarnecimento de fainas normais.

CAAML - 3002

Os navios devem ter, nas proximidades dos transmissores de fonoclama, em condições de

Relaciona-se, a seguir, mensagens padronizadas para fainas no mar, cuja utilização literal é recomendada (observação: os trechos entre parênteses serão preenchidos de acordo com as características de cada navio, podendo ser omitidos, no todo ou em parte): 3.5.1 - Suspender / Desatracar a) (Toque de Detalhe Especial para o Mar) “Guarnecer Detalhe Especial para o Mar. Estabelecer a condição ( __ ) de fechamento do material do convés ( __ ) para baixo”; b) (Toque de Postos de Suspender e Fundear) “Guarnecer Postos de Suspender e Fundear”; c) (Toque de volta aos Postos de Suspender e Fundear) “Permanecendo guarnecido o Detalhe Especial para o Mar”; d) “Guarnecer Detalhe de Navegação em Baixa Visibilidade. Estabelecer a condição ( __ ) de fechamento do material do convés ( __ ) para baixo”; e) “Guarnecer Detalhe Especial para o Mar em Canal Varrido”; f) “Volta ao Detalhe de Navegação em Baixa Visibilidade.”; e g) (Toque de volta ao Detalhe Especial para o Mar) “Volta ao Detalhe Especial para o Mar. Render serviço em regime de viagem (em condição III) pelo quarto de às ( __ ) (ou pelo ___ Quarto)”. 3.5.2 - Fundear / Atracar a) (Toque de Detalhe Especial para o Mar) “Guarnecer Detalhe Especial para o Mar. Estabelecer a condição ( __ ) de fechamento do material baixo”; b) (Toque de Postos de Suspender e Fundear) “Guarnecer Postos de Suspender e Fundear”; c) (Toque de volta aos Postos de Suspender e Fundear) “Permanecendo guarnecido o Detalhe Especial para o Mar”; d) (Toque de volta aos Postos de Suspender e Fundear) (Toque de volta ao Detalhe Especial para o Mar. “Volta aos Postos de Suspender e Fundear. Volta ao Detalhe OSTENSIVO 3-3 REV.1 do convés ( __ ) para ( __ )

OSTENSIVO CAAML - 3002 Especial para o Mar, permanecendo o pessoal necessário a dobrar a amarração. Render serviço em regime de porto pelo quarto de ( __ ) às ( __ ); 3.5.3 – Manobra de Lancha a) (Toque de divisão) “( __ ) Divisão formar no local de manobra da lancha”; e b) “Guarnição da lancha ( __ ) guarnecer”. 3.5.4 – Mudança de Condição de Prontidão em Viagem Sempre que qualquer Alarme for acionado, após encerrada sua atuação, deverá ser repetida a divulgação do fato motivador de seu acionamento. Exemplos: a) “Navio realizará exercício de tiro de superfície com canhão de 4,”5. Guarnecer Postos de Combate”. (Acionar o alarme geral) “Navio realizará exercício de tiro de superfície com canhão de 4,”5. Guarnecer Postos de Combate”; b) “Grande vazamento de óleo combustível na Bravo-2. Guarnecer Postos de Combate”. (Acionar o alarme geral) “Grande vazamento de óleo combustível na Bravo-2. Guarnecer Postos de Combate”.; c) “Isto é um exercício. Incêndio classe “Charlie” na Estação-Rádio. Guarnecer Postos de Combate”. (Acionar o alarme geral) “Isto é um exercício. Incêndio classe “Charlie” na Estação-Rádio. Guarnecer Postos de Combate”; d) “Volta aos Postos de Combate. Render serviço em condição III (ou em regime normal de viagem) pelo quarto de ( __ ) às ( __ ) (ou __ Quarto) “. 3.5.5 – Homem ao Mar a) (Seis apitos curtos) “Homem ao mar por ( __ ). Guarnecer Detalhe de Homem ao Mar. O recolhimento será feito (pela estação de recolhimento por BE / BB, por lancha/bote ou por helicóptero). “ b) “Volta ao Detalhe de Homem ao Mar.” c) Caso o homem ao mar não seja proveniente da sua unidade, deverá ser disseminado: “Guarnecer Detalhe de Recolhimento de Náufragos”. O recolhimento será feito (pela estação de recolhimento por BE/BB, por lancha/bote ou por helicóptero).” 3.5.6 – Fainas de Transferência a) “Preparar para faina de transferência de ( __ ) por ( __ ). Navio fornecedor por BE/BB ( __ ), navio recebedor por BB/BE ( __ ).” b) (Toque de Detalhe Especial para o Mar, caso esteja previsto o guarnecimento de DEM). “Guarnecer estação de transferência nº ( __ ). Estabelecer a condição ( __ ) de fechamento do material do convés principal para baixo (e na ___ ) “. OSTENSIVO 3-4 REV.1

OSTENSIVO CAAML - 3002 c) “É proibido o trânsito no convés principal (e no convés ___ ). O pessoal que desejar assistir à faina deverá permanecer em formatura no ( __ )”. d) “Navio em faina de recebimento de óleo combustível. É proibido fumar cobertas abaixo, no convés principal e ___ à ___ e em toda a(s) seção(ões) ___”. (Repetir de 15 em 15 minutos durante o bombeamento). e) (Toque de Detalhe Especial para o Mar–Volta). “Encerrada a faina de transferência de ( __ ). Estabelecer a condição ( __ ) de fechamento do material. Render serviço em regime de viagem (em condição III) pelo quarto de ( __ ) às ( __ ) (ou pelo __ quarto)”. 3.5.7 – Socorro Externo a) “(Tipo de avaria) no (Nome do navio). Grupo de Socorro Externo guarnecer”. Informações adicionais sobre o navio avariado devem ser disseminadas. 3.5.8 – Grupo de Visita e Inspeção / Guarnição de Presa (GVI/GP) a) “( Nome do navio ) será inspecionado. Grupo de Visita e Inspeção guarnecer e formar no(a) ( __ ) (local onde o GVI irá formar). Guarnição de Presa formar no(a) (local onde a GP irá formar)”. b) “(Nome do navio) oferecendo resistência ao Grupo de Visita e Inspeção. Guarnição de Presa guarnecer ( __ )”. Sempre que o GVI for acionado, a GP também recebe ordem para formar, equipando-se e aguardando a evolução da situação. 3.5.9 – Contigente de Desembarque “Contingente de Desembarque guarnecer e formar no convés ( ___ )” a BB/BE. 3.5.10 - Ataque NBQ “Preparar o navio para transitar em área sob precipitação (nuclear, biológica ou química). Estabelecer a condição Z-NBQ de fechamento do material. (Acionar o Alarme de Ataque NBQ). Preparar o navio para transitar em área sob precipitação (nuclear, biológica ou química). Estabelecer a condição Z-NBQ de fechamento do material”. Mesmo com o navio guarnecido em Postos de Combate, acionar o alarme de ataque NBQ. Demais mensagens devem seguir os Procedimentos Operativos em vigor para a classe de navio. 3.5.11 – Estabelecimento de Conset “CONSET em vigor Alfa Uno” Sempre que for determinada uma alteração da condição de silêncio eletrônico, as estações envolvidas devem dar o pronto a estação controladora do estabelecimento da OSTENSIVO 3-5 REV.1 ( __ )

OSTENSIVO CAAML - 3002 nova condição, conforme determinado nos Manuais Procedimentos de cada classe de navio. 3.5.12 – Toque de Apito Relaciona-se, a seguir, os toques previstos na Ordenança de Apitos que são usualmente disseminados pelo fonoclama. a) FAINAS Faxina avançar, Baldeação, Rancho (rancho de serviço), Formar Divisões, Reunir Geral, Banho, Inspeção, Formar licenciados, Formar serviço, Render serviço, Silêncio, Volta, Varrer e arrumar o navio, Detalhe Especial para o Mar, Postos de Suspender e Fundear, Postos de Continência, Postos de Vôo, Mostra de Pessoal e Uniforme. b) PESSOAL SUBALTERNO Mestre D’Armas, Contramestre, Sargenteante, Fiel D’Aguada, Polícia, Fiel de CAv de Serviço, Escoteiro, Cabo de Dia, Cabo-Auxiliar, Ronda, Faxina do Mestre e Patrão da Lancha. c) MANOBRAS Içar de lupada, Içar de leva arriba, Içar devagar, Arriar devagar ou solecando, Arriar sob volta e Agüentar. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: a) BRASIL, CAAML – 1131 – Manual de Comunicações Interiores. Rio de Janeiro, 2003.

OSTENSIVO

3-6

REV.1