Onze Ideias Para Escrever

O Conceito de Cena na Literatura III

 

O conceito de Cena na Literatura – III

 

A estrutura da cena

 

Como já conversamos, uma cena sempre acontece em um mesmo continuum de tempo e em um mesmo lugar. Vimos também que a cena, a não ser que o ponto de vista adotado pelo escritor seja omnisciente, mantém-se sempre sob o mesmo ângulo (primeira ou terceira pessoa restrita). Mas e quanto à estrutura da cena? Quais são os seus elementos principais?

 

Uma boa forma de se pensar é que cada cena é uma pequena estória dentro da grande trama que você quer contar.

 

 

1/5

Confuso? Pois bem. Resolvido o dilema. o autor tem que se restringir a isso). Ele reflete. dilema e decisão) Vejamos como fica a cena da Velhinha (que vimos na parte II):   Objetivo 2/5 . que é a ação. obstáculo e desfecho) e Reflexão (reflexão. Esquematicamente. sempre acontece também a reflexão. Num determinado momento esta câmera. meio e fim. a cena tem início. Se a primeira parte da cena é composta de uma parte externa. como escritor. E nesta reflexão está o seu dilema. É por isso que dizemos que o papel de uma cena (exceto de cenas que utilizamos para apresentar nossos personagens) é sempre de encaminhar a trama para a próxima cena. tecnicamente falando. instala na testa do personagem que você escolheu como protagonista da cena. os possíveis caminhos para as suas próximas ações. Esta câmera vai gravar tudo que acontece sob o ponto de vista dele (e. como em toda estória. E o que são estes pensamentos? O personagem após o que aconteceu na cena medita. a cena pode ser dividida em duas partes. o que encaminha a trama para a próxima cena. com um desfecho que pode lhe ser favorável ou não. que são: Ação (objetivo. Mais ainda. que estava gravando o que acontecia externamente. o personagem toma a sua decisão.O Conceito de Cena na Literatura III Assim. se vira para o interior do personagem e passa a gravar os seus pensamentos. até que aconteça o clímax final. que você pode considerar como o exame realizado pelo protagonista dos fatos que aconteceram durante o decorrer da cena. Pense numa câmera que você. o protagonista tem um objetivo e vai enfrentar obstáculos.

fechou a cara. e estendeu a mão mais convicta ainda. donde poucas pessoas entravam ou saiam. e até o vizinho! Viu que o granfino olhava em volta. Já tinha atravessado para o seu lado. nora. e ela viu que quase passaria ao alcance de seu braço estendido. mas você é insistente mesmo. eu tenho que sustentar neto. – Uma esmola. – Uma esmolinha. filhos.O Conceito de Cena na Literatura III A velha esparramou uma folha de papelão no canto da calçada. disparou um guincho. Guinchou mais forte. por favor! Obstáculo O granfino pareceu ter levado um susto. e quando viu um bacana com aparência de rico atravessar o portal. e sentou ali com seus farrapos. “Aposto que ele está com medo de que o vejam me negando!” 3/5 . hem? – Mas eu só pedi duas vezes! Por favor. genro. – Droga. enquanto contemplava o outro lado da rua. A rua era estreita. Um portal de granito emoldurava a entrada de um prédio de muitos andares. pelo amor de Deus! O granfino levantou a mão.

  Decisão 4/5 .O Conceito de Cena na Literatura III Com um suspiro.  Olhou de novo para a moeda e o insólito da situação a fez tornar-se irônica. – Toma! Desfecho A velha olhou incrédula para a moeda em sua mão. vai ver que come pior do que eu…” Dilema Com raiva. – Dez centavos! Você me deu só dez centavos! Reflexão Virou a cabeça ainda a tempo de ver o granfino sair de fininho. Ao final. o coroa bem vestido tirou um saquinho do bolso e começou a futucar lá dentro. “Coitado do granfino! Desse jeito. sacou uma moeda. pensou por instantes em jogar a moeda fora.

e terminou por enfiá-la no bolso da saia imunda.  De novo o guincho voltou a ecoar pela rua. – Uma esmolinha por favor! 5/5 .O Conceito de Cena na Literatura III Coçou a cabeça.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful